Classe Bivalvia Alexandre Merbold Carlos Eduardo Cruz  Katlin Fernandes   Patrick Fonseca
IntroduçãoO Filo Molusca é um dos maiores, maisimportante e diverso do reino animal.São mais de 50 mil espécies identifica...
Filo Molusca
Bivalves•   Morfologia•   Alimentação•   Reprodução•   Habitat•   Doenças•   Galeria de Imagens e vídeos
Morfologia Bivalves
Concha• Apresentam duas valvas;• Conectadas por um ligamento elástico  parcialmente calcificado;• Fechadas por músculos ad...
Sistema Respiratório• São animais exclusivamentes aquáticos• Respiração branquial• Brânquis em formato de lâmina
Corte transversal –Compressão lateral,posição do manto, pés eguelras.Câmara exalanteConchaPésGuelrasCavidade do MantoManto...
Corte Longitudinal – os maiores órgaos: Ligamentos, saco, rim, coração, aditorposterior, anus, exalante, inalante, gonadas...
Morfologia dos Bivalves
Características externas
Características internas
Ostrea edulisConcha externa
Ostrea edulisCaracterísticas internas
Pecten ziczac
Pecten maximus - Concha externa
Pecten maximus – interno
Ruditapes philippinarum
Ruditapes philippinarum
Alimentação
ReproduçãoNa parte da Reprodução, os sexos estãogeralmente separados. Assim os gametas sãodescarregados num câmara supra b...
Reprodução   Na maior parte dos bivalves, a fecundação é      externa, mas na maioria dos bivalves afertilização é interna...
Doenças e ParasitasEm função da importância comercial dos Bivalves há bastante informações sobre as doenças que os afetamO...
Em função dos hábitos alimentares, os bivalves concentram e acumulam partículas do ambiente e isto associado com a tradiçã...
Infecções em Bivalves por VírusDoença em Bivalve causada por vírus foi  reportada pela primeira vez em 1972, depois  disso...
Exemplo de algumas doenças causadas        por vírus em bivalves
Infecções virais em seres humanos causadas por consumo de Bivalves Atualmente existem mais de 100 conhecidosvírus entérico...
Vírus entéricos são resistentes ao PH ácido,  enzimas digestivas e sais biliares no intestino humano, resistentes também a...
Infecções bacterianas em bivalvesOs bivalves, por filtrar a água, pode ingerir  diferentes tipos de bactérias existentes e...
A maior parte destas doenças são causadas por Vibrio                   e Pseudomas.  São encontrados na concha e no trato ...
Características da doença do Anel Marrom       em Ruditapes philippinarum
Exemplos de doenças bacterianas em             bivalves
Exemplos de doenças bacterianas em             bivalves
Importante saber...• Bactérias que são            • Bactérias podem não ser  patogênicas na fase larval     o agente primá...
Infecções     • Salmonella spp., Shigellabacterianas em                   spp., Campylobacter spp.,seres humanos causadas ...
Agentes causadores de doenças transmitidas porbivalves que ocorrem em esgoto ou resíduos de água          contaminada no E...
Todos os tipos de bactérias sãoeliminadas pelo calor, sendoassim, cozinhar adequadamente éo suficiente para eliminá-las de...
Infecções em bivalves por fungos• São poucos os fungos que      Maladie du pied ou Doença da                              ...
Infecções em bivalves por protozoários• São os mais comuns  causadores de doenças em  bivalves.• A maioria pertencentes ao...
Protozoários patogênicos de ostras
Protozoários patogênicos de ostras
Poríferos e HelmintosAs esponjas podem escavar as conchas e em  infestações mais sérias até perfurá-la.Nas conchas perolíf...
Alguns trematoda causadores de     doenças em bivalves
Alguns trematoda causadores de     doenças em bivalves
Infecções humanas por biotoxinas    Os bivalves são os principais vetores debiotoxinas marinhas que dentre outras podem   ...
Tipos de envenenamento de mariscos
Poluentes industriais
Galeria de Imagens            Fontes• Museu do aquário marinho de       Bombinhas – SC       •http://eol.org/
Amiantis purpuratus
Anomalocardia brasiliana - Berbigão
Arcinella brasiliana
Barbatia candida
Brachidontes rodrigezi – Marisco            Tapete
Callista maculata
Codakia orbicularis
Codakia orbicularis
Glycimeris longior
Iphigenia brasiliana
Mactrellona alata
Mix Bivalves
Mix de Bivalves do Sul do Brasil
Nodipecten nodosus - Laranja
Pecten ziczac LARANJA
Pecten ziczac
Nodipecten nodosus - Pata de Leão
Papyridea soleniformis
Perna perna - Marisco
Pinctata imbricata – Ostra Perlífera            Brasileira
Pitar circinatus
Pitar fulminatus
Sanguinolaria cruenta – Do Alto Albina
Semele purpurascens
Semele purpurascens
Spondylus americanus
Tivela ventricosa
Ventricolaria rigida
Barnea candida
Ensis arcuatus
Limaria hians
Lopha cristagalli
Mya truncata
Spondylus gaederopus
Tapes rhomboides
Tridacna squamosa - South west -           Singapore
Tridacna - Vídeo
Pectem maximus - Vídeo
ReferênciasGOSLING, Elizabeth – Bivalve Molluscs: Bilogy,Ecology and Culture, 2003;
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Seminário bivalves
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seminário bivalves

