O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
FARMACOLOGIA DAS DROGAS   QUE ATUAM NO SNC
SINAPSENeurotransmissoresMecanismos de ação
SINAPSE NERVOSA
MECANISMO DA NEUROTRANSMISSÃO QUÍMICA                                                           1.   Chegada do impulso ne...
Chegada do                   Impulso nervoso no                   terminal do neurônio 1                                  ...
NEUROTRANSMISSORESAminoácidos-Acido-gama-amino-butirico (GABA)-Glutamato (Glu)-Glicina (Gly)-Aspartato (Asp)              ...
Onde as drogas                           Acetil CoA          Colina  podem agir?                                          ...
Princípios de NeurofarmacologiaMuitas substancias exógenas afetam a neurotransmissâo:Modos de açãoAGONISTAS: mimetizam o e...
Neurotransmissor   Receptores       Agonistas          Antagonistas  Acetilcolina     Muscarínico     Muscarina           ...
Dopamina                Bomba de                Recaptaçâo             Receptor           dopaminérgico
O que a cocaína faz?Impede a recaptaçâo da dopamina eprolonga a sua ação pós-sináptica
DROGAS SEDATIVO-HIPNÓTICAS• Um dos grupos mais prescritos em todo o  mundo.• Principal uso:- Produzir sedação (com alívio ...
FARMACOLOGIA• Ligam-se ao receptor GABAA presente nas membranasneuronais do SNC. Esse receptor é ativado peloneurotransmis...
FARMACOLOGIA• Depressão gradativa da função do SNC dose-dependente.Droga A:inclinação linear típica dos agentes mais antig...
BENZODIAZEPÍNICOS
APRESENTAÇÕESFármaco              Apresentação Diazepam            Uso oral: comp. 5 e 10mg                     Uso injetá...
BARBITÚRICOS
APRESENTAÇÕESFármaco              Apresentação                    Uso oral: comp. 50 e 100mg                            so...
USOS CLÍNICOS• Alívio da ansiedade;• Insônia;• Sedação e amnésia antes de procedimentos médicos e  cirúrgicos (endoscopia ...
• Tolerância:  diminuição da capacidade de resposta a determinada droga  após exposição repetida.• Dependência fisiológica...
REAÇÕES ADVERSAS• Sonolência;• Diminuição da capacidade motora;• Comprometimento do discernimento;• Amnésia (compromete a ...
INTERAÇÕES•   Bebidas alcoólicas;•   Analgésicos opioides;•   Anticonvulsivantes;•   Anti-histamínicos;•   Anti-hipertensi...
ANTIEPILÉPTICOS• 1% da população mundial tem epilepsia;• 2° distúrbio neurológico mais comum, depois do  AVC; Distúrbio c...
CRISE CONVULSIVA• Caracteriza-se pela perda repentina da  consciência, acompanhada de contrações  musculares violentas.• A...
• As contrações fortes duram de dois a quatro  minutos. Depois disto, os movimentos vão  enfraquecendo e a vítima recupera...
Causas de convulsões:• A crise convulsiva pode acontecer em  conseqüência de:      • febre muito alta,      • intoxicações...
DROGAS ANTIEPILÉPTICAS• Fenitoína (mais antiga droga antiepiléptica não-  sedativa);• Carbamazepina;• Barbitúricos  (fenob...
APRESENTAÇÕES Fármaco                      Apresentação  Fenitoína                  Uso oral: comp. 100mg                 ...
Mecanismo de Ação dos           Antiepilépticos1) Prolongamento do estado inativo dos canais   de Na₊ dependentes de volta...
Efeitos Adversos dos Antiepilépticos Fármaco                       Efeitos AdversosFenitoína           Hiperplasia gengiva...
Hiperplasia Gengival               Ataxia              Diplopia
Interações Farmacológicas Entre                    Antiepilépticos Fármaco em uso     Fármaco Associado         EfeitoFeni...
Interações entre Antiepilépticos e        outros FármacosAntiepiléptico       Fármaco Associado             EfeitoFenitoín...
