Slides

6.044 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.044
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
264
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides

  1. 1. UnochapecóRevestimentosem argamassa Chapisco, emboço, reboco e massa única. Jéssica Massotti Kaoane Garbin Katiana Lazzari Patricia Ronsoni
  2. 2. Qualidade na construçãoA obtenção da qualidade na construção deum edifício ocorre pela perfeita execução deum conjunto de elementos básicosnecessários para desempenho eficiente daobra. Cada elemento é de extremaimportância, pois do inicio ao fim da obra aexecução deve ser realizada comresponsabilidade para que cada um delescontribua para o comportamento final doconjunto.
  3. 3. Porque revestir uma edificação?• Para proteger de agentes agressivos;• Estanquiedade de gases e água;• Por razões de estética;• Contribuir para o isolamento termoacústico.
  4. 4. Funções da argamassa• Promover durabilidade;• Proteção;• Isolamento e resistência;• Conferir estanqueidade;• Permitir e facilitar a manutenção;• Regularização da superfície;
  5. 5. Não é função da argamassa• Esconder imperfeições grosseiras da base. (desaprumo, por exemplo) - Na prática, essa situação ocorre com muita frequência, devido à falta de cuidado no momento da execução da estrutura e da alvenaria, que ficam desaprumadas e desalinhadas. - Com isso é necessário “esconder na massa” as imperfeições, o que compromete o cumprimento adequado das reais funções do revestimento.
  6. 6. Desaprumada
  7. 7. Propriedades das argamassas no estado fresco
  8. 8. TrabalhabilidadeA massa é trabalhável quando:• Deixa penetrar facilmente a colher do pedreiro;• Mantêm-se coesa ao ser transportada;• Distribui-se facilmente pela superfície;• Não endurece rapidamente quando aplicada.Normalmente emprega-se aditivos.
  9. 9. 0,05% ADITIVO
  10. 10. Retração na secagem- Água sai da argamassa = diminuição volume;- Se ocorrer com certa rapidez FISSURAS
  11. 11. Teor de ar incorporado• Equivale à quantidade de ar existente em certo volume de argamassa. À medida que cresce o teor de ar, a massa específica relativa da argamassa diminui.• Pode ser aumentado através de aditivos incorporadores de ar.
  12. 12. Aderência Inicial• A argamassa deve ter boa trabalhabilidade e retenção de água. Deve ser pressionada contra a base para aumento da extensão de aderência.
  13. 13. Resistência a aderência• Propriedade fundamental para o desempenho dos revestimentos argamassados.• Desta dependem a durabilidade e a capacidade do revestimento suportar as movimentações internas e externas.
  14. 14. Retenção de água• Uma retenção adequada contribui para o endurecimento adequado da argamassa, promovendo as reações de hidratação do cimento e um conseqüente ganho de resistência mecânica e aderência.
  15. 15. Propriedades no Estado Endurecido
  16. 16. Aderência• Propriedade do revestimento manter-se fixo ao substrato. Depende das propriedades da argamassa no estado fresco; dos procedimentos de execução do revestimento; da natureza e características da base e da sua limpeza superficial.• Teste do martelo de borracha
  17. 17. Falta de aderência
  18. 18. Capacidade de absorver deformações• É a capacidade de absorver deformações, sem romper ou fissurar.
  19. 19. Resistência mecânica• Propriedade dos revestimentos de suportar esforços mecânicos das mais diversas origens que se traduzem, em geral, por tensões simultâneas de tração, compressão, e cisalhamento.• Também deve apresentar resistência ao desgaste.
  20. 20. Permeabilidade• Relacionada à passagem de água pela camada de revestimento, constituída de argamassa, que é um material poroso e permite a percolação da água tanto no estado líquido como gasoso. É uma propriedade bastante relacionada ao conjunto base-revestimento.
  21. 21. Durabilidade• Propriedade que a argamassa apresenta para resistir ao ataque de meios e agentes agressivos, mantendo suas características físicas e mecânicas inalteradas com o decorrer do tempo e de sua utilização.• Depende das demais propriedades.
