AAAA CCCCAAAAVVVVEEEERRRRNNNNAAAA DDDDOOOOSSSS SSSSUUUUSSSSPPPPIIIIRRRROOOOSSSS
Lenda indígena
Texto de:
JULIO CARRARA
Bas...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA C...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

09. a caverna dos suspiros

311 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
311
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

09. a caverna dos suspiros

  1. 1. AAAA CCCCAAAAVVVVEEEERRRRNNNNAAAA DDDDOOOOSSSS SSSSUUUUSSSSPPPPIIIIRRRROOOOSSSS Lenda indígena Texto de: JULIO CARRARA Baseada no folclore brasileiro Escrita em 1998
  2. 2. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 1111 PERSONAGENS: VOVÔ LUCINHA JUNINHO GODOFREDO VELHA DAS CAVERNAS CACIQUE PERI UIRÁ SEIS ÍNDIOS PERSONAGENS DA LENDA NARRADA POR VOVÔ: PIRATA KID ÍNDIA EULÁLIA DRAGÃO QUATRO PIRATAS TRÊS ÍNDIOS ÉPOCA(s): Atual, no plano da realidade; Indefinida no plano da imaginação. CENÁRIO: O exterior de uma caverna com a entrada da gruta na parte superior central. Essa entrada é bem larga. Uma grade fecha toda a entrada da caverna. Essa grade só aparece no momento da prisão de Eulália, se a cena for realizada como espetáculo teatral; (se o diretor utilizar o recurso do áudio- visual deverá descer do urdimento um ciclorama para serem projetadas as imagens da história de Eulália, não usando as grades neste momento) e da prisão de Godofredo. Duas enormes árvores, uma em cada extremo do proscênio.
  3. 3. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 2222 CENA 1 (Um pouco antes do terceiro sinal, ouve-se no áudio ruídos de mata: grilos, cigarras, coaxar de sapos, canto de pássaros e o barulho de uma cachoeira ao longe. Durante todo o transcorrer do espetáculo ouvem-se goteiras compassadas fazendo eco dentro da caverna. Black-out. Os ruídos aumentam e continuam no escuro. Um velho e duas crianças entram pela plateia. Pela respiração parece que caminharam muito. Cada um traz nas costas uma mochila e trajam chapeus e roupas de explorador. As únicas luzes que iluminam a cena são as dos faroletes que movem em todas as direções possíveis. Quando os três sobem ao palco, a luz aumenta de intensidade e o som vai cessando. Lucinha, muito cansada, desaba no chão.) LUCINHA (Exausta.) Não tô aguentando mais andar, vô. VOVÔ Viu porque eu não queria que vocês viessem comigo? Eu fui bem claro antes de sairmos do sítio que essa expedição não seria moleza. JUNINHO Mas andamos mais de quatro horas sem parar, vô. Precisamos descansar um pouco. VOVÔ Ok. Vocês venceram. Vamos descansar... (Juninho e Vovô sentam-se ao lado de Lucinha. Todos se livram das mochilas. Vovô tira da sua mochila uma garrafa térmica e uma xícara. Despeja o café na xícara, risca um fósforo e mergulha-o aceso no café. Fica olhando o líquido tentando decifrar alguma coisa.)
  4. 4. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 3333 LUCINHA (Curiosa.) O que cê tá fazendo, vô? VOVÔ Tirando a sorte! JUNINHO Sorte? Como assim? VOVÔ Fazendo isso surgem várias figuras no café. Olhem. (Mostra a xícara para os meninos.) A gente pode adivinhar a sorte pelas figuras... Formou um avião. Isso quer dizer que eu vou andar de avião. Basta saber interpretar. (Juninho pega outra xícara e repete o gesto do avô. Fica olhando curioso para a figura que formou.) JUNINHO E isso que apareceu na minha xícara, o que é? VOVÔ (Analisando.) Deixa eu ver. Hum... parece, parece... um dragão. Isso quer dizer que você vai ver um dragão! JUNINHO (Gagueja.) Um dra-dra-dragão? (Apavorado.) Eu quero ir embora. (Tenta sair correndo, mas o velho o segura com firmeza.) VOVÔ Deixa de ser cagão, Juninho. Quiseram vir comigo, agora aguentem as consequências. O único mal é que os dragões sempre moram em cavernas. E é
  5. 5. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 4444 possível que algum deles ainda more aqui... E nós só vamos embora depois que pusermos as mãos na arca do tesouro e entregarmos todo o ouro existente nela ao Cacique Peri, o tataraneto da índia Eulália. LUCINHA E se a gente não conseguir encontrar a arca? VOVÔ (Tira um mapa do bolso da camisa.) Claro que vamos encontrar. O mapa tá claríssimo. O tesouro tá enterrado aqui nessa caverna. JUNINHO Alguém já pode ter encontrado e levado embora... VOVÔ Acho pouco provável. LUCINHA E como pode ter tanta certeza? VOVÔ Essa caverna foi pouco explorada... Agora vamos descansar pra recuperar as energias e depois continuaremos nossa busca. (Vovô esconde o mapa em uma das botas.) JUNINHO (Meio assustado.) E se o dragão aparecer por aqui? VOVÔ Pare de bancar o bobo. Fica quieto e vamos dormir agora...
