Módulo 15 renascimento cultural e reforma protestante

2.361 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.361
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
152
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Módulo 15 renascimento cultural e reforma protestante

  1. 1. Módulo 15
  2. 2. O que é Renascimento?  Nome dado a um movimento cultural que ocorreu na Europa entre os séculos XIV e XVI  Representava uma ruptura com a Idade Média (Idade das Trevas ou Longa Noite dos Mil Anos)  Valorização das criações greco-romanas  Visuão atual: continuidade da Idade Média
  3. 3. Contexto Histórico na Europa Ocidental  Século XI: crescimento populacional, avanço técnico, aumento da produtividade agrícola, intensificação do comércio entre Ocidente e Oriente e ascensão da burguesia  Divulgação do cálculo  Coletivismo medieval cede lugar ao individualismo (sinônimo de capacidade, talento e criatividade)
  4. 4. Características do Renascimento  Racionalismo: Valorização da razão, investigação, criação e distinção dos animais. Busca do conhecimento por meio de testes e experiências. Fuga das explicações fantásticas, mitológicas ou sobrenaturais. Fé explicada por meios racionais.  Mudança de Geocentrismo (Terra como centro do universo ) para Heliocentrismo (Sol como centro do universo)
  5. 5. Características do Renascimento  Antropocentrismo: Ser humano como centro, devido a sua beleza, inteligência e sensibilidade.  Hedonismo: Corpo como fonte de prazer e de beleza; buscar pela satisfação imediata.  Nova concepção de tempo: homem pertence ao homem, que pode usá-lo em benefício próprio.
  6. 6. MECENATO  Designa ato de patrocinar a produção intelectual  Palavra deriva de Caius Maecenas, romano considerado grande incentivador da produção cultural  “O ócio é fundamental à produção intelectual” (Humberto Eco)  Mecenas: sustentavam filósofos, escultores, pintores. Principais mecenas eram burgueses e nobres.
  7. 7. HUMANISMO  Movimento que pretendia renovar o padrão de ensino e o currículo das universidades medievais, restrito a direito, medicina e teologia.  Questionamento das “verdades” absolutas  Inclusão de História, Matemática e Literatura  Humanista: inicialmente somente os eruditos, posteriormente termo aplicado a todos que questionavam a cultura dominante  Fator importante: desenvolvimento da imprensa (Gutenberg, alemão, século XV)
  8. 8. RENASCIMENTO NA ITÁLIA  Fatores: ligação com o Oriente, fortalecimento da classe burguesa através do comércio e posicionamento da Península Itálica.  Conhecimento da diversidade humana (viagens, literatura, arte)  Principais cidades: Gênova, Veneza e Itália  Influência de grandes famílias (Médici) e da Igreja Católica
  9. 9. Trecento (século XIV)
  10. 10. Trecento (século XIV)  Início do movimento renascentista italiano  Ainda aparecem elementos medievais, como monstros e figuras mitológicas  Temas religiosos, mas sem tanta submissão  Noções de perspectivas  Mais realismo
  11. 11. Dante Alighieri (1265-1321) Prosador, poeta e autor de Divina Comédia • Descreve viagem imaginária de Dante pelo reino dos mortos • Escrito em toscano • Personagens com características próprias (gordos, altos, magros, baixos)
  12. 12. Giovanni Boccaccio (1313-1375) Criador de Decameron (significa 10 dias), livro com 100 contos que narram a história de 10 jovens fugindo da peste de 1348. • Descrição dos sentimentos humanos como amor, ciúme, astúcia. • Busca da conquista amorosa consumada através do ato carnal.
  13. 13. Quattrocento (século XV)  Auge do Renascimento  Contato com Oriente traz novas técnicas  Aprimoramento da perspectiva  Realismo mais acentuado  Evidência do Antropocentrismo  Principal destaque: Leonardo da Vinci
  14. 14. Quattrocento (século XV) Homem Vitruviano, inspirado no estudo de Marcus Vitruvius Pollio, arquiteto romano que descreveu as proporções do corpo masculino. Leonardo da Vinci (1452-1519) foi pintor, escultor, músico e inventor. Conhecia a anatomia humana profundamente
  15. 15. Nicolau Maquiavel (1469-1527) Autor de O Príncipe, manual de como um governante deve agir para conquistar e manter o poder Considerado fundado da política como Ciência
  16. 16. Sandro Botticelli (1445-1510). Obra Nascimento de Vênus
  17. 17. Cinquecento (século XVI)  Início da crise do renascimento italiano  Quebra do monopólio italiano em relação ao Oriente com as expansões marítimas portuguesa e espanhola  Diminuição do fluxo de riquezas para a Itália  Limitação dos mecenas  Difusão do Renascimento para outras partes da Europa
  18. 18. DIFUSÃO DO RENASCIMENTO PELA EUROPA Flandres (Bélgica e parte da atual Holanda): Inglaterra  Erasmo de Roterdã, autor de Elogio da Loucura, onde dirige críticas duras à sociedade e à Igreja do seu tempo  Inovações na arte dos retratos (perfil e retrato conjugal)  Pinturas de paisagens e naturezas mortas  Thomas Morus, autor de A Utopia, em que idealizada uma sociedade racionalmente organizada, criticando a injustiça e cobiça  Willian Shakespeare, autor de Hamlet e Romeu e Julieta, criticando a desordem causada pela rigidez monárquica