  22. 22. Lembre-se!• Produzir uma quantidade de argamassa adequada para a frente de trabalho disponível, buscando evitar que argamassas fiquem esperando por um longo período de tempo, para serem aplicadas.• Deve-se aplicar uma camada de argamassa racionalizada durante a produção do revestimento, que resulte em pouca sobra de argamassa após o sarrafeamento.• Em espaços abertos, bem ventilados ou ensolarados, a secagem é ainda mais rápida.
  23. 23. Revestimentos em argamassa: Preparação da base
  24. 24. • Devemos remover todas as impurezas que existem, como materiais pulverulentos, graxas, óleos desmoldantes, fungos e eflorescências, e também irregularidades superficiais, como rebarbas de concretagem, excesso de argamassas nas juntas, rasgos provenientes de instalações e quebras parciais de blocos.• Os resíduos tem que ser removidos através de lixamento/escovação e lavagem com jato de água;• Caso temperaturas superiores a 30º C no substrato, deve-se resfriá-lo com água;
  25. 25. Revestimentos
  26. 26. O revestimento geralmente é constituído por três camadas:- Chapisco- Emboço- Reboco.
  27. 27. Chapisco
  28. 28. - O chapisco é a primeira camada a ser aplicadanas paredes e teto, composta por cimento e areiagrossa, nas proporções de 1:2 ou 1:3. De acordocom a NBR 7200 a espessura do chapisco é de 3mm a 5 mm ( camada mais fina do processo).-Tem como objetivo aumentar a aderência entre aparede e a próxima camada (emboço). Quantomaior o contato entre a argamassa e o substrato desuperfície rugosa, melhor a sua resistência deaderência.
  29. 29. Lembre-se, antes de aplicar• Verifique a temperatura do ar;• Superfície;• Clima;• Eliminação de irregularidades;• Preenchimento de furos;• Pré- umedecimento;• Verifique suas ferramentas de trabalho e utilize EPI’S.
  30. 30. Lembre-se- No caso de estruturas de concreto armado e alvenaria estrutural, a Norma NBR 7200 recomenda 28 dias.- Já para alvenarias não armadas e alvenarias sem função estrutural de tijolos, blocos cerâmicos, blocos de concreto e concreto celular recomenda- se 14 dias- É importante o umedecimento do chapisco nas primeiras horas de cura e pelos 3 dias subsequentes à execução (especialmente em dias muito quentes ou com bastante vento)
  31. 31. • Existem três tipos de chapisco:TradicionalDesempenado ou Industr.Rolado
  32. 32. Tradicional ou ConvencionalÉ uma argamassa de cimento e areia e água, dosada de acordo com o traço.• Vantagens:Pode ser aplicado em alvenarias e estruturas;Forma uma película aderente e resistente no substrato onde foi aplicada;Apresenta melhor aderência devido ao processo energético de aplicação no substrato;• Desvantagens:Durante a aplicação ocorre um grande desperdício;Apresenta uma baixa produtividade;É necessário o uso de andaimes.
  33. 33. Material Utilizado• Andaimes• Brocha• Colher de pedreiro• Caixa de argamassa• EPI’S
  34. 34. Aplicação• A aplicação do chapisco espatulado sobre a superfície deve ser feita por projeção enérgica do material sobre a base de forma manual ou mecânica.
  35. 35. CustosCimento Portland CP II 50kg : R$ 20 a 25Caixa para mistura: R$ 35 a 50Colher de pedreiro: R$ 15 a 20Areia grossa : R$ 45 a 50Brocha : R$ 5 a 10
  36. 36. ChapiscoPasso a Passo
  37. 37. Superfície Chapiscada obra Santa fé
  38. 38. Desempenado ou Industrializado É uma argamassa industrializada com características de argamassa colante, dispensa o uso de aditivo.• Vantagens:• Resulta numa elevada produtividade e rendimento;• Apresenta maior uniformidade;• Não resulta em elevados desperdícios;• Desvantagens:• Alto custo;• Gera desgaste na desempenadeira dentada durante a aplicação sobre superfícies de estruturas de concreto;• É necessário o uso de andaimes.
  39. 39. Passo a passo
  40. 40. A aplicação do chapisco desempenado sobre a superfíciedeve ser feita utilizando-se uma desempenadeira de açodentada que formam cordões.