  6. 6. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 5555 (Os três entram em sacos de dormir e adormecem.) CENA 2 (Entram dois índios pela plateia. Um deles é o bandido Godofredo. Este arrasta o outro, que impaca a toda hora.) GODOFREDO Anda logo, seu índio idiota. Se você me ajudar a encontrar aquele velho imbecil e seus netos insuportáveis, eu roubo o mapa, pego o tesouro e vocês comem a carne deles. (Gesticula muito para fazê-lo entender.) (Uirá faz gesto de quem não entendeu.) GODOFREDO Você não entende nada, índio cretino. UIRÁ (Pensa que foi elogiado.) Uirá índio cretino! (Ri.) GODOFREDO (Impaciente.) Onde eu fui amarrar meu bode! Ainda por cima esse palerma que não entende nada. UIRÁ Uirá palerma! (Ri.) GODOFREDO Droga! (Caminha até o palco e encontra os três dormindo.) Mas quem é que eu vejo? Finalmente encontrei quem procurava. Venha comigo. O mapa está com esse velho. Vamos agir antes que eles acordem.
  7. 7. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 6666 (Ambos aproximam-se do velho com o objetivo de roubar o mapa. Sem que eles percebam, entra em cena uma Velha das cavernas, toda descabelada e esfarrapada com um porrete nas mãos. Ela acerta o porrete na cabeça de ambos, que seguram o grito de dor e saem correndo. Depois de um tempo, ouvem-se os gritos deles ao longe. A velha fica sentada, de vigia, observando-os. Juninho acorda com os gritos e se assusta ao ver a velha, que sorri para ele, mostrando os dentes podres.) JUNINHO Credo! (Com um nó na garganta.) Socorro! LUCINHA (Acordando.) O que foi Juninho? (Quando vê a velha, também se assusta e fica grudada com o irmão. Ambos tremem de medo.) VOVÔ (Também acorda.) O que foi isso? (Procura seus óculos e depois de colocá-los, enxerga nitidamente a figura da velha e, como os netos, também se assusta, dando um grito abafado. A velha olha para eles e faz um beicinho de choro. Começa a chorar alto. Vovô se aproxima dela e esta se mostra bem dócil, colocando a cabeça no ombro dele.) VOVÔ (Compreende tudo.) Não precisam se assustar, crianças. É só uma mulher das cavernas... VELHA (Fala em “cavernês”.) Oia uyts notivestes...
