Introdução. “Nessa lição, veremos que pessoassantas e fiéis ao Senhor padeceram por causa dedoenças e enfermidades, mas pe...
 “1. A queda e as enfermidades.  Muitas pessoas insistem em afirmarque o crente fiel jamais pode ser acometido por enfermi...
“2. Provados pelas enfermidades.  Quem não querdesfrutar de uma boa saúde? Algumas enfermidadesgeram limitações que nos im...
“3.    Enfermidades         de     origemmaligna. Existem enfermidades cujaorigem é maligna? Sim, a Bíblia relatavários ca...
“1. Depressão. É comum as pessoas confundiremdepressão com tristeza. Contudo, existe uma grandediferença. A depressão não ...
“2. Síndrome do pânico . A síndrome ébasicamente um conjunto de sinais e sintomasque pode ser produzido por mais de uma ca...
“3. As doenças psicossomáticas .  As doençaspsicossomáticas    manifestam-se      quando     osdesajustes do sistema emoci...
“1. Não culpar ou questionar aDeus. Muitos crentes ao enfrentar umaenfermidade       culpam   ao    Senhor    e,martirizan...
 “2. Confiar em meio à dor . A dor eo sofrimento não devem afastar-nos dapresença do Pai Celeste; ambosdevem servir para q...
“3. A espera de um milagre . Deus éimutável! Ele continua a operar milagres emaravilhas. Todavia, não podemos nosesquecer ...
 “Conclusão. O crente não estáimune as enfermidades. Mas anossa vitória sobre as doenças estána confiança em Deus. Ele nos...
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Lição 02   a enfermidade na vida do crente
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Lição 02 a enfermidade na vida do crente

591 visualizações

Publicada em

Aproveite a oportunidade e acesse o site a seguir mencionado para estudos biblicos e teológicos:

http://www.cpljmartins.blogspot.com

Escola Bíblica Dominical por Julio Cesar Martins

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Lição 02 a enfermidade na vida do crente

