Treinamento para áreas verdes.ppt

5.527 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
371
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Treinamento para áreas verdes.ppt

  1. 1. PROCEDIMENTO PADRÃO DE SEGURANÇA PARA OPERAÇÕES EM ÁREA VERDE
  2. 2. Objetivo: Estabelecer critérios e rotinas para a realização de serviços relacionados às áreas verdes, especificamente para a poda de árvores, corte de grama e capina química, e, ainda, disciplinar a utilização dos implementos e equipamentos de proteção individual e coletiva por parte dos empregados da MB Engenharia e Meio Ambiente Ltda.
  3. 3. PODA DE ÁRVORES 1. DEFINIÇÃO: Defini-se como poda de árvores o ato de cortar árvores e ramos em pé.
  4. 4. 2. PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES: Para a execução de qualquer tarefa com eficiência e segurança no corte de árvores, abate, corte de troncos em toras, corte de galhos, com a utilização de moto-serra e outros equipamentos para corte e poda, devem ser seguidas rigorosamente as recomendações técnicas e de segurança.
  5. 5. 2.1. INSTRUÇÕES DE SEGURANÇA: • Somente pessoas autorizadas e devidamente treinadas devem executar os serviços de corte e poda. Não operar o equipamento sem conhecimento para tal. • Sinalizar convenientemente o local do serviço mediante o uso de barreiras, cordões de isolamento e cones de sinalização.
  6. 6. • O empregado que irá efetuar a poda de árvores, deverá estar utilizando os equipamentos de proteção individual adequado, os quais se constituem de: luvas, capacete, óculos de segurança ou capacete com protetor facial acoplado, cinturão de segurança tipo pára-quedista, protetor auricular e macacão. • Cada ferramenta a ser utilizada no serviço deverá ser içada por meio de corda.
  7. 7. • Antes do início dos serviços, deverá ser constatada a existência ou não de casas de marimbondos ou abelhas na árvore a ser podada. Caso de existência, acionar órgão responsável pela exterminação dos insetos. • A distância mínima de segurança para as redes de alta tensão é de 2,00 metros e 1,00 para a baixa tensão.
  8. 8. 3. FERRAMENTAS PARA PODA As ferramentas utilizadas para a poda de árvores devem estar sempre limpas, afiadas e desinfetadas antes do uso. No momento do corte deverá ser escolhida a ferramenta adequada para cada caso.
  9. 9. - Serra manual - Serra circular hidráulica - Alicate hidráulico para poda - Moto-serra - Serrote corta galho - Facão - Machado de 2.500g - Machadinha de 70 g. - Foice OBS: As ferramentas dos últimos três itens, somente deverão ser utilizadas na remoção de árvores ou no corte de galhos ao nível do solo.
  10. 10. 4. COMO EFETUAR OS CORTES a. O corte deve ser sempre acima de uma gema vegetativa. Caso fique algum resto de tronco acima da gema, a gema apodrecerá, podendo comprometer toda a planta.
  11. 11. b. O corte sempre deve ser feito inclinado para facilitar o escoamento da água, em bisel de 45°, para fora da gema.
  12. 12. Apenas se pincela as áreas dos cortes com produtos especiais (elastomêros, alvaiade, calda bordalesa, mastique etc.) em caso de ramos grossos de árvores de alto valor. Essa operação precisa ser feita com muito critério porque ela protege o local contra infecções, mas atrasa muito o tempo de cicatrização, o que pode aumentar o risco de infecções. A poda de árvores em locais onde existam condutores elétricos devem ser realizadas de maneira a não deixar galhos acima dos condutores primários (Alta Tensão) ou em posição que o vento possa fazê-los tocar no condutor.
  13. 13. 5. PODA EMERGENCIAL É a poda executada em ramos de árvores visando resolver problemas de emergência, como, por exemplo, livrar a fiação elétrica de situação crítica (temporais, curto-circuito etc.), evitar acidentes em transeuntes, carros e outros.
  14. 14. 5.1. PODA PARCIAL EM V Visa eliminar os ramos que prejudicam a fiação elétrica primária e/ou secundária. A figura mostra a poda em "V" com afastamento para a rede primária.
