O slideshow foi denunciado.

Eutansia 131013115709-phpapp02

198 visualizações

Publicada em

Eutanásia

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Eutansia 131013115709-phpapp02

  1. 1. EUTANÁSIA  Defenição: É o acto de pôr fim á vida de uma pessoa, que não apresenta mais possibilidades de Vida. Afim de excluir sofrimentos adicionais.
  2. 2. CLASSIFICAÇÃO  Eutanásia Activa;  Eutanásia Passiva;  Ortotanásia;  Distanásia.
  3. 3. EUTANÁSIA ACTIVA  A Eutanásia Activa é a Acção que abrevia a vida de uma pessoa, por meio do desligamento de equipamentos.
  4. 4. EUTANÁSIA PASSIVA  Caracteriza-se pela ausência de possibilidades terapêuticas para prolongar a vida.
  5. 5. DISTANÁSIA  É a acção de adiar a morte, prolongando-se a “Vida”, acarretando maiores sofrimentos.
  6. 6. ORTONÁSIA  É o acto de morrer dignamente, sem sofrimentos adicionais e abreviações desnecessárias.
  7. 7. PRÁTICA DA EUTANÁSIA  Não utiliza-se recursos ilegais;  É baseada na recusa de meios terapêuticos, quando não oferecem possibilidades de vida a pessoa;  Aspecto positivo sob o ponto de vista económico;  Atende á prescrição do Código de Ética;  Polémica.
  8. 8. EUTANÁSIA  Príncipios da Bioética: • Autonomia; • Beneficiência(fazer o bem para co outra pessoa); • Não – Maleficência(não causar danos a outros sem uma razão credível); • Justiça; Um dos princípios fundamentais da Ética, consiste no respeito, áUm dos princípios fundamentais da Ética, consiste no respeito, á dignidade da pessoa, do início ao fim da vida”dignidade da pessoa, do início ao fim da vida”
  9. 9. EUTANÁSIA  POLÊMICA: -- Filosofia;Filosofia; -- Cultura;Cultura; -- Religião.Religião.
  10. 10. EUTANÁSIA  CONSEQUÊNCIAS EM UM ENFERMO QUE NÃO APRESENTA MAIS POSSIBILIDADES DE VIDA -- Culpa;Culpa; -- Medo;Medo; -- Solidão;Solidão; -- Raiva;Raiva; -- Revolta;Revolta; -- Impaciência;Impaciência; -- Tristeza;Tristeza; -- Depressão.Depressão.
  11. 11. EUTANÁSIA  DADOS DE PESQUISA: Pedidos para morrer: Muitas pessoas, em fase final da doença, pedem para morrer. Devido a uma dor intolerável ou por depressão. Chochinov et al. (1995) estudaram 200 casos de pacientes em estágio terminal pediram que se apressasse a morte por motivo de depressão ou abandono por parte da família. Sentindo-se como sobrecarga para a família. Ficando internados em hospitais,solitários, abandonados e impotentes diante da vida e da morte.E outros por não estarem recebendo cuidados adequados, tendo sua dor subtratada.
  12. 12. NÃO NEGUE OS SEUS DIREITOS
  13. 13. NÃO NEGUE OS SEUS DIREITOS
  14. 14. EUTANÁSIAEUTANÁSIA
  15. 15. EUTANÁSIAEUTANÁSIA
  16. 16. EUTANÁSIAEUTANÁSIA ““Obrigar a viver quem quer morrer, é igual a matar quem quer viver”Obrigar a viver quem quer morrer, é igual a matar quem quer viver” (FAVEL MARTIN)(FAVEL MARTIN)
  17. 17. EUTANÁSIA  CONSIDERAÇÕES FINAIS: Defendemos a Eutanásia em pacientes terminais, como uma opção e Direito diante da autorização do próprio paciente ou familiares.
  18. 18. EUTANÁSIA  Podem ser interrompidos tratamentos que têm como objetivo apenas o prolongamento da vida, sem garantia da qualidade da mesma? Segundo, Whiting diz:uma vez que a decisão é da pessoa e está vinculada a determinantes pessoais.

×