  41. 41. • Espessura média de 6mm;• Cordões medindo 4mm de altura por 6mm de largura e 6mm de distancia entre um cordão e outro;• Cordões devem ser paralelos entre si;• Aplicar com a desempenadeira de aço inclinada em 60º em relação a superfície;
  42. 42. Custos• Argamassa Pronta: 45 a 50• Recipiente para mistura: 35 a 50• Colher de pedreiro: 15 a 20• Brocha: 5 a 10• Desempenadeira de aço: 15 a 20
  43. 43. Rolado Trata-se de uma mistura de cimento e areia, juntamente com a água e aditivos.• Vantagens:• Fácil aplicação devido ser aplicada com rolo de textura;• É aplicada tanto em estruturas como em paredes de alvenarias;• Maior rendimento;• Maior aderência;• Desvantagens:• Possibilidade de formação de uma película impermeabilizante;• Exige um controle rigoroso tanto na aplicação coma na produção da argamassa.
  44. 44. AplicaçãoA aplicação do chapisco rolado deveser feita com a utilização de um rolode textura alta, umedecido antes daaplicação. Em movimentos de vaivémde aproximadamente 60cm, de baixopara cima, cobrindo uniformemente abase;
  45. 45. Cura do Chapisco• Recomenda-se a cura úmida do chapisco mediante a utilização de uma névoa de água, durante o maior período possível.• O umedecimento não deve ser feito sobre as superfícies superaquecidas.• A superfície acabada não deve receber jato d’água para não danificar o produto aplicado.• A execução correta dos revestimentos minimizará o possível aparecimento de defeitos de aplicação.
  46. 46. Emboço
  47. 47. • O emboço é uma camada de revestimento grossa executada para cobrir e regularizar a base, propiciando uma superfície que permita receber outra camada de reboco ou de revestimento decorativo.• O emboço deve ser aplicado inicialmente no teto e depois nas paredes, tomando cuidado para não deixar quinas muito vivas para não quebrarem com facilidade. É necessário um cuidado maior no acabamento no encontro com portas e janelas.• É constituído de uma mistura de cimento e areia média, em um traço que pode variar na proporção de 1:8 em paredes internas e 1:6 em paredes externas, podendo conter aditivos para implementar a aderência. Espessura de 15 a 20mm.
  48. 48. • Suas principais funções são:vedação;regularização da superfície;proteção da edificação contra agentes nocivosDepois de aplicado o chapisco, espera-se 3 dias para se executar o emboço.
  49. 49. • Antes de iniciar o revestimento de qualquer base, deve-se:-Umedecer o substrato destinado a receber o emboço;-Criar referências para um plano de aplicação;-Verificar o prumo e as espessuras admissíveis para esta camada.
  50. 50. Aplicação1 Taliscas: são pequenas peças de madeira ou de ladrilhos cerâmicos colocados sobre a superfície a ser revestida e que servirá de referência para o acabamento.
  51. 51. 2 Mestras: Depois que os tacos estiverem consolidados (2 dias, no mínimo), preenche-se o espaço entre as taliscas verticalmente com a mesma argamassa do emboço e estando a massa firme com o uso de uma régua de alumínio (desempenadeira), apruma-se as mestras que servirão de guia para a execução do revestimento.
  52. 52. AplicaçãoCom a régua certifica-se do alinhamento eprumo das mestras
  53. 53. 3 Emboço: Executa-se o preenchimento dos vãos entre as mestras com argamassa de revestimento em porções chapadas cuidando para que fique um excesso em relação ao plano das mestras.
  54. 54. • 4 Sarrafeamento: usa-se uma régua desempenadeira de baixo para cima, retirando o excesso de material chapeado.• 5 Desempeno: dependendo do acabamento desejado pode-se executar o desempeno da superfície com desempenadeira de mão adequada para cada caso (madeira, aço ou feltro).
  55. 55. Aplicação
  56. 56. Cura• O tempo mínimo de cura do emboço é de 7 dias, tempo necessário para 60 a 80% da retração acontecer.• A idade ideal do emboço é de 21 dias, após isso pode-se executar as outras camadas de revestimentos.
  57. 57. Cuidados!• Com eletrodutos.
