SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
FOTOJORNALISMO
II
Aula 2
Profa. Julia Dantas de Oliveira Penteado
FOTOJORNALISMO
COMO FERRAMENTA
IDEOLÓGICA
Mise-en-scène
■ Onde você coloca a câmera e o que você quer registrar com ela? No cinema:
– Locação
– Figurino e maquiagem
– Iluminação
– Atuação (experiência humana denotada)
Moonrise Kingdom (2012)
O cuidado incansável com a mise-en-scène deWes Anderson
Oscar Gustave Rejlander
TheTwo Ways Of Life (1957). Fotografia montada a partir de 30 negativos.
Oscar Gustave Rejlander
First I Lost My Pen And Now I’ve Lost
My Spectacles – humor na fotografia
A night on the streets of London.
Henry Peach Robinson
When the Day's Work is Done (1877) – Combinação de 6 negativos
Hippolyte Bayard
Autorretrato em que representa o próprio suicídio. 1840
E NO
FOTOJORNALISMO?
A mise-en-scène é, antes de tudo, um olhar sobre o mundo
Beco dos Bandidos (1890)-
Jacob A. Riis para o NewYork
Tribune. A série causou tanto
impacto que despertou um
movimento por melhores
condições de moradia para
os imigrantes.
MeninaTecedeira nos EUA (1911). Francis Hine
Crianças em mina de
carbono na
Pensilvânia/EUA (1911).
Francis Hine
Mudança no ato fotográfico
“O essencial é que, ao arrancar do mundo um pedaço de
espaço, o ato fotográfico faz dele um novo mundo (espaço
representado), cuja organização interna se elabora a
partir da própria forma gerada pelo recorte” (DUBOIS, P.)
Povo iraquiano derruba
estátua de Saddam Hussein
em 2003.
Só que não.
Susan Sontag e as fotos de guerra
(Diante da dor dos outros)
“Ao contrário de um relato escrito – que, conforme sua
complexidade de pensamento, de referências e de
vocabulário, é oferecido a um número maior ou menor
de leitores -, uma foto só tem uma língua e se destina
potencialmente a todos.”
Guerra da Criméia (1855) – Roger Fenton (UK)
Acampamento dos soldados britânicos. (1855) Roger Fenton
Guerra Civil
Americana.
Matthew Brady,
1862
REEKIE/1865 - Restos da Batalha de Cold Harbor fotografado por um auxiliar de Brady
Marilena Chauí - Ideologia
“Esse ocultamento da realidade social chama-se
ideologia. Por seu intermédio, os dominantes
legitimam as condições sociais de exploração e
dominação, fazendo com que pareçam
verdadeiras e justas”.
“Algo se torna real – para quem
está longe, acompanhando em
forma de ‘notícia’ – ao ser
fotografado. Mas, não raro, uma
catástrofe vivenciada se
assemelhará, de maneira
misteriosa, à sua representação.”
(Susan Sontag)
“Numa era sobrecarregada de
informação, a fotografia oferece um
modo rápido de apreender algo e uma
forma compacta de memorizá-lo. A foto
é como uma citação ou uma máxima ou
provérbio.”
(Sontag)
Ideologia
mercantilista:
caça às imagens
dramáticas e fotos de
dor
Ao relatar a morte em
massa, a fotografia
conquistou um patamar
de imediatismo e
autoridade maior do que
os relatos verbais
“Não há palavras para o horror”
Robert Capa: fotógrafos politicamente
engajados, centrados na guerra e nas
vítimas;
Escolha de pautas ideológica.
Diferentes usos ideológicos
da mesma foto:
- Dependem do contexto (legenda)
- Associação ao tema retratado na
foto
David Seymour (Chim)
Espanha (1936)
Execução dos Boxers em 1900. (Autor desconhecido)
Foto: OBJETIVIDADE + PONTO DEVISTA
Fotos menos elaboradas são tidas como mais autênticas.
Para um registro de algo evento ocorrido, a fotografia amadora pode
concorrer igualmente com uma foto feita por um profissional.
Fotos da Guerra doVietnã de Larry
Burrows publicadas na Life a partir de
1962 reforçaram o movimento
pacifista.
EXEMPLOS ATUAIS
Mise-en-scène e manipulação pré-foto:
Retórica persuasiva da publicidade
Tentativa de “vender” a matéria
Manipulação pré-fotográfica: carga
dramática; ênfase
Manipulação pós-
fotográfica:
“Em Basra, pânico
como tática de
Guerra”
Capa do Los
AngelesTimes,
março de 2003.
Qual é a diferença entre essas duas fotos?
(ou: um outro tipo de manipulação)
Fotos do 11 de setembro
Guerra do Iraque: as imagens dos iraquianos
não foram preservadas.
14/06/201313/06/2013
Fixação de personas.
“Os indivíduos não são colocados mais
no quadro de uma imagem pela sua
singularidade ou simplesmente porque
elas aí estão – eles e ninguém mais -, eles
são escolhidos por sua representatividade
estatística, sua conformidade com um
modelo de alteridade aceitável –
portanto, assimilável –, pelos cânones da
visão ocidental, publicitária, do mundo:
bastante “outros” para serem exóticos,
suficientemente “mesmos” para merecer
nosso interesse e suscitar nossa
compaixão.” (Edgar Roskis)
O olhar hegemônico
Levante suaVoz (2009). Pedro Ekman
Trabalho dos coletivos (visão
contra-hegemônica)
ONG Olhares do Morro
PRÓXIMA AULA:
IMPLICAÇÕES DA
PSICANÁLISE NA
FOTOGRAFIA
ETHOS, PATHOS E
LOGOS NA
FOTOGRAFIA
A Câmara Clara (Barthes)
A Estrutura Ausente (2001), Umberto Eco
Bresson
■ Algumas vezes acontece de o fotógrafo paralisar, atrasar, esperar para que a cena
aconteça. Outras vezes, há uma intuição de que todos os elementos da cena estão lá,
exceto por um pequeno detalhe. Mas que detalhe?Talvez alguém repentinamente
entrando no enquadramento do visor. O fotógrafo, então acompanha seu movimento
através do visor da câmera. Espera, espera e espera, até que finalmente aperta o
botão – e então sai com a sensação que captou algo (embora não saiba exatamente o
quê). Mais tarde, no laboratório, ele faz uma ampliação da foto e procura nela as
figuras geométricas que aparecem à análise e o fotógrafo se dá conta, então, de que a
foto foi feita no instante decisivo (CARTIER-BRESSON, 1952: 68).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Portefólio Fotojornalísticos
Portefólio FotojornalísticosPortefólio Fotojornalísticos
Portefólio FotojornalísticosGAismt
 
