SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 236
Baixar para ler offline
Design de Interação
Karine Drumond e Leandro Alves




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Quem somos?
‣ Especialistas em Design de Interação pela PUC Minas

‣ Professores de Design de Interação na PUC Minas e na UNI BH

‣ Leandro: sócio da Latitude14 (design de intetação) e Mobian (desenvolvimento mobile)

‣ Karine: sócia da Negócio de Mulher (Design e Marketing feminino)

‣ Fundadores do capítulo IxDA BH (Interaction Design Association)




‣ http://negociodemulher.com.br/blog                     @karinedrumond
‣ http://latitude14.com.br e http://mobian.com.br        @lbalves




                                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Programa
‣ Entendendo o que é design

‣ O que é e de onde vem o design de interação

‣ Marketing + design de interação

‣ Princípios, metas e leis do design de interação

‣ Design research:

  ‣ Técnicas de planejamento

  ‣ Técnicas de prototipação/design

  ‣ Técnicas de avaliação




                                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Recomendação de leitura




PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvone; SHARP, Helen. Design de interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre:
Bookman, 2005.
SAFFER, Dan; Designing for interaction. Berkeley, New Riders, 2010.

Kuniavsky, Mike. Observing the User Experience. San Francisco, MKP, 2003.
COOPER, Alan. About face 3.0 - the essentials of Interaction Design. Indianapolis: Wiley Publishing, 2009

MEMÓRIA, Felipe. Design para Internet – projetando a experiência perfeita, Rio de Janeiro: Campus/Elsevier, 2005.

NORMAN, Donald. The design of everyday things, New York: Basic Books, 1988.



                                                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Referências online
www.useit.com
www.acm.org
www.interactions.acm.org
www.upassoc.org
www.cooper.com
www.slideshare.net/dansaffer
www.slideshare.net/LaneHalley




                                Design de Interação | Karine e Leandro
A vida é permeada de
        problemas e desafios.




                       Design de Interação | Karine e Leandro
Seu Nicolau tem 76 anos, mas é muito ativo. Gosta de fazer suas coisas sozinho,
retirar a pensão no banco, visitar vizinhos... Mas nem sempre dá satisfação pra
família, e não gosta de usar celular, pois acha “Muito difícil”.

                            A família se preocupa, pois o velhinho tem pressão
                            alta, e gostaria que o Seu Nicolau usasse um celular.




                             Como este celular poderia ser?


                                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Que tal um iPhone pro Nicolau?




         Design de Interação | Karine e Leandro
melhor ≠ mais sofisticado
solução simples = solução elegante


                  Design de Interação | Karine e Leandro
FOCO na demanda REAL.
             Design de Interação | Karine e Leandro
Dona Lucinha adora um cházinho com bolo de fubá, quando recebe as amigas
em casa pra falar de novela. Mas a senhorinha tem artrite e ultimamente
reclama muito de usar a chaleira.


                                   “É pesada meu filho, e machuca minha
                                   mão. Quase não consigo virá-la na xícara,
                                   fico com medo de me queimar.”


                                   Vamos pensar uma
                                   chaleira pra ela?

                                               Design de Interação | Karine e Leandro
OXO - Good Grips



                            r melhor para TODOS
      acessibilidade pode se
Maior



                             Design de Interação | Karine e Leandro
Mariana tem 5 anos, e queria aprender a cozinhar com a mãe. Sua mãe gostaria
que a filha comesse mais legumes, mas não quer ver a filha usando facas. Quase
tudo na cozinha é perigoso!



                       “Eu queria que a menina cortasse os rabanetes, batatas,
                       cenouras, mas é perigoso”

                       Vamos pensar um cortador de
                       legumes seguro e interessante?


                                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Mushroom Chopper




                 ve mais de um problema
boa solução resol




                          Design de Interação | Karine e Leandro
Mário tem 32 anos, trabalha em Betim, mas
 mora em Belo Horizonte. Todos os dias pega
 o transporte da empresa às 7 da manhã
 na Praça da Liberdade e escuta músicas no
 trajeto. Às vezes divide o fone com sua
 paquera, Ana Luiza.


“Os fios do fone embolam porque são muito separados. Mas se
fossem menos separados, também não ia dar pra dividir com a
Aninha.”

                                Vamos ajudar o Mário.
                                              Design de Interação | Karine e Leandro
YI | Sound Invention




      ção pode vir de outro lugar
a solu




                       Design de Interação | Karine e Leandro
es para o mesmo problema
existem várias soluçõ




                             Design de Interação | Karine e Leandro
Evolution Pillow




     a mais robustas que outras
algum




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Music Branch Headphone Splitter




  algumas mais simples




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Luíz mudou há pouco para Belo Horizonte, e
achou os preços de imóveis muito caros.
Veio com mulher e dois filhos, e teve
condições de financiar um pequeno imóvel
de 2 quartos com 80 m2.

                        “Precisava, na verdade, de um quarto e um escritório,
                        pois trabalho em casa. E meus filhos também precisam
                        de um lugar pra estudar.”

                           Como resolver o problema do Luíz?
                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Resource Furniture
      (ver vídeo)




                    Design de Interação | Karine e Leandro
A solução para espaço pequeno não precisa ser mais espaço.
           Temos de identificar o problema
             e usar os recursos que temos.




                                   Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
Uma solução inserida no projeto é uma
           Solução de design




           Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
pode melhorar.




                       Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
        pode melhorar.



Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
      pode melhorar.




Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
      pode melhorar.




Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
      pode melhorar.




Design de Interação | Karine e Leandro
mesmo o que funciona
      pode melhorar.




Design de Interação | Karine e Leandro
Para resolver bem,
                     precisamos entender o problema...




                            ...pensar simples...
                  ... e pen
                                 sar sem
                                                l
“Se eu perguntasse para as pessoas o que queriam, imite
                                                            s. Ford
                          me diriam cavalos mais rápidos.” -Henry
                                             Design de Interação | Karine e Leandro
ples a princípio
              Pensar sim
quanto mais simples, ma
                       is fácil de ser compreendid
                                                  o/usado


                                  Design de Interação | Karine e Leandro
ior valor de USO
       trar onde há ma
 concen

começar pela espinha e IT
                         ERAR
                     Design de Interação | Karine e Leandro
m tecnologia...
    não focar e
...mas em comportamento


                   Design de Interação | Karine e Leandro
têm em comum?
O que eles



                 Design de Interação | Karine e Leandro
ign!
desDesign de Interação | Karine e Leandro
todo mundo é designer!


           Design de Interação | Karine e Leandro
Design = Projeto


           Design de Interação | Karine e Leandro
Produto
nasce do conhecimento

                        negócio
  destes 3 elementos




                 pessoas tecnologia


                                  Design de Interação | Karine e Leandro
r
 Qual é o melho
 aminho para criar
     ões?
c
soluç                Design de Interação | Karine e Leandro
sorte...




           Design de Interação | Karine e Leandro
sorte...




           Design de Interação | Karine e Leandro
...ou tática/metodologia




   Design de Interação | Karine e Leandro
...ou tática/metodologia




   Design de Interação | Karine e Leandro
sorte
       0,00001% ... 50%

            metodologia
...15%, 25%, 40%, 70%...

         Design de Interação | Karine e Leandro
METODOLOGIA DE DESIGN




               ot n/




                                 ão
       a



                      o
                    çã
    uis


             ot ig




                               aç
           pr des
                 ipa
  sq




                            lid
pe




                          va
                      Design de Interação | Karine e Leandro
UM POUCO DE
HISTÓRIA
       Design de Interação | Karine e Leandro
1986 | Design Centrado no Usuário (DCU)

Design Centrado no Usuário (DCU) é o campo de estudo que reúne
metodologias de design nos quais o público-alvo de um produto ou
serviço influencia as diretrizes e requisitos do sistema.

Termo cunhado por Norman enquanto trabalhava como pesquisador na
Universidade California San Diego (UCSD), no artigo User-Centered
System Design: New Perspectives on Human-Computer Interaction
(Norman & Draper, 1986) e popularizado em 1988 no popular
Psychology of everyday things (mais tarde rebatizado como The design
of everyday things).