  58. 58. Quinas e cantos• Deve-se ter cuidados com cantos e arestas, pois são locais frágeis e ocorrem infiltrações com facilidade aumentando o aparecimento de patologias e causando uma perda de resistência no revestimento• Para o requadramento de vão livre, pilares ou vigas, deve-se executar os dois lados do diedro sequencialmente, observando o alinhamento e o prumo, com desempenadeira de quina. Para cantos observar os mesmos cuidados, usando a desempenadeira de canto.
  59. 59. • Requadramento: Também podem ser utilizadas madeiras planas e alinhadas, sendo fixada no prumo e presa com um mecanismo de presilhas, para aplicação da argamassa.
  60. 60. Reboco
  61. 61. O reboco ou “massa fina” é uma camada derevestimento argamassado, compostobasicamente de cimento, cal e areia fina notraço de 1:2:8 Aplicado em cima do emboço,em uma camada fina, que permita receber orevestimento decorativo que se constitua noacabamento final, seja ele, lixamento, tintabase, pintura ou outro.
  62. 62. • Deve ser executado após a colocação dos peitoris e marcos de portas e janelas. Tem a característica de pequena espessura na ordem de 3 a 5mm.• O reboco deve ser aplicado no mínimo 7 dias após o emboço.• Aplicado sobre o emboço previamente molhado, aplica-se a argamassa com desempenadeira de baixo para cima.
  63. 63. Processo executivo do reboco
  64. 64. • Preparo da argamassa;• Umedecimento do substrato com uma brocha;
  65. 65. • Com auxilio da pá de pedreiro a argamassa é colocada sobre a desempenadeira, esta é comprimida sobre a parede e espalhada de baixo para cima;• Resulta em uma camada de 3mm a 5mm;
  66. 66. • Execução de movimentos circulares com a desempenadeira ou uso da régua;• Correção de imperfeições (preenchimento de vazios;
  67. 67. • Novamente reguamento e execução dos cantos;• Conferência do prumo;
  68. 68. • Ao atingir o ponto de desempeno (puxando água) este é realizado com desempenadeira revestida com espuma de borracha ou feltro esborrifando água durante a execução;
  69. 69. • O acabamento final pode ser liso (feito com desempenadeira de aço). Com dimensões de13 X 28 Cm
  70. 70. • Camurçado (com desempenadeira revestida com feltro ou esponja).
  71. 71. • Raspado onde a superfície é raspada com pente de aço, formando desenhos e texturas
  72. 72. • Para execução de quinas uma régua é fixada na parede adjacente e o reboco é executado normalmente;• Para execução de cantos, a argamassa é aplicada normalmente, sendo o formato dado com régua e o acabamento é dado com desempenadeira em formato especial.
  73. 73. CuidadosVídeo 9
  74. 74. Reboco no tetoExecução• Primeiramente colocam-se andaimes, geralmente feitos de cavaletes de madeira e sobre os cavaletes compensados.• Sob os andaimes coloca-se a padiola de argamassa, para facilitar na execução (não ter que descer do andaime).• Aplica-se o reboco no teto (com o emboço umedecido), e com ajuda da desempenadeira comprimi-se a argamassa para melhor fixamento.• Vídeo 9-10
  75. 75. Massa única
  76. 76. Massa única, ou emboço paulista, é umaargamassa pronta a base de cimento Portland,agregados especiais e aditivos importados. Aplicada logo após o chapisco, constituiuma única camada substituindo o emboço ereboco, e cumpre as duas funções, a deregularização da base e também a deacabamento.
  77. 77. Esquema
  78. 78. Utilização do Revestimento A massa única é indicada em revestimentosinternos e externos de paredes, tetos e fachadasonde as superfícies tenham sido construídascom concreto, bloco cerâmico, bloco decimento.
  79. 79. Traços do Revestimento O revestimento consiste em uma mistura decimento, cal e areia média. Quando aplicado em superfícies internas,deve ser executado no traço de 1:2:8 ou 1:2:9,respectivamente. Em aplicação de superfícies externas, otraço é de 1:1:6.