  19. 19. DIFUSÃO DO RENASCIMENTO PELA EUROPA Portugal Espanha  Destaque para Gil Vicente, autor de O Auto da Barca do Inferno, uma construção literária da sociedade da época  Luis Vaz de Camões, autor de Os Lusíadas, epopéia que enaltece os feitos do povo lusitano no mar e em terras distantes.  Miguel de Cervantes, autor de Dom Quixote, onde satiriza as novelas de cavalaria e o enaltecimento dos cavaleiros medievais
  20. 20. RENASCIMENTO CIENTÍFICO  Contestação das verdades da Igreja através de estudo, testes e experimentos  Avanço científico com destaque para a Astronomia, Matemática, Física e Medicina  Nicolau Copérnico (Heliocentrismo)  Galileu Galilei – afirmava a mesma coisa que Copérnico, mas foi obrigado a negar por causa da Inquisição (suspensão da pena canônica em 1992).
  21. 21. MOTIVAÇÕES PARA A REFORMA  Poder religioso limitava o poder real  Condenação da usura atrasava o avanço burguês  Práticas incoerentes dos religiosos (ex. Celibato e apego aos bens materiais)  Simonia = venda de relíquias, artefatos sagrados e cargos eclesiásticos (ex. pedaços da cruz e do santo sudário)  Venda de indulgências (perdão dos pecados em troca de doação de dinheiro para a Igreja) = salvação pelas obras
  22. 22. MARTINHO LUTERO  Nasceu na Alemanha em 1483  Monge agostiniano, foi professor de Teologia na Universidade de Wittenberg  Condenava o sistema salvacionista da Igreja Católica baseado nas obras  Estudou profundamente os livros da Bíblia, especialmente os de Paulo (Romanos, Gálatas, Efésios e Hebreus)
  23. 23. MARTINHO LUTERO  Concluiu que o homem recebe a salvação pelos méritos de Cristo, e não por suas obras (ideia defendida por John Wycliff e John Huss anos antes)  Escreveu as 95 teses, estabelecendo novos conceitos que abalaram a Igreja Medieval  Fixou as teses na porta da catedral de Wittenberg, em 1517  Foi excomungado na Dieta de Worms
  24. 24. MARTINHO LUTERO  Traduziu a Bíblia para o alemão, fazendo com que fosse lida por mais pessoas e se torna-se a única regra de fé e autoridade dentro do Cristianismo  Condenava o uso de imagens dentro das igrejas  Negava a transubstanciação e pregava a consubstanciação  Suas crenças foram escritas na Confissão de Augsburgo
  25. 25. MARTINHO LUTERO  Obteve apoio de príncipes interessados em enfraquecer o poder religioso, que confiscaram propriedades da igreja e incorporaram aos seus governos  Muitos camponeses aderiram as ideias de Lutero de se organizaram na que ficou conhecida como Revolta dos Anabatistas  Lutero negou apoio a esta revolta, que foi reprimida pela nobreza  O luteranismo avançou rapidamente e os católicos passaram a proibir os cultos luteranos. Os adeptos protestaram, dando origem ao nome protestantes.  As guerras religiosas só tiveram fim com a assinatura da Paz de Augsburgo, onde ficou estabelecido que a religião de uma região seria a mesma que a do seu príncipe.
  26. 26. DOUTRINA LUTERANA  Somente a fé em Deus salva as pessoas  A Bíblia e a única fone realmente confiável  O celibato clerical, a ideia de que o papa é infalível e os cultos às imagens não tem fundamento  O batismo e a eucaristia são os únicos dois sacramentos  O culto deve ser ministrado na língua local
  27. 27. João Calvino  Nasceu na França e mudou-se para a Suíça  Desenvolveu uma nova teologia salvacionista, influenciado por Lutero  Ideia: salvação por predestinação (Deus dá condições semelhantes, mas ordena uns à salvação e outros à danação)  Trabalho árduo = salvação (apoio da burguesia)
  28. 28. João Calvino  Seguidores na França = huguenotes  Seguidores na Inglaterra = puritanos  Salvação pela fé, dada por Deus mediante sua vontade  Pregavam fim da hierarquia eclesiástica e igreja liderada por pastores  Apenas dois sacramentos: batismo e comunhão
  29. 29. Anglicanismo  Henrique VIII = responsável pela reforma na Inglaterra  Rompimento das relações entre Coroa e Papado  Motivo: Anulação do casamento com Catarina de Aragão para novo casamento com Ana Bolena  Resultado: formação do Anglicanismo (igreja estatal controlada pelo Rei da Inglaterra)
  30. 30. Anglicanismo  Semelhanças com Catolicismo até morte de Henrique VIII  Eduardo VI implantou cultos na língua inglesa e casamento para padres, mas manteve maioria das doutrinas católicas  Elizabeth I introduziu elementos do calvinismo como salvação pela fé e predestinação
  31. 31. Reação da Igreja Católica  Reforma interna = Reforma Católica  Retorno a princípios do cristianismo: piedade, desapego dos bens materiais, simplicidade e a exigência de instrução para ocupar cargos eclesiásticos  Companhia de Jesus (ou Ordem dos Jesuítas), fundada por Ignácio de Loyola  Funções: instruir liderança católica para os debates públicos e disseminar através da educação os preceitos católicos
  32. 32. Reação da Igreja Católica  Contrareforma = tentativa de barrar o avanço do protestantismo e os movimentos dissidentes  Concílio de Trento (séc XVI) = encontro que discutiu formas de conter o protestantismo e ratificou ações já implementadas  Ativação dos Tribunais do Santo Ofício (ou Tribunais da Inquisição) =julgar hereges
  33. 33. Reação da Igreja Católica  Métodos de tortura, confissões forçadas, morte em fogueiras públicas  Criação de lista de livros proibidos (INDEX), como as 95 teses de Lutero, os escritos de Calvino e a Bíblia Protestante  O protestantismo em algumas regiões uniu-se à política e avançou mesmo com a tentativa da Igreja Católica de barrar o crescimento

×