                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Design Centrado no Usuário (DCU)
“…é uma filosofia baseada nas necessidades e interesses do usuário, com ênfase em
fazer produtos usáveis e inteligíveis.” – Donald Norman

“A filosofia por trás do Design Centrado no Usuário é simplesmente esta: O usuário
sabe mais. Pessoas que utilizarão um produto ou serviço sabem de suas
necessidades, metas e preferências, e é papel do designer descobrir isto e projetar
para eles.” – Dan Saffer

“...é uma abordagem ao design que fundamenta o processo em informações sobre as
pessoas que usarão o produto. Processos de UCD focam em usuários através de
planejamento, design e desenvolvimento do produto.” – Usability Professionals
Association (UPA)

“...é um estabelecido processo usado pela IBM e muitas outras organizações para
prover produtos que atendam as expectativas dos usuários.” – IBM

“...é focar o design no usuário, simples assim.” – Peter J. Bogaards

                                                      Design de Interação | Karine e Leandro
abordagem DCU

Planejamento        Design             Validação            Pós-lançamento




                             usuário



               Design Centrado no Usuário

                                             Design de Interação | Karine e Leandro
Design Centrado no Usuário (DCU)




   USUÁRIOS
devemos perguntá-los como fazer nosso trabalho?



                               Design de Interação | Karine e Leandro
Design Centrado no Usuário (DCU)




 a princípio
            ,   NÃO


                  Design de Interação | Karine e Leandro
Design Centrado no Usuário (DCU)


Devemos identificar seus   padrões de comportamento
                                              e projetarmos soluções   adequadas.




                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
1990 | Design de Interação



Bill Morgride, diretor da IDEO, sintetizou no livro Designing for
Interactions uma série de metodologias de design + comunicação
usadas e aprimoradas na empresa para a elaboração de produtos
úteis e usáveis.




                                         Design de Interação | Karine e Leandro
Espaço do Design de Interação




     Este campo multidisciplinar centraliza e
     integra as diversas áreas de
     conhecimento relacionadas a interação
     entre artefato / usuários



              Design de Interação | Karine e Leandro
POR QUE
DESIGN DE
INTERAÇÃO ?
        Design de Interação | Karine e Leandro
PORQUE O
MARKETING
NÃO FUNCIONA
MAIS(sozinho)


                Design de Interação | Karine e Leandro
Por que Design de Interação?

Projetar dispositivos e interfaces usáveis vai além de evitar erros: um projeto
bem pesquisado, planejado, desenvolvido e testado pode agregar valor ao
uso, negócio ou mesmo mudar totalmente a natureza do produto/sistema
para outra melhor e mais adequada.


   “...Design de Interação não é apenas sobre corrigir problemas;
       diz respeito a facilitar interações entre pessoas de uma
      maneira mais rica, profunda e melhor - ou seja, encontrar
   novas formas de melhor conectar as pessoas e tornar o mundo
                            um lugar melhor.”

                                                                      -Dan Saffer
                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
1) MARKETING TRADICIONAL


               Design de Interação | Karine e Leandro
Produtor
                            eting
                        mark
                   de
               mix


consumidor           alvo
             público-

                               Design de Interação | Karine e Leandro
http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
valor agregado

             Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
2) MARKETING 2.0


               Design de Interação | Karine e Leandro
“A revolução não acontece quando a sociedade adota novas
ferramentas. Acontece quando a sociedade adota novos
comportamentos”
                           -Clay Shirky (New York Times)




                                      Design de Interação | Karine e Leandro
Mídias Sociais tomaram o lugar
     da pornografia como conteúdo
         mais acessado da Internet.
                                                      1/8 dos casais se formam em mídias sociais nos EUA




http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                           Design de Interação | Karine e Leandro
50% da população está abaixo dos 30 anos.


              96% dessas pessoas já
             estão em mídias sociais.

http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
facebook ultrapassou o Google
     no tráfego semanal nos EUA.


http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
78% dos consumidores
                     confiam mais em
                 recomendações pessoais.
                    Apenas 14% confiam em propagandas



http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
1/3
dos brasileiros fora das redes sociais pretende participar de alguma em breve

http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
2/3 usam a rede há mais de 3 anos
http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
273
                              amigos em média nas redes sociais.
                             Em BH, 13% tem mais de 700 amigos!
http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
60%
              pensam que as redes oferecem toda a informação
                              que precisam.

http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
45%
                   consideram que as redes sociais substituem os
                               portais de notícias
http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
80%
                 das pessoas nas redes aceitam tranquilamente receber divulgação,
                          comunicações e serem avaliadas por empresas


http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
twitter é


8.000x      mais eficaz que Procon

                  Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
compartilhar > criar




             Design de Interação | Karine e Leandro
Produtor




consumidor   consumidor         consumidor



                          Design de Interação | Karine e Leandro
http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais
                                                                Design de Interação | Karine e Leandro
3) DESIGN (DE INTERAÇÃO)


               Design de Interação | Karine e Leandro
Relembrando...
1990 | Design de Interação
Bill Moggridge, diretor da IDEO, sintetizou no livro Designing
   for Interactions uma série de metodologias de design +
   comunicação usadas e aprimoradas na empresa para a
            elaboração de produtos úteis e usáveis.




                                      Design de Interação | Karine e Leandro
Outras definições...

‣ “Criar experiências que melhorem e estendam a maneira como as pessoas

  trabalham, se comunicam e interagem.”
  Winograd, 1999

‣ “Design de interação define a estrutura e o comportamento de produtos e

  serviços interativos e suas interações com usuários.”
  Interaction Design Association (IxDA), 2004




                                                   Design de Interação | Karine e Leandro
Outras definições...




                       Design de Interação | Karine e Leandro
Designer +
             Marketing




 usuário/     usuário/           usuário/
consumidor   consumidor         consumidor




                          Design de Interação | Karine e Leandro
Como se faz DI?




                   ot n/




                                     ão
           a



                          o
                        çã
        uis


                 ot ig




                                   aç
               pr des
                     ipa
      sq




                                lid
    pe




                              va
                          Design de Interação | Karine e Leandro
Como se faz DI?
                Pesquisar: identificar requisitos
        a
     uis




                (usuários, tarefas, contexto)
   sq
 pe




                Criar soluções alternativas que
     ot n/
            o
          çã
   ot ig
 pr des
       ipa




                atendam aos requisitos identificados.


                Validar as soluções criadas com os usuários.
        ão
      aç
   lid
 va




                                            Design de Interação | Karine e Leandro
Principais técnicas

                Story                          Prototipação    Teste dos 5
                              Card sorting                      segundo
               mapping                          em papel
                                                                                Utilidade

 Pesquisa em
    campo

                    Pesquisa                 Design/                                 Análise de
                                                              Validação              satisfação
                                       Prototipação
 Entrevistas
                                                                                Teste de
                                                                               usabilidade
                                Análise de
               Benchmarking      tarefas                          Análise
                                                Wireframes
                                                                 Heurística



                                                              Design de Interação | Karine e Leandro
pes
                                                                           quis
                                                                               a



     Pesquisa pa
                 ra desenvolv
                              imento do novo
                                             Desk Metric
                                                         s


                                                 ine Luiza
                          nça de ve ndas do Magaz
Card Sorting com a lidera




                                                    Design de Interação | Karine e Leandro
desi
                prot gn/
                    otip
                         açã
                            o




Design de Interação | Karine e Leandro
valida
                                                             ção




                                OR
                       FIA T ISV
           e-l earning
Av aliando

                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Case - Aquaduct
                  O problema: Bilhões de pessoas não
                  tem acesso a agua limpa. Crianças
                  morrem por causa de doenças de
                  saneamento básico.




                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Case - Aquaduct




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Case - Aquaduct




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Case - Aquaduct




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Case - Aquaduct




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Service design




Design de Interação | Karine e Leandro
Service design




Design de Interação | Karine e Leandro
UX   Design de Interação | Karine e Leandro
UX   Design de Interação | Karine e Leandro
Marketing Indireto




$389.400.000.000,00
                    Design de Interação | Karine e Leandro
ROWE




Design de Interação | Karine e Leandro
comportamento
Design de Interação | Karine e Leandro
contexto
Design de Interação | Karine e Leandro
ssibilidade
             ace
Design de Interação | Karine e Leandro
tipo do
            protó
              t wit ter!




Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
iteração

Design de Interação | Karine e Leandro
$300.000.000,00




"I'm not here to be in a relationship"
                         Design de Interação | Karine e Leandro
quem é sério investe nesta abordagem




                      Design de Interação | Karine e Leandro
quem é sério investe nesta abordagem




          laboratório de UX da globo.com

                                  Design de Interação | Karine e Leandro
quem é sério investe nesta abordagem




            centro de design da ASUS

                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Design    Marketing
             usuários   público-alvo

comportamento de uso    hábitos de consumo

         valor de uso   valor agregado




                              Design de Interação | Karine e Leandro
Marketing
   +
 Design




            Design de Interação | Karine e Leandro
Como saber o quê e como projetar?




           vs
                     Design de Interação | Karine e Leandro
Metas do design de interação


    Em quê devemos focar num
                 projeto?
      Ex.: facilidade de uso ou estética?