  80. 80. Execução do Revestimento em Massa Única Revestimento em fachadas - Para a execução do revestimento em fachadas, deve-se seguir os seguintes passos: Preparação da base; Definição do plano de revestimento; Aplicação da argamassa; Acabamento das camadas; Execução dos detalhes construtivos.
  81. 81. Execução do Revestimento Após o preparo da superfície, inicia-se o revestimento, seguindo os passos abaixo:Chapiscamento;Taliscamento;Mestras;Aplicação da argamassa;Sarrafeamento;Desempeno e Camurçamento.
  82. 82. • Aplicação da argamassa: Na mistura, recomenda-se o uso de equipamentos de mistura mecânica (misturador por batelada ou contínuo - argamassadeira). A mistura manual, deve ser evitada, pois não permite uma mistura homogênea, mais quando utilizado, deve-se ser executado em caixote estanque.
  83. 83. • Aplicação da argamassa: Para a aplicação, recomenda-se o uso de projetores mecânicos utilizados em grandes obras ou canequinha
  84. 84. • Bombas hidráulicas As bombas de argamassa conduzem o material sob pressão do tanque da bomba até a pistola, por um mangote, e o compressor de ar projeta a argamassa que deve ter características especiais para evitar o entupimento do mangote e a reflexão do material. Normalmente utiliza- se argamassa industrializada
  85. 85. • Canequinha Projetor com recipiente acoplado que é abastecido pelo operário no estoque de argamassa fresca, sendo necessá-rio parar a projeção para recarregá-lo. A argamassa é projetada em forma de spray por orifícios, pode ser industrializada ou produzida em obra. No entanto, deve ter características que impeçam o entupimento do projetor e a reflexão do material.
  86. 86. • Aplicação da argamassa Após a aplicação da argamassa, deve ser feita uma compressão com a colher de pedreiro, eliminando os espaços vazios e alisando a superfície. Recomenda-se que a aplicação da argamassa ocorra 2 horas após a execução das mestras, quando estas atingiram certa resistência, podendo assim servir de guia para o pano interno.
  87. 87. Para espessuras entre 3 cm e 5 cm, aargamassa deve ser aplicada em duas camadas.Para espessuras entre 5 cm e 8 cm, aargamassa deve ser aplicada em três camadas,neste caso, prevendo-se o uso de tela metálicapara estruturar o revestimento.Para obter um melhor acabamento final utiliza-se uma desempenadeira plástica oudesempenadeira de madeira, seguido de feltro.
  88. 88. Detalhes Construtivos• A etapa de execução dos detalhes construtivos, tais como as juntas de trabalho, as quinas e cantos, os peitoris, as pingadeiras e o reforço com tela pode ser realizada antes do início da execução do revestimento ou logo após o seu desempeno e camurçamento, dependendo do tipo de detalhe.
  89. 89. Juntas de Trabalho
  90. 90. Quinas e Cantos
  91. 91. Pingadeiras
  92. 92. Reforço com Tela
  93. 93. Revestimento de Tetos• Para a aplicação do revestimento em superfícies horizontais, a argamassa deve ter: grande capacidade de aderencia a basetrabalhar com pequenas espessuras,evitar o aparecimento de fissuras ecompatibilizar a superfície do revestimento ao acabamento previsto.contrapisos, preferencialmente, executados
  94. 94. Condições iniciais• Todas as alvenarias devem estar concluídas e fixadas internamente.• Os batentes devem estar chumbados ou com referencial do vão definidos. Os contramarcos devem estar chumbados.• Todas as instalações elétricas e hidráulicas devem estar executadas e testadas
  95. 95. Execução do Revestimento• Limpeza da superfície• preparo da base• Rasgos decorrentes das instalações de tubulações devem ser tradados com a colocação de tela de aço galvanizado do tipo tela de viveiro.• Chapiscamento – O ideal é o uso do chapisco rolado ou industrializado pois o convencional, apresenta alto índice de desperdício e baixa produtividade.
  96. 96. Taliscamento no Teto
  97. 97. Sarrefamento
  98. 98. Desempeno
  99. 99. Revestimento em Argamassa Obrigado pela AtençãoJéssica PadilhaKaoane GarbinKatiana LazzariPatricia Carla Chapecó-SC, maio de 2012.

×