O slideshow foi denunciado.

Modulo 16 politica e economia no antigo regime

255 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Modulo 16 politica e economia no antigo regime

  1. 1. POLÍTICA E ECONOMIA NO ANTIGO REGIME
  2. 2. Antigo Regime  Expressão de origem francesa, do século XVIII, para designar características políticas e econômicas que prevaleceram na Europa durante a Idade Moderna.
  3. 3. Antecedentes  O Absolutismo foi uma prática política criada na Europa, a partir do século XV, que defendia o poder total na mão dos reis.  No fim da Idade Média, uma aliança entre o rei e a burguesia fez mudar o mapa político europeu. A burguesia se beneficiou com a existência de uma só língua, uma só moeda e mais segurança nas transações comerciais.  O rei também se beneficiou, pois obteve mais dinheiro, exército e poder em suas mãos.
  4. 4. Antecedentes  Desta aliança, surgiram as monarquias nacionais, territórios unificados (países) sob o comando de um rei com amplos poderes na mão.  A prática econômica do absolutismo foi o Mercantilismo. O governo absolutista interferia muito na economia dos países, buscando desenvolvimento econômico através do acúmulo de riquezas.
  5. 5. Conceitos Mercantilistas  Objetivo do Mercantilsimo: Acumular e controlar riquezas  Antigo Sistema Colonial: acumular riquezas e obter prestígio e poder  Metalismo ou Bulionismo: busca de metais preciosos  Protecionismo: manter superávit da balança comercial, elevando taxas alfandegárias e diminuindo importações, tornando produto nacional mais vantajoso  Criação de monopólios: concessão de privilégios a determinada pessoa ou grupo, facilitando o controle e administração de Estado. (Ex. Pacto Colonial)
  6. 6. Tipos de Mercantilismo  Comercial: incentivava ramos de atividade comercial. (Ex. Inglaterra – pioneira da Revolução Industrial)  Industrial: ligados ao setores produtivos e o crescimento de manufaturas (Ex. França – mercado de luxo)  Metalista ou Bulionista: visava acúmulo de metais preciosos (Ex. Portugal e Espanha)  Todos visando o superávil geravam crise no mercado europeu  Solução: Pacto Colonial, onde as colônias forneciam matéria prima a baixo custo e compravam produtos manufaturados exclusivamente de suas metrópoles com preços elevados
  7. 7. Poder Absoluto  Centralização do poder baseada no relacionamento amistoso entre setores políticos e religiosos  Reliogiosidade bem trabalhada = poderosa ferramenta de dominação política  Para os não tão vulneráveis as explicações religiosas, criaram-se justificativas práticas
  8. 8. Teóricos Absolutistas  O poder do rei foi justificado através da ação dos teóricos ou pensadores absolutistas.  Estes teóricos defendiam ideias cujo impacto foi tão grande, que funcionavam como marketing político para convencer o povo.  Uma das ideias com grande alcance foi a teoria do Direito Divino dos Reis, que defendia que o poder do rei era sagrado e de origem divina, sendo assim pecado desobedecê-lo.  Alguns dos principais teóricos absolutistas foram: Nicolau Maquiavel, Thomas Hobbes, Jean Bodin e Jacques Bossuet.
  9. 9. Nicolau Maquiavel  Maquiavel foi um diplomata e historiador italiano.  Criou a obra O Príncipe, em 1532, na qual defendia que o monarca deveria utilizar de qualquer meio – lícito ou não – para manter o controle do seu reino.  A frase que resume suas ideias é: “Os fins justificam os meios”.  A Itália foi uma das últimas regiões unificadas na Europa. A unificação tardia ocorreu em 1870.
  10. 10. Frases de Nicolau Maquiavel  “Não há outro meio de guardar-se da adulação, a não ser fazendo com que os homens entendam que não te ofendem dizendo a verdade; mas quando todos podem dizer te a verdade, passam a faltar-te com a reverencia”.  “Na verdade, os homens ofendem ou por medo ou por ódio”.
  11. 11. Frases de Nicolau Maquiavel  “Há três espécies de cérebros: uns entendem por si próprios; os outros discernem o que os primeiros entendem; e os terceiros não entendem nem por si próprios nem pelos outros; os primeiros são excelentíssimos; os segundos excelentes; e os terceiros totalmente inúteis.”
  12. 12. Frases de Nicolau Maquiavel  “Os homens têm menos escrúpulos em ofender quem se faz amar do que quem se faz temer, pois o amor é mantido por vínculos de gratidão que se rompem quando deixam de ser necessários, já que os homens são egoístas; mas o temor é mantido pelo medo do castigo, que nunca falha”  “Creio que seriam desejáveis ambas as coisas, mas, como é difícil reuní-las, é mais seguro ser temido do que amado.”
  13. 13. Frases de Nicolau Maquiavel  “Quando fizer o bem, faça-o aos poucos. Quando for praticar o mal, fazê-lo de uma vez só.”  “Nenhum indício melhor se pode ter a respeito de um homem do que a companhia que freqüenta: o que tem companheiros decentes e honestos adquire, merecidamente, bom nome, porque é impossível que não tenha alguma semelhança com eles.”