                               Design de Interação | Karine e Leandro
Metas do design de interação




                     Design de Interação | Karine e Leandro
Metas do design de interação


    Visam nortear o projeto de
    design de interação e variam
        conforme o produto.


                       Design de Interação | Karine e Leandro
Metas do design de interação
                                  divertido
                                                     emocionalmente
                                                       adequado
          satisfatório


                                  eficiente                  compensador

                                                seguro
                         eficaz    Metas do
      agradável
                                  Design de   fácil             inspirador
                                  Interação memorizar


                         fácil lembrar       útil
      interessante

                                                         esteticamente
                                                           apreciável

                  proveitoso
                                         motivador




                                                         Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficácia


Eficácia se refere a quão bem uma ferramenta auxilia na realização
de uma atividade proposta, em um contexto de uso.


É uma característica analógica, em escala.



                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficácia
           Qual é mais eficaz?




                           Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficácia
Depende. Pra quê e para quem?




                                Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficiência



 Quanto uma ferramenta auxilia na economia de recursos para a
  realização de uma atividade proposta, em um contexto de uso.




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficiência



     Eficiência

        =
economia de recursos


                       Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficiência




     recursos podem ser medidos em tempo, cliques...
              se traduzem em trabalho/custo

                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Eficácia X Eficiência



        eficácia - fazer melhor
      eficiência - produtividade



                        Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança



 Segurança se refere a prevenção e recuperação de erros.

 Deve ser perceptível, transparente.



                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança

Física




                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança

Interface




                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança

Prevenção de erros




                     Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança

Prevenção de erros, transparente.




                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Segurança

Segurança percebida




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Facilidade de aprendizado
Clareza na interface, compreensão das funcionalidades




             metáforas e modelos mentais

                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Facilidade de lembrar como se usar




                           Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Facilidade de lembrar como se usar

       Interface profissional, especialista




                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Utilidade


Water Reminder




                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Utilidade


Water Your Body




                    Design de Interação | Karine e Leandro
Metas – Utilidade
Ferramenta sem foco
Pra que serve?
Elevator pitch,
Twitter pitch!




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Metas da experiência do usuário

                                       divertido
                                                        emocionalmente
                                                          adequado
                     satisfatório
                                            eficiente
                                                                    compensador
                                    eficaz               seguro
                  agradável
                                            Metas do
                                            Design de                 inspirador
                                            Interação    fácil
                                fácil lembrar          memorizar
                 interessante
                                                útil
                                                                   esteticamente
                                                                     apreciável
                         proveitoso
                                            motivador




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Metas da experiência do usuário

                                       divertido
                                                        emocionalmente
                                                          adequado
                     satisfatório
                                            eficiente
                                                                    compensador
                                    eficaz               seguro
                  agradável
                                            Metas do
                                            Design de                 inspirador
                                            Interação    fácil
                                fácil lembrar          memorizar
                 interessante
                                                útil
                                                                   esteticamente
                                                                     apreciável
                         proveitoso
                                            motivador




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Metas da experiência do usuário

                                       divertido
                                                        emocionalmente
                                                          adequado
                     satisfatório
                                            eficiente
                                                                    compensador
                                    eficaz               seguro
                  agradável
                                            Metas do
                                            Design de                 inspirador
                                            Interação    fácil
                                fácil lembrar          memorizar
                 interessante
                                                útil
                                                                   esteticamente
                                                                     apreciável
                         proveitoso
                                            motivador




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Metas da experiência do usuário

                                       divertido
                                                        emocionalmente
                                                          adequado
                     satisfatório
                                            eficiente
                                                                    compensador
                                    eficaz               seguro
                  agradável
                                            Metas do
                                            Design de                 inspirador
                                            Interação    fácil
                                fácil lembrar          memorizar
                 interessante
                                                útil
                                                                   esteticamente
                                                                     apreciável
                         proveitoso
                                            motivador




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Princípios de design

                          Visibilidade
São características que   Feedback

   tornam os produtos
                          Restrições
                          Mapeamento

   mais fáceis de usar.
                          Consistência
                          Affordance




                           Design de Interação | Karine e Leandro
1. Visibilidade

           Oferecer
 informações sobre o
  estado do sistema
    para tomada de
           decisão e
       compreensão.



                       Design de Interação | Karine e Leandro
2. Feedback
              Oferecer retorno
              sobre as ações dos
              usuários:


              Visual
              Tátil
              Aural
              Combinado



                 Design de Interação | Karine e Leandro
2. Feedback




              Design de Interação | Karine e Leandro
3. Restrições
Restrições lógicas
Exploram o bom senso das pessoas a respeito de como o
mundo funciona.




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
3. Restrições




Restrições físicas
Se referem à maneira como os objetos restringem mecanicamente.

                                        Design de Interação | Karine e Leandro
3. Restrições
Restrições culturais
Convenções aprendidas – universais
ou específicas de culturas diferentes.




                                         Design de Interação | Karine e Leandro
4. Mapeamento
Criar uma relação entre o controle e seu efeito.




                                   Design de Interação | Karine e Leandro
4. Mapeamento




                Design de Interação | Karine e Leandro
4. Mapeamento




                Design de Interação | Karine e Leandro
5. Consistência
Interações semelhantes, elementos semelhantes.




                                  Design de Interação | Karine e Leandro
5. Consistência




                  Design de Interação | Karine e Leandro
6. Affordance
O designer deve dar uma “dica” de como interagir.




                                    Design de Interação | Karine e Leandro
6. Affordance




                Design de Interação | Karine e Leandro
6. Affordance




                Design de Interação | Karine e Leandro
6. Affordance




                Design de Interação | Karine e Leandro
Leis do Design de Interação

Lei de Fitts
O tempo gasto para se mover de um ponto inicial para outro é proporcional ao
tamanho do alvo e sua distância.

Significa que...
Elementos de uma interface devem possuir um tamanho adequado a sua
importância.

Elementos relacionados devem se posicionar em um contexto de uso coerente.

                                                           Paul Fitts, psicólogo - 1954




                                                   Design de Interação | Karine e Leandro
Leis do Design de Interação
Lei de Hicks
O tempo que leva para uma pessoa tomar uma decisão é proporcional ao número
das escolhas possíveis.

Significa que...
Usuários encontram a informação separando-as em blocos e eliminando a metade a
cada etapa do processo.

Desconsiderando outras decisões de design, seria mais simples encontrar um atalho
em um grupo de 10 do que em dois de 5.

Devemos ser criteriosos na categorização de conteúdos.

                                                  William Edmund Hick, psicólogo - 1983



                                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Leis do Design de Interação

Lei de Miller (complementar à lei de Hicks)
A memória de curta duração humana registra 7 informações em média, variando em
torno de 2 para cima ou para baixo.

Significa que...
Não é uma regra rígida, mas uma orientação. Interfaces devem ser projetadas no
intuito de minimizar a sobrecarga cognitiva.

Por exemplo, não devemos criar interações que forcem usuários a memorizar
elementos estranhos em telas diferentes.


                                                         George Miller, psicólogo - 1956




                                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Leis do Design de Interação


Lei de Moore
O número de transistores dos chips terá um aumento de 100%, pelo mesmo custo, a
cada período de 18 meses.

Significa que...
A tecnologia evolui rapidamente. Devemos nos adequar a mudança de paradigmas
tecnológicos. Novos dispositivos, novas formas de interagir, novas possibilidades!


                                                Gordon Moore, co-fundador da Intel - 1965




                                                      Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO                     DONE



EM GRUPO!
                                  finir:
                os cole gas e de
Disc utir com                       , etc)
                  site (a plicativo
 1) O   que é o               solve
            problem  a ele re
  2) Que
                     co-alvo
   3) Qua  l o públi             ntes
               são os   concorre
    4) Quem




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
recapitulando..


          Design de Interação | Karine e Leandro
Ciclo de vida do produto




               ot n/




                                 ão
       a



                      o
                    çã
    uis


             ot ig




                               aç
           pr des
                 ipa
  sq




                            lid
pe




                          va
                      Design de Interação | Karine e Leandro
Ciclo de vida do produto




         jam a/
              to
       ne uis
            en
    pla sq
         pe

Validar e descobrir novas

DEMANDAS
                   Design de Interação | Karine e Leandro
Pesquisa é minerar dados
            e colher informações.



                    Design de Interação | Karine e Leandro
(
Dados vs. Informações
                                       )
             Design de Interação | Karine e Leandro
(
“Possuímos 6 mil cadastros femininos.”

