SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 182
Baixar para ler offline
INFORMÁTICA
Material Cedido pelos professores:
Sérgio Spolador
Julio Cesar Ramos
Ana Naiara Malavolta
http://sergiospolador.com
PROFESSOR DA DISCIPLINA: Prof. Sérgio
Spolador(sergio@acasadoconcurseiro.com.br)
CONTEÚDOS DE ATUALIDADES EDITAL MAIO 2011
1. Conceitos de informática, hardware e software.
2. Sistemas operacionais Windows e Linux. Processador de texto (Word
e BrOffice.org Writer).
3. Planilhas eletrônicas (Excel e BrOffice.org Calc).
4. Editor de Apresentações (PowerPoint e BrOffice.org Impress).
5. Conceitos de tecnologias relacionadas à Internet e Intranet,
Protocolos Web, World Wide Web, Navegador Internet Internet
Explorer e Mozilla Firefox), busca e pesquisa na Web.
6. Conceitos de tecnologias e ferramentas de colaboração, correio
eletrônico, grupos de discussão, fóruns e wikis.
7. Conceitos de proteção e segurança, realização de cópias de
segurança (backup), vírus e ataques a computadores.
8. Conceitos de organização e de gerenciamento de informações,
arquivos, pastas e programas.
9. Conceitos de educação a distância. Conceitos de acesso a distância
a computadores.
10. Conceitos de tecnologias e ferramentas multimídia, de
reprodução de áudio e vídeo
OBS: Esta apostila não contempla com todos os conteúdos do
edital. Em breve iremos publicar uma apostila COMPLEMENTAR.
PREVISÃO DE QUESTÕES: 10 de um total de 80
Sumário
CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE ..........................................................01
O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP ...........................................................12
BROFFICE WRITER 3.1 .........................................................................................40
MICROSFOT EXCEL ..............................................................................................55
BROFFICE CALC 3.1...............................................................................................74
REDES ..................................................................................................................85
QUESTÕES CONCURSO FCC ...............................................................................108
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 1
CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE
O Computador
Um sistema computacional é
formado basicamente por duas
estruturas. Uma é denominada
estrutura lógica (software) e a outra
estrutura física (hardware). Ambas
funcionam em conjunto.
São elas:
• Hardware: é o conjunto e
elementos físicos que compõe o
sistema computacional. Como por
exemplo, memória, periféricos,
cabos, placas e chips que fazem do
computador, impressora, etc.
• Software: são os programas que,
utilizando o hardware, como por
exemplo, o computador, executam as
diferentes tarefas necessárias ao
processamento de dados.
TIPOS DE SOFTWARES QUANTO À FORMA DE DISTRIBUIÇÃO
PROPRIETÁRIO: seu código fonte não é distribuído e só poderá ser
alterado, copiado e distribuído mediante autorização de seu
proprietário. A distribuição de seu módulo executável é feita mediante
licença de uso e é geralmente paga. Exemplos: Windows XP, pacote
Office, Norton, entre outros.
LIVRE: disponibiliza seu código-fonte e executável. Podendo seu
código-fonte ser alterado, copiado e distribuído mediante ou não
pagamento. Exemplos: Linux, Mozilla, BrOffice, ou outros.
SHAREWARE: disponibilizado não integralmente gratuitamente, porém com tempo de uso
limitado. Para adquiri-lo integralmente, somente mediante pagamento. Seu código-fonte não é
disponibilizado. Exemplos: Jogos e utilitários em geral, NERO, entre outros.
FREEWARE: disponibilizado integralmente e gratuitamente sem prazo de uso determinado.
Podendo ser copiado e distribuído gratuitamente. Seu código-fonte não é disponibilizado.
Exemplos: AVG, jogos e utilitários em geral.
FIRMWARE: tipos de software que vêm gravados pelo fabricante em tipo de memória
ROM. Exemplos: BIOS, SETUP, POST, entre outros.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 2
QUANTO À FINALIDADE
 Software básico: responsável pelo gerenciamento dos recursos do computador e pela
conversão da linguagem do homem para a da máquina e vice-versa.
Exemplo: sistema operacional
 Software aplicativo: são sistemas complexos que visam a atender a uma determinada
área de atuação.
Exemplo: editores de texto, planilhas de cálculo, gerenciadores de bancos de dados.
 Software utilitário: são programas menos complexos que visam a atender a um
objetivo específico.
Exemplo: desfragmentador de disco, formatador de disco, limpeza de disco, scandisk.
PLACA-MÃE (MOTHERBOARD)
A placa mãe é a “espinha dorsal”
do computador. É a base na qual são
conectados o microprocessador, a
memória, periféricos de entrada e saída,
fonte de alimentação e qualquer soquete
que ligue o computador a outras
máquinas, som, vídeo ou rede sem a
necessidade de serem conectados por
meio de placas externas.
Recurso on-board => já vem integrado
aos circuitos da própria placa-mãe como,
por exemplo, som, vídeo, ou rede.
Recurso off-board => não vem
integrado aos circuitos da placa-mãe,
sendo necessário conectá-lo pelo seu
meio de encaixe próprio (slot). Exemplo:
placa de som, vídeo, rede ou Fax-
modem.
BARRAMENTOS (BUS)
Barramentos são as vias físicas existentes na placa-mãe, pelas quais trafegam as informações
entre os periféricos de entrada, processamento e saída em um computador.
Barramento Local
O barramento local é o principal barramento do micro. Nele, estão conectados os principais
circuitos da placa-mãe tais como: memória RAM, chipsets, processadores, memória cache,
memória ROM.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 3
Barramento X
É o barramento no qual estão conectados os periféricos on-board ou seja, periféricos
integrados à placa-mãe, como placa de som, vídeo, fax-modem e rede (on-board)...
Barramentos de Expansão
São barramentos nos quais estão conectadas as placas de expansão (off-board), como as
placas de vídeo, fax-modem, som, rede, IDE, e demais placas. Estas placas são conectadas ao
barramento através de conectores denominados Slot
Algumas características dos barramentos:
Plug and Play – Recurso inerente ao dispositivo e ao sistema operacional que possibilita a
sua conexão e pronto uso.
Hot – Característica inerente ao dispositivo que pode ser conectado ou desconectado mesmo
com o computador ligado.
Tipos de transmissão dos dados:
Transmissão paralela – São transmitidos vários bits ao mesmo tempo, portanto sua taxa de
transmissão é medida em bytes por segundo (Bps). Ocorre geralmente entre dispositivos
internos do computador, por exemplo, HD, disquetes, memórias em geral, entre outros.
Transmissão serial – É transmitido um bit por vez, portanto sua taxa de transmissão é
medida em bits por segundo (bps). Ocorre geralmente externamente ao computador, por
exemplo, na comunicação entre computadores em uma rede.
Tipos de barramentos de expansão:
ISA (Industry Standart Architeture)
VESA (Video Eletronic Standart Association)
Barramento Plug and Play (PnP)
PCI (Periferical Component Interconnect) – Criado pela Intel na época do desenvolvimento
do processador Pentium, o barramento PCI (Peripheral Component Interconnect) é
utilizado até hoje. O motivo de tanto sucesso se deve à capacidade do barramento de
trabalhar a 32 ou 64 bits, o que oferecia altas taxas de transferência de dados. Só para
dar uma noção, um slot PCI de 32 bits pode transferir até 132 MB por segundo. A
versão de 64 bits do PCI, cujo slot era um pouco maior que os slots de 32 bits, nunca
chegou a ser popular.
PCI EXPRESS
É o tipo de Barramento PnP, transmissão serial, e veio para substituir os barramentos PCI e
AGP pelo fato de possuir maior taxa de transferência. Sua freqüência é de 2,5 GigaHertz.
(GHz) podendo variar.
Cada “caminho” do PCIe, envia informações a uma taxa de 250 MB/s (250 milhões de bytes
por segundo)
Cada slot PCIe roda a um, dois, quatro, oito, dezesseis ou trinta e dois caminhos de dados
entre a placa mãe e a placa ligada ao slot. A contagem dos caminhos é escrita com um sufixo
"x", por exemplo, 1x para um único caminho e 16x para uma placa de dezesseis caminhos.
em desuso
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 4
Por exemplo, um slot PCIe 4x terá uma taxa de transferência de qutro vezes 250 (4 vezes
250), totalizando 1 Gbyte por segundo.
O barramento PCI Express é hot plug, ou seja, é possível instalarmos e removermos placas
PCI Express mesmo com o micro ligado.
AGP (Acelerated Graphics Port) – Visando obter uma maior taxa de transferência entre a
placa-mãe e as placas de vídeo (principalmente para uma melhor performance nas
aplicações 3D), a Intel desenvolveu um barramento especialmente aprimorado para a
comunicação com o vídeo: o barramento AGP (Accelerated Graphics Port). A principal
vantagem do barramento AGP é o uso de uma maior quantidade de memória para
armazenamento de texturas para objetos tridimensionais, além da alta velocidade no
acesso a essas texturas para aplicação na tela.
O primeiro AGP (1X) trabalhava a 133 MHz, o que proporcionou uma velocidade 4 vezes
maior que o PCI. Além disso, sua taxa de transferência chegava a 266 MB por segundo
quando operando no esquema de velocidade X1, e a 532 MB quando no esquema de
velocidade 2X (hoje, é possível encontrar AGPs com velocidades de 4X e 8X). Geralmente,
só se encontra um único slot nas placas-mãe, visto que o AGP só interessa às placas de vídeo.
USB (Universal Serial Bus)
Trata-se de um conector de 10 pinos existentes na placa mãe do micro. Existem cabos
extensores, que levam a comunicação até a parte externa do gabinete, onde os periféricos são
conectados. É muito mais rápida que a serial e que a paralela (ver quadro de velocidades),
mas ainda é muito lenta para alguns periféricos como HDs externos ou placas de rede.
Existem dois padrões: a USB1 e a USB2, visulamente iguais, mas com padrões de
transmissão de dados diferentes. A USB2 é até 40X mais rápida que a USB1.
FIR
EW
IRE
A
fire
wire foi criada para resolver o padrão de velocidade, transmitindo 100, 200 e
400Mbytes por segundo. Foi desenvolvida pela Sony e é, hoje, um padrão
aberto, geralmente usado para conectar dispositivos que precisam de maior
velocidade (som e imagem). É muito parecida, física e tecnologicamente,
com a USB, mas muito mais rápida que aquela
Observação – Tanto a USB quanto a Firewire pode conectar mais de um dispositivo por vez
(através dos extensores de expansão), dividindo a capacidade de transmissão entre todos, de
forma concorrente. O barramento USB permite ligarmos através de uma única porta até 127
dispositivos ao mesmo tempo. Neste caso, usa-se um hub USB. Já no firewire é possível ligar
até 63 dispositivos ao mesmo tempo.
OS BARRAMENTOS USB E FIREWIRE SÃO HOT PLUG AND PLAY
SLOTS
Slots são conectores que servem para encaixar as placas de expansão de um micro, ligando-as
fisicamente aos barramentos por onde trafegam dados e sinais. Exemplo: placa de vídeo, placa
de som, placa de fax-modem, placas de rede, pentes de memória, ou outro.
Conector
USB
Extensor
USB
Placa
USB/PCI
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 5
PLACA DE VÍDEO
É a placa responsável pelo armazenamento (memória de vídeo – VRAM) e conversão dos
dados que serão enviados para o monitor.
PLACA DE REDE
É a placa responsável pela comunicação entre dois ou mais computadores.
PLACA DE FAX-MODEM
Permite a comunicação entre computadores via linha telefônica. Realiza o processo de
conversão de sinais digitais em analógicos e vice-versa. (modula e demodula)
PROCESSADOR
O processador é o “cérebro” de um computador. É considerado sinônimo de CPU (“Central
Processing Unit” ou Unidade Central de Processamento), tem a finalidade de processar as
informações, controlar as operações lógicas e aritméticas e efetuar o processamento de
entrada e saída.
O processador possui três unidades básicas, a saber:
U.C. => Unidade de controle: responsável pelo recebimento, controle de execução e
devolução das instruções recebidas da memória RAM.
U.L.A. => Unidade lógica e aritmética: responsável pela execução das instruções recebidas da
unidade de controle.
REGISTRADORES: pequenas memórias internas do processador utilizadas pela U.C. e
U.L.A. para armazenar informações durante um processamento.
O processador se comunica com a memória RAM por intermédio de um meio de
comunicação chamado de barramento local.
Barramento local: meio físico de conexão utilizado entre a memória RAM e o processador e
entre a memória ROM e o processador.
QUANTO À FREQÜÊNCIA DE PROCESSAMENTO
CLOCK: gerador de impulsos que serão repetidos dentro de um determinado tempo,
formando, assim, a freqüência que será medida em hertz.
Processador
Canaleta
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 6
HERTZ: unidade de medida de freqüência referente ao número de ciclos realizados por
segundo
FREQÜÊNCIA INTERNA: os processadores têm uma freqüência interna com a qual
executam as instruções. O tempo que o processador consome para executar as operações é
medido em ciclos por segundos (HERTZ). Portanto, a unidade de medida de freqüência de
um processador é o HERTZ.
Exemplos:
1 Hz – e ciclo por segundo
1 KHz – 1.000 ciclos por segundo
1 MHz 1.000.000 ciclos por segundo
1 GHz – 1.000.000.000 ciclos por segundo
350 Mhertz significa 350 milhões de ciclos por segundo
2.2 Ghertz siguinifica 2 bilhões e duzentos milhões de ciclos por segundo.
DUAL CORE: processador cujo módulo possui dois núcleos, conseqüentemente aumentando
o seu desempenho em comparação aos processadores com apenas um núcleo.
MEMÓRIAS
As memórias são dispositivos que armazenam temporária ou permanentemente informações.
Entre as memórias, podem-se destacar:
RAM (RANDOM ACCESS MEMORY)
É uma memória de acesso aleatório. Só funciona enquanto o computador estiver ligado. Por
este fato, as informações contidas nela só permanecerão enquanto existir impulso elétrico. Por
esta característica ela é chamada de memória volátil, ou seja, quando desligado o computador,
o seu conteúdo será apagado.
Ela é chamada de memória principal ou de trabalho porque todo e qualquer programa, exceto
os contidos na memória ROM, para ser executado, deverá ser carregado nela.
Permite leitura e gravação.
Caso a memória RAM “acabe”, isto é, caso você tente carregar mais dados na memória RAM
do que ela comporta (por exemplo, a memória RAM já está cheia e você manda o micro
carregar mais um programa), o processador transfere o conteúdo atual da memória RAM para
um arquivo do disco rígido, chamado arquivo de troca, liberando espaço na memória RAM.
O conteúdo do arquivo de troca é colocado de volta na RAM quando for solicitado algum
dado que esteja armazenado. Esse recurso é conhecido como MEMÓRIA VIRTUAL.
MEMÓRIA VIRTUAL: é um espaço reservado pelo sistema operacional no disco rígido,
que serve como memória auxiliar à memória RAM, quando esta necessitar de mais espaço de
armazenamento.
A ação de salvar consiste em levar os dados da memória RAM para um disco de
armazenamento.
Single channel – Tipos de memórias simples, mais comuns, que transferem 64 bits por vez.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 7
Dual Channel – Tipos de memórias que devem ser usadas aos pares e, de preferência, seus
módulos devem ter as mesmas características (mesmo tipo, freqüência, tamanho e fabricante).
Os módulos de memórias dual channel transferem 128 bits, enquanto os módulos antecessores
transferem 64 bits por vez.
Observação – Para ser utilizado esse tipo de memória, a placa deve possuir recurso para tal.
MEMÓRIA CACHE
Este tipo de memória (tipo RAM estática) é utilizado em um computador com a finalidade de
acelerar o desempenho de processamento; pois, pelo fato do processador ter uma velocidade
muito maior do que a memória principal RAM, haverá um tempo de espera por parte do
processador, sempre que ele fizer uma solicitação à memória RAM. Para reduzir este tempo
de espera, foi criada a memória cache. Ela é um tipo de memória que possui velocidade de
acesso maior do que a RAM, portanto é uma memória de alta velocidade e seu custo é alto
comparado com as outras memórias.
Até os computadores 386, estas memórias eram adquiridas nas lojas de informática e
conectadas na placa mãe por meio de um slot (conector). Nos atuais processadores, esta
memória cache vem conectada internamente. São identificadas por L1, L2.
ROM
A Memória ROM (Read Only Memory) é somente utilizada para leitura, pois nelas estão
gravadas as características do computador. Essa memória vem de fábrica com toda a rotina
necessária e não deve ser alterada; pois, além de seu acesso ser difícil, fica reservada a sua
manutenção somente aos técnicos com conhecimento adequado.
Dentro desta memória vêm basicamente três programas:
BIOS (Basic Input Output System – Sistema Básico de Entrada e Saída): “ensina” o
processador a trabalhar com os periféricos mais básicos do sistema, tais como os
circuitos de apoio, a unidade de disquete e o vídeo em modo texto.
POST (Power-On Self-Test, Autoteste ao Ligar): um autoteste sempre que ligamos o micro.
Por exemplo, ao ligarmos o micro verificamos que é feito um teste de memória, vídeo,
teclado e posteriormente o carregamento do sistema operacional.
SETUP (Configuração): programa de configuração de hardware do microcomputador,
normalmente chamama-se este programa apertando um conjunto de teclas durante o
processamento do POST (geralmente basta pressionar a tecla DEL durante a contagem
de memória. Esse procedimento, contudo, pode variar de acordo com o fabricante da
placa mãe).
OBSERVAÇÃO – É muito comum haver confusão nos nomes. Veja que se acabou de
chamar o POST ou o SETUP de “BIOS”. Atualmente, usa-se a nomenclatura “BIOS”, como
algo genérico, podendo ser interpretado como “ tudo que está contido na memória ROM do
micro ”, mas quando se fala de upgrade de BIOS, refere-se a atualização dos programas
contidos na memória ROM ( SETUP, BIOS e POST)
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 8
CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor – semicondutor óxido metálico
completmentar): tipo de memória volátil, mantida energeticamente por uma bateria, na qual
ficam armazenadas as configurações do SETUP feitas pelo usuário, assim como mantém
atualizados o relógio e o calendário do sistema.
Quando a bateria perde total ou parte de sua energia, a CMOS perde suas informações, ou
seja, o SETUP volta a sua configuração de fábrica (DEFAULT), o calendário e relógio do
sistema ficam desatualizados. Neste caso, deverá ser trocada a bateria.
OUTROS EQUIPAMENTOS UTILIZADOS COM O COMPUTADOR
IMPRESSORAS
Dispositivo de saída capaz de converter em papel as imagens e textos que são captados pelo
computador. Podem ser:
1 Matricial => funciona com um cabeçote composto de várias agulhas enfileiradas que,
a cada vez que atingem a fita, imprimem pontos de tinta no papel. Tem menor
resolução, são mais lentas e barulhentas, porém mais baratas e as únicas que
imprimem formulários contínuos ou carbonados.
2 Jato de tinta => dispara um jato de tinta no papel para fazer a impressão. Costuma ter
uma qualidade e rapidez de impressão superior às impressoras matriciais. Outro ponto
forte delas é serem muito silenciosas e imprimirem em cores. Estas impressoras
utilizam cartuchos com as tintas.
3 Laser ou de Páginas => são assim chamadas por serem uma espécie de laser para
desenhar os gráficos e caracteres; porém, antes, montam uma página para depois
imprimir. Libera pequenos pontos de tinta em um cilindro, no qual é passado o papel
que é queimado, fixando melhor a tinta. Utiliza toner. Seu trabalho é mais perfeito, são
mais silenciosas, rápidas, porém o preço mais elevado.
Velocidade de impressão: a velocidade de impressão pode ser medida em CPS (caracteres
por segundo) ou por PPM (páginas por minuto)
Resolução de impressão: característica que permite definir a qualidade de impressão e
também comparar os vários modelos de impressoras. Exemplo: 300 dpi (pontos por
polegada).
SCANNER
O scanner é outro tipo de dispositivo de entrada de dados . Podem ser scanneadas fotos,
gravuras, textos. Os dados são transmitidos ao computador por meio de refletância de luz e
convertidos de sinais analógicos para digitais.
Observação – Já existem no mercado, multifuncionais, que xerocam, scanneam e imprimem.
Uma das principais caraterística de uma scanner é a sua resolução que também é medida em
dpi. Um outro termo que também é necessário saber é o pixel (picture element), ou seja,
elemento de imagem. Uma imagem digital é dividida em linhas e colunas de pontos. O pixel
consite na interseção de uma linha com uma coluna.
ESTABLIZADOR
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 9
O estabilizador é o equipamento utilizado para proteger o computador contra eventuais danos
causados por piques de energia, ou seja, flutuações na rede elétrica. A energia que alimenta o
sistema deve ser estabilizada.
NO-BREAK
O no-break é o transferidor de energia. O no-break impede que o computador desligue
quando acaba a energia, ou seja, ele é automaticamente acionado quando ocorre a falta de
energia elétrica e permanece transferindo energia durante o tempo que está programado para o
fornecimento (autonomia). Este tempo poderá ser de meia hora, uma ou mais horas. Isto
depende do tipo de no-break.
UNIDADES DE ARMAZENAMENTO
Os dados são enviados para a memória do computador, pelo teclado ou por um outro
dispositivo de entrada, para serem processados mediante instruções preestabelecidas. Mas as
informações contidas na memória são rapidamente repassadas para os dispositivos de saída ou
ficam residentes enquanto o computador estiver ligado. Diante desses fatos, é necessário
armazenar os dados em um meio capaz de mantê-los gravados de forma permanente. Para
isso, são utilizadas as unidades de armazenamento permanente. Estas unidades são conhecidas
como memórias de massa, secundária ou auxiliar.
Dentre elas, há os seguintes exemplos:
 HD - Disco rígido (unidade magnética) de vários tamanhos: 40, 50, 80, 160, 250, 500
GBs
Os HDs são conectados ao computador por meio de interfaces capazes de transmitir os dados
entre um e outro de maneira segura e eficiente. Há várias tecnologias para isso, sendo as mais
comuns os padrões IDE, SCSI e, mais recentemente, SATA.
A interface IDE (Intelligent Drive Electronics ou Integrated Drive Electronics) também é
conhecida como ATA (Advanced Technology Attachment) ou, ainda, PATA (Parallel
Advanced Technology Attachment).
PATA faz transferência de dados de forma paralela, ou seja, transmite vários bits por vez,
como se estes estivessem lado a lado.
Taxa de transferência de 133 MB por segundo.
SATA I: a transmissão é em série, tal como se cada bit estivesse um atrás do outro.
Taxa máxima de transferência de dados de 150 MB por segundo (MB/s) ou 1,5 Gbps (1,5
gigabits por segundo).
SATA II: taxa máxima de transferência de dados de 300 MB/s ou 2,4 Gbps (2,4 gigabits por
segundo), o dobro do SATA I.
Interface SCSI é sigla para Small Computer System Interface. Trata-se de uma tecnologia
criada para acelerar a taxa de transferência de dados entre dispositivos de um computador,
desde que tais periféricos sejam compatíveis com a tecnologia. O padrão SCSI é muito
utilizado para conexões de HD (disco rígido), scanners, impressoras, CD-ROM ou qualquer
outro dispositivo que necessite de alta transferência de dados.
As vantagens do SCSI não se resumem apenas à questão da velocidade, mas também da
compatibilidade e estabilidade. Sendo o processador o dispositivo mais rápido do
computador, o uso do padrão SCSI permite que essa velocidade seja aproveitada e, assim,
aumenta-se de forma considerável o desempenho do computador.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 10
SISTEMAS DE ARQUIVOS
Um sistema de arquivos permite ao usuário escolher qual será o sistema de arquivo que será
aplicado à unidade de armazenamento.
Quando a unidade de armazenamento for um disquete, por padrão, o sistema de arquivo será
FAT12 ou apenas FAT.
Quando a unidade de armazenamento for um disco rígido, podem-se escolher os seguintes
sistemas de arquivos.
FAT32: sistema mais veloz em comparação com o NTFS, porém não possui recursos de
