SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 4
Baixar para ler offline
Filmes    O Nome da Rosa.
         A Baixa Idade Média (século XI ao XV) é marcada pela desintegração do feudalismo e
         formação do capitalismo na Europa Ocidental. Ocorrem assim, nesse período,
         transformações na esfera econômica (crescimento do comércio monetário), social
         (projeção da burguesia e sua aliança com o rei), política (formação das monarquias
         nacionais representadas pelos reis absolutistas) e até religiosas, que culminarão com o
         cisma do ocidente, através do protestantismo iniciado por Martinho Lutero na
         Alemanha em 1517.

         Culturalmente, destaca-se o movimento renascentista que surgiu em Florença no século
         XIV e se propagou pela Itália e Europa, entre os séculos XV e XVI. O renascimento,
         enquanto movimento cultural, resgatou da antigüidade greco-romana os valores
         antropocêntricos e racionais, que adaptados ao período, entraram em choque com o
         teocentrismo e dogmatismo medievais sustentados pela Igreja.

         No filme, o monge franciscano representa o intelectual renascentista, que com uma
         postura humanista e racional, consegue desvendar a verdade por trás dos crimes
         cometidos no mosteiro.

         1. Contextualização

         Discussão dos elementos formadores da cultura moderna, o surgimento do pensamento
         moderno, no período da transição da Idade Média para a Modernidade.

         O Filme

         O Nome da Rosa pode ser interpretado como tendo um caráter filosófico, quase
         metafísico, já que nele também se busca a verdade, a explicação, a solução do mistério,
         a partir de um novo método de investigação. E Guilherme de Bascerville, o frade
         fransciscano detetive, é também o filósofo, que investiga, examina, interroga, duvida,
         questiona e, por fim, com seu método empírico e analítico, desvenda o mistério, ainda
         que para isso seja pago um alto preço.

         O Tempo

         Trata-se do ano 1327, ou seja, a Alta Idade Média. Lá se retoma o pensamento de Santo
         Agostinho (354-430), um dos últimos filósofos antigos e o primeiro dos medievais, que
         fará a mediação da filosofia grega e do pensamento do início do cristianismo com a
         cultura ocidental que dará origem à filosofia medieval, a partir da interpretação de
         Platão e o neoplatonismo do cristianismo. As teses de Agostinho nos ajudarão a
         entender o que se passa na biblioteca secreta do mosteiro em que se situa o filme.

         Doutrina Cristã

         Neste tratado, Santo Agostinho estabelece precisamente que os cristãos podem e devem
         tomar da filosofia grega pagã tudo aquilo que for importante e útil para o
         desenvolvimento da doutrina cristã, desde que seja compatível com a fé (Livro II, B,
         Cap. 41). Isto vai constituir o critério para a relação entre o cristianismo (teologia e
         doutrina cristã) e a filosofia e a ciência dos antigos. Por isso é que a biblioteca tem que
         ser secreta, porque ela inclui obras que não estão devidamente interpretadas no contexto
         do cristianismo medieval. O acesso à biblioteca é restrito, porque há ali um saber que é


                                    PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR                             Página 1
Filmes    O Nome da Rosa.
         ainda estritamente pagão (especialmente os textos de Aristóteles), e que pode ameaçar a
         doutrina cristã. Como diz ao final Jorge de Burgos, o velho bibliotecário, acerca do
         texto de Aristóteles – a comédia pode fazer com que as pessoas percam o temor a Deus
         e, portanto, faz desmoronar todo esse mundo.

         2. Disputa de Filosofia

         Entre os séculos XII e XIII temos o surgimento da escolástica, que constitui o contexto
         filosófico-teológico das disputas que se dão na abadia em que se situa O Nome da Rosa.
         A escolástica significa literalmente "o saber da escola", ou seja, um saber que se
         estrutura em torno de teses básicas e de um método básico que é compartilhado pelos
         principais pensadores da época.

         2.1 Influência aos Pensamentos

         A influência desse saber corresponde ao pensamento de Aristóteles, trazido pelos árabes
         (mulçumanos), que traduziram muitas de suas obras para o latim. Essas obras
         continham saberes filosóficos e científicos da Antigüidade que despertariam
         imediatamente interesses pelas inovações científicas decorrentes.

