SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 19
Baixar para ler offline
Professora: Ana Karoline Maia
Leis ponderais são leis que falam das
 massas das substâncias que participam das
 reações químicas.
  As principais leis ponderais são:
 Lei da Conservação das Massas (ou lei de
 Lavoisier);
 Lei das Proporções de Massa (ou Lei de
 Proust).
Oquímico francês Antoine Lavoisier realizou
muitas experiências utilizando reações
químicas e balança.
   “ Podemos estabelecer, como um axioma incontestável, que em
    todas as operações da arte e da natureza nada é criado; existe uma
    quantidade igual de matéria antes e depois dos experimentos; a
    qualidade e a quantidade dos átomos permanecem precisamente as
    mesmas e nada acontece além de mudanças e modificações nas
    combinações desses átomos” Antoine Laurent Lavoisier (1760)

    Na natureza nada se cria, nada se
    perde, tudo se transforma.
Experiência              Conclusão
Carbono + Oxigênio  Gás Carbônico   “A soma das
                                     massas antes
  3g         8g        11g           da reação é
                                     igual à soma
Veja que: 3g + 8g = 11g               das massas
                                         após a
                                        reação”
   OBSERVAÇÕES

   Foi observado, porém, que a queima de algumas
    substâncias havia aumento da massa, enquanto na
    queima de outras havia diminuição.
   O grande mérito de Lavoisier foi ter descoberto que
    essas diferenças de massa se davam por causa da
    absorção ou liberação de gases durante as reações.
    Por exemplo, a queima da palha de aço ocorre
    consumo de oxigênio do ar, o que produz uma
    substância composta de ferro e oxigênio com massa
    maior do que a massa da palha de aço.
   “ Na natureza nada se cria, nada se perde,
    tudo se transforma”

   LEMBRAR:
   Medindo a massa de palha de aço antes e
    depois de sua queima, observa-se o
    aumento da massa do material sólido.
 Para compreender melhor essa lei podemos
  esquematizar:
        Ferro + Oxigênio  Óxido de ferro
       m1 + m2        =     m3
 Segundo os dados acima a soma da massa das
  substâncias reagentes é igual à massa das
  substâncias dos produtos.
 “Uma substância pode ser proveniente de
  diferentes fontes naturais ou ser obtida por
  diversos processos. No entanto, seja qual for
  o método de obtenção, a substância terá
  sempre a mesma composição química fixa”.
 Essa foi a conclusão que chegou o químico
  francês Joseph Louis Proust (1754-1826).
Experiência                              Conclusão
 Carbono + Oxigênio  Gás Carbônico
    3g +
ou 6g + 16g
             8g     
                    
                          11g
                          22g                               ?
ou 9g + 24g              33g


      “A proporção das massas que reagem permanece sempre
      constante”
As substâncias reagem sempre em uma mesma
proporção. Se isso ocorre, significa que a
composição química de uma substância deve
ser estabelecida em uma relação fixa de massa
entre os átomos dos elementos que a
compõem.
 Em 1797, Proust
  enunciou a lei das
  Proporções
  Definidas (ou Lei de
  Proust):
“As substâncias
  reagem sempre na
  mesma proporção
  para formarem outra
  substância.”
   Em 1808, John Dalton
    publicou o livro Novo
    Sistema de Filosofia
    química, no qual
    apresentava sua teoria
    para a constituição da
    matéria;
   Dalton defendia que a
    matéria era formada por
    pequenas partículas que
    ele denominou átomo.
A  matéria é constituída por partículas
  denominadas átomos;
 As substâncias simples são constituídas por
  apenas um tipo de átomo (elemento
  químico) e as substâncias compostas por
  mais de um tipo de átomo (diferentes
  elementos químicos);
 As substâncias compostas são constituídas
  pela combinação de átomos de diferentes
  elementos químicos em proporções fixas.
Entendendo a relação entre a teoria atômica
  de Dalton e as leis ponderais.
 A Lei de Lavoisier é explicada do seguinte
  modo:
  Carbono + oxigênio  gás carbônico
    C      +   O2          CO2


 (3g+4g+4g=11g)  (4g+3g+4g=11g)