segurança. Neste sistema, há um desperdício maior de espaço em relação ao NTFS devido ao
tamanho de seu cluster ou unidade de alocação. Para unidades de disco rígido acima de 2 GB,
o tamanho de cada cluster é de 4 KB. Portanto, no armazenamento de um arquivo com
tamanho de 10 KB, serão utilizados três unidades de alocação totalizando 12 KB, restando 2
KB desperdiçados, pois o sistema não utiliza bytes restantes de uma unidade já ocupada.
Sendo assim, quanto maior for a ocupação de uma unidade de armazenamento com o sistema
FAT32, maior será o desperdício de espaço.
NTFS: sistema de arquivos que possui maiores recursos de segurança de dados e
praticamente inexiste desperdício de espaço.
 Disquetes - discos flexíveis (unidade magnética) – tamanho 1,44 MB
 CD - disco óptico (unidade óptica) – tamanho 700 MB
 CD-ROM: já vem gravado e serve apenas para leitura
 CD-R: vem virgem, mas admite apenas uma gravação fechada e passa a ser
um CD-ROM.
 CD-RW: vem virgem, porém admite várias gravações
 DVD (unidade óptica) – tamanhos de 4,7 ou 9,4 GB
DVD-ROM: que já vem gravado e serve apenas para leitura
DVD-R: este tipo é um dos que tem maior aceitação nos mais diversos aparelhos. É a
melhor opção para a gravação de filmes, pois é aceito por praticamente todos
os DVD-players, com exceção para alguns dos primeiros modelos. O DVD-R,
assim como o seu antecessor CD-R, só aceita gravação uma única vez e, após
isso, seus dados não podem ser apagados. Sua capacidade de armazenamento
padrão é de 4,7 GB.
DVD-RW: é equivalente ao CD-RW, pois permite a gravação e a regravação de dados. A
grande maioria dos DVD-players recentes são totalmente compatíveis com
DVD-RW, mas exigem que a mídia esteja fechada para executar filmes. Mídia
"aberta" significa que você pode inserir dados de maneira gradativa, como em
um disquete. Porém, se você fechá-la (isso é feito através do software de
gravação), a gravação de novas informações é impossibilitada, sendo
necessário formatar o DVD-RW para reutilizá-lo. Assim como seu "irmão"
DVD-R, a capacidade de armazenamento padrão do DVD-RW é de 4,7 GB.
 Fita (unidade magnética) – Vários tamanhos 2, 4, 8, 12, 18, 120, 320 Gb
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 11
UNIDADES DE MEDIDA DE INFORMAÇÕES
A unidade que representa o volume de dados gravados em um disco ou outro dispositivo de
armazenamento, é o byte – representa um caractere.
As outras grandezas são:
 1 bit = menor unidade de medida de informação (1(ligado) ou 0 (desligado)).
 1 Byte (B) = conjunto de 8 bits
 1 Kilobyte(KB) = 1024 bytes - 210
 1 Megabytes(MB) = 1024 kilobytes - 2
;
20
 1 Gigabyte(GB) = 1024 megabytes - 2
;
30
 1 Terabyte (TB) = 1024 gigabytes - 2
;
40
.
PERIFÉRICOS DE ENTRADA
São chamados de periféricos de entrada os dispositivos utilizados para ativar comandos ou
inserir dados a serem processados pelo computador, como por exemplo:
· Teclado
· Mouse
· Joiystick.
· Caneta óptica
· Scanner
· Microfone
PERIFÉRICOS DE SAÍDA
São periféricos de saída os dispositivos utilizados para exibir, armazenar ou enviar dados já
processados pelo computador, como por exemplo:
· Impressora
· Monitor de vídeo
· Monitor de Vídeo com tecnologia touch screen.(entrada e saída)
· Caixa de som
· Plotter
OBSERVAÇÃO – Existem periféricos que são tanto de entrada quanto de saída.Exemplos:
os drives de disquetes, gravadora de CD, zip drive, HD, modem e os monitores que possuem
recurso de toque (touch screem) e os equipamentos multifuncionais.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 12
O SISTEMA OPERACIONAL
WINDOWS XP
Características Gerais:
• Sistema Gráfico Interativo
• Multitarefa
• Plug and Play
Algumas versões de Windows:
Doméstico Corporativo (Usuário) Corporativo (Servidor)
95 / 98 NT Workstation NT Server
Millenium 2000 Professional 2000 Server
XP Home XP Professional 2003 Server
Iniciando no Windows XP
O inicio dos trabalhos em um ambiente Windows XP se dá através do processo de
logon, que pode ou não ser automático, quando não se opta pela forma automática é
necessário que se utilize o login (conjunto de credenciais de acesso), para ter acesso à área
de trabalho.
Dependendo da configuração do sistema, teremos duas telas de logon possíveis:
Tela de boas-vindas Prompt de Logon Clássico
Se você estiver utilizando a tela de boas vindas, e desejar alternar para a tela de logon
clássica do Windows, basta pressionar CTRL+ALT+DEL por duas vezes consecutivas.
Para retornar para a tela de boas vindas, basta pressionar a tecla ESC.
A ÁREA DE TRABALHO - DESKTOP
Segundo a ajuda do Windows: “a área de trabalho é a principal área exibida na tela
quando você liga o computador e faz logon no Windows. Ela serve de superfície para o seu
trabalho, como se fosse o tampo de uma mesa real. Quando você abre programas ou
pastas, eles são exibidos na área de trabalho. Nela, também é possível colocar itens, como
arquivos e pastas, e organizá-los como quiser.”
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 13
Na Área de trabalho podem conter os seguintes itens:
• Ícones
• Atalhos
• Pastas e arquivos
• Barra de tarefas
• Botão iniciar
Ícones
São pequenas imagens que representam recursos de um computador como arquivos, pastas,
programas. Alguns exemplos de ícones são:
Atalhos
Os atalhos podem ser criados para tornar mais rápido o acesso a seus programas e
arquivos preferidos. Um atalho é um ícone que representa um link para um determinado
item, ao invés do próprio item em si. Quando se clica em um atalho, o item é aberto. Quando
se exclui um atalho, somente o atalho é removido e jamais o ítem original. Os atalhos são
indicados por uma seta no ícone correspondente.
Criando Atalhos
Existem diversas formas de se criar atalhos no Windows XP:
• Através do menu de contexto
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 14
• Arrastando um objeto com o botão direito do mouse.
A BARRA DE TAREFAS
No Windows, por padrão, a Barra de Tarefas é a barra situada na parte inferior do
Desktop. As tarefas (janelas) que estão sendo executadas no computador são
representadas através de um botão na área específica da barra. Para alternarmos entre
essas janelas podemos utilizar a tecla de atalho ALT+TAB ou simplesmente clicarmos sobre
o botão correspondente a janela.
1- Menu Iniciar 3- Barra de idiomas
2- Barra de inicialização rápida 4- Área de notificação
PROPRIEDADES DA BARRA DE TAREFAS
Para que se possa configurar a barra de
tarefas pode-se ir em menu iniciar ⇒ Painel de
controle ⇒ propriedades da barra de tarefas e
menu iniciar, ou clicando com o botão direito em
uma área livre da barra de tarefas e clicando em
propriedades.
Bloquear a barra de tarefas: serve para evitar
que o usuário mova ou desconfigure
acidentalmente a barra. Bloqueia a posição atual
na área de trabalho, o tamanho e a posição de
qualquer barra de ferramentas exibida na barra de
tarefas.
Ocultar automaticamente a barra de tarefas:
Oculta a barra de tarefas na área de trabalho. Para
que se possa utilizar a barra de tarefas, basta
posicionar o mouse na área onde ela estara
posicionada, ao colocar o mouse em outra posição
a barra será oculta novamente.
Manter a barra de tarefas sobre as outras janelas: Posiciona a barra sempre a frente das
janelas, mesmo quando a janela estiver maximizada.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 15
Agrupar botões semelhantes na barra de tarefas: posiciona os botões na barra de tarefas
por afinidade, ou seja, todos os botões de janelas do mesmo programa ficarão posicionadas
juntas, e não na ordem em que são abertas como era nas versões anteriores. Além disso,
para evitar o grande acúmulo de botões na barra de tarefas, os botões do mesmo programa
serão indicados em um botão único com a indicação do número de janelas que ele
representa.
Mostrar barra “Inicialização rápida”: Exibe ou não a barra de inicialização rápida, que é
uma barra personalizável pelo usuário e contém botões de acesso rápido a programas e
arquivos e exibição da área de trabalho do Windows.
Mostrar o relógio: exibe na área de notificação um relógio digital com a hora conforme o
relógio interno do computador. Quando se aponta o mouse sobre a hora, pode-se ver a data
e com um duplo clique podemos ter acesso as propriedades da data e hora
Ocultar ícones inativos: esconde os ícones inativos da área de notificação, para se ter
acesso a esses itens, pode-se clicar na seta que fica a esquerda dos ícones.
O SISTEMA DE MENUS DO WINDOWS
O sistema de menus do windows XP foi modificado
em relação as versões anteriores, ele é apresentado em duas
colunas e com áreas específicas pensadas para facilitar a
usabilidade.
Menu Iniciar
O menu iniciar pode ser configurado. No Windows XP,
você pode optar por trabalhar com o novo menu Iniciar
ou, se preferir, configurar o menu Iniciar para que tenha a
aparência das versões anteriores do Windows
(95/98/Me).
Para tanto, siga os passos a seguir:
1. Clique na barra de tarefas com o botão direito do mouse e selecione propriedades.
2. Clique na aba menu Iniciar.
A aba contém duas opções:
Menu iniciar: oferece a você acesso mais rápido a e-mail e Internet, seus documentos,
imagens e música e aos programas usados recentemente, pois estas opções são exibidas
ao se clicar no botão Iniciar. Esta configuração é uma novidade do Windows XP.
Menu Iniciar Clássico: deixa o menu Iniciar com a aparência das versões antigas do
Windows, como o Windows ME, 98 e 95.
1- Área Fixa, que pode ser personalizada pelo usuário.
2- Área com os programas utilizados com maior frequência.
3- Área do usuário.
4- Áreas de pesquisa
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 16
Propriedades do menu Iniciar
Para ativar as propriedades do menu iniciar, siga
um dos passos a seguir:
1. No painel de controle, ativar o ícone
propriedades da barra de tarefas e do menu
iniciar ou item propriedades do menu rápido
(tecla direita do mouse) sobre a barra de tarefas;
2. Ativar a aba menu iniciar;
3. Ativar o botão personalizar que aparecerá a
seguinte janela:
Na aba Geral, podem ser configurados os
seguintes recursos:
• Determinar o tamanho dos ícones do painel
de ícones de programa;
• Determinar a quantidade máxima de ícones
de programas exibidos;
• Limpar a lista de ícones de programas que
foram ativados;
• Mostrar ou ocultar os ícones referentes ao
browser e software de correio eletrônico.
Todos os programas
O menu Todos os Programas ativa
automaticamente outro submenu, no qual aparecem todas
as opções de programas. Para entrar neste submenu,
arraste o mouse em linha reta para a direção em que o
submenu foi aberto. Assim, você poderá selecionar o
aplicativo desejado. Para executar, por exemplo, o Paint,
basta posicionar o ponteiro do mouse sobre a opção
Acessórios. O submenu Acessórios será aberto. Então
aponte para Paint e dê um clique com o botão esquerdo
do mouse.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 17
Logon e Logoff
Este ícone abre uma janela onde você poderá optar por fazer logoff ou mudar de
usuário. Veja a função de cada um:
Trocar de usuário: clicando nesta opção, os programas que o usuário atual está
usando não serão fechados e uma janela com os nomes dos usuários do computador será
exibida para que a troca de usuário seja feita. Use esta opção na seguinte situação: outro
usuário vai usar o computador, mas depois você irá continuar a usá-lo. Então o Windows
não fechará seus arquivos e programas, e quando você voltar ao seu usuário, a área de
trabalho estará exatamente como você deixou.
Fazer Logoff: este caso é também para a troca de usuário. A grande diferença é
que, ao efetuar o logoff, todos os programas do usuário atual serão fechados e, só depois,
aparece a janela para escolha do usuário.
Desligando Windows XP
1. Clicar em Iniciar
2. Clicar em
.
Desligar.
Apresentará uma janela onde é possível escolher entre
três opções:
Hibernar: clicando neste botão, o Windows salvará o
estado das áreas de trabalho ativadas no disco rígido
e depois desligará o computador. Desta forma, quando
ele for ligado novamente, as áreas de trabalho se
apresentarão exatamente como você as deixou, com
os programas e arquivos que você estava usando.
Em espera: ativa o modo de economia de energia não salvando a área de trabalho. Se
ocorrer uma falha de energia todo o conteúdo das áreas de trabalho ativadas será perdido.
Desativar: encerra todas as sessões e desliga o computador
Reiniciar: encerra o Windows e o Reinicia.
Teclas de atalho: Tecla de logtipo do
Windows + L
O recurso de troca de usuário é
desabilitado automaticamente, quando o
sistema operacional estiver configurado
para um domínio de rede, porém o
usuário com permissão para desabilitá-lo
poderá fazê-lo a qualquer momento
Observação- Para alternar entre as opções Hibernar e Em espera, basta pressionar a tecla shift.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 18
Acessórios do Windows
O Windows XP inclui muitos programas e acessórios úteis. São ferramentas para
edição de texto, criação de imagens, jogos e ferramentas para melhorar a performance do
computador. Se analisado cada acessório que há, encontrar-se-iam várias aplicações, mas
serão citadas as mais usadas e importantes. Imagine que você está montando um manual
para ajudar as pessoas a trabalharem com um determinado programa do computador. Neste
manual, com certeza, você acrescentaria a imagem das janelas do programa. Para copiar as
janelas e retirar só a parte desejada, utilizaremos o Paint, que é um programa para se
trabalhar com imagens. As pessoas que trabalham com criação de páginas para a Internet
utilizam o acessório Bloco de Notas, que é um editor de texto muito simples. Assim, viram-
se duas aplicações para dois acessórios diferentes.
A pasta acessórios ficará acessível seguindo o procedimento abaixo:
1. Clica-se no Botão Iniciar
2. Posicione o ponteiro do mouse na opção
na Barra de Tarefas.
Todos os Programas
3. Novamente, posicione o ponteiro do mouse no submenu
.
Acessórios.
Bloco de notas: pequeno editor de texto que só admite texto como conteúdo e gera
arquivos com a extensão TXT.
Wordpad: pequeno editor de texto com poucos recursos de formatação e que gera arquivos
com a extensão padrão RTF.
Calculadora: pequeno programa que permite a execução de operações de cálculos
matemáticos.
Paint: editor de figuras e gera, por padrão, arquivos com a extensão BMP.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 19
Componentes da janela
Basicamente, todas as janelas, sejam de aplicativos, sejam documentos, possuem
uma constituição comum, ou seja, possuem elementos básicos que a compõem. Assim, na
figura a seguir, há uma janela com os seus elementos em destaque.
1. Barra de Menus
(ALT + Letra
Sublinhada)
2. Barras de
Ferramentas
3. Barra de Status
4. Extensor da Barra
de Ferramentas
5. Botão do menu de
Controle
6. Nome do Documento
7. Nome do Aplicativo
MENU DE CONTROLE (ALT + BARRA DE ESPAÇO)
Existem quatro botões de controle nas janelas do Windows, todos situados na BARRA DE
TÍTULOS: um, do lado esquerdo da tela, representando o programa, o aplicativo que está
aberto. Os outros três, do lado direito da janela, na extremidade superior, representando os
comandos Minimizar, Maximizar/Restaurar e Fechar.
Botão Minimizar: recolhe o aplicativo à Barra de Tarefas, sem fechá-lo.
O Botão Maximizar: faz com que a Janela Ativa ocupe todo o espaço do monitor.
O Botão Restaurar: faz com que o aplicativo retorne ao tamanho que tinha antes de ser
maximizado, ocupando parte do espaço do monitor, de forma que se possa ver o que está
por trás da janela.
O Botão Fechar: encerra o aplicativo.
Fechar
Restaurar
Maximizar
Miminizar
1- O Botão do lado esquerdo, representando o programa
Títulos.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 20
Painel de controle
O Painel de controle está repleto de ferramentas especializadas que são usadas
para alterar a aparência e o comportamento do Windows.
Algumas dessas ferramentas ajudarão você a ajustar as configurações que tornam o
uso de seu computador mais interessante. Por exemplo, use Mouse para substituir os
ponteiros de mouse padrão por ícones animados que se movem na tela ou use Sons e
dispositivos de áudio para substituir sons padrão do sistema por sons de sua preferência.
Outras ferramentas ajudarão você a configurar o Windows de modo que seja mais fácil
utilizar o computador. Por exemplo, se você for canhoto, poderá usar Mouse para trocar os
botões do mouse, a fim de que o botão da direita execute as funções básicas de selecionar
e arrastar qualquer elemento.
Para abrir o Painel de controle, clique em Iniciar e, em seguida, clique em Painel de
controle.
Ao abrir o Painel de controle pela primeira vez, você verá os itens mais usados do
Painel de controle, organizados por categoria. Para localizar mais informações sobre um
item do Painel de controle no modo de exibição de categoria, coloque o ponteiro do mouse
sobre o ícone ou nome de categoria e leia o texto exibido. Para abrir um desses itens, clique
no seu ícone ou nome de categoria. Alguns desses itens exibirão uma lista de tarefas que
você pode executar, bem como uma seleção de itens individuais do Painel de controle. Por
exemplo, quando você clicar em Aparência e temas, verá uma lista de tarefas como Escolha
um protetor de tela juntamente com itens individuais do Painel de controle.
MODO DE EXIBIÇÃO CLÁSSICO MODO DE EXIBIÇÃO POR CATEGORIA
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 21
PRINCIPAIS ITENS DO PAINEL DE CONTROLE
Ativa um assistente para instalar software para dar suporte ao hardware
adicionado ao computador.
A opção Adicionar ou remover programas ajuda a gerenciar programas e
componentes do computador. Você pode utilizá-la para adicionar
programas (como o Microsoft Excel ou Word) de um CD-ROM, disquete ou
da rede, ou para adicionar atualizações do Windows e novos recursos via
Internet. Essa opção também ajuda a adicionar ou remover componentes
do Windows que não foram incluídos na instalação original (como os
Serviços de rede).
Com Atualizações Automáticas, o Windows segue uma rotina de verificação
das atualizações que podem ajudar a proteger o seu computador contra os
mais recentes vírus e outras ameaças à segurança. Essas atualizações de
alta prioridade estão disponíveis através do site do Windows Update e
incluem atualizações de segurança, atualizações críticas ou service packs.
A Central de Segurança do Windows verifica o status do computador em três
dados básicos de segurança listados abaixo. Se um problema for detectado
em algum desses três dados essenciais (por exemplo, se o seu programa
antivírus estiver desatualizado), a Central de Segurança enviará um alerta
para você e fará recomendações sobre como proteger melhor o seu
computador.
• Firewall: o firewall ajuda a proteger o computador impedindo que
usuários não autorizados obtenham acesso a uma rede ou à Internet por
meio dele. Windows verifica se o computador está protegido por um firewall
de software.
• Software de proteção contra vírus: o software antivírus pode ajudar
a proteger o computador contra vírus e outras ameaças à segurança. O
Windows verifica se o computador está usando um programa antivírus
completo e atualizado.
• Atualizações automáticas: com Atualizações automáticas, o
Windows pode verificar regularmente se há atualizações importantes mais
recentes para o seu computador e pode instalá-las automaticamente.
O recurso Conexões de rede fornece conectividade entre o computador e
a Internet, uma rede ou um outro computador. Com ele, você pode obter
acesso a recursos e funcionalidades de rede estando fisicamente situado
no local da rede ou em um local remoto. As conexões são criadas,
configuradas, armazenadas e monitoradas na pasta Conexões de rede.
Permite atualização da data e hora do computador.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 22
Recurso que permite administrar computadores, serviços, outros
componentes do sistema e redes como, por exemplo, configurar as
diretivas de segurança local, ativar ou desativar serviços, verificar
desempenho do computador, ativar log de eventos.
O firewall ajuda a manter o computador mais seguro. Ele restringe as
informações que chegam ao seu computador vindas de outros
computadores, permitindo um maior controle sobre os dados no
computador e oferecendo uma defesa contra pessoas ou programas
(incluindo vírus e vermes) que tentam conectar o seu computador sem
permissão. Você pode considerar um firewall como uma barreira que
verifica informações (freqüentemente denominada tráfego) vindas da
Internet ou de uma rede e, em seguida, joga essas informações fora ou permite que elas
passem pelo computador, dependendo das configurações de firewall.
Permite instalar, remover, bem como visualizar as fontes instaladas no
sistema.
Permite a configuração do mouse como, por exemplo, inverter a função das
teclas direita e esquerda, definir velocidade do duplo clique, definir tipo de
ponteiro, travar clique.
É possível ajustar a aparência e o comportamento do Windows para melhorar a
acessibilidade para alguns usuários com dificuldades motoras, auditivas e visuais
sem precisar de software ou hardware adicional.
Com este item é possível ativar o gerenciador de dispositivos que diz
respeito à instalação e à atualização de driver (programas) de dispositivos
como, por exemplo, driver de adaptador de rede, som, vídeo, ou outros.
Você pode utilizar o Teclado no Painel de controle para alterar algumas
configurações. É possível ajustar a taxa na qual um caractere é repetido quando
você mantém uma tecla pressionada e o tempo de espera antes de repeti-lo. Você
também pode ajustar a taxa de intermitência do ponto de inserção.
No Painel de controle, a opção Sons e dispositivos de áudio permite
atribuir sons a alguns eventos de sistema. Eventos de sistema referem-
se, por exemplo, a um programa de computador que executa uma tarefa
ou que tem problemas para executá-la, a minimização ou maximização
de uma janela de programa ou a tentativa de copiar um arquivo para um
disquete sem que ele esteja na unidade.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 23
Você pode alterar o formato que o Windows usa para exibir informações (como
datas, horas, moeda e medidas) correspondentes aos padrões ou ao idioma usado
no país ou na região onde você está localizado. Por exemplo, se você trabalha com
documentos em francês e inglês, pode alterar o formato para francês, a fim de exibir
a moeda em Euros ou as datas no formato dia/mês/ano.
Você podetambém personalizar o teclado para um idioma ou formato específico ao alterar o
layout do teclado. O layout controla os caracteres exibidos na tela quando você pressiona as teclas no
teclado. Alguns idiomas de entrada têm diversos layouts de teclado; outros têm somente um. Por
exemplo, você pode alterar o layout do teclado do formato QWERTY (inglês) para o formato Dvorak
(inglês). Depois de alterar o layout, os caracteres na tela podem não corresponder aos caracteres nas
teclas do teclado.
Contas De Usuários
O XP permite a utilização de um mesmo computador por
vários usuários e, para tanto, permite que cada usuário
tenha um ambiente próprio e restrito de trabalho, o que quer
dizer que cada usuário terá sua própria área de trabalho,
sua pasta Meus Documentos e outros recursos.
Procedimentos para
Menu Iniciar.
1. Painel de controle.
2. Contas de usuário.
3. Criar uma conta de usuário.
4. Digitar o nome do usuário.
5. Avançar.
6. Escolher o tipo de conta e
confirmar.
Alterar uma conta: permite
alterar configurações como tipo de
conta (conta de administrador do
computador ou limitado), nome,
senha ou imagem para uma das
contas existentes no computador.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 24
PROCEDIMENTOS PARA ALTERAR UMA CONTA DE USUÁRIO
1. Menu Iniciar.
2. Painel de controle.
3. Contas de usuário.
4. Alterar uma conta.
5. Escolher a conta.
6. Efetuar a devida alteração que poderá ser:
• modificar o seu nome;
• criar, remover ou alterar uma senha;
• alterar figura;
• alterar tipo de conta (administrador ou limitada).
7. Confirmar alterações.
Alterar a maneira como os usuários fazem
logon ou logoff: permite a definição de como
será feito o logon ou logoff neste computador,