         2.2 Consolidação Política

         A consolidação política e econômica do mundo europeu fazia com que houvesse uma
         maior necessidade de desenvolvimento científico e tecnológico: na arquitetura e
         construção civil, com o crescimento das cidades e fortificações; nas técnicas
         empregadas nas manufaturas e atividades artesanais, que começam a se desenvolver; e
         na medicina e ciências correlatas.

         2.3 Pensamento Aristotélico

         O saber técnico-científico do mundo europeu era nesta época extremamente restrito e a
         contribuição dos árabes será fundamental para este desenvolvimento pelos
         conhecimentos de que dispunham de matemática, de ciências (física, química,
         astronomia, medicina) e de filosofia. O pensamento agora (Aristotélico) será marcado
         pelo empirismo e materialismo.

         3. A Época

         O enredo desenvolve-se na ultima semana de 1327, num monastério da Itália medieval.
         A morte de sete monges em sete dias e noites, cada um de maneira mais insólita - um
         deles, num barril de sangue de porco, é o motor responsável pelo desenvolvimento da
         ação. A obra é atribuída a um suposto monge, que na juventude teria presenciado os
         acontecimentos.

         Este filme é uma crônica da vida religiosa no século XIV, e relato surpreendente de
         movimentos heréticos. Para muitos críticos, o nome da rosa é uma parábola sobre a
         Itália contemporânea. Para outros, é um exercício monumental sobre a mistificação.




                                   PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR                          Página 2
Filmes    O Nome da Rosa.
         4. O Título

         A expressão "O nome da Rosa" foi usada na Idade Média significando o infinito poder
         das palavras. A rosa subsiste seu nome, apenas; mesmo que não esteja presente e nem
         sequer exista. A " rosa de então" , centro real desse romance, é a antiga biblioteca de um
         convento beneditino, na qual estavam guardados, em grande número, códigos preciosos:
         parte importante da sabedoria grega e latina que os monges conservaram através dos
         séculos.


         5. Biblioteca do Mosteiro

         Durante a Idade Média umas das práticas mais comuns nas bibliotecas dos mosteiros
         eram apagar obras antigas escritas em pergaminhos e sobre elas escreve ou copiar novos
         textos. Eram os chamados palimpsestos, livretes em que textos científicos e filosóficos
         ma Antigüidade clássica eram raspados das páginas e substituídos por orações rituais
         litúrgicos.

         O nome da rosa é um livro escrito numa linguagem da época, cheio de citações
         teológicas, muitas delas referidas em latim. É também uma crítica do poder e do
         esvaziamento dos valores pela demagogia, violências sexuais, os conflitos no seio dos
         movimentos heréticos, a luta contra a mistificação e o poder. Uma parábola sangrenta
         patética da história da humanidade

         Baseado: No romance de mesmo nome de Umberto Eco.

         5.1 - Pensamento

         O pensamento dominante, que queria continuar dominante, impedia que o
         conhecimento fosse acessível a quem quer que seja, salvo os escolhidos. No O nome da
         Rosa, a biblioteca era um labirinto e quem conseguia chegar no final era morto. Só
         alguns tinham acesso. É uma alegoria do Umberto Eco, que tem a ver com o
         pensamento dominante da Idade Média, dominado pela igreja. A informação restrita a
         alguns poucos representava dominação e poder. Era a idade das trevas, em que se
         deixava na ignorância todos os outros.

         6. História

         Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von
         Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no
         norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir
         se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários
         assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o
         caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é
         obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele
         conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega
         no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido
         assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é
         inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta



                                   PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR                             Página 3
Filmes    O Nome da Rosa.
         batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada
         enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado.

         O ano é 1327. Representantes da Ordem Franciscana e a Delegação Papal se reúnem
         num monastério Beneditino para uma conferência. Mas a missão deles é subitamente
         ofuscada por uma série de assassinatos. Utilizando sua brilhante capacidade de dedução,
         o monge franciscano William de Baskerville (Sean Connery), auxiliado pelo seu noviço
         Adso de Melk (Christian Slater), se empenha para desvendar o mistério. Mas antes que
         William possa completar sua investigação, o monastério é visitado pelo seu antigo
         desafeto, o Inquisidor Bernardo Gui (F. Murray Abraham). O poderoso Inquisidor está
         determinado a erradicar a heresia através da tortura e se William, o caçador, persistir na
         sua busca, também se tornará caça. Mas à medida que Bernardo Gui se prepara para
         acender a fogueira da Inquisição, William e Adso voltam à biblioteca labirintesca e
         descobrem uma verdade extraordinária ...

