Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal Disciplina :  Neuroanatomia Aula :  Microscopia da Ponte e Mesencéfalo Prof .: ...
Microscopia da Ponte <ul><li>Divisão: </li></ul><ul><ul><li>Ponte ventral ou base da ponte </li></ul></ul><ul><ul><li>Pont...
Nucleos Do Trigêmio Lemnisco medial e corpo trapezóide Fasciculo long medial. IV ventriculo Véu medular sup Ped cerebelar ...
Microscopia da Ponte <ul><li>Ponte Ventral </li></ul><ul><li>É uma área própria da ponte, sem correspondente no tronco enc...
Microscopia da Ponte <ul><li>Estruturas da porção ventral da ponte. </li></ul><ul><li>Fibras longitudinais. </li></ul><ul>...
Microscopia da Ponte <ul><li>Fibras longitudinais: </li></ul><ul><li>Trato córtico-espinhal  – Fibras da área motora do có...
Microscopia da Ponte <ul><li>Fibras transversais e núcleos pontinos. </li></ul><ul><li>Núcleos pontinos – Pequenos aglomer...
 
 
Microscopia da Ponte <ul><li>Parte dorsal da ponte (tegmento). </li></ul><ul><li>Estrutura semelhante ao bulbo e ao tegmen...
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos principais e fibras relacionadas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Núcleos cocleares, corpo ...
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos cocleares: Dorsal e Ventral. </li></ul><ul><li>Localizados no nível em que os pedúncu...
N . Coclear ventral N. Coclear dorsal Nucleos vestibulares VIII Nc
 
Núcleos cocleares <ul><li>A maioria das fibras originadas dos núcleos cocleares cruza para o lado oposto, constituíndo o c...
 
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos vestibulares: </li></ul><ul><li>Localizam-se no assoalho do IV ventrículo (área vesti...
Microscopia da Ponte <ul><li>Os núcleos vestibulares recebem impulsos nervosos originados na parte vestibular do ouvido in...
Microscopia da Ponte <ul><li>As fibras eferentes dos núcleos vestibulares formam ou entram na composição dos seguintes tra...
 
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos dos nervos facial e abducente: </li></ul><ul><li>As fibras do nervo facial tem um tra...
Nucl. solitário Nucl. salivatório sup Nucl. motor VII Nucl. VI Coliculo facial Fasc long medial Trato cortico-espihal Braç...
 
 
 
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleo salivatório superior e núcleo lacrimal : </li></ul><ul><li>Pertencem ao sistema nervos...
Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos do nervo trigêmio </li></ul><ul><li>Além do núcleo do trato espinhal no bulbo, o V pa...
Núcleos do nervo trigêmio
Núcleos do nervo trigêmio
Nucleos Do Trigêmio Lemnisco medial e corpo trapezóide
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Divisão: </li></ul><ul><ul><li>Tecto Mesencefálico – dorsal ao aqueduto cerebral </li><...
Mesencéfalo
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Tecto Mesencefálico </li></ul><ul><ul><li>Colículos superiores </li></ul></ul><ul><ul><...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Colículo Superior </li></ul><ul><li>Formado por camadas superpostas, constituídas, alte...
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>O colículo superior é importante para certos reflexos que regulam os movimentos dos olh...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Colículo Inferior </li></ul><ul><li>Difere do colículo superior pois é constituído de u...
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Área Pré-tectal Ou Núcleo Pré-tectal </li></ul><ul><li>É uma área de limites pouco defi...
 
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Base Do Pedúnculo Cerebral </li></ul><ul><li>Formada pelas fibras descendentes dos trat...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Cinzenta </li></ul><ul><ul><li>Núcleos de nervos cranianos </li></ul></ul><u...
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Núcleo Do Nervo Oculomotor </li></ul><ul><li>Localização: Nível do colículo superior e ...
Núcleos do III
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>A parte visceral do oculomotor é o chamado núcleo de Edinger-Westphal que contém os neu...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Núcleo Do Nervo Troclear </li></ul><ul><li>Localização: Nível do colículo inferior, ven...
