SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Radioatividade Profa Ana Karoline Maia  karoline.quimica@gmail.com
Experiências que comprovam a eletricidade nos materiais Sec XVIII físico inglês William Crookes Descargas elétricas em ampolas de vidro com gás em baixa pressão A descoberta da eletricidade
Geralmente os gases são maus condutores de eletricidade Surgiram fluxos luminosos ( raios catódicos) Possuem massa Caminham em linha reta Possuem carga negativa Características do experimento
Baseados nesses princípios Trabalho com raios catódicos Chamou os raios catódicos de elétrons 1897 Joseph John Thomson Qual o modelo atômico?
1881 químico sueco chamado Arrhenius: experiências para compreender a condução elétrica Água destilada: não conduz Água + NaCl: conduz Certas substâncias tornavam-se carregadas eletricamente Excesso de é: - Deficiência de elétrons : + Íons
Íons são partículas, derivadas de átomos ou moléculas que possuem carga elétrica. Eletrólitos Não-eletrólitos
Introdução à radioatividade 1895: físico alemão Wilhelm Konrad Röengestein fazia experiências com as ampolas de Crookes Tela de material fluorescente brilhava quando a ampola em que realizava experiências recebia uma descarga elétrica.  O tubo estar coberto com material opaco à luz - a tela estava recebendo uma emissão misteriosa de energia, que atravessava os corpos e atingia a tela. Sem saber o que eram esses raios, completamente desconhecidos até então, chamou-os de X. Raios X. Em 1901, Röntgen tornou-se o primeiro físico a receber um prêmio Nobel.
Descoberta do Raio X Não sofriam nenhum reflexo ou refração na presença de um raio magnético  Henri Jules Poincaré : Suspeita que as substâncias fluorescentes devem emitir raio X Becquerel: trabalho com materiais que ficavam fluorescentes ao receber energia solar Materiais ficavam impressos no filme fotográfico: emitiam raio X
Becquerel guardou uma amostra de urânio em uma gaveta escura com filme fotográfico Resolveu revelar as chapas fotográficas Surgimento de imagem bastante nítidas Minério havia impressionado o filme fotográfico na ausência de luz Não era raio X nem fluorescência Mais experimentos...
O urânio era responsável pelos raios emitidos Radioatividade: capacidade do urânio em emitir raios Busca para desvendar a natureza da radioatividade Experimento de Rutherford Descoberta da radioatividade
Experimento de Rutherford
3 tipos de partículas distintas: Partículas alfa (α) sofrem pequeno desvio em direção à placa negativa: são partículas de massa elevada de carga POSITIVA Partículas beta (β) sofrem grande desvio em direção à placa positiva: são partículas de massa pequena e de carga NEGATIVA Raios gama (γ) : emissões que não sofrem desvio e atravessam a chapa- são radiações semelhantes à luz e aos raios X  Conclusões do experimento...
Através desse experimento concluiu-se que o átomo é INDIVISÍVEL... Conclusão...

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Radiotividade
RadiotividadeRadiotividade
Radiotividade
 
Aula de radioatividade de hoje -UNIFESSPA
Aula de radioatividade de hoje -UNIFESSPAAula de radioatividade de hoje -UNIFESSPA
Aula de radioatividade de hoje -UNIFESSPA
 
Física Nuclear
Física NuclearFísica Nuclear
Física Nuclear
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
FÍSICA DAS RADIAÇÕES: RADIOTERAPIA
FÍSICA DAS RADIAÇÕES: RADIOTERAPIAFÍSICA DAS RADIAÇÕES: RADIOTERAPIA
FÍSICA DAS RADIAÇÕES: RADIOTERAPIA
 
radioatividade quimica
radioatividade quimica radioatividade quimica
radioatividade quimica
 
Fisicamais.com Aula de aprendizagem da radioatividade no ensino médio
Fisicamais.com Aula de aprendizagem da radioatividade no ensino médioFisicamais.com Aula de aprendizagem da radioatividade no ensino médio
Fisicamais.com Aula de aprendizagem da radioatividade no ensino médio
 
Trab. Química - Radioatividade
Trab. Química - RadioatividadeTrab. Química - Radioatividade
Trab. Química - Radioatividade
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Química: Radioatividade
Química: RadioatividadeQuímica: Radioatividade
Química: Radioatividade
 
Trabalho escrito - Radiação
Trabalho escrito - RadiaçãoTrabalho escrito - Radiação
Trabalho escrito - Radiação
 
Aula 4 radioatividade
Aula 4   radioatividadeAula 4   radioatividade
Aula 4 radioatividade
 
Radioatividade
Radioatividade Radioatividade
Radioatividade
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Radioatividadegrupo 2
Radioatividadegrupo 2Radioatividadegrupo 2
Radioatividadegrupo 2
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Radioatividade Teoria
Radioatividade   TeoriaRadioatividade   Teoria
Radioatividade Teoria
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕESFÍSICA DAS RADIAÇÕES
FÍSICA DAS RADIAÇÕES
 