         Resumo de "O Nome da Rosa"

         Do ponto de vista do filme que hoje está sendo abordado, notamos que a história passa
         em um mosteiro na Itália Medieval. A idade média assistiu, em sua agonia um grande
         debate Filosófico Religioso. Perdido o equilíbrio do tomismo, o homem medieval caiu
         em dois extremos opostos.

         De um lado os humanistas racionalistas Frei Guilherme de Ockham, um édito moderno.
         Tais humanistas cultivaram o antropocentismo julgaram que graças Pa ciências e a
         técnica, o homem seria capaz de vencer todas as misérias do mundo, até criar uma era
         de grande prosperidade material e de completa felicidade natural.

         De outro lado místicos com visão extremamente pessimista da realidade. Para eles o
         mundo era intrinsecamente mau e irredimível por ser obra de um DEUS perverso,
         distinto da divindade. Acreditavam que a razão humana era má e só seria desejável
         perder-se no nada divino.

         No mosteiro, sete monges morrem estranhamente, isto aborda muito a violência.

         Há também uma violência sexual, no qual mulheres se vendem aos monges em troca de
         comida e muitas vezes depois são mortas.

         Movimentos ecléticos do século XIV, a luta contra a mistificação, o poder, o
         esvaziamento de valores pela demagogia, são mostrados em um cenário sangrento sobre
         a política da historia da humanidade.

         BiblIiografia

         Filme: O Nome da Rosa , Globo Filmes e Produçoes

         Livro: O Nome da Rosa, Autor.: Umberto Eco




                                   PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR                             Página 4

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesCatarina Castro
 
2 estrutura do sermão de santo antónio aos peixes
2  estrutura do sermão de santo antónio aos peixes2  estrutura do sermão de santo antónio aos peixes
2 estrutura do sermão de santo antónio aos peixesAntónio Fernandes
 
Teorias estéticas
Teorias estéticas Teorias estéticas
Teorias estéticas Paulo Gomes
 
Cesário Verde - Contextualização
Cesário Verde - ContextualizaçãoCesário Verde - Contextualização
Cesário Verde - Contextualizaçãosin3stesia
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particularHelena Coutinho
 
O nome da rosa (filme) trabalho
O nome da rosa (filme)   trabalhoO nome da rosa (filme)   trabalho
O nome da rosa (filme) trabalhoSousaLeitee
 
O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)Vasco L
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralHelena Coutinho
 
Conhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - KuhnConhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - KuhnJorge Barbosa
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacioAna Barreiros
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoHelena Coutinho
 
O nome da rosa, análise filosofica
O nome da rosa, análise filosoficaO nome da rosa, análise filosofica
O nome da rosa, análise filosoficaLUISMAR1991
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesvermar2010
 
livro filosofia soluções.pdf
livro filosofia soluções.pdflivro filosofia soluções.pdf
livro filosofia soluções.pdfInesVieiraAluno
 
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...Hca Faro
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesCristina Martins
 
Renascimento escultura
Renascimento esculturaRenascimento escultura
Renascimento esculturaLaguat
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoGijasilvelitz 2
 

Mais procurados (20)

Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos PeixesSíntese Sermão de Santo António aos Peixes
Síntese Sermão de Santo António aos Peixes
 
2 estrutura do sermão de santo antónio aos peixes
2  estrutura do sermão de santo antónio aos peixes2  estrutura do sermão de santo antónio aos peixes
2 estrutura do sermão de santo antónio aos peixes
 
Teorias estéticas
Teorias estéticas Teorias estéticas
Teorias estéticas
 
Cesário Verde - Contextualização
Cesário Verde - ContextualizaçãoCesário Verde - Contextualização
Cesário Verde - Contextualização
 
Cap v repreensões particular
Cap v repreensões particularCap v repreensões particular
Cap v repreensões particular
 