  8. 8. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 7777 LUCINHA (Sem entender.) O que ela disse, Juninho? JUNINHO (Imita a velha.) Oia uyts notivestes... LUCINHA Ah, muito engraçado, irmãozinho. (Para o avô.) Entendeu alguma coisa, vô? VOVÔ Não. (Presta atenção na velha, que faz gestos desesperados tentando dizer que dois homens vestidos de índio estiveram lá. Vovô vai decifrando.) Homem... vestido de índio? (A velha diz que são dois.) Dois homens? (Fica apavorado.) Meu Deus!!! LUCINHA Por que o medo, vô? Não diz sempre que é forte e corajoso? VOVÔ Forte e corajoso eu sou, mas a questão não é essa quando se trata de canibais. OS DOIS (Espantadíssimos.) Canibais???????? VOVÔ Sim, canibais. (Pensa.) Como não pensei nisso antes? Estamos numa região infestada de índios canibais. (Tira o mapa da bota e mostra para seus netos.) Aqui neste pontinho vermelho fica a tribo dos índios antropófagos. E neste ponto preto fica a tribo do Cacique Peri. No passado, todos eles foram muito maltratados e explorados pelos brancos e quando se enfurecem devoram carne humana. Os primeiros continuam antropófagos, mas a tribo do Cacique Peri
  9. 9. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 8888 deixou de ser. Mas se se enfurecerem, voltam a ser o que eram antes, ou seja, canibais... E se nós não conseguirmos encontrar a arca ou falar a mesma língua a respeito do que nos trouxe para cá, vamos todos virar picadinho. (As crianças engolem em seco.) Precisamos agir bem rápido. (A Velha faz gestos dizendo que expulsou os dois a porretadas e que vai protegê-los.) VOVÔ Ela disse que expulsou os índios daqui e que vai nos proteger. (Gesto afirmativo dela.) LUCINHA Mas vô, por que veio atrás desse tesouro mesmo sabendo dos perigos que correria? VOVÔ É uma longa história, Lucinha! JUNINHO Conte pra gente, então... (A cena a seguir transcorre no plano da imaginação dos receptores. Deverá existir uma luz especial para esse plano: uma luz de sonho. Aos poucos, a luz que ilumina o quarteto desce em resistência e eles permanecem imóveis na penumbra. A partir daí, o texto de vovô entra em off. À medida que vovô conta a história, as personagens vão aparecendo e encenando - isso se o diretor utilizar a linguagem teatral. Se o diretor utilizar a linguagem do audiovisual, as cenas deverão ser projetadas no telão que desce do urdimento. Se a opção for por esse recurso, o texto e as ações deverão sofrer algumas alterações, pois as imagens falarão por si.)
  10. 10. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 9999 VOVÔ Segundo minhas pesquisas, isso aconteceu na época em que os piratas infestavam os mares. Como vocês sabem os piratas eram loucos por tesouros. Acho que não pensavam em outra coisa. Bastava que descobrissem algum valor e pronto. Já iam atrás. Um dos piratas chamado Kid, navegava em pleno mar... (Pirata Kid e mais quatro marinheiros entram em cena dentro de um barco.) VOVÔ (Off.) ...quando viu que estava sendo perseguido por navios de guerra. (Os marinheiros ficam agitados.) VOVÔ (Off.) Tratou de fugir. Sabendo que acabaria por ser capturado, pois os perseguidores eram muito mais velozes do que ele pensou num modo de esconder o que lhe era mais caro: o tesouro que levava em seu barco. Os navios perseguidores se encontravam mais perto. (Um dos marinheiros olha por uma luneta e vê os navios de guerra. Interage com os outros a respeito do fato.) VOVÔ (Off.) Os piratas, vendo que a abordagem seria inevitável, empunharam as armas e esperaram. (Os piratas apontam as armas para fora de cena.)
  11. 11. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 10101010 VOVÔ (Off.) Os perseguidores, porém, não estavam dispostos a lutar com os piratas e resolveram afundar o barco do pirata Kid. O barco naufragou e os piratas abandonados à sua sorte. (Os piratas rodopiam várias vezes com o barco pelo palco passando a ideia de um barco afundando. Ao mesmo tempo, o mar fica agitado em virtude da tempestade. Gritarias e histeria coletiva. Os raios cortam o céu. Começa a chover fortemente. Os piratas pulam do barco enquanto este afunda. Pirata Kid não está com eles. Os quatro piratas lutam contra a fúria das águas e se afogam. Morrem no centro do palco e rolam para os bastidores.) VOVÔ (Off.) Morreram todos afogados, menos Kid, que ferido, conseguiu se arrastar até a ilha mais próxima, carregando nos braços todo o seu tesouro. (Pirata Kid aparece rastejando, todo ensanguentado carregando a arca consigo.) VOVÔ (Off.) Como os perseguidores não tinham visto o pirata com a arca, tomaram o rumo de volta. Quando Kid estava próximo da Caverna do Dragão, apareceu o grande monstro que ficou cara a cara com ele. (Um dragão – dragão chinês - aparece vindo do fundo do palco. Tem o tamanho de três cavalos de comprimento e é mais alto que um elefante. Seu corpo é cheio de escamas e todo verde. O rabo muito comprido que termina em seta, as patas guarnecidas por poderosas garras. Os olhos são vermelhos como brasas. Tem os dentes enormes e uma língua muito comprida. Kid olha para o monstro que aparentemente está calmo.)
