Slides visão histórica da igreja capitulo 3

391 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
391
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Slides visão histórica da igreja capitulo 3

  1. 1. Capítulo 03Capítulo 03 VISÃO HISTÓRICAVISÃO HISTÓRICA DA IGREJADA IGREJA APOSTILA 7APOSTILA 7
  2. 2. INTRODUÇÃOINTRODUÇÃO  A IGREJA MILITANTE É AO MESMO TEMPO: SANTAA IGREJA MILITANTE É AO MESMO TEMPO: SANTA E PECADORA;E PECADORA;  BUSCA VERDADEIRA DE CONVERSÃO PARABUSCA VERDADEIRA DE CONVERSÃO PARA ATINGIR A PÁTRIA DEFINITIVA;ATINGIR A PÁTRIA DEFINITIVA;  IMPELIDA E ILUMINADA PELO E.S QUE NELA VIVEIMPELIDA E ILUMINADA PELO E.S QUE NELA VIVE E ATUA;E ATUA;  ERROS HISTÓRICOS (DESÂNIMO OUERROS HISTÓRICOS (DESÂNIMO OU JULGAMENTO;JULGAMENTO;
  3. 3. O Cristianismo também tem sofridoO Cristianismo também tem sofrido ataques de Satanás em todas asataques de Satanás em todas as épocasépocas É PRECISO SALIENTAR QUE NUNCA FALTARAMÉ PRECISO SALIENTAR QUE NUNCA FALTARAM TEMPOS DIFÍCEIS, TESTEMUNHAS VIVAS ETEMPOS DIFÍCEIS, TESTEMUNHAS VIVAS E SANTAS. SENDO TESTEMUNHO,ONDE SESANTAS. SENDO TESTEMUNHO,ONDE SE ASSENTAM AINDA HOJE OS MÉRITOS DE JESUS.ASSENTAM AINDA HOJE OS MÉRITOS DE JESUS.
  4. 4. Quais tentativas que o inimigo tem usadoQuais tentativas que o inimigo tem usado para destruir o povo de Deus?para destruir o povo de Deus? 1.1. Herodes tentou matar JesusHerodes tentou matar Jesus quando Ele nasceu.quando Ele nasceu. 2.2. Após o batismo deApós o batismo de CristoCristo, Satanás, Satanás tentou enganá-lO.tentou enganá-lO. 3.3. Jesus morreu na cruzJesus morreu na cruz, u, uma vitóriama vitória aparente para Satanás, mas que seaparente para Satanás, mas que se transformou na grande vitória paratransformou na grande vitória para os cristãos e na derrotaos cristãos e na derrota totaltotal dodo inimigo.inimigo. 4.4. SSaulo e outros perseguiram osaulo e outros perseguiram os primeirosprimeiros cristãos.cristãos.
  5. 5. 5.5. Nero, imperador romano, se tornou grandeNero, imperador romano, se tornou grande perseguidor dos cristãos.perseguidor dos cristãos.  O decreto de Nero contra osO decreto de Nero contra os templostemplos cristãoscristãos duroudurou cerca de 250 anos (de 64cerca de 250 anos (de 64 a 313 AD)a 313 AD), O objetivo do, O objetivo do decreto era impedir a construção de templos e asdecreto era impedir a construção de templos e as reuniões públicas dos cristãos.reuniões públicas dos cristãos.  Durante esse período a igrejaDurante esse período a igreja sese reunia nos laresreunia nos lares e oe o seuseu cresccrescimento foi muito maiorimento foi muito maior..  O que parecia uma maldição tornou-se uma grandeO que parecia uma maldição tornou-se uma grande bênção.bênção. 5.5. Outros imperadores continuaram perseguindo aOutros imperadores continuaram perseguindo a igreja.igreja.
  6. 6. Quando terminou a perseguição aos cristãos?Quando terminou a perseguição aos cristãos?  Terminou em 313 AD, quandoTerminou em 313 AD, quando Constantino, o imperador, transformou oConstantino, o imperador, transformou o cristianismo na religião oficial do Impériocristianismo na religião oficial do Império Romano.Romano.  A partir daquele momentoA partir daquele momento um grandeum grande número de igrejas foram construídas pornúmero de igrejas foram construídas por eleele..