Dolce Stil Nuovo, Petrarca e o petrarquismo
Dolce Stil Nuovo, Petrarca e o petrarquismo Dolce Stil Nuovo, Petrarca e o petrarquismo
Dolce Stil Nuovo, Petrarca e o petrarquismo
 
O nome da rosa (filme) trabalho
O nome da rosa (filme)   trabalhoO nome da rosa (filme)   trabalho
O nome da rosa (filme) trabalho
 
O que é a arte (1)
O que é a arte (1)O que é a arte (1)
O que é a arte (1)
 
Cap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geralCap iv repreensões geral
Cap iv repreensões geral
 
Conhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - KuhnConhecimento Científico - Kuhn
Conhecimento Científico - Kuhn
 
A cultura do palacio
A cultura do palacioA cultura do palacio
A cultura do palacio
 
Oh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em anoOh! como se me alonga, de ano em ano
Oh! como se me alonga, de ano em ano
 
O nome da rosa, análise filosofica
O nome da rosa, análise filosoficaO nome da rosa, análise filosofica
O nome da rosa, análise filosofica
 
Sermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixesSermão de santo antónio aos peixes
Sermão de santo antónio aos peixes
 
livro filosofia soluções.pdf
livro filosofia soluções.pdflivro filosofia soluções.pdf
livro filosofia soluções.pdf
 
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...
A Cerimónia turca na obra “O burguês gentil-homem” (1670) de Molière (1622-16...
 
Teste2
Teste2Teste2
Teste2
 
A representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de CamõesA representação na amada na lírica de Camões
A representação na amada na lírica de Camões
 
Renascimento escultura
Renascimento esculturaRenascimento escultura
Renascimento escultura
 
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumoCantigas de escárnio e maldizer - resumo
Cantigas de escárnio e maldizer - resumo
 

Destaque

Resenha crítica : Filme o Nome da Rosa
Resenha crítica :  Filme o Nome da RosaResenha crítica :  Filme o Nome da Rosa
Resenha crítica : Filme o Nome da RosaElenilton Freitas
 
Trabalho metodologia - Resumo e Sinopse
Trabalho metodologia - Resumo e SinopseTrabalho metodologia - Resumo e Sinopse
Trabalho metodologia - Resumo e SinopseGustavo Andrade
 
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e Sinópse
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e SinópseGêneros textuais:Resenha,Resumo e Sinópse
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e SinópseGislene Vidal
 
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"Marcelo Dores
 
O filme nome da rosa
O filme nome da rosaO filme nome da rosa
O filme nome da rosa11121112
 
Guião do filme: O nome da rosa
Guião do filme: O nome da rosaGuião do filme: O nome da rosa
Guião do filme: O nome da rosaMaria Barroso
 
Resenha o nome da rosa
Resenha o nome da rosaResenha o nome da rosa
Resenha o nome da rosaClaudia
 
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICAEXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICALarissa Gomes
 

Destaque (8)

Resenha crítica : Filme o Nome da Rosa
Resenha crítica :  Filme o Nome da RosaResenha crítica :  Filme o Nome da Rosa
Resenha crítica : Filme o Nome da Rosa
 
Trabalho metodologia - Resumo e Sinopse
Trabalho metodologia - Resumo e SinopseTrabalho metodologia - Resumo e Sinopse
Trabalho metodologia - Resumo e Sinopse
 
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e Sinópse
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e SinópseGêneros textuais:Resenha,Resumo e Sinópse
Gêneros textuais:Resenha,Resumo e Sinópse
 
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"
Cine Pré-Uni "O Nome da Rosa"
 
O filme nome da rosa
O filme nome da rosaO filme nome da rosa
O filme nome da rosa
 
Guião do filme: O nome da rosa
Guião do filme: O nome da rosaGuião do filme: O nome da rosa
Guião do filme: O nome da rosa
 
Resenha o nome da rosa
Resenha o nome da rosaResenha o nome da rosa
Resenha o nome da rosa
 
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICAEXEMPLO DE RESENHA CRITICA
EXEMPLO DE RESENHA CRITICA
 

Semelhante a O Nome da Rosa: Investigação de assassinatos na Idade Média

Ágora - Alexandria (Resenha Crítica)
Ágora -  Alexandria (Resenha Crítica)Ágora -  Alexandria (Resenha Crítica)
Ágora - Alexandria (Resenha Crítica)Adilson P Motta Motta
 