  15. 15. 5.2. PODA PARCIAL EM FURO Visa eliminar os ramos que prejudicam a fiação elétrica secundária (baixa tensão). Observação: Normalmente a poda é executada em "V". Posteriormente a árvore se recompõe fechando a copa de modo a tomar a forma de um furo. Somente em copas muito densas é possível executar de inicio a poda em furo.
  16. 16. 5.3. PODA PARCIAL DE AFASTAMENTO SECUNDÁRIO Visa eliminar os ramos que estão próximos da fiação da rede elétrica secundária (baixa tensão).
  17. 17. Observações: As podas em "V" em "FURO" e de afastamento são podas emergenciais e não habituais.
  18. 18. A distância dos condutores aos galhos deve ser de, no mínimo, 2m para a alta tensão e 1m para a baixa tensão.
  19. 19. 6. CORTE COM TESOURA Ao cortar com tesoura, a lâmina fina deve ficar sempre do lado da gema.
  20. 20. Na suspensão de ramos, a lâmina da tesoura deve ser inserida no ângulo fechado do ramo, para que o corte seja adequado.
  21. 21. 1. Ramos ladrões 2. Verticais que obstruem a copa 3. Ramos cruzados que se roçam 4. Pendentes inadequados Na poda, procurar eliminar os ramos:
  22. 22. Na poda de um ramo de maior diâmetro, a seqüência operacional correta é a que se segue:
  23. 23. 7. EXECUÇÃO DA PODA • Verificar a distância dos galhos até as redes de baixa e alta tensão; • Verificar a distância de trabalho em relação a rede; • Verificar se os galhos a serem cortados tem possibilidade de atingir os condutores ou se a distância de trabalho é inferior a 60 cm em Redes de 13.800 volts. Nestes casos, a rede de alta deverá ser desligada, ou realizar a poda por profissionais especializados em serviços com linhas energizadas;
  24. 24. • Apoiar firmemente a escada sobre a árvore ou galhos que ofereçam a necessária resistência e amarrá-la. Solicitar um auxiliar para segurar firmemente a escada antes da amarração; • Subir na escada levando a corda de preferência com carretilha, presos ao cinturão de segurança; • Prender o cinturão em volta de um galho resistente, que possa suportar o peso do empregado que irá executar a poda;
  25. 25. • Fixar a carretilha na linga; • Içar as ferramentas necessárias; • Cortar os galhos menores com a tesoura para poda; • Amarrar os galhos grandes com as cordas e cortá-los; • Tanto o podador quanto o ajudante que se encontra no solo, devem estar atentos para não serem atingidos pelos pedaços de árvore que forem seccionadas;
  26. 26. • Finalizada a poda, retirar a escada e amontoar os galhos junto ao meio fio ou local de trabalho, para serem posteriormente recolhidos e removidos para local previamente estabelecido.
  27. 27. 8. CORTE DE ÁRVORES Executar o 1° corte (barriga ou tombo) da árvore na direção em que deseja que a mesma caia.
  28. 28. O segundo corte deverá ser feito aproximadamente 10 cm acima do lado oposto do primeiro corte, até a árvore cair. Após a queda da árvore a mesma deve ser retirada do local para não obstruir o trânsito.
  29. 29. 9. CASOS ESPECIAIS DE PODA DE ÁRVORES Existem casos de árvores que aparentemente não interferem nas redes elétricas ou outras situações, podendo inclusive estar distantes, mas, sob a ação de uma força exterior (ventos, tempestades) atingem os condutores e similares.
  30. 30. Tais árvores devem ser observadas e podadas normalmente. Caso sejam bananeiras, coqueiros, bambus ou outras que não apresentem troncos em sua constituição, devem ser retirados após autorização de órgãos competentes. Observação: A identificação de árvores que estejam interferindo nas redes ou similares é feita, em geral, pela observação ou pelo perfil da árvore do lado atingido, apresentando reentrâncias.