  1. 1. Introdução. “Nessa lição, veremos que pessoassantas e fiéis ao Senhor padeceram por causa dedoenças e enfermidades, mas pela fé receberamforças para vencer o sofrimento. A Palavra deDeus garante-nos que um dia, nós os salvos emJesus Cristo, seremos transformados,receberemos um novo corpo e nunca maismorreremos (1 Co 15.52). Todavia, enquantoestivermos nesse mundo, vivendo em um corpocorruptível, estaremos sujeitos a dores eenfermidades. Muitos cristãos, equivocadamente,acreditam que a enfermidade na vida do crentesempre é fruto de algum pecado oculto ou atémesmo obra do Diabo, mas raramente essas sãoas reais causas (Jo 11.4).”
  2. 2.  “1. A queda e as enfermidades.  Muitas pessoas insistem em afirmarque o crente fiel jamais pode ser acometido por enfermidades. Porém, aBíblia menciona diversos casos de homens tementes a Deus quesofreram com as enfermidades. A pergunta então é inevitável: Qual é aorigem das doenças, já que Deus não criou o homem para enfermar oumorrer? Antes da queda, Adão desfrutava de uma saúde perfeita edeveria viver eternamente em comunhão com o Criador. Mas ele pecou,desobedecendo a Deus. Como o “salário do pecado é a morte”, Adãoenfermou no corpo, na alma e no espírito (Rm 6.23 cf. Gn 3.19 ). Aenfermidade é consequência direta desse rompimento da relação entreDeus e a humanidade, e não deve ser confundida com a vontade doTodo-Poderoso. Todavia, isso não significa que toda vez que uma pessoaadoece é porque está em pecado. Certa vez, diante de um homem cego,os discípulos de Jesus perguntaram-lhe: “Rabi, quem pecou, este ou seuspais, para que nascesse cego?” (Jo 9.2). Eles acreditavam que acegueira daquele homem era resultado de alguma desobediênciaespecífica. Porém, Jesus lhes disse: “Nem ele pecou, nem seuspais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras deDeus” (Jo 9.3). Pode parecer estranho aos nossos olhos, mas aquelaenfermidade era para que o nome de Jesus fosse glorificado. Quem sabevocê não está sendo acometido de alguma doença para que o nome doSenhor seja glorificado na sua vida?”
  3. 3. “2. Provados pelas enfermidades.  Quem não querdesfrutar de uma boa saúde? Algumas enfermidadesgeram limitações que nos impedem até mesmo derealizarmos a obra do Senhor. Porém, o Pai Celestepermite algumas vezes que sejamos provados para que anossa fé cresça mediante uma maior experiência ecomunhão com Ele. O corpo pode estar debilitado peladoença, mas o espírito, como resultado da confiança emDeus, está forte. Na Bíblia, temos muitos exemplos dehomens fiéis que foram acometidos por enfermidades:Ezequias (2 Rs 20.1-11 ), Jó (Jó 1.1-22), Timóteo (1Tm 5.23). Nos momentos de dor e aflição, corra para osbraços do Pai Celeste! Muitos pensam que chorar é sinalde fraqueza, mas não o é. Chore, e coloque diante doSenhor toda a sua dor e sofrimento (1 Pe 5.7). Deus é odono da vida. A palavra final é sempre dEle!
  4. 4. “3. Enfermidades de origemmaligna. Existem enfermidades cujaorigem é maligna? Sim, a Bíblia relatavários casos (Mc 9.17; Lc 13.10-17 ).Porém, o inimigo das nossas almas nãopode tocar na vida e na saúde de ninguémsem a permissão de Deus (Jó 2.6). Aenfermidade física não significanecessariamente que alguém estejaexperimentando alguma forma de“possessão demoníaca” (1 Jo 5.18; 2Ts 3.3).”
  5. 5. “1. Depressão. É comum as pessoas confundiremdepressão com tristeza. Contudo, existe uma grandediferença. A depressão não é somente uma tristeza,embora o desalento, sem uma causa aparente, seja umdos seus muitos sintomas. A depressão é uma doença.Chegou a ser considerada por alguns especialistascomo a doença do século. Vários são os fatores quepodem causá-la: medicamentos, doenças físicas,período pós-parto, etc. Muitos ainda teimam em afirmarque o crente jamais fica deprimido, porém, basta ler aBíblia para encontrar casos em que servos de Deusenfrentaram essa terrível enfermidade (1 Rs19.4,9,10). Caso você também esteja passando porum período de depressão, não se constranja. Ore aoSenhor e não deixe de procurar ajuda médica (Mt9.12).
  6. 6. “2. Síndrome do pânico . A síndrome ébasicamente um conjunto de sinais e sintomasque pode ser produzido por mais de uma causa.Quem padece da síndrome do pânico — umpavor repentino e incontrolável — apresenta osseguintes sintomas: taquicardia, sudorese,aumento da pressão arterial e tontura. É precisomuita oração, apoio da família e da igreja, alémde tratamento médico especializado. Recitartextos bíblicos que falam a respeito da segurançaem Deus ajuda aqueles que estão enfrentando oproblema (Sl 3.5). Deve, porém, ficar claro que asíndrome do pânico é uma doença, logo nãosignifica falta de fé ou covardia.
  7. 7. “3. As doenças psicossomáticas .  As doençaspsicossomáticas manifestam-se quando osdesajustes do sistema emocional transformam-seem doenças físicas. Estando o sistema emocionalabalado, possivelmente haverá reflexos no corpo. Apessoa emocionalmente fragilizada ou estressadapode vir a ter dor de estômago, insônia, fadiga,artrite e dores de cabeça. As causas de taissintomas não se encontram em nosso físico, masna mente. A fé em Jesus Cristo e na sua Palavra éum excelente remédio para ajudar-nos a manter asaúde física e mental. Orar e meditar na Palavra deDeus também é uma forma eficiente de cuidadocom a saúde (Pv 4.20-22).
  8. 8. “1. Não culpar ou questionar aDeus. Muitos crentes ao enfrentar umaenfermidade culpam ao Senhor e,martirizando-se, questionam: “Por que Deus?”.Assim agiu o rei Ezequias, mas Deusacrescentou-lhe mais quinze anos (Is 38.5).Contudo, durante esse período de sobrevida,ele cometeu um de seus maiores erros (Is39.1-8). Não podemos nos esquecer de quesomos pó e que um dia ao pó haveremos deretornar (Gn 3.19). Diante da vontade doTodo-Poderoso, portemo-nos humildes e nãoauto-suficientes.
  9. 9.  “2. Confiar em meio à dor . A dor eo sofrimento não devem afastar-nos dapresença do Pai Celeste; ambosdevem servir para que aprendamos aconfiar ainda mais no Senhor. Atémesmo diante da morte, o crenteverdadeiro pode temer, todavia, não seassombra e continua a confiar: “Aindaque eu ande pelo vale da sombra damorte, não temerei mal nenhum,porque tu estás comigo [...] (Sl 23.4— ARA)”.
  10. 10. “3. A espera de um milagre . Deus éimutável! Ele continua a operar milagres emaravilhas. Todavia, não podemos nosesquecer da sua soberania. Ele opera quandoquer e a sua maneira de agir é única. Nãodesista, continue a confiar no poder doAltíssimo, pois sua esperança não seráfrustrada (Pv 23.18). O homem sem Deusdesconhece o seu futuro, mas o crente tem acerteza da vida eterna e sabe que o Todo-Poderoso jamais nos deixará: “O Senhorconhece os dias dos retos, e a sua herançapermanecerá para sempre” (Sl 37.18).
  11. 11.  “Conclusão. O crente não estáimune as enfermidades. Mas anossa vitória sobre as doenças estána confiança em Deus. Ele nos amae jamais nos abandona em meio àdor e ao sofrimento. Se você temsido assolado pelas enfermidades,não se desespere! Confie no Senhore ouça a sua voz: “Não temas,pois, porque estou contigo ”(Isaias 43.5).”

×