Teologos barth, paul tilich, etc
Teologos barth, paul tilich, etcTeologos barth, paul tilich, etc
Teologos barth, paul tilich, etcBispoAlberto
 
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedraisA filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedraisBrigitte Guminiak
 
Complemento 2 - 3º ano - Sociologia
Complemento 2 - 3º ano - SociologiaComplemento 2 - 3º ano - Sociologia
Complemento 2 - 3º ano - SociologiaIsadora Salvari
 
O renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdfO renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdfRobertino Lopes
 
Períodos da Filosofia
Períodos da FilosofiaPeríodos da Filosofia
Períodos da FilosofiaRobson Santos
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraPequenoTigre
 
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigos
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigosfrancis.bacon.a.sabedoria.dos.antigos
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigosNunes 777
 
A sabedoria dos antigos Francis Bacon
A sabedoria dos antigos Francis BaconA sabedoria dos antigos Francis Bacon
A sabedoria dos antigos Francis BaconAnderson Santana
 
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02Mário Oliveira
 
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...Jerbialdo
 
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigos
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigosBacon francis-a-sabedoria-dos-antigos
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigoseunapim
 
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando Fedeli
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando FedeliRomantismo e Modernismo - Prof. Orlando Fedeli
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando FedeliOrlando Junior
 

Semelhante a O Nome da Rosa: Investigação de assassinatos na Idade Média (20)

Ágora - Alexandria (Resenha Crítica)
Ágora -  Alexandria (Resenha Crítica)Ágora -  Alexandria (Resenha Crítica)
Ágora - Alexandria (Resenha Crítica)
 
Teologos barth, paul tilich, etc
Teologos barth, paul tilich, etcTeologos barth, paul tilich, etc
Teologos barth, paul tilich, etc
 
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedraisA filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
A filosofia tomista aristotélica e a importancia da luz nas catedrais
 
Gustavo 23 filo
Gustavo 23 filoGustavo 23 filo
Gustavo 23 filo
 
O nome da rosa
O nome da rosaO nome da rosa
O nome da rosa
 
Complemento 2 - 3º ano - Sociologia
Complemento 2 - 3º ano - SociologiaComplemento 2 - 3º ano - Sociologia
Complemento 2 - 3º ano - Sociologia
 
Filosofia medieval
Filosofia medievalFilosofia medieval
Filosofia medieval
 
O renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdfO renascimento e a filosofia pdf
O renascimento e a filosofia pdf
 
Períodos da Filosofia
Períodos da FilosofiaPeríodos da Filosofia
Períodos da Filosofia
 
O suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotoraO suicídio ótica tomista/kotora
O suicídio ótica tomista/kotora
 
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigos
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigosfrancis.bacon.a.sabedoria.dos.antigos
francis.bacon.a.sabedoria.dos.antigos
 
A sabedoria dos antigos Francis Bacon
A sabedoria dos antigos Francis BaconA sabedoria dos antigos Francis Bacon
A sabedoria dos antigos Francis Bacon
 
FRANCIS BACON
FRANCIS BACONFRANCIS BACON
FRANCIS BACON
 
História da Filosofia
História da FilosofiaHistória da Filosofia
História da Filosofia
 
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
Aula 2apartepatristica-120404143143-phpapp02
 
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...
O Darwinismo e o Sagrado na Segunda Metade do Século XIX (Juanma Sánchez Arte...
 
Filosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tpFilosofia medieval 25tp
Filosofia medieval 25tp
 
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigos
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigosBacon francis-a-sabedoria-dos-antigos
Bacon francis-a-sabedoria-dos-antigos
 
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando Fedeli
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando FedeliRomantismo e Modernismo - Prof. Orlando Fedeli
Romantismo e Modernismo - Prof. Orlando Fedeli
 
Pensamentos filosóficos medieval
Pensamentos filosóficos  medieval Pensamentos filosóficos  medieval
Pensamentos filosóficos medieval
 

Mais de Antonio Justino

Mais de Antonio Justino (18)

Lei de Abuso de Autoridade comentada.
Lei de Abuso de Autoridade comentada.Lei de Abuso de Autoridade comentada.
Lei de Abuso de Autoridade comentada.
 