  31. 31. 10. CUIDADOS BÁSICOS NA UTILIZAÇÃO DE MOTO-SERRAS a. Leia com atenção este documento antes de iniciar suas atividades, no manuseio de moto- serra. b. Usar as roupas protetoras incluindo: - Capacetes de segurança com viseira ou óculos - Calçados de segurança - Luvas - Protetor auricular tipo concha ou auricular de inserção
  32. 32. c. Não fumar quando estiver operando ou abastecendo a moto-serra. d. Não operar a moto-serra quando estiver sozinho. Ligar a mesma sem ajuda de outra pessoa. Não dar partida com a moto-serra sobre a perna ou joelho. e. Manter o corpo e vestimenta longe da moto- serra para dar partida e operá-la. Antes de dar partida, assegurar-se que a moto-serra não esteja encostando-se a nada.
  33. 33. Atenção com os rebotes. Rebote é quando a moto-serra pula para cima e para trás. Quando a moto-serra estiver ligada, segurar firmemente com ambas as mãos e prestar atenção no que estiver cortando. Os rebotes podem ser causados quando: • A ponta da corrente bate acidentalmente em galhos ou outros objetos • A corrente encontra metal, cimento ou outro material duro que esteja perto ou dentro da madeira • A velocidade do motor é insuficiente no inicio ou durante o corte. • A corrente estiver cega e/ou solta • Se operar a moto-serra acima do ombro • Se descuidar ao segurar ou guiar a moto-serra durante o corte.
  34. 34. Não cortar árvores ou galhos se estiver ventando forte. Usar cunhas para controlar a direção da queda da árvore e evitar que a barra ou corrente se prenda durante o corte. f. Manter os dois pés firmes no chão durante o corte e planejar bem a sua saída durante a queda da árvore e galhos. g. Não colocar a moto-serra quente em locais onde hajam produtos inflamáveis.
  35. 35. h. Recomenda-se não operar a moto-serra em cima de árvores, escadas ou qualquer outra superfície instável. Se for necessário operar a moto-serra nessas condições, deve-se lembrar que são extremamente perigosas. i. Não usar a moto-serra quando estiver em posição incorreta (desequilibrado), braços esticados, segurando com uma mão, etc. j. Ao cortar um galho tencionado (vergado), ter cuidado para não ser atingido por este, quando terminar o corte. k. Muito cuidado ao cortar materiais finos, podem ricochetear na direção do operador ou fazê-lo perder o equilíbrio.
  36. 36. Evitar a operação prolongada da moto-serra se suas mãos começarem a adormecer, inchar ou ficarem tensas. Essas condições podem diminuir sua capacidade de controlar a moto-serra.
  37. 37. Fumaça do escapamento Não operar a moto-serra em locais fechados ou de pouca ventilação. • Observar os regulamentos locais referentes à prevenção de incêndios. • Recomenda-se em locais que tenham grama seca, folhas ou outros materiais inflamáveis, ter sempre a mão um extintor de incêndio e uma pá. • Nunca operar a moto-serra sem o silencioso. • Não transportar a moto-serra pela alavanca de acionamento do freio da corrente. Somente pelo pegador manual.
  38. 38. • Desligar a moto-serra quando transportá-la de um corte para outro. Transportar sempre a moto-serra com o motor desligado, a barra voltada para trás e o silencioso longe do seu corpo. •Não tocar com as mãos na corrente em movimento. • Não permitir a presença de outras pessoas ou animais perto da moto-serra em movimento ou quando estiver cortando árvores. • Não tocar nem manter suas mãos perto do silencioso quente. • Somente operar a moto-serra se, reduzindo a rotação do motor à marcha lenta, a corrente parar.
  39. 39. 11. INSTRUÇÕES PARA O CORTE Antes de usar a moto-serra, revisar todas as precauções de segurança deste documento. • Cortar com o motor em alta velocidade (acelerador ao máximo). • Não reduzir a velocidade do motor no começo ou durante o corte. • Ter uma saída segura quando a árvore ou galho cair. • Cortar somente madeira com a moto-serra.
  40. 40. 12. OUTROS EQUIPAMENTOS ESCADAS DE MADEIRA Escada singela: é constituída de uma única seção. ESCADA EXTENSÍVEL De comprimento ajustável, constituída de duas seções capazes de deslizarem uma sobre a outra por meio de guias apropriadas.