7.937 visualizações

Publicada em

Apresentação completa Bivalves

2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.937
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
76
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário bivalves

  1. 1. Classe Bivalvia Alexandre Merbold Carlos Eduardo Cruz Katlin Fernandes Patrick Fonseca
  2. 2. IntroduçãoO Filo Molusca é um dos maiores, maisimportante e diverso do reino animal.São mais de 50 mil espécies identificadas, dasquais cerca de 30 mil são encontradas no mar
  3. 3. Filo Molusca
  4. 4. Bivalves• Morfologia• Alimentação• Reprodução• Habitat• Doenças• Galeria de Imagens e vídeos
  5. 5. Morfologia Bivalves
  6. 6. Concha• Apresentam duas valvas;• Conectadas por um ligamento elástico parcialmente calcificado;• Fechadas por músculos adutores;• As valvas podem ser totalmente ou parcialmente calcificadas;• Poucas possuem concha interna.
  7. 7. Sistema Respiratório• São animais exclusivamentes aquáticos• Respiração branquial• Brânquis em formato de lâmina
  8. 8. Corte transversal –Compressão lateral,posição do manto, pés eguelras.Câmara exalanteConchaPésGuelrasCavidade do MantoMantoCâmara inalante
  9. 9. Corte Longitudinal – os maiores órgaos: Ligamentos, saco, rim, coração, aditorposterior, anus, exalante, inalante, gonadas, posição das guelras, pés, musculoanterior aditor, concha, papo, boca, glândula digestiva, dentes
  10. 10. Morfologia dos Bivalves
  11. 11. Características externas
  12. 12. Características internas
  13. 13. Ostrea edulisConcha externa
  14. 14. Ostrea edulisCaracterísticas internas
  15. 15. Pecten ziczac
  16. 16. Pecten maximus - Concha externa
  17. 17. Pecten maximus – interno
  18. 18. Ruditapes philippinarum
  19. 19. Ruditapes philippinarum
  20. 20. Alimentação
  21. 21. ReproduçãoNa parte da Reprodução, os sexos estãogeralmente separados. Assim os gametas sãodescarregados num câmara supra branquial esão lançadas para o exterior, com as correntesde água. “Uma ostra pode reproduzir 50 milhõesde ovos numa única estação”.
  22. 22. Reprodução Na maior parte dos bivalves, a fecundação é externa, mas na maioria dos bivalves afertilização é interna (bivalves de água doce). Os óvulos são lançados pelos túbulos branqueais e são fecundados pelos espermatozoides que sãoarrastados pela água. Os ovos desenvolvem-se equando a larva é expulsa fixa-se nas guelras dos peixes, onde vivem como parasitas durante algumas semanas passando depois a vida livre.
  23. 23. Doenças e ParasitasEm função da importância comercial dos Bivalves há bastante informações sobre as doenças que os afetamOs maiores causadores de doenças nos Bivalves são: vírus, bactérias, fungos, protozoários, helmintos e crustáceos parasitas
  24. 24. Em função dos hábitos alimentares, os bivalves concentram e acumulam partículas do ambiente e isto associado com a tradição do consumo por seres humanos, destes animais crus ou semi cozidos os tornam vetores potencias para infecções humanas transmitidas por agentes aquáticos como bactérias, vírus, toxinas de algas e metais pesados , por este motivo são produtos com alto risco.
  25. 25. Infecções em Bivalves por VírusDoença em Bivalve causada por vírus foi reportada pela primeira vez em 1972, depois disso há registro de mais 20 casos descritos.Porém, demonstrar a associação de determinada doença a um vírus não é uma tarefa fácil, em função de problemas no isolamento, identificação e caracterização do vírus
  26. 26. Exemplo de algumas doenças causadas por vírus em bivalves
  27. 27. Infecções virais em seres humanos causadas por consumo de Bivalves Atualmente existem mais de 100 conhecidosvírus entéricos que são excretados pelas fezeshumanas indo parar nos esgotos domésticos . As associadas ao consumo de Bivalves de de águas contaminadas com fezes animais ou humanas são Hepatite A , Snow Virus Agent, pequenas viroses e polivivírus.
  28. 28. Vírus entéricos são resistentes ao PH ácido, enzimas digestivas e sais biliares no intestino humano, resistentes também a desinfetantes comuns . O tratamento térmico é o mais indicado para eliminar o vírus. Recomenda-se que a temperatura interna dosbivalves seja de mantida a 90ºC por 1,5 minutos antes de consumidos
  29. 29. Infecções bacterianas em bivalvesOs bivalves, por filtrar a água, pode ingerir diferentes tipos de bactérias existentes em ambientes marinhos. A maioria destas bactérias não são prejudiciais ao seu hospedeiro, a menos que presente em grande número.Da mesma forma que os vírus, os bivalves podem ser transportadores passivos de doenças bacterianas em seres humanos, sem eles serem infectados.
