SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 113
Baixar para ler offline
Design de Interação
Karine Drumond e Leandro Alves




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Técnica de modelagem
personas ágeis


                       Design de Interação | Karine e Leandro
Personas são modelos
descritivos de usuários.

               Design de Interação | Karine e Leandro
exemplo de persona tradicional
                   Design de Interação | Karine e Leandro
Alguma coisa é melhor que coisa-alguma
Minimize esforços. Levante informações através de etnografia digital,

   análise métrica, benchmarking ou conversas com stakeholders.




                                            Design de Interação | Karine e Leandro
Uma Persona Ágil é uma exploração breve sobre
         o que sabemos dos usuários.

              Pragmática - Patton
               Provisória - Cooper
              Guerrilha - Kuniavsky
                Ad-Hoc - Norman
                 Ágil - Cardoso


                                  Design de Interação | Karine e Leandro
São ferramentas simples e poderosas para
 melhorar a visibilidade, compreensão e a
       comunicação de informações.

                           Design de Interação | Karine e Leandro
Boas personas destacam características
  relevantes das menos relevantes.

  Evidenciam informações, não apenas dados.




                             Design de Interação | Karine e Leandro
"Uma Persona é uma pessoa artificial, inventada para ajudar um
     designer entender as pessoas que usarão seu produto.”
                                  - Norman, Persona Life Cycle




                                       Design de Interação | Karine e Leandro
1. Não são estereótipos


2. Não são segmentos de mercado:


    MKT = venda / Design = uso


                             Design de Interação | Karine e Leandro
Por que modelar personas?
1. Modelamos para discutir o que sabemos e o que não sobre usuários (Informações).

2. Modelamos para mapear melhor sua experiência (UX).

3. Personas servem para agregar um enfoque empático ao projeto (❤).




                                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Quando aplicar Personas?
1. Na definição de requisitos (principalmente para produtos de contextos
  diferentes, desconhecidos. ex: hospital, bombeiros, polícia)

2. Durante brainstormings, reuniões

3. Ao planejar funcionalidades




                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Como criar personas


            Design de Interação | Karine e Leandro
1o passo: Determinar tipos de usuários




                        Design de Interação | Karine e Leandro
1o passo: Determinar tipos de usuários


                     ZAGAT
                     Site que oferece reviews de mais de 50 mil
                     restaurantes em 100 países.

                     Estão investindo em aplicações mobile.

                     Quais os tipos de usuários desse sistema?




                           Design de Interação | Karine e Leandro
1o passo: Determinar tipos de usuários
   (Uma boa ideia é focar em papéis)

   1. Gourmets,

   2.Viajantes,

   3.Namorados...




                                       Design de Interação | Karine e Leandro
2o passo: Listar características de cada tipo
1. Demográficas: Idade, sexo, classe social, onde vivem, cultura, formação, profissão...


2. Tecnológicas: Quais são suas habilidades? Uso mais frequente? Hardware, conexão?


3. Contexto de uso: Onde usaria (casa, escritório, metrô..)? Que horas, por quanto tempo?


4. Estilo de vida: Valores, atitudes. O que procuram? Diversão, rapidez, desafio, conforto... Quais
   são seus hobbies? O que detesta, o tira do sério ou incomoda?




                                                               Design de Interação | Karine e Leandro
2o passo: Listar características de cada tipo
5. Necessidades: diretas e periféricas (mas importantes. ex: segurança no metrô)


6. Desejos: o que eles querem, não o que dizem que querem. (Gladwell, spaghetti sauce)


7. Conhecimento: Na área relacionada, cultura geral. Novatos? Experts? Curiosos?


8. Lealdade: Frequência de uso, compromisso (software sazonal, apple vs android...).


9. Dê um nome, um rosto, uma frase emblemática:




                                                              Design de Interação | Karine e Leandro
2o passo: Listar características de cada tipo




Roberto, 42 anos, Jornalista   Saulinho, 22 anos, cursa Letras          Júlia, 16 anos, estudante, twiteira
                               Mochileiro sazonal




                                                                 Design de Interação | Karine e Leandro
3o passo: Determinar usuário(s) focal(is) (patton) ou primário(s) (cooper)


 1. "É um usuário que deve ser atendido e não seria com uma interface projetada para
    outra pessoa." (Cooper)


 2. Todo sistema tem ao menos 1


 3. Se identificamos mais de 1, temos mais de uma interface. Se identificarmos mais de 3,
    temos um problema. (citar ML)




                                                         Design de Interação | Karine e Leandro
3o passo: Determinar usuários focais (patton) ou primários (cooper)




                                  zo rio
                                      l
     al




                                sa uá
                                    na
  foc




                                  us




                                                                                                     a
                                                                                                   ag
                                                                                                 op
                                                                                               nã
Roberto, 42 anos, Jornalista   Saulinho, 22 anos, cursa Letras          Júlia, 16 anos, estudante, twiteira
                               Mochileiro sazonal




                                                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Sugestão de Patton
Nome, Idade       Papel


                  descrição, frase emblemática




Necessidades no   Tarefas no sistema para necessidades
mundo real




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO             DONE




EM GRUPO!
                                produto
                      para seu
             personas
    Criar 3
1)                      o focal
           er uma com
 2) Escolh                 o de 5’
           ar apre sentaçã
  3) Mont




                                             Design de Interação | Karine e Leandro
Personas ágeis
1o passo: Determinar tipos de usuários


2o passo: Listar características de cada tipo


3o passo: Determinar usuários focais




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários Ciclo de vida do produto
                             e
       rking   entrevistas
   chma
Ben




                      ot n/
                             o


                                          ão
             a


                           çã
                    ot ig
          uis

                  pr des




                                        aç
                        ipa
        sq




                                     lid
      pe




                                   va
                      nas prototipação
                 perso
                                   Design de Interação | Karine e Leandro
Prototipação
quebrando ovos para fazer omeletes

           Design de Interação | Karine e Leandro
Protótipo ~ modelo
          =


            Design de Interação | Karine e Leandro
lembrando...




São ferramentas simples e poderosas para
 melhorar a visibilidade, compreensão e a
       comunicação de informações.

                           Design de Interação | Karine e Leandro
Podem ser de baixa ou alta resolução
Baixa: Para explorar ideias, conceitos, fluxos

Alta: para validar decisões pontuais




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
“Devemos criar exatamente quanta
documentação necessitamos para executar
bem um projeto, e não mais.”
                           -Dan Saffer




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Nós               ❤         PAPEL!
• Nada digital é mais rápido, flexível e fácil de prototipar
• Não requer habilidades específicas
• É mais barato e colaborativo;
• Variedade = possibilidades: Diferentes cores, tamanhos,
 texturas, adesivos...

• Tamanho é documento (difícil ter um monitor do
 tamanho de uma cartolina)

• Estimula desapego
• Reciclável, divertido, estimula a equipe

                                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Cenário
 “São protótipos feitos de palavras”

• Os protagonistas são as PERSONAS
• Devem refletir comportamento no sistema
• Uma boa prática é passar diferentes personas pelo mesmo cenário
• Um bom cenário é imaginar o primeiro uso




                                               Design de Interação | Karine e Leandro
Cenário
Uma imagem vale mil palavras.
Mas as palavras certas podem valer algumas boas imagens.



Lúcia Maria loga em sua conta Sacolao.com. Vê seu pedido da semana
passada e decide usá-lo de novo para esta semana. Remove alguns itens
arrastando-os de sua Cestinha®, e o valor ajusta automaticamente.
Satisfeita com a compra, clica no botão Entrega rápida e confirma o
débito em seu cartão de crédito previamente salvo. A tela de
confirmação informa para esperar a entrega nas próximas 2 horas.