Núcleos do IV
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Cinzenta Própria Do tegmento </li></ul><ul><ul><li>Núcleo rubro </li></ul></...
Núcleo Rubro <ul><ul><li>As fibras do pedúnculo cerebelar superior o envolvem e algumas penetram no núcleo à medida que so...
Núcleo Rubro <ul><ul><li>O núcleo rubro participa do controle da  motricidade somática . Recebe fibras do cerebelo e do có...
Substância Negra <ul><li>Situada entre o tegmento e a base do pedúnculo cerebral, é formada por um núcleo compacto de neur...
Substância Negra <ul><li>As conexões mais importantes são com o corpo estriado. Essas se fazem nos dois sentidos, nigro-es...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Branca </li></ul><ul><ul><li>Fibras Longitudinais </li></ul></ul><ul><ul><li...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Descendentes </li></ul><ul><ul><li>Trato córtico-espinhal </li></ul></ul><ul><ul...
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Ascendentes(tegmento) </li></ul><ul><ul><li>Lemnisco medial  </li></ul></ul><ul>...
 
Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Transversais </li></ul><ul><ul><li>Decussação do pedúnculo cerebelar superior </...
Formação Reticular: Conceito e Estrutura <ul><li>Conceito: Agregação de neurônios de tamanhos e tipos diferentes, separado...
Formação Reticular: Conceito e Estrutura <ul><li>Estrutura intermediária entre substância branca e cinzenta. Ocupa grande ...
Formação Reticular <ul><li>Principais núcleos: </li></ul><ul><li>Núcleos da rafe-nº de 8, ricos em serotonina, dispões-se ...
Formação Reticular <ul><li>Divisão cifoarquitetural: </li></ul><ul><li>Porção Magnocelular – células grandes – dois terços...
Formação Reticular <ul><li>Conexões: </li></ul><ul><li>Possui conexões amplas e variadas, recebe impulso dos nervos crania...
Formação Reticular <ul><li>Conexões com o cérebro: Projeta fibras para o córtex cerebral por via talâmica e extra-talâmica...
Ponte: Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Os sinais e sintomas das lesões da ponte decorrem do comprometimento dos núcleo...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesões do nervo facial (paralisia periférica). </li></ul><ul><li>Paralisia dos músculo...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão na base da ponte. </li></ul><ul><li>Lesão do trato córtico-espinhal e do nervo a...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão da ponte no nível do trigêmio. </li></ul><ul><li>Lesões na base </li></ul><ul><l...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Motoras: </li></ul><ul><li>Paralisia da musculatura mastigadora. </li></ul><ul><li>Des...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesões do mesencéfalo. </li></ul><ul><li>Lesões da base dos pedúnculos cerebrais (Sínd...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão do nervo oculomotor: </li></ul><ul><li>Paralisia dos músculos levantador da pálp...
Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão do tegmento mesencefálico (Síndrome de Benedikt). </li></ul><ul><li>Compromete o...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS <ul><li>DÂNGELO E Fattini. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar: Para o estudante de Medicina....
