CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
<ul><li>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Ações dos Agentes de Controle Micr...
<ul><li>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA </li></ul><ul><li>1.  Introdução </li></ul><ul><li>Esterilização : É a destruição...
<ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Anti-sepsia : É a destruição dos patógenos vegetativos em tecido vivo. </li></ul><ul>...
<ul><li>2.  Ações dos Agentes de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>Alteração da permeabilidade de membrana. </li></ul>...
<ul><li>3.  Condições que Influenciam o Controle Microbiano </li></ul><ul><li>Tipo de micróbio: bactérias gram (-), princi...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor úmido </li></ul><u...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor úmido </li></ul><u...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Pasteurização </li></ul>...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor seco </li></ul><ul...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor seco </li></ul><ul...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.2. Filtração </li></ul><ul><li>Ação: Separação das ...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Refrigeração </li></ul><u...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Congelamento profundo </l...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Liofilização </li></ul><u...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.4. Ressecamento </li></ul><ul><li>Ação: Interrupção...
<ul><li>4.  Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.6. Radiação </li></ul><ul><li>Ionizante </li></ul><...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.1.Fenol e compostos fenólicos </li></ul><ul><li>Fe...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.1.Fenol e compostos fenólicos </li></ul><ul><li>Co...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.2.Biguanidas (clorexidina )‏ </li></ul><ul><li>Açã...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.3.Halogênios </li></ul><ul><li>Ação: O iodo inibe ...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.4.Álcoois </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação de ...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.5.Metais pesados e seus compostos </li></ul><ul><l...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.6.Agentes de superfície </li></ul><ul><li>Sabões e...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.6.Agentes de superfície </li></ul><ul><li>Detergen...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.7.Ácidos Orgânicos </li></ul><ul><li>Ação: Inibiçã...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano   </li></ul><ul><li>5.9.Esterilizantes Gasosos </li></ul><ul><li>Ação:...
<ul><li>5.  Métodos Químicos de Controle Microbiano   </li></ul><ul><li>5.10.Peroxigênios </li></ul><ul><li>Ação: Oxidação...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

02

1.767 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Turismo
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.767
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
33
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