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO            DONE



       PO!
EM GRU                 rimeiro
                                uso ou
                rio (p
Criar  um cená                  em sua
              e) e a   plicá-lo
 tare fa chav
           Focal.
  Persona




                                         Design de Interação | Karine e Leandro
Storyboards

       Design de Interação | Karine e Leandro
Storyboards
Técnica da publicidade, HQs e cinema, que ilustra interações
                          complexas




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Storyboards
• Imagens + legendas
• Ilustram fluxos, momentos chave
• Casos de uso
• Mostram ambientes e contextos
• Complementam wireframes

                                    Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO    DONE




         O!
E M GRUP
                        para o
               yboard
Criar um stor
         criado.
 cenário




                                 Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
  diagrama de fluxo
• Fluxos são tão importantes quanto telas
• Representam as possibilidades de navegação no sistema




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
diagrama de fluxo




                    Design de Interação | Karine e Leandro
FFFFFFFF
FFFFFFFF
FFFFFFFF
UUUUUUU
    Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
diagrama de fluxo

Fluxos são interações de um indivíduo, elementos / escolhas




                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
diagrama de fluxo

Exemplo: Adicionando um item na TO-DO do Basecamp.




                                   Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
diagrama de fluxo
• É rápido de fazer e simples de enxergar.




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Task flows
                                  diagrama de fluxo



Estrutura
 •   Barra separa a interface da ação
 •   Barra pontilhada separa as opções para mesma interface
 •   Setas vão da ação para a nova interface
 •   Se a interface for fora de escopo, fica sem ação


                                        Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO             DONE




         RUP      O!
E M SUBG                         ipal (e
                   tare fa princ
definir  fluxo da
                               erando
              r temp o) consid
 ma is, se de
                uso.
 os c  asos de




                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Rascunhos

      Design de Interação | Karine e Leandro
Rascunhos
• Ideias primárias, generalistas, fluxos.
• São feios! estimulam a discussão sobre função e uso




                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes

      Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes
protótipos estruturais do sistema




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes
protótipos estruturais do sistema
Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos
 técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do
             design visual (branding, layout)




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes
  protótipos estruturais do sistema
 Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos
  técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do
              design visual (branding, layout)

Podem ser usados para validar ideias

                                      Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes
  protótipos estruturais do sistema
  Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos
   técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do
               design visual (branding, layout)

Podem ser usados para validar ideias
Podem ser usados para testes com usuários

                                       Design de Interação | Karine e Leandro
Wireframes
Substituem documentos mais burocráticos, são
especificações visuais comprometidas com:


   • Estrutura
   • Arquitetura da informação
   • Controles (padrões de interação)
   • Conteúdo


                                    Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
papel=desapego
                 Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Prototipando e testando low fi
http://www.youtube.com/watch?v=k9mTvt0LXgk




                              Design de Interação | Karine e Leandro
wireouts




           Design de Interação | Karine e Leandro
layouts




          Design de Interação | Karine e Leandro
EM
         GRU
   Prot        PO!
        o
  rasc tipar e
      unho         m
            s, ou cima
tem                refin dos
    po: r               á-lo
          esto              s
                da a
                      ula


                                      s
                        á gil, podemo
            que isso é
   Lembrem      f oi decidido.
      dar o que
               CAOS!
   mu
    ID EAÇÃO =     Design de Interação | Karine e Leandro
Design de Interação | Karine e Leandro
Questionários Ciclo de vida do produto
                             e
       rking   entrevistas
   chma
Ben




                      ot n/
                             o


                                         ão
             a


                           çã
                    ot ig
          uis

                  pr des




                                       aç
                        ipa
        sq




                                    lid
      pe




                                  va
                      nas prototipação estes
                 perso                 t
                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Teste com usuários




             Design de Interação | Karine e Leandro
Teste de usabilidade
‣ Observação de usuários realizando tarefas
 importantes no produto para entender padrão de
 uso e problemas no produto.




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
Pra que serve?
‣ Avaliar o entendimento da interface e dos fluxos projetados


‣ Identificar pontos críticos da interação (ruídos, dúvidas, rupturas)


‣ Comparar desempenho em produtos diferentes (benchmark/concorrência)




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Tipos de testes




‣ Teste em campo (menos formal)   ‣ Teste em laboratório
                                    (mais controlado)



                                        Design de Interação | Karine e Leandro
Tipos de testes




                  Design de Interação | Karine e Leandro
Tipos de testes
‣ Em laboratório (mais formal)

 + permite maior controle dos dados e variáveis
 + mais fácil de envolver o cliente
 – usuário pode se sentir mais desconfortável
 – mais distante do contexto de uso real

‣ Em campo (ambiente natural)

 + usuário se sente mais à vontade
 + mais próximo do contexto de uso real
 – menor controle dos dados e variáveis
 – dificuldade de envolver o cliente




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
Tipos de testes
‣ Laboratório é ideal para:

  ‣ produção acadêmica (rigor científico para teses, artigos
    e dissertações)
  ‣ medição de performance (tempo, número de erros etc.)
  ‣ estudos permanentes com equipe dedicada (ex.: Nokia,
    Globo etc.)

‣ Avaliação em campo é ideal para:

  ‣   obter feedback rápido dos usuários
  ‣   usabilidade em equipes ágeis de desenvolvimento
  ‣   custo baixo é prioridade
  ‣   testar conceitos e interfaces em fases iniciais de design



                                                    Design de Interação | Karine e Leandro
O que testar?




‣ Teste em protótipo em papel:   ‣ Teste em produto final.
 Servem para testar conceitos     Avaliar eficiência, satisfação,
 e fluxos.                         compreensão etc.



                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Etapas
1.Planejamento

2.Recrutamento

3.Aplicação

4.Análise




                 Design de Interação | Karine e Leandro
Planejamento
1. determinar metas e objetivos do teste
2. escolher o que medir (tempo, compreensão, satisfação etc)
3. definir perfil de participantes
4. definir tarefas e contexto (motivação)
5. preparar os materiais, equipe, ambiente e ferramentas
6. executar um teste piloto




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
1 - Determinar os objetivos
 Exemplos

‣ Os usuários entendem de forma clara o que é e para que
 serve a extensão?

‣ Os usuários têm alguma dificuldade para instalar a
 extensão?

‣ Eles sabem onde e como fazer?


‣ Completam todas as etapas de instalação corretamente?




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO          DONE




         O!
E M GRUP                      teste
              s objet ivos do
deter minar o
                 lhido
 do prod uto esco




                                      Design de Interação | Karine e Leandro
2 - Escolher o que medir
  A métrica depende do objetivo

‣ Satisfação geral

‣ Tempo de execução de tarefa

‣ Número de passos para conclusão de uma tarefa

‣ Quantidade de erros

‣ Quantidade de tarefas completadas

‣ Proporção de usuários favoráveis ao sistema em relação ao concorrente




                                              Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO          DONE




         O!
E M GRUP                     teste
              s métr icas do
deter minar a




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
3 - Definir perfil de participantes
‣ Quem deve usar este produto?

‣ Quantos participantes escolher? Nielsen sugere:

  ‣ 5 (de cada perfil) para qualitativo (quick and dirty! rápido e sujo)

  ‣ 20 para quantitativo

‣ Onde encontrar?

  ‣ Redes sociais, contatos pessoais, contatos do cliente, usuários atuais,
    questionário na web, empresas de recrutamento etc.