  14. 14. Thomas Hobbes  Hobbes foi um matemático e filósofo inglês.  Criou a obra Leviatã, em 1651,na qual discorreu sobre a natureza humana e a necessidade de governos e sociedades.  Dizia que o ser humano, no estado natural, é cruel e vingativo, necessitando de um governo forte e centralizado para manter o seu controle.  A frase que resume suas ideias é: "O homem é o lobo do homem“.
  15. 15. Frases de Thomas Hobbes  “Aqueles que concordam com uma opinião chamam-lhe opinião; mas os que discordam chamam-lhe heresia.”  “Dos poderes humanos o maior deles é aquele que é composto pelos poderes de vários homens, unidos por consentimento de uma só pessoa, natural ou civil, que tem o usado de todos os seus poderes na dependência de sua vontade.”
  16. 16. Jean Bodin  Bodin foi um jurista francês, membro do Parlamento e professor de Direito.  Criou a obra “Os Seis livros da República”, em 1576, na qual defendia que a soberania é um poder perpétuo e ilimitado.  Sendo assim , as únicas limitações do soberano eram a lei divina e a lei natural.  Bodin usava de argumento religioso para justificar o poder do rei, da mesma forma que Bossuet.
  17. 17. Jacques Bossuet  Bossuet foi um bispo e teólogo francês.  Criou a obra “Política tirada da Sagrada Escritura”, em 1709, na qual criou o argumento que o governo era divino e os reis recebiam o seu poder de Deus.  TEORIA DO ABSOLUTISMO DE DIREITO DIVINO  Assim, desobedecer a autoridade real seria considerado um pecado mortal.  Um dos reis que se valeu de suas ideias foi o monarca absolutista Luís XIV.
  18. 18. Monarcas Absolutistas - França  Poder absolutista da França é um dos melhores modelos para Europa, criando órgãos como:  Conselho Real, responsável por multiplicar a vontade real  Justiça Real, que garantiam que a vontade do rei fosse cumprida  Tesouro Real, que atendia aos interesses da Coroa
  19. 19. Monarcas Absolutistas - Luís XIV  Luís XIV foi rei da França entre 1643 e 1715. Devido ao seu poder, ficou conhecido como Rei-Sol.  Foi autor da frase “O estado sou eu”, que resume o espírito absolutista da época.  Durante o seu reinado, foi construído o luxuoso Palácio de Versalhes, que foi morada da família real francesa a partir de 1683.
  20. 20. Luís XIV – Palácio de Versalhes
  21. 21. Luís XIV – Palácio de Versalhes  O Palácio de Versalhes é um castelo real localizado na cidade de Versalhes, subúrbio de Paris.  Desde 1682 até 1789, ano em que teve início a Revolução Francesa, foi o centro do poder do Antigo Regime na França.  Sua localização deve-se ao fato da procura de um local afastado dos grandes centros, devido ao grande tumulto de gente e doenças nesses locais.  Considerado o maior palácio da época e um dos maiores atualmente, possui uma ampla extensão que ocupa mais de 100 hectares, possuindo 700 quartos, 352 chaminés, 1250 lareiras, 67 escadas, 2153 janelas e um parque de 700 hectares  Em 1837, após a Revolução Francesa, o Palácio foi transformado em um museu de História, atualmente, sendo o ponto turístico mais visitado da França recebendo, em média, 8 milhões de turistas por ano.
  22. 22. Luís XIV – Palácio de Versalhes
  23. 23. Luís XIV – Palácio de Versalhes
  24. 24. Luís XIV – Palácio de Versalhes
  25. 25. Luís XIV – Palácio de Versalhes
  26. 26. Luís XIV – Regras de Etiqueta na Corte  1. O rei não aceitava ser incomodado, nem ao menos ouvir uma batida na porta, sendo permitido apenas um pequeno arranhão com o dedo mindinho esquerdo em sua porta.  2. Quando um cavalheiro ia se sentar, deveria deslizar seu pé esquerdo em frente ao outro, pousando as mãos na cadeira e suavemente poderia se sentar, pois se fizesse isso de maneira abrupta, poderia rasgar suas calças apertadas.  3. Não era permitido que os homens e as mulheres cruzassem as pernas em público.  4. Os vestidos das damas eram feitos de tal forma que não permitissem fazer ações que não fosse sentar e caminhar. Por esse motivo, elas passavam a maior parte do tempo bordando, pintando, escrevendo cartas e criando seus próprios cosméticos.  5. Assim como as damas da corte, os homens não podiam fazer outras ações a não ser escrever cartas, ler discursos e praticar esportes como, tiro ao arco e caça.  6. Não era permitido que as damas segurassem a mão ou abraçassem um cavalheiro, podendo apenas tocar nas pontas dos dedos de um homem ou dar um leve tapinha no seu cotovelo.