se será com a tela de “BOAS VINDAS” ou com
a “TELA DE LOGON CLÁSSICA”.
TIPOS DE CONTAS DE USUÁRIO:
Administrador – Este tipo de conta permite:
• efetuar configurações gerais no computador;
• criar, alterar e remover contas de usuário;
• criar, alterar e remover senha de usuário;
• ativar ou desativar a conta convidado;
• acessar a qualquer pasta documento de usuário, desde que não esteja bloqueada.
Limitada ou restrita – Este tipo permite:
• efetuar configurações que abranjam apenas a sua área de trabalho;
• criar, alterar ou remover apenas a sua senha;
• alterar apenas a sua figura;
• acessar apenas a sua pasta documentos e a pasta de documentos compartilhados.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 25
IMPRESSORAS E APARELHOS DE FAX: exibe as impressoras e
aparelhos de fax conectados no computador. Mediante este recurso,
pode-se adicionar, compartilhar, configurar, excluir e definir um impressora
como padrão.
IMPRESSORA LOCAL, COMPARTILHA E PADRÃO
IMPRESSORA REMOTA
Esta impressora poderá estar conectada e compartilhada em outro
computador
IMPRESSORA LOCAL E NÃO COMPARTILHADA
Propriedades de Vídeo
Aqui você pode configurar
vários ítens visuais do
Windows XP, Vejamos os
principais:
Temas do Computador
Temas são conjuntos de
configurações visuais pré-definidas para a
área de Trabalho. modificando o Tema, você
modifica de uma só vez as cores, ponteiros
do mouse, papel de parede, sons para
eventos, ícones e etc…
Você pode criar seu próprio estilo. Para isso
configure o computador do seu jeito. Depois
abra a janela Temas e salve a configuração
atual como um novo Tema.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 26
Área de Trabalho
Na aba área de trabalho podemos definir o plano de fundo e os ícones que aparecem na
área de trabalho.
Proteção de Tela é um programa decorativo com imagens em movimento que entra em
ação sempre que o computador fica inativo ou seja sem tocar no teclado ou mouse. A
proteção de Tela não interfere em outros programas e se auto desliga assim que o mouse
ou o teclado são movidos.
Aparência
Na aba Aparência podemos modificar a aparência da área de trabalho do Windows. Aqui
você pode alterar as cores das janelas, fontes, ícones, espaçamentos e etc… .
Configurações
Na aba Configurações existem dois ajustes importantes: resolução de vídeo e quantidade de
cores.
O monitor exibe as imagens como se fosse um mosaico que agrupa pequenos pontos que
são denominados Pixels. Podemos definir quantos pixels terão as imagens exibidas na tela,
quanto maior for o número de pixels, maior será área mostrada na tela. As combinações
típicas são 640×480, 800×600, 1024×768, 1052×864 pixels e etc… A combinação ideal para
monitores de 14 polegadas é 640×480, 15 polegadas 800×600 e para 17 polegadas
1024×768. Você pode aumentar o número de polegadas, ganhando assim mais espaço na
tela, a desvantagem é que os objetos ficam menores, mais difíceis de ver e clicar.
PESQUISAR – Permite a pesquisa de arquivos e pastas, computadores em
uma rede de computadores, pessoas em um catálogo e qualquer assunto na
Internet.
Exemplo de uma pesquisa
de arquivo: pode-se
pesquisar no computador um
determinado arquivo ou pasta sem
que, necessariamente, se saiba o seu
nome completo. Pode-se pesquisar
um arquivo por qualquer dos seus
identificadores que são os seguintes:
• nome;
• extensão;
• data;
• tamanho.
Para tanto, pode-se fazer uso dos
caracteres curinga:
*(asterisco): substitui nenhum, um ou mais caracteres. Exemplo: *.doc (qualquer arquivo
com extensão doc);
? (ponto de interrogação): substitui um caractere por vez. Exemplo: ???.doc (arquivos
que possuam três caracteres no nome e que tenham a extensão doc).
OUTROS ARGUMENTOS DE PESQUISA:
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 27
Pode-se efetuar uma pesquisa apenas digitando a letra inicial ou final do arquivo e o
restante preencher com asterisco (*).
Exemplo: f*.doc (todos os arquivos que iniciem com a letra “f” e quaisquer caracteres
após e a extensão seja doc).
Exemplo: *s.xls (todos os arquivos que o seu nome finalize com a letra o “s” e com a
extensão seja xls).
O sistema de pesquisa do Windows XP permite a utilização dos seguintes argumentos:
• pesquisa pelo nome, extensão ou parte destes;
• pelo conteúdo do arquivo;
• pela data de modificação, criação ou último acesso com as seguintes opções:
 Não me lembro
 Na semana passada
 No mês passado
 No ano passado
 Especificar data (data inicial e final)
• Pelo tamanho com as seguintes opções:
 Não me lembro
 Pequeno (menos de 100 KB)
 Média (menos de 1MB)
 Grande (mais de 1 MB)
 Especificar um tamanho (pelo menos ou no máximo)
Observação – Esta pesquisa poderá ser realizada em pastas do sistema, pastas ou
arquivos ocultos, subpastas e em fitas de backup.
A pesquisa pode ser acionada por intermédio da combinação da tecla do logotipo do
Windows + F.
EXECUTAR
Permite a execução de programas contidos em unidades de disquetes, cds, disco
rígido ou qualquer outra unidade de armazenamento localizada direta ou indiretamente ao
computador. Para isso, basta digitar-se o local (unidade, pasta) onde se encontra o arquivo
e o seu nome ou, se não se souber o nome correto do arquivo ou unidade onde está
armazenado, clica-se no botão procurar.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 28
O WINDOWS EXPLORER
O Windows Explorer é um programa que faz parte do Sistema Operacional Windows. Sua
principal função é o gerenciamento do que se chama ”Árvore de Diretórios do Windows”. Por
meio deste gerenciamento, pode-se copiar, mover, renomear, apagar arquivos e pastas
armazenados em uma determinada mídia de computador. Além de se poder executar
Aplicativos (programas instalados no computador).
Para acioná-lo, deve-se clicar no ícone Explorer, situado no Menu Iniciar – Programas -
Acessórios. No Windows XP, ele também pode ser acionado pelo clique com o botão
secundário do Mouse sobre o Menu Iniciar. Nesta versão, o atalho do Explorer fica
escondido, na tentativa de substituir seu uso pelo item MEU COMPUTADOR.
Explorer da Versão XP
Do lado esquerdo da tela, vêem-se os elementos físicos (drives A:, C e D) e lógicos
(Pastas de Trabalho, Área de Trabalho, Lixeira) existentes no computador.
Do lado direito da tela, vêem-se os arquivos, ícones e atalhos existentes dentro do
elemento selecionado do lado esquerdo.
Os símbolos +, – e a inexistência de sinal que aparecem ao lado das Pastas ou Drives na
parte esquerda da tela têm representação específica.
• O símbolo de – representa que o drive, ou a pasta, está com o seu conteúdo expandido.
• O símbolo de + representa que o drive, ou a pasta, está com seu conteúdo comprimido.
• O sinal + ou – exibido ao lado de uma pasta siguinifica que ela contém pelo menos uma
pasta que é chamada de subpasta.
Uma pasta, ou Drive, pode ser selecionada (com um clique do botão esquerdo do mouse
sobre seu nome ou símbolo) e acionada (com o segundo clique do botão esquerdo do
mouse). Nas duas circunstâncias, seu conteúdo será visualizado do lado direito da janela do
Explorer.
No entanto, pode-se simplesmente expandir ou comprimir uma pasta ou drive, sem
selecioná-lo ou acioná-lo. Para isso, deve-se clicar sobre os símbolos de + e – ao lado do
seu nome.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 29
Veja a Janela do Explorer durante a exploração de uma pasta ou Drive:
1 .Barra de menu 4. Árvore de pastas e unidades
2. Barra de ferramentas 5. Painel conteúdo
3. Barra de endereço 6. Barra de Status
Com relação aos objetos exibidos no painel de pastas
e unidades que representam unidades de
armazenamentos, devem-se observar as suas
funções:
1. Unidade de Disquete
2. Unidades de disco rígido - HD
3. Unidade de CD
4. Unidades Mapeadas de Rede
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 30
A ÁREA DE TRANSFERÊNCIA
USO DOS COMANDOS DE EDIÇÃO COPIAR, COLAR E RECORTAR
A área de transferência é um espaço reservado pelo sistema operacional na memória
principal do computador (memória RAM), utilizada para armazenar temporariamente
informações enviadas por uma operação de cópia ou recorte.
A cópia de arquivos e de pastas de um lugar para outro, bem como o movimento de mover
esses elementos, é realizada pelo Explorer por meio de sete diferentes possibilidades,
quatro delas passando pela Área de Transferência do Windows e três que não utilizam essa
área especial.
Comandos que passam pela ÁREA de TRANSFERÊNCIA:
Voltar ou ALT+ <=
Avançar ou ALT+ =>
Acima ou Backspace <=
Alterna entre exibir pastas ou barra
de atalho para tarefas
Pastas
Modos de exibição
Excluir ou delete
Desfazer ou CTRL+Z
Recortar ou CTRL+X
Copiar ou CTRL+C
Colar ou CTRL+V
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 31
COMANDOS QUE NÃO PASSAM PELA ÁREA DE TRANSFERÊNCIA:
1. ARRASTO SIMPLES DO MOUSE (clica, segura e arrasta):
De um drive p/ ele mesmo C C = MOVE
De um drive p/ outro qualquer C A = COPIA
2. ARRASTO COMBINADO (pressiona a tecla, clica segura e arrasta):
CTRL = COPIA
SHIFT = MOVE
3. ARRASTO ESPECIAL (arrasto feito com o Botão Direito do Mouse):
Clica com o botão direito do mouse sobre o elemento de origem e arrasta para o destino. Ao
soltar o botão aparecerá um menu, selecione a opção desejada ou cancele o comando:
Todas as funções citadas acima podem ser executadas também por intermédio do item Meu
Computador (encontrado no Desktop do Windows ou no Menu Iniciar).
OPERAÇÕES COM PASTAS E ARQUIVOS
ARQUIVOS: toda informação gerada por meio de um programa ou aplicativo, para ser
utilizada futuramente, deverá ser armazenada sob a forma de arquivo.
PASTAS: forma usual de organizar-se espaços reservados dentro de unidades de
armazenamentos. Pode-se criar pasta dentro de outra pasta, as quais são chamadas de
subpastas.
Para se atribuir nome a arquivos, dever-se-ão observar algumas regras:
O nome de arquivos ou pastas poderá ter até 255 caracteres.
O nome de arquivo possui duas partes separadas por:
Nome extensão
O nome será atribuído pelo usuário e a extensão será adicionada pelo aplicativo.
O nome lembra ao usuário o conteúdo do arquivo e a extensão identifica o tipo de arquivo.
Caracteres não permitidos no nome de arquivo:
/ < : > “|”  ? *
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 32
CRIANDO PASTAS
Como já se mencionou anteriormente, as pastas servem para organizar o disco
rígido. Para se conseguir esta organização, é necessário criarem-se mais pastas e
até mesmo subpastas delas.
Para criar uma pasta, siga estes passos:
1. Abra a pasta ou unidade de disco que deverá conter a nova pasta que será criada.
2. Clique no menu Arquivo.
3. Posicione o ponteiro do mouse na opção Novo.
4. Clique em Pasta.
5. Aparecerá na tela uma Nova Pasta selecionada para que você digite um nome.
6. Digite o nome e tecle ENTER
7. Pronto! A Pasta está criada.
SELEÇÃO DE PASTAS E ARQUIVOS
Antes de se aprender a selecionar, aprender-se-á como se deslocar entre os painéis
esquerdo e direito do Windows Explorer e entre seus objetos (pastas/arquivos).
TAB: Avança para o próximo painel.
SHIFT+TAB: Retrocede ao painel anterior.
SETAS PARA CIMA OU PARA BAIXO: navegar, seqüencialmente, entre as unidades,
pastas e subpastas no painel esquerdo ou entre as subpastas e arquivos no painel
conteúdo.
SETA PARA DIREITA (=>): exibe, no painel esquerdo, as subpastas da pasta ativa.
SETA PARA ESQUERDA (<=): oculta, no painel esquerdo, as subpastas da pasta ativa.
OBSERVAÇÃO – Não esqueça que as pastas e subpastas, no painel esquerdo, que
contiverem subpastas terão, a sua esquerda, o sinal de mais (+).
OBJETO: pode ser uma pasta ou arquivo.
SELEÇÃO DE UM OBJETO
Com o teclado: basta acessar o painel conteúdo (direito) e, com a seta para cima ou para
baixo, levar até o objeto desejado.
Com o mouse: apenas clicar sobre o objeto desejado.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 33
SELEÇÃO DE OBJETOS CONTÍNUOS
Com o teclado: após acessar o painel conteúdo (direito), mover com a seta para cima ou
para baixo até o primeiro objeto desejado e, com a tecla SHIFT pressionada, mover até o
próximo objeto desejado.
Com o mouse: posicionar o mouse sobre o primeiro objeto desejado e arrastar até o último
objeto desejado, ou clicar sobre o primeiro objeto desejado e, com a tecla SHIFT
pressionada, clicar sobre o último objeto desejado.
SELEÇÃO DE OBJETOS NÃO CONTÍNUOS
Com o teclado: acessar o painel conteúdo (direito), mover com a seta para cima ou para
baixo até o primeiro objeto desejado e, mantendo a tecla CTRL pressionada, marcar ou
desmarcar o objeto desejado com a barra espaçadora, e assim consecutivamente até
selecionar todos os objetos desejados alternadamente.
Com o mouse: com a tecla CTRL pressionada, clicar para marcar ou desmarcar os objetos
desejados.
RENOMEANDO OBJETO (F2)
Você renomeia um objeto apenas quando quer mudar o seu nome.
1. Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto.
2. Clique no Menu Arquivo.
3. Clique em Renomear.
4. Digite o Novo Nome.
5. Tecle <Enter>.
Ou
1. Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto.
2. Pressione a tecla de função F2.
Ou por intermédio do menu rápido sobre o objeto a ser renomeado ou painel de tarefas.
DELETANDO OBJETOS
O objeto só é deletado (apagado) quando não tem mais utilidade para o usuário.
• Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto;
• Tecle <Delete>.
Ou
• Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto;
• Clique no botão da barra de ferramentas.
Ou
• Posicione o ponteiro sobre o objeto;
• Ative o menu rápido (tecla direita do mouse);
• Selecione a opção Excluir.
Ou
• Posicione o ponteiro sobre o objeto;
• Ative a opção da barra de menu Arquivo;
• Selecione a opção Excluir.
Você pode excluir um objeto arrastando-o
diretamente para a pasta ou ícone lixeira.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 34
Nota – Você pode clicar no botão para retornar à última ação, ou pressionar <CTRL
+ Z> se apagou um item por engano.
Nota – Se você desejar excluir definitivamente um objeto de sua unidade de disco rígido,
utilize uma das opções de exclusão acima e, simultaneamente, pressione a tecla SHIFT.
Com esta forma de exclusão os objetos excluídos não irão para a LIXEIRA e não poderão
ser restaurados pelos recursos próprios do Sistema Operacional.
Lixeira do Windows
A Lixeira é uma pasta
especial do Windows e seu ícone
se encontra na Área de Trabalho,
mas pode ser acessada por meio
do Windows Explorer. Se você
estiver trabalhando com janelas
maximizadas, não conseguirá ver a
lixeira. Use o botão direito do
mouse para clicar em uma área
vazia da Barra de Tarefas. Em
seguida, clique em Minimizar todas
as Janelas. Para verificar o
conteúdo da lixeira, dê um clique
sobre o ícone e surgirá a seguinte
figura:
Atenção para o fato de que, se a janela da lixeira estiver com a aparência diferente da figura
ao lado, provavelmente o ícone Pasta está ativo. Apagar-se-á um arquivo para poder
comprovar que o mesmo será colocado na lixeira. Para tanto, crie um arquivo de texto vazio
com o bloco de notas e salve-o em Meus documentos, logo após, abra a pasta, e selecione
o arquivo recém criado e, então, pressione a tecla DELETE. Surgirá uma caixa de dialogo
como a figura a seguir:
Clique em SIM e, então, o arquivo será enviado para Lixeira.
ESVAZIANDO A LIXEIRA
Ao Esvaziar a Lixeira, você está excluindo definitivamente os arquivos do seu disco
rígido, os quais não poderão mais ser mais recuperados pelos recursos próprios do
Windows. Então, esvazie a Lixeira somente quando tiver certeza de que não precisa mais
dos arquivos ali encontrados.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 35
1. Abra a Lixeira.
2. No menu ARQUIVO, clique em Esvaziar Lixeira.
Nota – Você pode também esvaziar a Lixeira sem precisar abri-la. Para tanto, basta
clicar com o botão DIREITO do mouse sobre o ícone da Lixeira e selecionar no menu
de contexto a opção Esvaziar Lixeira.
Esvaziando a Lixeira
Atenção aos seguintes detalhes:
 Clique sobre o arquivo ou pasta apagado e em seguida sobre “restaurar” do Menu
Arquivo e ele será recuperado ao local de origem.
 Clique sobre esvaziar e todo o conteúdo será apagado, não mais podendo ser
recuperado pelo do Windows.
 O conteúdo de drivers externos (disquete, CD, unidade de Zip Drive) NÃO passam pela
lixeira.
 Cada Winchester do computador tem a sua unidade de lixeira independente das outras.
 A lixeira da caixa postal (de e-mail) é separada da lixeira do Windows.
PROPRIEDADES DA LIXEIRA
Para se configurar as Propriedades da Lixeira,
deve-se executar um dos os seguintes
procedimentos:
1. Posicionar o ponteiro do mouse sobre o
ícone Lixeira.
2. Ativar o menu rápido (tecla direita do
mouse).
3. Ativar ou desativar as opções de
propriedades de acordo com objetivo.
Ou
No Windows Explorer, com a pasta lixeira
selecionada, ativar a opção Propriedades do
menu Arquivo e, ativar ou desativar as opções
de propriedades de acordo com nosso objetivo.
Nota – Para se ativar uma propriedade, basta
clicar sobre a caixa de verificação ao lado
esquerdo da opção para que ela fique marcada. Para desativá-la, basta desmarcar com
apenas um clique sobre a opção.
Configurar unidades independentemente – Permite a configuração das propriedades da
lixeira exclusiva para cada unidade.
IMPORTANTE
As operações possíveis com objetos dentro da lixeira são as seguintes:
RESTAURAR  devolve o objeto para o local de onde foi excluído.
EXCLUIR  exclui da lixeira.
RECORTAR permite colar em outro local.
PROPRIEDADES  exibe as características do objeto como nome, tipo de objeto,
local de onde foi excluído, data da exclusão, entre outros.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 36
Usar a mesma configuração para todas as unidades – Permite efetuar uma única
configuração que será aplicada a todas as unidades.
Não mover os arquivos para a lixeira. Remover os arquivos imediatamente quando
forem excluídos – Exclui definitivamente os arquivos sem enviá-los para a lixeira. Desta
forma não poderá ser efetuada a recuperação dos arquivos pelos recursos próprios do
sistema operacional.
Exibir a caixa de diálogo de confirmação de exclusão – Quando ativada exibirá a caixa
solicitando a confirmação de exclusão ou envio para a lixeira.
Quando desativa não siguinifica que os arquivos não serão excluídos ou enviados para a
lixeira, apenas a caixa de confirmação não será exibida.
CONDIÇÕES DE EXCLUSÃO DEFINITIVA DE PASTAS OU ARQUIVOS DO HD
1.Qualquer forma de exclusão mais a tecla SHIFT;
2. Excluir da lixeira ou Esvaziar a lixeira;
3. Propriedade não mover arquivo para a lixeira ativada;
4. Propriedade Tamanho Máximo da lixeira com 0% do HD.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 37
FERRAMENTAS DO SISTEMA
O Windows XP trás consigo uma série de programas que ajudam a manter o sistema em
bom funcionamento. Esses programas são chamados de Ferramentas do Sistema.
Pode-se acessá-las da seguinte forma:
1 – Duplo clique no ícone Meu Computador que está localizado na Área de Trabalho.
2 - Clique com o botão direito do mouse sobre a unidade de disco a ser verificada, no caso
C:,
3 - No menu de contexto, selecione a opção Propriedades.
Na janela de Propriedades do Disco, clique na
guia Ferramentas.
Nesta janela, há as seguintes opções:
Verificação de erros – Ferramenta que
procura no disco erros, defeitos ou arquivos
danificados. Recomenda-se fazer ao menos
uma vez por semana.
Desfragmentação – Quando o Windows
grava um arquivo no Disco, ele o grava em
partes separadas, quando precisar abrir esse
mesmo arquivo, o próprio Windows levará
mais tempo, pois precisa procurar por todo o
disco. Usando esta ferramenta, ele ajusta o
disco e torna o computador até 20% mais
rápido. Recomenda-se fazer todo mês.
Backup – Ferramenta que cria uma cópia dos
seus arquivos ou de todo o sistema, para o
caso de algum problema nada seja perdido.
Recomenda-se fazer ao menos uma vez por
mês.
OUTRAS FERRAMENTAS DO SISTEMA
O Windows XP possui outras ferramentas de sistemas que são muito úteis ao
usuário.
Para acessar as ferramentas de sistemas pode-se fazê-lo também por meio do seguinte
caminho:
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 38
1. Clicar no Menu Iniciar.
2. Todos os Programas.
3. Acessórios.
4. Ferramentas do Sistema.
Assistente para Transferência de arquivos e configurações...
Migra arquivos e configurações de um computador para outro.
Exibe informações do sistema como, por exemplo, resumo da configuração
básica do computador: versão do sistema operacional, modelo do
processador, quantidade de memória física (RAM), entre outros.
Limpeza de disco
Permite que você remova os arquivos desnecessários do disco.
Mapa de caracteres
Seleciona caracteres especiais e os carrega para o documento.
Restauração do sistema
Além da ferramenta Backup, estudada no capitulo anterior, o Windows XP
apresenta uma ferramenta mais avançada e simples que protege o sistema contra erros e
falhas, esta ferramenta encontra-se em Acessórios / Ferramentas do sistema .
Você pode usar a restauração do sistema para desfazer alterações feitas no computador e
restaurar configurações e o desempenho. A restauração do sistema retorna o computador a
uma etapa anterior (ponto de restauração ou verificação) sem que você perca trabalhos
recentes, como documentos salvos, e-mail ou listas de histórico e de favoritos da Internet.
As alterações feitas pela restauração do sistema são totalmente reversíveis. O Computador
cria automaticamente pontos de verificação, mas você também pode usar a restauração do
sistema para criar seus próprios pontos de restauração. Isso é útil se você estiver prestes a
fazer uma alteração importante no sistema, como a instalação de um novo programa ou
alterações no registro.
Ponto de verificação é criado automaticamente pelo sistema e ponto de restauração é criado
pelo usuário quando este necessitar.
Informações do sistema
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 39
TAREFAS AGENDADAS
Utilizado para agendar a execução automática de tarefas (programas) do
computador. Este agendamento poderá ser, por exemplo, ao fazer logon, uma única vez,
diariamente, semanalmente ou mensalmente.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 40
BROFFICE WRITER 3.1
O BrOffice.org Writer é um poderoso
processador de textos, muito parecido com o
Microsoft Word, sendo integrante do pacote de
aplicativos para escritório BrOffice.org 3.1. Ele
permite a criação, edição e manipulação de
diversos tipos de textos, permite também o uso de
figuras, planilhas e gráficos do BrOffice.org Calc,
que é muito semelhante ao Microsoft Excel, e
pode ainda preparar textos para serem usados no
BrOffice.org Impress, ferramenta muito
semelhante ao Microsoft PowerPoint, também
integrante da família BrOffice.org
Janela Principal do BROffice Writer 3.1
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 41
BOTÕES DAS BARRAS DE FERRAMENTAS PADRÃO E FORMATAÇÃO DO
WRITER
BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO
NOVO
Cria um novo documento do Writer
obs: ao clicar na seta ao lado é possível criar um
novo documento de outras aplicações do BrOffice
CTRL+N
MENU ARQUIVO - NOVO
ABRIR
Abri um documento do Writer ou um documento
com formato reconhecido pelo Obs: a partir de
qualquer aplicativo do BrOffice é possível abrir
arquivos com formato compatível que o BrOffice
ativa o seu aplicativo correspondente. Ex. de dentro
do Writer é possível abrir um arquivo com a
extensão XLS que o BrOffice ativará o CAL para
editá-lo.
CTRL+O
MENU ARQUIVO - ABRIR
SALVAR
Salva um documento com o padrão ODT ou outro
formato disponível escolhido pelo usuário. Ex:
.DOC, .OTT
CTRL+S
MENU ARQUIVO – SALVAR OU
SALVAR COMO
EMAIL
Envia um email com o documento ativo anexado. MENU ARQUIVO - ENVIAR
EDITAR ARQUIVO
Quando acionado alterna o arquivo atual o exibindo
somente como leitura e vice-versa
EXPORTAR DIRETAMENTE COMO PDF
Exporta o documento como PDF sem apresentar
opções.
MENU ARQUIVO – EXPORTAR
COMO PDF
IMPRIMIR ARQUIVO DIRETAMENTE
Envia o documento diretamente para a impressora
padrão.
CTRL+P
Essa combinação de teclas ativa a caixa
de diálogo do comando IMPRIMIR
MENU ARQUIVO - IMPRIMIR
VISUALIZAR PÁGINA
Exibe uma prévia de como ficará o documento
quando impresso.
MENU ARQUIVO – VISUALIZAR
PÁGINA
ORTOGRAFIA E GRAMÁTICA F7
MENU FERRAMENTAS –
ORTOGRAFIA E GRAMÁTICA