ANTIPARKINSONIANOS• Doença de Parkinson:    é caracterizada por uma desordem    progressiva do movimento devido    à disfu...
 PARKINSONISMO:  – PRIMÁRIO: Sem causa conhecida. DOENÇA DE PARKINSON.  – SECUNDÁRIO:     • Infeccioso ou pós infeccioso ...
Classificação dos fármacos Antiparkinsonianos     Grupos               Representantes   ANTICOLINÉRGICOS        Triexifeni...
APRESENTAÇÕESFármaco              Apresentação                      Uso oral: comp. 100mg Amantadina Levodopa +         Us...
Fármacos                       Efeitos Adversos                          Boca seca, confusão mental, delírio,  Anticolinér...
Interações Antiparkinsonianos• LEVODOPA:  – Administração feita com pequenas refeições para prevenir    náuseas e vômitos,...
ANTIDEPRESSIVOS• A depressão é após a hipertensão, a  condição médica crônica mais comum na  população.• Pelo menos 1 em c...
DEPRESSÃO MAIOR• Caracteriza-se por humor deprimido e/ou perda de  interesse em praticamente todas as atividades por pelo ...
OUTRAS INDICAÇÕES•   Distúrbio do pânico•   Distúrbio obsessivo-compulsivo•   Bulimia•   Déficit de atenção
MECANISMO DE AÇÃO Bloqueiam as bombas de recaptação da noradrenalina e serotonina.
 Inibição do metabolismo da noradrenalina ou serotonina
FÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DAS                DEPRESSÕES:ESPECÍFICOS1. Antidepressivos tricíclicos: imipramina (Tof...
2. Antidepressivos heterocíclicos: trazodona(Donaren), bupropriona.
3. Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS):fluoxetina (Prozac, Daforin, Verotina), fluvoxamina (Fluvox),ci...
• 4. Inibidores da MAO:  fenelzina, isocarboxazida, tranilcipromida, mo  clobemida (Aurorix).
APRESENTAÇÕESFármaco                  Apresentação                       Uso oral: drágea 10 e 25mgImipramina             ...
Efeitos Adversos dos Antidepressivos Fármaco                        Efeitos AdversosAntidepressivos    Sonolência, tremor,...
ANALGÉSICOS E ANTAGONISTAS               OPIOIDES•   Codeína (associações analgésicas e antitussígenos)•   Fentanil•   Met...
FARMACOLOGIA Fármaco                         Indicação   Codeína          Dor (leve a moderada); tosse (não produtiva)   F...
APRESENTAÇÕES Fármaco                       Apresentação                             Uso oral: comp. 30 e 60mg   Codeína  ...
EFEITOS ADVERSOS•   Comportamento agitado;•   Tremor;•   Depressão respiratória;•   Náusea e vômitos;•   Constipação;•   R...
ANESTÉSICOS Agem inibindo o impulso nervoso. Mecanismo  ainda não é bem conhecido. Anestésicos gerais:  Efeitos:    anal...
REAÇÕES ADVERSAS•   Hipertensão/ Hipotensão;•   Depressão miocárdica;•   Delírio, Alucinações;•   Depressão respiratória.
 Anestésicos locais:  Analgesia temporária, porém completa, de  partes bem definidas do corpo.• Lidocaína (Xylocaína®)
Espasmos musculares locais agudos Causados por traumatismo ou distensão  locais. Em associações:• Carisoprodol (Mioflex ...
ABUSO DE DROGASÁLCOOL:• Depressor SNC - ↑  concentrações sanguíneas  provoca coma, depressão  respiratória e morte.• Seda...
 O consumo crônico afeta                                 profundamente a função de                                 vários...