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula Microscopia Da Ponte E MesencéFalo

30.801 visualizações

Publicada em

Aula Microscopia Da Ponte E MesencéFalo

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
30.801
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
261
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
281
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula Microscopia Da Ponte E MesencéFalo

  1. 1. Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal Disciplina : Neuroanatomia Aula : Microscopia da Ponte e Mesencéfalo Prof .: João Alves
  2. 2. Microscopia da Ponte <ul><li>Divisão: </li></ul><ul><ul><li>Ponte ventral ou base da ponte </li></ul></ul><ul><ul><li>Ponte dorsal ou tegmento da ponte </li></ul></ul><ul><li>No limite entre a base e o tegmento existe um conjunto de fibras mielínicas transversais denominadas corpo trapezóide. </li></ul>
  3. 3. Nucleos Do Trigêmio Lemnisco medial e corpo trapezóide Fasciculo long medial. IV ventriculo Véu medular sup Ped cerebelar superior
  4. 4. Microscopia da Ponte <ul><li>Ponte Ventral </li></ul><ul><li>É uma área própria da ponte, sem correspondente no tronco encefálico. Na filogênese é contemporânea do neocerebelo e neocórtex, com quem mantém íntimas conexões. </li></ul>
  5. 5. Microscopia da Ponte <ul><li>Estruturas da porção ventral da ponte. </li></ul><ul><li>Fibras longitudinais. </li></ul><ul><ul><li>Trato córtico-espinhal. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato córtico-nuclear. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato córtico-pontino. </li></ul></ul><ul><li>Fibras transversais. </li></ul><ul><li>Núcleos pontinos. </li></ul>
  6. 6. Microscopia da Ponte <ul><li>Fibras longitudinais: </li></ul><ul><li>Trato córtico-espinhal – Fibras da área motora do córtex que se dirigem aos neurônios motores da medula. Na ponte não tem a mesma estrutura compacta das pirâmides bulbares. </li></ul><ul><li>Trato córtico-nuclear – Fibras das áreas motoras do córtex que dirigem-se aos núcleos motores dos nervos cranianos (VII, VI e V). As fibras podem terminar em núcleos do mesmo lado e do lado oposto. </li></ul><ul><li>Trato córtico-pontino – Fibras de várias áreas do córtex cerebral que fazem sinapses nos núcleos pontinos. </li></ul>
  7. 7. Microscopia da Ponte <ul><li>Fibras transversais e núcleos pontinos. </li></ul><ul><li>Núcleos pontinos – Pequenos aglomerados dos neurônios dispersos em toda base da ponte, recebem fibras córtico-pontinas. </li></ul><ul><li>Os axônios dos neurônios dos núcleos pontinos formam as fibras transversais da ponte (fibras pontinas ou ponto-cerebelares). Estas fibras cruzam o plano mediano e penetram no cerebelo pelo pedúnculo cerebelar médio ou braço da ponte. Forma-se, assim a via córtico-ponto-cerebelar (vide esquema abaixo). </li></ul>córtex Nucls pontinos cerebelo
  8. 10. Microscopia da Ponte <ul><li>Parte dorsal da ponte (tegmento). </li></ul><ul><li>Estrutura semelhante ao bulbo e ao tegmento mesencefálico e contém: </li></ul><ul><li>Fibras descendentes </li></ul><ul><li>Fibras ascendentes </li></ul><ul><li>Fibras transversais </li></ul><ul><li>Núcleos de nervos cranianos </li></ul><ul><li>Substância cinzenta própria </li></ul>
  9. 11. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos principais e fibras relacionadas: </li></ul><ul><ul><ul><li>Núcleos cocleares, corpo trapezóide e lemnisco lateral </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleos vestibulares e suas conexões </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleo do facial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleo do abducente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Núcleos do trigêmio </li></ul></ul></ul>