AUTOVERIFICAÇÃO ORTOGRÁFICA
Quando ativado sublinha com ondulado vermelho as
palavras com possível erro ortográfico.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 42
BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO
CORTAR CTRL+X
MENU EDITAR - CORTAR
COPIAR CTRL+C
MENU EDITAR - COPIAR
COLAR CTRL+V
MENU EDITAR - COLAR
PINCEL DE ESTILO
Copia e cola recursos de formatação de caracteres e
parágrafos.
DESFAZER
Desfaz ações anteriores mesmo depois do
documento já salvo. Desativa só após fechar
documento.
CTRL+Z
MENU EDITAR - DESFAZER
REFAZER
Refaz ações desfeitas. Continua ativo após o
salvamento do documento, porém após fechar o
documento o recurso é desativado.
CTRL+Y
MENU EDITAR - REFAZER
HIPERLINK
Insere um link dentro do documento que permite
acesso a email, site ou outro documento.
MENU INSERIR - HIPERLINK
TABELA
Insere uma tabela com o número de colunas e linhas
definidos pelo usuário
CTRL+F12
MENU INSERIR TABELA
MOSTRAR FUNÇÃO DESENHO
Mostra ou oculta a barra de ferramentas desenho. MENU EXIBIR – BARRAS DE
FERRAMENTAS - DESENHO
LOCALIZAR E SUBSTITUIR
Localiza e substitui palavras, textos, caracteres,
formatos.
CTRL+F
MENU EDITAR – LOCALIZAR E
SUBSTITUIR
NAVEGADOR
Permite o acesso dentro de um documento a objetos,
seções, tabelas, hiperlink,referências, índices, notas.
F5
MENU EXIBIR - NAVEGADOR
GALERIA
Exibe uma série de opções que podem ser inseridas
em um documento.
MENU FERRAMENTAS -
GALERIA
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 43
BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO
ZOOM
Amplia ou reduz o tamanho das fontes e demais
informações exibidas em documento.
MENU EXIBIR – ZOOM OU NA
BARRA DE STATUS.
ESTILOS E FORMATAÇÃO
Permite criar ou acessar a estilos de parágrafos,
caracteres, quadros, páginas ou listas.
F11
MENU FORMATAR – ESTILOS E
FORMATAÇÃO
ESTILOS E FORMATAÇÃO
Permite o acesso a estilos já criados.
F11
MENU FORMATAR – ESTILOS E
FORMATAÇ
NOME DA FONTE
Permite o acesso a tipos de fontes.
MENU FORMATAR -
CARACTERES
TAMANHO DA FONTE
Permite escolher um tamanho de fonte que pode ser
aplicado a uma palavra ou texto selecionado.
MENU FORMATAR -
CARACTERES
NEGRITO
Aplica negrito à palavra ativa ou ao texto
selecionado.
CTRL+B
MENU FORMATAR -
CARACTERE
ITÁLICO
Aplica itálico à palavra ativa ou ao texto
selecionado.
CTRL+I
MENU FORMATAR –
CARACTERE
SUBLINHADO
Aplica sublinhado à palavra ativa ou ao texto
selecionado.
CTRL+U
MENU FORMATAR -
CARACTERE
ALINHAR À ESQUERDA
Alinha à esquerda parágrafo ativo ou parágrafos
selecionados.
CTRL+L
MENU FORMATAR -
PARÁGRAFO
CENTRALIZADO
Centraliza o parágrafo ativo ou os parágrafos
selecionados.
CTRL+E
MENU FORMATAR -
PARÁGRAFO
ALINHAR À DIREITA
Alinha à direita o parágrafo ativo ou os parágrafos
selecionados.
CTRL+R
MENU FORMATAR -
PARÁGRAFO
JUSTIFICADO
Justifica o parágrafo ativo ou os parágrafos
selecionados.
CTRL+ J
MENU FORMATAR -
PARÁGRAFO
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 44
BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO
ATIVAR OU DESATIVAR NUMERAÇÃO
Ativa ou desativa numeração ao parágrafo ativo ou
parágrafos selecionados.
MENU FORMATAR –
MARCADORES E NUMERAÇÃO
ATIVAR OU DESATIVAR MARCADORES
Ativa ou desativa marcadores ao parágrafo ativo ou
parágrafos selecionados.
MENU FORMATAR –
MARCADORES E NUMERAÇÃO
DIMINUIR RECUO
Reduz o espaço entre o parágrafo em relação a
margem esquerda.
MENU FORMATAR –
PARÁGRAFO – RECUOS E
ESPAÇAMENTO.
AUMENTAR RECUO
Aumenta o afastamento do parágrafo em relação a
margem esquerda.
MENU FORMATAR –
PARÁGRAFO – RECUOS E
ESPAÇAMENTO.
COR DA FONTE
Permite aplicar uma cor a palavra ativa ou ao texto
selecionado.
MENU FORMATAR –
CARACTERES – EFEITOS DE
FONTE
REALÇAR
Permite aplicar uma espécie de marca texto ao texto
selecionado.
COR DO PLANO DE FUNDO
Aplica cor de fundo ao texto.
MENU FORMATAR –
CARACTERES – PALNO DE
FUNDO
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 45
FORMATAÇÃO DE CARACTERE
No menu Formatar/Caractere, encontram-se comandos para formatar a letra a ser utilizada
no documento. As alterações são aplicadas à seleção atual, à palavra inteira que contém o
cursor ou ao novo texto digitado. A caixa de diálogo Caractere possui 5 guias:
 Guia Fonte:
o Fonte: Insira o nome de uma fonte instalada que você deseja utilizar ou
selecione uma fonte da lista.
o Tipo de fonte: Selecione a formatação que deseja aplicar.
o Tamanho: Insira ou selecione o tamanho de fonte que você deseja aplicar.
o Idioma: Define o idioma que o verificador ortográfico usará para o texto
selecionado ou digitado. Os módulos de idiomas disponíveis possuem uma
marca de seleção ao lado deles.
 Efeitos da fonte:
Sublinhando
Selecione o estilo de sublinhado que deseja aplicar. Para aplicar o sublinhado somente às
palavras, marque a caixa Palavras individuais.
Cor
Selecione a cor para o sublinhado.
Efeitos
Efeitos que estão disponíveis:
• (SEM) - nenhum efeito é aplicado
• Maiúsculas - altera os caracteres selecionados em minúsculas para caracteres em
maiúsculas
• Minúsculas - muda os caracteres maiúsculos selecionados para caracteres minúsculos
• Título - altera o primeiro caractere de cada palavra selecionada para um caractere
maiúsculo
• Caixa Alta (Versalete) - altera os caracteres selecionados em minúsculas para
caracteres em maiúsculas e, em seguida, reduz seus tamanhos
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 46
Tachado
Selecione um estilo de tachado para o texto selecionado.
Palavras individuais
Aplica o efeito selecionado somente a palavras e ignora os espaços.
Contornos
Exibe o contorno dos caracteres selecionados. Esse efeito não funcionará com todas as fontes.
Sombras
Adiciona uma sombra que aparece embaixo e à direita dos caracteres selecionados.
Intermitente
Faz com que os caracteres selecionados pisquem. Não é possível alterar a frequência de
intermitência.
Oculto
Oculta os caracteres selecionados. Para exibir o texto oculto, certifique-se de que a caixa
Ativar/Desativar caracteres não imprimíveis esteja selecionada no menu Exibir.
Relevo
Selecione um efeito de relevo para aplicar ao texto selecionado. O efeito de alto relevo faz
com que os caracteres pareçam estar acima da página. O efeito de baixo relevo faz com que os
caracteres pareçam estar pressionados para dentro da página.
Cor da fonte
Define a cor do texto selecionado. Se você selecionar Automático, a cor do texto será
definida como preta para planos de fundo claros e como branca para planos de fundo escuros.
• Para alterar a cor de uma seleção de texto, escolha o texto a ser alterado e clique no
ícone Cor da fonte. Para aplicar outra cor, clique na seta ao lado do ícone Cor da
fonte e selecione a cor que deseja usar.
• Se você clicar no ícone Cor da fonte antes de selecionar o texto, o cursor com
formato de lata de tinta aparecerá. Para alterar a cor do texto, selecione-o usando o
cursor com esse formato. Para mudar a cor de uma única palavra, clique duas vezes
nela. Para aplicar outra cor, clique na seta ao lado do ícone Cor da fonte e selecione a
cor que deseja usar.
• Para desfazer a última alteração, clique com o botão direito do mouse.
• Para sair do modo de lata de tinta, dê um clique ou pressione a tecla Esc.
para configurar sublinhados, rasurados, cor, efeitos e relevos;
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 47
 Posição: Permite aplicar o
sobrescrito, subscrito, rotação,
escalonamento e afastamento;
 Hyperlink: Atribui um novo
hyperlink ou edita o hyperlink
selecionado. Um hyperlink é
um vínculo para um arquivo
localizado na Internet ou em
seu sistema local. Você
também pode atribuir ou editar
uma âncora HTML nomeada ou
um Marcador que faça
referência a um local específico
em um documento.
 Plano de fundo: aplica cor na área pertencente ao espaço da letra ou texto
selecionado.
Formatando parágrafos
A formatação de PARÁGRAFOS também é feita pelo MENU FORMATAR e inclui,
além dos recursos para melhorara a aparência do seu texto.
A caixa de diálogo Parágrafo
0s recursos completos para formatar parágrafos são acessados pelo menu
Formatar/Parágrafo.
Recuo
Especifique o espaço a deixar entre as
margens esquerda e direita da página e
o parágrafo.
Antes do texto
Insira quanto você deseja recuar
o parágrafo em relação à margem da
página. Caso deseje que o parágrafo se
estenda até a margem da página, insira
um número negativo.
Depois do texto
Insira quanto recuar o parágrafo
em relação à margem da página. Caso
deseje que o parágrafo se estenda à margem da página, insira um número negativo.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 48
Primeira linha
Recua a primeira linha de um parágrafo conforme o valor inserido. Para criar um
deslocamento de recuo, insira um valor positivo para "Antes do texto" e um valor negativo
para "Primeira linha".
Automático
Recua automaticamente um parágrafo de acordo com o tamanho da fonte e o espaçamento da
linha. A configuração na caixa Primeira linha será ignorada.
Espaçamento
Especifique quanto espaço deixar entre os parágrafos selecionados.
Antes do parágrafo
Insira a quantidade de espaço que você deseja deixar antes do(s) parágrafo(s)
selecionado(s).
Depois do parágrafo
Insira a quantidade de espaço que você deseja deixar antes do(s) parágrafo(s)
selecionado(s).
Espaçamento de linhas
Especifique a quantidade de espaço a ser deixada entre linhas de texto em um parágrafo.
Simples
Aplica espaçamento de linhas simples ao parágrafo atual. Esta é a configuração
padrão.
1,5 linhas
Define o espaçamento de linha como 1,5 linhas.
Duplo
Define o espaçamento de linha como duas linhas.
Proporcional
Selecione esta opção e, em seguida, insira um valor de porcentagem na caixa, onde
100% corresponde a espaçamento de linhas simples.
Pelo menos
Define como espaçamento de linhas mínimo o valor inserido na caixa.
Entrelinhas
Define a altura do espaço vertical inserido entre duas linhas.
Fixo
Define o espaçamento de linhas de forma que corresponda exatamente ao valor
inserido na caixa. Isso pode resultar em caracteres recortados.
Registro de conformidade
Ativar
Alinha a linha base de cada linha de texto a uma grade de documento vertical, de modo que
todas as linhas fiquem com a mesma altura. Para utilizar este recurso, ative primeiro a opção
Registro de conformidade para o estilo de página atual. Para fazer isso, escolha Formatar -
Página, clique na guia Página e, em seguida, selecione a caixa Registro de conformidade na
área Configurações de layout.
Alinhamento
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 49
Define o alinhamento do parágrafo em relação as margens (limites) da área para texto.
As opções de alinhamento são:
• Esquerda;
• Direita;
• Centro; e
• Justificado.
No caso de parágrafo justificado, caso a última linha seja constituída por uma só palavra,
esta poderá ser expandida para ocupar toda a linha. Para que isso ocorra, marque a opção
Expandir palavra Única.
Alinhando rápido
A formatação mais comum para parágrafos é relativa ao alinhamento em relação as áreas
delimitadas para conter o texto.
As opções disponíveis de alinhamento estão apresentadas na barra de funções e são: Alinhar
a Esquerda, Centralizar, Alinhar a direita e Justificar. Para aplicar um desses formatos,
mantenha o cursor no parágrafo desejado e clique no botão de alinhamento.
TABULAÇÕES
Define a posição de uma parada de tabulação em um parágrafo.
Se desejar, você também pode usar a régua para definir as posições de tabulação.
Posição
Selecione um tipo de parada de tabulação, insira uma nova medida e, em seguida,
clique em Novo. Se desejar, você também pode especificar as unidades de medida a serem
utilizadas para a tabulação (cm para centímetro ou " para polegadas). As tabulações existentes
à esquerda da primeira tabulação definida serão removidas.
Tipo
Selecione o tipo de parada de tabulação que você deseja modificar.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 50
Esquerda
Alinha a borda esquerda do texto à parada de tabulação e estende o texto para a direita.
Direita
Alinha a margem direita do texto à parada
de tabulação e estende o texto para a
esquerda da parada.
Centro
Alinha o centro do texto à parada de
tabulação.
Decimal
Alinha a vírgula decimal de um número no
centro da parada de tabulação e o texto à
esquerda da tabulação. O caractere que é
utilizado como separador decimal varia em
função das configurações regionais do
sistema operacional.
Caractere
Insira um caractere que a tabulação decimal utilizará como separador decimal.
Caractere de preenchimento
Especifique os caracteres a serem usados como guias à esquerda da parada de tabulação.
Nenhum
Não insere caracteres de preenchimento, ou remove os existentes à esquerda da parada de
tabulação.
.......
Preenche com pontos o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação.
------
Preenche com traços o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação.
______
Desenha uma linha para preencher o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação.
Caractere
Permite especificar um caractere para preencher o espaço vazio à esquerda da parada de
tabulação.
Novo
Adiciona a nova parada de tabulação que você definiu para o parágrafo atual.
Limpar tudo
Remove todas as paradas de tabulação definidas por você em Posição. Define paradas de
tabulação para a Esquerda a intervalos regulares como paradas de tabulação padrão.
Excluir
Exclui o(s) elemento(s) selecionado(s) sem solicitar uma confirmação.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 51
Tabelas no BrOffice Writer
Dentro do Menu Tabelas do BrOffice, ou usando o botão , pode-se começar a
criação de tabelas no Writer:
Uma tabela terá células, no princípio, sempre do mesmo tamanho, e ocupará o limite máximo
dos recuos direito e esquerdo:
Esta característica pode ser alterada, através do ajuste de colunas ou de linhas, para isso,
posicione o cursor sobre a linha que separa as células e arraste para a posição desejada.
A partir de uma tabela simples, podemos criar tabelas bem mais complexas.
Usando o Menu Tabela, pode-se incluir ou excluir linhas e colunas (selecione-as antes),
dividir ou mesclar (unir) células, converter texto em tabela ou tabela em texto, inserir
fórmulas, ou formatar aspecto, bordas, sombreamento ou conteúdo das células de uma tabela.
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 52
• Inserir: Tabela, linhas ou colunas – pode-se escolher
quantas unidades serão inseridas antes ou depois do elemento
selecionado:
 Excluir: Tabelas, linhas ou colunas
 Selecionar: seleciona toda a tabela, célula, linhas ou colunas onde estiver posicionado
o cursor (comando inútil para quem usa o mouse, mas muito útil para deficientes
visuais).
 Mesclar células: une duas ou mais células selecionadas, transformando-as em uma
única célula. Para tanto, selecione as células antes de usar o comando:
Teste Digitação
Observe que o texto é preservado na célula resultante, ficando em linhas diferentes:
Teste
Digitação
 Dividir Células: Divide as células selecionadas horizontalmente ou verticalmente,
deixando os dados preenchidos numa célula e a(s) nova(s) vazia(s):
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 53
Teste
Digitação
 Mesclar Tabela: Une duas tabelas em uma só.Porém as tabelas deve estar grudadas,
ou seja, não deve ter nenhum caracter ou linha entre as tabelas.
 Dividir Tabela: Divide uma tabela em partes.
 AutoFormatar: Aplica formatações pré definidas em uma tabela.
Janeiro Fevereiro Março Total 1º Tri
Impostos
Tarifas
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 54
Janeiro Fevereiro Março Total 1º Tri
Impostos
Tarifas
 AutoAjustar: formata largura, altura ou distribuição de tamanhos de linhas e colunas
de forma automática.
 Repartição da Linha de Título: repete a linha de título quando a tabela iniciar uma
página nova
 Converter: converte texto em tabela ou tabela em texto
 Classificar: coloca em ordem alfabética ou numérica crescente ou decrescente:
Para classificar, coloque o cursos na tabela e selecione Tabela, Classificar:
 Fórmulas: insere fórmulas matemáticas em uma linha ou coluna (pode-se iniciar o
processo teclando “=” dentro da célula. Pode-se usar qualquer operador ou função do
calc.
• Propriedades da Tabela: Permite, através da janela de propriedades, ajustar
características de funcionamento da tabela:
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 55
Microsfot Excel XP
(Parte integrante do pacote de aplicativos Office criado pela Microsoft):
Conceitos básicos sobre o Excel
Ao iniciarmos o Excel, e apenas a nível de controle interno do programa, uma pasta de
trabalho inicialmente com 3 planilhas será criada. O número de planilhas na mesma pasta
pode ser alterado pelo usuário, de acordo com as suas necessidades e o número total de
planilhas de uma pasta está relacionado apenas aos recursos de sistema e de memória, não
havendo limite formal para este número.
A Janela do Excel XP
Lembre-se que .xls é a terminação de domínio para o Excel dentro do Windows e que para
o Windows (ou dentro do Explorer) o documento do Excel continua a ser um documento
simples, com terminação .xls
A BARRA DE FÓRMULAS:
Sempre que olhamos para as células de uma planilha o que estamos enxergando é o
resultado daquela posição dentro da planilha. Isso porque o conteúdo daquela posição
(índice da coluna mais índice da linha) pode ser um string (um conjunto de caracteres
numéricos ou alfabéticos) que foi digitado naquela posição ou o resultado de uma fórmula
matemática.
Assim, para que possamos afirmar com certeza o conteúdo de uma determinada célula
dentro do Excel, é preciso que olhemos para a Barra de Fórmula, situada logo abaixo da
Barra de Ferramentas Formatação.
Referência de seleção
(coluna x linha). Indica a
célula que está
atualmente selecionada
Célula ativa: A1
Barra de
FórmulasRótulo de colunas
Painel de
Opções
Ajuda
Barra de Planilhas Barras de
Rolagens
Rótulo de Linhas
Barra de Status
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 56
A Barra de Fórmula
poderá assumir
dois formatos: um
durante a edição
da célula ativa
quando dois novos
botões são vistos
nesta Barra:
No EXCEL
Perceba que o campo de
ENDEREÇOS transformou-se
(virou) um botão, onde palavras
como ABOVE, AGORA, SEN,
SOMA podem aparecer. Este
botão indica que o usuário está
editando uma função qualquer e
que, se necessário, outra função
poderá ser selecionada através do
extensor, presente ao lado do
botão:
Quando a edição é concluída, a
janela volta ao formato anterior:
A caixa de endereço ou nome, poderá ser usado para:
Endereço da
Célula
Conteúdo da
Célula
Cancelar a Edição Inserir ou Confirmar a Edição
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 57
Deslocamento rápido: digite o endereço da célula diretamente dentro do campo e tecle
ENTER.
Nomear
Intervalo:
Selecione a célula
que será nomeada,
clique sobre o
campo de
endereço e digite
um nome para a
célula; valide
teclando ENTER:
Um intervalo nomeado poderá ser usado dentro
de uma fórmula ou função, para indicar
referência onde o valor deverá ser buscado.
Veja exemplo na janela a seguir:
Veja na janela ao lado que o RESULTADO da
célula B10 é 31,42, seu CONTEÚDO é
=MÉDIA(B2:B8) e que seu NOME é
MED_IDADE
O resultado da célula D10 foi obtido pela
seguinte fórmula:
=SE(MED_IDADE<18;"ADOLESCENTES";"JOVE
NS")
Já na célula D11 a fórmula era:
=SE(B10<18;"ADOLESCENTES";"JOVENS")
Editando Células:
1 – Clique sobre a célula e comece a digitar (veja que ao clicar sobre o primeiro caracter a
barras de fórmulas entra no modo de edição – como descrito na seção anterior).
2 – Dê um duplo clique sobre a célula – a barra de fórmulas entra no modo de edição – e
digite os valores
3 – Selecione a célula. Clique, em seguida, no campo de conteúdo da Barra de fórmulas
(esta entra no modo de edição – digite, então, os valores).
2 – Selecione o
Campo de
Endereço e digite
o nome – Tecle
ENTER para
validar
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 58
SELECIONANDO UM CONJUNTO DE CÉLULAS
A seleção de conteúdos pode ser feita da mesma forma que fazemos no Word:
• Usando o arrasto do mouse: clique sobre a primeira célula, segure e arraste até a última.
• Usando o mouse associado às teclas de seleção Shift (para seleção contínua de células)
e Ctrl (para seleção de células alternadas).
• Através do teclado: posicione o cursor na primeira célula da seleção, pressione o botão
shift e desloque-se usando as teclas de movimentação do teclado. Solte a tecla shift
quando a seleção estiver completa.
• Seleção de linhas e colunas repete o padrão de seleção de tabelas do Word.
Uma seleção de células dentro do Excel obedece a alguns conceitos importantes para
provas de concurso:
• Sempre que uma seleção de células contínuas é feita, estamos selecionando uma
REGIÃO da Planilha.
• Se a seleção é de células alternadas várias regiões estão selecionadas.
Assim podemos afirmar a respeito de uma REGIÃO de uma planilha:
• É uma seleção CONTÍNUA de
células
• É uma seleção em formato
RETANGULAR
• É uma seleção de Células
ADJACENTES
CRIANDO UMA PASTA NOVA DENTRO DO EXCEL
É preciso lembrar sempre de diferenciar a palavra planilha da palavra pasta ou documento
dentro do Excel.
LEMBRE-SE: Um documento do Excel é uma pasta de trabalho que contém dentro dela
(inicialmente) três planilhas. Podemos apagar duas, deixando – no mínimo UMA planilha.
Ou podemos acrescentar planilhas, até o limite dos recursos do sistema, não havendo um
valor definido para isso (ver quadro na página inicial.
Assim:
 Para criar uma pasta de trabalho nova (em branco), clique no botão Novo da Barra de
Ferramentas ou no Menu Arquivo – Novo.
 Já para criar uma nova planilha dentro de uma pasta já existente clique em Inserir
Planilha, ou clique sobre uma planilha já existente, na Barra de Deslocamento entre
planilhas, e selecione Mover ou copiar....
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 59
Para copiar – marque “Criar uma cópia” escolhendo, primeiro, a posição onde esta será
feita. No WORD
Escolha a posição (Antes de ...)
Marque a opção CRIAR UMA CÓPIA
Clique em OK
INTRODUÇÃO DE UMA FÓRMULA NA PLANILHA:
Ao olharmos para uma planilha, o que vemos sobre as células são RESULTADOS, que
podem ser obtidos a partir dos CONTEÚDOS que são efetivamente digitados nas células.
Quer dizer, o conteúdo pode ou NÃO ser igual ao resultado que está sendo visto.
Os conteúdos podem ser de três tipos:
• Strings (numéricos, alfabéticos ou alfa-numéricos)
• Fórmulas matemáticas
• Funções matemáticas
INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL
Página 60
Fórmulas
Fórmulas são equações que executam cálculos sobre valores na planilha. Uma fórmula inicia com um sinal
de igual (=). Por exemplo, a fórmula a seguir multiplica 2 por 3 e depois adiciona 5 ao resultado.
=5+2*3
Uma fórmula também pode conter um ou todos os seguintes elementos: funções, referências, operadores e
constantes.
Partes de uma fórmula
Funções: a função PI() retorna o valor de pi: 3.142...
Referências: A2 retorna o valor na célula A2.
Constantes: números ou valores de texto inseridos diretamente em uma fórmula como, por
exemplo, o 2.
Operadores: o operador ^ (acento circunflexo) eleva um número a uma potência e o operador *
(asterisco) multiplica.
Usando constantes em fórmulas
Uma constante é um valor não calculado. Por exemplo, a data 09/10/2008, o número 210 e o texto
"Receitas trimestrais" são todos constantes. Uma expressão, ou um valor resultante de uma expressão, não é
uma constante. Se você usar valores de constantes na fórmula em vez de referências a células (por exemplo,
=30+70+110), o resultado se alterará apenas se você próprio modificar a fórmula.
Usando operadores de cálculo em fórmulas
Os operadores especificam o tipo de cálculo que você deseja efetuar nos elementos de uma fórmula. Há uma
ordem padrão segundo a qual os cálculos ocorrem, mas você pode mudar essa ordem utilizando parênteses.
Tipos de operadores
Há quatro diferentes tipos de operadores de cálculo: aritmético, de comparação, de concatenação de texto e de
referência.
Operadores aritméticos
Para efetuar operações matemáticas básicas, como adição, subtração ou multiplicação, combinar números e
produzir resultados numéricos, use estes operadores aritméticos.
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40
Informática 40