História Crítica do Fotojornalismo Ocidental
História Crítica do Fotojornalismo OcidentalHistória Crítica do Fotojornalismo Ocidental
História Crítica do Fotojornalismo OcidentalFantoches de Luz
 
Aula fotojornalismo de revistas
Aula fotojornalismo de revistasAula fotojornalismo de revistas
Aula fotojornalismo de revistasHelena Jacob
 
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...Julia Dantas
 
Slides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la PhotographieSlides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la Photographieolharfrancess
 
9. Narração histórico-materialista
9. Narração histórico-materialista9. Narração histórico-materialista
9. Narração histórico-materialistaCristiano Canguçu
 
O Signo multifacetado de Roland Barthes
O Signo multifacetado de Roland BarthesO Signo multifacetado de Roland Barthes
O Signo multifacetado de Roland BarthesWagner França
 
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...Fernanda Gomes
 
Fine Art - Momentos Memoráveis
Fine Art - Momentos MemoráveisFine Art - Momentos Memoráveis
Fine Art - Momentos MemoráveisAmanda Petry
 
8. Narração moderna ou "de arte"
8. Narração moderna ou "de arte"8. Narração moderna ou "de arte"
8. Narração moderna ou "de arte"Cristiano Canguçu
 
A fotografia como símbolo
A fotografia como símboloA fotografia como símbolo
A fotografia como símboloMarcelo Ribeiro
 
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...Marcelo Ribeiro
 

Mais procurados (19)

Portefólio Fotojornalísticos
Portefólio FotojornalísticosPortefólio Fotojornalísticos
Portefólio Fotojornalísticos
 
Tipos de fotografia
Tipos de fotografiaTipos de fotografia
Tipos de fotografia
 
História Crítica do Fotojornalismo Ocidental
História Crítica do Fotojornalismo OcidentalHistória Crítica do Fotojornalismo Ocidental
História Crítica do Fotojornalismo Ocidental
 
Aula fotojornalismo de revistas
Aula fotojornalismo de revistasAula fotojornalismo de revistas
Aula fotojornalismo de revistas
 
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...
Fotojornalismo II - Aula 4 - O ensaio fotográfico e fotografia de retratos e ...
 