  12. 12. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 11111111 PIRATA KID (Arquejante.) Se você guardar para sempre este tesouro, poderá se tornar dono dele... Mas não poderá deixar que ninguém toque nele! (O dragão acena a cabeça afirmativamente.) PIRATA KID Lembre-se disso: Se você guardar para sempre este tesouro poderá se tornar dono dele. Mas não poderá deixar que ninguém toque nele! (Fala com dificuldade.) Ninguém! Ninguém! Ninguém! (Morre.) (O dragão fecha a arca e leva-a até o fundo do palco escondendo-a. Em seguida, desaparece. Aparece um grupo de índios e ao verem o cadáver do pirata, pegam seu corpo e o levam dali.) (Se a cena estiver sendo realizada na linguagem teatral, a luz volta novamente para o plano da realidade. No recurso do audiovisual, as imagens serão interrompidas por um momento. A Velha, Lucinha e Juninho ouvem atentos.) VOVÔ E aí o dragão aceitou a proposta e escondeu o tesouro! LUCINHA Mas pra quê um dragão quer um tesouro se ele nem sabe no que gastar? VOVÔ Talvez pelo prazer de se sentir dono de uma coisa tão valiosa. “Que coisa maravilhosa”, ele deve ter pensado. E era tudo dele!... Poucas pessoas conseguiram ver esse monstro. As que viram nunca mais chegaram perto dessa Caverna.
  13. 13. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 12121212 JUNINHO Eu é que não quero ver esse bicho! LUCINHA Nem eu. VOVÔ Embora o dragão estivesse aqui há muito tempo, só houve um caso grave... Eulália era a índia mais bonita do lugar... (Luz no plano da imaginação, na linguagem teatral. No audiovisual as imagens voltam a ser projetadas.) (Eulália, uma belíssima índia aparece segurando uma flor amarela, que põe atrás da orelha direita.) VOVÔ (Off.) ...e também a mais descrente quanto à existência do dragão. Quando alguém se aproximava da Caverna, o dragão punha a cabeça pra fora e cuspia fogo fazendo a pessoa correr mais depressa que o pensamento. Quando era Eulália que estava por perto, ele ficava quietinho, escondido. Como ele não saía para assustar a moça, ela não conseguia vê-lo e, portanto, não acreditava nele. Assim foi chegando cada vez mais perto. (Eulália se aproxima da gruta e fica de costas para sua entrada.) VOVÔ (Off.) Um dia, estando a índia de costas para a gruta, não viu o dragão que saía de mansinho e vinha em sua direção. O dragão agarrou-a por trás e aprisionou a índia na Caverna.
  14. 14. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 13131313 (Eulália grita desesperada. O dragão tranca-a numa enorme cela, ficando junto com ela. Abre a arca e tira de lá, colares de pérolas, anéis de ouro, brincos de prata, pulseiras de diamantes e cobre a índia com o tesouro.) VOVÔ (Off.) Nunca mais a pobre saiu de lá e segundo alguns que a viram, não de muito perto, é claro, ela não envelheceu. Com sessenta anos tinha a aparência de uma moça de vinte. Com certeza foi algum feitiço que o dragão fez pra ela. Os que a viram dentro da caverna, dizem que ela andava coberta de joias, naturalmente emprestadas pelo dragão. (O dragão fica olhando para ela, admirando sua beleza. A índia, mesmo coberta com todas aquelas joias, tem o olhar melancólico e suspira profundamente.) (Volta luz no plano da realidade; ou as imagens são congeladas.) LUCINHA E por que o nome desta gruta é Caverna dos Suspiros? VOVÔ Porque algumas pessoas que tiveram a coragem de passar mais ou menos perto da gruta, contaram que a moça prisioneira do dragão costumava dizer... (Luz no plano da imaginação; ou a imagem descongela.) EULÁLIA (Segura nas grades, suspirando.) Ah, se eu pudesse voltar pra minha tribo! Se eu pudesse sair daqui... (Suspira mais forte.) Ah, se eu pudesse sair daqui... (Volta luz no plano da realidade ou a projeção é interrompida.)
