Crise do Mundo Feudal
• Pilares do feudalismo: política descentralizada, economia
de subsistência, sociedade estamental e ...
Cruzadas
Cruzadas: expedições de caráter militar em nome da
cruz de Cristo para libertar a Terra Santa da mão dos
infiéis ...
a) I Cruzada (1096-1099) = nobres reconquistam
Jerusalém, mas a perdem novamente
b) II Cruzada (1147-1149) = nobres alemãe...
Resultado das Cruzadas
• Jerusalém não foi retomada;
• Estabeleceram-se novas relações comerciais e
aperfeiçoaram as anter...
Comércio em destaque
• Quem não trabalhava como servo no feudo,
precisou aprender uma nova forma de viver e de
sustentar a...
• Cidades de destaque nesta fase: Flandres (norte da
Bélgica – manufatura de tecidos), Gênova e Veneza
(norte da Itália – ...
• Formação de GUILDAS (por cidades) =
associações de comerciantes para proteção
mútua de seus interesses;
• Para entrar na...
Cidades renascem
• “O ar da cidade liberta”
• Libertação dos laços que ligavam à terra, com
possibilidade de ganhos, ascen...
Cidade de Burgos, na Espanha
• Estabelecimento de oficinas de trabalho
artesanal;
• Hierarquia das oficinas: Mestre (dono do
local e das ferramentas); ...
Sociedade
• Aparecimento de diferenças sociais;
• Divisão em classes sociais e aparecimento de uma
alta burguesia (ricos),...
Módulo 11   baixa idade media
Módulo 11   baixa idade media
Módulo 11   baixa idade media
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Módulo 11 baixa idade media

1.018 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Módulo 11 baixa idade media

  1. 1. Crise do Mundo Feudal • Pilares do feudalismo: política descentralizada, economia de subsistência, sociedade estamental e cultura teocêntrica. • Baixa Idade Média (sec. XI a XV) - mudanças geram desestabilização • Principal motivo: Crescimento Demográfico (muita gente = pouca terra; melhoria nos hábitos de higiene, melhoria das técnicas agrícolas e diminuição das invasões); • Mais gente = aumento na demanda (vestuário, comida e defesa)
  2. 2. Cruzadas Cruzadas: expedições de caráter militar em nome da cruz de Cristo para libertar a Terra Santa da mão dos infiéis (muçulmanos) – GUERRA SANTA Explicação teórica: desobstruir o acesso à Terra Santa. Recompensa: perdão dos pecados e salvação. Explicação prática: Resolver os problemas de falta de terras na Europa Ocidental
  3. 3. a) I Cruzada (1096-1099) = nobres reconquistam Jerusalém, mas a perdem novamente b) II Cruzada (1147-1149) = nobres alemães e franceses lutam juntos, mas se desentendem e comprometem a expedição c) III Cruzada (1189-1192) = reis da Inglaterra, França e do Sacro Império Romano-Germânico, que apesar de conseguirem autorização para que os cristãos peregrinassem até Jerusalém, não a conquistaram de fato d) IV Cruzada (1202-1204) = comerciantes promoveram saques em portos do Mediterrâneo e em Constantinopla, mas nem chegaram até Jerusalém.
  4. 4. Resultado das Cruzadas • Jerusalém não foi retomada; • Estabeleceram-se novas relações comerciais e aperfeiçoaram as anteriormente existentes; • Novas terras foram conquistadas e novos feudos de senhores ocidentais foram estabelecidos no Oriente. • PRINCIPAL CONSEQUÊNCIA: REABERTURA DO MAR MEDITERRÂNEO PARA NAVEGAÇÃO COMERCIAL CRISTÃ EUROPEIA OCIDENTAL
  5. 5. Comércio em destaque • Quem não trabalhava como servo no feudo, precisou aprender uma nova forma de viver e de sustentar a si a sua família; • Atividade comercial foi a alternativa encontrada - nascimento da classe social denominada BURGUESIA; • Gradual fortalecimento da moeda; • Estabelecimento de centros de comércio fixos em substituição aos itinerantes.
  6. 6. • Cidades de destaque nesta fase: Flandres (norte da Bélgica – manufatura de tecidos), Gênova e Veneza (norte da Itália – especiarias orientais); • Surgimento de cambistas (não-cristãos, judeus ou árabes) - troca das moedas (câmbio), proteção (letras de câmbio); • Prática da Usura: cobrança de juros pelo tempo de uso do dinheiro (condenado pelo Igreja Católica)
  7. 7. • Formação de GUILDAS (por cidades) = associações de comerciantes para proteção mútua de seus interesses; • Para entrar na guilda, deveria ser comprovado o aumento de demanda (forma de proteger lucros); • Organização das associações comerciais em HANSAS (controlando várias cidades); • Mais importante: LIGA HANSEÁTICA, liderada por Lubeck, em Flandres.
  8. 8. Cidades renascem • “O ar da cidade liberta” • Libertação dos laços que ligavam à terra, com possibilidade de ganhos, ascensão social e locomoção; • BURGOS - regiões em torno dos castelos, vilas ou entroncamentos entre rotas de viagem • Liberdade dos burgos negociadas com nobres de duas formas: a) cidades francas (compra negociada com carta de franquia) ou, b) cidades comunas (conflito armado)
  9. 9. Cidade de Burgos, na Espanha
  10. 10. • Estabelecimento de oficinas de trabalho artesanal; • Hierarquia das oficinas: Mestre (dono do local e das ferramentas); Oficiais ou Jornaleiros (trabalhavam por jornadas) e Aprendizes (jovens que aprendiam o ofício em troca de moradia e alimentação); • Criação das corporações de ofício, para cuidar dos interesses dos artesãos.
  11. 11. Sociedade • Aparecimento de diferenças sociais; • Divisão em classes sociais e aparecimento de uma alta burguesia (ricos), que passou a ser detentora do poder político; • Crescimento desordenado das cidades, sem sistema de limpeza pública; • Ruas estreitas e sinuosas, feitas de acordo com a necessidade do momento, sem planejamento urbano; • Fatores de epidemias.

×