Uma rede confiável aula 02

359 visualizações

Publicada em

Mídias Sociais 2014 - Uma rede confiável

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
359
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Uma rede confiável aula 02

  1. 1. Professor: Júlio Rocha Disciplina: Mídias Sociais 5º Período: Publicidade e Propaganda Ano: 2014
  2. 2. Uma rede confiável  Uma rede confiável é um grupo de pessoas de pensamento parecido que se reúnem em um lugar comum para compartilhar pensamentos, ideias e informações sobre si próprias.
  3. 3. Uma rede confiável  Esses grupos podem incluir milhões de pessoas (usuários), os quais podem hospedar milhões de fotografias e vários outros arquivos.
  4. 4. Uma rede confiável  Uma rede social também pode ser tão pequena quanto uma pessoa única e influente. Rede Social Privada para sua Empresa O 4bee é uma ferramenta de comunicação exclusiva para empresas. Através dela, os profissionais de uma corporação, independentemente de posicionamento na hierarquia, conseguem se comunicar de forma rápida e eficiente e criar grupos de trabalho auto-organizados – grandes ou pequenos – onde todos têm a possibilidade de contribuir com a evolução dos processos.
  5. 5. Uma rede confiável  As redes sociais desenvolvem a confiança que acaba por criar influência entre seus clientes. Isso pode resultar em mais vendas. Magazine Luiza ingressou na estratégia, aproximou-se de clientes e colheu os resultados. Comprar sem sair de casa. A prática não é novidade, mas ganhou um aditivo: as redes sociais. A partir da página pessoal no Facebook, por exemplo, já é possível adquirir produtos sem mesmo ter de acessar o site da loja. É o social commerce ganhando força e, ao que tudo indica, a tendência chega para ficar. Um prato cheio para ávidos consumidores digitais. Fonte: http://idgnow.uol.com.br/internet
  6. 6. Abraçar as redes sociais  Temos de ter uma nova maneira de falar com nossos clientes. Temos de transformar a maneira como tocamos nossos clientes, e integrarmo-nos a própria essência do que eles fazem todos os dias.
  7. 7. Abraçar as redes sociais  Como nós vamos fazer isso? Abraçando as oportunidades que a mídia social nos oferece ao nos conectar aos nossos clientes. Estamos construindo uma cultura na qual comunicar, envolver e admitir as opiniões, positivas e negativas, nos fazem uma empresa melhor.
  8. 8. Rápida mudança  O fenômeno dos sites de rede social mudou completa e rapidamente o modo como as pessoas interagem – em termos de relacionamento pessoais e profissionais. E sempre há uma ferramenta que milhões de pessoas, em um lugar ao mesmo tempo, com interesses em comum, estão chamando para usar, e você, como um empresário, precisa entender e ser uma parte disso.
  9. 9. De volta ao princípio  As redes sociais tem estado por aí desde quando havia seres humanos para criá-las. Quando as pessoas ainda viviam em cavernas e viajavam em clãs e tribos, estas eram as redes sociais confiáveis, onde as pessoas se uniam cooperativamente para trabalhar, viver e proteger um ao outro.
  10. 10. De volta ao princípio  São esses grupos que ajudam as pessoas a tomar as decisões mais importantes e as não tão importantes de suas vidas.
  11. 11. De volta ao princípio  Ex: Antes de ver um filme ou ir a um restaurante, você não consulta sua rede de amigos confiáveis e, de um tempo pra cá, a internet?
  12. 12. Rede Social  É um grupo de pessoas que interagem por meio de informativos eletrônicos, blogs, comentários, telefone, e-mail e mensagens instantâneas, e que usam o texto, áudio, fotografias e vídeo para propósitos sociais, profissionais e educacionais. O objetivo da rede é construir a confiança em uma determinada comunidade.
  13. 13. Ciclo de vida nas redes sociais  Um ciclo de vida da afiliação em redes sociais online começa quando os membros iniciam a sua vida em uma comunidade como visitantes (visitors), espreitadores (lurkers), ou trolls.