  41. 41. 13. TIPO DE CORTE DE ÁRVORES • A direção da queda da árvore é controlada pelo entalhe direcional; • O tipo A é fácil de ser feito e comumente usado; • O tipo B deixa o corte do tronco no esquadro; • O tipo C é uma variação do A. O entalhe direcional deve ter 1/3 do diâmetro da árvore. O corte horizontal não deve atingir o entalhe direcional. A parte não cortada da árvore, paralela da árvore do entalhe serve com dobradiça durante a queda. A operação deve obedecer a sequência 1,2 e 3 da ilustração abaixo.
  42. 42. Quando o diâmetro do tronco a ser cortado for maior do que o cumprimento da barra, fazer dois cortes.
  43. 43. 13.1. Corte de troncos em toras • Quando cortar o tronco em encostas, ficar sempre na parte mais alta. • Se o tronco derrubado estiver totalmente no solo, começar a cortar na parte superior tendo cuidado para atingir o solo. • Se o tronco estiver apoiado por uma extremidade, cortar primeiro a parte inferior até atingir 1/3 do diâmetro do tronco para evitar lascas. Depois começar a cortar pela parte superior para evitar travamento da barra. • Se o tronco estiver apoiado pelas duas extremidades, cortar inicialmente pela parte superior até atingir 1/3 do diâmetro para evitar lascas. Depois, começar a cortar pela parte inferior para evitar travamento da barra.
  44. 44. 14. MANUTENÇÃO Toda e qualquer manutenção, com exceção da limpeza superficial, deverá ser realizada por oficina especializada (autorizada). Depois de cortar aproximadamente dez a quinze horas com sua moto-serra, recomenda-se uma completa revisão. TABELA DE VERIFICAÇÃO DA MANUTENÇÃO PREVENTIVA ITEM MANUTENÇÃO FREQUÊNCIA Parafusos e porcas Verificar/apertar Diariamente Controles Verificar Diariamente Filtro de ar Limpar/substituir Diariamente
  45. 45. Corrente Verificar/afiar Diariamente Barra Limpar e virar Semanalmente se necessário Amortecedor de vibrações Verificar/substituir Semanalmente se necessário Pinhão, tambor, embreagem Verificar/substituir Semanalmente se necessário Filtro de tanque Substituir Quando necessário Visor de óleo Limpar Mensalmente
  46. 46. Silencioso Limpar Mensalmente Vela de ignição Limpar/ajustar/su bstituir Mensalmente Aletas do cilindro Limpar Semanalmente Cabo de partida Verificar/substituir Semanalmente Carburador Limpar Mensalmente Orifício de descarga Limpar Mensalmente Combustível, óleo, mangueira Verificar Mensalmente
  47. 47. CORTE DE GRAMA 1. DEFINIÇÃO: Defini-se como corte de grama a roçagem de áreas gramadas por meio de roçadeira.
  48. 48. 2. PROCEDIMENTOS E RECOMENDAÇÕES Para a execução de qualquer tarefa com eficiência e segurança no corte de grama com utilização de roçadeira devem ser seguidas rigorosamente às recomendações técnicas e de segurança.
  49. 49. 2.1. Instruções de Segurança Este procedimento se aplica aos empregados habilitados a utilizar roçadeira (operador de máquina). • Somente pessoas autorizadas e devidamente treinadas é que devem executar os serviços de corte de grama. Não operar o equipamento sem conhecimento para tal. • O empregado deve ser treinado em Segurança e Prevenção de Acidentes, Primeiros Socorros e Combate a Princípios de Incêndios.
  50. 50. • Antes de ligar a roçadeira, verificar se a mesma está em perfeitas condições de uso, tanto no que diz respeito às peças como a quantidade e tipo de combustível a ser utilizado. • Sinalizar convenientemente o local de serviço mediante o uso de barreiras, cordões de isolamento, cones de sinalização e redes de proteção.
  51. 51. 3. ROÇADEIRA COSTAL Equipamento destinado ao corte e rebaixamento de gramas, corte de pastos, capim grosso e corte de arbustos finos, de acordo com a aplicação de tipos de lâminas especificas a cada fim.