  30. 30. A maior parte destas doenças são causadas por Vibrio e Pseudomas. São encontrados na concha e no trato digestivo. A mais comum é a doença do anel marrom
  31. 31. Características da doença do Anel Marrom em Ruditapes philippinarum
  32. 32. Exemplos de doenças bacterianas em bivalves
  33. 33. Exemplos de doenças bacterianas em bivalves
  34. 34. Importante saber...• Bactérias que são • Bactérias podem não ser patogênicas na fase larval o agente primário pode ou não ser causador de doenças, patogênica nas formas fatores estressantes adultas. Adultos em podem diminuir a culturas geralmente não resistência e aumentar a são afetados por doenças probabilidade de que afetam sua fase larval infecções • O uso de antibióticos em culturas nem sempre apresentam sucesso
  35. 35. Infecções • Salmonella spp., Shigellabacterianas em spp., Campylobacter spp.,seres humanos causadas pelo Aeromonas spp. e não consumo de patogênica Escherichia coli bivalves • Vibrio parahaemolyticus e V. vulnificus • Febre tifóide • Gastroenterites
  36. 36. Agentes causadores de doenças transmitidas porbivalves que ocorrem em esgoto ou resíduos de água contaminada no EUA (1898-1990)
  37. 37. Todos os tipos de bactérias sãoeliminadas pelo calor, sendoassim, cozinhar adequadamente éo suficiente para eliminá-las debivalves contaminados. A V.cholerae resiste à fervura por 8minutos e à vapor por 25 minutos.Por isto a prática comercial de darum choque de água quente paraabrir os moluscos não é osuficiente para eliminar todas asbactérias.
  38. 38. Infecções em bivalves por fungos• São poucos os fungos que Maladie du pied ou Doença da concha causam doenças. A maioria afetam as partes externas• Geralmente as fases larvais são as mais afetadas.• E também não é bem claro se o fungo é o causador primário ou invasor secundário
  39. 39. Infecções em bivalves por protozoários• São os mais comuns causadores de doenças em bivalves.• A maioria pertencentes ao Filo Acetospora e Apicomplexa• Causam grandes danos a comercialização de Tecido seção transversal da moluscos ostra, Ostrea edulis, mostrando Bonamia ostreae
  40. 40. Protozoários patogênicos de ostras
  41. 41. Protozoários patogênicos de ostras
  42. 42. Poríferos e HelmintosAs esponjas podem escavar as conchas e em infestações mais sérias até perfurá-la.Nas conchas perolíferas, Pintacdda maxima, afeta a produção e qualidade das pérolas.Os helmintos pertencentes aos Filos Platelmintos e Nematoda são os principais parasitas dos bivalves
  43. 43. Alguns trematoda causadores de doenças em bivalves
  44. 44. Alguns trematoda causadores de doenças em bivalves
  45. 45. Infecções humanas por biotoxinas Os bivalves são os principais vetores debiotoxinas marinhas que dentre outras podem causar: paralisia, diarreia e amnésia em humanos
  46. 46. Tipos de envenenamento de mariscos
  47. 47. Poluentes industriais
  48. 48. Galeria de Imagens Fontes• Museu do aquário marinho de Bombinhas – SC •http://eol.org/
  49. 49. Amiantis purpuratus
  50. 50. Anomalocardia brasiliana - Berbigão
  51. 51. Arcinella brasiliana
  52. 52. Barbatia candida
  53. 53. Brachidontes rodrigezi – Marisco Tapete
  54. 54. Callista maculata
  55. 55. Codakia orbicularis
  56. 56. Codakia orbicularis
  57. 57. Glycimeris longior
  58. 58. Iphigenia brasiliana
  59. 59. Mactrellona alata
  60. 60. Mix Bivalves
  61. 61. Mix de Bivalves do Sul do Brasil
  62. 62. Nodipecten nodosus - Laranja
  63. 63. Pecten ziczac LARANJA
  64. 64. Pecten ziczac
  65. 65. Nodipecten nodosus - Pata de Leão
  66. 66. Papyridea soleniformis
  67. 67. Perna perna - Marisco
  68. 68. Pinctata imbricata – Ostra Perlífera Brasileira
  69. 69. Pitar circinatus
  70. 70. Pitar fulminatus
  71. 71. Sanguinolaria cruenta – Do Alto Albina
  72. 72. Semele purpurascens
  73. 73. Semele purpurascens
  74. 74. Spondylus americanus
  75. 75. Tivela ventricosa
  76. 76. Ventricolaria rigida
  77. 77. Barnea candida
  78. 78. Ensis arcuatus
  79. 79. Limaria hians
  80. 80. Lopha cristagalli
  81. 81. Mya truncata
  82. 82. Spondylus gaederopus
  83. 83. Tapes rhomboides
  84. 84. Tridacna squamosa - South west - Singapore
  85. 85. Tridacna - Vídeo
  86. 86. Pectem maximus - Vídeo
  87. 87. ReferênciasGOSLING, Elizabeth – Bivalve Molluscs: Bilogy,Ecology and Culture, 2003;

×