  7. 7. O que aconteceu no tempo deO que aconteceu no tempo de Constantino?Constantino?  A teologia e a história começaram a mudar oA teologia e a história começaram a mudar o papel dos leigospapel dos leigos que deixaram de serque deixaram de ser participantes para serem apenasparticipantes para serem apenas expectadoresexpectadores..  Doutrinas errôneas se espalharam no seioDoutrinas errôneas se espalharam no seio do cristianismo.do cristianismo.  A conversão de Constantino não foiA conversão de Constantino não foi genuína, interiormente ele ainda era pagão.genuína, interiormente ele ainda era pagão.  Wesley disse que a falsa conversão deWesley disse que a falsa conversão de Constantino “causou mais mal aoConstantino “causou mais mal ao cristianismo do que dez perseguiçõescristianismo do que dez perseguições juntas”.juntas”.
  8. 8. Quais as mudanças causadas pelo decreto deQuais as mudanças causadas pelo decreto de Constantino?Constantino?  Antes do decreto de Constantino:Antes do decreto de Constantino:  Os cristãos se reuniam nos lares para os encontrosOs cristãos se reuniam nos lares para os encontros religiosos.religiosos.  Os anciãos e diáconos cuidavam das necessidades dosOs anciãos e diáconos cuidavam das necessidades dos membros da igreja.membros da igreja.  As Escrituras se referem às igrejas dos lares eAs Escrituras se referem às igrejas dos lares e mencionam que os discípulos iam de casa em casa.mencionam que os discípulos iam de casa em casa.  OO ministério era responsabilidade dos anciãos,ministério era responsabilidade dos anciãos, diáconosdiáconos e outros membrose outros membros..  Os pastores eram os evangelistas,Os pastores eram os evangelistas, treinadores,treinadores, administradores e responsáveis por fundar novasadministradores e responsáveis por fundar novas igrejas.igrejas.
  9. 9.  Depois do decreto:Depois do decreto:  AAs pessoas freqüentavam os grandes temploss pessoas freqüentavam os grandes templos uma vez por semana.uma vez por semana.  O sacerdote passou a atender asO sacerdote passou a atender as necessidades espirituais dos membros.necessidades espirituais dos membros.  Alguns membros passaram a entender que aAlguns membros passaram a entender que a adoraçãoadoração públicapública substituiasubstituia a sua obrigaçãoa sua obrigação de ser um ministro e testemunhar.de ser um ministro e testemunhar.  Desde Constantino, a igreja nunca mais foi aDesde Constantino, a igreja nunca mais foi a mesma porque os membros deixaram demesma porque os membros deixaram de participaparticiparr do ministério.do ministério.
  10. 10.  Algumas doutrinas errôneas que seAlgumas doutrinas errôneas que se espalharam durante a idadeespalharam durante a idade médiamédia produziram as sementes para a Reforma.produziram as sementes para a Reforma.  Diante disso os reformadores reagiramDiante disso os reformadores reagiram contra o veneno que estavacontra o veneno que estava insidiosamente penetrando na igrejainsidiosamente penetrando na igreja cristã, e convidaram os cristãos para umcristã, e convidaram os cristãos para um retorno às Escrituras.retorno às Escrituras.