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Farmacologia das drogas do snc
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Farmacologia das drogas do snc

54.066 visualizações

Publicada em

Farmacologia das drogas do snc

  1. 1. FARMACOLOGIA DAS DROGAS QUE ATUAM NO SNC
  2. 2. SINAPSENeurotransmissoresMecanismos de ação
  3. 3. SINAPSE NERVOSA
  4. 4. MECANISMO DA NEUROTRANSMISSÃO QUÍMICA 1. Chegada do impulso nervoso ao terminal 2. Abertura de Canais de Ca Voltagem dependentes 3. Influxo de Ca (2o mensageiro) 4. Exocitose dos NT 5. Interação NT- receptor pós- sinaptico causando abertura de canais iônicos NT dependentes 6. Os NT são degradados por enzimas (6) http://www.blackwellpublishing.com/matthews/nmj.html http://www.blackwellpublishing.com/matthews/neurotrans.html
  5. 5. Chegada do Impulso nervoso no terminal do neurônio 1 Geração de impulsoNeurotransmissâo nervoso no neurônio 2
  6. 6. NEUROTRANSMISSORESAminoácidos-Acido-gama-amino-butirico (GABA)-Glutamato (Glu)-Glicina (Gly)-Aspartato (Asp) Excitatórios: disparam o potencialAminas- Acetilcolina (Ach) de ação da célula- Adrenalina seguinte- Noradrenalina- Dopamina (DA)- Serotonina (5-HT)  Inibitórios: inibem a- Histamina possibilidade de descargaPurinas- Adenosina- Trifosfato de adenosina (ATP)
  7. 7. Onde as drogas Acetil CoA Colina podem agir? ACh Transportador de AChEtapas da biossíntese e degradaçãoenzimática do NT Transportador de colinaLiberação do NTSítios receptores pré e pós-sinápticos Colina + Acetato AChE Receptor pós-sinaptico
  8. 8. Princípios de NeurofarmacologiaMuitas substancias exógenas afetam a neurotransmissâo:Modos de açãoAGONISTAS: mimetizam o efeito do NTANTAGONISTAS: inibem a ação do NT
  9. 9. Neurotransmissor Receptores Agonistas Antagonistas Acetilcolina Muscarínico Muscarina Atropina Nicotínico Nicotina Curare Receptor Nicotínico Fibras musculares esqueléticas Abertura de canais de Na (despolarização) Receptor Muscarínico Fibras musculares cardíacas - abertura de canais de K (hiperpolarizaçâo) Fibras musculares lisas
  10. 10. Dopamina Bomba de Recaptaçâo Receptor dopaminérgico
  11. 11. O que a cocaína faz?Impede a recaptaçâo da dopamina eprolonga a sua ação pós-sináptica
  12. 12. DROGAS SEDATIVO-HIPNÓTICAS• Um dos grupos mais prescritos em todo o mundo.• Principal uso:- Produzir sedação (com alívio da ansiedade);- Incentivar o sono.Atravessam a barreira placentária durante a gravidez e são detectáveis no leite materno.
  13. 13. FARMACOLOGIA• Ligam-se ao receptor GABAA presente nas membranasneuronais do SNC. Esse receptor é ativado peloneurotransmissor inibitório GABA (principal neurotr. inib. doSNC).• Potencializam a inibição GABAérgica.
  14. 14. FARMACOLOGIA• Depressão gradativa da função do SNC dose-dependente.Droga A:inclinação linear típica dos agentes mais antigos – barbitúricos e álcoois.Droga B: maiores doses para obter uma depressão do SNC mais profunda do que ahipnose – maior margem de segurança: benzodiazepínicos.
  15. 15. BENZODIAZEPÍNICOS
  16. 16. APRESENTAÇÕESFármaco Apresentação Diazepam Uso oral: comp. 5 e 10mg Uso injetável: 10mg/ 2mlBromazepam Uso oral: comp. 3 e 6 mg gotas:2,5mg/mlClonazepam Uso oral: comp. 0,5 e 2mg gotas: 2,5mg/mlMidazolam Uso oral: comp. 7,5 e 15mg Uso injetável: 5mg/ 5ml 15mg/3ml 50mg/10mlAlprazolam Uso oral: comp. 0,25; 0,5; 1 e 2mg
  17. 17. BARBITÚRICOS
  18. 18. APRESENTAÇÕESFármaco Apresentação Uso oral: comp. 50 e 100mg solução 4%Fenobarbital Uso injetável (pó): 500mg Tiopental 1g
  19. 19. USOS CLÍNICOS• Alívio da ansiedade;• Insônia;• Sedação e amnésia antes de procedimentos médicos e cirúrgicos (endoscopia e broncoscopia);• Tratamento de epilepsia e estados convulsivos;• Componente de anestesia balanceada;• Controle de estados de abstinência de etanol e outros sedativo-hipnóticos (diazepam, fenobarbital);• Relaxamento muscular em distúrbios neuromusculares específicos;• Como auxiliares diagnósticos ou para tratamento em psiquiatria (mania, controle de estados de hiperexcitabilidade induzidos por drogas, distúrbios depressivos maiores).