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula de hardware
Aula de hardwareAula de hardware
Aula de hardwarefelipe_13
 
Montagem e configuração de computadores
Montagem e configuração de computadoresMontagem e configuração de computadores
Montagem e configuração de computadoresSara Nóbrega
 
Unidade de disco - Atualizado 2014
Unidade de disco - Atualizado 2014Unidade de disco - Atualizado 2014
Unidade de disco - Atualizado 2014Evandro Júnior
 
Aula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosAula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosPessoal
 
Evolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaiasEvolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaiasIsaias_Bass
 
Aula 06 barramentos e recursos onboard
Aula 06 barramentos e recursos onboardAula 06 barramentos e recursos onboard
Aula 06 barramentos e recursos onboardAlexandrino Sitoe
 
Aula sobre Placa-mãe
Aula sobre Placa-mãeAula sobre Placa-mãe
Aula sobre Placa-mãeFilipe Flores
 
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e Processadores
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e ProcessadoresTipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e Processadores
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e ProcessadoresRui Ferreira
 
introdução a tecnologia da informação
introdução a tecnologia da informaçãointrodução a tecnologia da informação
introdução a tecnologia da informaçãoluk2s
 

Mais procurados (20)

Aula de hardware
Aula de hardwareAula de hardware
Aula de hardware
 
Montagem e configuração de computadores
Montagem e configuração de computadoresMontagem e configuração de computadores
Montagem e configuração de computadores
 
Criação de uma rede
Criação de uma redeCriação de uma rede
Criação de uma rede
 
Aula2
Aula2Aula2
Aula2
 
Unidade de disco - Atualizado 2014
Unidade de disco - Atualizado 2014Unidade de disco - Atualizado 2014
Unidade de disco - Atualizado 2014
 
Aula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e PerifericosAula - Placa mae e Perifericos
Aula - Placa mae e Perifericos
 
Hardware
HardwareHardware
Hardware
 
Aula 16 memórias
Aula 16 memóriasAula 16 memórias
Aula 16 memórias
 
Mod 2 Hardware
Mod 2   HardwareMod 2   Hardware
Mod 2 Hardware
 
Placa-Mãe
Placa-Mãe Placa-Mãe
Placa-Mãe
 
Evolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaiasEvolução, hardware e software isaias
Evolução, hardware e software isaias
 
info001
info001info001
info001
 
Aula 06 barramentos e recursos onboard
Aula 06 barramentos e recursos onboardAula 06 barramentos e recursos onboard
Aula 06 barramentos e recursos onboard
 
CODECS
CODECSCODECS
CODECS
 
Aula sobre Placa-mãe
Aula sobre Placa-mãeAula sobre Placa-mãe
Aula sobre Placa-mãe
 
Motherboard
MotherboardMotherboard
Motherboard
 
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e Processadores
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e ProcessadoresTipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e Processadores
Tipos de: Memórias, Motherboards, Placas Gráficas e Processadores
 
Vendo computador completo
Vendo computador completoVendo computador completo
Vendo computador completo
 
introdução a tecnologia da informação
introdução a tecnologia da informaçãointrodução a tecnologia da informação
introdução a tecnologia da informação
 
Placa mãe (motherboard)
Placa mãe (motherboard)Placa mãe (motherboard)
Placa mãe (motherboard)
 

Destaque

Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidad
Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidadPresentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidad
Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidadIEBS Business School
 
Biomarker Analyst_Presentation_For_Client
Biomarker Analyst_Presentation_For_ClientBiomarker Analyst_Presentation_For_Client
Biomarker Analyst_Presentation_For_ClientCamille Diges
 
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-Adaptive
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-AdaptiveMedia Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-Adaptive
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-AdaptiveMBrainDE
 
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forte
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forteMise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forte
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forteSylvain Maret
 
Pal oil mill machines
Pal oil mill machinesPal oil mill machines
Pal oil mill machinesMusa Sabri
 
Car one magazine_ Invierno 2012
Car one magazine_ Invierno 2012Car one magazine_ Invierno 2012
Car one magazine_ Invierno 2012EmeGe SocialMedia
 
Semana 2 actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - ges
Semana 2   actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - gesSemana 2   actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - ges
Semana 2 actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - gesSea Experto
 
Jeser e Isabel &lt;3
Jeser e Isabel &lt;3Jeser e Isabel &lt;3
Jeser e Isabel &lt;3Erlin_Raptor
 
Story To Reflect Upon 25,26
Story To Reflect Upon 25,26Story To Reflect Upon 25,26
Story To Reflect Upon 25,26OH TEIK BIN
 
Eman Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlook
Eman  Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlookEman  Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlook
Eman Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlookEman Jaheen
 
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...olsonqswrkyjwxq
 
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...Snag
 
Energia, potencia y trabajo!
Energia, potencia y trabajo!Energia, potencia y trabajo!
Energia, potencia y trabajo!danielasandoval96
 

Destaque (20)

Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidad
Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidadPresentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidad
Presentación Pacto de Socios para certificado de profesionalidad
 
Biomarker Analyst_Presentation_For_Client
Biomarker Analyst_Presentation_For_ClientBiomarker Analyst_Presentation_For_Client
Biomarker Analyst_Presentation_For_Client
 
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-Adaptive
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-AdaptiveMedia Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-Adaptive
Media Monitoring als Erfolgsfaktor - Beispiel M-Adaptive
 
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forte
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forteMise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forte
Mise en œuvre d’une solution biométrique d’authentification forte
 
Pal oil mill machines
Pal oil mill machinesPal oil mill machines
Pal oil mill machines
 
Car one magazine_ Invierno 2012
Car one magazine_ Invierno 2012Car one magazine_ Invierno 2012
Car one magazine_ Invierno 2012
 
Semana 2 actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - ges
Semana 2   actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - gesSemana 2   actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - ges
Semana 2 actividad 2.2 función de un lms - josé jaime ruiz - ges
 
Vetbiz smart technology tools
Vetbiz smart technology toolsVetbiz smart technology tools
Vetbiz smart technology tools
 
Jeser e Isabel &lt;3
Jeser e Isabel &lt;3Jeser e Isabel &lt;3
Jeser e Isabel &lt;3
 
11.4
11.411.4
11.4
 
Story To Reflect Upon 25,26
Story To Reflect Upon 25,26Story To Reflect Upon 25,26
Story To Reflect Upon 25,26
 
Eman Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlook
Eman  Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlookEman  Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlook
Eman Jaheen Resume 2(1)- e.jaheen@outlook
 
Prospectiva Universitaria en Venezuela
Prospectiva Universitaria en VenezuelaProspectiva Universitaria en Venezuela
Prospectiva Universitaria en Venezuela
 
Conor2011
Conor2011Conor2011
Conor2011
 
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...
Name one gay club/bar for each of these global cities? And a little descripti...
 
Antologia español
Antologia españolAntologia español
Antologia español
 
IPad2 manual_del_usuario
IPad2 manual_del_usuarioIPad2 manual_del_usuario
IPad2 manual_del_usuario
 
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...
The Rising Cost of Bad Hires: How to Stay Compliant with Background Checks an...
 
Energia, potencia y trabajo!
Energia, potencia y trabajo!Energia, potencia y trabajo!
Energia, potencia y trabajo!
 
Semiótica y señalética
Semiótica y señaléticaSemiótica y señalética
Semiótica y señalética
 

Semelhante a Informática 40

PESQUISA SOBRE BARRAMENTO
PESQUISA SOBRE BARRAMENTOPESQUISA SOBRE BARRAMENTO
PESQUISA SOBRE BARRAMENTOOtaviano Viana
 
Trab. De Tic
Trab. De TicTrab. De Tic
Trab. De Ticmartasara
 
03º aula placa mãe painel frontal
03º aula placa mãe  painel frontal03º aula placa mãe  painel frontal
03º aula placa mãe painel frontalRoney Sousa
 
Discos barramentos e portas de comunicação
Discos barramentos e portas de comunicaçãoDiscos barramentos e portas de comunicação
Discos barramentos e portas de comunicaçãosimoesflavio
 
Introdução a Informatica
Introdução a InformaticaIntrodução a Informatica
Introdução a InformaticaKeny51
 
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.ppt
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.pptIntroducaoInformaticanovoarquivo2222.ppt
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.pptLamarck4
 
IntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptIntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptRomuloAlves22
 
Introducao a Informatica - Computação!!!
Introducao a Informatica - Computação!!!Introducao a Informatica - Computação!!!
Introducao a Informatica - Computação!!!SabrinaPitombeiraMon
 
Introducao Informatica.ppt
Introducao Informatica.pptIntroducao Informatica.ppt
Introducao Informatica.pptIsidro Raposo
 
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.ppt
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.pptIntrodução Informática a tecnologia da informação e comunicação.ppt
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.pptmiboxs1
 
Introdução para iniciantes em Informatica
Introdução para iniciantes em InformaticaIntrodução para iniciantes em Informatica
Introdução para iniciantes em InformaticaJnatasFelipeSantosGo
 
IntroducaoInformatica (2).ppt
IntroducaoInformatica (2).pptIntroducaoInformatica (2).ppt
IntroducaoInformatica (2).pptEriveltonLealII
 

Semelhante a Informática 40 (20)

Barramentos
Barramentos Barramentos
Barramentos
 
Aula 4
Aula 4Aula 4
Aula 4
 
PESQUISA SOBRE BARRAMENTO
PESQUISA SOBRE BARRAMENTOPESQUISA SOBRE BARRAMENTO
PESQUISA SOBRE BARRAMENTO
 
Aula hardware
Aula hardwareAula hardware
Aula hardware
 
Aula de hardware
Aula de hardwareAula de hardware
Aula de hardware
 
Trab. De Tic
Trab. De TicTrab. De Tic
Trab. De Tic
 
03º aula placa mãe painel frontal
03º aula placa mãe  painel frontal03º aula placa mãe  painel frontal
03º aula placa mãe painel frontal
 
Discos barramentos e portas de comunicação
Discos barramentos e portas de comunicaçãoDiscos barramentos e portas de comunicação
Discos barramentos e portas de comunicação
 
Introdução a Informatica
Introdução a InformaticaIntrodução a Informatica
Introdução a Informatica
 
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.ppt
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.pptIntroducaoInformaticanovoarquivo2222.ppt
IntroducaoInformaticanovoarquivo2222.ppt
 
IntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptIntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.ppt
 
Introducao a Informatica - Computação!!!
Introducao a Informatica - Computação!!!Introducao a Informatica - Computação!!!
Introducao a Informatica - Computação!!!
 
IntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptIntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.ppt
 
IntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptIntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.ppt
 
Introducao Informatica.ppt
Introducao Informatica.pptIntroducao Informatica.ppt
Introducao Informatica.ppt
 
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.ppt
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.pptIntrodução Informática a tecnologia da informação e comunicação.ppt
Introdução Informática a tecnologia da informação e comunicação.ppt
 
Introdução para iniciantes em Informatica
Introdução para iniciantes em InformaticaIntrodução para iniciantes em Informatica
Introdução para iniciantes em Informatica
 
IntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.pptIntroducaoInformatica.ppt
IntroducaoInformatica.ppt
 
Introducao informatica
Introducao informaticaIntroducao informatica
Introducao informatica
 
IntroducaoInformatica (2).ppt
IntroducaoInformatica (2).pptIntroducaoInformatica (2).ppt
IntroducaoInformatica (2).ppt
 

Último

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasRosalina Simão Nunes
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 anoandrealeitetorres
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasCassio Meira Jr.
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresLilianPiola
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfAnaGonalves804156
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISVitor Vieira Vasconcelos
 

Último (20)

02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicasCenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
Cenários de Aprendizagem - Estratégia para implementação de práticas pedagógicas
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A  galinha ruiva sequencia didatica 3 anoA  galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
A galinha ruiva sequencia didatica 3 ano
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e EspecíficasHabilidades Motoras Básicas e Específicas
Habilidades Motoras Básicas e Específicas
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolaresALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
ALMANANHE DE BRINCADEIRAS - 500 atividades escolares
 
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdfPPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
PPT _ Módulo 3_Direito Comercial_2023_2024.pdf
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGISPrática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
Prática de interpretação de imagens de satélite no QGIS
 