  15. 15. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 14141414 VOVÔ ...e depois dava uma porção de suspiros. Suspirava que dava pena. O povo que antes chamava a gruta de Caverna do Dragão, com o tempo passou a chamá-la de Caverna dos Suspiros... Eulália, não aguentando mais tanto sofrimento, morreu... e o dragão, desesperado, guardou todas as joias, enterrou a arca, não cuspiu mais fogo e simplesmente desapareceu sem deixar vestígio algum... (Fim da história. Volta luz no plano da realidade ou o ciclorama sobe para o urdimento.) JUNINHO Que história triste! LUCINHA E por que quer entregar esse tesouro ao tataraneto de Eulália, vô? Não tem medo que eles nos matem? VOVÔ Claro. Mas precisamos arriscar. Meu único medo é não conseguir explicar isso tudo pro Cacique. Se conseguirmos, entregaremos a arca para ele e aí nós vamos embora, enquanto o Cacique, junto com sua tribo, decidirão o que fazer com o tesouro. JUNINHO Tô com sono. Eu queria cochilar um pouco, mas tenho medo que o dragão apareça... VELHA Grustrfhgi ababa uie... (Diz que ficará acordada para protegê-los.)
  16. 16. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 15151515 VOVÔ Não se preocupe. Ela disse que vai ficar acordada olhando pela gente. (Deitam os três e imediatamente adormecem. A velha fica sentada no chão apoiada no porrete. Seus olhos ficam pesados e ela está cada vez mais sonâmbula. Fecha os olhos e quando percebe que cochilou, acorda num sobressalto e dá uma porretada na própria cabeça para ficar mais esperta. Pouco depois, fecha novamente os olhos, tomba de lado e dorme profundamente.) CENA 3 (Entram pelo fundo, Godofredo e Uirá. Ambos estão com a cabeça enfaixada devido a porretada da Velha. A Velha continua dormindo e ronca muito alto.) GODOFREDO (Cochicha para Uirá.) Estão todos dormindo... Se a gente não conseguir roubar o mapa, vamos sequestrar a menina e pedir o mapa para o velho como pagamento de seu resgate. Se ele não entregar, a gente mata a menina. UIRÁ Uirá índio bom. Uirá não mata nem mosca! GODOFREDO É claro que não vamos matar ninguém, é só para assustar, ô infeliz... (Sonha.) Eu tenho que encontrar esse mapa. Vou ficar riquíssimo e todas as pessoas desse planeta serão meus escravos... (Riso macabro.) Ninguém nunca passou Godofredo Fedorento Lambido Ranhento para trás, e não vai ser esse velho que vai passar. (Pausa.) Pelo que parece, o mapa está muito bem escondido. A solução é sequestrar a menina.
  17. 17. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 16161616 (Ambos se aproximam da menina. A Velha acorda e tenta acertar mais uma porretada na cabeça deles, mas na hora “H”, Godofredo percebe e agarra a Velha, enquanto o índio prende-a com uma corda e lhe amordaça.) GODOFREDO (Sarcástico.) Pensando que ia sair feliz de novo? Se danou, sua uva passa de panetone. Dessa vez, fui eu que me dei bem. (A Velha tenta fazer de tudo para escapar, mas não consegue.) Você vai ficar aí, velha escamosa, bem quietinha. Não adianta espernear. Quando o velhote acordar, estaremos lá no acampamento do Cacique Peri com a menina e se ele não me entregar o mapa, adeus menina! (Faz gesto de degolamento. Vai até Lucinha e junto com Uirá amordaçam a mesma, que desmaia ao vê-los. Uirá segura a menina nos braços enquanto Godofredo escreve um bilhete para o Vovô. Deixa o papel perto dele e saem com Lucinha. A Velha está desesperada. Esperneia bastante e faz ruídos altos. Juninho acorda e percebe que Lucinha não está lá e ao ver a Velha amarrada, fica desesperado.) JUNINHO Os índios antropófagos levaram a Lucinha. (Sacode o avô.) Vô, vô, acorde! A Lucinha sumiu. Acorde, vô. (Vovô acorda.) Levaram a Lucinha! VOVÔ (Assustado.) Quem? Como? Onde? Por quê? Quando? JUNINHO Sei lá, acho que foram os índios... Olhe, amarraram a Velha... (Vovô vai até a Velha e liberta-a. Ela faz gestos desesperados.)