  52. 52. 3.1. ALGUNS TIPOS DE LÂMINAS DE CORTE a) Lâmina ou faca de três pontas: • Utilizada para o corte de pastos, capim grosso e corte de arbustos finos. Possui corte nos dois lados das facas. Quando em funcionamento, a lâmina gira em sentido anti-horário. Após o desgaste do gume de corte, vire a lâmina e utilize o segundo lado. • É importante que a lâmina esteja bem afiada. • Todas as alturas devem estar em igual medida, para manter a lâmina balanceada. A lâmina desbalanceada causa vibrações.
  53. 53. b) Lâmina de corte: • Utilizada exclusivamente para pastos finos e grama em geral. c) Disco de 80 dentes: • Aplicado para poda e desgalhamento. Utilizada eficazmente para corte de cana-de-açúcar e para colheita de arroz. • Não serrar com o lado direito da lâmina, porque provoca um forte contra golpe.
  54. 54. d) Carretéis com fio de nylon: • Utilizados para aparar gramados de média altura e fazer os acabamentos em geral. Nunca trabalhe com o comprimento do nylon acima do recomendado, pois causará danos à embreagem.
  55. 55. 3.2. COMO USAR A ROÇADEIRA Ligue o motor e puxe o acelerador. A lâmina começa a girar. Quando soltar o acelerador, a embreagem desacopla e a lâmina param de girar. Como a lâmina gira da direita para a esquerda (sentido anti-horário), obtém-se mais eficiência movimentando-se da direita para a esquerda. A lâmina cortará melhor se somente usar 1/3 de seu raio para cortar galhos e árvores e 2/3 para cortar grama, capim e ervas daninhas. AVISO: Ao cortar troncos de árvores, avançarem a lâmina devagar. Não bater a lâmina.
  56. 56. Acabamento de cantos: Com o cortador na posição horizontal, o fio de nylon cortará melhor movimentando-o da direita para a esquerda. Acabamento de meio fio: Inclinar o cabo (guidão) a 100° para a direita e manter o cortador de fio de nylon na posição vertical.
  57. 57. ATENÇÃO: Durante o trabalho, puxe o acelerador o suficiente para que a lâmina corte livremente. Acelerar todo o motor com pouca carga de corte causará consumo excessivo de combustível, superaquecimento do motor, superaquecimento do eixo cardan e mancais existentes no interior do extensor. Acelerar pouco o motor com qualquer carga de corte causará insuficiência de ar para refrigeração do motor, patinação e superaquecimento da embreagem no motor.
  58. 58. 3.3. PREPARO PARA O TRABALHO Regulagem das cintas Segure o extensor com a mão direita e a cinta com a esquerda. Coloque a máquina no ombro esquerdo. Segure o extensor com a mão esquerda e coloque o cinto no ombro direito.
  59. 59. Abotoe as cintas. Aperte e regule conforme necessário. Regule até que a máquina assente confortavelmente nas costas.
  60. 60. 4. Inspeções preliminares: • Antes de cada operação, verifique cuidadosamente o aperto da serra de corte (seja de aço cromo ou em nylon). • Verifique se a serra de corte tem dentes cinzelados (desbastados), rachados ou empenados. Se tiver, não usar esta serra de corte. Substituí-la por outra serra de corte, nova (Em se tratando de serra em aço cromo). • Girar inicialmente a serra para ter a certeza que não há vibração anormal. Se constatar qualquer vibração anormal, verificar se a serra foi montada de acordo no suporte. • Trocar por peças novas quando as porcas, eixos ou flanges de montagem da serra estiverem desgastados.
  61. 61. 4.1 Quanto aos equipamentos de proteção individual: • Vestir macacão de mangas longas. • Usar capacete. • Utilizar proteção auricular. • Usar proteção ocular. • Usar botas ou sapatos de segurança com cano longo e solado antiderrapante. 4.2 Quanto ao Clima: Ter o máximo de cuidado e atenção em tempo chuvoso, especialmente em terrenos inclinados e escorregadios caso seja realmente necessário efetivar o corte ou rebaixamento da vegetação.