Tc valerio
Tc valerioTc valerio
Tc valerio
 
A queda do muro de berlim
A queda do muro de berlimA queda do muro de berlim
A queda do muro de berlim
 
A batalha da inglaterra
A batalha da inglaterraA batalha da inglaterra
A batalha da inglaterra
 
Persepolis e a revolução iraniana
Persepolis e a revolução iranianaPersepolis e a revolução iraniana
Persepolis e a revolução iraniana
 
Desativador de minas
Desativador de minasDesativador de minas
Desativador de minas
 
Gabarito preliminar 1 dia
Gabarito preliminar 1 diaGabarito preliminar 1 dia
Gabarito preliminar 1 dia
 
Filosofos
FilosofosFilosofos
Filosofos
 
O menino do pijama listrado
O menino do pijama listradoO menino do pijama listrado
O menino do pijama listrado
 
1 guerra
1 guerra1 guerra
1 guerra
 
Guia rapido do_g1_sobre_o_acordo_ortografico
Guia rapido do_g1_sobre_o_acordo_ortograficoGuia rapido do_g1_sobre_o_acordo_ortografico
Guia rapido do_g1_sobre_o_acordo_ortografico
 
Temas vestibular
Temas vestibularTemas vestibular
Temas vestibular
 
Anne frank
Anne frankAnne frank
Anne frank
 
Mauá
MauáMauá
Mauá
 
Lutero
LuteroLutero
Lutero
 
O livro das ignoracas
O livro das ignoracasO livro das ignoracas
O livro das ignoracas
 
Cartas chilenas
Cartas chilenasCartas chilenas
Cartas chilenas
 
TÉCNICAS DE REDAÇÃO EXERCÍCIO1
TÉCNICAS DE REDAÇÃO EXERCÍCIO1TÉCNICAS DE REDAÇÃO EXERCÍCIO1
TÉCNICAS DE REDAÇÃO EXERCÍCIO1
 