 Isso é um dado.                                   )
                         Design de Interação | Karine e Leandro
(
6 mil fem / 3 mil masc = 2/3 fem
Isso é um informação.                          )
                     Design de Interação | Karine e Leandro
(   Informação são
    dados tratados.                     )
              Design de Interação | Karine e Leandro
Informações
 Ajudam a evitar problemas
clássicos de escopo de projeto



                    Design de Interação | Karine e Leandro
Não há receita de bolo, mas princípios.
1. Desenvolvedor ≠ usuário
2. Dados ≠ informações
3. Mais informação = menor chance de insucesso
4. Arquétipo ≠ clichê


                                Design de Interação | Karine e Leandro
O usuário elástico
“Quem vai usar isso? - Todo Mundo!”
usuário avançado / usuário iniciante ≠ usuário real




                                                      Design de Interação | Karine e Leandro
Para evitar
dor de cabeça..


         jam a/
              to
       ne uis
            en
    pla sq
         pe




               Design de Interação | Karine e Leandro
Algumas técnicas de pesquisa:
  ‣   Avaliação do SAC, feedback,
  ‣   Análise métrica,
  ‣   Benchmarking,
  ‣   Etnografia online,
  ‣   Entrevistas,
  ‣   Questionários,
  ‣   etc...

                              Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
 explorando a campo




         Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                   explorando a campo




Podem ser pensadas como

  uma conversação com um propósito.



            (Kahn e Cannel, “The dynamics of interviewing”, 1957)

                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                   explorando a campo



Dividem em 4 tipos
  1. Não estruturadas (open ended. escopo aberto)
  2. Estruturadas (escopo fechado)
  3. Semi-estruturadas (adaptáveis)
  4. Focus group - (Conduzida por tópicos)



                    quanto
                           +    exploratórias,
                                               +      aberto o escopo
                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                 explorando a campo



Regrinhas de ouro - antes
  1. Elabore um roteiro
  2. Prepare um termo de confidencialidade e consentimento
  3. Certifique se tudo está impresso antes de começar
  4. Verifique e teste equipamento de gravação



                          (Robson, “Real World Research”, 1993)
                                      Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                     explorando a campo

Teste piloto - antes
Realize a entrevista para validar perguntas, estrutura, tempo.
Adapte e refaça o teste piloto se necessário.




                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                   explorando a campo



Regrinhas de ouro - durante
1. SIGA o roteiro!
2. Vista e comporte +/- como o entrevistado
3. Apresente-se cordialmente
4.Explique o objetivo da pesquisa
5.Peça que assine os termos (confidencialidade e consentimento)

                                                            continua... >
                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                  explorando a campo



Regrinhas de ouro - durante
6. Avise então que começará a gravar
7. Informe que o participante pode desistir a qualquer momento
8. Inicie a gravação.




                                       Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                   explorando a campo




Regrinhas de ouro - depois
Agradeça ao participante e pergunte se há algo que ele gostaria
de acrescentar.




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Chame o entrevistado pelo nome.
E comece por perguntas fáceis, mesmo que
 você saiba a resposta.




#1
                                Design de Interação | Karine e Leandro
Vamos começar? Qual o maior
constrangimento profissional que você já
 passou na sua vida?



#1
                            Design de Interação | Karine e Leandro
Então Camila, você fez alguma
viagem recentemente?


#1
                   Design de Interação | Karine e Leandro
Evite perguntas longas!
Treine seu poder de síntese e clareza.




#2
                              Design de Interação | Karine e Leandro
Na atual conjuntura sócio-econômica e política
do Brasil contemporâneo, qual sua perspectiva
acerca da realidade singular musical do proto-
 gueto das comunidades cariocas?



#2
                              Design de Interação | Karine e Leandro
O que você acha do samba-de-
roda tradicional carioca?


#2
                  Design de Interação | Karine e Leandro
Evite sentenças compostas
difíceis de entender e de anotar as respostas




#3
                               Design de Interação | Karine e Leandro
O que você acha deste tipo de portal de
notícias, e comparado a outros tipos de
 portais?



#3
                          Design de Interação | Karine e Leandro
O que você acha deste portal de
notícias?


#3
                   Design de Interação | Karine e Leandro
E comparado a outros
tipos de portais?


#3
                   Design de Interação | Karine e Leandro
Evite jargões e termos técnicos
que o entrevistado pode desconhecer e não admitir por
 constrangimento




#4
                                         Design de Interação | Karine e Leandro
O que você pensa sobre uma StartUp
realizar Pivot tecnológico antes do
 lançamento de seu MVP?



#4
                         Design de Interação | Karine e Leandro
O que você acha sobre uma empresa
mudar o foco do seu produto antes de
lançá-lo?



#4
                         Design de Interação | Karine e Leandro
Evite tendenciamento e suposições.
Tenha bom-senso. Busque sempre a neutralidade
 em seu tom e suas palavras.




#5
                                       Design de Interação | Karine e Leandro
Quais as coisas que você mais
gosta nessa área do portal?


#5
                    Design de Interação | Karine e Leandro
O que você acha desta área do
portal?


#5
                  Design de Interação | Karine e Leandro
Busque uma consistência narrativa
A ordem das perguntas influencia as respostas




#6
                                    Design de Interação | Karine e Leandro
#6
Qual sua pretenção salarial para
daqui a 2 anos?



8 mil.



Você
fuma!?
                    Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                    explorando a campo




Entrevistas não ou semi-estruturadas
1. Tenha um objetivo claro, uma agenda
2. Estruture os temas que precisa abordar em tópicos




                                         Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                     explorando a campo

Entrevistas não ou semi-estruturadas

vantagens                         desvantagens

geram dados ricos                 exigem mais experiência


levam a descobertas disruptivas   levam tempo pra serem analisadas
                                  (dados desestruturados)


                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                      explorando a campo

Focus Group (entrevistas em grupo)
1. De 3 a 10 participantes, representativos dos grupos em estudo
2. Um orientador dirige os tópicos de discussão




                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Entrevistas
                                                      explorando a campo

Focus Group (entrevistas em grupo)

vantagens                          desvantagens
Explora o contexto social e a      O Lead user pode ser um problema
interação entre os envolvidos
(ambiente, contexto)


É prático para validar uma ideia   O recrutamento é complicado, já
com um grupo de mercado.           que a agenda de muitos é
                                   considerada

                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
   validando hipóteses




           Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                 Validando hipóteses




oferecem quase sempre

         opções fechadas de respostas


                             +
                        quanto   objetivo,
                                             +    fechado o escopo


                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                     Validando hipóteses


Vantagens
1. São mais fáceis de serem analisados

2. Podem abranger um maior número de questões, por serem
   mais objetivos

3. São replicados com maior facilidade




                                         Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                    Validando hipóteses


Vantagens
4. Ajudam a definir subgrupos (Ex: grupo internautas. Qual
   subgrupo? Experiente, intermediário ou iniciante?)

5. Podem ser projetados com variações para cada grupo
   específico

6. Questionários longos podem ser subdivididos em partes para
   facilitar preenchimento


                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                       Validando hipóteses



Cuidado com as faixas de respostas!
 Podem se sobrepor   Podem faltar
   a)10-20             a)500 e 1 mil
   b)20-30             b)2 e 3 mil
   c) 30-40            c) 4 e 5 mil
   d) 40-50            d) Acima de 6 mil




                           Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                  Validando hipóteses



Cuidado com as faixas de respostas!




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                    Validando hipóteses


Respostas também podem ser binárias...
  1.sim/não
  2.curti/não curti




                        Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                Validando hipóteses


...ou em escalas.




                    Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                              Validando hipóteses


Cuidados com questionários
Evite respostas com escalas negativas


      Qual sua nota para o sorvete de Pistache?
         a) -2
         b) -1
         c) 0
         d) 1
         e) 2


                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                           Validando hipóteses

Escala Likert
Afirmativas curtas seguidas de uma escala bipolar de respostas
graduais.

      1. Gosto do meu cereal ao leite bem crocante pela manhã.
         a) Concordo plenamente
         b) Concordo
         c) Não concordo nem discordo
         d) Discordo
         e) Discordo plenamente


                                               Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                           Validando hipóteses

Escala Likert
Use número par se quiser forçar um posicionamento

      1. Gosto do meu cereal ao leite bem crocante pela manhã.
        a) Concordo plenamente
        b) Concordo
        c) Discordo
        d) Discordo plenamente




                                               Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                      Validando hipóteses

Escala Likert
Use o mesmo número de afirmações positivas e negativas. Se
vai misturá-las ou agrupá-las, é seu critério, e as opiniões são
divididas entre os autores sobre isto.