  11. 11. RECAPITULANDORECAPITULANDO  PERSEGUIDORES NO TEMPO DO IMPÉRIO:PERSEGUIDORES NO TEMPO DO IMPÉRIO: IMPERADORES;IMPERADORES;  NERONERO  TRAJANOTRAJANO  MARCO AURÉLIOMARCO AURÉLIO  7º.SEVERO7º.SEVERO
  12. 12. • VALERIANOVALERIANO • DIOCLECIANODIOCLECIANO • CONSTANTINO;CONSTANTINO;
  13. 13.  PONTOS CENTRAIS:PONTOS CENTRAIS:  O Verbo não coexistiu por toda a eternidade com o Pai;O Verbo não coexistiu por toda a eternidade com o Pai;  O Verbo foi criado do nada;O Verbo foi criado do nada;  O verbo não é o Filho por natureza nem o Filho não procede doO verbo não é o Filho por natureza nem o Filho não procede do Pai;Pai;  O Verbo começou a existir por um ato da vontade do Pai;O Verbo começou a existir por um ato da vontade do Pai;  O verbo é, por natureza, sujeito à mudança, física e moralmente.O verbo é, por natureza, sujeito à mudança, física e moralmente. LIBERDADE RELIGIOSA AS HERESIASLIBERDADE RELIGIOSA AS HERESIAS SE MULTIPLICARAM:ARIANISMO(IDEIASSE MULTIPLICARAM:ARIANISMO(IDEIAS LANÇADAS PELO PRESBÍTERO ARIOLANÇADAS PELO PRESBÍTERO ARIO DEALEXANDRIA.DEALEXANDRIA.
  14. 14. O bispo Alexandre, 318 (reunião um SínodoO bispo Alexandre, 318 (reunião um Sínodo local,onde 100 bispos, condenaram alocal,onde 100 bispos, condenaram a doutrina de Ariodoutrina de Ario  PONTOS DEFENDIDOS NO SÍNODO:PONTOS DEFENDIDOS NO SÍNODO:  O Verbo coexiste com o Pai desde o começo.O Verbo coexiste com o Pai desde o começo.  O Verbo não foi criado, foi ele que tudo criou.O Verbo não foi criado, foi ele que tudo criou.  O Verbo é Filho, não por adoção, mas por natureza.O Verbo é Filho, não por adoção, mas por natureza.  O Filho possui uma natureza igual a do Pai.O Filho possui uma natureza igual a do Pai.  O Verbo existe pela comunicação da essência doO Verbo existe pela comunicação da essência do Pai.Pai.  O Verbo, em função de sua natureza divina, nãoO Verbo, em função de sua natureza divina, não está sujeito à mudança nem ao sofrimento.está sujeito à mudança nem ao sofrimento.
  15. 15. A 1ª. IGREJA NA IDADE MÉDIAA 1ª. IGREJA NA IDADE MÉDIA  MOMENTO DE DOR PELA PERDA DO NORTE DAMOMENTO DE DOR PELA PERDA DO NORTE DA ÁFRICA, EGITO, ARÁBIA, MESOPOTÂMIA EÁFRICA, EGITO, ARÁBIA, MESOPOTÂMIA E SÍRIASÍRIA  ALEGRIA: CRISTIANIZAÇÃO DOS GERMANOS EALEGRIA: CRISTIANIZAÇÃO DOS GERMANOS E ESLAVOSESLAVOS  CONCRETIZA A DIVISÃO DA IGREJA DOCONCRETIZA A DIVISÃO DA IGREJA DO OCIDENTE E DO ORIENTE : PROBLEMASOCIDENTE E DO ORIENTE : PROBLEMAS
  16. 16. Quais os métodos deQuais os métodos de evangelismo do Novoevangelismo do Novo testamento?testamento?