Informática 40

  • 1. INFORMÁTICA Material Cedido pelos professores: Sérgio Spolador Julio Cesar Ramos Ana Naiara Malavolta http://sergiospolador.com PROFESSOR DA DISCIPLINA: Prof. Sérgio Spolador(sergio@acasadoconcurseiro.com.br)
  • 2. CONTEÚDOS DE ATUALIDADES EDITAL MAIO 2011 1. Conceitos de informática, hardware e software. 2. Sistemas operacionais Windows e Linux. Processador de texto (Word e BrOffice.org Writer). 3. Planilhas eletrônicas (Excel e BrOffice.org Calc). 4. Editor de Apresentações (PowerPoint e BrOffice.org Impress). 5. Conceitos de tecnologias relacionadas à Internet e Intranet, Protocolos Web, World Wide Web, Navegador Internet Internet Explorer e Mozilla Firefox), busca e pesquisa na Web. 6. Conceitos de tecnologias e ferramentas de colaboração, correio eletrônico, grupos de discussão, fóruns e wikis. 7. Conceitos de proteção e segurança, realização de cópias de segurança (backup), vírus e ataques a computadores. 8. Conceitos de organização e de gerenciamento de informações, arquivos, pastas e programas. 9. Conceitos de educação a distância. Conceitos de acesso a distância a computadores. 10. Conceitos de tecnologias e ferramentas multimídia, de reprodução de áudio e vídeo OBS: Esta apostila não contempla com todos os conteúdos do edital. Em breve iremos publicar uma apostila COMPLEMENTAR. PREVISÃO DE QUESTÕES: 10 de um total de 80
  • 3. Sumário CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE ..........................................................01 O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP ...........................................................12 BROFFICE WRITER 3.1 .........................................................................................40 MICROSFOT EXCEL ..............................................................................................55 BROFFICE CALC 3.1...............................................................................................74 REDES ..................................................................................................................85 QUESTÕES CONCURSO FCC ...............................................................................108
  • 4. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 1 CONCEITOS DE HARDWARE E SOFTWARE O Computador Um sistema computacional é formado basicamente por duas estruturas. Uma é denominada estrutura lógica (software) e a outra estrutura física (hardware). Ambas funcionam em conjunto. São elas: • Hardware: é o conjunto e elementos físicos que compõe o sistema computacional. Como por exemplo, memória, periféricos, cabos, placas e chips que fazem do computador, impressora, etc. • Software: são os programas que, utilizando o hardware, como por exemplo, o computador, executam as diferentes tarefas necessárias ao processamento de dados. TIPOS DE SOFTWARES QUANTO À FORMA DE DISTRIBUIÇÃO PROPRIETÁRIO: seu código fonte não é distribuído e só poderá ser alterado, copiado e distribuído mediante autorização de seu proprietário. A distribuição de seu módulo executável é feita mediante licença de uso e é geralmente paga. Exemplos: Windows XP, pacote Office, Norton, entre outros. LIVRE: disponibiliza seu código-fonte e executável. Podendo seu código-fonte ser alterado, copiado e distribuído mediante ou não pagamento. Exemplos: Linux, Mozilla, BrOffice, ou outros. SHAREWARE: disponibilizado não integralmente gratuitamente, porém com tempo de uso limitado. Para adquiri-lo integralmente, somente mediante pagamento. Seu código-fonte não é disponibilizado. Exemplos: Jogos e utilitários em geral, NERO, entre outros. FREEWARE: disponibilizado integralmente e gratuitamente sem prazo de uso determinado. Podendo ser copiado e distribuído gratuitamente. Seu código-fonte não é disponibilizado. Exemplos: AVG, jogos e utilitários em geral. FIRMWARE: tipos de software que vêm gravados pelo fabricante em tipo de memória ROM. Exemplos: BIOS, SETUP, POST, entre outros.
  • 5. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 2 QUANTO À FINALIDADE  Software básico: responsável pelo gerenciamento dos recursos do computador e pela conversão da linguagem do homem para a da máquina e vice-versa. Exemplo: sistema operacional  Software aplicativo: são sistemas complexos que visam a atender a uma determinada área de atuação. Exemplo: editores de texto, planilhas de cálculo, gerenciadores de bancos de dados.  Software utilitário: são programas menos complexos que visam a atender a um objetivo específico. Exemplo: desfragmentador de disco, formatador de disco, limpeza de disco, scandisk. PLACA-MÃE (MOTHERBOARD) A placa mãe é a “espinha dorsal” do computador. É a base na qual são conectados o microprocessador, a memória, periféricos de entrada e saída, fonte de alimentação e qualquer soquete que ligue o computador a outras máquinas, som, vídeo ou rede sem a necessidade de serem conectados por meio de placas externas. Recurso on-board => já vem integrado aos circuitos da própria placa-mãe como, por exemplo, som, vídeo, ou rede. Recurso off-board => não vem integrado aos circuitos da placa-mãe, sendo necessário conectá-lo pelo seu meio de encaixe próprio (slot). Exemplo: placa de som, vídeo, rede ou Fax- modem. BARRAMENTOS (BUS) Barramentos são as vias físicas existentes na placa-mãe, pelas quais trafegam as informações entre os periféricos de entrada, processamento e saída em um computador. Barramento Local O barramento local é o principal barramento do micro. Nele, estão conectados os principais circuitos da placa-mãe tais como: memória RAM, chipsets, processadores, memória cache, memória ROM.
  • 6. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 3 Barramento X É o barramento no qual estão conectados os periféricos on-board ou seja, periféricos integrados à placa-mãe, como placa de som, vídeo, fax-modem e rede (on-board)... Barramentos de Expansão São barramentos nos quais estão conectadas as placas de expansão (off-board), como as placas de vídeo, fax-modem, som, rede, IDE, e demais placas. Estas placas são conectadas ao barramento através de conectores denominados Slot Algumas características dos barramentos: Plug and Play – Recurso inerente ao dispositivo e ao sistema operacional que possibilita a sua conexão e pronto uso. Hot – Característica inerente ao dispositivo que pode ser conectado ou desconectado mesmo com o computador ligado. Tipos de transmissão dos dados: Transmissão paralela – São transmitidos vários bits ao mesmo tempo, portanto sua taxa de transmissão é medida em bytes por segundo (Bps). Ocorre geralmente entre dispositivos internos do computador, por exemplo, HD, disquetes, memórias em geral, entre outros. Transmissão serial – É transmitido um bit por vez, portanto sua taxa de transmissão é medida em bits por segundo (bps). Ocorre geralmente externamente ao computador, por exemplo, na comunicação entre computadores em uma rede. Tipos de barramentos de expansão: ISA (Industry Standart Architeture) VESA (Video Eletronic Standart Association) Barramento Plug and Play (PnP) PCI (Periferical Component Interconnect) – Criado pela Intel na época do desenvolvimento do processador Pentium, o barramento PCI (Peripheral Component Interconnect) é utilizado até hoje. O motivo de tanto sucesso se deve à capacidade do barramento de trabalhar a 32 ou 64 bits, o que oferecia altas taxas de transferência de dados. Só para dar uma noção, um slot PCI de 32 bits pode transferir até 132 MB por segundo. A versão de 64 bits do PCI, cujo slot era um pouco maior que os slots de 32 bits, nunca chegou a ser popular. PCI EXPRESS É o tipo de Barramento PnP, transmissão serial, e veio para substituir os barramentos PCI e AGP pelo fato de possuir maior taxa de transferência. Sua freqüência é de 2,5 GigaHertz. (GHz) podendo variar. Cada “caminho” do PCIe, envia informações a uma taxa de 250 MB/s (250 milhões de bytes por segundo) Cada slot PCIe roda a um, dois, quatro, oito, dezesseis ou trinta e dois caminhos de dados entre a placa mãe e a placa ligada ao slot. A contagem dos caminhos é escrita com um sufixo "x", por exemplo, 1x para um único caminho e 16x para uma placa de dezesseis caminhos. em desuso
  • 7. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 4 Por exemplo, um slot PCIe 4x terá uma taxa de transferência de qutro vezes 250 (4 vezes 250), totalizando 1 Gbyte por segundo. O barramento PCI Express é hot plug, ou seja, é possível instalarmos e removermos placas PCI Express mesmo com o micro ligado. AGP (Acelerated Graphics Port) – Visando obter uma maior taxa de transferência entre a placa-mãe e as placas de vídeo (principalmente para uma melhor performance nas aplicações 3D), a Intel desenvolveu um barramento especialmente aprimorado para a comunicação com o vídeo: o barramento AGP (Accelerated Graphics Port). A principal vantagem do barramento AGP é o uso de uma maior quantidade de memória para armazenamento de texturas para objetos tridimensionais, além da alta velocidade no acesso a essas texturas para aplicação na tela. O primeiro AGP (1X) trabalhava a 133 MHz, o que proporcionou uma velocidade 4 vezes maior que o PCI. Além disso, sua taxa de transferência chegava a 266 MB por segundo quando operando no esquema de velocidade X1, e a 532 MB quando no esquema de velocidade 2X (hoje, é possível encontrar AGPs com velocidades de 4X e 8X). Geralmente, só se encontra um único slot nas placas-mãe, visto que o AGP só interessa às placas de vídeo. USB (Universal Serial Bus) Trata-se de um conector de 10 pinos existentes na placa mãe do micro. Existem cabos extensores, que levam a comunicação até a parte externa do gabinete, onde os periféricos são conectados. É muito mais rápida que a serial e que a paralela (ver quadro de velocidades), mas ainda é muito lenta para alguns periféricos como HDs externos ou placas de rede. Existem dois padrões: a USB1 e a USB2, visulamente iguais, mas com padrões de transmissão de dados diferentes. A USB2 é até 40X mais rápida que a USB1. FIR EW IRE A fire wire foi criada para resolver o padrão de velocidade, transmitindo 100, 200 e 400Mbytes por segundo. Foi desenvolvida pela Sony e é, hoje, um padrão aberto, geralmente usado para conectar dispositivos que precisam de maior velocidade (som e imagem). É muito parecida, física e tecnologicamente, com a USB, mas muito mais rápida que aquela Observação – Tanto a USB quanto a Firewire pode conectar mais de um dispositivo por vez (através dos extensores de expansão), dividindo a capacidade de transmissão entre todos, de forma concorrente. O barramento USB permite ligarmos através de uma única porta até 127 dispositivos ao mesmo tempo. Neste caso, usa-se um hub USB. Já no firewire é possível ligar até 63 dispositivos ao mesmo tempo. OS BARRAMENTOS USB E FIREWIRE SÃO HOT PLUG AND PLAY SLOTS Slots são conectores que servem para encaixar as placas de expansão de um micro, ligando-as fisicamente aos barramentos por onde trafegam dados e sinais. Exemplo: placa de vídeo, placa de som, placa de fax-modem, placas de rede, pentes de memória, ou outro. Conector USB Extensor USB Placa USB/PCI
  • 8. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 5 PLACA DE VÍDEO É a placa responsável pelo armazenamento (memória de vídeo – VRAM) e conversão dos dados que serão enviados para o monitor. PLACA DE REDE É a placa responsável pela comunicação entre dois ou mais computadores. PLACA DE FAX-MODEM Permite a comunicação entre computadores via linha telefônica. Realiza o processo de conversão de sinais digitais em analógicos e vice-versa. (modula e demodula) PROCESSADOR O processador é o “cérebro” de um computador. É considerado sinônimo de CPU (“Central Processing Unit” ou Unidade Central de Processamento), tem a finalidade de processar as informações, controlar as operações lógicas e aritméticas e efetuar o processamento de entrada e saída. O processador possui três unidades básicas, a saber: U.C. => Unidade de controle: responsável pelo recebimento, controle de execução e devolução das instruções recebidas da memória RAM. U.L.A. => Unidade lógica e aritmética: responsável pela execução das instruções recebidas da unidade de controle. REGISTRADORES: pequenas memórias internas do processador utilizadas pela U.C. e U.L.A. para armazenar informações durante um processamento. O processador se comunica com a memória RAM por intermédio de um meio de comunicação chamado de barramento local. Barramento local: meio físico de conexão utilizado entre a memória RAM e o processador e entre a memória ROM e o processador. QUANTO À FREQÜÊNCIA DE PROCESSAMENTO CLOCK: gerador de impulsos que serão repetidos dentro de um determinado tempo, formando, assim, a freqüência que será medida em hertz. Processador Canaleta
  • 9. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 6 HERTZ: unidade de medida de freqüência referente ao número de ciclos realizados por segundo FREQÜÊNCIA INTERNA: os processadores têm uma freqüência interna com a qual executam as instruções. O tempo que o processador consome para executar as operações é medido em ciclos por segundos (HERTZ). Portanto, a unidade de medida de freqüência de um processador é o HERTZ. Exemplos: 1 Hz – e ciclo por segundo 1 KHz – 1.000 ciclos por segundo 1 MHz 1.000.000 ciclos por segundo 1 GHz – 1.000.000.000 ciclos por segundo 350 Mhertz significa 350 milhões de ciclos por segundo 2.2 Ghertz siguinifica 2 bilhões e duzentos milhões de ciclos por segundo. DUAL CORE: processador cujo módulo possui dois núcleos, conseqüentemente aumentando o seu desempenho em comparação aos processadores com apenas um núcleo. MEMÓRIAS As memórias são dispositivos que armazenam temporária ou permanentemente informações. Entre as memórias, podem-se destacar: RAM (RANDOM ACCESS MEMORY) É uma memória de acesso aleatório. Só funciona enquanto o computador estiver ligado. Por este fato, as informações contidas nela só permanecerão enquanto existir impulso elétrico. Por esta característica ela é chamada de memória volátil, ou seja, quando desligado o computador, o seu conteúdo será apagado. Ela é chamada de memória principal ou de trabalho porque todo e qualquer programa, exceto os contidos na memória ROM, para ser executado, deverá ser carregado nela. Permite leitura e gravação. Caso a memória RAM “acabe”, isto é, caso você tente carregar mais dados na memória RAM do que ela comporta (por exemplo, a memória RAM já está cheia e você manda o micro carregar mais um programa), o processador transfere o conteúdo atual da memória RAM para um arquivo do disco rígido, chamado arquivo de troca, liberando espaço na memória RAM. O conteúdo do arquivo de troca é colocado de volta na RAM quando for solicitado algum dado que esteja armazenado. Esse recurso é conhecido como MEMÓRIA VIRTUAL. MEMÓRIA VIRTUAL: é um espaço reservado pelo sistema operacional no disco rígido, que serve como memória auxiliar à memória RAM, quando esta necessitar de mais espaço de armazenamento. A ação de salvar consiste em levar os dados da memória RAM para um disco de armazenamento. Single channel – Tipos de memórias simples, mais comuns, que transferem 64 bits por vez.
  • 10. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 7 Dual Channel – Tipos de memórias que devem ser usadas aos pares e, de preferência, seus módulos devem ter as mesmas características (mesmo tipo, freqüência, tamanho e fabricante). Os módulos de memórias dual channel transferem 128 bits, enquanto os módulos antecessores transferem 64 bits por vez. Observação – Para ser utilizado esse tipo de memória, a placa deve possuir recurso para tal. MEMÓRIA CACHE Este tipo de memória (tipo RAM estática) é utilizado em um computador com a finalidade de acelerar o desempenho de processamento; pois, pelo fato do processador ter uma velocidade muito maior do que a memória principal RAM, haverá um tempo de espera por parte do processador, sempre que ele fizer uma solicitação à memória RAM. Para reduzir este tempo de espera, foi criada a memória cache. Ela é um tipo de memória que possui velocidade de acesso maior do que a RAM, portanto é uma memória de alta velocidade e seu custo é alto comparado com as outras memórias. Até os computadores 386, estas memórias eram adquiridas nas lojas de informática e conectadas na placa mãe por meio de um slot (conector). Nos atuais processadores, esta memória cache vem conectada internamente. São identificadas por L1, L2. ROM A Memória ROM (Read Only Memory) é somente utilizada para leitura, pois nelas estão gravadas as características do computador. Essa memória vem de fábrica com toda a rotina necessária e não deve ser alterada; pois, além de seu acesso ser difícil, fica reservada a sua manutenção somente aos técnicos com conhecimento adequado. Dentro desta memória vêm basicamente três programas: BIOS (Basic Input Output System – Sistema Básico de Entrada e Saída): “ensina” o processador a trabalhar com os periféricos mais básicos do sistema, tais como os circuitos de apoio, a unidade de disquete e o vídeo em modo texto. POST (Power-On Self-Test, Autoteste ao Ligar): um autoteste sempre que ligamos o micro. Por exemplo, ao ligarmos o micro verificamos que é feito um teste de memória, vídeo, teclado e posteriormente o carregamento do sistema operacional. SETUP (Configuração): programa de configuração de hardware do microcomputador, normalmente chamama-se este programa apertando um conjunto de teclas durante o processamento do POST (geralmente basta pressionar a tecla DEL durante a contagem de memória. Esse procedimento, contudo, pode variar de acordo com o fabricante da placa mãe). OBSERVAÇÃO – É muito comum haver confusão nos nomes. Veja que se acabou de chamar o POST ou o SETUP de “BIOS”. Atualmente, usa-se a nomenclatura “BIOS”, como algo genérico, podendo ser interpretado como “ tudo que está contido na memória ROM do micro ”, mas quando se fala de upgrade de BIOS, refere-se a atualização dos programas contidos na memória ROM ( SETUP, BIOS e POST)
  • 11. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 8 CMOS (Complementary Metal Oxide Semiconductor – semicondutor óxido metálico completmentar): tipo de memória volátil, mantida energeticamente por uma bateria, na qual ficam armazenadas as configurações do SETUP feitas pelo usuário, assim como mantém atualizados o relógio e o calendário do sistema. Quando a bateria perde total ou parte de sua energia, a CMOS perde suas informações, ou seja, o SETUP volta a sua configuração de fábrica (DEFAULT), o calendário e relógio do sistema ficam desatualizados. Neste caso, deverá ser trocada a bateria. OUTROS EQUIPAMENTOS UTILIZADOS COM O COMPUTADOR IMPRESSORAS Dispositivo de saída capaz de converter em papel as imagens e textos que são captados pelo computador. Podem ser: 1 Matricial => funciona com um cabeçote composto de várias agulhas enfileiradas que, a cada vez que atingem a fita, imprimem pontos de tinta no papel. Tem menor resolução, são mais lentas e barulhentas, porém mais baratas e as únicas que imprimem formulários contínuos ou carbonados. 2 Jato de tinta => dispara um jato de tinta no papel para fazer a impressão. Costuma ter uma qualidade e rapidez de impressão superior às impressoras matriciais. Outro ponto forte delas é serem muito silenciosas e imprimirem em cores. Estas impressoras utilizam cartuchos com as tintas. 3 Laser ou de Páginas => são assim chamadas por serem uma espécie de laser para desenhar os gráficos e caracteres; porém, antes, montam uma página para depois imprimir. Libera pequenos pontos de tinta em um cilindro, no qual é passado o papel que é queimado, fixando melhor a tinta. Utiliza toner. Seu trabalho é mais perfeito, são mais silenciosas, rápidas, porém o preço mais elevado. Velocidade de impressão: a velocidade de impressão pode ser medida em CPS (caracteres por segundo) ou por PPM (páginas por minuto) Resolução de impressão: característica que permite definir a qualidade de impressão e também comparar os vários modelos de impressoras. Exemplo: 300 dpi (pontos por polegada). SCANNER O scanner é outro tipo de dispositivo de entrada de dados . Podem ser scanneadas fotos, gravuras, textos. Os dados são transmitidos ao computador por meio de refletância de luz e convertidos de sinais analógicos para digitais. Observação – Já existem no mercado, multifuncionais, que xerocam, scanneam e imprimem. Uma das principais caraterística de uma scanner é a sua resolução que também é medida em dpi. Um outro termo que também é necessário saber é o pixel (picture element), ou seja, elemento de imagem. Uma imagem digital é dividida em linhas e colunas de pontos. O pixel consite na interseção de uma linha com uma coluna. ESTABLIZADOR
  • 12. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 9 O estabilizador é o equipamento utilizado para proteger o computador contra eventuais danos causados por piques de energia, ou seja, flutuações na rede elétrica. A energia que alimenta o sistema deve ser estabilizada. NO-BREAK O no-break é o transferidor de energia. O no-break impede que o computador desligue quando acaba a energia, ou seja, ele é automaticamente acionado quando ocorre a falta de energia elétrica e permanece transferindo energia durante o tempo que está programado para o fornecimento (autonomia). Este tempo poderá ser de meia hora, uma ou mais horas. Isto depende do tipo de no-break. UNIDADES DE ARMAZENAMENTO Os dados são enviados para a memória do computador, pelo teclado ou por um outro dispositivo de entrada, para serem processados mediante instruções preestabelecidas. Mas as informações contidas na memória são rapidamente repassadas para os dispositivos de saída ou ficam residentes enquanto o computador estiver ligado. Diante desses fatos, é necessário armazenar os dados em um meio capaz de mantê-los gravados de forma permanente. Para isso, são utilizadas as unidades de armazenamento permanente. Estas unidades são conhecidas como memórias de massa, secundária ou auxiliar. Dentre elas, há os seguintes exemplos:  HD - Disco rígido (unidade magnética) de vários tamanhos: 40, 50, 80, 160, 250, 500 GBs Os HDs são conectados ao computador por meio de interfaces capazes de transmitir os dados entre um e outro de maneira segura e eficiente. Há várias tecnologias para isso, sendo as mais comuns os padrões IDE, SCSI e, mais recentemente, SATA. A interface IDE (Intelligent Drive Electronics ou Integrated Drive Electronics) também é conhecida como ATA (Advanced Technology Attachment) ou, ainda, PATA (Parallel Advanced Technology Attachment). PATA faz transferência de dados de forma paralela, ou seja, transmite vários bits por vez, como se estes estivessem lado a lado. Taxa de transferência de 133 MB por segundo. SATA I: a transmissão é em série, tal como se cada bit estivesse um atrás do outro. Taxa máxima de transferência de dados de 150 MB por segundo (MB/s) ou 1,5 Gbps (1,5 gigabits por segundo). SATA II: taxa máxima de transferência de dados de 300 MB/s ou 2,4 Gbps (2,4 gigabits por segundo), o dobro do SATA I. Interface SCSI é sigla para Small Computer System Interface. Trata-se de uma tecnologia criada para acelerar a taxa de transferência de dados entre dispositivos de um computador, desde que tais periféricos sejam compatíveis com a tecnologia. O padrão SCSI é muito utilizado para conexões de HD (disco rígido), scanners, impressoras, CD-ROM ou qualquer outro dispositivo que necessite de alta transferência de dados. As vantagens do SCSI não se resumem apenas à questão da velocidade, mas também da compatibilidade e estabilidade. Sendo o processador o dispositivo mais rápido do computador, o uso do padrão SCSI permite que essa velocidade seja aproveitada e, assim, aumenta-se de forma considerável o desempenho do computador.
  • 13. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 10 SISTEMAS DE ARQUIVOS Um sistema de arquivos permite ao usuário escolher qual será o sistema de arquivo que será aplicado à unidade de armazenamento. Quando a unidade de armazenamento for um disquete, por padrão, o sistema de arquivo será FAT12 ou apenas FAT. Quando a unidade de armazenamento for um disco rígido, podem-se escolher os seguintes sistemas de arquivos. FAT32: sistema mais veloz em comparação com o NTFS, porém não possui recursos de segurança. Neste sistema, há um desperdício maior de espaço em relação ao NTFS devido ao tamanho de seu cluster ou unidade de alocação. Para unidades de disco rígido acima de 2 GB, o tamanho de cada cluster é de 4 KB. Portanto, no armazenamento de um arquivo com tamanho de 10 KB, serão utilizados três unidades de alocação totalizando 12 KB, restando 2 KB desperdiçados, pois o sistema não utiliza bytes restantes de uma unidade já ocupada. Sendo assim, quanto maior for a ocupação de uma unidade de armazenamento com o sistema FAT32, maior será o desperdício de espaço. NTFS: sistema de arquivos que possui maiores recursos de segurança de dados e praticamente inexiste desperdício de espaço.  Disquetes - discos flexíveis (unidade magnética) – tamanho 1,44 MB  CD - disco óptico (unidade óptica) – tamanho 700 MB  CD-ROM: já vem gravado e serve apenas para leitura  CD-R: vem virgem, mas admite apenas uma gravação fechada e passa a ser um CD-ROM.  CD-RW: vem virgem, porém admite várias gravações  DVD (unidade óptica) – tamanhos de 4,7 ou 9,4 GB DVD-ROM: que já vem gravado e serve apenas para leitura DVD-R: este tipo é um dos que tem maior aceitação nos mais diversos aparelhos. É a melhor opção para a gravação de filmes, pois é aceito por praticamente todos os DVD-players, com exceção para alguns dos primeiros modelos. O DVD-R, assim como o seu antecessor CD-R, só aceita gravação uma única vez e, após isso, seus dados não podem ser apagados. Sua capacidade de armazenamento padrão é de 4,7 GB. DVD-RW: é equivalente ao CD-RW, pois permite a gravação e a regravação de dados. A grande maioria dos DVD-players recentes são totalmente compatíveis com DVD-RW, mas exigem que a mídia esteja fechada para executar filmes. Mídia "aberta" significa que você pode inserir dados de maneira gradativa, como em um disquete. Porém, se você fechá-la (isso é feito através do software de gravação), a gravação de novas informações é impossibilitada, sendo necessário formatar o DVD-RW para reutilizá-lo. Assim como seu "irmão" DVD-R, a capacidade de armazenamento padrão do DVD-RW é de 4,7 GB.  Fita (unidade magnética) – Vários tamanhos 2, 4, 8, 12, 18, 120, 320 Gb
  • 14. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 11 UNIDADES DE MEDIDA DE INFORMAÇÕES A unidade que representa o volume de dados gravados em um disco ou outro dispositivo de armazenamento, é o byte – representa um caractere. As outras grandezas são:  1 bit = menor unidade de medida de informação (1(ligado) ou 0 (desligado)).  1 Byte (B) = conjunto de 8 bits  1 Kilobyte(KB) = 1024 bytes - 210  1 Megabytes(MB) = 1024 kilobytes - 2 ; 20  1 Gigabyte(GB) = 1024 megabytes - 2 ; 30  1 Terabyte (TB) = 1024 gigabytes - 2 ; 40 . PERIFÉRICOS DE ENTRADA São chamados de periféricos de entrada os dispositivos utilizados para ativar comandos ou inserir dados a serem processados pelo computador, como por exemplo: · Teclado · Mouse · Joiystick. · Caneta óptica · Scanner · Microfone PERIFÉRICOS DE SAÍDA São periféricos de saída os dispositivos utilizados para exibir, armazenar ou enviar dados já processados pelo computador, como por exemplo: · Impressora · Monitor de vídeo · Monitor de Vídeo com tecnologia touch screen.(entrada e saída) · Caixa de som · Plotter OBSERVAÇÃO – Existem periféricos que são tanto de entrada quanto de saída.Exemplos: os drives de disquetes, gravadora de CD, zip drive, HD, modem e os monitores que possuem recurso de toque (touch screem) e os equipamentos multifuncionais.