Fotografia de rua
Fotografia de ruaFotografia de rua
Fotografia de rua
 
Slides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la PhotographieSlides Histoire de la Photographie
Slides Histoire de la Photographie
 
Realismo (introdução)
Realismo (introdução)Realismo (introdução)
Realismo (introdução)
 
Fotografia - Carolina Fernandes
Fotografia - Carolina FernandesFotografia - Carolina Fernandes
Fotografia - Carolina Fernandes
 
9. Narração histórico-materialista
9. Narração histórico-materialista9. Narração histórico-materialista
9. Narração histórico-materialista
 
O Signo multifacetado de Roland Barthes
O Signo multifacetado de Roland BarthesO Signo multifacetado de Roland Barthes
O Signo multifacetado de Roland Barthes
 
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...
O retrato e a relacao com os dispositivos: de constrangidos a constrangedores...
 
Grande Temas - Retratos
Grande Temas - RetratosGrande Temas - Retratos
Grande Temas - Retratos
 
Fine Art - Momentos Memoráveis
Fine Art - Momentos MemoráveisFine Art - Momentos Memoráveis
Fine Art - Momentos Memoráveis
 
André Bazin
André BazinAndré Bazin
André Bazin
 
8. Narração moderna ou "de arte"
8. Narração moderna ou "de arte"8. Narração moderna ou "de arte"
8. Narração moderna ou "de arte"
 
A fotografia como símbolo
A fotografia como símboloA fotografia como símbolo
A fotografia como símbolo
 
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...
A fotografia, seus momentos icônicos, simbólicos e indiciários, suas dimensõe...
 
Apresentação1
Apresentação1Apresentação1
Apresentação1
 

Destaque

Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visual
Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visualFotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visual
Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visualJulia Dantas
 
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...Julia Dantas
 
Fotojornalismo
FotojornalismoFotojornalismo
FotojornalismoKaren Sica
 
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX Julia Dantas
 
Clube do bang bang
Clube do bang bangClube do bang bang
Clube do bang bangfrederlaine
 
Fotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeiro
Fotorreportagem no Brasil - Revista O CruzeiroFotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeiro
Fotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeirofotorreportagem
 
Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)isisnogueira
 
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislação
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislaçãoFotojornalismo I - Questões éticas e legislação
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislaçãoJulia Dantas
 
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014Apostila Fotografia - Curso Básico 2014
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014Raquel Salcedo Gomes
 
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica II
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica IIFotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica II
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica IIJulia Dantas
 
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...Julia Dantas
 
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV Julia Dantas
 
O Fotojornalismo
O FotojornalismoO Fotojornalismo
O FotojornalismoAna Almeida
 
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. Composição
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. ComposiçãoMódulo 1 | Fotografia Digital | 4. Composição
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. ComposiçãoNuno Barros
 
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo Gomes
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo GomesApostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo Gomes
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo GomesRaquel Salcedo Gomes
 

Destaque (20)

Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visual
Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visualFotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visual
Fotojornalismo I - Panorama da profissão e novo jornalismo visual
 
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...
Fotojornalismo II - Panorama da profissão, jornalismo visual e fotos ilustrat...
 