  17. 17.  A ALTA IDADE MÉDIA:A ALTA IDADE MÉDIA:  Caracteriza por uma hegemonia do Papado com aCaracteriza por uma hegemonia do Papado com a Reforma Gregoriana, visando uma renovação daReforma Gregoriana, visando uma renovação da Igreja ao seu fortalecimento espiritual.Igreja ao seu fortalecimento espiritual.  (Pontos culminantes com Inocêncio III):(Pontos culminantes com Inocêncio III):  Posicionam-se contra a mundanização da Igreja,Posicionam-se contra a mundanização da Igreja, contra o emprego abusivo dos dízimos para ascontra o emprego abusivo dos dízimos para as cruzadas e dos impostos contra as cruzadas ecruzadas e dos impostos contra as cruzadas e dos impostos contra as penas eclesiásticas pordos impostos contra as penas eclesiásticas por motivos políticosmotivos políticos  Surgem movimentos com intuito de uma IgrejaSurgem movimentos com intuito de uma Igreja do Espírito Santo, mais purificada e santa.do Espírito Santo, mais purificada e santa.  Nos séculos XII e XIII se caracterizam peloNos séculos XII e XIII se caracterizam pelo surgimento( Franciscano e Dominicanos)surgimento( Franciscano e Dominicanos)  Momento teológico:São Tomas de Aquino,Momento teológico:São Tomas de Aquino,
  18. 18.  São Boaventura e outros.São Boaventura e outros.  BAIXA IDADE MÉDIA:BAIXA IDADE MÉDIA:  Igreja forte, mas surgem muitas discussõesIgreja forte, mas surgem muitas discussões culturais;culturais;  Reflexão sobre a existência do homem no mundoReflexão sobre a existência do homem no mundo  Civilização urbana e burguesa (com importânciaCivilização urbana e burguesa (com importância determinante para o futuro)determinante para o futuro)  Fase de certezas abaladas na eclesiásticaFase de certezas abaladas na eclesiástica  Individualismo crescenteIndividualismo crescente
  19. 19.  InquisiçãoInquisição  IntolerânciaIntolerância  Negação do respeito e dignidade do homemNegação do respeito e dignidade do homem  Medo do EvangelhoMedo do Evangelho  Baixa idade média até (XVI e XVII) Espanha;Baixa idade média até (XVI e XVII) Espanha;  Concílio de Tolosa (fiéis deveriam prestarConcílio de Tolosa (fiéis deveriam prestar juramento de renúncia a tudo que fossejuramento de renúncia a tudo que fosse contrário a fé Católica)contrário a fé Católica)  De tudo isso, devemos refletir sobre o passadoDe tudo isso, devemos refletir sobre o passado histórico sobre os direitos da dignidade humanahistórico sobre os direitos da dignidade humana e que o Cristianismo não PODE SER IMPOSTO.e que o Cristianismo não PODE SER IMPOSTO.
  20. 20. QuaisQuais são algumas dassão algumas das várias maneiras devárias maneiras de testemunhar por Jesus?testemunhar por Jesus?  FFortalecer aortalecer a amizade com vizinhosamizade com vizinhos,, amigos, parentes eamigos, parentes e colegas de trabalho.colegas de trabalho.  Dar seu testemunho pessoalDar seu testemunho pessoal..  Convidar estas pessoas para participaremConvidar estas pessoas para participarem da vida cristã em comunidade.da vida cristã em comunidade.
  21. 21.  A REFORMA PROTESTANTEA REFORMA PROTESTANTE  LUTERO-> (MONGE E DEPOIS PADRELUTERO-> (MONGE E DEPOIS PADRE AGOSTINIANO E PROFº. UNIVERSITÁRIO)AGOSTINIANO E PROFº. UNIVERSITÁRIO)  COMEÇANDO COM PROTESTOS DE LUTEROCOMEÇANDO COM PROTESTOS DE LUTERO QUE RECEBE APOIO DE PRÍNCIPES DO CENTROQUE RECEBE APOIO DE PRÍNCIPES DO CENTRO E NORTE DA ALEMANHA.E NORTE DA ALEMANHA.  CONSEQUÊNCIAS:CONSEQUÊNCIAS:  IndividualismoIndividualismo  Surgimento de inúmeras comunidade eclesiaisSurgimento de inúmeras comunidade eclesiais com diferenças doutrinais e costumescom diferenças doutrinais e costumes  Igreja reformada, Presbiteriana, AnglicanaIgreja reformada, Presbiteriana, Anglicana
  22. 22. REFORMULAÇÃO CATÓLICAREFORMULAÇÃO CATÓLICA  .. Concílio de TrentoConcílio de Trento  1ª. Fase -> redefiniu o Cânon das Sagradas Escrituras,1ª. Fase -> redefiniu o Cânon das Sagradas Escrituras,  Declaração que a tradução da Bíblia latina , Vulgata, eraDeclaração que a tradução da Bíblia latina , Vulgata, era totalmente isenta de erros teológicos.totalmente isenta de erros teológicos.  2ª. Fase2ª. Fase  3ª. Fase3ª. Fase  MUDANÇA NO RUMO DA HUMANIDADEMUDANÇA NO RUMO DA HUMANIDADE

×