  10. 12. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos cocleares: Dorsal e Ventral. </li></ul><ul><li>Localizados no nível em que os pedúnculos cerebelares inferiores curvam-se posteriormente. </li></ul><ul><li>Recebem fibras cocleares do VIII par, que são prolongamentos dos neurônios sensitivos do gânglio espiral. </li></ul>
  11. 13. N . Coclear ventral N. Coclear dorsal Nucleos vestibulares VIII Nc
  12. 15. Núcleos cocleares <ul><li>A maioria das fibras originadas dos núcleos cocleares cruza para o lado oposto, constituíndo o corpo trapezóide. </li></ul><ul><li>Estas fibras formam o lemnisco lateral, terminando no colículo inferior, de onde os impulsos nervosos seguem para o corpo geniculado medial. </li></ul><ul><li>Entretanto, um grande número de fibras cocleares termina no núcleo olivar superior, do mesmo lado ou do lado oposto, de onde os impulsos seguem pelo lemnisco lateral. </li></ul><ul><li>Estas estruturas fazem parte da via auditiva, através dela os impulsos oriundos da cóclea são levados ao córtex. </li></ul>
  13. 17. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos vestibulares: </li></ul><ul><li>Localizam-se no assoalho do IV ventrículo (área vestibular). </li></ul><ul><li>São em número de quatro: lateral, medial, superior e inferior. </li></ul>
  14. 18. Microscopia da Ponte <ul><li>Os núcleos vestibulares recebem impulsos nervosos originados na parte vestibular do ouvido interno que informam sobre a posição e os movimentos da cabeça. Estes impulsos passam pelos neurônios sensitivos do gânglio vestibular e chegam aos núcleos vestibulares pelos prolongamentos centrais destes neurônios que formam a parte vestibular do VIII par. </li></ul><ul><li>Chegam ainda aos núcleos vestibulares, fibras do cerebelo relacionadas com a manutenção do equilíbrio </li></ul>Ouvido interno Gânglio vest Nucl vestibulares
  15. 19. Microscopia da Ponte <ul><li>As fibras eferentes dos núcleos vestibulares formam ou entram na composição dos seguintes tratos e fascículos: </li></ul><ul><ul><li>Fascículo vestíbulo-cerebelar – Fibras que terminam no córtex do arquicerebelo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Fascículo longitudinal medial – A maioria de suas fibras são oriundas dos núcleos vestibulares. Este fascículo está envolvido nos reflexos que permitem ao olho ajustar-se aos movimentos da cabeça. </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato vestíbulo-espinhal – Suas fibras levam impulsos aos neurônios motores da medula, são importantes para manutenção do equilíbrio. </li></ul></ul><ul><ul><li>Fibras vestíbulo-talâmicas – Localização e significado discutidos. </li></ul></ul>
  16. 21. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos dos nervos facial e abducente: </li></ul><ul><li>As fibras do nervo facial tem um trajeto ascendente ao longo do lado medial do núcleo do abducente e depois curvam-se lateralmente sobre a superfície dorsal deste núcleo e faz uma saliência na superfície do assoalho do IV ventrículo que é o colículo facial. </li></ul><ul><li>Esta curvatura do nervo facial constitui seu joelho interno. </li></ul><ul><li>O nervo facial emerge no sulco bulbo-pontino. </li></ul><ul><li>Devido a esta proximidade entre estes nervos, lesões conjuntas podem ocorrer. </li></ul>
  17. 22. Nucl. solitário Nucl. salivatório sup Nucl. motor VII Nucl. VI Coliculo facial Fasc long medial Trato cortico-espihal Braço da ponte VI
  18. 26. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleo salivatório superior e núcleo lacrimal : </li></ul><ul><li>Pertencem ao sistema nervoso parassimpático, dão origem a fibras pré-ganglionares que emergem pelo nervo intermédio e inervam as glândulas sublingual, submandibular e lacrimal. </li></ul>