                                                 Design de Interação | Karine e Leandro
3 - Definir perfil de participantes




                       Design de Interação | Karine e Leandro
3 - Definir perfil de participantes
 Exemplo

 ‣ 2 usuários lead e 4 intermediários

 ‣ Pessoas que procuram ou procuraram imóveis recentemente.

 ‣ Contatos não fornecidos pelo cliente.




                                           Design de Interação | Karine e Leandro
4 - Definir tarefas e contexto
Tarefas: O que precisa ser testado?

 ‣ Quais são as funcionalidades mais críticas?

 ‣ Passos esperados em cada tarefa (se for relevante)

 ‣ Tempo esperado em cada tarefa (se for relevante)

 ‣ Um teste nunca deve passar de 2h (ideal é até 1h)



Contexto: Motivação para tarefa (ajuda na compreensão)




                                                 Design de Interação | Karine e Leandro
4 - Definir tarefas e contexto
Exemplo (tarefas)

 ‣ Encontrar um imóvel

 ‣ Alterar filtros

 ‣ verificar IPTU

 ‣ Encontrar informações de contato

 ‣ Salvar nos “favoritos”

 ‣ Encontrar a lista de favoritos




                                      Design de Interação | Karine e Leandro
4 - Definir tarefas e contexto
Exemplo (contextos)

 ‣ Opção 1:

Você se mudou para Curitiba e precisa arrumar um imóvel pra alugar.
Como você encontraria este imóvel?

 ‣ Opção 2:

Facilitador: Você procurou um imóvel recentemente? Como foi essa
experiência? Tente encontrar um semelhante nesse site. Usuário: Não
encontrei... Facilitador: Por que você acha que o site não encontrou?
Usuário: Deve ser a faixa de preço que escolhi, foi baixa. Facilitador: Como
você alteraria a faixa de preços?




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO   DONE




         O!
E M GRUP
                         ários
          taref as e cen
definir


 EM GRUPO!
 definir passos e tempo das

 tarefas (se relevante)




                                  Design de Interação | Karine e Leandro
5 - Preparar roteiro
Estrutura do roteiro

 ‣ Propósito do teste
 ‣ Lembrar que quem é avaliado é o sistema e não usuário
 ‣ Que o objetivo é melhorar a interface
 ‣ Que a identidade será mantida em sigilo
 ‣ Participação é voluntária
 ‣ Explicar como será o teste
 ‣ Explicar que podem fazer perguntas, mas nem todas poderão ser
   respondidas
 ‣ Small talk, contextualizar
 ‣ Explicar as tarefas
 ‣ Realizar entrevista semi-estruturada no final


                                              Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO   DONE




         O!
E M GRUP
                    teste
         o teiro do
criar o r




                              Design de Interação | Karine e Leandro
6 - Executando um teste piloto
Executar com alguém não envolvido diretamente com a execução do teste
Permite testar as condições do teste
‣ As tarefas foram compreendidas pelos usuários?
‣ Todas as tarefas foram possíveis de concluir?
‣ Os equipamentos estão ok?
‣ O protótipo precisa ser ajustado?
‣ O questionário está ok?
Envolvidos: 1 a 3 usuários (depende da complexidade do teste,
normalmente 1 basta)




                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Aplicação
  Equipe envolvida
‣ Orientador/condutor
  ‣ Orientar o participante
  ‣ Fazer com que se sinta a vontade
  ‣ Responder perguntas (se possível)
  ‣ Não induzir comportamento (tendenciar)
‣ Observador
  ‣ Registrar interação do usuário
  ‣ Não interferir no teste
‣ Opcionais: recepcionista e co-observadores (clientes e
  outros membros da equipe)


                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Aplicação
 Participantes (usuários)
‣ Posso/devo pagar usuário?
 ‣ Na publicação de papers, artigos esta prática não é aceita
 ‣ No mercado é comum e há opções alternativas ao dinheiro
   (vale-compra, brindes etc.)
‣ O que o usuário precisa saber?
 ‣ Que está sendo observado
 ‣ Que sua identidade será preservada
 ‣ Indicar espelhos, câmeras, microfones etc.
 ‣ Precisa aceitar o termo de consentimento




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Software espião
‣ Quicktime (http://www.apple.com/quicktime/download/)
‣ SilverBack (http://silverbackapp.com/)
‣ CamStudio (http://camstudio.org/)
‣ Camtasia (http://www.techsmith.com/products/studio/default.asp )
‣ Morae (http://www.techsmith.com/products/morae/default.asp)
‣ Ovo Logger (http://www.ovostudios.com/ovologger.asp#during )
‣ ScreenCam (http://www.smartguyz.com/index.html )
‣ ZD Soft (http://www.zdsoft.com/downloads.html)




                                           Design de Interação | Karine e Leandro
Como conduzir os testes?
‣ Escolha somente uma pessoa para falar com o usuário (condutor)
‣ O observador deve se posicionar de forma a ver a tela e as reações do
  usuário
‣ Comece com tarefas mais simples
‣ Responda as dúvidas que puder, quando não puder diga que você não
  pode responder para não interferir o teste




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Como conduzir os testes?



  Usuário comenta: “Mas isso não é inútil?”




                            Design de Interação | Karine e Leandro
Como conduzir os testes?



  Usuário comenta: “Mas isso não é inútil?”
               Resposta inadequada: "Não."
       Resposta adequada: "Por que você acha isso?"




                                     Design de Interação | Karine e Leandro
Como observar os testes?
‣ Procure por padrões de uso e fenômenos
‣ Não interfira no teste (função do orientador/condutor)
‣ Marque o tempo inicial (quando medindo o tempo)
‣ Anote pontos de dificuldade
‣ Anote o caminho percorrido
‣ Anote as sugestões do participante
‣ Anote se a tarefa foi realizada com sucesso ou não
‣ Anote frases/depoimentos que exemplifiquem algo importante
‣ Anote o tempo final




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Think aloud / “pensar em voz alta”
‣ Objetivo: explicitar o processo mental dos participantes


‣ Vantagens
  ‣ Ajuda a captar entendimento
  ‣ Ajuda a captar sugestões
  ‣ Descobrir por que os usuários estão agindo de determinada forma
‣ Desvantagem
  ‣ Atrapalha na medição do tempo/performance




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Think aloud / “pensar em voz alta”
‣ Como estimular a falar?


‣ Use perguntas!
 ‣ “Em que você está pensando?”
 ‣ “Por que optou por clicar aí?”
 ‣ “Por que você desistiu de ir por lá?”
 ‣ “O que você está entendendo por (termo)?”




                                               Design de Interação | Karine e Leandro
TO DO            DONE




         O!
E M GRUP
                              ador e
           ientado  r, observ
d efinir or                       outro
                car usu ário com
 usu ário; tro
                      ste!
            plicar te
  grupo; a




                                          Design de Interação | Karine e Leandro
Card sorting
               Design de Interação | Karine e Leandro
Card sorting
               Como seus
               usuários
               enxergam seu
               conteúdo?
               • compreendendo modelos mentais




                        Design de Interação | Karine e Leandro
Por que usar card sorting?
‣ Imagine que você deseje emitir a 2ª via de uma multa e
  este é o menu do site...

            ‣ Detran

            ‣ Habilitação

            ‣ Veículos

            ‣ Infrações

            ‣ Estatísticas

            ‣ Legislação

            ‣ Solicitação de serviços



                                               Design de Interação | Karine e Leandro
Etapas do card sorting
 1. Levantamento do conteúdo (se ainda não feito)

 2. Seleção dos cartões (20 a 30 cartões é suficiente)
 3. Aplicação (em grupo de usuários ou individual)

 4. Análise dos resultados e criação do mapa do site.




                                                Design de Interação | Karine e Leandro
Resultado do card sorting




                      Design de Interação | Karine e Leandro
Exercício card sorting
  Cada grupo deve eleger uma pessoa para ser o “moderador”, que irá
  explicar e observar o agrupamento feito. Deve sempre orientar ao
  participante a agrupar da forma que faz mais sentido para ele.