  14. 14. Ciclo de vida nas redes sociais  Quando estiverem confortáveis, as pessoas se tornam noviços (novices) e participam do diálogo da comunidade.
  15. 15. Ciclo de vida nas redes sociais  Uma vez que tenham contribuído por um período de tempo, tornam-se habituais (regulars).
  16. 16. Ciclo de vida nas redes sociais  Com muita frequência, esses habituais romperão uma barreira e tornar-se-ão líderes (leaders).
  17. 17. Ciclo de vida nas redes sociais  Os membros que têm participação da rede por algum tempo e, eventualmente saem, são conhecidos como anciãos (elders).
  18. 18. Ciclo de vida nas redes sociais  Os seguintes exemplos de cada uma das fases do ciclo de vida da afiliação utilizam o site de compartilhamento de fotos flickr:
  19. 19. Ciclo de vida nas redes sociais  Espreitadores / Lurkers: Observam a comunidade e o conteúdo das fotografias. Não somam ao conteúdo ou aos comentários da comunidade e, ocasionalmente, visitam o local para olhar as fotos que alguém sugeriu.
  20. 20. Ciclo de vida nas redes sociais  Noviços / Novices: Estão apenas começando a se envolver na comunidade. Começam a fornecer conteúdo e a participar timidamente em alguns assuntos específicos.
  21. 21. Ciclo de vida nas redes sociais  Iniciados / Insiders: Consistentemente acrescentam discussões, comentários e conteúdo à comunidade. Interagem com outros membros e regularmente postam fotos.
  22. 22. Ciclo de vida nas redes sociais  Líderes / Leaders: São reconhecidos como participantes veteranos. Conectam-se com os habituais e são reconhecidos como “colaboradores para observar”. Um líder não consideraria ver fotos de outro membro se comentar sobre elas e, frequentemente corrige o comportamento de outros membros.
  23. 23. Ciclo de vida nas redes sociais  Anciãos / Elders: Deixam a rede por uma variedade de razões. Talvez seus interesses tenham mudado, ou, talvez, a comunidade tenha se movido em uma direção que não se harmoniza com eles.
  24. 24. Contribuindo com a rede social  As pessoas costumam se motivar a contribuir com informações valiosas para o grupo pela expectativa de que receberão uma ajuda ou informação útil e reconhecimento em troca.
  25. 25. Contribuindo com a rede social  Esse tipo de reciprocidade é particularmente importante para muitos contribuintes online.
  26. 26. Contribuindo com a rede social  Alguns indivíduos podem também contribuir livremente com informação valiosa porque têm senso de participação e a sensação de ter alguma influência sobre seu ambiente.
  27. 27. Contribuindo com a rede social  A psicologia social determina que as pessoas são seres sociais que ficam satisfeitos com o fato de receberem respostas diretas as suas atitudes.
  28. 28. Contribuindo com a rede social  Os blogs são um bom exemplo desse tipo de reconhecimento imediato, por meio do qual os leitores podem instantaneamente comentar e participar do conteúdo ao vivo.
  29. 29. O número de Dunbar  Em 1993, o psicólogo, fez uma importante descoberta sobre o funcionamento das redes sociais e da interação humana. Dunbar propôs que o limite cognitivo do número de pessoas com as quais um indivíduo pode manter relações sociais estáveis era de 150.
  30. 30. O número de Dunbar  Através da utilização de ferramentas de mídia social e das redes sociais, esse número cresceu para, talvez, centenas.
  31. 31. O número de Dunbar  E pela ligação de sua rede a cada uma de suas redes de seus contatos, o número efetivo de contatos utilizáveis pode atingir a casa dos milhões.
  32. 32. David Nour  Lembre-se, as redes sociais não têm a ver com permitir que se liguem a você todos os que pedirem. Como o autor David Nour, afirma: Não é sobre a quantidade de contatos seus, mas sim sobre o valor que cada um traz.
  33. 33. Fonte:  A Bíblia da Mídia Social - Brake, David K.; Safko, Lon

×