  18. 18. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 17171717 VELHA Bilinguinstra ababa dertghiopljk mitnarotovra. (Tenta dizer que dois índios estiveram lá e levaram a menina.) VOVÔ Índio? (Ela faz “dois” com os dedos.) Dois índios? ... São os canibais... JUNINHO (Encontra o bilhete.) Olha, deixaram um bilhete. VOVÔ Meus óculos! (Remexe na mochila e por fim os encontra. Suas mãos estão trêmulas. Pega o bilhete das mãos de Juninho e lê.) “Velho Esclerosado...” (Vovô fica perplexo.) O que é isso? JUNINHO Estão te chamando de “esclerosado”... VOVÔ (Pasmo e ofendido.) Que desrespeito! JUNINHO (Ansioso.) Continue... VOVÔ (Lê.) “Velho esclerosado. Ou você traz o mapa no acampamento do Cacique Peri hoje às onze horas ou teremos no almoço picadinho feito com a carne da menina. Assinado: Uirá, filho do Cacique Peri”.
  19. 19. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 18181818 VOVÔ (Tira da bota o mapa e com ele na mão, anda de um lado para outro.) Que situação! O que fazer? Os índios estão enfurecidos de novo e são capazes de causar uma desgraça. JUNINHO Lucinha ou o mapa... VOVÔ Eu preciso cumprir minha missão. Eu não vim aqui à toa. Esse mapa é muito importante pra mim. JUNINHO Mas a Lucinha é muito mais importante. VOVÔ Você tem razão. Vamos entregar o mapa para os índios e pegar a Lucinha de volta. JUNINHO Eu tive uma ideia genial. VOVÔ Qual? JUNINHO Vamos até o acampamento, disfarçados de índios, pra tentar encontrar a Lucinha. Quando a gente encontrar, vamos sequestrá-la de volta e sair correndo sem entregar o mapa... O que acha da ideia?
  20. 20. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 19191919 VOVÔ Não sei. Isso pode ser uma armadilha pra gente... O melhor a fazer é ir ao encontro deles, entregar o mapa, pegar Lucinha de volta, voltar pro sítio e esquecer definitivamente dos objetivos que nos trouxeram pra cá. Venham comigo... (Saem Vovô, Velha e Juninho.) CENA 4 (Do lado oposto aparecem Uirá e Godofredo, que traz Lucinha, ainda amordaçada.) GODOFREDO Vamos parar aqui. Agora vou convencer o Cacique de que o velho e seus netos são pessoas perigosíssimas e que querem incendiar a tribo dele. Fica aí, índio infeliz, tomando conta da menina. UIRÁ (Rindo.) Índio infeliz toma conta menina! GODOFREDO (Sai, imitando um índio.) Uuuuuuuuuuuu... (Lucinha está apavorada. O índio vai chegando perto dela e ri. Segura a mão da menina e coloca-a próximo de sua boca. Lucinha resmunga e puxa a mão.) UIRÁ Uirá não come agora. Uirá brincando, hi!hi!hi!... Cacique Peri, índio Uirá e tribo toda põe menina meio roda e faz assim ó... (Faz uma coreografia indígena. Lucinha desmaia. Uirá se assusta.) Que cagada! Uirá mocorongo esconder menina...
  21. 21. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 20202020 (Sai com lucinha nos braços.) CENA 5 (Entram Godofredo e Cacique Peri.) GODOFREDO (No meio de uma conversa.) Esse velho é perigosíssimo. Vieram de um sítio da Cochinchina para destruir vocês. Raptaram o índio Uirá e o senhor vai ser queimado. CACIQUE PERI Cacique queimado, nunca! Cacique reunir tribo, prender homem branco, fazer picadinho. GODOFREDO Espere mais um pouco. Preciso do velho vivo para que eu possa conversar com ele com calma. CACIQUE PERI Mim queimado, nunca! Mim queimado, nunca! Cacique buscar tribo prender homem branco! Vou já, já... (Vai saindo. Entram a Velha, Vovô e Juninho.) GODOFREDO Olha o velho, o neto dele e a velha escamosa, Cacique! CACIQUE (Chama outros índios com um assobio. todos aparecem correndo.) Prendam esses querem queimar Cacique destruir tribo toda!