  62. 62. 4.4 - Incêndio: • Devido ao uso de gasolina, é terminantemente proibido fumar, acender fogo ou provocar centelhas perto da roçadeira. • Sempre parar o motor ao abastecer tendo o cuidado de enxugar o combustível extravasado (derramado, transbordado). • Dar a partida no motor em local seguro, longe de reservatórios de combustível. • Nunca colocar material combustível (panos, graxas, álcool, gasolina etc.) próximo ao silenciador.
  63. 63. 4.5. Quanto à operação: • Certificar-se que durante a operação não tem ninguém dentro de um raio de 15 a 20 metros da máquina. • Em operações em terrenos rochosos ou próximos a tubos, fios ou cerca, usar o máximo cuidado em não tocá-los. Se acontecer contato acidental, parar o motor e inspecionar se houve danos na transmissão ou na serra de corte. • Nunca operar o motor ao transportar a máquina de um local de trabalho para outro. • A lâmina deve ser colocada e retirada preferencialmente no local do evento. • Usar sempre a máquina em posição apropriada. • Nunca deixar restos de combustível no reservatório.
  64. 64. 4.6 - Outros cuidados: • O motor deve trabalhar nivelado, em local ventilado, pois, os gases de escape contêm monóxido de carbono, que é um gás inodoro (sem cheiro), mas altamente tóxico. Portanto, nunca funcionar o motor em local ou recintos fechados. • Se o motor estiver em funcionamento, nunca abastecer com gasolina. • Procurar não derramar gasolina sobre o motor quando ele estiver aquecido, pois, poderá causar uma explosão ou incêndio. • Atentar para que nada ou ninguém esteja atrás do operador quando puxar a corda de partida. • Nunca tocar na vela de ignição para evitar choque elétrico.
  65. 65. CAPINA QUÍMICA 1. DEFINIÇÃO: É o controle de plantas daninhas perenes e anuais em pátios, calçadas, ruas, subestações, margens de rodovia, aceiros de cercas, áreas industriais, oleodutos e terminais, estacionamentos, linhas de alta tensão, e outros.
  66. 66. 2. PROCEDIMENTOS DE APLICAÇÃO A aplicação do herbicida é feita através de pulverização com pulverizador de 4 ou 20 litros, na diluição de 1/100. É imprescindível o uso de equipamento de proteção individual: macacão, boné, botina, luva de PVC ou nitrílica e respirador facial eficiência P2. Colocar a quantidade recomendada do herbicida concentrado no pulverizador aberto e em seguida adicionar aos poucos a quantidade de água em temperatura ambiente adequada para a diluição. Aplicar sobre as folhas verdes das plantas daninhas, pois sua absorção ocorre basicamente pela região clorofilada das plantas (folhas e tecidos verdes).
  67. 67. 3. MANUSEIO E ARMAZENAGEM Evitar o contato com a pele, olhos e roupa. Evitar respirar vapor ou neblina proveniente do produto durante o manuseio. O usuário tem que adotar as boas práticas de higiene. Não guardar ou consumir alimentos no local de trabalho. Lavar as mãos antes de comer ou fumar. Armazenar o produto na embalagem fornecida pela empresa, segregando aquelas que estiverem em mau estado.
  68. 68. Manter fora do alcance de crianças e animais. Não misture, armazene ou aplique o produto ou soluções do produto em recipientes de aço galvanizado ou não revestido, exceto aço inoxidável, pois pode reagir com o material e formar gás hidrogênio altamente inflamável. O produto é estável e deve ser armazenado em local seco, bem ventilado e afastado de alimentos, agentes redutores e ácidos.
  69. 69. 4. CONTROLE DE EXPOSIÇÃO E PROTEÇÃO INDIVIDUAL Utilizar óculos de segurança. Utilizar vestimenta limpa para todo o corpo, com mangas compridas. Utilizar luvas de PVC, borracha natural ou material equivalente. Remover a roupa contaminada, que deve ser lavada antes da reutilização. Trabalhar em local com ventilação e exaustão adequadas. A concentração tem que ser mantida abaixo dos limites de exposição ocupacional. Para as operações em que o produto for agitado, utilizar máscara com filtro apropriado. Não reutilizar as embalagens vazias. A aplicação deve ser feita a favor do vento. Atentar para a velocidade do vento.

×