Fotojornalismo
FotojornalismoFotojornalismo
Fotojornalismo
 
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX
Fotojornalismo I - Aula 4 - Fotojornalismo no século XX
 
Clube do bang bang
Clube do bang bangClube do bang bang
Clube do bang bang
 
Fotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeiro
Fotorreportagem no Brasil - Revista O CruzeiroFotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeiro
Fotorreportagem no Brasil - Revista O Cruzeiro
 
Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)Fichamento fotografia ( oficial)
Fichamento fotografia ( oficial)
 
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislação
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislaçãoFotojornalismo I - Questões éticas e legislação
Fotojornalismo I - Questões éticas e legislação
 
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014Apostila Fotografia - Curso Básico 2014
Apostila Fotografia - Curso Básico 2014
 
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica II
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica IIFotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica II
Fotojornalismo II - Aula 7 - Elementos da composição fotográfica II
 
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...
Fotojornalismo II - Aula 8 - Orientações trabalhos, novos prazos, composição ...
 
3. Mise-en-scène
3. Mise-en-scène3. Mise-en-scène
3. Mise-en-scène
 
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV
Fotojornalismo II - Composição fotográfica IV
 
O Fotojornalismo
O FotojornalismoO Fotojornalismo
O Fotojornalismo
 
Manual de Fotografia 1
Manual de Fotografia 1Manual de Fotografia 1
Manual de Fotografia 1
 
01. O cinema como arte
01. O cinema como arte01. O cinema como arte
01. O cinema como arte
 
Composição fotográfica
Composição fotográficaComposição fotográfica
Composição fotográfica
 
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. Composição
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. ComposiçãoMódulo 1 | Fotografia Digital | 4. Composição
Módulo 1 | Fotografia Digital | 4. Composição
 
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo Gomes
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo GomesApostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo Gomes
Apostila do Curso Básico de Fotografia - Prof. Me. Marcelo Salcedo Gomes
 
Linguagem fotográfica
Linguagem fotográficaLinguagem fotográfica
Linguagem fotográfica
 

Semelhante a Fotojornalismo como ferramenta ideológica

Ícones do Retrato
Ícones do RetratoÍcones do Retrato
Ícones do Retratoclaudiog
 
O fotojornalismo e a morte - Artigo
O fotojornalismo e a morte - ArtigoO fotojornalismo e a morte - Artigo
O fotojornalismo e a morte - ArtigoAlexandre Salvador
 
Aula 01 saturação imagética
Aula 01 saturação imagética Aula 01 saturação imagética
Aula 01 saturação imagética ricardotheo
 
O Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma ImagemO Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma Imagemmartha
 
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason LimaIdeologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason Limajasonrplima
 
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason LimaJason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Limajasonrplima
 
9o. ano historia da fotografia -elisa herrera-
9o. ano  historia da fotografia -elisa herrera-9o. ano  historia da fotografia -elisa herrera-
9o. ano historia da fotografia -elisa herrera-elisabhp
 
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJ
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJEncontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJ
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJJoaquim Netto
 
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...Lucas Schuab Vieira
 
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010Claudio Vitor Vaz
 
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx   Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx gabiimedeiros
 
Constelações visuais
Constelações visuaisConstelações visuais
Constelações visuaisLuci Correia
 
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão ianqueiroz42
 
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304Equipemundi2014
 
Palestra fc cerro largo 29 10-2019
Palestra fc cerro largo 29 10-2019Palestra fc cerro largo 29 10-2019
Palestra fc cerro largo 29 10-2019Márcio Martins
 

Semelhante a Fotojornalismo como ferramenta ideológica (20)

Ícones do Retrato
Ícones do RetratoÍcones do Retrato
Ícones do Retrato
 
O fotojornalismo e a morte - Artigo
O fotojornalismo e a morte - ArtigoO fotojornalismo e a morte - Artigo
O fotojornalismo e a morte - Artigo
 
Siegfried Kracauer
Siegfried KracauerSiegfried Kracauer
Siegfried Kracauer
 
( Espiritismo) # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
( Espiritismo)   # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema( Espiritismo)   # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
( Espiritismo) # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
 
( Espiritismo) # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
( Espiritismo)   # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema( Espiritismo)   # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
( Espiritismo) # - andreia z m moreira - a vida apos a morte no cinema
 
Aula 01 saturação imagética
Aula 01 saturação imagética Aula 01 saturação imagética
Aula 01 saturação imagética
 
O Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma ImagemO Valor De Uma Imagem
O Valor De Uma Imagem
 
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason LimaIdeologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
 
