Andressa Peixoto e Thainá ReisCOLÉGIO ADVENTISTA UNASP24/2/2011DESIGUALDADE SOCIAL. <br />                                ...
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Andressa
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Andressa

327 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
327
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Andressa

  1. 1. Andressa Peixoto e Thainá ReisCOLÉGIO ADVENTISTA UNASP24/2/2011DESIGUALDADE SOCIAL. <br /> ÍNDICE.<br />INTRODUÇÃO<br />OQUE É DESIGUALDADE SOCIAL<br />ISSO É PROBLEMA NOSSO OU DO GOVERNO?<br />FOTOS<br />CONCLUSÃO<br />BIBLIOGRAFIA<br />Introdução<br />Muitas vezes ouvimos falar que entre nós existe pessoas que passam fome pelo mundo, que não tem condições de comprar algo. Certamente, quando éramos crianças ouvíamos nossas mães e pais falando “Não desperdice a comida, tem muita criança passando fome! Você devia estar agradecido pelo que tem porque muitas crianças não têm nem a metade do que você tem.” Isso não é desculpa para os nossos pais fazerem a gente comer ou coisa do tipo; Isso é totalmente real. No mundo há bilhões de habitantes (apenas no Brasil), e desses bilhões, mais ou menos 65% apenas no Brasil são pobres, sem contar que existem mais pessoas pobres pelo mundo, sem contar que o país mais pobre do mundo é a África, índia, entre outros... Em nossas opiniões, devemos prestar mais atenção ao nosso redor e ver que há pessoas necessitando de roupa, comida, abrigo para pensarmos: “Está bem, existe pobreza no mundo, mas o que eu fiz para melhorar essa situação? Nada? Será que eu ajudei?”.<br />2- OQUE É DESIGUALDADE SOCIAL?<br />Desigualdade social é quando olhamos fora das nossas casas e vemos essas cenas: É triste ver qualquer pessoa neste estado, dormindo na rua, sem casa, sem alguém que o ampare, propenso a doenças, humilhação, drogas, violência. O triste é que, mesmo essa pessoa querendo outra vida, os únicos empregos que seriam vagos a eles são: Lixeiro, empregada, diarista, faxineiro, e funcionário público. Muitas pessoas pensam que eles merecem esse destino, mas não é verdade, ninguém merece esse destino. <br />VEJA ESSA NOTICIA QUE MUITOS DEVEM TER VISTO:<br />Comentário(s) - 1<br />Polícia conclui investigação sobre caso de mendigo agredido<br />Inquérito segue para o MP, que pode ou não oferecer denúncia contra os agressores<br />07/02/2011 - 17:29<br />Foi concluído, na tarde desta segunda-feira (7), o inquérito policial que investigava a agressão a um morador de rua na semana passada em Lindóia. A conclusão aconteceu após o depoimento de um adolescente envolvido na agressão. Ele era esperado na delegacia na sexta-feira (4), mas não compareceu na data marcada. O delegado responsável pelo caso, Percival Bueno Neto, não informou o que acontece com o menor com o fim das investigações.<br />O inquérito foi enviado para o Fórum de Águas de Lindóia. Cabe ao Ministério Público definir se oferece ou não denúncia contra os agressores na Justiça.<br />A agressão<br />Uma câmera de monitoramento, que registrou a agressão, ajudou a identificar os três agressores. Dois deles foram indiciados por injúria real e lesão corporal na quinta-feira (3).<br />Em entrevista à EPTV, o morador de rua, Renato Carlos de Sousa, que afirma ter 36 anos, disse estar embriagado no momento da agressão.<br />"Foi uma briga que eu não vi. Eu estava sentado quietinho. Vieram para cima de mim", diz. O catador de papel disse que não provocou os rapazes e sobre o motivo que teria incentivado a agressão, ele afirma "que foi uma brincadeira deles, acho que eles estavam bêbados.”<br />3- Isso é problema nosso ou do governo?<br />Na verdade é problema nosso, por que, enquanto essas pessoas não tem o que comer, vertir, calçar, onde morar, ficamos jogando dinheiro fora para sustentar nosso consumismo e não pensamos neles.<br />Do governo também por não dar oportunidade de emprego para eles e nem dão oportunidade de estudo para as crianças e não oferecem um lugar limpo e com condições de ser chamado de Lar. Podemos reverter esse quadro manadando cartas para o governo pedindo para criar uma organização que ajuda as pessoas desfavorecidas, incentivar as pessoas a ajudá-las. Quando você estiver na rua, pense nessa cena e se lembre de ajudá-los<br /> <br />Não devemos ignorar esse assunto e nem essas pessoas, elas precisam muito da gente, ainda mais nessas situações preocupantes que existem a muito tempo, desde o século XVII, por conta dos colonizadores europeus.<br />Gente pobre...Gente rica.....<br />Conclusão:<br />Devemos parar de pensar em nós mesmos e começar a pensar nessas pessoas para que nós possamos ajudá-las, e se as ajudarmos, sentiremos um sentimento positivo, ou seja: “ Puxa, eu ajudei aquela pessoa, como eu me sinto bem por fazer as outras pessoas felizes!”. Para ajudramos elas podemos fazer simples ações: Doar roupas, alimentos, calçados, ser voluntário de programas sociais, ajudar orfanatos e asílos, isso faraá bem a você e a toda humanidade; Não ignore mais essas pessoas, o dinheiro que você gasta em sapatos ou roupas caras, devia ser usado para ajudar essas pessoas, até o tempo que você gasta fazendo nada, poderia ser usado para ajudar elas, alimentos, roupas, calçados, entre outros, podem ser doados para eles, se puder, monte um grupo de manifesto contra a desigualdade social, pois isso merece ser manifestado para o mundo todo<br />BIBLIOGRAFIA.<br />http://www.google.com.br/images?hl=pt-br&gbv=2&q=desigualdade%20social&um=1&ie=UTF-8&source=og&sa=N&tab=wi&biw=1003&bih=403<br />

×