O Nome da Rosa: Investigação de assassinatos na Idade Média

  • 1. Filmes O Nome da Rosa. A Baixa Idade Média (século XI ao XV) é marcada pela desintegração do feudalismo e formação do capitalismo na Europa Ocidental. Ocorrem assim, nesse período, transformações na esfera econômica (crescimento do comércio monetário), social (projeção da burguesia e sua aliança com o rei), política (formação das monarquias nacionais representadas pelos reis absolutistas) e até religiosas, que culminarão com o cisma do ocidente, através do protestantismo iniciado por Martinho Lutero na Alemanha em 1517. Culturalmente, destaca-se o movimento renascentista que surgiu em Florença no século XIV e se propagou pela Itália e Europa, entre os séculos XV e XVI. O renascimento, enquanto movimento cultural, resgatou da antigüidade greco-romana os valores antropocêntricos e racionais, que adaptados ao período, entraram em choque com o teocentrismo e dogmatismo medievais sustentados pela Igreja. No filme, o monge franciscano representa o intelectual renascentista, que com uma postura humanista e racional, consegue desvendar a verdade por trás dos crimes cometidos no mosteiro. 1. Contextualização Discussão dos elementos formadores da cultura moderna, o surgimento do pensamento moderno, no período da transição da Idade Média para a Modernidade. O Filme O Nome da Rosa pode ser interpretado como tendo um caráter filosófico, quase metafísico, já que nele também se busca a verdade, a explicação, a solução do mistério, a partir de um novo método de investigação. E Guilherme de Bascerville, o frade fransciscano detetive, é também o filósofo, que investiga, examina, interroga, duvida, questiona e, por fim, com seu método empírico e analítico, desvenda o mistério, ainda que para isso seja pago um alto preço. O Tempo Trata-se do ano 1327, ou seja, a Alta Idade Média. Lá se retoma o pensamento de Santo Agostinho (354-430), um dos últimos filósofos antigos e o primeiro dos medievais, que fará a mediação da filosofia grega e do pensamento do início do cristianismo com a cultura ocidental que dará origem à filosofia medieval, a partir da interpretação de Platão e o neoplatonismo do cristianismo. As teses de Agostinho nos ajudarão a entender o que se passa na biblioteca secreta do mosteiro em que se situa o filme. Doutrina Cristã Neste tratado, Santo Agostinho estabelece precisamente que os cristãos podem e devem tomar da filosofia grega pagã tudo aquilo que for importante e útil para o desenvolvimento da doutrina cristã, desde que seja compatível com a fé (Livro II, B, Cap. 41). Isto vai constituir o critério para a relação entre o cristianismo (teologia e doutrina cristã) e a filosofia e a ciência dos antigos. Por isso é que a biblioteca tem que ser secreta, porque ela inclui obras que não estão devidamente interpretadas no contexto do cristianismo medieval. O acesso à biblioteca é restrito, porque há ali um saber que é PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR Página 1
  • 2. Filmes O Nome da Rosa. ainda estritamente pagão (especialmente os textos de Aristóteles), e que pode ameaçar a doutrina cristã. Como diz ao final Jorge de Burgos, o velho bibliotecário, acerca do texto de Aristóteles – a comédia pode fazer com que as pessoas percam o temor a Deus e, portanto, faz desmoronar todo esse mundo. 2. Disputa de Filosofia Entre os séculos XII e XIII temos o surgimento da escolástica, que constitui o contexto filosófico-teológico das disputas que se dão na abadia em que se situa O Nome da Rosa. A escolástica significa literalmente "o saber da escola", ou seja, um saber que se estrutura em torno de teses básicas e de um método básico que é compartilhado pelos principais pensadores da época. 2.1 Influência aos Pensamentos A influência desse saber corresponde ao pensamento de Aristóteles, trazido pelos árabes (mulçumanos), que traduziram muitas de suas obras para o latim. Essas obras continham saberes filosóficos e científicos da Antigüidade que despertariam imediatamente interesses pelas inovações científicas decorrentes. 2.2 Consolidação Política A consolidação política e econômica do mundo europeu fazia com que houvesse uma maior necessidade de desenvolvimento científico e tecnológico: na arquitetura e construção civil, com o crescimento das cidades e fortificações; nas técnicas empregadas nas manufaturas e atividades artesanais, que começam a se desenvolver; e na medicina e ciências correlatas. 2.3 Pensamento Aristotélico O saber técnico-científico do mundo europeu era nesta época extremamente restrito e a contribuição dos árabes será fundamental para este desenvolvimento pelos conhecimentos de que dispunham de matemática, de ciências (física, química, astronomia, medicina) e de filosofia. O pensamento agora (Aristotélico) será marcado pelo empirismo e materialismo. 3. A Época O enredo desenvolve-se na ultima semana de 1327, num monastério da Itália medieval. A morte de sete monges em sete dias e noites, cada um de maneira mais insólita - um deles, num barril de sangue de porco, é o motor responsável pelo desenvolvimento da ação. A obra é atribuída a um suposto monge, que na juventude teria presenciado os acontecimentos. Este filme é uma crônica da vida religiosa no século XIV, e relato surpreendente de movimentos heréticos. Para muitos críticos, o nome da rosa é uma parábola sobre a Itália contemporânea. Para outros, é um exercício monumental sobre a mistificação. PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR Página 2