02

  1. 1. CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  2. 2. <ul><li>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA </li></ul><ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Ações dos Agentes de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>Condições que Influenciam o Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul>
  3. 3. <ul><li>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA </li></ul><ul><li>1. Introdução </li></ul><ul><li>Esterilização : É a destruição de todas as formas de vida microbiana, incluindo endosporos. </li></ul><ul><li>Esterilização comercial : É o tratamento de calor suficiente para matar os endosporos do Clostridium botulinum nos alimentos enlatados. </li></ul><ul><li>Desinfecção : É a destruição dos patógenos vegetativos. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Anti-sepsia : É a destruição dos patógenos vegetativos em tecido vivo. </li></ul><ul><li>Degerminação : É a remoção dos micróbios de uma área limitada. </li></ul><ul><li>Sanitização: É o tratamento destinado a reduzir as contagens microbianas nos utensílios alimentares até níveis seguros. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  5. 5. <ul><li>2. Ações dos Agentes de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>Alteração da permeabilidade de membrana. </li></ul><ul><li>Lesão aos lipídeos e proteínas da membrana. </li></ul><ul><li>Vazamento do conteúdo celular para o meio circundante, interferindo com o crescimento celular. </li></ul><ul><li>Danos às proteínas e aos ácidos nucléicos. </li></ul><ul><li>A lesão produz deformidade na estrutura da proteína e perda de função. </li></ul><ul><li>A lesão aos ácidos nucléicos provoca a interrupção da replicação, de funções metabólicas normais. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  6. 6. <ul><li>3. Condições que Influenciam o Controle Microbiano </li></ul><ul><li>Tipo de micróbio: bactérias gram (-), principalmente do gênero Pseudomonas, as micobactérias e as bactérias produtoras de endosporos apresentam resistência natural aos meios físicos de controle microbiano. </li></ul><ul><li>Ambiente: a matéria orgânica como fezes, vômitos interfere na ação dos agentes químicos. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  7. 7. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor úmido </li></ul><ul><li>Fervura ou fluxo de vapor </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação das proteínas. </li></ul><ul><li>Mata os patógenos bacterianos vegetativos e fungos, e quase todos os vírus, dentro de 10 minutos e é menos efetivo em endosporos. </li></ul><ul><li>É utilizado para esterilizar pratos, pias jarras e equipamentos variados. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  8. 8. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor úmido </li></ul><ul><li>Autoclave </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação de proteínas. </li></ul><ul><li>Todas as células vegetativas e seus endosporos são mortos em cerca de 15 minutos quando são submetidos a 15 psi de pressão (121ºC). </li></ul><ul><li>É utilizado para meios microbiológicos, soluções, forros, utensílios, curativos, equipamentos e outros itens que podem suportar temperatura e pressão. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  9. 9. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Pasteurização </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação de proteínas. </li></ul><ul><li>É o tratamento de calor utilizado no leite para matar todos os patógenos e quase todos os não patogênicos (72ºC por 15seg). </li></ul><ul><li>É utilizado no leite, creme e certas bebidas alcoólicas. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  10. 10. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor seco </li></ul><ul><li>Chama direta </li></ul><ul><li>Ação: Efeito de oxidação,queimando os contaminantes até se tornarem cinzas. </li></ul><ul><li>Utilizados em alças de inoculação. </li></ul><ul><li>Incineração </li></ul><ul><li>Ação: Efeito de oxidação, queimando os contaminantes até se tornarem cinzas. </li></ul><ul><li>Copos de papel, curativos contaminados, carcaças de animais, sacos e panos de limpeza. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  11. 11. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.1. Calor </li></ul><ul><li>Calor seco </li></ul><ul><li>Esterilização com ar quente </li></ul><ul><li>Ação: Efeito de oxidação. </li></ul><ul><li>Necessita de temperaturas de 170ºC durante 2h. </li></ul><ul><li>É utilizado para vidros vazios, instrumentos, agulhas e seringas de vidro. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  12. 12. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.2. Filtração </li></ul><ul><li>Ação: Separação das bactérias do líquido de suspensão. </li></ul><ul><li>Ocorre a passagem de um líquido ou gás através de um material semelhante a uma tela que aprisiona os micróbios. </li></ul><ul><li>É utilizado para esterilizar líquidos como toxinas, vacinas, enzimas e soluções antibióticas que são destruídos pelo calor. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  13. 13. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Refrigeração </li></ul><ul><li>Ação: Redução das reações químicas e possíveis alterações nas proteínas. </li></ul><ul><li>Tem efeito bacteriostático. </li></ul><ul><li>É utilizado para a conservação dos alimentos, drogas e culturas. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  14. 14. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Congelamento profundo </li></ul><ul><li>Ação: Redução das reações químicas e possíveis alterações nas proteínas. </li></ul><ul><li>É efetivo para conservar culturas microbianas, com congelamento rápido a -50 e -95ºC. </li></ul><ul><li>É utilizado para conservação de alimentos, drogas e culturas. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  15. 15. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.3. Frio </li></ul><ul><li>Liofilização </li></ul><ul><li>Ação : Redução das reações químicas e possíveis alterações de proteínas. </li></ul><ul><li>É efetivo para conservação prolongada de culturas microbianas, onde a água é removida por alto vácuo em baixa temperatura. </li></ul><ul><li>Conservação dos alimentos, drogas e culturas. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  16. 16. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.4. Ressecamento </li></ul><ul><li>Ação: Interrupção do metabolismo. </li></ul><ul><li>Envolve a remoção de água dos micróbios. </li></ul><ul><li>Tem efeito bacteriostático. </li></ul><ul><li>É utilizado na conservação de alimentos. </li></ul><ul><li>4.5. Pressão osmótica </li></ul><ul><li>Ação: Plasmólise. </li></ul><ul><li>Resulta na perda de água das células microbianas. </li></ul><ul><li>É utilizado na conservação dos alimentos. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  17. 17. <ul><li>4. Métodos Físicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>4.6. Radiação </li></ul><ul><li>Ionizante </li></ul><ul><li>Ação: Destruição do DNA por raios gama e feixe de elétrons de alta energia. </li></ul><ul><li>Método não utilizado na esterilização de rotina. </li></ul><ul><li>Usado para esterilizar produtos farmacêuticos e suprimentos médicos e dentários. </li></ul><ul><li>Não ionizante </li></ul><ul><li>Ação: Lesão ao DNA pela luz ultravioleta com lâmpada UV. </li></ul><ul><li>É uma radiação não muito penetrante. </li></ul><ul><li>É utilizado para controle de ambiente fechado. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  18. 18. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.1.Fenol e compostos fenólicos </li></ul><ul><li>Fenol </li></ul><ul><li>Ação: Ruptura da membrana plasmática, desnaturação de proteínas e desativação de enzimas. </li></ul><ul><li>Raramente usado como desinfetante ou anti-séptico por suas características irritantes e odor desagradável. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  19. 19. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.1.Fenol e compostos fenólicos </li></ul><ul><li>Compostos fenólicos </li></ul><ul><li>Ação: Ruptura da membrana plasmática, desnaturação de proteínas e desativação de enzimas. </li></ul><ul><li>Os derivados do fenol são reativos em presença de material orgânico. </li></ul><ul><li>É utilizado em superfícies ambientais, instrumentos, superfícies cutâneas e membranas mucosas. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  20. 20. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.2.Biguanidas (clorexidina )‏ </li></ul><ul><li>Ação: Ruptura da membrana plasmática. </li></ul><ul><li>É bactericida contra gram (+) e gram (-), atóxico, persistente. </li></ul><ul><li>É utilizado na desinfecção da pele, principalmente escovação cirúrgica. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  21. 21. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.3.Halogênios </li></ul><ul><li>Ação: O iodo inibe a função das proteínas e é um forte agente oxidante; o cloro forma o agente oxidante forte (ácido hipocloroso), que altera os componentes celulares. </li></ul><ul><li>O iodo e o cloro podem agir separadamente ou como componentes de compostos orgânicos e inorgânicos. </li></ul><ul><li>O iodo é um anti-séptico disponível como tintura e iodofor; o gás cloro é usado para desinfetar água e os compostos de cloro são usados em plantas de processamento de laticínios, utensílios para refeições, itens domésticos e vidraria. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  22. 22. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.4.Álcoois </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação de proteínas e dissolução dos lipídeos. </li></ul><ul><li>É bactericida e fungicida, não sendo efetivo contra endosporos ou vírus não envelopados. </li></ul><ul><li>Álcoois mais usados são o etanol e o isopropanol. </li></ul><ul><li>Termômetros e outros instrumentos. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  23. 23. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.5.Metais pesados e seus compostos </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação das enzimas. </li></ul><ul><li>Os metais pesados como a prata e o mercúrio são germicidas ou anti-sépticos. </li></ul><ul><li>O nitrato de prata pode ser usado para prevenir as infecções oculares gonocócicas; o mercurocromo desinfeta a pele e as mucosas; o sulfato de cobre é um algicida. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  24. 24. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.6.Agentes de superfície </li></ul><ul><li>Sabões e detergentes aniônicos </li></ul><ul><li>Ação: Remoção mecânica dos micróbios através da escovação. </li></ul><ul><li>É utilizado para degerminação da pele e remoção de resíduos. </li></ul><ul><li>Detergentes ácido-aniônicos </li></ul><ul><li>Ação: Incerto; pode envolver a inativação ou ruptura das enzimas. </li></ul><ul><li>Tem amplo espectro de atividade; atóxicos, não-corrosivos e de ação rápida, é utilizado na sanitização em indústrias de processamento de laticínios e alimentos. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  25. 25. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.6.Agentes de superfície </li></ul><ul><li>Detergentes catiônicos (compostos de amônio quaternário)‏ </li></ul><ul><li>Ação: Inibição de enzimas,desnaturação das proteínas e ruptura das membranas plasmáticas. </li></ul><ul><li>São bactericidas, bacteriostáticos, fungicidas e viricidas contra vírus envelopados. </li></ul><ul><li>É usado como anti-séptico para pele, instrumentos e objetos de borracha. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  26. 26. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.7.Ácidos Orgânicos </li></ul><ul><li>Ação: Inibição metabólica, afetando principalmente os bolores; ação não relacionada à sua acidez. </li></ul><ul><li>Amplamente usados para controlar bolores e algumas bactérias em alimentos e cosméticos. </li></ul><ul><li>5.8.Aldeídos </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação das proteínas. </li></ul><ul><li>É usado para a desinfecção de equipamentos médicos. O glutaraldeído é menos irritante que o formaldeído. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  27. 27. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.9.Esterilizantes Gasosos </li></ul><ul><li>Ação: Desnaturação das proteínas. </li></ul><ul><li>O óxido de etileno é o de uso mais comum. </li></ul><ul><li>É um excelente agente esterilizante, especialmente para objetos que seriam danificados pelo calor. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA
  28. 28. <ul><li>5. Métodos Químicos de Controle Microbiano </li></ul><ul><li>5.10.Peroxigênios </li></ul><ul><li>Ação: Oxidação. </li></ul><ul><li>O ozônio é amplamente usado como suplemento para a cloração; </li></ul><ul><li>O peróxido de hidrogênio é um anti-séptico fraco, mas um bom </li></ul><ul><li>desinfetante. </li></ul><ul><li>São usados em superfícies contaminadas ; alguns ferimentos </li></ul><ul><li>profundos, em que são muito efetivos contra os anaeróbios </li></ul><ul><li>sensíveis ao oxigênio. </li></ul>CONTROLE DA POPULAÇÃO MICROBIANA

×