 1. Agrupar os cartões (observar o porquê do agrupamento)

 2. Dar nome ao grupo de cartões

 3. Apresentação dos resultados e do que foi observado

  Participantes: na hora de agrupar, pensar sempre em “se eu estivesse
  procurando este assunto no site, onde ele estaria, perto de qual outro assunto”




                                                  Design de Interação | Karine e Leandro
Card sorting online
  http://websort.net/

  http://www.optimalworkshop.com/optimalsort.htm




                                             Design de Interação | Karine e Leandro
Trabalho individual                                                          50 pts
Escolha um produto interativo (ex.: um celular, um aplicativo de iPhone, um software
etc) e identifique os componentes da interação, respondendo:
1. Quem são os possíveis usuários deste produto? (pense em diferentes públicos)
2. O que estes usuários podem fazer no produto? (liste as tarefas)
3. Em qual ambiente ele é usado? E como este ambiente pode afetar a interação?
4. Descreva a interface do produto, os elementos e recursos de design usados.
5. Quais elementos desta interface tornam o uso mais agradável?
6. Quais elementos desta interface podem prejudicar a interação?


Prazo de entrega: 06/01/12 enviar para lbalves@gmail.com e karinedrumond@gmail.com
Não esquecer de colocar o produto escolhido e fotos de demonstração.
Ilustrar com imagens, fotos, tabelas etc.

                                                       Design de Interação | Karine e Leandro

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Introdução ao Design de Interação
Introdução ao Design de InteraçãoIntrodução ao Design de Interação
Introdução ao Design de InteraçãoUTFPR
 
O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?Victor Gonçalves
 
Service Design Stories #CPBR9
Service Design Stories #CPBR9Service Design Stories #CPBR9
Service Design Stories #CPBR9Israel Lessak
 
Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01Israel Lessak
 
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01Israel Lessak
 
UNA - Eng Usa '12 - aula 01
UNA  - Eng Usa '12 - aula 01UNA  - Eng Usa '12 - aula 01
UNA - Eng Usa '12 - aula 01Marcello Cardoso
 
Inovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no UsuárioInovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no UsuárioMourylise Heymer
 
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...Renata Tonezi
 
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...Renata Tonezi
 
Design de Interação em Produtos Eletrônicos
Design de Interação em Produtos EletrônicosDesign de Interação em Produtos Eletrônicos
Design de Interação em Produtos EletrônicosUTFPR
 
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven Innovation
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven InnovationService Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven Innovation
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven InnovationIsrael Lessak
 
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson Pinheiro
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson PinheiroHSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson Pinheiro
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson PinheiroTenny Pinheiro
 
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TIService Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TIVictor Gonçalves
 
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisWorkshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisKarine Drumond
 
The Listening Agency: Credenciais Portuguese
The Listening Agency: Credenciais PortugueseThe Listening Agency: Credenciais Portuguese
The Listening Agency: Credenciais PortugueseThe Listening Agency
 
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos Móveis
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos MóveisWorkshop - Design de Interfaces para Dispositivos Móveis
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos MóveisDaniel Lugondi
 
Comunicação Interna na Era Digital
Comunicação Interna na Era DigitalComunicação Interna na Era Digital
Comunicação Interna na Era DigitalInformaGroup
 

Mais procurados (20)

Introdução ao Design de Interação
Introdução ao Design de InteraçãoIntrodução ao Design de Interação
Introdução ao Design de Interação
 
O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?O que é Design de Serviços?
O que é Design de Serviços?
 
Service Design Stories #CPBR9
Service Design Stories #CPBR9Service Design Stories #CPBR9
Service Design Stories #CPBR9
 
Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01Design Thinking - Aula 01
Design Thinking - Aula 01
 
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01
Sobre UX e tudo o mais - User Experience, Aula 01
 
UNA - Eng Usa '12 - aula 01
UNA  - Eng Usa '12 - aula 01UNA  - Eng Usa '12 - aula 01
UNA - Eng Usa '12 - aula 01
 
Inovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no UsuárioInovação Centrada no Usuário
Inovação Centrada no Usuário
 
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
Chatbots e UX: Como os chatbots podem ajudar a entender o que as pessoas real...
 
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...
A busca da experiência perfeita: aspectos cognitivos e emocionais do design d...
 
Design de Interação em Produtos Eletrônicos
Design de Interação em Produtos EletrônicosDesign de Interação em Produtos Eletrônicos
Design de Interação em Produtos Eletrônicos
 
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven Innovation
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven InnovationService Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven Innovation
Service Design Thinking - Palestra Kyvo Design-Driven Innovation
 
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson Pinheiro
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson PinheiroHSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson Pinheiro
HSM Management (revista) : Entrevista de Tennyson Pinheiro
 
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TIService Design Thinking - Design de Serviços em TI
Service Design Thinking - Design de Serviços em TI
 
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitaisWorkshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
Workshops de técnicas de usabilidade para produtos digitais
 
The Listening Agency: Credenciais Portuguese
The Listening Agency: Credenciais PortugueseThe Listening Agency: Credenciais Portuguese
The Listening Agency: Credenciais Portuguese
 
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos Móveis
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos MóveisWorkshop - Design de Interfaces para Dispositivos Móveis
Workshop - Design de Interfaces para Dispositivos Móveis
 
Introdução a design de serviços
Introdução a design de serviçosIntrodução a design de serviços
Introdução a design de serviços
 
Ideiam 2012 pt
Ideiam   2012 ptIdeiam   2012 pt
Ideiam 2012 pt
 
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de DesignIHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
IHC - Slide 2 - Usabilidade e Princípios de Design
 
Comunicação Interna na Era Digital
Comunicação Interna na Era DigitalComunicação Interna na Era Digital
Comunicação Interna na Era Digital
 

Destaque

Design participativo no governo
Design participativo no governoDesign participativo no governo
Design participativo no governoUTFPR
 
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovação
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovaçãoPesquisa exploratória de oportunidades para inovação
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovaçãoUTFPR
 
O que é design de interação
O que é design de interaçãoO que é design de interação
O que é design de interaçãoUFPE
 
O que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioO que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioKarine Drumond
 
Como fazer um elevator pitch matador
Como fazer um elevator pitch matadorComo fazer um elevator pitch matador
Como fazer um elevator pitch matadorUTFPR
 
Experiência do usuário e emergência
Experiência do usuário e emergênciaExperiência do usuário e emergência
Experiência do usuário e emergênciaUTFPR
 
Estado da arte em Codificação Criativa
Estado da arte em Codificação CriativaEstado da arte em Codificação Criativa
Estado da arte em Codificação CriativaUTFPR
 

Destaque (8)

PUC/PFC - Prototipação
PUC/PFC - PrototipaçãoPUC/PFC - Prototipação
PUC/PFC - Prototipação
 
Design participativo no governo
Design participativo no governoDesign participativo no governo
Design participativo no governo
 
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovação
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovaçãoPesquisa exploratória de oportunidades para inovação
Pesquisa exploratória de oportunidades para inovação
 
O que é design de interação
O que é design de interaçãoO que é design de interação
O que é design de interação
 
O que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuárioO que é design centrado no usuário
O que é design centrado no usuário
 
Como fazer um elevator pitch matador
Como fazer um elevator pitch matadorComo fazer um elevator pitch matador
Como fazer um elevator pitch matador
 
