Acreditacao hospitalar pdf

953 visualizações

Publicada em

Aula de gestao hospital.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Acreditacao hospitalar pdf

  1. 1. ACREDITAÇÃO HOSPITALAR
  2. 2. O QUE É ACREDITAÇÃO? “Acreditar significa dar crédito, crer, ter como verdadeiro, dar ou estabelecer crédito.” Dic. aurélio
  3. 3. O QUE É ACREDITAÇÃO? “Um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Nas experiências, brasileira e internacional, é uma ação coordenada por uma organização ou agência não governamental encarregada do desenvolvimento e implantação da sua metodologia. Em seus princípios tem um caráter eminentemente educativo, voltado para a melhoria contínua, sem finalidade de fiscalização ou controle oficial, não devendo ser confundido com os procedimentos de licenciamento e ações típicas de Estado.” (ONA)
  4. 4. •Para a Organização Panamericana de Saúde – OPAS/OMS acreditação é um procedimento de avaliação dos recurso institucionais,voluntário, periódico e reservado, que tende a garantir a qualidade da assistência por intermédio de padrões previamente aceitos (Novaes & Paganini, 1992).
  5. 5. Para a JCAHO a acreditação é um sistema de verificação externa e periódica, que objetiva promover a segurança e qualidade dos serviços de saúde prestados ao público, por intermédio de um conjunto de padrões estabelecidos. A avaliação é de caráter voluntário e verifica-se a conformidade diante desses padrões (www.jcaho.org, abril 2003).
  6. 6. Ministério da Saúde, Acreditação Hospitalar é o método de consenso, racionalização e ordenação das instituições hospitalares e, principalmente, de educação permanente dos seus profissionais, expressando-se pela realização de um procedimento de avaliação dos recursos institucionais, voluntário, periódico e reservado, que tende a garantir a qualidade de assistência por meio de padrões previamente estabelecidos (Ministério da Saúde, 2001).
  7. 7. Principal objetivo da Acreditação •Introduzir uma metodologia, seus conceitos e princípios, através de um Manual de Padrões, que contempla um conjunto de processos, capazes de dotar a instituição de saúde, de ferramentas e instrumentos que possibilitam promover a melhoria de desempenho de seus serviços.
  8. 8. •as organizações de saúde que buscam a certificação mostram a seriedade de seu trabalho e defendem sua legitimidade social.
  9. 9. PROGRAMAS PIONEIROS •1951 – Joint Commission on Hospital Accreditation – JCAHO – EUA, atua em mais de 40 países; JCI – Joint Commission International - criada em 1999 com objetivo de melhorar a qualidade da assistencia à saúde internacionalmente;No Brasil é representada pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação – CBA; •1958 – Canadian Council on Health Services Accreditation – Canadá; •Austrália: 1959 e 1987: ACHS e QIC;
  10. 10. PROGRAMAS PIONEIROS •Reino Unido: 1986 e 1989, dois programas: Hospital Accreditation Programme (HAP) King’s Fund (KFHQS); •Nova Zelândia: 1987, The New Zealand Council on Healthcare Standards; •1990: Inglaterra •1995: Finlândia •1996: Espanha (Catalunha) •1997: República Checa e Lituânia •1997: França •1998: Polônia e Suíça •1999: Letônia e Holanda •1999: Brasil •2000: Portugal •2001: Alemanha, Bulgária •2002: Dinamarca, Irlanda e Bósnia •2003: Índia, Tailândia
  11. 11. CARACTERÍSTICAS DA ACREDITAÇÃO •A organização é que decide se vai participar ou não; •A avaliação de conformidade com os padrões estabelecidos é conduzida por avaliadores sem vínculo com as organizações; •Reforça a lealdade das pessoas da organização; •O padrão tem que ser totalmente cumprido;
  12. 12. •Todas as áreas devem satisfazer um determinado nível; •O processo tem sofrido alterações de modo que atenda as exigências que se modificam a todo instante; •A gestão de riscos, gestão dos pacientes e da segurança foram incluídos no processo e passaram a ser fator preponderante como critério e avaliação;
  13. 13. NÍVEIS DE ACREDITAÇÃO NÍVEL 1 - SEGURANÇA Gerenciamento de Riscos Medidas de prevenção ou controle que devem ser adotados, para eliminar, prevenir ou minimizar um ou vários pontos críticos ou de risco.
  14. 14. NÍVEIS DE ACREDITAÇÃO NÍVEL 2 – GESTÃO INTEGRADA Combinação de processos, procedimentos e práticas adotadas para implementar suas políticas e atingir de forma eficiente o seu objetivo.
  15. 15. NÍVEIS DE ACREDITAÇÃO NÍVEL 3 – EXCELÊNCIA EM GESTÃO •Agrega aos níveis anteriores, requisitos relativos a excelência, ao bom desempenho, à gestão e a qualidade dos serviços
  16. 16. PRINCIPAIS VANTAGENS •Segurança para os pacientes e profissionais; •Qualidade da assistência; •Construção de equipe e melhoria contínua; •Útil instrumento de gerenciamento; •Critérios e objetivos concretos adaptados à realidade brasileira; •O caminho para a melhoria contínua.
  17. 17. É comprida a estrada que vai desde a intenção até à execução. Molière
  18. 18. Aprimoramento

×