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason LimaJason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
Jason - ideologia e formação discursiva - Professor Jason Lima
 
9o. ano historia da fotografia -elisa herrera-
9o. ano  historia da fotografia -elisa herrera-9o. ano  historia da fotografia -elisa herrera-
9o. ano historia da fotografia -elisa herrera-
 
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJ
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJEncontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJ
Encontro Fotografia Moderna & Contemporânea - EBA - UFRJ
 
Os Moradores de Rua (foto-expressão)
Os Moradores de Rua (foto-expressão)Os Moradores de Rua (foto-expressão)
Os Moradores de Rua (foto-expressão)
 
SEMIÓTICA: MODELO PEIRCE
SEMIÓTICA: MODELO PEIRCESEMIÓTICA: MODELO PEIRCE
SEMIÓTICA: MODELO PEIRCE
 
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...Terra em transe  (1967)   análise do filme de de glauber rocha-  lucas schuab...
Terra em transe (1967) análise do filme de de glauber rocha- lucas schuab...
 
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010
Seminário de Pós-Graduação UFMG 2010
 
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx   Cinema, filosofia e sociedade.pptx
Cinema, filosofia e sociedade.pptx
 
Constelações visuais
Constelações visuaisConstelações visuais
Constelações visuais
 
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão O pós guerra e o cinema expressionista alemão
O pós guerra e o cinema expressionista alemão
 
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304
Dialnet jean roucheo-surrealismo-4002304
 
Palestra fc cerro largo 29 10-2019
Palestra fc cerro largo 29 10-2019Palestra fc cerro largo 29 10-2019
Palestra fc cerro largo 29 10-2019
 

Fotojornalismo como ferramenta ideológica

Notas do Editor

  1. Na fotografia: os conteúdos do quadro e a maneira como eles são organizados “A encenação está por toda a parte, nada se pode imaginar sem ela.” (Jacques Aumont)
  2. Oscar Gustave Rejlander é considerado o pai da fotografia de arte. Ele usava elementos da mise-en-scène teatral nas fotos, por meio da composição de vários negativos.
  3. Uma das marcas de Oscar Gustave era o uso de humor e a forma como ele conseguia captar a verdade do ser humano em suas fotos. Seus retratos serviram de base para estudos de Darwin sobre o comportamento humano.
  4. Henry Peach Robinson era outro fotógrafo pictorialista que usava a combinação de vários negativos. Aqui, ele introduz várias técnicas de iluminação, figurin, maquiagem e cenografia.
  5. Este autorretrato de Hippolyte Bayard foi um verdadeiro ato cênico: ele o fez como um manifesto por ter sido ignorado pelo governo francês e não ter tido reconhecimento pelo invento da fotografia. Na foto, ele encena um suicida que se mata por afogamento (abandonado pelo governo francês e abandonado à própria sorte). A foto é um símbolo da morte da fotografia na fotografia para o próprio autor.
  6. “…com a primeira cobertura ‘fotojornalística’ de guerra nasce a censura prévia ao fotojornalismo” (SOUZA, 2000: 34)
  7. Fotos wtc
  8. Quando os fotógrafos passam a atender às demandas de mercado, qual é o viés ideológico? Como combinar essas duas questões?
  9. “Não há palavras para descrever o horror” Ano de 1945: libertação dos campos de concentração fotos de Yosuke Yamahata da incineração da população de Hiroshima e Nagasaki
  10. “Não há palavras para descrever o horror” Ano de 1945: libertação dos campos de concentração fotos de Yosuke Yamahata da incineração da população de Hiroshima e Nagasaki
  11. Em um primeiro momento, a foto foi usada como propaganda da represália das potências ocidentais à revolta dos Boxers. Hoje, as fotos são usadas para demonstrar o mal que as civilizações do ocidente causaram no povo chinês.
  12. Com a fotografia digital, fica difícil saber se a imagem foi manipulada.
  13. A reprodução do olhar hegemônico Por que se tratam diferentemente os outsiders dos estabelecidos? Existe uma tendência a se “naturalizar” posições que, pelo contrário, deveriam ter diferentes pontos de vista e suscitar o debate. Será que essa realidade tem perspectiva para que se mude?