  19. 27. Microscopia da Ponte <ul><li>Núcleos do nervo trigêmio </li></ul><ul><li>Além do núcleo do trato espinhal no bulbo, o V par tem na ponte, o núcleo sensitivo principal, o núcleo do trato mesencefálico e o núcleo motor. </li></ul><ul><li>O núcleo motor (localizado medialmente) origina fibras para os músculos mastigadores. </li></ul><ul><li>Os núcleos sensitivos recebem impulsos relacionados com a sensibilidade somática geral de quase toda a cabeça. Deles saem fibras ascendentes que formam o lemnisco trigeminal que termina no tálamo. </li></ul>
  20. 28. Núcleos do nervo trigêmio
  21. 29. Núcleos do nervo trigêmio
  22. 30. Nucleos Do Trigêmio Lemnisco medial e corpo trapezóide
  23. 32. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Divisão: </li></ul><ul><ul><li>Tecto Mesencefálico – dorsal ao aqueduto cerebral </li></ul></ul><ul><ul><li>Pedúnculos Cerebrais – ventral ao aqueduto cerebral </li></ul></ul><ul><li>Pedúnculos Cerebrais </li></ul><ul><ul><li>Parte ventral (base) – Fibras longitudinais. </li></ul></ul><ul><ul><li>Parte dorsal (tegmento) – Semelhante ao tegmento da ponte. </li></ul></ul>
  24. 33. Mesencéfalo
  25. 34. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Tecto Mesencefálico </li></ul><ul><ul><li>Colículos superiores </li></ul></ul><ul><ul><li>Colículos inferiores </li></ul></ul><ul><ul><li>Área pré-tectal </li></ul></ul>
  26. 35. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Colículo Superior </li></ul><ul><li>Formado por camadas superpostas, constituídas, alternadamente por substância branca e cinzenta . </li></ul><ul><li>Conexões: </li></ul><ul><li>Fibras oriundas da retina que vêm pelo trato óptico e braço do colículo superior. </li></ul><ul><li>Fibras oriundas do córtex occipital, que chegam ao colículo pela radiação óptica e braço do colículo superior. </li></ul><ul><li>Fibras que formam o trato tecto-espinhal que fazem sinapse com neurônios motores da medula cervical. </li></ul>
  27. 37. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>O colículo superior é importante para certos reflexos que regulam os movimentos dos olhos no sentido vertical. Para esta função existem fibras ligando o colículo ao núcleo do oculomotor, situado no tegmento do mesencéfalo. </li></ul><ul><li>Lesões dos colículos superiores podem causar perda de capacidade de movimento ocular no sentido vertical. Um exemplo é o caso de tumor da pineal que pode comprimir os colículos. </li></ul>
  28. 38. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Colículo Inferior </li></ul><ul><li>Difere do colículo superior pois é constituído de uma massa bem delimitada de substância cinzenta, o núcleo do colículo inferior. Este núcleo recebe as fibras auditivas que sobem pelo lemnisco lateral e manda fibras ao corpo geniculado medial através do braço do colículo inferior. Algumas fibras cruzam de um colículo para o outro, formando a comissura do colículo inferior. O colículo inferior é um importante relé das vias auditivas. </li></ul>
  29. 40. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Área Pré-tectal Ou Núcleo Pré-tectal </li></ul><ul><li>É uma área de limites pouco definidos, situada na extremidade rostral dos colículos superiores, no limite do mesencéfalo com o diencéfalo. Relaciona-se com o reflexo das pupilas. </li></ul>
  30. 43. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Base Do Pedúnculo Cerebral </li></ul><ul><li>Formada pelas fibras descendentes dos tratos córtico-espinhal, córtico-nuclear e córtico-pontino. </li></ul><ul><li>Lesões causam paralisias do lado oposto. </li></ul><ul><li>Tegmento Do Mesencéfalo </li></ul><ul><ul><li>Substância cinzenta </li></ul></ul><ul><ul><li>Substância branca </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação reticular </li></ul></ul>
  31. 44. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Cinzenta </li></ul><ul><ul><li>Núcleos de nervos cranianos </li></ul></ul><ul><ul><li>Substância cinzenta própria do mesencéfalo </li></ul></ul><ul><ul><li>Núcleos De Nervos Cranianos </li></ul></ul><ul><ul><li>Núcleos do III </li></ul></ul><ul><ul><li>Parte Somática </li></ul></ul><ul><ul><li>Parte Visceral – Núcleo de Edinger-Westsphal. </li></ul></ul><ul><ul><li>Núcleos do IV </li></ul></ul><ul><ul><li>Núcleos do Trato Mesencefálico do V. </li></ul></ul>