  • 15. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 12 O SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP Características Gerais: • Sistema Gráfico Interativo • Multitarefa • Plug and Play Algumas versões de Windows: Doméstico Corporativo (Usuário) Corporativo (Servidor) 95 / 98 NT Workstation NT Server Millenium 2000 Professional 2000 Server XP Home XP Professional 2003 Server Iniciando no Windows XP O inicio dos trabalhos em um ambiente Windows XP se dá através do processo de logon, que pode ou não ser automático, quando não se opta pela forma automática é necessário que se utilize o login (conjunto de credenciais de acesso), para ter acesso à área de trabalho. Dependendo da configuração do sistema, teremos duas telas de logon possíveis: Tela de boas-vindas Prompt de Logon Clássico Se você estiver utilizando a tela de boas vindas, e desejar alternar para a tela de logon clássica do Windows, basta pressionar CTRL+ALT+DEL por duas vezes consecutivas. Para retornar para a tela de boas vindas, basta pressionar a tecla ESC. A ÁREA DE TRABALHO - DESKTOP Segundo a ajuda do Windows: “a área de trabalho é a principal área exibida na tela quando você liga o computador e faz logon no Windows. Ela serve de superfície para o seu trabalho, como se fosse o tampo de uma mesa real. Quando você abre programas ou pastas, eles são exibidos na área de trabalho. Nela, também é possível colocar itens, como arquivos e pastas, e organizá-los como quiser.”
  • 16. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 13 Na Área de trabalho podem conter os seguintes itens: • Ícones • Atalhos • Pastas e arquivos • Barra de tarefas • Botão iniciar Ícones São pequenas imagens que representam recursos de um computador como arquivos, pastas, programas. Alguns exemplos de ícones são: Atalhos Os atalhos podem ser criados para tornar mais rápido o acesso a seus programas e arquivos preferidos. Um atalho é um ícone que representa um link para um determinado item, ao invés do próprio item em si. Quando se clica em um atalho, o item é aberto. Quando se exclui um atalho, somente o atalho é removido e jamais o ítem original. Os atalhos são indicados por uma seta no ícone correspondente. Criando Atalhos Existem diversas formas de se criar atalhos no Windows XP: • Através do menu de contexto
  • 17. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 14 • Arrastando um objeto com o botão direito do mouse. A BARRA DE TAREFAS No Windows, por padrão, a Barra de Tarefas é a barra situada na parte inferior do Desktop. As tarefas (janelas) que estão sendo executadas no computador são representadas através de um botão na área específica da barra. Para alternarmos entre essas janelas podemos utilizar a tecla de atalho ALT+TAB ou simplesmente clicarmos sobre o botão correspondente a janela. 1- Menu Iniciar 3- Barra de idiomas 2- Barra de inicialização rápida 4- Área de notificação PROPRIEDADES DA BARRA DE TAREFAS Para que se possa configurar a barra de tarefas pode-se ir em menu iniciar ⇒ Painel de controle ⇒ propriedades da barra de tarefas e menu iniciar, ou clicando com o botão direito em uma área livre da barra de tarefas e clicando em propriedades. Bloquear a barra de tarefas: serve para evitar que o usuário mova ou desconfigure acidentalmente a barra. Bloqueia a posição atual na área de trabalho, o tamanho e a posição de qualquer barra de ferramentas exibida na barra de tarefas. Ocultar automaticamente a barra de tarefas: Oculta a barra de tarefas na área de trabalho. Para que se possa utilizar a barra de tarefas, basta posicionar o mouse na área onde ela estara posicionada, ao colocar o mouse em outra posição a barra será oculta novamente. Manter a barra de tarefas sobre as outras janelas: Posiciona a barra sempre a frente das janelas, mesmo quando a janela estiver maximizada.
  • 18. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 15 Agrupar botões semelhantes na barra de tarefas: posiciona os botões na barra de tarefas por afinidade, ou seja, todos os botões de janelas do mesmo programa ficarão posicionadas juntas, e não na ordem em que são abertas como era nas versões anteriores. Além disso, para evitar o grande acúmulo de botões na barra de tarefas, os botões do mesmo programa serão indicados em um botão único com a indicação do número de janelas que ele representa. Mostrar barra “Inicialização rápida”: Exibe ou não a barra de inicialização rápida, que é uma barra personalizável pelo usuário e contém botões de acesso rápido a programas e arquivos e exibição da área de trabalho do Windows. Mostrar o relógio: exibe na área de notificação um relógio digital com a hora conforme o relógio interno do computador. Quando se aponta o mouse sobre a hora, pode-se ver a data e com um duplo clique podemos ter acesso as propriedades da data e hora Ocultar ícones inativos: esconde os ícones inativos da área de notificação, para se ter acesso a esses itens, pode-se clicar na seta que fica a esquerda dos ícones. O SISTEMA DE MENUS DO WINDOWS O sistema de menus do windows XP foi modificado em relação as versões anteriores, ele é apresentado em duas colunas e com áreas específicas pensadas para facilitar a usabilidade. Menu Iniciar O menu iniciar pode ser configurado. No Windows XP, você pode optar por trabalhar com o novo menu Iniciar ou, se preferir, configurar o menu Iniciar para que tenha a aparência das versões anteriores do Windows (95/98/Me). Para tanto, siga os passos a seguir: 1. Clique na barra de tarefas com o botão direito do mouse e selecione propriedades. 2. Clique na aba menu Iniciar. A aba contém duas opções: Menu iniciar: oferece a você acesso mais rápido a e-mail e Internet, seus documentos, imagens e música e aos programas usados recentemente, pois estas opções são exibidas ao se clicar no botão Iniciar. Esta configuração é uma novidade do Windows XP. Menu Iniciar Clássico: deixa o menu Iniciar com a aparência das versões antigas do Windows, como o Windows ME, 98 e 95. 1- Área Fixa, que pode ser personalizada pelo usuário. 2- Área com os programas utilizados com maior frequência. 3- Área do usuário. 4- Áreas de pesquisa
  • 19. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 16 Propriedades do menu Iniciar Para ativar as propriedades do menu iniciar, siga um dos passos a seguir: 1. No painel de controle, ativar o ícone propriedades da barra de tarefas e do menu iniciar ou item propriedades do menu rápido (tecla direita do mouse) sobre a barra de tarefas; 2. Ativar a aba menu iniciar; 3. Ativar o botão personalizar que aparecerá a seguinte janela: Na aba Geral, podem ser configurados os seguintes recursos: • Determinar o tamanho dos ícones do painel de ícones de programa; • Determinar a quantidade máxima de ícones de programas exibidos; • Limpar a lista de ícones de programas que foram ativados; • Mostrar ou ocultar os ícones referentes ao browser e software de correio eletrônico. Todos os programas O menu Todos os Programas ativa automaticamente outro submenu, no qual aparecem todas as opções de programas. Para entrar neste submenu, arraste o mouse em linha reta para a direção em que o submenu foi aberto. Assim, você poderá selecionar o aplicativo desejado. Para executar, por exemplo, o Paint, basta posicionar o ponteiro do mouse sobre a opção Acessórios. O submenu Acessórios será aberto. Então aponte para Paint e dê um clique com o botão esquerdo do mouse.
  • 20. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 17 Logon e Logoff Este ícone abre uma janela onde você poderá optar por fazer logoff ou mudar de usuário. Veja a função de cada um: Trocar de usuário: clicando nesta opção, os programas que o usuário atual está usando não serão fechados e uma janela com os nomes dos usuários do computador será exibida para que a troca de usuário seja feita. Use esta opção na seguinte situação: outro usuário vai usar o computador, mas depois você irá continuar a usá-lo. Então o Windows não fechará seus arquivos e programas, e quando você voltar ao seu usuário, a área de trabalho estará exatamente como você deixou. Fazer Logoff: este caso é também para a troca de usuário. A grande diferença é que, ao efetuar o logoff, todos os programas do usuário atual serão fechados e, só depois, aparece a janela para escolha do usuário. Desligando Windows XP 1. Clicar em Iniciar 2. Clicar em . Desligar. Apresentará uma janela onde é possível escolher entre três opções: Hibernar: clicando neste botão, o Windows salvará o estado das áreas de trabalho ativadas no disco rígido e depois desligará o computador. Desta forma, quando ele for ligado novamente, as áreas de trabalho se apresentarão exatamente como você as deixou, com os programas e arquivos que você estava usando. Em espera: ativa o modo de economia de energia não salvando a área de trabalho. Se ocorrer uma falha de energia todo o conteúdo das áreas de trabalho ativadas será perdido. Desativar: encerra todas as sessões e desliga o computador Reiniciar: encerra o Windows e o Reinicia. Teclas de atalho: Tecla de logtipo do Windows + L O recurso de troca de usuário é desabilitado automaticamente, quando o sistema operacional estiver configurado para um domínio de rede, porém o usuário com permissão para desabilitá-lo poderá fazê-lo a qualquer momento Observação- Para alternar entre as opções Hibernar e Em espera, basta pressionar a tecla shift.
  • 21. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 18 Acessórios do Windows O Windows XP inclui muitos programas e acessórios úteis. São ferramentas para edição de texto, criação de imagens, jogos e ferramentas para melhorar a performance do computador. Se analisado cada acessório que há, encontrar-se-iam várias aplicações, mas serão citadas as mais usadas e importantes. Imagine que você está montando um manual para ajudar as pessoas a trabalharem com um determinado programa do computador. Neste manual, com certeza, você acrescentaria a imagem das janelas do programa. Para copiar as janelas e retirar só a parte desejada, utilizaremos o Paint, que é um programa para se trabalhar com imagens. As pessoas que trabalham com criação de páginas para a Internet utilizam o acessório Bloco de Notas, que é um editor de texto muito simples. Assim, viram- se duas aplicações para dois acessórios diferentes. A pasta acessórios ficará acessível seguindo o procedimento abaixo: 1. Clica-se no Botão Iniciar 2. Posicione o ponteiro do mouse na opção na Barra de Tarefas. Todos os Programas 3. Novamente, posicione o ponteiro do mouse no submenu . Acessórios. Bloco de notas: pequeno editor de texto que só admite texto como conteúdo e gera arquivos com a extensão TXT. Wordpad: pequeno editor de texto com poucos recursos de formatação e que gera arquivos com a extensão padrão RTF. Calculadora: pequeno programa que permite a execução de operações de cálculos matemáticos. Paint: editor de figuras e gera, por padrão, arquivos com a extensão BMP.
  • 22. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 19 Componentes da janela Basicamente, todas as janelas, sejam de aplicativos, sejam documentos, possuem uma constituição comum, ou seja, possuem elementos básicos que a compõem. Assim, na figura a seguir, há uma janela com os seus elementos em destaque. 1. Barra de Menus (ALT + Letra Sublinhada) 2. Barras de Ferramentas 3. Barra de Status 4. Extensor da Barra de Ferramentas 5. Botão do menu de Controle 6. Nome do Documento 7. Nome do Aplicativo MENU DE CONTROLE (ALT + BARRA DE ESPAÇO) Existem quatro botões de controle nas janelas do Windows, todos situados na BARRA DE TÍTULOS: um, do lado esquerdo da tela, representando o programa, o aplicativo que está aberto. Os outros três, do lado direito da janela, na extremidade superior, representando os comandos Minimizar, Maximizar/Restaurar e Fechar. Botão Minimizar: recolhe o aplicativo à Barra de Tarefas, sem fechá-lo. O Botão Maximizar: faz com que a Janela Ativa ocupe todo o espaço do monitor. O Botão Restaurar: faz com que o aplicativo retorne ao tamanho que tinha antes de ser maximizado, ocupando parte do espaço do monitor, de forma que se possa ver o que está por trás da janela. O Botão Fechar: encerra o aplicativo. Fechar Restaurar Maximizar Miminizar 1- O Botão do lado esquerdo, representando o programa Títulos.
  • 23. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 20 Painel de controle O Painel de controle está repleto de ferramentas especializadas que são usadas para alterar a aparência e o comportamento do Windows. Algumas dessas ferramentas ajudarão você a ajustar as configurações que tornam o uso de seu computador mais interessante. Por exemplo, use Mouse para substituir os ponteiros de mouse padrão por ícones animados que se movem na tela ou use Sons e dispositivos de áudio para substituir sons padrão do sistema por sons de sua preferência. Outras ferramentas ajudarão você a configurar o Windows de modo que seja mais fácil utilizar o computador. Por exemplo, se você for canhoto, poderá usar Mouse para trocar os botões do mouse, a fim de que o botão da direita execute as funções básicas de selecionar e arrastar qualquer elemento. Para abrir o Painel de controle, clique em Iniciar e, em seguida, clique em Painel de controle. Ao abrir o Painel de controle pela primeira vez, você verá os itens mais usados do Painel de controle, organizados por categoria. Para localizar mais informações sobre um item do Painel de controle no modo de exibição de categoria, coloque o ponteiro do mouse sobre o ícone ou nome de categoria e leia o texto exibido. Para abrir um desses itens, clique no seu ícone ou nome de categoria. Alguns desses itens exibirão uma lista de tarefas que você pode executar, bem como uma seleção de itens individuais do Painel de controle. Por exemplo, quando você clicar em Aparência e temas, verá uma lista de tarefas como Escolha um protetor de tela juntamente com itens individuais do Painel de controle. MODO DE EXIBIÇÃO CLÁSSICO MODO DE EXIBIÇÃO POR CATEGORIA
  • 24. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 21 PRINCIPAIS ITENS DO PAINEL DE CONTROLE Ativa um assistente para instalar software para dar suporte ao hardware adicionado ao computador. A opção Adicionar ou remover programas ajuda a gerenciar programas e componentes do computador. Você pode utilizá-la para adicionar programas (como o Microsoft Excel ou Word) de um CD-ROM, disquete ou da rede, ou para adicionar atualizações do Windows e novos recursos via Internet. Essa opção também ajuda a adicionar ou remover componentes do Windows que não foram incluídos na instalação original (como os Serviços de rede). Com Atualizações Automáticas, o Windows segue uma rotina de verificação das atualizações que podem ajudar a proteger o seu computador contra os mais recentes vírus e outras ameaças à segurança. Essas atualizações de alta prioridade estão disponíveis através do site do Windows Update e incluem atualizações de segurança, atualizações críticas ou service packs. A Central de Segurança do Windows verifica o status do computador em três dados básicos de segurança listados abaixo. Se um problema for detectado em algum desses três dados essenciais (por exemplo, se o seu programa antivírus estiver desatualizado), a Central de Segurança enviará um alerta para você e fará recomendações sobre como proteger melhor o seu computador. • Firewall: o firewall ajuda a proteger o computador impedindo que usuários não autorizados obtenham acesso a uma rede ou à Internet por meio dele. Windows verifica se o computador está protegido por um firewall de software. • Software de proteção contra vírus: o software antivírus pode ajudar a proteger o computador contra vírus e outras ameaças à segurança. O Windows verifica se o computador está usando um programa antivírus completo e atualizado. • Atualizações automáticas: com Atualizações automáticas, o Windows pode verificar regularmente se há atualizações importantes mais recentes para o seu computador e pode instalá-las automaticamente. O recurso Conexões de rede fornece conectividade entre o computador e a Internet, uma rede ou um outro computador. Com ele, você pode obter acesso a recursos e funcionalidades de rede estando fisicamente situado no local da rede ou em um local remoto. As conexões são criadas, configuradas, armazenadas e monitoradas na pasta Conexões de rede. Permite atualização da data e hora do computador.
  • 25. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 22 Recurso que permite administrar computadores, serviços, outros componentes do sistema e redes como, por exemplo, configurar as diretivas de segurança local, ativar ou desativar serviços, verificar desempenho do computador, ativar log de eventos. O firewall ajuda a manter o computador mais seguro. Ele restringe as informações que chegam ao seu computador vindas de outros computadores, permitindo um maior controle sobre os dados no computador e oferecendo uma defesa contra pessoas ou programas (incluindo vírus e vermes) que tentam conectar o seu computador sem permissão. Você pode considerar um firewall como uma barreira que verifica informações (freqüentemente denominada tráfego) vindas da Internet ou de uma rede e, em seguida, joga essas informações fora ou permite que elas passem pelo computador, dependendo das configurações de firewall. Permite instalar, remover, bem como visualizar as fontes instaladas no sistema. Permite a configuração do mouse como, por exemplo, inverter a função das teclas direita e esquerda, definir velocidade do duplo clique, definir tipo de ponteiro, travar clique. É possível ajustar a aparência e o comportamento do Windows para melhorar a acessibilidade para alguns usuários com dificuldades motoras, auditivas e visuais sem precisar de software ou hardware adicional. Com este item é possível ativar o gerenciador de dispositivos que diz respeito à instalação e à atualização de driver (programas) de dispositivos como, por exemplo, driver de adaptador de rede, som, vídeo, ou outros. Você pode utilizar o Teclado no Painel de controle para alterar algumas configurações. É possível ajustar a taxa na qual um caractere é repetido quando você mantém uma tecla pressionada e o tempo de espera antes de repeti-lo. Você também pode ajustar a taxa de intermitência do ponto de inserção. No Painel de controle, a opção Sons e dispositivos de áudio permite atribuir sons a alguns eventos de sistema. Eventos de sistema referem- se, por exemplo, a um programa de computador que executa uma tarefa ou que tem problemas para executá-la, a minimização ou maximização de uma janela de programa ou a tentativa de copiar um arquivo para um disquete sem que ele esteja na unidade.
  • 26. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 23 Você pode alterar o formato que o Windows usa para exibir informações (como datas, horas, moeda e medidas) correspondentes aos padrões ou ao idioma usado no país ou na região onde você está localizado. Por exemplo, se você trabalha com documentos em francês e inglês, pode alterar o formato para francês, a fim de exibir a moeda em Euros ou as datas no formato dia/mês/ano. Você podetambém personalizar o teclado para um idioma ou formato específico ao alterar o layout do teclado. O layout controla os caracteres exibidos na tela quando você pressiona as teclas no teclado. Alguns idiomas de entrada têm diversos layouts de teclado; outros têm somente um. Por exemplo, você pode alterar o layout do teclado do formato QWERTY (inglês) para o formato Dvorak (inglês). Depois de alterar o layout, os caracteres na tela podem não corresponder aos caracteres nas teclas do teclado. Contas De Usuários O XP permite a utilização de um mesmo computador por vários usuários e, para tanto, permite que cada usuário tenha um ambiente próprio e restrito de trabalho, o que quer dizer que cada usuário terá sua própria área de trabalho, sua pasta Meus Documentos e outros recursos. Procedimentos para Menu Iniciar. 1. Painel de controle. 2. Contas de usuário. 3. Criar uma conta de usuário. 4. Digitar o nome do usuário. 5. Avançar. 6. Escolher o tipo de conta e confirmar. Alterar uma conta: permite alterar configurações como tipo de conta (conta de administrador do computador ou limitado), nome, senha ou imagem para uma das contas existentes no computador.
  • 27. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 24 PROCEDIMENTOS PARA ALTERAR UMA CONTA DE USUÁRIO 1. Menu Iniciar. 2. Painel de controle. 3. Contas de usuário. 4. Alterar uma conta. 5. Escolher a conta. 6. Efetuar a devida alteração que poderá ser: • modificar o seu nome; • criar, remover ou alterar uma senha; • alterar figura; • alterar tipo de conta (administrador ou limitada). 7. Confirmar alterações. Alterar a maneira como os usuários fazem logon ou logoff: permite a definição de como será feito o logon ou logoff neste computador, se será com a tela de “BOAS VINDAS” ou com a “TELA DE LOGON CLÁSSICA”. TIPOS DE CONTAS DE USUÁRIO: Administrador – Este tipo de conta permite: • efetuar configurações gerais no computador; • criar, alterar e remover contas de usuário; • criar, alterar e remover senha de usuário; • ativar ou desativar a conta convidado; • acessar a qualquer pasta documento de usuário, desde que não esteja bloqueada. Limitada ou restrita – Este tipo permite: • efetuar configurações que abranjam apenas a sua área de trabalho; • criar, alterar ou remover apenas a sua senha; • alterar apenas a sua figura; • acessar apenas a sua pasta documentos e a pasta de documentos compartilhados.
  • 28. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 25 IMPRESSORAS E APARELHOS DE FAX: exibe as impressoras e aparelhos de fax conectados no computador. Mediante este recurso, pode-se adicionar, compartilhar, configurar, excluir e definir um impressora como padrão. IMPRESSORA LOCAL, COMPARTILHA E PADRÃO IMPRESSORA REMOTA Esta impressora poderá estar conectada e compartilhada em outro computador IMPRESSORA LOCAL E NÃO COMPARTILHADA Propriedades de Vídeo Aqui você pode configurar vários ítens visuais do Windows XP, Vejamos os principais: Temas do Computador Temas são conjuntos de configurações visuais pré-definidas para a área de Trabalho. modificando o Tema, você modifica de uma só vez as cores, ponteiros do mouse, papel de parede, sons para eventos, ícones e etc… Você pode criar seu próprio estilo. Para isso configure o computador do seu jeito. Depois abra a janela Temas e salve a configuração atual como um novo Tema.
  • 29. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 26 Área de Trabalho Na aba área de trabalho podemos definir o plano de fundo e os ícones que aparecem na área de trabalho. Proteção de Tela é um programa decorativo com imagens em movimento que entra em ação sempre que o computador fica inativo ou seja sem tocar no teclado ou mouse. A proteção de Tela não interfere em outros programas e se auto desliga assim que o mouse ou o teclado são movidos. Aparência Na aba Aparência podemos modificar a aparência da área de trabalho do Windows. Aqui você pode alterar as cores das janelas, fontes, ícones, espaçamentos e etc… . Configurações Na aba Configurações existem dois ajustes importantes: resolução de vídeo e quantidade de cores. O monitor exibe as imagens como se fosse um mosaico que agrupa pequenos pontos que são denominados Pixels. Podemos definir quantos pixels terão as imagens exibidas na tela, quanto maior for o número de pixels, maior será área mostrada na tela. As combinações típicas são 640×480, 800×600, 1024×768, 1052×864 pixels e etc… A combinação ideal para monitores de 14 polegadas é 640×480, 15 polegadas 800×600 e para 17 polegadas 1024×768. Você pode aumentar o número de polegadas, ganhando assim mais espaço na tela, a desvantagem é que os objetos ficam menores, mais difíceis de ver e clicar. PESQUISAR – Permite a pesquisa de arquivos e pastas, computadores em uma rede de computadores, pessoas em um catálogo e qualquer assunto na Internet. Exemplo de uma pesquisa de arquivo: pode-se pesquisar no computador um determinado arquivo ou pasta sem que, necessariamente, se saiba o seu nome completo. Pode-se pesquisar um arquivo por qualquer dos seus identificadores que são os seguintes: • nome; • extensão; • data; • tamanho. Para tanto, pode-se fazer uso dos caracteres curinga: *(asterisco): substitui nenhum, um ou mais caracteres. Exemplo: *.doc (qualquer arquivo com extensão doc); ? (ponto de interrogação): substitui um caractere por vez. Exemplo: ???.doc (arquivos que possuam três caracteres no nome e que tenham a extensão doc). OUTROS ARGUMENTOS DE PESQUISA:
  • 30. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 27 Pode-se efetuar uma pesquisa apenas digitando a letra inicial ou final do arquivo e o restante preencher com asterisco (*). Exemplo: f*.doc (todos os arquivos que iniciem com a letra “f” e quaisquer caracteres após e a extensão seja doc). Exemplo: *s.xls (todos os arquivos que o seu nome finalize com a letra o “s” e com a extensão seja xls). O sistema de pesquisa do Windows XP permite a utilização dos seguintes argumentos: • pesquisa pelo nome, extensão ou parte destes; • pelo conteúdo do arquivo; • pela data de modificação, criação ou último acesso com as seguintes opções:  Não me lembro  Na semana passada  No mês passado  No ano passado  Especificar data (data inicial e final) • Pelo tamanho com as seguintes opções:  Não me lembro  Pequeno (menos de 100 KB)  Média (menos de 1MB)  Grande (mais de 1 MB)  Especificar um tamanho (pelo menos ou no máximo) Observação – Esta pesquisa poderá ser realizada em pastas do sistema, pastas ou arquivos ocultos, subpastas e em fitas de backup. A pesquisa pode ser acionada por intermédio da combinação da tecla do logotipo do Windows + F. EXECUTAR Permite a execução de programas contidos em unidades de disquetes, cds, disco rígido ou qualquer outra unidade de armazenamento localizada direta ou indiretamente ao computador. Para isso, basta digitar-se o local (unidade, pasta) onde se encontra o arquivo e o seu nome ou, se não se souber o nome correto do arquivo ou unidade onde está armazenado, clica-se no botão procurar.
  • 31. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 28 O WINDOWS EXPLORER O Windows Explorer é um programa que faz parte do Sistema Operacional Windows. Sua principal função é o gerenciamento do que se chama ”Árvore de Diretórios do Windows”. Por meio deste gerenciamento, pode-se copiar, mover, renomear, apagar arquivos e pastas armazenados em uma determinada mídia de computador. Além de se poder executar Aplicativos (programas instalados no computador). Para acioná-lo, deve-se clicar no ícone Explorer, situado no Menu Iniciar – Programas - Acessórios. No Windows XP, ele também pode ser acionado pelo clique com o botão secundário do Mouse sobre o Menu Iniciar. Nesta versão, o atalho do Explorer fica escondido, na tentativa de substituir seu uso pelo item MEU COMPUTADOR. Explorer da Versão XP Do lado esquerdo da tela, vêem-se os elementos físicos (drives A:, C e D) e lógicos (Pastas de Trabalho, Área de Trabalho, Lixeira) existentes no computador. Do lado direito da tela, vêem-se os arquivos, ícones e atalhos existentes dentro do elemento selecionado do lado esquerdo. Os símbolos +, – e a inexistência de sinal que aparecem ao lado das Pastas ou Drives na parte esquerda da tela têm representação específica. • O símbolo de – representa que o drive, ou a pasta, está com o seu conteúdo expandido. • O símbolo de + representa que o drive, ou a pasta, está com seu conteúdo comprimido. • O sinal + ou – exibido ao lado de uma pasta siguinifica que ela contém pelo menos uma pasta que é chamada de subpasta. Uma pasta, ou Drive, pode ser selecionada (com um clique do botão esquerdo do mouse sobre seu nome ou símbolo) e acionada (com o segundo clique do botão esquerdo do mouse). Nas duas circunstâncias, seu conteúdo será visualizado do lado direito da janela do Explorer. No entanto, pode-se simplesmente expandir ou comprimir uma pasta ou drive, sem selecioná-lo ou acioná-lo. Para isso, deve-se clicar sobre os símbolos de + e – ao lado do seu nome.
  • 32. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 29 Veja a Janela do Explorer durante a exploração de uma pasta ou Drive: 1 .Barra de menu 4. Árvore de pastas e unidades 2. Barra de ferramentas 5. Painel conteúdo 3. Barra de endereço 6. Barra de Status Com relação aos objetos exibidos no painel de pastas e unidades que representam unidades de armazenamentos, devem-se observar as suas funções: 1. Unidade de Disquete 2. Unidades de disco rígido - HD 3. Unidade de CD 4. Unidades Mapeadas de Rede