  20. 20. • Tolerância: diminuição da capacidade de resposta a determinada droga após exposição repetida.• Dependência fisiológica: Estado fisiológico alterado que exige administração contínua da droga para impedir o aparecimento de uma síndrome de abstinência (estado de maior ansiedade, inquietação, fraqueza, insônia e excitabilidade do SNC, que podem progredir para convulsões).• Dependência Psicológica : É a necessidade de determinado comportamento para viver normalmente e sentir-se confortável. Ex.: fumar cigarros.
  21. 21. REAÇÕES ADVERSAS• Sonolência;• Diminuição da capacidade motora;• Comprometimento do discernimento;• Amnésia (compromete a capacidade de aprender novas informações);• Desinibição comportamental. Gestante: Só usar se o benefício potencial justificar o risco potencial.
  22. 22. INTERAÇÕES• Bebidas alcoólicas;• Analgésicos opioides;• Anticonvulsivantes;• Anti-histamínicos;• Anti-hipertensivos;• Anti-depressivos tricíclicos.
  23. 23. ANTIEPILÉPTICOS• 1% da população mundial tem epilepsia;• 2° distúrbio neurológico mais comum, depois do AVC; Distúrbio crônico caracterizado por crises convulsivas recorrentes.• Terapia padrão controla a crise convulsiva em 80% dos pacientes. Convulsão: episódios limitados de disfunção cerebral, decorrentes de descarga anormal dos neurônios cerebrais.
  24. 24. CRISE CONVULSIVA• Caracteriza-se pela perda repentina da consciência, acompanhada de contrações musculares violentas.• A vítima cai e seu corpo fica tenso e retraído. Em seguida ela começa a se debater violentamente e pode apresentar os olhos virados para cima e os lábios e dedos arroxeados. Em certos casos, a vítima apresenta sialorréia e perda de esfincteres.
  25. 25. • As contrações fortes duram de dois a quatro minutos. Depois disto, os movimentos vão enfraquecendo e a vítima recupera-se lentamente.• Pode ficar inconsciente ou com movimentos lentos e/ou confusão mental por vários minutos após a crise, o que representa o estado pós-convulsivo (pós-ictal).
  26. 26. Causas de convulsões:• A crise convulsiva pode acontecer em conseqüência de: • febre muito alta, • intoxicações, • overdose de drogas, • abstinência alcóolica, • hipertensão na gravidez (eclâmpsia) • epilepsia ou lesões cerebrais.
  27. 27. DROGAS ANTIEPILÉPTICAS• Fenitoína (mais antiga droga antiepiléptica não- sedativa);• Carbamazepina;• Barbitúricos (fenobarbital, mefobarbital,metarbital e primidona);• Topiramato;• Benzodiazépínicos (diazepam, lorazepam, clonazepam);• Valproato de Sódio ou Ác. Valproico.
  28. 28. APRESENTAÇÕES Fármaco Apresentação Fenitoína Uso oral: comp. 100mg Suspensão: 100mg/5ml Uso injetável: 250mg/ 5mlCarbamazepina Uso oral: comp. 200 e 400mg Suspensão: 20mg/1ml Topiramato Uso oral: comp. 25; 50 e 100mg Valproato de Uso oral: cápsula 250mg Comp. revestido: 300 e 500mg Sódio Xarope 250mg/5ml Comp. de liberação entérica (Depakote) 250 e 500mg
  29. 29. Mecanismo de Ação dos Antiepilépticos1) Prolongamento do estado inativo dos canais de Na₊ dependentes de voltagem.2) Potencialização da inibição mediada pelo GABA.