                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários
                                                 Validando hipóteses

Escala de diferencial semântico
Menos utilizada que as escalas likert, utilizam adjetivos
opostos, normalmente em uma grade. O usuário deve marcar a
posição que melhor representa sua opinião para cada item.




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Interpretando dados

1. Procure padrões e tendências

2. Para menos de 60 participantes, respostas com número reais.
   Para mais, porcentagens.

3. Para interpretar entrevistas, é ideal manter alguma
   métrica ou código



                                       Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários Ciclo de vida do produto
                             e
       rking   entrevistas
   chma
Ben




                      ot n/
                             o


                                         ão
             a


                           çã
                    ot ig
          uis

                  pr des




                                       aç
                        ipa
        sq




                                    lid
      pe




                 personas
                                  va
                                  Design de Interação | Karine e Leandro
• Karine Drumond
 ‣   www.negociodemulher.com.br/blog

 ‣   karine@negociodemulher.com.br



• Leandro Alves
 ‣   www.uxp.com.br

 ‣   lbalves@latitude14.com.br




                    Design de Interação | Karine e Leandro

Mais conteúdo relacionado

Mais de Karine Drumond

Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisPesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisKarine Drumond
 
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherOficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherKarine Drumond
 
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoWorkshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoKarine Drumond
 
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisWorkshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisKarine Drumond
 
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasWorkshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasKarine Drumond
 
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)Karine Drumond
 
Organizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarOrganizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarKarine Drumond
 
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaMATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaKarine Drumond
 
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilWorkshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilKarine Drumond
 
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGWorkshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGKarine Drumond
 
O que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioO que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioKarine Drumond
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoKarine Drumond
 
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioMétodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioKarine Drumond
 
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeMelhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeKarine Drumond
 
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoTelefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoKarine Drumond
 

Mais de Karine Drumond (17)

Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisPesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
 
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherOficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
 
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoWorkshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
 
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisWorkshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
 
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasWorkshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
 
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
 
Organizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarOrganizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçar
 
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaMATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
 
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilWorkshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
 
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGWorkshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
 
O que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioO que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuário
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da Informação
 
Guia para Cardsorting
Guia para CardsortingGuia para Cardsorting
Guia para Cardsorting
 
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioMétodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
 
Acidente Gol legacy
Acidente Gol legacyAcidente Gol legacy
Acidente Gol legacy
 
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeMelhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
 
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoTelefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
 