  32. 46. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Núcleo Do Nervo Oculomotor </li></ul><ul><li>Localização: Nível do colículo superior e aparece nos cortes transversais com a forma de V, estando intimamente relacionado com o fascículo longitudinal medial. É um núcleo complexo, com varias partes. Pode ser funcionalmente dividido em uma parte somática e outra visceral. A parte somática contém os neurônios motores responsáveis pela inervação dos músculos reto superior, reto inferior, reto medial e levantador da pálpebra </li></ul>
  33. 47. Núcleos do III
  34. 48. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>A parte visceral do oculomotor é o chamado núcleo de Edinger-Westphal que contém os neurônios pré-ganglionares que fazem sinapses no gânglio ciliar e estão relacionados com a inervação do músculo ciliar e músculo esfíncter da pupila. Estas fibras pertencem ao parassimpático craniano e são muito importante para o controle reflexo da pupila em resposta à luz (reflexo fotomotor). </li></ul>
  35. 49. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Núcleo Do Nervo Troclear </li></ul><ul><li>Localização: Nível do colículo inferior, ventral à substância cinzenta periaquedutal ou central e dorsal ao fascículo longitudinal medial. Suas fibras saem de sua face dorsal, contornam a substância cinzenta central, cruzam com as do lado oposto e emergem do véu medular superior, caudalmente ao colículo inferior. </li></ul><ul><li>Inerva o músculo oblíquo superior. </li></ul>
  36. 50. Núcleos do IV
  37. 51. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Cinzenta Própria Do tegmento </li></ul><ul><ul><li>Núcleo rubro </li></ul></ul><ul><ul><li>Substância negra </li></ul></ul><ul><ul><li>Formação reticular </li></ul></ul>
  38. 52. Núcleo Rubro <ul><ul><li>As fibras do pedúnculo cerebelar superior o envolvem e algumas penetram no núcleo à medida que sobem. </li></ul></ul><ul><ul><li>Na estrutura do núcleo distingue-se uma parte parvicelular que contem neurônios pequenos e outra magnocelular que contem neurônios grandes. </li></ul></ul>
  39. 53. Núcleo Rubro <ul><ul><li>O núcleo rubro participa do controle da motricidade somática . Recebe fibras do cerebelo e do córtex motor e dá origem ao trato rubro-espinhal que influencia os neurônios motores da medula espinhal, responsáveis pela inervação da musculatura distal dos membros. </li></ul></ul><ul><ul><li>O núcleo rubro liga-se também ao complexo olivar inferior através das fibras rubro-olivares, que integram o circuito rubro-olivo-cerebelar . </li></ul></ul>
  40. 54. Substância Negra <ul><li>Situada entre o tegmento e a base do pedúnculo cerebral, é formada por um núcleo compacto de neurônios que contém inclusões de Melanina. A maioria desses neurônios é dopaminérgica. Estes neurônios formam a parte compacta da sustância negra. A parte reticulada contém neurônios GABAérgicos. </li></ul>
  41. 55. Substância Negra <ul><li>As conexões mais importantes são com o corpo estriado. Essas se fazem nos dois sentidos, nigro-estriatais e estriato-nigrais, sendo as primeiras Dopaminérgicas. Degenerações dos neurônios Depaminérgicos da substância negra causam diminuição da Dopamina no corpo estriado, provocando graves perturbações motoras que caracterizam a chamada síndrome de Parkinson. </li></ul>
  42. 56. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Substância Branca </li></ul><ul><ul><li>Fibras Longitudinais </li></ul></ul><ul><ul><li>Fibras Transversais </li></ul></ul><ul><li>Fibras Longitudinais </li></ul><ul><ul><li>Descendentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Ascendentes </li></ul></ul><ul><ul><li>De Associação </li></ul></ul>