  30. 30. Efeitos Adversos dos Antiepilépticos Fármaco Efeitos AdversosFenitoína Hiperplasia gengival, hirsutismo, sonolência, náuseas, vômitos, hipocalcemia, osteomalácia, agranulocitose, dermatites, lupus eritematoso sistêmico, hepatiteFenobarbital Sedação, irritabilidade, nistagmo, ataxia, erupção cutânea, anemia megaloblástica e agitação em crianças e idosos.Carbamazepina Sedação, desconforto gastrointestinal, reação cutânea, anemia aplásica(rara), leucopenia, vertigem, nistagmo, ataxia.Ácido Náuseas e vômitos, sedação, hepatotoxicidade, alopécia, tendência hemorrágica, pancreatite aguda, aumento de peso.ValpróicoBenzodiazepíni Sedação, incoordenação, ataxia, tontura, salivação, alterações de comportamentocos
  31. 31. Hiperplasia Gengival Ataxia Diplopia
  32. 32. Interações Farmacológicas Entre Antiepilépticos Fármaco em uso Fármaco Associado EfeitoFenitoína Carbamazepina Aumento Diazepam Aumento Fenobarbital Aumento/diminuição Ác. Valpróico DiminuiçãoFenobarbital Fenitoína Aumento Ác. Valpróico Aumento (40%)Carbamazepina Fenitoína Diminuição Fenobarbital DiminuiçãoÁc. Valpróico Carbamazepina Diminuição Fenobarbital Diminuição Fenitoína DiminuiçãoClonazepam Fenobarbital Diminuição Fenitoína Diminuição
  33. 33. Interações entre Antiepilépticos e outros FármacosAntiepiléptico Fármaco Associado EfeitoFenitoína Cloranfenicol, cimetidina, isoniazida, cumarínicos, Aumento dissulfiram Salicilatos, fenilbutazona e Diminuição teofilinaFenobarbital Anticoncepcionais orais Diminuição Cumarínicos e Cloranfenicol DiminuiçãoCarbamazepina Cumarínicos, tetraciclina, Diminuição estrógenos Aumento Verapamil e diltiazemÁcido Valpróico Salicilatos Aumento
  34. 34. ANTIPARKINSONIANOS• Doença de Parkinson: é caracterizada por uma desordem progressiva do movimento devido à disfunção dos neurônios secretores de dopamina nos gânglios da base, que controlam e ajustam a transmissão dos comandos conscientes vindos do córtex cerebral para os músculos do corpo humano.• Prevalência: Primeiro mundo 1:1000. No BR desconhecida.• Faixa Etária: Quinta e sexta décadas. Infrequente antes dos 30 anos.• Sintomas clássicos: – BRADICINESIA – TREMOR DE REPOUSO – RIGIDEZ – INSTABILIDADE POSTURAL
  35. 35.  PARKINSONISMO: – PRIMÁRIO: Sem causa conhecida. DOENÇA DE PARKINSON. – SECUNDÁRIO: • Infeccioso ou pós infeccioso (encefalites, AIDS) • Toxinas (manganês, Thinner, mercúrio) • Medicamentos: antagonistas dos receptores dopamínicos ou que levam à destruição dos neurônios dopaminérgicos. Cinarizina, flunarizina, Lítio, hidantoína, captopril, metoclopramida, alfa-metildopa, antipsicóticos (fenotiazinas). • Tumores cerebrais • Trauma físico • Metabólico (hipoparatireoidismo, hipotireoidismo)
  36. 36. Classificação dos fármacos Antiparkinsonianos Grupos Representantes ANTICOLINÉRGICOS Triexifenidil, biperideno LIBERADORES DE Amantadina DOPAMINA PRECURSOR Levodopa DOPAMINÉRGICO INIBIDORES PERIFÉRICOS Carbidopa, benserazidaDA DOPA-DESCARBOXILASE AGONISTAS Bromocriptina, pergolida. DOPAMINÉRGICOS INIBIDORES DA MAO-B Selegilina, cabergolida
  37. 37. APRESENTAÇÕESFármaco Apresentação Uso oral: comp. 100mg Amantadina Levodopa + Uso oral: comp. 200 + 50mg Carbidopa comp. 250 + 25mgBromocriptina Uso oral: comp. 2,5mg Uso oral: comp. 2mg Biperideno Injetável: 5mg/1ml Selegelina Uso oral: comp. 5mg
  38. 38. Fármacos Efeitos Adversos Boca seca, confusão mental, delírio, Anticolinérgicos sonolência, alucinações, constipação e retenção urinária. Alucinações, confusão, pesadelos, insônia, tontura, letargia, boca seca, náuseas, Amantadina vômitos, anorexia, constipação, irritabilidade, depressão, exacerbação da insuficiência cardíaca. Hipotensão postual, arritmias, taquicardia, anorexia, náuseas, vômitos, movimentosLevodopa + carbidopa involuntários, flutuações clínicas, ou benserazida distúrbios psiquiátricos, exacerbação de úlcera péptica, coloração avermelhada ou escura da urina.