  22. 22. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 21212121 (Os índios fecham o trio num círculo e fazem uma coreografia em torno deles. Com uma corda bem grande, amarram os três, que ficam um de costas para o outro. Estão em pânico. Os índios, exceto o Cacique Peri, saem para a mata.) JUNINHO Não temos mais saída. Vamos todos virar picadinho. (Chora.) CACIQUE PERI (Para os três.) Onde tá filho Uirá, velho ruim? VOVÔ Eu nem sei quem é seu filho, seu Cacique. Viemos aqui para cumprir uma missão importantíssima... E se trata de uma missão de paz... CACIQUE PERI Velho mente. Cacique não acredita gente branca. Gente branca tudo mentirosa. Gente branca raça ruim. Cacique e tribo deixou ser canibal depois dragão prendeu índia Eulália, tataravó Cacique, mas quando aparece gente branca ruim, come tudo sem dó. Cacique reunir tribo comer gente branca. Vou procurar tempero mato. (Sai.) GODOFREDO (Para o Velho.) Se me entregar o mapa, eu solto vocês. VOVÔ E como posso ter certeza disso? GODOFREDO Eu não minto jamais. VOVÔ E minha neta Lucinha?
  23. 23. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 22222222 GODOFREDO Ela tá bem. O índio Uirá tá cuidando dela. VOVÔ (Fala com seus botões.) Minha neta já virou picadinho... Que horror! CACIQUE PERI (Entrando com o tempero.) Cacique vai comer três já, já! GODOFREDO Espere um pouco, seu Cacique. CACIQUE PERI Cacique e tribo come tudo agora! (Os índios trazem um enorme caldeirão e põem os três dentro dele. Depois pegam uma cuia enorme e começam a encher o caldeirão de água. Outros índios trazem lenha e colocam em volta do caldeirão. Em seguida botam fogo na lenha.) VOVÔ Cacique Peri, mesmo que a gente vire assado, fique com esse mapa. (Tira o mapa de um bolso escondido da camisa.) Esse é o mapa que leva à arca do tesouro que pertenceu ao pirata Kid. Esse tesouro tá enterrado bem no fundo da Caverna dos Suspiros, exatamente na cela onde Eulália ficou presa. A gente veio aqui pra isso. Não pra roubar, matar, queimar, mas para lhe entregar esse mapa. CACIQUE PERI Homem branco dizer verdade? VOVÔ Sim.
  24. 24. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 23232323 CACIQUE PERI Homem branco gente boa! GODOFREDO (Desesperado.) Não, Cacique. O velho é mentiroso. Ele não é bom. Ele mente porque quer que o senhor tire eles daí para que eles possam destruir toda a tribo. VOVÔ (Empunha o mapa) Pegue esse mapa, seu Cacique... (Cacique vai pegar o mapa. Nesse momento, Godofredo pega o porrete da Velha que está jogado no chão, acerta na cabeça de Peri, que desmaia instantaneamente e arranca o mapa das mãos do Velho.) GODOFREDO (Rindo.) Finalmente consegui o que tanto queria. Eu me amo! (Beija suas mãos, braços etc.) O que seria de mim sem mim! Como é bom ser mau... (Sai rindo.) VOVÔ (Gritando.) Ladrão! Ordinário! JUNINHO (Idem ao avô.) Safado! Sem-vergonha! VELHA (Idem aos dois.) Junglingue! Oiomeie! (Cacique Peri se levanta. Está bastante atordoado e começa a dizer palavras desconexas. Vai voltando ao normal. Nesse instante aparece o índio Uirá com Lucinha. A menina está liberta das cordas e sem a mordaça e ambos riem muito.)
  25. 25. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 24242424 CACIQUE PERI (Ao ver Uirá.) Filho Uirá vivo! (Corre abraçar o filho.) VOVÔ Lucinha também... LUCINHA (Corre.) Vovô, Juninho, Velha!... (Abraça os três.) CACIQUE PERI (Para Uirá.) Algum deles maltratou filho Uirá? UIRÁ Não, papai Cacique. O índio Godofredo fez Uirá roubar menina. Mas menina muito boa. Uirá mocorongo ficou dó dela amarrada e tirou mordaça e corda prendia ela. (Cacique Peri ordena para os índios tirarem Vovô, Juninho e Velha do caldeirão. Nesse momento entra Godofredo, carregando a arca, triunfante.) GODOFREDO O tesouro é meu. Só meu... Estou rico, rico... Muito ouro, ouro, ouro! (Vai saindo. Cacique Peri entra na sua frente.) Sai da frente, seu idiota! CACIQUE PERI Godofredo mentiroso! Toda tribo almoçar Godofredo! (Assobia. os índios que estavam meio afastados fecham Godofredo. Ele tenta escapar, mas por onde quer que vá, os índios o cercam. Fazem a mesma coreografia de quando prenderam Vovô, Lucinha e Juninho. Amordaçam Godofredo e em seguida colocam o bandido no caldeirão.)