  43. 57. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Descendentes </li></ul><ul><ul><li>Trato córtico-espinhal </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato córtico-nuclear </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato córtico-pontino </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato tecto-espinhal </li></ul></ul><ul><ul><li>Trato rubro-espinhal </li></ul></ul>
  44. 58. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Ascendentes(tegmento) </li></ul><ul><ul><li>Lemnisco medial </li></ul></ul><ul><ul><li>Lemnisco espinhal </li></ul></ul><ul><ul><li>Lemnisco trigeminal </li></ul></ul><ul><ul><li>Lemnisco lateral </li></ul></ul><ul><ul><li>Pedúnculo cerebelar superior </li></ul></ul><ul><ul><li>Braço do colículo superior </li></ul></ul><ul><ul><li>Braço do colículo inferior </li></ul></ul>
  45. 60. Microscopia Do Mesencéfalo <ul><li>Fibras Transversais </li></ul><ul><ul><li>Decussação do pedúnculo cerebelar superior </li></ul></ul><ul><ul><li>Comissura do colículo inferior </li></ul></ul>
  46. 61. Formação Reticular: Conceito e Estrutura <ul><li>Conceito: Agregação de neurônios de tamanhos e tipos diferentes, separados por uma rede de fibras nervosas que ocupa a parte central do tronco encefálico. </li></ul>
  47. 62. Formação Reticular: Conceito e Estrutura <ul><li>Estrutura intermediária entre substância branca e cinzenta. Ocupa grande área do tronco encefálico e preenche os espaços não ocupados por fascículos, tratos e núcleos mais compactos. </li></ul>
  48. 63. Formação Reticular <ul><li>Principais núcleos: </li></ul><ul><li>Núcleos da rafe-nº de 8, ricos em serotonina, dispões-se em toda extensão do tronco. </li></ul><ul><li>Lócus cerúleos (assoalho do IV ventrículo) – células ricas em noradrenalina. </li></ul><ul><li>Substância cinzenta periaquetutal – circunda o aqueduto cerebral. Regulação da dor. </li></ul><ul><li>Área tegmentar ventral – situada na parte ventral do tegmento do mesencéfalo, medialmente à substância negra. Neurônios ricos em Dopamina. </li></ul>
  49. 64. Formação Reticular <ul><li>Divisão cifoarquitetural: </li></ul><ul><li>Porção Magnocelular – células grandes – dois terços mediais e parvocelular – células pequenas – um terço lateral. </li></ul><ul><li>Magnocelular – vias ascendentes e descendentes. </li></ul>
  50. 65. Formação Reticular <ul><li>Conexões: </li></ul><ul><li>Possui conexões amplas e variadas, recebe impulso dos nervos cranianos e mantém conexões aferentes e eferentes com o cérebro, cerebelo e medula. </li></ul>
  51. 66. Formação Reticular <ul><li>Conexões com o cérebro: Projeta fibras para o córtex cerebral por via talâmica e extra-talâmica. Recebe fibras do córtex, hipotálamo e do sistema límbico. </li></ul><ul><li>Conexões com o cerebelo: Existem conexões nos dois sentidos. </li></ul><ul><li>Conexões com a medula: Fibras rafe-espinhais; trato retículo-espinhal; fibras espino-reticulares. </li></ul><ul><li>Conexões com núcleos dos NC: Recebem impulsos de nervos cranianos sensitivos através de fibras originadas nos seus núcleos. </li></ul>
  52. 67. Ponte: Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Os sinais e sintomas das lesões da ponte decorrem do comprometimento dos núcleos de nervos cranianos aí localizados que são: V, VI, VII e VIII pares cranianos. </li></ul>
  53. 68. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesões do nervo facial (paralisia periférica). </li></ul><ul><li>Paralisia dos músculos mímicos da hemiface do lado lesado. </li></ul><ul><li>Músculo bucinador – vazamento de saliva no canto da boca. </li></ul><ul><li>Desvio da comissura labial para o lado normal. </li></ul><ul><li>Paralisia do músculo orbicularis oculi – não há fechamento da pálpebra. O levantador está normal e a pálpebra permanece aberta e o reflexo corneano está abolido. </li></ul><ul><li>Pode haver leões associadas do intermédio e do VIII par. </li></ul>