Di karine e leandro 2011 parte i

  • 1. Design de Interação Karine Drumond e Leandro Alves Design de Interação | Karine e Leandro
  • 2. Quem somos? ‣ Especialistas em Design de Interação pela PUC Minas ‣ Professores de Design de Interação na PUC Minas e na UNI BH ‣ Leandro: sócio da Latitude14 (design de intetação) e Mobian (desenvolvimento mobile) ‣ Karine: sócia da Negócio de Mulher (Design e Marketing feminino) ‣ Fundadores do capítulo IxDA BH (Interaction Design Association) ‣ http://negociodemulher.com.br/blog @karinedrumond ‣ http://latitude14.com.br e http://mobian.com.br @lbalves Design de Interação | Karine e Leandro
  • 3. Programa ‣ Entendendo o que é design ‣ O que é e de onde vem o design de interação ‣ Marketing + design de interação ‣ Princípios, metas e leis do design de interação ‣ Design research: ‣ Técnicas de planejamento ‣ Técnicas de prototipação/design ‣ Técnicas de avaliação Design de Interação | Karine e Leandro
  • 4. Recomendação de leitura PREECE, Jennifer; ROGERS, Yvone; SHARP, Helen. Design de interação: além da interação homem-computador. Porto Alegre: Bookman, 2005. SAFFER, Dan; Designing for interaction. Berkeley, New Riders, 2010. Kuniavsky, Mike. Observing the User Experience. San Francisco, MKP, 2003. COOPER, Alan. About face 3.0 - the essentials of Interaction Design. Indianapolis: Wiley Publishing, 2009 MEMÓRIA, Felipe. Design para Internet – projetando a experiência perfeita, Rio de Janeiro: Campus/Elsevier, 2005. NORMAN, Donald. The design of everyday things, New York: Basic Books, 1988. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 6. A vida é permeada de problemas e desafios. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 7. Seu Nicolau tem 76 anos, mas é muito ativo. Gosta de fazer suas coisas sozinho, retirar a pensão no banco, visitar vizinhos... Mas nem sempre dá satisfação pra família, e não gosta de usar celular, pois acha “Muito difícil”. A família se preocupa, pois o velhinho tem pressão alta, e gostaria que o Seu Nicolau usasse um celular. Como este celular poderia ser? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 8. Que tal um iPhone pro Nicolau? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 9. melhor ≠ mais sofisticado solução simples = solução elegante Design de Interação | Karine e Leandro
  • 10. FOCO na demanda REAL. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 11. Dona Lucinha adora um cházinho com bolo de fubá, quando recebe as amigas em casa pra falar de novela. Mas a senhorinha tem artrite e ultimamente reclama muito de usar a chaleira. “É pesada meu filho, e machuca minha mão. Quase não consigo virá-la na xícara, fico com medo de me queimar.” Vamos pensar uma chaleira pra ela? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 12. OXO - Good Grips r melhor para TODOS acessibilidade pode se Maior Design de Interação | Karine e Leandro
  • 13. Mariana tem 5 anos, e queria aprender a cozinhar com a mãe. Sua mãe gostaria que a filha comesse mais legumes, mas não quer ver a filha usando facas. Quase tudo na cozinha é perigoso! “Eu queria que a menina cortasse os rabanetes, batatas, cenouras, mas é perigoso” Vamos pensar um cortador de legumes seguro e interessante? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 14. Mushroom Chopper ve mais de um problema boa solução resol Design de Interação | Karine e Leandro
  • 15. Mário tem 32 anos, trabalha em Betim, mas mora em Belo Horizonte. Todos os dias pega o transporte da empresa às 7 da manhã na Praça da Liberdade e escuta músicas no trajeto. Às vezes divide o fone com sua paquera, Ana Luiza. “Os fios do fone embolam porque são muito separados. Mas se fossem menos separados, também não ia dar pra dividir com a Aninha.” Vamos ajudar o Mário. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 16. YI | Sound Invention ção pode vir de outro lugar a solu Design de Interação | Karine e Leandro
  • 17. es para o mesmo problema existem várias soluçõ Design de Interação | Karine e Leandro
  • 18. Evolution Pillow a mais robustas que outras algum Design de Interação | Karine e Leandro
  • 19. Music Branch Headphone Splitter algumas mais simples Design de Interação | Karine e Leandro
  • 20. Luíz mudou há pouco para Belo Horizonte, e achou os preços de imóveis muito caros. Veio com mulher e dois filhos, e teve condições de financiar um pequeno imóvel de 2 quartos com 80 m2. “Precisava, na verdade, de um quarto e um escritório, pois trabalho em casa. E meus filhos também precisam de um lugar pra estudar.” Como resolver o problema do Luíz? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 21. Resource Furniture (ver vídeo) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 22. A solução para espaço pequeno não precisa ser mais espaço. Temos de identificar o problema e usar os recursos que temos. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 23. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 24. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 25. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 26. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 27. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 28. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 29. Uma solução inserida no projeto é uma Solução de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 30. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 31. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 32. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 33. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 34. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 35. mesmo o que funciona pode melhorar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 36. Para resolver bem, precisamos entender o problema... ...pensar simples... ... e pen sar sem l “Se eu perguntasse para as pessoas o que queriam, imite s. Ford me diriam cavalos mais rápidos.” -Henry Design de Interação | Karine e Leandro
  • 37. ples a princípio Pensar sim quanto mais simples, ma is fácil de ser compreendid o/usado Design de Interação | Karine e Leandro
  • 38. ior valor de USO trar onde há ma concen começar pela espinha e IT ERAR Design de Interação | Karine e Leandro
  • 39. m tecnologia... não focar e ...mas em comportamento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 40. têm em comum? O que eles Design de Interação | Karine e Leandro
  • 41. ign! desDesign de Interação | Karine e Leandro
  • 42. todo mundo é designer! Design de Interação | Karine e Leandro
  • 43. Design = Projeto Design de Interação | Karine e Leandro
  • 44. Produto nasce do conhecimento negócio destes 3 elementos pessoas tecnologia Design de Interação | Karine e Leandro
  • 45. r Qual é o melho aminho para criar ões? c soluç Design de Interação | Karine e Leandro
  • 46. sorte... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 47. sorte... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 48. ...ou tática/metodologia Design de Interação | Karine e Leandro
  • 49. ...ou tática/metodologia Design de Interação | Karine e Leandro
  • 50. sorte 0,00001% ... 50% metodologia ...15%, 25%, 40%, 70%... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 51. METODOLOGIA DE DESIGN ot n/ ão a o çã uis ot ig aç pr des ipa sq lid pe va Design de Interação | Karine e Leandro
  • 52. UM POUCO DE HISTÓRIA Design de Interação | Karine e Leandro
  • 53. 1986 | Design Centrado no Usuário (DCU) Design Centrado no Usuário (DCU) é o campo de estudo que reúne metodologias de design nos quais o público-alvo de um produto ou serviço influencia as diretrizes e requisitos do sistema. Termo cunhado por Norman enquanto trabalhava como pesquisador na Universidade California San Diego (UCSD), no artigo User-Centered System Design: New Perspectives on Human-Computer Interaction (Norman & Draper, 1986) e popularizado em 1988 no popular Psychology of everyday things (mais tarde rebatizado como The design of everyday things). Design de Interação | Karine e Leandro
  • 54. Design Centrado no Usuário (DCU) “…é uma filosofia baseada nas necessidades e interesses do usuário, com ênfase em fazer produtos usáveis e inteligíveis.” – Donald Norman “A filosofia por trás do Design Centrado no Usuário é simplesmente esta: O usuário sabe mais. Pessoas que utilizarão um produto ou serviço sabem de suas necessidades, metas e preferências, e é papel do designer descobrir isto e projetar para eles.” – Dan Saffer “...é uma abordagem ao design que fundamenta o processo em informações sobre as pessoas que usarão o produto. Processos de UCD focam em usuários através de planejamento, design e desenvolvimento do produto.” – Usability Professionals Association (UPA) “...é um estabelecido processo usado pela IBM e muitas outras organizações para prover produtos que atendam as expectativas dos usuários.” – IBM “...é focar o design no usuário, simples assim.” – Peter J. Bogaards Design de Interação | Karine e Leandro
  • 55. abordagem DCU Planejamento Design Validação Pós-lançamento usuário Design Centrado no Usuário Design de Interação | Karine e Leandro
  • 56. Design Centrado no Usuário (DCU) USUÁRIOS devemos perguntá-los como fazer nosso trabalho? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 57. Design Centrado no Usuário (DCU) a princípio , NÃO Design de Interação | Karine e Leandro
  • 58. Design Centrado no Usuário (DCU) Devemos identificar seus padrões de comportamento e projetarmos soluções adequadas. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 59. 1990 | Design de Interação Bill Morgride, diretor da IDEO, sintetizou no livro Designing for Interactions uma série de metodologias de design + comunicação usadas e aprimoradas na empresa para a elaboração de produtos úteis e usáveis. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 60. Espaço do Design de Interação Este campo multidisciplinar centraliza e integra as diversas áreas de conhecimento relacionadas a interação entre artefato / usuários Design de Interação | Karine e Leandro
  • 61. POR QUE DESIGN DE INTERAÇÃO ? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 62. PORQUE O MARKETING NÃO FUNCIONA MAIS(sozinho) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 63. Por que Design de Interação? Projetar dispositivos e interfaces usáveis vai além de evitar erros: um projeto bem pesquisado, planejado, desenvolvido e testado pode agregar valor ao uso, negócio ou mesmo mudar totalmente a natureza do produto/sistema para outra melhor e mais adequada. “...Design de Interação não é apenas sobre corrigir problemas; diz respeito a facilitar interações entre pessoas de uma maneira mais rica, profunda e melhor - ou seja, encontrar novas formas de melhor conectar as pessoas e tornar o mundo um lugar melhor.” -Dan Saffer Design de Interação | Karine e Leandro
  • 64. 1) MARKETING TRADICIONAL Design de Interação | Karine e Leandro
  • 65. Produtor eting mark de mix consumidor alvo público- Design de Interação | Karine e Leandro
  • 66. http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 67. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 68. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 69. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 70. valor agregado Design de Interação | Karine e Leandro
  • 71. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 72. 2) MARKETING 2.0 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 73. “A revolução não acontece quando a sociedade adota novas ferramentas. Acontece quando a sociedade adota novos comportamentos” -Clay Shirky (New York Times) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 74. Mídias Sociais tomaram o lugar da pornografia como conteúdo mais acessado da Internet. 1/8 dos casais se formam em mídias sociais nos EUA http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 75. 50% da população está abaixo dos 30 anos. 96% dessas pessoas já estão em mídias sociais. http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 76. facebook ultrapassou o Google no tráfego semanal nos EUA. http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 77. 78% dos consumidores confiam mais em recomendações pessoais. Apenas 14% confiam em propagandas http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 78. 1/3 dos brasileiros fora das redes sociais pretende participar de alguma em breve http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 79. 2/3 usam a rede há mais de 3 anos http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 80. 273 amigos em média nas redes sociais. Em BH, 13% tem mais de 700 amigos! http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 81. 60% pensam que as redes oferecem toda a informação que precisam. http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 82. 45% consideram que as redes sociais substituem os portais de notícias http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 83. 80% das pessoas nas redes aceitam tranquilamente receber divulgação, comunicações e serem avaliadas por empresas http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 84. twitter é 8.000x mais eficaz que Procon Design de Interação | Karine e Leandro
