Lição 11 inveja - um grave pecado

1.416 visualizações

Publicada em

Aproveite a oportunidade e acesse o site a seguir mencionado para estudos biblicos e teológicos:

http://www.cpljmartins.blogspot.com

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.416
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
54
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lição 11 inveja - um grave pecado

  1. 1. Introdução: A lição deste domingo trata dedois graves pecados, que jamais deveriam serencontrados na vida do crente: a inveja e amaldade. A inveja leva à maldade e esta afastao homem do seu Criador. Todo aquele quepratica a iniquidade será julgado e condenadopor Deus. Infelizmente, muitos dos que afirmamservir ao Senhor praticam a maldade e, depois,hipocritamente, escondem-se atrás dasmáscaras da mansuetude e da humildade. Maso Todo-Poderoso não se deixa enganar pelasaparências. No devido tempo, conforme aparábola do joio e do trigo, arrancá-los-á e oslançará no lago de fogo.
  2. 2. 1. Inveja, um sentimento maléfico . Inveja é omesmo que cobiça; um sentimento de desgostoocasionado pela felicidade do outro. Invejar écobiçar e desejar o que a outra pessoa tem. Talsentimento nasceu da frustrada tentativa deSatanás em apoderar-se dos atributos divinos (Is14.12-20). Lúcifer invejou o Senhor; queria sermaior que o Todo-Poderoso.No Jardim do Éden, aserpente despertou algo parecido em Eva, levando-a ao desejo de ser como Deus (Gn 3.1-5). Essesentimento ainda motivou o primeiro homicídio dahistória (Gn 4.5). Por isso, a manifestação dainveja entre os servos de Deus é condenável porsua Palavra (Gl 5.26).
  3. 3. 2. Maldade, uma ação maligna . Apessoa que pratica a maldade énaturalmente perversa e está sempre prontaa prejudicar e a ofender ao próximo. OSenhor abomina os iníquos de coração e osque tem prazer em praticar o mal (Pv11.20). Os filhos do profeta Eli faziam oque era mau diante de Deus, e tiveram porsentença a morte (1 Sm 2.34; 4.11).Todo aquele que busca ferir ao seusemelhante, física ou moralmente, age deforma dissimulada, hipócrita e ímpia (Pv6.16-19). O tal não ficará impune.
  4. 4. 3. A inveja leva à maldade . Quem sedeixa contaminar pela inveja, vive angustiadoe planejando o mal de seu próximo. Aliás, amaldade é precedida pela inveja. As SagradasEscrituras dão exemplos reais desse duplopecado. Em Gênesis, encontramos a históriade Caim que, consumido pela inveja,assassinou o seu irmão, Abel. Tempos depois,os irmãos de José, movidos pela inveja,vendem-no como escravo para o Egito. NosEvangelhos, deparamo-nos com ossacerdotes que, por inveja do Senhor Jesus,tramaram a sua prisão e morte (Mt 27.18).
  5. 5. 1. Na vida de Caim . O homicídio cometido por Caimnasceu da inveja que ele nutria por seu irmão, Abel. Eleapresentou uma oferta ao Senhor que, por causa da mádisposição de seu coração, foi rejeitada por Deus. Ao passoque a de Abel foi aceita, porque este amava a Deus (Gn 4.1-16). O problema não estava na oferta em si, porque Deus eraadorado, no Antigo Testamento, tanto por sacrifícios vegetaisquanto animais (Lv 2.1-16). O real problema está naqualidade espiritual e moral do ofertante. Vendo que osemblante de Caim decaíra por causa da inveja e do ódio queele nutria contra o seu irmão, Deus advertiu-o quanto aopecado que jazia à porta. Mas Caim permitiu que a inveja setransformasse em ódio que, mais adiante, leva-o a planejar ea executar o assassinato de seu irmão. Em conseqüência deseu crime, Caim é banido da presença do Senhor (Gn 4.16).O crente deve aprender a controlar as suas emoções, pois osnossos atos geram consequências que, às vezes,acompanham-nos durante toda a vida.