Destaque

Aplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAna Clara Raft
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódicaKarol Maia
 
Mm, ma, mol, volume
Mm, ma, mol, volumeMm, ma, mol, volume
Mm, ma, mol, volumeKarol Maia
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasKarol Maia
 
Reações químicas tipos- 1o ano
Reações químicas  tipos- 1o anoReações químicas  tipos- 1o ano
Reações químicas tipos- 1o anoKarol Maia
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Karol Maia
 
Termoquímica 2o ano
Termoquímica  2o anoTermoquímica  2o ano
Termoquímica 2o anoKarol Maia
 
Início da química
Início da químicaInício da química
Início da químicaKarol Maia
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposKarol Maia
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosKarol Maia
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaMarcos Franco
 
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matériaFenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matériaKarol Maia
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica  Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica Karol Maia
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Karol Maia
 
Química orgânica parte I
Química orgânica parte IQuímica orgânica parte I
Química orgânica parte IKarol Maia
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônicaDistribuição eletrônica
Distribuição eletrônicaJoanna de Paoli
 

Destaque (20)

Aplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividadeAplicações da radioatividade
Aplicações da radioatividade
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Mm, ma, mol, volume
Mm, ma, mol, volumeMm, ma, mol, volume
Mm, ma, mol, volume
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Métodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturasMétodos de separação de misturas
Métodos de separação de misturas
 
Balanceamento
BalanceamentoBalanceamento
Balanceamento
 
Reações químicas tipos- 1o ano
Reações químicas  tipos- 1o anoReações químicas  tipos- 1o ano
Reações químicas tipos- 1o ano
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
 
Termoquímica 2o ano
Termoquímica  2o anoTermoquímica  2o ano
Termoquímica 2o ano
 
Materiais
MateriaisMateriais
Materiais
 
Início da química
Início da químicaInício da química
Início da química
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Aminas amidas
Aminas amidasAminas amidas
Aminas amidas
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetos
 
Estados de agregação da matéria
Estados de agregação da matériaEstados de agregação da matéria
Estados de agregação da matéria
 
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matériaFenômenos+ estados de agregação da matéria
Fenômenos+ estados de agregação da matéria
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica  Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônica
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
 
Química orgânica parte I
Química orgânica parte IQuímica orgânica parte I
Química orgânica parte I
 
Distribuição eletrônica
Distribuição eletrônicaDistribuição eletrônica
Distribuição eletrônica
 

Semelhante a Radioatividade

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
RadioatividadeKarol Maia
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
RadioatividadeKarol Maia
 
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômica
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômicaCapítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômica
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômicaMárcio Martins
 
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1Marivane Biazus
 
Física no final do século XIX
Física no final do século XIXFísica no final do século XIX
Física no final do século XIXScheyla Cadore
 
Física no final do século XIX
Física no final do século XIXFísica no final do século XIX
Física no final do século XIXScheyla Cadore
 
Quimica
QuimicaQuimica
Quimicavitor
 
Apresentação modelos atômicos elenice
Apresentação modelos atômicos  eleniceApresentação modelos atômicos  elenice
Apresentação modelos atômicos eleniceEEB Paulo Bauer
 
História da Física das Radiações Apresentação
História da Física das Radiações ApresentaçãoHistória da Física das Radiações Apresentação
História da Física das Radiações ApresentaçãoCristian Souza
 
A revelação dos núcleos instáveis
A revelação dos núcleos instáveisA revelação dos núcleos instáveis
A revelação dos núcleos instáveisBia Errico
 
Física no século XIX
Física no século XIXFísica no século XIX
Física no século XIXronaldotesla
 

Semelhante a Radioatividade (20)

Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Radioatividade
RadioatividadeRadioatividade
Radioatividade
 
Estrutura atômica
Estrutura atômica Estrutura atômica
Estrutura atômica
 
Energia nuclear 2012
Energia nuclear 2012Energia nuclear 2012
Energia nuclear 2012
 
Descoberta da radioatividade
Descoberta da radioatividadeDescoberta da radioatividade
Descoberta da radioatividade
 
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômica
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômicaCapítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômica
Capítulo XXIII - Radioatividade e estrutura atômica
 
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1
Tópicos de Mecânica Quântica - Capítulo 1
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Modelos atômicos
Modelos atômicosModelos atômicos
Modelos atômicos
 
Energia Nuclear
Energia NuclearEnergia Nuclear
Energia Nuclear
 
Física no final do século XIX
Física no final do século XIXFísica no final do século XIX
Física no final do século XIX
 
Física no final do século XIX
Física no final do século XIXFísica no final do século XIX
Física no final do século XIX
 
Quimica
QuimicaQuimica
Quimica
 
Apresentação modelos atômicos elenice
Apresentação modelos atômicos  eleniceApresentação modelos atômicos  elenice
Apresentação modelos atômicos elenice
 
História da Física das Radiações Apresentação
História da Física das Radiações ApresentaçãoHistória da Física das Radiações Apresentação
História da Física das Radiações Apresentação
 