 Considerando    que as partículas (átomos)
 iniciais e as finais são as mesmas,
 concluímos que a massa deve permanecer
 inalterada.
A Lei de Proust seria explicada da seguinte
 maneira:       Carbono + oxigênio  gás carbônico
1ª Experiência:

2ª Experiência:
 Da1ª experiência para a 2ª, a quantidade
 de átomos dobrou; como consequência,
 todas as massas duplicaram.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações QuímicasKátia Elias
 
Teoria Cinética dos Gases
Teoria Cinética dos Gases Teoria Cinética dos Gases
Teoria Cinética dos Gases redacao_portal
 
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicas
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicasElementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicas
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicasCarlos Priante
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Abraão Matos
 
Aula estrutura atomica
Aula estrutura atomicaAula estrutura atomica
Aula estrutura atomicadandias5
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosCarlos Priante
 
Funções orgânicas slide
Funções orgânicas slideFunções orgânicas slide
Funções orgânicas slideJoelson Barral
 
A lei de conservação de massa
A lei de conservação de massaA lei de conservação de massa
A lei de conservação de massaCPG1996
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slidesMicaela Neiva
 
Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Marco Bumba
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicasloirissimavivi
 
Nox - Número de Oxidação.
Nox - Número de Oxidação.Nox - Número de Oxidação.
Nox - Número de Oxidação.Lara Lídia
 
Divergência e Convergência
Divergência e ConvergênciaDivergência e Convergência
Divergência e ConvergênciaAna Paula Garcia
 

Mais procurados (20)

Ligações Químicas
Ligações QuímicasLigações Químicas
Ligações Químicas
 
Teoria Cinética dos Gases
Teoria Cinética dos Gases Teoria Cinética dos Gases
Teoria Cinética dos Gases
 
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicas
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicasElementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicas
Elementos químicos, Tabela Periódica e Propriedades periódicas e aperiódicas
 
Leis ponderais
Leis ponderais Leis ponderais
Leis ponderais
 
Equilibrio Quimico Parte 1
Equilibrio Quimico Parte 1Equilibrio Quimico Parte 1
Equilibrio Quimico Parte 1
 
Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1Ligações Químicas Aula 1
Ligações Químicas Aula 1
 
Aula estrutura atomica
Aula estrutura atomicaAula estrutura atomica
Aula estrutura atomica
 
Cinética Química
Cinética QuímicaCinética Química
Cinética Química
 
Estrutura Atomica
Estrutura AtomicaEstrutura Atomica
Estrutura Atomica
 
Aula funções oxigenadas
Aula  funções oxigenadasAula  funções oxigenadas
Aula funções oxigenadas
 
Balanceamento de equações
Balanceamento de equaçõesBalanceamento de equações
Balanceamento de equações
 
Íons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicosÍons e Elementos químicos
Íons e Elementos químicos
 
Funções orgânicas slide
Funções orgânicas slideFunções orgânicas slide
Funções orgânicas slide
 
A lei de conservação de massa
A lei de conservação de massaA lei de conservação de massa
A lei de conservação de massa
 
Estudo dos gases slides
Estudo dos gases   slidesEstudo dos gases   slides
Estudo dos gases slides
 
Forças intermoleculares
Forças intermoleculares Forças intermoleculares
Forças intermoleculares
 
Funções Inorgânicas
Funções InorgânicasFunções Inorgânicas
Funções Inorgânicas
 
Nox - Número de Oxidação.
Nox - Número de Oxidação.Nox - Número de Oxidação.
Nox - Número de Oxidação.
 
Divergência e Convergência
Divergência e ConvergênciaDivergência e Convergência
Divergência e Convergência
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 

Destaque

Dalton /Gay Lussac
Dalton /Gay LussacDalton /Gay Lussac
Dalton /Gay LussacKarol Maia
 
Lei de lavoisier
Lei de lavoisierLei de lavoisier
Lei de lavoisierLuis Pedro
 
Leis ponderais 2
Leis ponderais 2Leis ponderais 2
Leis ponderais 2Charles Qmc
 
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas no
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas noEvolução dos modelos atômicos e analogias empregadas no
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas noPablo Vasconcelos
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proustprofNICODEMOS
 