  • 3. Filmes O Nome da Rosa. 4. O Título A expressão "O nome da Rosa" foi usada na Idade Média significando o infinito poder das palavras. A rosa subsiste seu nome, apenas; mesmo que não esteja presente e nem sequer exista. A " rosa de então" , centro real desse romance, é a antiga biblioteca de um convento beneditino, na qual estavam guardados, em grande número, códigos preciosos: parte importante da sabedoria grega e latina que os monges conservaram através dos séculos. 5. Biblioteca do Mosteiro Durante a Idade Média umas das práticas mais comuns nas bibliotecas dos mosteiros eram apagar obras antigas escritas em pergaminhos e sobre elas escreve ou copiar novos textos. Eram os chamados palimpsestos, livretes em que textos científicos e filosóficos ma Antigüidade clássica eram raspados das páginas e substituídos por orações rituais litúrgicos. O nome da rosa é um livro escrito numa linguagem da época, cheio de citações teológicas, muitas delas referidas em latim. É também uma crítica do poder e do esvaziamento dos valores pela demagogia, violências sexuais, os conflitos no seio dos movimentos heréticos, a luta contra a mistificação e o poder. Uma parábola sangrenta patética da história da humanidade Baseado: No romance de mesmo nome de Umberto Eco. 5.1 - Pensamento O pensamento dominante, que queria continuar dominante, impedia que o conhecimento fosse acessível a quem quer que seja, salvo os escolhidos. No O nome da Rosa, a biblioteca era um labirinto e quem conseguia chegar no final era morto. Só alguns tinham acesso. É uma alegoria do Umberto Eco, que tem a ver com o pensamento dominante da Idade Média, dominado pela igreja. A informação restrita a alguns poucos representava dominação e poder. Era a idade das trevas, em que se deixava na ignorância todos os outros. 6. História Em 1327 William de Baskerville (Sean Connery), um monge franciscano, e Adso von Melk (Christian Slater), um noviço que o acompanha, chegam a um remoto mosteiro no norte da Itália. William de Baskerville pretende participar de um conclave para decidir se a Igreja deve doar parte de suas riquezas, mas a atenção é desviada por vários assassinatos que acontecem no mosteiro. William de Baskerville começa a investigar o caso, que se mostra bastante intrincando, além dos mais religiosos acreditarem que é obra do Demônio. William de Baskerville não partilha desta opinião, mas antes que ele conclua as investigações Bernardo Gui (F. Murray Abraham), o Grão-Inquisidor, chega no local e está pronto para torturar qualquer suspeito de heresia que tenha cometido assassinatos em nome do Diabo. Considerando que ele não gosta de Baskerville, ele é inclinado a colocá-lo no topo da lista dos que são diabolicamente influenciados. Esta PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR Página 3
  • 4. Filmes O Nome da Rosa. batalha, junto com uma guerra ideológica entre franciscanos e dominicanos, é travada enquanto o motivo dos assassinatos é lentamente solucionado. O ano é 1327. Representantes da Ordem Franciscana e a Delegação Papal se reúnem num monastério Beneditino para uma conferência. Mas a missão deles é subitamente ofuscada por uma série de assassinatos. Utilizando sua brilhante capacidade de dedução, o monge franciscano William de Baskerville (Sean Connery), auxiliado pelo seu noviço Adso de Melk (Christian Slater), se empenha para desvendar o mistério. Mas antes que William possa completar sua investigação, o monastério é visitado pelo seu antigo desafeto, o Inquisidor Bernardo Gui (F. Murray Abraham). O poderoso Inquisidor está determinado a erradicar a heresia através da tortura e se William, o caçador, persistir na sua busca, também se tornará caça. Mas à medida que Bernardo Gui se prepara para acender a fogueira da Inquisição, William e Adso voltam à biblioteca labirintesca e descobrem uma verdade extraordinária ... Resumo de "O Nome da Rosa" Do ponto de vista do filme que hoje está sendo abordado, notamos que a história passa em um mosteiro na Itália Medieval. A idade média assistiu, em sua agonia um grande debate Filosófico Religioso. Perdido o equilíbrio do tomismo, o homem medieval caiu em dois extremos opostos. De um lado os humanistas racionalistas Frei Guilherme de Ockham, um édito moderno. Tais humanistas cultivaram o antropocentismo julgaram que graças Pa ciências e a técnica, o homem seria capaz de vencer todas as misérias do mundo, até criar uma era de grande prosperidade material e de completa felicidade natural. De outro lado místicos com visão extremamente pessimista da realidade. Para eles o mundo era intrinsecamente mau e irredimível por ser obra de um DEUS perverso, distinto da divindade. Acreditavam que a razão humana era má e só seria desejável perder-se no nada divino. No mosteiro, sete monges morrem estranhamente, isto aborda muito a violência. Há também uma violência sexual, no qual mulheres se vendem aos monges em troca de comida e muitas vezes depois são mortas. Movimentos ecléticos do século XIV, a luta contra a mistificação, o poder, o esvaziamento de valores pela demagogia, são mostrados em um cenário sangrento sobre a política da historia da humanidade. BiblIiografia Filme: O Nome da Rosa , Globo Filmes e Produçoes Livro: O Nome da Rosa, Autor.: Umberto Eco PROVESTIBULLAR.BLOGSPOT.COM.BR Página 4