  27. 27. Luís XIV - Curiosidades  O rei francês Luís XIV tinha 413 camas. Em sua corte, o prestígio das pessoas era medido pelo peso da cadeira em que lhes era permitido sentar: quanto maior o peso, maior o prestígio. Apenas o rei e a rainha podiam usar cadeiras com braços.  Em um jantar normal, o rei Luís XIV comia 4 pratos de sopa, dois faisões inteiros, 2 pedaços de presunto, 1 salada, carne de cabrito com alho, frutas, doces e 1 ovo cozido. Depois que ele morreu, descobriu-se que seu estômago era 2 vezes maior do que um estômago normal.  A banheira que Luis XIV mandou instalar no Palácio de Versalhes, por absoluta falta de uso, foi convertida em fonte de jardim.  Um pequeno elevador foi instalado no palácio de Versalhes, na França, em 1743. Ligava o quarto do rei Luís XV aos aposentos de sua amante, madame de Châteauroux, no andar de baixo.
  28. 28. Luís XIV - Curiosidades  O famoso Rei Sol, Luis XIV, apesar de ter tido 16 amantes, 6 filhos legítimos, 16 filhos bastardos enobrecidos e mais de 30 filhos não reconhecidos, apesar da propaganda deixada nas pinturas oficiais de um monarca soberano, majestoso e de aparência limpa, foi uns dos reis mais sujos da história da França.  Ele teve inúmeras doenças: escarlatina e sarampo quando criança ; blenorragia (gonorreia) e sarna quando adolescente; febre tifoide, fortes enxaquecas, dores no estomago, crise de gota e fístula anorretal quando adulto. Para completar o quadro, tinha todos os dentes inferiores estragados e um único dente superior.  Acredita-se que Luis XIV deva ter tomado de 2 a 5 banhos ”inteiros” durante os seus 77 anos de reinado (morreu em 1715, de gangrena nas pernas).  Luis XIV tinha vários métodos para mascarar os odores. Espalhar perfume pelo corpo e roupas – patchouli, almíscar, “fleur d’oranger”; para o mau hálito, pastilhas de anis. Ele praticava o famoso banho seco, ou seja, trocar de roupas várias vezes no dia. O monarca tinha conhecimento do mau cheiro que exalava, dificilmente suportável a todos que o acompanhavam. Ele mesmo abria as janelas para arejar quando entrava em uma sala.
  29. 29. Luís XIV - Curiosidades  Voltando no tempo, os romanos bem preocupados com a saúde e o bem-estar construíram as ”termas”, verdadeiros locais para banhos públicos e higiene pessoal. Em outras épocas, cidades medievais foram equipadas com latrinas e banheiros públicos.  Gradualmente estes hábitos desapareceram com a chegada de certas crenças e doenças. Acreditava-se que a sífilis e a perda do apetite sexual pudesse ser transmitida pelo banho. Com a peste, surgiu a teoria que o banho quente dilatava os poros e facilitava a “entrada dos vírus”. Por ordem médica, a sujeira acumulada na pele era recomendada a todos como meio de proteção contra qualquer doença. A água quente virou motivo de medo e de morte.
  30. 30. Luís XIV - Curiosidades  E a igreja deu a sua contribuição para o desaparecimento da higiene denunciando o banho como sendo imoral.  A partir deste momento, o uso d’agua seria limitado às partes livres do corpo como as mãos e o rosto. Um banho de corpo inteiro passou a ser uma raridade.  Luis XIV lavava as mãos num pequeno filete d’agua despejada de uma jarrinha por um cortezão. No rosto e no corpo, muito blush – pigmento branco à base de chumbo, altamente toxico, sinônimo de beleza e saúde; na cabeça, uma mistura de talco e farinha para a peruca exageradamente alta e explicitamente gordurosa ao meio-dia para refletir magnitude e vigor. A peruca era de cabelos falsos misturados com cabelos verdadeiros e crinas de cavalos, local preferido dos piolhos.
  31. 31. Luís XIV - Curiosidades  “Louis XIV en costume de sacre”, de Hyacinthe Rigaud, 1701, Museu do Louvre.  Considerando a expectativa de vida no século XVII, Luis XIV morreu idoso, com 77 anos, deixando uma França próspera, rica e militarmente poderosa.  Deixou a imagem de um rei forte, robusto, detentor de um poder extraordinário para governar, uma personalidade inigualável, um rei guerreiro, um rei de paz, um arquiteto, um dançarino quase profissional, um mestre em jardinagem, um músico aplicado, amador de teatro, de poesia, mecenas das artes. Enfim um rei brilhante como o Sol e Divino como Deus.
  32. 32. Monarcas Absolutistas - Inglaterra  Auge com a Dinastia Tudor, com Henrique VIII e o Anglicanismo  Maior representante do absolutismo inglês: Elizabeth (1533-1603)l filha de Henrique VIII com Ana Bolena  Rainha Virgem  Adaptou o Anglicanismo com o Calvinismo, promoveu crescimento burguês, comércio internacional, atividades de corso e pirataria, organizou o parlamento e incentivou a política de cercamentos  Morreu sem deixar herdeiros, dando início a uma nova dinastia, a dos Stuart
  33. 33. Monarcas Absolutistas  Rússia: Czarismo, dinastia Romanov (do século XVII ao XX, terminando com a Revolução Russa)  Portugal, Espanha e Prússia

×