Modelos atomicos
Modelos atomicos Modelos atomicos
Modelos atomicos Laguat
 
Leis ponderais e modelos atômicos
Leis ponderais e modelos atômicosLeis ponderais e modelos atômicos
Leis ponderais e modelos atômicosRoberta Almeida
 
A importância da teoria atômica de dalton até hoje
A importância da teoria atômica de dalton até hojeA importância da teoria atômica de dalton até hoje
A importância da teoria atômica de dalton até hojeRaimunda Cavalcante
 
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópiaSimbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópiaPaula Pinto
 
Leis Da Química
Leis Da QuímicaLeis Da Química
Leis Da QuímicaSousaLeitee
 

Destaque (20)

A estrutura do átomo
A estrutura do átomoA estrutura do átomo
A estrutura do átomo
 
Dalton /Gay Lussac
Dalton /Gay LussacDalton /Gay Lussac
Dalton /Gay Lussac
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
"Somos Físicos" Transformações Químicas
"Somos Físicos" Transformações Químicas"Somos Físicos" Transformações Químicas
"Somos Físicos" Transformações Químicas
 
Samilly
SamillySamilly
Samilly
 
Fisica khamylla
Fisica khamyllaFisica khamylla
Fisica khamylla
 
Lei de lavoisier
Lei de lavoisierLei de lavoisier
Lei de lavoisier
 
Joseph Louis Proust
Joseph Louis ProustJoseph Louis Proust
Joseph Louis Proust
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Leis ponderais
Leis ponderaisLeis ponderais
Leis ponderais
 
Leis ponderais 2
Leis ponderais 2Leis ponderais 2
Leis ponderais 2
 
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas no
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas noEvolução dos modelos atômicos e analogias empregadas no
Evolução dos modelos atômicos e analogias empregadas no
 
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9   lei de lavoisier e lei de proustAula 9   lei de lavoisier e lei de proust
Aula 9 lei de lavoisier e lei de proust
 
Química
QuímicaQuímica
Química
 
Modelos atomicos
Modelos atomicos Modelos atomicos
Modelos atomicos
 
Separacao de mist
Separacao de mistSeparacao de mist
Separacao de mist
 
Leis ponderais e modelos atômicos
Leis ponderais e modelos atômicosLeis ponderais e modelos atômicos
Leis ponderais e modelos atômicos
 
A importância da teoria atômica de dalton até hoje
A importância da teoria atômica de dalton até hojeA importância da teoria atômica de dalton até hoje
A importância da teoria atômica de dalton até hoje
 
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópiaSimbolos químicos, unidades estruturais e iões   cópia
Simbolos químicos, unidades estruturais e iões cópia
 
Leis Da Química
Leis Da QuímicaLeis Da Química
Leis Da Química
 

Semelhante a Leis ponderais e teoria atômica de Dalton

Aula 2 quim em
Aula 2   quim emAula 2   quim em
Aula 2 quim emWalney M.F
 
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptxssuser46eea5
 
6ª aula lei de lavoisier e lei de proust
6ª aula   lei de lavoisier e lei de proust6ª aula   lei de lavoisier e lei de proust
6ª aula lei de lavoisier e lei de proustitamyr
 
Teoria Atômica-aula 1.ppt
Teoria  Atômica-aula 1.pptTeoria  Atômica-aula 1.ppt
Teoria Atômica-aula 1.pptCesarEduardo78
 
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..ppt
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..pptConceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..ppt
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..pptConstantinoUrielCamp
 
Uma breve História do Átomo
Uma breve História do ÁtomoUma breve História do Átomo
Uma breve História do ÁtomoLeandro Rodrigues
 
Estequiometria - Enem Já - Professor Erik
Estequiometria - Enem Já - Professor ErikEstequiometria - Enem Já - Professor Erik
Estequiometria - Enem Já - Professor ErikEnemja
 
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.ppt
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.pptGASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.ppt
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.pptandreferreira289855
 
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.ppt
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.pptESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.ppt
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.pptRonalt
 

Semelhante a Leis ponderais e teoria atômica de Dalton (20)

Aula 2 quim em
Aula 2   quim emAula 2   quim em
Aula 2 quim em
 
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx
1ºano_Teoria Atômica de Dalton e Leis Ponderais.pptx
 