FÍSICA NUCLEAR
FÍSICA NUCLEARFÍSICA NUCLEAR
FÍSICA NUCLEAR
 
Apostila raio x
Apostila raio xApostila raio x
Apostila raio x
 
Estrutura atomica 2012
Estrutura atomica 2012Estrutura atomica 2012
Estrutura atomica 2012
 
A revelação dos núcleos instáveis
A revelação dos núcleos instáveisA revelação dos núcleos instáveis
A revelação dos núcleos instáveis
 
Física no século XIX
Física no século XIXFísica no século XIX
Física no século XIX
 

Mais de Karol Maia

Cinética parte ii
Cinética parte iiCinética parte ii
Cinética parte iiKarol Maia
 
Cinética parte I
Cinética parte ICinética parte I
Cinética parte IKarol Maia
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposKarol Maia
 
Questões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaQuestões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaKarol Maia
 
Turma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaTurma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaKarol Maia
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoKarol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosKarol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosKarol Maia
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimKarol Maia
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Karol Maia
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigidoKarol Maia
 
Lista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoLista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoKarol Maia
 
Leis ponderais e o modelo atmico de dalton
Leis ponderais e o modelo atmico de daltonLeis ponderais e o modelo atmico de dalton
Leis ponderais e o modelo atmico de daltonKarol Maia
 

Mais de Karol Maia (14)

Ligações
LigaçõesLigações
Ligações
 
Cinética parte ii
Cinética parte iiCinética parte ii
Cinética parte ii
 
Cinética parte I
Cinética parte ICinética parte I
Cinética parte I
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Questões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaQuestões Química Orgânica
Questões Química Orgânica
 
Turma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaTurma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química Orgânica
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o ano
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
Lista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoLista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oano
 
Leis ponderais e o modelo atmico de dalton
Leis ponderais e o modelo atmico de daltonLeis ponderais e o modelo atmico de dalton
Leis ponderais e o modelo atmico de dalton
 

Radioatividade

  • 1. Radioatividade Profa Ana Karoline Maia karoline.quimica@gmail.com
  • 2. Experiências que comprovam a eletricidade nos materiais Sec XVIII físico inglês William Crookes Descargas elétricas em ampolas de vidro com gás em baixa pressão A descoberta da eletricidade
  • 3. Geralmente os gases são maus condutores de eletricidade Surgiram fluxos luminosos ( raios catódicos) Possuem massa Caminham em linha reta Possuem carga negativa Características do experimento
  • 4. Baseados nesses princípios Trabalho com raios catódicos Chamou os raios catódicos de elétrons 1897 Joseph John Thomson Qual o modelo atômico?
  • 5. 1881 químico sueco chamado Arrhenius: experiências para compreender a condução elétrica Água destilada: não conduz Água + NaCl: conduz Certas substâncias tornavam-se carregadas eletricamente Excesso de é: - Deficiência de elétrons : + Íons
  • 6. Íons são partículas, derivadas de átomos ou moléculas que possuem carga elétrica. Eletrólitos Não-eletrólitos
  • 7. Introdução à radioatividade 1895: físico alemão Wilhelm Konrad Röengestein fazia experiências com as ampolas de Crookes Tela de material fluorescente brilhava quando a ampola em que realizava experiências recebia uma descarga elétrica. O tubo estar coberto com material opaco à luz - a tela estava recebendo uma emissão misteriosa de energia, que atravessava os corpos e atingia a tela. Sem saber o que eram esses raios, completamente desconhecidos até então, chamou-os de X. Raios X. Em 1901, Röntgen tornou-se o primeiro físico a receber um prêmio Nobel.
  • 8. Descoberta do Raio X Não sofriam nenhum reflexo ou refração na presença de um raio magnético Henri Jules Poincaré : Suspeita que as substâncias fluorescentes devem emitir raio X Becquerel: trabalho com materiais que ficavam fluorescentes ao receber energia solar Materiais ficavam impressos no filme fotográfico: emitiam raio X
  • 9. Becquerel guardou uma amostra de urânio em uma gaveta escura com filme fotográfico Resolveu revelar as chapas fotográficas Surgimento de imagem bastante nítidas Minério havia impressionado o filme fotográfico na ausência de luz Não era raio X nem fluorescência Mais experimentos...
  • 10. O urânio era responsável pelos raios emitidos Radioatividade: capacidade do urânio em emitir raios Busca para desvendar a natureza da radioatividade Experimento de Rutherford Descoberta da radioatividade
  • 12. 3 tipos de partículas distintas: Partículas alfa (α) sofrem pequeno desvio em direção à placa negativa: são partículas de massa elevada de carga POSITIVA Partículas beta (β) sofrem grande desvio em direção à placa positiva: são partículas de massa pequena e de carga NEGATIVA Raios gama (γ) : emissões que não sofrem desvio e atravessam a chapa- são radiações semelhantes à luz e aos raios X Conclusões do experimento...
  • 13. Através desse experimento concluiu-se que o átomo é INDIVISÍVEL... Conclusão...