  • 85. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 86. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 87. compartilhar > criar Design de Interação | Karine e Leandro
  • 88. Produtor consumidor consumidor consumidor Design de Interação | Karine e Leandro
  • 89. http://www.slideshare.net/Inmetaweb/mercado-das-mdias-sociais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 90. 3) DESIGN (DE INTERAÇÃO) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 91. Relembrando... 1990 | Design de Interação Bill Moggridge, diretor da IDEO, sintetizou no livro Designing for Interactions uma série de metodologias de design + comunicação usadas e aprimoradas na empresa para a elaboração de produtos úteis e usáveis. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 92. Outras definições... ‣ “Criar experiências que melhorem e estendam a maneira como as pessoas trabalham, se comunicam e interagem.” Winograd, 1999 ‣ “Design de interação define a estrutura e o comportamento de produtos e serviços interativos e suas interações com usuários.” Interaction Design Association (IxDA), 2004 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 93. Outras definições... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 94. Designer + Marketing usuário/ usuário/ usuário/ consumidor consumidor consumidor Design de Interação | Karine e Leandro
  • 95. Como se faz DI? ot n/ ão a o çã uis ot ig aç pr des ipa sq lid pe va Design de Interação | Karine e Leandro
  • 96. Como se faz DI? Pesquisar: identificar requisitos a uis (usuários, tarefas, contexto) sq pe Criar soluções alternativas que ot n/ o çã ot ig pr des ipa atendam aos requisitos identificados. Validar as soluções criadas com os usuários. ão aç lid va Design de Interação | Karine e Leandro
  • 97. Principais técnicas Story Prototipação Teste dos 5 Card sorting segundo mapping em papel Utilidade Pesquisa em campo Pesquisa Design/ Análise de Validação satisfação Prototipação Entrevistas Teste de usabilidade Análise de Benchmarking tarefas Análise Wireframes Heurística Design de Interação | Karine e Leandro
  • 98. pes quis a Pesquisa pa ra desenvolv imento do novo Desk Metric s ine Luiza nça de ve ndas do Magaz Card Sorting com a lidera Design de Interação | Karine e Leandro
  • 99. desi prot gn/ otip açã o Design de Interação | Karine e Leandro
  • 100. valida ção OR FIA T ISV e-l earning Av aliando Design de Interação | Karine e Leandro
  • 101. Case - Aquaduct O problema: Bilhões de pessoas não tem acesso a agua limpa. Crianças morrem por causa de doenças de saneamento básico. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 102. Case - Aquaduct Design de Interação | Karine e Leandro
  • 103. Case - Aquaduct Design de Interação | Karine e Leandro
  • 104. Case - Aquaduct Design de Interação | Karine e Leandro
  • 105. Case - Aquaduct Design de Interação | Karine e Leandro
  • 106. Service design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 107. Service design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 108. UX Design de Interação | Karine e Leandro
  • 109. UX Design de Interação | Karine e Leandro
  • 110. Marketing Indireto $389.400.000.000,00 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 111. ROWE Design de Interação | Karine e Leandro
  • 112. comportamento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 113. contexto Design de Interação | Karine e Leandro
  • 114. ssibilidade ace Design de Interação | Karine e Leandro
  • 115. tipo do protó t wit ter! Design de Interação | Karine e Leandro
  • 116. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 117. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 118. iteração Design de Interação | Karine e Leandro
  • 119. $300.000.000,00 "I'm not here to be in a relationship" Design de Interação | Karine e Leandro
  • 120. quem é sério investe nesta abordagem Design de Interação | Karine e Leandro
  • 121. quem é sério investe nesta abordagem laboratório de UX da globo.com Design de Interação | Karine e Leandro
  • 122. quem é sério investe nesta abordagem centro de design da ASUS Design de Interação | Karine e Leandro
  • 123. Design Marketing usuários público-alvo comportamento de uso hábitos de consumo valor de uso valor agregado Design de Interação | Karine e Leandro
  • 124. Marketing + Design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 125. Como saber o quê e como projetar? vs Design de Interação | Karine e Leandro
  • 126. Metas do design de interação Em quê devemos focar num projeto? Ex.: facilidade de uso ou estética? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 127. Metas do design de interação Design de Interação | Karine e Leandro
  • 128. Metas do design de interação Visam nortear o projeto de design de interação e variam conforme o produto. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 129. Metas do design de interação divertido emocionalmente adequado satisfatório eficiente compensador seguro eficaz Metas do agradável Design de fácil inspirador Interação memorizar fácil lembrar útil interessante esteticamente apreciável proveitoso motivador Design de Interação | Karine e Leandro
  • 130. Metas – Eficácia Eficácia se refere a quão bem uma ferramenta auxilia na realização de uma atividade proposta, em um contexto de uso. É uma característica analógica, em escala. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 131. Metas – Eficácia Qual é mais eficaz? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 132. Metas – Eficácia Depende. Pra quê e para quem? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 133. Metas – Eficiência Quanto uma ferramenta auxilia na economia de recursos para a realização de uma atividade proposta, em um contexto de uso. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 134. Metas – Eficiência Eficiência = economia de recursos Design de Interação | Karine e Leandro
  • 135. Metas – Eficiência recursos podem ser medidos em tempo, cliques... se traduzem em trabalho/custo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 136. Metas – Eficácia X Eficiência eficácia - fazer melhor eficiência - produtividade Design de Interação | Karine e Leandro
  • 137. Metas – Segurança Segurança se refere a prevenção e recuperação de erros. Deve ser perceptível, transparente. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 138. Metas – Segurança Física Design de Interação | Karine e Leandro
  • 139. Metas – Segurança Interface Design de Interação | Karine e Leandro
  • 140. Metas – Segurança Prevenção de erros Design de Interação | Karine e Leandro
  • 141. Metas – Segurança Prevenção de erros, transparente. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 142. Metas – Segurança Segurança percebida Design de Interação | Karine e Leandro
  • 143. Metas – Facilidade de aprendizado Clareza na interface, compreensão das funcionalidades metáforas e modelos mentais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 144. Metas – Facilidade de lembrar como se usar Design de Interação | Karine e Leandro
  • 145. Metas – Facilidade de lembrar como se usar Interface profissional, especialista Design de Interação | Karine e Leandro
  • 146. Metas – Utilidade Water Reminder Design de Interação | Karine e Leandro
  • 147. Metas – Utilidade Water Your Body Design de Interação | Karine e Leandro
  • 148. Metas – Utilidade Ferramenta sem foco Pra que serve? Elevator pitch, Twitter pitch! Design de Interação | Karine e Leandro
  • 149. Metas da experiência do usuário divertido emocionalmente adequado satisfatório eficiente compensador eficaz seguro agradável Metas do Design de inspirador Interação fácil fácil lembrar memorizar interessante útil esteticamente apreciável proveitoso motivador Design de Interação | Karine e Leandro
  • 150. Metas da experiência do usuário divertido emocionalmente adequado satisfatório eficiente compensador eficaz seguro agradável Metas do Design de inspirador Interação fácil fácil lembrar memorizar interessante útil esteticamente apreciável proveitoso motivador Design de Interação | Karine e Leandro
  • 151. Metas da experiência do usuário divertido emocionalmente adequado satisfatório eficiente compensador eficaz seguro agradável Metas do Design de inspirador Interação fácil fácil lembrar memorizar interessante útil esteticamente apreciável proveitoso motivador Design de Interação | Karine e Leandro
  • 152. Metas da experiência do usuário divertido emocionalmente adequado satisfatório eficiente compensador eficaz seguro agradável Metas do Design de inspirador Interação fácil fácil lembrar memorizar interessante útil esteticamente apreciável proveitoso motivador Design de Interação | Karine e Leandro
  • 153. Princípios de design Visibilidade São características que Feedback tornam os produtos Restrições Mapeamento mais fáceis de usar. Consistência Affordance Design de Interação | Karine e Leandro
  • 154. 1. Visibilidade Oferecer informações sobre o estado do sistema para tomada de decisão e compreensão. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 155. 2. Feedback Oferecer retorno sobre as ações dos usuários: Visual Tátil Aural Combinado Design de Interação | Karine e Leandro
  • 156. 2. Feedback Design de Interação | Karine e Leandro
  • 157. 3. Restrições Restrições lógicas Exploram o bom senso das pessoas a respeito de como o mundo funciona. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 158. 3. Restrições Restrições físicas Se referem à maneira como os objetos restringem mecanicamente. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 159. 3. Restrições Restrições culturais Convenções aprendidas – universais ou específicas de culturas diferentes. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 160. 4. Mapeamento Criar uma relação entre o controle e seu efeito. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 161. 4. Mapeamento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 162. 4. Mapeamento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 163. 5. Consistência Interações semelhantes, elementos semelhantes. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 164. 5. Consistência Design de Interação | Karine e Leandro
  • 165. 6. Affordance O designer deve dar uma “dica” de como interagir. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 166. 6. Affordance Design de Interação | Karine e Leandro
  • 167. 6. Affordance Design de Interação | Karine e Leandro
  • 168. 6. Affordance Design de Interação | Karine e Leandro