6ª aula lei de lavoisier e lei de proust
6ª aula   lei de lavoisier e lei de proust6ª aula   lei de lavoisier e lei de proust
6ª aula lei de lavoisier e lei de proust
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
"Somos Físicos" As Leis Poderais
"Somos Físicos" As Leis Poderais"Somos Físicos" As Leis Poderais
"Somos Físicos" As Leis Poderais
 
Teoria Atômica-aula 1.ppt
Teoria  Atômica-aula 1.pptTeoria  Atômica-aula 1.ppt
Teoria Atômica-aula 1.ppt
 
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..ppt
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..pptConceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..ppt
Conceito de Mol. Massa Molar. Constante de Avogadro..ppt
 
Uma breve História do Átomo
Uma breve História do ÁtomoUma breve História do Átomo
Uma breve História do Átomo
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Estequiometria
EstequiometriaEstequiometria
Estequiometria
 
Leis Ponderais - aula 1 e 2
Leis Ponderais - aula 1 e 2Leis Ponderais - aula 1 e 2
Leis Ponderais - aula 1 e 2
 
Estequiometria - Enem Já - Professor Erik
Estequiometria - Enem Já - Professor ErikEstequiometria - Enem Já - Professor Erik
Estequiometria - Enem Já - Professor Erik
 
gases wingston.pptx
gases wingston.pptxgases wingston.pptx
gases wingston.pptx
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 
"Somos Físicos" Conservação de Massas
"Somos Físicos" Conservação de Massas"Somos Físicos" Conservação de Massas
"Somos Físicos" Conservação de Massas
 
GASES.ppt
GASES.pptGASES.ppt
GASES.ppt
 
GASES.ppt
GASES.pptGASES.ppt
GASES.ppt
 
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.ppt
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.pptGASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.ppt
GASES (1)ggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggggg.ppt
 
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.ppt
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.pptESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.ppt
ESTUDO DOS GASES IDEAIS E EQUAÇÃO DE CLAPEYRON.ppt
 
GASES.ppt
GASES.pptGASES.ppt
GASES.ppt
 

Mais de Karol Maia

Cinética parte ii
Cinética parte iiCinética parte ii
Cinética parte iiKarol Maia
 
Cinética parte I
Cinética parte ICinética parte I
Cinética parte IKarol Maia
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposKarol Maia
 
Questões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaQuestões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaKarol Maia
 
Turma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaTurma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaKarol Maia
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoKarol Maia
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Karol Maia
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosKarol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosKarol Maia
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosKarol Maia
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimKarol Maia
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Karol Maia
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódicaKarol Maia
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Karol Maia
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigidoKarol Maia
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposKarol Maia
 
Lista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoLista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoKarol Maia
 

Mais de Karol Maia (20)

Ligações
LigaçõesLigações
Ligações
 
Cinética parte ii
Cinética parte iiCinética parte ii
Cinética parte ii
 
Cinética parte I
Cinética parte ICinética parte I
Cinética parte I
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Questões Química Orgânica
Questões Química OrgânicaQuestões Química Orgânica
Questões Química Orgânica
 
Turma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química OrgânicaTurma avançada - Química Orgânica
Turma avançada - Química Orgânica
 
Equilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o anoEquilibrio Químico 3o ano
Equilibrio Químico 3o ano
 
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
Quimica inorgânica ácidosbases (9o ano)
 
Petroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetosPetroleo hidrocarbonetos
Petroleo hidrocarbonetos
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Trabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicosTrabalho elementos químicos
Trabalho elementos químicos
 
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bimLista ciencias 9oano_karol_2bim
Lista ciencias 9oano_karol_2bim
 
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
Entalpia de formação e energia de ligação (2 ano)
 
Tabela periódica
Tabela periódicaTabela periódica
Tabela periódica
 
Balanceamento
BalanceamentoBalanceamento
Balanceamento
 
Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)Modelos atômicos ( 9 ano)
Modelos atômicos ( 9 ano)
 
Estudo dirigido
Estudo dirigidoEstudo dirigido
Estudo dirigido
 
Notações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tiposNotações reações químicas- tipos
Notações reações químicas- tipos
 
Lista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oanoLista de exercícios 9oano
Lista de exercícios 9oano
 