Experiência do usuário e emergência
Experiência do usuário e emergênciaExperiência do usuário e emergência
Experiência do usuário e emergência
 
Estado da arte em Codificação Criativa
Estado da arte em Codificação CriativaEstado da arte em Codificação Criativa
Estado da arte em Codificação Criativa
 

Semelhante a Design de Interação parte II

[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas
[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas
[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personasCamila Florêncio
 
PERSONAS - Design orientado pelos dados
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPERSONAS - Design orientado pelos dados
PERSONAS - Design orientado pelos dadoscomOn Group
 
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonas
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonasPERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonas
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonasRui Pereira
 
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e Interação
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e InteraçãoCRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e Interação
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e InteraçãoCauê de Souza
 
4 - O designer para a inovação.ppt
4 - O designer para a inovação.ppt4 - O designer para a inovação.ppt
4 - O designer para a inovação.pptDanieleMudrey1
 
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário?
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário? Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário?
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário? Agatha Martins
 
Design Thinking - Metodologia para Inovação
Design Thinking - Metodologia para InovaçãoDesign Thinking - Metodologia para Inovação
Design Thinking - Metodologia para InovaçãoPaulo Oliveira
 
Design Customizado
Design CustomizadoDesign Customizado
Design Customizadobernardolm
 
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento Humano
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento HumanoOficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento Humano
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento HumanoInstituto Educadigital
 
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtosDesign estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtosBruno Cullen
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Jane Vita
 
Design Talking
Design TalkingDesign Talking
Design TalkingCatalejos
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingFernanda Bisso
 
Oficina de-design-thinking-elaine-andrade
Oficina de-design-thinking-elaine-andradeOficina de-design-thinking-elaine-andrade
Oficina de-design-thinking-elaine-andradeElaine Andrade
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service DesignErico Fileno
 

Semelhante a Design de Interação parte II (20)

Prototipação
PrototipaçãoPrototipação
Prototipação
 
CRP-5215-0420-2014-07
CRP-5215-0420-2014-07CRP-5215-0420-2014-07
CRP-5215-0420-2014-07
 
[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas
[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas
[IEC - PUC Minas] Redes e Mídias Sociais - Panorama, arquétipos e personas
 
PERSONAS - Design orientado pelos dados
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPERSONAS - Design orientado pelos dados
PERSONAS - Design orientado pelos dados
 
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonas
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonasPERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonas
PERSONAS - Design orientado pelos dadosPersonas
 
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e Interação
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e InteraçãoCRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e Interação
CRP- 0420: Comunicação Digital - Aula 7: Design de Experiência e Interação
 
4 - O designer para a inovação.ppt
4 - O designer para a inovação.ppt4 - O designer para a inovação.ppt
4 - O designer para a inovação.ppt
 
Personas: Uma abordagem prática | Campus Party 2016
Personas: Uma abordagem prática | Campus Party 2016Personas: Uma abordagem prática | Campus Party 2016
Personas: Uma abordagem prática | Campus Party 2016
 
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário?
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário? Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário?
Como criar projetos orientados pelo design e pela experiência do usuário?
 
Design Thinking - Metodologia para Inovação
Design Thinking - Metodologia para InovaçãoDesign Thinking - Metodologia para Inovação
Design Thinking - Metodologia para Inovação
 
Design Customizado
Design CustomizadoDesign Customizado
Design Customizado
 
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento Humano
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento HumanoOficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento Humano
Oficina Design Thinking e a Educaçao para o Desenvolvimento Humano
 
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtosDesign estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
Design estratégico - Usando conceitos de design para diferenciar seus produtos
 
Cd - aulas 06 e 07
Cd - aulas 06 e 07Cd - aulas 06 e 07
Cd - aulas 06 e 07
 
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
Criando produtos e serviços reais para o mundo virtual.
 
Design Talking
Design TalkingDesign Talking
Design Talking
 
Weme School | Design Thinking
Weme School | Design ThinkingWeme School | Design Thinking
Weme School | Design Thinking
 
Oficina de-design-thinking-elaine-andrade
Oficina de-design-thinking-elaine-andradeOficina de-design-thinking-elaine-andrade
Oficina de-design-thinking-elaine-andrade
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 
Workshop - Service Design
Workshop - Service DesignWorkshop - Service Design
Workshop - Service Design
 

Mais de Karine Drumond

Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisPesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisKarine Drumond
 
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherOficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherKarine Drumond
 
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoWorkshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoKarine Drumond
 
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasWorkshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasKarine Drumond
 
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)Karine Drumond
 
Organizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarOrganizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarKarine Drumond
 
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaMATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaKarine Drumond
 
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilWorkshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilKarine Drumond
 
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGWorkshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGKarine Drumond
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoKarine Drumond
 
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioMétodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioKarine Drumond
 
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeMelhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeKarine Drumond
 
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoTelefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoKarine Drumond
 

Mais de Karine Drumond (15)

Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para NetimoveisPesquisa de Usabilidade para Netimoveis
Pesquisa de Usabilidade para Netimoveis
 
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de MulherOficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
Oficina Feminina de Empreendedorismo - Negócio de Mulher
 
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e PrototipaçãoWorkshop Mapa de tarefas e Prototipação
Workshop Mapa de tarefas e Prototipação
 
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéiasWorkshop modelando usuários, tarefas e idéias
Workshop modelando usuários, tarefas e idéias
 
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
User story mapping para planejamento de produtos interativos (ambiente ágil)
 
Organizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçarOrganizar para não derperdiçar
Organizar para não derperdiçar
 
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - SynergiaMATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
MATURIDADE DAS ORGANIZAÇÕES EM RELAÇÃO À USABILIDADE - Synergia
 
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágilWorkshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
Workshop Story Mapping - Planejando releases de forma ágil
 
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMGWorkshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
Workshop sobre estratégia em design para projetos de inovação - Inova UFMG
 
Arquitetura da Informação
Arquitetura da InformaçãoArquitetura da Informação
Arquitetura da Informação
 
Guia para Cardsorting
Guia para CardsortingGuia para Cardsorting
Guia para Cardsorting
 
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuárioMétodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
Métodos ágeis para design de sistemas interativos centrados no usuário
 
Acidente Gol legacy
Acidente Gol legacyAcidente Gol legacy
Acidente Gol legacy
 
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de UsabilidadeMelhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
Melhor poster - Dia Mundia de Usabilidade
 
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de InteraçãoTelefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
Telefone Publico - Sob a ótica do Design de Interação
 