  26. 26. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 25252525 GODOFREDO Me soltem, seus índios fedorentos de uma figa! Vou me vingar de todos vocês. Um por um, seus idiotas. (Amordaçam-no. Ele fica resmungando o tempo todo.) (Vovô pega a arca que Godofredo deixou no chão e tira um pedaço de arame do bolso. enfia-o no enorme cadeado da arca, abrindo-a. Uma forte luz dourada ilumina a cena. Todos ficam encantados. Tiram da arca todo o tipo de joias e se enfeitam, principalmente os índios.) VOVÔ (Satisfeito.) Agora que cumpri minha missão, vamos voltar pro nosso sítio, crianças. CACIQUE PERI Cacique Peri dá metade ouro pra homem branco! VOVÔ (Digno.) Me desculpe, seu Cacique, mas não vou aceitar. Esse tesouro não tem valor nenhum pra mim. Não vim aqui com a intenção de querer o ouro. Todo o tesouro pertence a você e a sua tribo... Sabemos que a tribo está passando por dificuldades e esse tesouro irá ajudá-los a superá-las. É uma recompensa... Claro que esse tesouro não vai apagar a dor da tribo em relação à Eulália, mas com ele o senhor poderá dar uma vida mais digna para o seu povo... Só te peço uma coisa: solte esse ensebado xexelento. (Aponta Godofredo.) Mais cedo ou mais tarde ele vai ter o castigo que merece. CACIQUE PERI Não. Cacique Peri começar ritual... VOVÔ Não faz isso, seu Cacique.
  27. 27. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 26262626 (Os índios reavivam a fogueira. Godofredo se debate na água. Os índios cantam e dançam em volta do caldeirão. Vovô tapa os olhos de Lucinha e Juninho. No meio do ritual, o Cacique para.) CACIQUE (Num grito.) Paraaaaaa!... (Os índios param.) Carne bandido muito dura! Carne bandido dá dor barriga. Bandido deixar Cacique e tribo caganeira! (Os índios reclamam, mas soltam Godofredo, que pragueja.) GODOFREDO Vou me vingar de todos vocês! Não me chamo Godofredo se isso não acontecer... (Sai correndo, entrando na caverna. Nesse momento aparece o dragão. A terra estremece com o som aterrorizador do bicho. Juninho, Lucinha e Vovô se espantam ao vê-lo. Ele pega Godofredo e o leva para a mesma cela de Eulália. A grade desce rapidamente, trancando o bandido.) GODOFREDO (Preso; chacoalha as grades.) Alguém me ajude! Me tirem daqui! Não deixem que esse monstro me faça mal!... Eu sou muito jovem pra morrer!... Vocês todos vão me pagar, malditos! (Começa a suspirar.) VOVÔ Agora vamos embora. Todos devem estar preocupados com a gente. Até breve, foi muito bom conhecer vocês. (Velha chora.) Não precisa chorar, velha! VELHA Tadeshimã acobaquire! (Diz que vai sentir saudades.)
  28. 28. Julio CarraraJulio CarraraJulio CarraraJulio Carrara A Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos SuspirosA Caverna dos Suspiros 27272727 VOVÔ Nós também vamos sentir saudades, mas logo, logo voltaremos aqui pra visitar vocês, certo? Até breve!!! (Todos se abraçam. Vovô, Lucinha e Juninho saem pela plateia. Antes de saírem, acenam com as mãos em sinal de despedida. O ciclorama desce do urdimento e aparece a imagem da índia Eulália. que sorri para eles em sinal de agradecimento. Todos olham admirados para aquela imagem e ficam congelados. Fusão para uma nova imagem: Eulália, presa na gruta, coberta de joias e suspirando com o olhar melancólico. Close no rosto da índia. Black-out.) FIM OBSERVAÇÃO: O texto foi baseado numa lenda indígena. Criei um vocabulário próprio para a Velha das Cavernas, o “cavernês”, assim como o dialeto indígena que não é o tupi-guarani. Trata-se de uma brincadeira com a linguagem, que deverá ser explorada ao máximo. Agosto/1998

×