  39. 39. Interações Antiparkinsonianos• LEVODOPA: – Administração feita com pequenas refeições para prevenir náuseas e vômitos, embora alimentos reduzam sua absorção. – Consumo alto de proteínas diminui a eficácia do fármaco. – Evitar medicamento/alimentos ricos em vit B6 (fígado, leveduras ou levedo de cerveja, carnes, vegetais, peixes, grãos integrais) – aumentam o metabolismo extra-cerebral.• ANTICOLINÉRGICOS: – Antagonistas do sistema dopaminérgico – bloqueio colinérgico leva a aumento do efeito dopaminérgico: boca seca, constipação e retenção urinária.
  40. 40. ANTIDEPRESSIVOS• A depressão é após a hipertensão, a condição médica crônica mais comum na população.• Pelo menos 1 em cada 10 pacientes apresentam depressão maior, mas a maioria não é diagnosticada ou é inapropriadamente tratada.
  41. 41. DEPRESSÃO MAIOR• Caracteriza-se por humor deprimido e/ou perda de interesse em praticamente todas as atividades por pelo menos duas semanas, acompanhado de pelo menos três ou quatro dos seguintes sintomas (cerca de 25% das depressões): – Insônia ou hipersonia – Sentimentos de desvalorização ou excesso de culpa; – Fadiga ou falta de energia; – Redução da capacidade de pensar ou concentrar-se; – Alteração significativa no apetite ou peso; – Retardo ou agitação psicomotora; – Pensamentos recorrentes de morte ou suicídio.
  42. 42. OUTRAS INDICAÇÕES• Distúrbio do pânico• Distúrbio obsessivo-compulsivo• Bulimia• Déficit de atenção
  43. 43. MECANISMO DE AÇÃO Bloqueiam as bombas de recaptação da noradrenalina e serotonina.
  44. 44.  Inibição do metabolismo da noradrenalina ou serotonina
  45. 45. FÁRMACOS UTILIZADOS NO TRATAMENTO DAS DEPRESSÕES:ESPECÍFICOS1. Antidepressivos tricíclicos: imipramina (Tofranil), clomipramina (Anafranil), amitriptilina (Tryptanol), nortriptilina (Pamelor).
  46. 46. 2. Antidepressivos heterocíclicos: trazodona(Donaren), bupropriona.
  47. 47. 3. Inibidores seletivos da recaptação de serotonina (ISRS):fluoxetina (Prozac, Daforin, Verotina), fluvoxamina (Fluvox),citalopram, sertralina (Zoloft), paroxetina (Aropax).
  48. 48. • 4. Inibidores da MAO: fenelzina, isocarboxazida, tranilcipromida, mo clobemida (Aurorix).