Design de Interação parte II

  • 1. Design de Interação Karine Drumond e Leandro Alves Design de Interação | Karine e Leandro
  • 2. Técnica de modelagem personas ágeis Design de Interação | Karine e Leandro
  • 3. Personas são modelos descritivos de usuários. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 4. exemplo de persona tradicional Design de Interação | Karine e Leandro
  • 5. Alguma coisa é melhor que coisa-alguma Minimize esforços. Levante informações através de etnografia digital, análise métrica, benchmarking ou conversas com stakeholders. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 6. Uma Persona Ágil é uma exploração breve sobre o que sabemos dos usuários. Pragmática - Patton Provisória - Cooper Guerrilha - Kuniavsky Ad-Hoc - Norman Ágil - Cardoso Design de Interação | Karine e Leandro
  • 7. São ferramentas simples e poderosas para melhorar a visibilidade, compreensão e a comunicação de informações. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 8. Boas personas destacam características relevantes das menos relevantes. Evidenciam informações, não apenas dados. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 9. "Uma Persona é uma pessoa artificial, inventada para ajudar um designer entender as pessoas que usarão seu produto.” - Norman, Persona Life Cycle Design de Interação | Karine e Leandro
  • 10. 1. Não são estereótipos 2. Não são segmentos de mercado: MKT = venda / Design = uso Design de Interação | Karine e Leandro
  • 11. Por que modelar personas? 1. Modelamos para discutir o que sabemos e o que não sobre usuários (Informações). 2. Modelamos para mapear melhor sua experiência (UX). 3. Personas servem para agregar um enfoque empático ao projeto (❤). Design de Interação | Karine e Leandro
  • 12. Quando aplicar Personas? 1. Na definição de requisitos (principalmente para produtos de contextos diferentes, desconhecidos. ex: hospital, bombeiros, polícia) 2. Durante brainstormings, reuniões 3. Ao planejar funcionalidades Design de Interação | Karine e Leandro
  • 13. Como criar personas Design de Interação | Karine e Leandro
  • 14. 1o passo: Determinar tipos de usuários Design de Interação | Karine e Leandro
  • 15. 1o passo: Determinar tipos de usuários ZAGAT Site que oferece reviews de mais de 50 mil restaurantes em 100 países. Estão investindo em aplicações mobile. Quais os tipos de usuários desse sistema? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 16. 1o passo: Determinar tipos de usuários (Uma boa ideia é focar em papéis) 1. Gourmets, 2.Viajantes, 3.Namorados... Design de Interação | Karine e Leandro
  • 17. 2o passo: Listar características de cada tipo 1. Demográficas: Idade, sexo, classe social, onde vivem, cultura, formação, profissão... 2. Tecnológicas: Quais são suas habilidades? Uso mais frequente? Hardware, conexão? 3. Contexto de uso: Onde usaria (casa, escritório, metrô..)? Que horas, por quanto tempo? 4. Estilo de vida: Valores, atitudes. O que procuram? Diversão, rapidez, desafio, conforto... Quais são seus hobbies? O que detesta, o tira do sério ou incomoda? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 18. 2o passo: Listar características de cada tipo 5. Necessidades: diretas e periféricas (mas importantes. ex: segurança no metrô) 6. Desejos: o que eles querem, não o que dizem que querem. (Gladwell, spaghetti sauce) 7. Conhecimento: Na área relacionada, cultura geral. Novatos? Experts? Curiosos? 8. Lealdade: Frequência de uso, compromisso (software sazonal, apple vs android...). 9. Dê um nome, um rosto, uma frase emblemática: Design de Interação | Karine e Leandro
  • 19. 2o passo: Listar características de cada tipo Roberto, 42 anos, Jornalista Saulinho, 22 anos, cursa Letras Júlia, 16 anos, estudante, twiteira Mochileiro sazonal Design de Interação | Karine e Leandro
  • 20. 3o passo: Determinar usuário(s) focal(is) (patton) ou primário(s) (cooper) 1. "É um usuário que deve ser atendido e não seria com uma interface projetada para outra pessoa." (Cooper) 2. Todo sistema tem ao menos 1 3. Se identificamos mais de 1, temos mais de uma interface. Se identificarmos mais de 3, temos um problema. (citar ML) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 21. 3o passo: Determinar usuários focais (patton) ou primários (cooper) zo rio l al sa uá na foc us a ag op nã Roberto, 42 anos, Jornalista Saulinho, 22 anos, cursa Letras Júlia, 16 anos, estudante, twiteira Mochileiro sazonal Design de Interação | Karine e Leandro
  • 22. Sugestão de Patton Nome, Idade Papel descrição, frase emblemática Necessidades no Tarefas no sistema para necessidades mundo real Design de Interação | Karine e Leandro
  • 23. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 24. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 25. TO DO DONE EM GRUPO! produto para seu personas Criar 3 1) o focal er uma com 2) Escolh o de 5’ ar apre sentaçã 3) Mont Design de Interação | Karine e Leandro
  • 26. Personas ágeis 1o passo: Determinar tipos de usuários 2o passo: Listar características de cada tipo 3o passo: Determinar usuários focais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 27. Questionários Ciclo de vida do produto e rking entrevistas chma Ben ot n/ o ão a çã ot ig uis pr des aç ipa sq lid pe va nas prototipação perso Design de Interação | Karine e Leandro
  • 28. Prototipação quebrando ovos para fazer omeletes Design de Interação | Karine e Leandro
  • 29. Protótipo ~ modelo = Design de Interação | Karine e Leandro
  • 30. lembrando... São ferramentas simples e poderosas para melhorar a visibilidade, compreensão e a comunicação de informações. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 31. Podem ser de baixa ou alta resolução Baixa: Para explorar ideias, conceitos, fluxos Alta: para validar decisões pontuais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 32. “Devemos criar exatamente quanta documentação necessitamos para executar bem um projeto, e não mais.” -Dan Saffer Design de Interação | Karine e Leandro
  • 33. Nós ❤ PAPEL! • Nada digital é mais rápido, flexível e fácil de prototipar • Não requer habilidades específicas • É mais barato e colaborativo; • Variedade = possibilidades: Diferentes cores, tamanhos, texturas, adesivos... • Tamanho é documento (difícil ter um monitor do tamanho de uma cartolina) • Estimula desapego • Reciclável, divertido, estimula a equipe Design de Interação | Karine e Leandro
  • 34. Cenário “São protótipos feitos de palavras” • Os protagonistas são as PERSONAS • Devem refletir comportamento no sistema • Uma boa prática é passar diferentes personas pelo mesmo cenário • Um bom cenário é imaginar o primeiro uso Design de Interação | Karine e Leandro
  • 35. Cenário Uma imagem vale mil palavras. Mas as palavras certas podem valer algumas boas imagens. Lúcia Maria loga em sua conta Sacolao.com. Vê seu pedido da semana passada e decide usá-lo de novo para esta semana. Remove alguns itens arrastando-os de sua Cestinha®, e o valor ajusta automaticamente. Satisfeita com a compra, clica no botão Entrega rápida e confirma o débito em seu cartão de crédito previamente salvo. A tela de confirmação informa para esperar a entrega nas próximas 2 horas. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 36. TO DO DONE PO! EM GRU rimeiro uso ou rio (p Criar um cená em sua e) e a plicá-lo tare fa chav Focal. Persona Design de Interação | Karine e Leandro
  • 37. Storyboards Design de Interação | Karine e Leandro
  • 38. Storyboards Técnica da publicidade, HQs e cinema, que ilustra interações complexas Design de Interação | Karine e Leandro
  • 39. Storyboards • Imagens + legendas • Ilustram fluxos, momentos chave • Casos de uso • Mostram ambientes e contextos • Complementam wireframes Design de Interação | Karine e Leandro
  • 40. TO DO DONE O! E M GRUP para o yboard Criar um stor criado. cenário Design de Interação | Karine e Leandro
