Tabela de comparação da escrita

18.698 visualizações

Publicada em

Educação infantil

Publicada em: Educação
0 comentários
11 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.698
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
156
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
471
Comentários
0
Gostaram
11
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Tabela de comparação da escrita

  1. 1. Tabela elaborada para acompanhar a evolução da escrita dos alunos. Exemplos  BRIGADEIRONível de escrita Caracterização  PIPOCA  SUCO  BISP Predomínio de rabiscos e pseudo-letras. AR Grafismo utilização de grafias convencionais é um intento para a criança. Primitivo Desenvolvem procedimentos para diferenciar escritas. A R M S MO H AÉ A criança escreve ocupando toda a Escrita sem O R U I L N M TIAKE A M T O X A M H N TS K H controle de largura da folha ou do espaço destinado IM H O T I P E R T C L P M B O JISEB H H UUU U a escrita. quantidade A T R O C D G P E S IP U T F F TIA KEKA TIA KEKA A Escrita A criança utiliza somente uma letra L F Unigráfica para representar a palavra. CS A mesma série de letras numa mesma A LN I A LN II Escrita Fixa ordem serve para diferenciar nomes. A LN I Predomínio de grafias convencionais. A LN IL Quantidade Algumas letras aparecem na mesma SAMTÁ variável ordem e lugar, outras letras de forma AMT AMTSA SAT diferente. Varia a quantidade de letras Repertório para cada palavra. Fixo/ParcialB Quantidade Quantidade constante para todas as HRUM ASGKI constante escritas. Porém, usa-se o recurso da ONBJ CFTV diferenciação qualitativa: as letras Repertório mudam ou muda a ordem das letras. variável Tiakeka.blogspot.com.br [Escolha a data]
  2. 2. C QuantidadeA variável Expressam máxima diferenciação RAMQN ABEAMF GEPFA controlada para diferenciar uma OSDL Repertório escrita de outra. variado Quantidade e repertório Variedade na quantidade e no repertório de letras. A criança preocupa-se IMSABRO variáveis em utilizar letras que correspondem ao IBRNSA URMTO INBOXIX Presença de som inicial e/ou final. valor sonoro início e/ou fim ROMT Sem valor sonoro: a criança escreve BUD AS R uma letra para representar a sílaba sem se preocupar com o valor sonoro correspondente ITMO Iniciando uma correspondência sonora: a PQA RO GI criança escreve uma letra para cada sílaba e começa a utilizar letras que correspondem ao som da sílaba. SILÁBICA Com valor sonoro: a criança escreve IAEO–BHDO IOA–POK UO–SC IS–BI uma letra para cada sílaba, utilizando letras que correspondem ao som da sílaba; às vezes usa só vogais e outras vezes consoantes e vogais. Silábico em conflito ou hipótese falsa necessária: momento de conflito BHDULE IOKEC UOKU cognitivo relacionado à quantidade ISIS mínima de letras (BIS/ISIS) e a contradição entre a interpretação silábica e as escritas alfabéticas que Tiakeka.blogspot.com.br [Escolha a data]
  3. 3. têm sempre mais letras. Acrescenta letras e dá a impressão que regrediu para o pré- silábico. A criança, ora escreve uma letra paraSILÁBICA - representar a sílaba, ora escreve a BIHDROALFABÉTICA PIPOK SUKO sílaba completa. Dificuldade é mais BIZ visível nas sílabas complexas. A criança já compreende o sistema de ALFABÉTICA BRIGADEIRO escrita faltando apenas apropriar-se PIPOCA SUCO das convenções ortográficas; principalmente BIS nas sílabas complexas.. Essas informações são parâmetros que ajudam a compreender as hipóteses das crianças sobre o sistema de escrita e assim poder planejar e intervir intencionalmente para que avancem. As crianças são complexas e muitas vezes não se encaixam nas “gavetinhas”, é preciso investigar, usando diferentes estratégias para conhecê-las. Fonte: equipe pedagógica da Escola Municipal Professora Maria Alice Pasquarelli, em São José dos Campos (SP) Tiakeka.blogspot.com.br [Escolha a data]

×