  54. 69. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão na base da ponte. </li></ul><ul><li>Lesão do trato córtico-espinhal e do nervo abducente – hemiplegia cruzada. </li></ul><ul><li>Lesão do trato córtico-espinhal - hemiparesia do lado oposto. </li></ul><ul><li>Lesão do nervo abducente – paralisia do músculo reto lateral do mesmo lado o que impede a abdução do olho – diplopia e estrabismo convergente. </li></ul><ul><li>Quando a lesão estende-se lateralmente pode comprometer o nervo facial e pode associar sinais de lesão do facial. Este quadro é denominado síndrome de Millard-Gubler. </li></ul>
  55. 70. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão da ponte no nível do trigêmio. </li></ul><ul><li>Lesões na base </li></ul><ul><li>Lesão trato córtico-espinhal – hemiplegia cruzada. </li></ul><ul><li>Lesão do trigêmio causa perturbações do mesmo lado que podem ser motoras e sensitivas. </li></ul>
  56. 71. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Motoras: </li></ul><ul><li>Paralisia da musculatura mastigadora. </li></ul><ul><li>Desvio da mandíbula para o lado paralisado por ação dos músculos pterigóides do lado normal. </li></ul><ul><li>Sensitivas: </li></ul><ul><li>Anestesia da face do mesmo lado da lesão. </li></ul><ul><li>A lesão pode estender até o lemnisco medial e causar perda da propriocepção e do tato epicrítico do lado oposto. </li></ul>
  57. 72. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesões do mesencéfalo. </li></ul><ul><li>Lesões da base dos pedúnculos cerebrais (Síndrome de Weber). </li></ul><ul><li>Geralmente compromete o trato córtico-espinhal e o nervo oculomotor. </li></ul><ul><li>Lesão do trato córtico-espinhal: </li></ul><ul><li>Hemiparesia do lado oposto </li></ul>
  58. 73. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão do nervo oculomotor: </li></ul><ul><li>Paralisia dos músculos levantador da pálpebra, reto superior, reto medial e reto inferior do lado da lesão. </li></ul><ul><li>Diplopia devido ao desvio lateral do globo ocular. </li></ul><ul><li>Estrabismo divergente – ação do músculo reto lateral não contrabalanceada. </li></ul><ul><li>Ptose palpebral (paralisia do músculo levantador da pálpebra). </li></ul><ul><li>Midríase – ação do músculo dilatador da pupila (inervado pelo simpático) não antagonizada pelo músculo contritor da pupila, cuja inervação parassimpática foi lesada </li></ul>
  59. 74. Correlações Anatomoclínicas <ul><li>Lesão do tegmento mesencefálico (Síndrome de Benedikt). </li></ul><ul><li>Compromete o nervo oculomotor, o núcleo rubro e os lemniscos medial, espinhal e trigeminal, resultando em: </li></ul><ul><ul><li>Lesão do oculomotor (já estudado). </li></ul></ul><ul><ul><li>Lesão dos lemniscos medial causa perda propiocepção consciente e tato epicrítico. </li></ul></ul><ul><ul><li>Lesão dos lemniscos espinhal e trigeminal causa anestesia da metade oposta do corpo, inclusive cabeça. </li></ul></ul><ul><ul><li>Lesão do núcleo rubro causa tremores e movimentos anormais do lado oposto. </li></ul></ul>
  60. 75. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS <ul><li>DÂNGELO E Fattini. Anatomia Humana Sistêmica e Segmentar: Para o estudante de Medicina. 2ed. Atheneu, São Paulo, 1988. </li></ul><ul><li>JACOB, FRANCONE, LOSSOW. Anatomia e Fisiologia Humana. 5ed. Guanabara koogan: Rio de Janeiro, 1990. </li></ul><ul><li>MACHADO, Ângelo. Neuroanatomia Funcional. 2ed. Atheneu: São Paulo, 1999. </li></ul><ul><li>OSBORN, Anne G. Illustrated by Julian Maack. Diagnostic Neuroradiology. 2. ed. St. Louis: Mosby, 1994. </li></ul><ul><li>OSBORN, Anne G. et al. Diagnostic Imaging: Brain. Salt Lake: Amirsys, 2004. </li></ul><ul><li>SOBOTTA, Johannes. Atlas de Anatomia. Trad. Werneck. ed. 20. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, v. 1, 1995. </li></ul>

×