  • 41. Task flows diagrama de fluxo • Fluxos são tão importantes quanto telas • Representam as possibilidades de navegação no sistema Design de Interação | Karine e Leandro
  • 42. Task flows diagrama de fluxo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 43. FFFFFFFF FFFFFFFF FFFFFFFF UUUUUUU Design de Interação | Karine e Leandro
  • 44. Task flows diagrama de fluxo Fluxos são interações de um indivíduo, elementos / escolhas Design de Interação | Karine e Leandro
  • 45. Task flows diagrama de fluxo Exemplo: Adicionando um item na TO-DO do Basecamp. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 46. Task flows diagrama de fluxo • É rápido de fazer e simples de enxergar. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 47. Task flows diagrama de fluxo Estrutura • Barra separa a interface da ação • Barra pontilhada separa as opções para mesma interface • Setas vão da ação para a nova interface • Se a interface for fora de escopo, fica sem ação Design de Interação | Karine e Leandro
  • 48. TO DO DONE RUP O! E M SUBG ipal (e tare fa princ definir fluxo da erando r temp o) consid ma is, se de uso. os c asos de Design de Interação | Karine e Leandro
  • 49. Rascunhos Design de Interação | Karine e Leandro
  • 50. Rascunhos • Ideias primárias, generalistas, fluxos. • São feios! estimulam a discussão sobre função e uso Design de Interação | Karine e Leandro
  • 51. Wireframes Design de Interação | Karine e Leandro
  • 52. Wireframes protótipos estruturais do sistema Design de Interação | Karine e Leandro
  • 53. Wireframes protótipos estruturais do sistema Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do design visual (branding, layout) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 54. Wireframes protótipos estruturais do sistema Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do design visual (branding, layout) Podem ser usados para validar ideias Design de Interação | Karine e Leandro
  • 55. Wireframes protótipos estruturais do sistema Registram as funcionalidades do produto, seus aspectos técnicos e sua lógica de negócios, sem a influência do design visual (branding, layout) Podem ser usados para validar ideias Podem ser usados para testes com usuários Design de Interação | Karine e Leandro
  • 56. Wireframes Substituem documentos mais burocráticos, são especificações visuais comprometidas com: • Estrutura • Arquitetura da informação • Controles (padrões de interação) • Conteúdo Design de Interação | Karine e Leandro
  • 57. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 58. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 59. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 60. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 61. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 62. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 63. papel=desapego Design de Interação | Karine e Leandro
  • 64. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 65. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 66. Prototipando e testando low fi http://www.youtube.com/watch?v=k9mTvt0LXgk Design de Interação | Karine e Leandro
  • 67. wireouts Design de Interação | Karine e Leandro
  • 68. layouts Design de Interação | Karine e Leandro
  • 69. EM GRU Prot PO! o rasc tipar e unho m s, ou cima tem refin dos po: r á-lo esto s da a ula s á gil, podemo que isso é Lembrem f oi decidido. dar o que CAOS! mu ID EAÇÃO = Design de Interação | Karine e Leandro
  • 70. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 71. Questionários Ciclo de vida do produto e rking entrevistas chma Ben ot n/ o ão a çã ot ig uis pr des aç ipa sq lid pe va nas prototipação estes perso t Design de Interação | Karine e Leandro
  • 72. Teste com usuários Design de Interação | Karine e Leandro
  • 73. Teste de usabilidade ‣ Observação de usuários realizando tarefas importantes no produto para entender padrão de uso e problemas no produto. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 74. Pra que serve? ‣ Avaliar o entendimento da interface e dos fluxos projetados ‣ Identificar pontos críticos da interação (ruídos, dúvidas, rupturas) ‣ Comparar desempenho em produtos diferentes (benchmark/concorrência) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 75. Tipos de testes ‣ Teste em campo (menos formal) ‣ Teste em laboratório (mais controlado) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 76. Tipos de testes Design de Interação | Karine e Leandro
  • 77. Tipos de testes ‣ Em laboratório (mais formal) + permite maior controle dos dados e variáveis + mais fácil de envolver o cliente – usuário pode se sentir mais desconfortável – mais distante do contexto de uso real ‣ Em campo (ambiente natural) + usuário se sente mais à vontade + mais próximo do contexto de uso real – menor controle dos dados e variáveis – dificuldade de envolver o cliente Design de Interação | Karine e Leandro
  • 78. Tipos de testes ‣ Laboratório é ideal para: ‣ produção acadêmica (rigor científico para teses, artigos e dissertações) ‣ medição de performance (tempo, número de erros etc.) ‣ estudos permanentes com equipe dedicada (ex.: Nokia, Globo etc.) ‣ Avaliação em campo é ideal para: ‣ obter feedback rápido dos usuários ‣ usabilidade em equipes ágeis de desenvolvimento ‣ custo baixo é prioridade ‣ testar conceitos e interfaces em fases iniciais de design Design de Interação | Karine e Leandro
  • 79. O que testar? ‣ Teste em protótipo em papel: ‣ Teste em produto final. Servem para testar conceitos Avaliar eficiência, satisfação, e fluxos. compreensão etc. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 80. Etapas 1.Planejamento 2.Recrutamento 3.Aplicação 4.Análise Design de Interação | Karine e Leandro
  • 81. Planejamento 1. determinar metas e objetivos do teste 2. escolher o que medir (tempo, compreensão, satisfação etc) 3. definir perfil de participantes 4. definir tarefas e contexto (motivação) 5. preparar os materiais, equipe, ambiente e ferramentas 6. executar um teste piloto Design de Interação | Karine e Leandro
  • 82. 1 - Determinar os objetivos Exemplos ‣ Os usuários entendem de forma clara o que é e para que serve a extensão? ‣ Os usuários têm alguma dificuldade para instalar a extensão? ‣ Eles sabem onde e como fazer? ‣ Completam todas as etapas de instalação corretamente? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 83. TO DO DONE O! E M GRUP teste s objet ivos do deter minar o lhido do prod uto esco Design de Interação | Karine e Leandro
  • 84. 2 - Escolher o que medir A métrica depende do objetivo ‣ Satisfação geral ‣ Tempo de execução de tarefa ‣ Número de passos para conclusão de uma tarefa ‣ Quantidade de erros ‣ Quantidade de tarefas completadas ‣ Proporção de usuários favoráveis ao sistema em relação ao concorrente Design de Interação | Karine e Leandro
  • 85. TO DO DONE O! E M GRUP teste s métr icas do deter minar a Design de Interação | Karine e Leandro
  • 86. 3 - Definir perfil de participantes ‣ Quem deve usar este produto? ‣ Quantos participantes escolher? Nielsen sugere: ‣ 5 (de cada perfil) para qualitativo (quick and dirty! rápido e sujo) ‣ 20 para quantitativo ‣ Onde encontrar? ‣ Redes sociais, contatos pessoais, contatos do cliente, usuários atuais, questionário na web, empresas de recrutamento etc. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 87. 3 - Definir perfil de participantes Design de Interação | Karine e Leandro