  6. 6. 2. Na vida dos irmãos de José . José era o filhoamado de Jacó. Por isso, recebeu de seu pai umpresente que o distinguia de todos os seus irmãos (Gn37.3). Além disso, teve certa vez dois sonhos que,interpretados, mostravam toda a sua família curvando-sediante dele. Tais fatos suscitaram a inveja e a maldadede seus irmãos, pois era-lhes inadmissível que o seuirmão caçula viesse, um dia, a dominá-los (Gn 37.4-11).Tomados pela inveja, venderam-no como escravo para oEgito. Mas, passados treze anos, o Senhor exaltou aJosé. O escravo hebreu tornou-se governador do Egito.E, nessa condição, pôde salvar a sua família, inclusive osque intentaram-lhe o mal (Gn 41-48). Mais tarde, elesvieram a se arrepender de seus pecados e a reconhecerque Deus, de fato, estava operando uma grandesalvação por intermédio de José.
  7. 7. 3. Na vida do crente . O crente fiel não pode serdominado pela inveja, pois tal sentimento é pecado.A Bíblia ensina que devemos nos alegrar com os quese alegram (Rm 12.15). Mas o invejoso nãoconsegue alegrar-se com o sucesso e o êxito dosoutros, pois não tem escrúpulos e tudo fará para seapossar daquilo que não lhe pertence.Infelizmente, há muitos crentes que invejam cargos eposições, esquecendo-se de que é o Senhor Deusquem chama e capacita os seus servos para obrasespecíficas. O invejoso, porém, não entende isso.Por isso, vive amargurado de alma. Quem nutre talsentimento precisa mais do que depressa correr aospés de Cristo e buscar o perdão e a misericórdia. Seassim não proceder, não herdará a vida eterna.
  8. 8. 1. No âmbito familiar . O homem e amulher que sinceramente servem a Deusnão agem com malícia ou com astúcia.Cristo convida-nos a aprender com Ele asermos mansos e humildes (Mt 11.29).A família cristã deve ser diferente efirmar-se como exemplo a ser seguido.Em nosso lar, por conseguinte, não podefaltar o amor, a paz e a mansidão. Se,por acaso, você estiver sofrendo comalgum familiar, suporte a provação evença o mal com o bem (1 Pe 3.8-12).
  9. 9. 2. No trabalho. A empresa é o lugar onde passamos amaior parte do nosso tempo e onde também encontramospessoas invejosas, incompetentes e malignas. Nesseambiente, o servo de Deus deve aprender a compartilhara sua fé (sem prejudicar o seu trabalho) e demonstrar,através de atitudes, que é diferente. Não faltam relatos depessoas que sofrem abuso moral e que têm a sua féconfrontada a todo instante. O desejo de galgar cargos eposições não é condenável desde que isso ocorra deforma ética e como fruto do esforço e dos méritospessoais. É inadmissível, porém, a um servo de Deus agirde forma desleal e antiética. Devemos ser sal e luz, parainfluenciar positivamente o nosso ambiente de trabalho, afim de que o nome de Cristo seja glorificado (Mt 5.13-16,20). Ainda que você seja prejudicado, aja de maneiracristã. O Senhor, no devido tempo, o honrará (Gl 6.9).
  10. 10. 3. Na Igreja. Falar sobre maldades dentro da igrejapode parecer desnecessário, mas infelizmente não o é.Em nossos rebanhos, não faltam lobos em pele de ovelhae joio em meio ao trigo. Há muitos que, em nome deDeus, planejam o mal, ensinam heresias e profetizammentiras, trazendo dissensões, rebeliões e escândalosentre os santos (Mt 7.21-23; 2 Pe 2.1 ). A maldade temminado a fé de muitos. Quantas pessoas, alvos decalúnias e deslealdades, não se acham desviadas docaminho do Senhor? A Palavra de Deus diz que de seiscoisas odiadas pelo Senhor, a sétima Ele abomina:semear contendas entre os irmãos (Pv 6.16-19). Mesmoque você esteja padecendo perseguições por parte dosfalsos irmãos, prossiga fielmente, pois o Senhor reservou-lhe uma grande recompensa (2 Tm 3.12; Gl 2.4; 6.9;1 Pe 5.4; Ap 2.10 ). Converse com o seu pastor; elesaberá como ajudá-lo.
  11. 11. Conclusão: Quem serve a Deusverdadeiramente não deve sentir inveja doseu próximo nem praticar o mal. O Senhorchamou-nos para ser luz em meio às trevas.Assim, se você está sendo alvo de inveja eou de maldades, procure olhar para o alto,para aquele que lhe dá a salvação e olivramento. Não se deixe vencer pelo mal,mas vença o mal com o bem (Rm 12.9,21).Jamais esqueça que os olhos do Senhorestão atentos. Ele é justo e o seu rosto estávoltado para os retos (Sl 11.4-7).

×