Materiais
MateriaisMateriais
Materiais
 

Leis ponderais e teoria atômica de Dalton

  • 2. Leis ponderais são leis que falam das massas das substâncias que participam das reações químicas. As principais leis ponderais são:  Lei da Conservação das Massas (ou lei de Lavoisier);  Lei das Proporções de Massa (ou Lei de Proust).
  • 3. Oquímico francês Antoine Lavoisier realizou muitas experiências utilizando reações químicas e balança.
  • 4. “ Podemos estabelecer, como um axioma incontestável, que em todas as operações da arte e da natureza nada é criado; existe uma quantidade igual de matéria antes e depois dos experimentos; a qualidade e a quantidade dos átomos permanecem precisamente as mesmas e nada acontece além de mudanças e modificações nas combinações desses átomos” Antoine Laurent Lavoisier (1760) Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma.
  • 5. Experiência Conclusão Carbono + Oxigênio  Gás Carbônico “A soma das massas antes 3g 8g  11g da reação é igual à soma Veja que: 3g + 8g = 11g das massas após a reação”
  • 6. OBSERVAÇÕES  Foi observado, porém, que a queima de algumas substâncias havia aumento da massa, enquanto na queima de outras havia diminuição.  O grande mérito de Lavoisier foi ter descoberto que essas diferenças de massa se davam por causa da absorção ou liberação de gases durante as reações. Por exemplo, a queima da palha de aço ocorre consumo de oxigênio do ar, o que produz uma substância composta de ferro e oxigênio com massa maior do que a massa da palha de aço.
  • 7.
  • 8. “ Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”  LEMBRAR:
  • 9. Medindo a massa de palha de aço antes e depois de sua queima, observa-se o aumento da massa do material sólido.
  • 10.  Para compreender melhor essa lei podemos esquematizar: Ferro + Oxigênio  Óxido de ferro m1 + m2 = m3  Segundo os dados acima a soma da massa das substâncias reagentes é igual à massa das substâncias dos produtos.
  • 11.  “Uma substância pode ser proveniente de diferentes fontes naturais ou ser obtida por diversos processos. No entanto, seja qual for o método de obtenção, a substância terá sempre a mesma composição química fixa”.  Essa foi a conclusão que chegou o químico francês Joseph Louis Proust (1754-1826).
  • 12. Experiência Conclusão Carbono + Oxigênio  Gás Carbônico 3g + ou 6g + 16g 8g   11g 22g ? ou 9g + 24g  33g “A proporção das massas que reagem permanece sempre constante”
  • 13. As substâncias reagem sempre em uma mesma proporção. Se isso ocorre, significa que a composição química de uma substância deve ser estabelecida em uma relação fixa de massa entre os átomos dos elementos que a compõem.
  • 14.  Em 1797, Proust enunciou a lei das Proporções Definidas (ou Lei de Proust): “As substâncias reagem sempre na mesma proporção para formarem outra substância.”
  • 15. Em 1808, John Dalton publicou o livro Novo Sistema de Filosofia química, no qual apresentava sua teoria para a constituição da matéria;  Dalton defendia que a matéria era formada por pequenas partículas que ele denominou átomo.
  • 16. A matéria é constituída por partículas denominadas átomos;  As substâncias simples são constituídas por apenas um tipo de átomo (elemento químico) e as substâncias compostas por mais de um tipo de átomo (diferentes elementos químicos);  As substâncias compostas são constituídas pela combinação de átomos de diferentes elementos químicos em proporções fixas.
  • 17. Entendendo a relação entre a teoria atômica de Dalton e as leis ponderais.  A Lei de Lavoisier é explicada do seguinte modo: Carbono + oxigênio  gás carbônico C + O2  CO2 (3g+4g+4g=11g)  (4g+3g+4g=11g)  Considerando que as partículas (átomos) iniciais e as finais são as mesmas, concluímos que a massa deve permanecer inalterada.
  • 18. A Lei de Proust seria explicada da seguinte maneira: Carbono + oxigênio  gás carbônico 1ª Experiência: 2ª Experiência:
  • 19.  Da1ª experiência para a 2ª, a quantidade de átomos dobrou; como consequência, todas as massas duplicaram.