  • 169. Leis do Design de Interação Lei de Fitts O tempo gasto para se mover de um ponto inicial para outro é proporcional ao tamanho do alvo e sua distância. Significa que... Elementos de uma interface devem possuir um tamanho adequado a sua importância. Elementos relacionados devem se posicionar em um contexto de uso coerente. Paul Fitts, psicólogo - 1954 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 170. Leis do Design de Interação Lei de Hicks O tempo que leva para uma pessoa tomar uma decisão é proporcional ao número das escolhas possíveis. Significa que... Usuários encontram a informação separando-as em blocos e eliminando a metade a cada etapa do processo. Desconsiderando outras decisões de design, seria mais simples encontrar um atalho em um grupo de 10 do que em dois de 5. Devemos ser criteriosos na categorização de conteúdos. William Edmund Hick, psicólogo - 1983 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 171. Leis do Design de Interação Lei de Miller (complementar à lei de Hicks) A memória de curta duração humana registra 7 informações em média, variando em torno de 2 para cima ou para baixo. Significa que... Não é uma regra rígida, mas uma orientação. Interfaces devem ser projetadas no intuito de minimizar a sobrecarga cognitiva. Por exemplo, não devemos criar interações que forcem usuários a memorizar elementos estranhos em telas diferentes. George Miller, psicólogo - 1956 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 172. Leis do Design de Interação Lei de Moore O número de transistores dos chips terá um aumento de 100%, pelo mesmo custo, a cada período de 18 meses. Significa que... A tecnologia evolui rapidamente. Devemos nos adequar a mudança de paradigmas tecnológicos. Novos dispositivos, novas formas de interagir, novas possibilidades! Gordon Moore, co-fundador da Intel - 1965 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 173. TO DO DONE EM GRUPO! finir: os cole gas e de Disc utir com , etc) site (a plicativo 1) O que é o solve problem a ele re 2) Que co-alvo 3) Qua l o públi ntes são os concorre 4) Quem Design de Interação | Karine e Leandro
  • 174. recapitulando.. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 175. Ciclo de vida do produto ot n/ ão a o çã uis ot ig aç pr des ipa sq lid pe va Design de Interação | Karine e Leandro
  • 176. Ciclo de vida do produto jam a/ to ne uis en pla sq pe Validar e descobrir novas DEMANDAS Design de Interação | Karine e Leandro
  • 177. Pesquisa é minerar dados e colher informações. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 178. ( Dados vs. Informações ) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 179. ( “Possuímos 6 mil cadastros femininos.” Isso é um dado. ) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 180. ( 6 mil fem / 3 mil masc = 2/3 fem Isso é um informação. ) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 181. ( Informação são dados tratados. ) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 182. Informações Ajudam a evitar problemas clássicos de escopo de projeto Design de Interação | Karine e Leandro
  • 183. Não há receita de bolo, mas princípios. 1. Desenvolvedor ≠ usuário 2. Dados ≠ informações 3. Mais informação = menor chance de insucesso 4. Arquétipo ≠ clichê Design de Interação | Karine e Leandro
  • 184. O usuário elástico “Quem vai usar isso? - Todo Mundo!” usuário avançado / usuário iniciante ≠ usuário real Design de Interação | Karine e Leandro
  • 185. Para evitar dor de cabeça.. jam a/ to ne uis en pla sq pe Design de Interação | Karine e Leandro
  • 186. Algumas técnicas de pesquisa: ‣ Avaliação do SAC, feedback, ‣ Análise métrica, ‣ Benchmarking, ‣ Etnografia online, ‣ Entrevistas, ‣ Questionários, ‣ etc... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 187. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 188. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 189. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 190. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 191. Entrevistas explorando a campo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 192. Entrevistas explorando a campo Podem ser pensadas como uma conversação com um propósito. (Kahn e Cannel, “The dynamics of interviewing”, 1957) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 193. Entrevistas explorando a campo Dividem em 4 tipos 1. Não estruturadas (open ended. escopo aberto) 2. Estruturadas (escopo fechado) 3. Semi-estruturadas (adaptáveis) 4. Focus group - (Conduzida por tópicos) quanto + exploratórias, + aberto o escopo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 194. Entrevistas explorando a campo Regrinhas de ouro - antes 1. Elabore um roteiro 2. Prepare um termo de confidencialidade e consentimento 3. Certifique se tudo está impresso antes de começar 4. Verifique e teste equipamento de gravação (Robson, “Real World Research”, 1993) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 195. Entrevistas explorando a campo Teste piloto - antes Realize a entrevista para validar perguntas, estrutura, tempo. Adapte e refaça o teste piloto se necessário. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 196. Entrevistas explorando a campo Regrinhas de ouro - durante 1. SIGA o roteiro! 2. Vista e comporte +/- como o entrevistado 3. Apresente-se cordialmente 4.Explique o objetivo da pesquisa 5.Peça que assine os termos (confidencialidade e consentimento) continua... > Design de Interação | Karine e Leandro
  • 197. Entrevistas explorando a campo Regrinhas de ouro - durante 6. Avise então que começará a gravar 7. Informe que o participante pode desistir a qualquer momento 8. Inicie a gravação. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 198. Entrevistas explorando a campo Regrinhas de ouro - depois Agradeça ao participante e pergunte se há algo que ele gostaria de acrescentar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 199. Chame o entrevistado pelo nome. E comece por perguntas fáceis, mesmo que você saiba a resposta. #1 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 200. Vamos começar? Qual o maior constrangimento profissional que você já passou na sua vida? #1 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 201. Então Camila, você fez alguma viagem recentemente? #1 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 202. Evite perguntas longas! Treine seu poder de síntese e clareza. #2 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 203. Na atual conjuntura sócio-econômica e política do Brasil contemporâneo, qual sua perspectiva acerca da realidade singular musical do proto- gueto das comunidades cariocas? #2 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 204. O que você acha do samba-de- roda tradicional carioca? #2 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 205. Evite sentenças compostas difíceis de entender e de anotar as respostas #3 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 206. O que você acha deste tipo de portal de notícias, e comparado a outros tipos de portais? #3 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 207. O que você acha deste portal de notícias? #3 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 208. E comparado a outros tipos de portais? #3 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 209. Evite jargões e termos técnicos que o entrevistado pode desconhecer e não admitir por constrangimento #4 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 210. O que você pensa sobre uma StartUp realizar Pivot tecnológico antes do lançamento de seu MVP? #4 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 211. O que você acha sobre uma empresa mudar o foco do seu produto antes de lançá-lo? #4 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 212. Evite tendenciamento e suposições. Tenha bom-senso. Busque sempre a neutralidade em seu tom e suas palavras. #5 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 213. Quais as coisas que você mais gosta nessa área do portal? #5 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 214. O que você acha desta área do portal? #5 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 215. Busque uma consistência narrativa A ordem das perguntas influencia as respostas #6 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 216. #6 Qual sua pretenção salarial para daqui a 2 anos? 8 mil. Você fuma!? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 217. Entrevistas explorando a campo Entrevistas não ou semi-estruturadas 1. Tenha um objetivo claro, uma agenda 2. Estruture os temas que precisa abordar em tópicos Design de Interação | Karine e Leandro
  • 218. Entrevistas explorando a campo Entrevistas não ou semi-estruturadas vantagens desvantagens geram dados ricos exigem mais experiência levam a descobertas disruptivas levam tempo pra serem analisadas (dados desestruturados) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 219. Entrevistas explorando a campo Focus Group (entrevistas em grupo) 1. De 3 a 10 participantes, representativos dos grupos em estudo 2. Um orientador dirige os tópicos de discussão Design de Interação | Karine e Leandro
  • 220. Entrevistas explorando a campo Focus Group (entrevistas em grupo) vantagens desvantagens Explora o contexto social e a O Lead user pode ser um problema interação entre os envolvidos (ambiente, contexto) É prático para validar uma ideia O recrutamento é complicado, já com um grupo de mercado. que a agenda de muitos é considerada Design de Interação | Karine e Leandro
  • 221. Questionários validando hipóteses Design de Interação | Karine e Leandro
  • 222. Questionários Validando hipóteses oferecem quase sempre opções fechadas de respostas + quanto objetivo, + fechado o escopo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 223. Questionários Validando hipóteses Vantagens 1. São mais fáceis de serem analisados 2. Podem abranger um maior número de questões, por serem mais objetivos 3. São replicados com maior facilidade Design de Interação | Karine e Leandro
  • 224. Questionários Validando hipóteses Vantagens 4. Ajudam a definir subgrupos (Ex: grupo internautas. Qual subgrupo? Experiente, intermediário ou iniciante?) 5. Podem ser projetados com variações para cada grupo específico 6. Questionários longos podem ser subdivididos em partes para facilitar preenchimento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 225. Questionários Validando hipóteses Cuidado com as faixas de respostas! Podem se sobrepor Podem faltar a)10-20 a)500 e 1 mil b)20-30 b)2 e 3 mil c) 30-40 c) 4 e 5 mil d) 40-50 d) Acima de 6 mil Design de Interação | Karine e Leandro
  • 226. Questionários Validando hipóteses Cuidado com as faixas de respostas! Design de Interação | Karine e Leandro
  • 227. Questionários Validando hipóteses Respostas também podem ser binárias... 1.sim/não 2.curti/não curti Design de Interação | Karine e Leandro
  • 228. Questionários Validando hipóteses ...ou em escalas. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 229. Questionários Validando hipóteses Cuidados com questionários Evite respostas com escalas negativas Qual sua nota para o sorvete de Pistache? a) -2 b) -1 c) 0 d) 1 e) 2 Design de Interação | Karine e Leandro
  • 230. Questionários Validando hipóteses Escala Likert Afirmativas curtas seguidas de uma escala bipolar de respostas graduais. 1. Gosto do meu cereal ao leite bem crocante pela manhã. a) Concordo plenamente b) Concordo c) Não concordo nem discordo d) Discordo e) Discordo plenamente Design de Interação | Karine e Leandro
  • 231. Questionários Validando hipóteses Escala Likert Use número par se quiser forçar um posicionamento 1. Gosto do meu cereal ao leite bem crocante pela manhã. a) Concordo plenamente b) Concordo c) Discordo d) Discordo plenamente Design de Interação | Karine e Leandro
  • 232. Questionários Validando hipóteses Escala Likert Use o mesmo número de afirmações positivas e negativas. Se vai misturá-las ou agrupá-las, é seu critério, e as opiniões são divididas entre os autores sobre isto. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 233. Questionários Validando hipóteses Escala de diferencial semântico Menos utilizada que as escalas likert, utilizam adjetivos opostos, normalmente em uma grade. O usuário deve marcar a posição que melhor representa sua opinião para cada item. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 234. Interpretando dados 1. Procure padrões e tendências 2. Para menos de 60 participantes, respostas com número reais. Para mais, porcentagens. 3. Para interpretar entrevistas, é ideal manter alguma métrica ou código Design de Interação | Karine e Leandro
  • 235. Questionários Ciclo de vida do produto e rking entrevistas chma Ben ot n/ o ão a çã ot ig uis pr des aç ipa sq lid pe personas va Design de Interação | Karine e Leandro
  • 236. • Karine Drumond ‣ www.negociodemulher.com.br/blog ‣ karine@negociodemulher.com.br • Leandro Alves ‣ www.uxp.com.br ‣ lbalves@latitude14.com.br Design de Interação | Karine e Leandro