  49. 49. APRESENTAÇÕESFármaco Apresentação Uso oral: drágea 10 e 25mgImipramina Cápsula 75 e 150mgAmitriptilina Uso oral: comp. 200 e 400mg Trazodona Uso oral: comp. 50 e 100mgBupropriona Uso oral: comp. 150mg Uso oral: comp. 20mg Fluoxetina Cápsula 10 e 20mg Citalopram Uso oral: comp. 20 e 40mg Sertralina Uso oral: comp. 25; 50; 75 e 100mgMoclobemida Uso oral: comp. 150 e 300mg
  50. 50. Efeitos Adversos dos Antidepressivos Fármaco Efeitos AdversosAntidepressivos Sonolência, tremor, insônia, constipação, arritmias, sínd. de abstinência, convulsões, ganho de peso, distúrbios tricíclicos: sexuais. Sonolência, tonteira, náusea, agitação, boca seca, sudorese,Antidepressivos tremor, potencial de crise convulsivas com doses elevadas heterocíclicos (Bupropriona). Insônia, tremor, sintomas gastrintestinais, diminuição da ISRS libido, disfunção sexual, ansiedade. Inibidores da Distúrbio do sono, ganho de peso, distúrbios sexuais. MAO
  51. 51. ANALGÉSICOS E ANTAGONISTAS OPIOIDES• Codeína (associações analgésicas e antitussígenos)• Fentanil• Metadona• Tramadol• Dextrometorfano (antitussígeno) Mecanismo de ação: Ligação a receptores específicos, que se localizam princ. no cérebro e em regiões da medula espinhal envolvidas na transmissão e modulação da dor.
  52. 52. FARMACOLOGIA Fármaco Indicação Codeína Dor (leve a moderada); tosse (não produtiva) Fentanil Dor crônica Metadona Dor grave; síndrome de abstinência de opioide Tramadol Dor moderada a graveDextrometorfano Tosse não produtiva; tosse seca
  53. 53. APRESENTAÇÕES Fármaco Apresentação Uso oral: comp. 30 e 60mg Codeína Solução oral 3mg/ml Uso tópico: adesivo transdérmico 12; 25; 50; 75 e Fentanil 100mcg Metadona Uso oral: Cápsula 5 e 10mg Uso oral: comp. 100mg Tramadol Cápsula 50mg Gotas 100mg/mlDextrometorfano Associações
  54. 54. EFEITOS ADVERSOS• Comportamento agitado;• Tremor;• Depressão respiratória;• Náusea e vômitos;• Constipação;• Retenção urinária.
  55. 55. ANESTÉSICOS Agem inibindo o impulso nervoso. Mecanismo ainda não é bem conhecido. Anestésicos gerais: Efeitos: analgesia, amnésia, perda da consciência, inibição dos reflexos sensoriais e autônomos, relaxamento da musculatura esquelética.• Tiopental (Thiopentax®)• Propofol (Diprivan®)• Cetamina (Ketamin®)
  56. 56. REAÇÕES ADVERSAS• Hipertensão/ Hipotensão;• Depressão miocárdica;• Delírio, Alucinações;• Depressão respiratória.
  57. 57.  Anestésicos locais: Analgesia temporária, porém completa, de partes bem definidas do corpo.• Lidocaína (Xylocaína®)
  58. 58. Espasmos musculares locais agudos Causados por traumatismo ou distensão locais. Em associações:• Carisoprodol (Mioflex A®, Tandrilax®, Torsilax®, Tandene®, Beserol®)• Ciclobenzaprina (Dolamin Flex®) - Isolado: Miosan®, Mirtax®
  59. 59. ABUSO DE DROGASÁLCOOL:• Depressor SNC - ↑ concentrações sanguíneas provoca coma, depressão respiratória e morte.• Sedação, alívio da ansiedade; fala arrastada, ataxia, compro metimento do discernimento e comportamento desinibido (embriaguez).
  60. 60.  O consumo crônico afeta profundamente a função de vários órgãos vitais, sobretudo o fígado e os sistemas nervoso, gastrintestinal e cardiovascular.  O etanol possui toxicidade direta! O uso crônico aumenta orisco de câncer da boca,faringe, laringe, esôfago efígado. Tolerância, dependênciafísica e psicológica.

×