O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Purificação de proteínas

3.801 visualizações

Publicada em

Diversos processo de purificação de proteínas, assim como sua caracterização.
Leitor de absorbância (espectrofotômetro).

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Purificação de proteínas

  1. 1. 1 Espectofotometria, purificação e caracterização de proteínas 2014
  2. 2. • Ampla variedade de biomoléculas absorve luz em comprimentos de onda característicos; • A medição da luz absorvida por uma biomolécula através do espectrofotômetro é usada para detectar, identificar e quantificar moléculas num determinado material biológico; 2 • A medida de espectrofotômetro é utilizada para detectar e identificar moléculas e para medir suas concentrações em solução; • Ex.: o triptofano absorve luz em 280 nm; • Para tanto deve-se levar em consideração a Lei de Lambert-Beer. Absorção de luz por moléculas: a Lei de Lambert-Beer
  3. 3. Espectrometria de absorção atômica Definição: Consiste na medida da absorção da energia luminosa por átomos no estado fundamental nas regiões do visível a ultravioleta. 3
  4. 4. A= a.b.c = Log Io/I A: absorbância ; a: absortividade; b: percurso ótico; c: concentração molar 4 Relação entre radiação e concentração Lei de Beer Espectrometria de absorção atômica
  5. 5. • Quanto maior a concentração (c) ou maior o caminho óptico (b) maior será a absorbância da amostra, por isso geralmente o b é padronizado em 1 cm. • Exemplo: – com base na lei de Lambert-Beer, calcule a absorbância de uma solução com concentração 0,002 mol L-1 de uma substância com absortividade molar de 313 L mol-1 cm-1, determinada em uma célula com 2,00 cm de caminho óptico. A = a.b.c A= 313 L mol-1 . 2,00 cm . 0,002 mol L-1 A= 1,252 Lei de Lambert-Beer 5
  6. 6. • Toda biomolécula apresenta um comprimento de onda específico onde a absorção de luz é máxima. 6 Pico máximo de absorção de luz
  7. 7.  Proteínas devem ser purificadas para ser caracterizada quanto as suas propriedades e atividades. 7  Para se estudar uma proteína detalhadamente deve-se separá-la de outras proteínas em sua forma pura; Hemoglobina Trabalhando com proteínas
  8. 8.  Necessário fonte de proteínas (tecido ou células);  Romper estas células, liberando suas proteínas em uma solução (extrato bruto);  Centrifugar se necessário para preparar frações subcelulares;  Uma vez com o extrato pronto, diversos métodos estão disponíveis para a purificação. Exemplos: Diálise, Fracionamento (cromatografia em coluna, cromatografia de troca iônica, cromatografia de troca catiônica, cromatografia de afinidade e cromatografia líquida de alta eficiência -HPLC). Purificação de proteínas 8
  9. 9.  É um processo que separa proteínas de pequenos solutos se aproveitando do maior tamanho das proteínas;  O extrato parcialmente purificado é colocado em um saco ou tubo feito de uma membrana semi-permeável;  Ele é suspenso em um volume muito maior de solução tampão de força iônica apropriada, a membrana permite a troca de sal e tampão, mas não de proteínas. 9 Método de Diálise: Purificação de proteínas
  10. 10.  É utilizado diferenças na solubilidade proteica, onde a mesma é reduzida em elevadas concentrações salinas, um efeito denominado salting out de proteínas;  As proteínas que então precipitam são removidas daquelas que permanecem em solução por centrifugação em baixa velocidade. 10 Método de Fracionamento: Purificação de proteínas
  11. 11.  Tem como base diferenças no tamanho,carga, afinidade de ligação e outras propriedades;  Um material sólido poroso com propriedades químicas apropriadas é mantido em uma coluna, pela qual é percolada uma solução tampão;  A solução contendo a proteína depositada no topo da coluna percola o material sólido poroso dentro da solução tampão. 11 Cromatografia em coluna: Purificação de proteínas
  12. 12. 12
  13. 13. Cromatografia de troca iônica:  Explora as diferenças no sinal e na magnitude da carga elétrica líquida de proteínas em um dado pH.  A matriz da coluna é polímero sintético (resina) contendo grupos carregados ligados (trocadores de cátions ou trocadoras de ânions);  A afinidade de cada proteína pelos grupos carregados na coluna é afetada pelo pH e pela concentração de íons de sais livres.  Enquanto a solução contendo proteínas permanece na coluna, frações deste efluente são coletadas em tubos teste (cada fração pode ser testada para a presença de proteína de interesse) Purificação de proteínas 13
  14. 14. 14
  15. 15. Cromatografia de afinidade:  Tem como base a afinidade de ligação;  Os grânulos da coluna possuem um grupo químico covalentemente ligado (ligante);  Quando uma mistura de proteinas é adicionada a coluna, qualquer proteína com afinidade por este ligante se liga aos grânulos e sua migração através da matriz é retardada;  As proteínas que não se ligam são lavadas na coluna, e a proteína ligada é eluida com a solução contendo uma concentração elevada de sal quanto do ligante livre. Purificação de proteínas 15
  16. 16. 16
  17. 17. Cromatografia líquida de alta eficiência (HPLC, high perfomance liquid chromatography):  Utiliza bombas de alta pressão que aceleram o movimento das moléculas de proteína através da coluna;  Ao reduzir o tempo de trânsito na coluna, a HPLC pode limitar o espalhamento difusional das bandas de proteína e assim aumentar significativamente a resolução (Ver cromatografia em coluna). 17 Purificação de proteínas
  18. 18.  Baseado em migração de proteínas carregadas em um campo elétrico;  A eletrofoese permite a determinação de propriedades críticas (ponto isoelétrico e massa molecular estimada);  Para eletroforese de proteínas é utilizado géis de poliacrilamida (peneira molecular), retardando a migração de proteínas na proporção de sua relação carga-massa; 18 Caracterização por eletroforese: Caracterização de proteínas
  19. 19.  Um método eletroforético utilizado faz uso do detergente dodecil sulfato de sódio (SDS, sodium dodecyl sulfate);  O SDS se liga a grande maioria das proteínas onde contribui com uma grande carga negativa e conferindo para cada proteína uma carga-massa semelhante;  As proteínas são visualizadas pela adição de corantes (azul de Coomassie) que liga-se as proteínas e não ao gel. 19  Na eletroforese o SDS separa as proteínas quase exclusivamente com base na massa molecular; Caracterização de proteínas - eletroforese
  20. 20. 20
  21. 21.  Na maioria dos casos vários métodos precisam ser utilizados sequencialmente para purificar uma proteína por completo pois cada método separa as proteínas com base em diferentes propriedades; 21  Diversas estratégias podem ser tentadas até que seja encontrada a mais eficiente;  Protocolos de purificação publicados estão disponíveis para muitos milhares de proteínas;  Métodos de baixo custo devem ser utilizados primeiro ( volume e número de contaminantes e maior);  Métodos cromatográficos são impraticáveis nos estágios iniciais já que a quantidade de meio cromatográfico cresce com o tamanho da amostra;
  22. 22.  Conforme casa passo de purificação é completado, o tamanho da amostra se torna menor, tornando acessível o uso de procedimentos cromatográficos. 22
  23. 23. 23 Referência  NELSON, D. L.; COX, M.M. Princípios de Bioquímica de Lehninger. - 5. ed. -Porto Alegre: Artmed, 2011.

×