  • 88. 3 - Definir perfil de participantes Exemplo ‣ 2 usuários lead e 4 intermediários ‣ Pessoas que procuram ou procuraram imóveis recentemente. ‣ Contatos não fornecidos pelo cliente. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 89. 4 - Definir tarefas e contexto Tarefas: O que precisa ser testado? ‣ Quais são as funcionalidades mais críticas? ‣ Passos esperados em cada tarefa (se for relevante) ‣ Tempo esperado em cada tarefa (se for relevante) ‣ Um teste nunca deve passar de 2h (ideal é até 1h) Contexto: Motivação para tarefa (ajuda na compreensão) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 90. 4 - Definir tarefas e contexto Exemplo (tarefas) ‣ Encontrar um imóvel ‣ Alterar filtros ‣ verificar IPTU ‣ Encontrar informações de contato ‣ Salvar nos “favoritos” ‣ Encontrar a lista de favoritos Design de Interação | Karine e Leandro
  • 91. 4 - Definir tarefas e contexto Exemplo (contextos) ‣ Opção 1: Você se mudou para Curitiba e precisa arrumar um imóvel pra alugar. Como você encontraria este imóvel? ‣ Opção 2: Facilitador: Você procurou um imóvel recentemente? Como foi essa experiência? Tente encontrar um semelhante nesse site. Usuário: Não encontrei... Facilitador: Por que você acha que o site não encontrou? Usuário: Deve ser a faixa de preço que escolhi, foi baixa. Facilitador: Como você alteraria a faixa de preços? Design de Interação | Karine e Leandro
  • 92. TO DO DONE O! E M GRUP ários taref as e cen definir EM GRUPO! definir passos e tempo das tarefas (se relevante) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 93. 5 - Preparar roteiro Estrutura do roteiro ‣ Propósito do teste ‣ Lembrar que quem é avaliado é o sistema e não usuário ‣ Que o objetivo é melhorar a interface ‣ Que a identidade será mantida em sigilo ‣ Participação é voluntária ‣ Explicar como será o teste ‣ Explicar que podem fazer perguntas, mas nem todas poderão ser respondidas ‣ Small talk, contextualizar ‣ Explicar as tarefas ‣ Realizar entrevista semi-estruturada no final Design de Interação | Karine e Leandro
  • 94. TO DO DONE O! E M GRUP teste o teiro do criar o r Design de Interação | Karine e Leandro
  • 95. 6 - Executando um teste piloto Executar com alguém não envolvido diretamente com a execução do teste Permite testar as condições do teste ‣ As tarefas foram compreendidas pelos usuários? ‣ Todas as tarefas foram possíveis de concluir? ‣ Os equipamentos estão ok? ‣ O protótipo precisa ser ajustado? ‣ O questionário está ok? Envolvidos: 1 a 3 usuários (depende da complexidade do teste, normalmente 1 basta) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 96. Aplicação Equipe envolvida ‣ Orientador/condutor ‣ Orientar o participante ‣ Fazer com que se sinta a vontade ‣ Responder perguntas (se possível) ‣ Não induzir comportamento (tendenciar) ‣ Observador ‣ Registrar interação do usuário ‣ Não interferir no teste ‣ Opcionais: recepcionista e co-observadores (clientes e outros membros da equipe) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 97. Aplicação Participantes (usuários) ‣ Posso/devo pagar usuário? ‣ Na publicação de papers, artigos esta prática não é aceita ‣ No mercado é comum e há opções alternativas ao dinheiro (vale-compra, brindes etc.) ‣ O que o usuário precisa saber? ‣ Que está sendo observado ‣ Que sua identidade será preservada ‣ Indicar espelhos, câmeras, microfones etc. ‣ Precisa aceitar o termo de consentimento Design de Interação | Karine e Leandro
  • 98. Software espião ‣ Quicktime (http://www.apple.com/quicktime/download/) ‣ SilverBack (http://silverbackapp.com/) ‣ CamStudio (http://camstudio.org/) ‣ Camtasia (http://www.techsmith.com/products/studio/default.asp ) ‣ Morae (http://www.techsmith.com/products/morae/default.asp) ‣ Ovo Logger (http://www.ovostudios.com/ovologger.asp#during ) ‣ ScreenCam (http://www.smartguyz.com/index.html ) ‣ ZD Soft (http://www.zdsoft.com/downloads.html) Design de Interação | Karine e Leandro
  • 99. Como conduzir os testes? ‣ Escolha somente uma pessoa para falar com o usuário (condutor) ‣ O observador deve se posicionar de forma a ver a tela e as reações do usuário ‣ Comece com tarefas mais simples ‣ Responda as dúvidas que puder, quando não puder diga que você não pode responder para não interferir o teste Design de Interação | Karine e Leandro
  • 100. Como conduzir os testes? Usuário comenta: “Mas isso não é inútil?” Design de Interação | Karine e Leandro
  • 101. Como conduzir os testes? Usuário comenta: “Mas isso não é inútil?” Resposta inadequada: "Não." Resposta adequada: "Por que você acha isso?" Design de Interação | Karine e Leandro
  • 102. Como observar os testes? ‣ Procure por padrões de uso e fenômenos ‣ Não interfira no teste (função do orientador/condutor) ‣ Marque o tempo inicial (quando medindo o tempo) ‣ Anote pontos de dificuldade ‣ Anote o caminho percorrido ‣ Anote as sugestões do participante ‣ Anote se a tarefa foi realizada com sucesso ou não ‣ Anote frases/depoimentos que exemplifiquem algo importante ‣ Anote o tempo final Design de Interação | Karine e Leandro
  • 103. Think aloud / “pensar em voz alta” ‣ Objetivo: explicitar o processo mental dos participantes ‣ Vantagens ‣ Ajuda a captar entendimento ‣ Ajuda a captar sugestões ‣ Descobrir por que os usuários estão agindo de determinada forma ‣ Desvantagem ‣ Atrapalha na medição do tempo/performance Design de Interação | Karine e Leandro
  • 104. Think aloud / “pensar em voz alta” ‣ Como estimular a falar? ‣ Use perguntas! ‣ “Em que você está pensando?” ‣ “Por que optou por clicar aí?” ‣ “Por que você desistiu de ir por lá?” ‣ “O que você está entendendo por (termo)?” Design de Interação | Karine e Leandro
  • 105. TO DO DONE O! E M GRUP ador e ientado r, observ d efinir or outro car usu ário com usu ário; tro ste! plicar te grupo; a Design de Interação | Karine e Leandro
  • 106. Card sorting Design de Interação | Karine e Leandro
  • 107. Card sorting Como seus usuários enxergam seu conteúdo? • compreendendo modelos mentais Design de Interação | Karine e Leandro
  • 108. Por que usar card sorting? ‣ Imagine que você deseje emitir a 2ª via de uma multa e este é o menu do site... ‣ Detran ‣ Habilitação ‣ Veículos ‣ Infrações ‣ Estatísticas ‣ Legislação ‣ Solicitação de serviços Design de Interação | Karine e Leandro
  • 109. Etapas do card sorting 1. Levantamento do conteúdo (se ainda não feito) 2. Seleção dos cartões (20 a 30 cartões é suficiente) 3. Aplicação (em grupo de usuários ou individual) 4. Análise dos resultados e criação do mapa do site. Design de Interação | Karine e Leandro
  • 110. Resultado do card sorting Design de Interação | Karine e Leandro
  • 111. Exercício card sorting Cada grupo deve eleger uma pessoa para ser o “moderador”, que irá explicar e observar o agrupamento feito. Deve sempre orientar ao participante a agrupar da forma que faz mais sentido para ele. 1. Agrupar os cartões (observar o porquê do agrupamento) 2. Dar nome ao grupo de cartões 3. Apresentação dos resultados e do que foi observado Participantes: na hora de agrupar, pensar sempre em “se eu estivesse procurando este assunto no site, onde ele estaria, perto de qual outro assunto” Design de Interação | Karine e Leandro
  • 112. Card sorting online http://websort.net/ http://www.optimalworkshop.com/optimalsort.htm Design de Interação | Karine e Leandro
  • 113. Trabalho individual 50 pts Escolha um produto interativo (ex.: um celular, um aplicativo de iPhone, um software etc) e identifique os componentes da interação, respondendo: 1. Quem são os possíveis usuários deste produto? (pense em diferentes públicos) 2. O que estes usuários podem fazer no produto? (liste as tarefas) 3. Em qual ambiente ele é usado? E como este ambiente pode afetar a interação? 4. Descreva a interface do produto, os elementos e recursos de design usados. 5. Quais elementos desta interface tornam o uso mais agradável? 6. Quais elementos desta interface podem prejudicar a interação? Prazo de entrega: 06/01/12 enviar para lbalves@gmail.com e karinedrumond@gmail.com Não esquecer de colocar o produto escolhido e fotos de demonstração. Ilustrar com imagens, fotos, tabelas etc. Design de Interação | Karine e Leandro