  • 33. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 30 A ÁREA DE TRANSFERÊNCIA USO DOS COMANDOS DE EDIÇÃO COPIAR, COLAR E RECORTAR A área de transferência é um espaço reservado pelo sistema operacional na memória principal do computador (memória RAM), utilizada para armazenar temporariamente informações enviadas por uma operação de cópia ou recorte. A cópia de arquivos e de pastas de um lugar para outro, bem como o movimento de mover esses elementos, é realizada pelo Explorer por meio de sete diferentes possibilidades, quatro delas passando pela Área de Transferência do Windows e três que não utilizam essa área especial. Comandos que passam pela ÁREA de TRANSFERÊNCIA: Voltar ou ALT+ <= Avançar ou ALT+ => Acima ou Backspace <= Alterna entre exibir pastas ou barra de atalho para tarefas Pastas Modos de exibição Excluir ou delete Desfazer ou CTRL+Z Recortar ou CTRL+X Copiar ou CTRL+C Colar ou CTRL+V
  • 34. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 31 COMANDOS QUE NÃO PASSAM PELA ÁREA DE TRANSFERÊNCIA: 1. ARRASTO SIMPLES DO MOUSE (clica, segura e arrasta): De um drive p/ ele mesmo C C = MOVE De um drive p/ outro qualquer C A = COPIA 2. ARRASTO COMBINADO (pressiona a tecla, clica segura e arrasta): CTRL = COPIA SHIFT = MOVE 3. ARRASTO ESPECIAL (arrasto feito com o Botão Direito do Mouse): Clica com o botão direito do mouse sobre o elemento de origem e arrasta para o destino. Ao soltar o botão aparecerá um menu, selecione a opção desejada ou cancele o comando: Todas as funções citadas acima podem ser executadas também por intermédio do item Meu Computador (encontrado no Desktop do Windows ou no Menu Iniciar). OPERAÇÕES COM PASTAS E ARQUIVOS ARQUIVOS: toda informação gerada por meio de um programa ou aplicativo, para ser utilizada futuramente, deverá ser armazenada sob a forma de arquivo. PASTAS: forma usual de organizar-se espaços reservados dentro de unidades de armazenamentos. Pode-se criar pasta dentro de outra pasta, as quais são chamadas de subpastas. Para se atribuir nome a arquivos, dever-se-ão observar algumas regras: O nome de arquivos ou pastas poderá ter até 255 caracteres. O nome de arquivo possui duas partes separadas por: Nome extensão O nome será atribuído pelo usuário e a extensão será adicionada pelo aplicativo. O nome lembra ao usuário o conteúdo do arquivo e a extensão identifica o tipo de arquivo. Caracteres não permitidos no nome de arquivo: / < : > “|” ? *
  • 35. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 32 CRIANDO PASTAS Como já se mencionou anteriormente, as pastas servem para organizar o disco rígido. Para se conseguir esta organização, é necessário criarem-se mais pastas e até mesmo subpastas delas. Para criar uma pasta, siga estes passos: 1. Abra a pasta ou unidade de disco que deverá conter a nova pasta que será criada. 2. Clique no menu Arquivo. 3. Posicione o ponteiro do mouse na opção Novo. 4. Clique em Pasta. 5. Aparecerá na tela uma Nova Pasta selecionada para que você digite um nome. 6. Digite o nome e tecle ENTER 7. Pronto! A Pasta está criada. SELEÇÃO DE PASTAS E ARQUIVOS Antes de se aprender a selecionar, aprender-se-á como se deslocar entre os painéis esquerdo e direito do Windows Explorer e entre seus objetos (pastas/arquivos). TAB: Avança para o próximo painel. SHIFT+TAB: Retrocede ao painel anterior. SETAS PARA CIMA OU PARA BAIXO: navegar, seqüencialmente, entre as unidades, pastas e subpastas no painel esquerdo ou entre as subpastas e arquivos no painel conteúdo. SETA PARA DIREITA (=>): exibe, no painel esquerdo, as subpastas da pasta ativa. SETA PARA ESQUERDA (<=): oculta, no painel esquerdo, as subpastas da pasta ativa. OBSERVAÇÃO – Não esqueça que as pastas e subpastas, no painel esquerdo, que contiverem subpastas terão, a sua esquerda, o sinal de mais (+). OBJETO: pode ser uma pasta ou arquivo. SELEÇÃO DE UM OBJETO Com o teclado: basta acessar o painel conteúdo (direito) e, com a seta para cima ou para baixo, levar até o objeto desejado. Com o mouse: apenas clicar sobre o objeto desejado.
  • 36. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 33 SELEÇÃO DE OBJETOS CONTÍNUOS Com o teclado: após acessar o painel conteúdo (direito), mover com a seta para cima ou para baixo até o primeiro objeto desejado e, com a tecla SHIFT pressionada, mover até o próximo objeto desejado. Com o mouse: posicionar o mouse sobre o primeiro objeto desejado e arrastar até o último objeto desejado, ou clicar sobre o primeiro objeto desejado e, com a tecla SHIFT pressionada, clicar sobre o último objeto desejado. SELEÇÃO DE OBJETOS NÃO CONTÍNUOS Com o teclado: acessar o painel conteúdo (direito), mover com a seta para cima ou para baixo até o primeiro objeto desejado e, mantendo a tecla CTRL pressionada, marcar ou desmarcar o objeto desejado com a barra espaçadora, e assim consecutivamente até selecionar todos os objetos desejados alternadamente. Com o mouse: com a tecla CTRL pressionada, clicar para marcar ou desmarcar os objetos desejados. RENOMEANDO OBJETO (F2) Você renomeia um objeto apenas quando quer mudar o seu nome. 1. Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto. 2. Clique no Menu Arquivo. 3. Clique em Renomear. 4. Digite o Novo Nome. 5. Tecle <Enter>. Ou 1. Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto. 2. Pressione a tecla de função F2. Ou por intermédio do menu rápido sobre o objeto a ser renomeado ou painel de tarefas. DELETANDO OBJETOS O objeto só é deletado (apagado) quando não tem mais utilidade para o usuário. • Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto; • Tecle <Delete>. Ou • Posicione o ponteiro do mouse sobre o objeto; • Clique no botão da barra de ferramentas. Ou • Posicione o ponteiro sobre o objeto; • Ative o menu rápido (tecla direita do mouse); • Selecione a opção Excluir. Ou • Posicione o ponteiro sobre o objeto; • Ative a opção da barra de menu Arquivo; • Selecione a opção Excluir. Você pode excluir um objeto arrastando-o diretamente para a pasta ou ícone lixeira.
  • 37. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 34 Nota – Você pode clicar no botão para retornar à última ação, ou pressionar <CTRL + Z> se apagou um item por engano. Nota – Se você desejar excluir definitivamente um objeto de sua unidade de disco rígido, utilize uma das opções de exclusão acima e, simultaneamente, pressione a tecla SHIFT. Com esta forma de exclusão os objetos excluídos não irão para a LIXEIRA e não poderão ser restaurados pelos recursos próprios do Sistema Operacional. Lixeira do Windows A Lixeira é uma pasta especial do Windows e seu ícone se encontra na Área de Trabalho, mas pode ser acessada por meio do Windows Explorer. Se você estiver trabalhando com janelas maximizadas, não conseguirá ver a lixeira. Use o botão direito do mouse para clicar em uma área vazia da Barra de Tarefas. Em seguida, clique em Minimizar todas as Janelas. Para verificar o conteúdo da lixeira, dê um clique sobre o ícone e surgirá a seguinte figura: Atenção para o fato de que, se a janela da lixeira estiver com a aparência diferente da figura ao lado, provavelmente o ícone Pasta está ativo. Apagar-se-á um arquivo para poder comprovar que o mesmo será colocado na lixeira. Para tanto, crie um arquivo de texto vazio com o bloco de notas e salve-o em Meus documentos, logo após, abra a pasta, e selecione o arquivo recém criado e, então, pressione a tecla DELETE. Surgirá uma caixa de dialogo como a figura a seguir: Clique em SIM e, então, o arquivo será enviado para Lixeira. ESVAZIANDO A LIXEIRA Ao Esvaziar a Lixeira, você está excluindo definitivamente os arquivos do seu disco rígido, os quais não poderão mais ser mais recuperados pelos recursos próprios do Windows. Então, esvazie a Lixeira somente quando tiver certeza de que não precisa mais dos arquivos ali encontrados.
  • 38. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 35 1. Abra a Lixeira. 2. No menu ARQUIVO, clique em Esvaziar Lixeira. Nota – Você pode também esvaziar a Lixeira sem precisar abri-la. Para tanto, basta clicar com o botão DIREITO do mouse sobre o ícone da Lixeira e selecionar no menu de contexto a opção Esvaziar Lixeira. Esvaziando a Lixeira Atenção aos seguintes detalhes:  Clique sobre o arquivo ou pasta apagado e em seguida sobre “restaurar” do Menu Arquivo e ele será recuperado ao local de origem.  Clique sobre esvaziar e todo o conteúdo será apagado, não mais podendo ser recuperado pelo do Windows.  O conteúdo de drivers externos (disquete, CD, unidade de Zip Drive) NÃO passam pela lixeira.  Cada Winchester do computador tem a sua unidade de lixeira independente das outras.  A lixeira da caixa postal (de e-mail) é separada da lixeira do Windows. PROPRIEDADES DA LIXEIRA Para se configurar as Propriedades da Lixeira, deve-se executar um dos os seguintes procedimentos: 1. Posicionar o ponteiro do mouse sobre o ícone Lixeira. 2. Ativar o menu rápido (tecla direita do mouse). 3. Ativar ou desativar as opções de propriedades de acordo com objetivo. Ou No Windows Explorer, com a pasta lixeira selecionada, ativar a opção Propriedades do menu Arquivo e, ativar ou desativar as opções de propriedades de acordo com nosso objetivo. Nota – Para se ativar uma propriedade, basta clicar sobre a caixa de verificação ao lado esquerdo da opção para que ela fique marcada. Para desativá-la, basta desmarcar com apenas um clique sobre a opção. Configurar unidades independentemente – Permite a configuração das propriedades da lixeira exclusiva para cada unidade. IMPORTANTE As operações possíveis com objetos dentro da lixeira são as seguintes: RESTAURAR  devolve o objeto para o local de onde foi excluído. EXCLUIR  exclui da lixeira. RECORTAR permite colar em outro local. PROPRIEDADES  exibe as características do objeto como nome, tipo de objeto, local de onde foi excluído, data da exclusão, entre outros.
  • 39. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 36 Usar a mesma configuração para todas as unidades – Permite efetuar uma única configuração que será aplicada a todas as unidades. Não mover os arquivos para a lixeira. Remover os arquivos imediatamente quando forem excluídos – Exclui definitivamente os arquivos sem enviá-los para a lixeira. Desta forma não poderá ser efetuada a recuperação dos arquivos pelos recursos próprios do sistema operacional. Exibir a caixa de diálogo de confirmação de exclusão – Quando ativada exibirá a caixa solicitando a confirmação de exclusão ou envio para a lixeira. Quando desativa não siguinifica que os arquivos não serão excluídos ou enviados para a lixeira, apenas a caixa de confirmação não será exibida. CONDIÇÕES DE EXCLUSÃO DEFINITIVA DE PASTAS OU ARQUIVOS DO HD 1.Qualquer forma de exclusão mais a tecla SHIFT; 2. Excluir da lixeira ou Esvaziar a lixeira; 3. Propriedade não mover arquivo para a lixeira ativada; 4. Propriedade Tamanho Máximo da lixeira com 0% do HD.
  • 40. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 37 FERRAMENTAS DO SISTEMA O Windows XP trás consigo uma série de programas que ajudam a manter o sistema em bom funcionamento. Esses programas são chamados de Ferramentas do Sistema. Pode-se acessá-las da seguinte forma: 1 – Duplo clique no ícone Meu Computador que está localizado na Área de Trabalho. 2 - Clique com o botão direito do mouse sobre a unidade de disco a ser verificada, no caso C:, 3 - No menu de contexto, selecione a opção Propriedades. Na janela de Propriedades do Disco, clique na guia Ferramentas. Nesta janela, há as seguintes opções: Verificação de erros – Ferramenta que procura no disco erros, defeitos ou arquivos danificados. Recomenda-se fazer ao menos uma vez por semana. Desfragmentação – Quando o Windows grava um arquivo no Disco, ele o grava em partes separadas, quando precisar abrir esse mesmo arquivo, o próprio Windows levará mais tempo, pois precisa procurar por todo o disco. Usando esta ferramenta, ele ajusta o disco e torna o computador até 20% mais rápido. Recomenda-se fazer todo mês. Backup – Ferramenta que cria uma cópia dos seus arquivos ou de todo o sistema, para o caso de algum problema nada seja perdido. Recomenda-se fazer ao menos uma vez por mês. OUTRAS FERRAMENTAS DO SISTEMA O Windows XP possui outras ferramentas de sistemas que são muito úteis ao usuário. Para acessar as ferramentas de sistemas pode-se fazê-lo também por meio do seguinte caminho:
  • 41. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 38 1. Clicar no Menu Iniciar. 2. Todos os Programas. 3. Acessórios. 4. Ferramentas do Sistema. Assistente para Transferência de arquivos e configurações... Migra arquivos e configurações de um computador para outro. Exibe informações do sistema como, por exemplo, resumo da configuração básica do computador: versão do sistema operacional, modelo do processador, quantidade de memória física (RAM), entre outros. Limpeza de disco Permite que você remova os arquivos desnecessários do disco. Mapa de caracteres Seleciona caracteres especiais e os carrega para o documento. Restauração do sistema Além da ferramenta Backup, estudada no capitulo anterior, o Windows XP apresenta uma ferramenta mais avançada e simples que protege o sistema contra erros e falhas, esta ferramenta encontra-se em Acessórios / Ferramentas do sistema . Você pode usar a restauração do sistema para desfazer alterações feitas no computador e restaurar configurações e o desempenho. A restauração do sistema retorna o computador a uma etapa anterior (ponto de restauração ou verificação) sem que você perca trabalhos recentes, como documentos salvos, e-mail ou listas de histórico e de favoritos da Internet. As alterações feitas pela restauração do sistema são totalmente reversíveis. O Computador cria automaticamente pontos de verificação, mas você também pode usar a restauração do sistema para criar seus próprios pontos de restauração. Isso é útil se você estiver prestes a fazer uma alteração importante no sistema, como a instalação de um novo programa ou alterações no registro. Ponto de verificação é criado automaticamente pelo sistema e ponto de restauração é criado pelo usuário quando este necessitar. Informações do sistema
  • 42. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 39 TAREFAS AGENDADAS Utilizado para agendar a execução automática de tarefas (programas) do computador. Este agendamento poderá ser, por exemplo, ao fazer logon, uma única vez, diariamente, semanalmente ou mensalmente.
  • 43. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 40 BROFFICE WRITER 3.1 O BrOffice.org Writer é um poderoso processador de textos, muito parecido com o Microsoft Word, sendo integrante do pacote de aplicativos para escritório BrOffice.org 3.1. Ele permite a criação, edição e manipulação de diversos tipos de textos, permite também o uso de figuras, planilhas e gráficos do BrOffice.org Calc, que é muito semelhante ao Microsoft Excel, e pode ainda preparar textos para serem usados no BrOffice.org Impress, ferramenta muito semelhante ao Microsoft PowerPoint, também integrante da família BrOffice.org Janela Principal do BROffice Writer 3.1
  • 44. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 41 BOTÕES DAS BARRAS DE FERRAMENTAS PADRÃO E FORMATAÇÃO DO WRITER BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO NOVO Cria um novo documento do Writer obs: ao clicar na seta ao lado é possível criar um novo documento de outras aplicações do BrOffice CTRL+N MENU ARQUIVO - NOVO ABRIR Abri um documento do Writer ou um documento com formato reconhecido pelo Obs: a partir de qualquer aplicativo do BrOffice é possível abrir arquivos com formato compatível que o BrOffice ativa o seu aplicativo correspondente. Ex. de dentro do Writer é possível abrir um arquivo com a extensão XLS que o BrOffice ativará o CAL para editá-lo. CTRL+O MENU ARQUIVO - ABRIR SALVAR Salva um documento com o padrão ODT ou outro formato disponível escolhido pelo usuário. Ex: .DOC, .OTT CTRL+S MENU ARQUIVO – SALVAR OU SALVAR COMO EMAIL Envia um email com o documento ativo anexado. MENU ARQUIVO - ENVIAR EDITAR ARQUIVO Quando acionado alterna o arquivo atual o exibindo somente como leitura e vice-versa EXPORTAR DIRETAMENTE COMO PDF Exporta o documento como PDF sem apresentar opções. MENU ARQUIVO – EXPORTAR COMO PDF IMPRIMIR ARQUIVO DIRETAMENTE Envia o documento diretamente para a impressora padrão. CTRL+P Essa combinação de teclas ativa a caixa de diálogo do comando IMPRIMIR MENU ARQUIVO - IMPRIMIR VISUALIZAR PÁGINA Exibe uma prévia de como ficará o documento quando impresso. MENU ARQUIVO – VISUALIZAR PÁGINA ORTOGRAFIA E GRAMÁTICA F7 MENU FERRAMENTAS – ORTOGRAFIA E GRAMÁTICA AUTOVERIFICAÇÃO ORTOGRÁFICA Quando ativado sublinha com ondulado vermelho as palavras com possível erro ortográfico.
  • 45. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 42 BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO CORTAR CTRL+X MENU EDITAR - CORTAR COPIAR CTRL+C MENU EDITAR - COPIAR COLAR CTRL+V MENU EDITAR - COLAR PINCEL DE ESTILO Copia e cola recursos de formatação de caracteres e parágrafos. DESFAZER Desfaz ações anteriores mesmo depois do documento já salvo. Desativa só após fechar documento. CTRL+Z MENU EDITAR - DESFAZER REFAZER Refaz ações desfeitas. Continua ativo após o salvamento do documento, porém após fechar o documento o recurso é desativado. CTRL+Y MENU EDITAR - REFAZER HIPERLINK Insere um link dentro do documento que permite acesso a email, site ou outro documento. MENU INSERIR - HIPERLINK TABELA Insere uma tabela com o número de colunas e linhas definidos pelo usuário CTRL+F12 MENU INSERIR TABELA MOSTRAR FUNÇÃO DESENHO Mostra ou oculta a barra de ferramentas desenho. MENU EXIBIR – BARRAS DE FERRAMENTAS - DESENHO LOCALIZAR E SUBSTITUIR Localiza e substitui palavras, textos, caracteres, formatos. CTRL+F MENU EDITAR – LOCALIZAR E SUBSTITUIR NAVEGADOR Permite o acesso dentro de um documento a objetos, seções, tabelas, hiperlink,referências, índices, notas. F5 MENU EXIBIR - NAVEGADOR GALERIA Exibe uma série de opções que podem ser inseridas em um documento. MENU FERRAMENTAS - GALERIA
  • 46. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 43 BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO ZOOM Amplia ou reduz o tamanho das fontes e demais informações exibidas em documento. MENU EXIBIR – ZOOM OU NA BARRA DE STATUS. ESTILOS E FORMATAÇÃO Permite criar ou acessar a estilos de parágrafos, caracteres, quadros, páginas ou listas. F11 MENU FORMATAR – ESTILOS E FORMATAÇÃO ESTILOS E FORMATAÇÃO Permite o acesso a estilos já criados. F11 MENU FORMATAR – ESTILOS E FORMATAÇ NOME DA FONTE Permite o acesso a tipos de fontes. MENU FORMATAR - CARACTERES TAMANHO DA FONTE Permite escolher um tamanho de fonte que pode ser aplicado a uma palavra ou texto selecionado. MENU FORMATAR - CARACTERES NEGRITO Aplica negrito à palavra ativa ou ao texto selecionado. CTRL+B MENU FORMATAR - CARACTERE ITÁLICO Aplica itálico à palavra ativa ou ao texto selecionado. CTRL+I MENU FORMATAR – CARACTERE SUBLINHADO Aplica sublinhado à palavra ativa ou ao texto selecionado. CTRL+U MENU FORMATAR - CARACTERE ALINHAR À ESQUERDA Alinha à esquerda parágrafo ativo ou parágrafos selecionados. CTRL+L MENU FORMATAR - PARÁGRAFO CENTRALIZADO Centraliza o parágrafo ativo ou os parágrafos selecionados. CTRL+E MENU FORMATAR - PARÁGRAFO ALINHAR À DIREITA Alinha à direita o parágrafo ativo ou os parágrafos selecionados. CTRL+R MENU FORMATAR - PARÁGRAFO JUSTIFICADO Justifica o parágrafo ativo ou os parágrafos selecionados. CTRL+ J MENU FORMATAR - PARÁGRAFO
  • 47. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 44 BOTÃO FUNÇÃO TECLAS DE ATALHO ATIVAR OU DESATIVAR NUMERAÇÃO Ativa ou desativa numeração ao parágrafo ativo ou parágrafos selecionados. MENU FORMATAR – MARCADORES E NUMERAÇÃO ATIVAR OU DESATIVAR MARCADORES Ativa ou desativa marcadores ao parágrafo ativo ou parágrafos selecionados. MENU FORMATAR – MARCADORES E NUMERAÇÃO DIMINUIR RECUO Reduz o espaço entre o parágrafo em relação a margem esquerda. MENU FORMATAR – PARÁGRAFO – RECUOS E ESPAÇAMENTO. AUMENTAR RECUO Aumenta o afastamento do parágrafo em relação a margem esquerda. MENU FORMATAR – PARÁGRAFO – RECUOS E ESPAÇAMENTO. COR DA FONTE Permite aplicar uma cor a palavra ativa ou ao texto selecionado. MENU FORMATAR – CARACTERES – EFEITOS DE FONTE REALÇAR Permite aplicar uma espécie de marca texto ao texto selecionado. COR DO PLANO DE FUNDO Aplica cor de fundo ao texto. MENU FORMATAR – CARACTERES – PALNO DE FUNDO
  • 48. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 45 FORMATAÇÃO DE CARACTERE No menu Formatar/Caractere, encontram-se comandos para formatar a letra a ser utilizada no documento. As alterações são aplicadas à seleção atual, à palavra inteira que contém o cursor ou ao novo texto digitado. A caixa de diálogo Caractere possui 5 guias:  Guia Fonte: o Fonte: Insira o nome de uma fonte instalada que você deseja utilizar ou selecione uma fonte da lista. o Tipo de fonte: Selecione a formatação que deseja aplicar. o Tamanho: Insira ou selecione o tamanho de fonte que você deseja aplicar. o Idioma: Define o idioma que o verificador ortográfico usará para o texto selecionado ou digitado. Os módulos de idiomas disponíveis possuem uma marca de seleção ao lado deles.  Efeitos da fonte: Sublinhando Selecione o estilo de sublinhado que deseja aplicar. Para aplicar o sublinhado somente às palavras, marque a caixa Palavras individuais. Cor Selecione a cor para o sublinhado. Efeitos Efeitos que estão disponíveis: • (SEM) - nenhum efeito é aplicado • Maiúsculas - altera os caracteres selecionados em minúsculas para caracteres em maiúsculas • Minúsculas - muda os caracteres maiúsculos selecionados para caracteres minúsculos • Título - altera o primeiro caractere de cada palavra selecionada para um caractere maiúsculo • Caixa Alta (Versalete) - altera os caracteres selecionados em minúsculas para caracteres em maiúsculas e, em seguida, reduz seus tamanhos
  • 49. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 46 Tachado Selecione um estilo de tachado para o texto selecionado. Palavras individuais Aplica o efeito selecionado somente a palavras e ignora os espaços. Contornos Exibe o contorno dos caracteres selecionados. Esse efeito não funcionará com todas as fontes. Sombras Adiciona uma sombra que aparece embaixo e à direita dos caracteres selecionados. Intermitente Faz com que os caracteres selecionados pisquem. Não é possível alterar a frequência de intermitência. Oculto Oculta os caracteres selecionados. Para exibir o texto oculto, certifique-se de que a caixa Ativar/Desativar caracteres não imprimíveis esteja selecionada no menu Exibir. Relevo Selecione um efeito de relevo para aplicar ao texto selecionado. O efeito de alto relevo faz com que os caracteres pareçam estar acima da página. O efeito de baixo relevo faz com que os caracteres pareçam estar pressionados para dentro da página. Cor da fonte Define a cor do texto selecionado. Se você selecionar Automático, a cor do texto será definida como preta para planos de fundo claros e como branca para planos de fundo escuros. • Para alterar a cor de uma seleção de texto, escolha o texto a ser alterado e clique no ícone Cor da fonte. Para aplicar outra cor, clique na seta ao lado do ícone Cor da fonte e selecione a cor que deseja usar. • Se você clicar no ícone Cor da fonte antes de selecionar o texto, o cursor com formato de lata de tinta aparecerá. Para alterar a cor do texto, selecione-o usando o cursor com esse formato. Para mudar a cor de uma única palavra, clique duas vezes nela. Para aplicar outra cor, clique na seta ao lado do ícone Cor da fonte e selecione a cor que deseja usar. • Para desfazer a última alteração, clique com o botão direito do mouse. • Para sair do modo de lata de tinta, dê um clique ou pressione a tecla Esc. para configurar sublinhados, rasurados, cor, efeitos e relevos;
  • 50. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 47  Posição: Permite aplicar o sobrescrito, subscrito, rotação, escalonamento e afastamento;  Hyperlink: Atribui um novo hyperlink ou edita o hyperlink selecionado. Um hyperlink é um vínculo para um arquivo localizado na Internet ou em seu sistema local. Você também pode atribuir ou editar uma âncora HTML nomeada ou um Marcador que faça referência a um local específico em um documento.  Plano de fundo: aplica cor na área pertencente ao espaço da letra ou texto selecionado. Formatando parágrafos A formatação de PARÁGRAFOS também é feita pelo MENU FORMATAR e inclui, além dos recursos para melhorara a aparência do seu texto. A caixa de diálogo Parágrafo 0s recursos completos para formatar parágrafos são acessados pelo menu Formatar/Parágrafo. Recuo Especifique o espaço a deixar entre as margens esquerda e direita da página e o parágrafo. Antes do texto Insira quanto você deseja recuar o parágrafo em relação à margem da página. Caso deseje que o parágrafo se estenda até a margem da página, insira um número negativo. Depois do texto Insira quanto recuar o parágrafo em relação à margem da página. Caso deseje que o parágrafo se estenda à margem da página, insira um número negativo.
  • 51. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 48 Primeira linha Recua a primeira linha de um parágrafo conforme o valor inserido. Para criar um deslocamento de recuo, insira um valor positivo para "Antes do texto" e um valor negativo para "Primeira linha". Automático Recua automaticamente um parágrafo de acordo com o tamanho da fonte e o espaçamento da linha. A configuração na caixa Primeira linha será ignorada. Espaçamento Especifique quanto espaço deixar entre os parágrafos selecionados. Antes do parágrafo Insira a quantidade de espaço que você deseja deixar antes do(s) parágrafo(s) selecionado(s). Depois do parágrafo Insira a quantidade de espaço que você deseja deixar antes do(s) parágrafo(s) selecionado(s). Espaçamento de linhas Especifique a quantidade de espaço a ser deixada entre linhas de texto em um parágrafo. Simples Aplica espaçamento de linhas simples ao parágrafo atual. Esta é a configuração padrão. 1,5 linhas Define o espaçamento de linha como 1,5 linhas. Duplo Define o espaçamento de linha como duas linhas. Proporcional Selecione esta opção e, em seguida, insira um valor de porcentagem na caixa, onde 100% corresponde a espaçamento de linhas simples. Pelo menos Define como espaçamento de linhas mínimo o valor inserido na caixa. Entrelinhas Define a altura do espaço vertical inserido entre duas linhas. Fixo Define o espaçamento de linhas de forma que corresponda exatamente ao valor inserido na caixa. Isso pode resultar em caracteres recortados. Registro de conformidade Ativar Alinha a linha base de cada linha de texto a uma grade de documento vertical, de modo que todas as linhas fiquem com a mesma altura. Para utilizar este recurso, ative primeiro a opção Registro de conformidade para o estilo de página atual. Para fazer isso, escolha Formatar - Página, clique na guia Página e, em seguida, selecione a caixa Registro de conformidade na área Configurações de layout. Alinhamento
  • 52. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 49 Define o alinhamento do parágrafo em relação as margens (limites) da área para texto. As opções de alinhamento são: • Esquerda; • Direita; • Centro; e • Justificado. No caso de parágrafo justificado, caso a última linha seja constituída por uma só palavra, esta poderá ser expandida para ocupar toda a linha. Para que isso ocorra, marque a opção Expandir palavra Única. Alinhando rápido A formatação mais comum para parágrafos é relativa ao alinhamento em relação as áreas delimitadas para conter o texto. As opções disponíveis de alinhamento estão apresentadas na barra de funções e são: Alinhar a Esquerda, Centralizar, Alinhar a direita e Justificar. Para aplicar um desses formatos, mantenha o cursor no parágrafo desejado e clique no botão de alinhamento. TABULAÇÕES Define a posição de uma parada de tabulação em um parágrafo. Se desejar, você também pode usar a régua para definir as posições de tabulação. Posição Selecione um tipo de parada de tabulação, insira uma nova medida e, em seguida, clique em Novo. Se desejar, você também pode especificar as unidades de medida a serem utilizadas para a tabulação (cm para centímetro ou " para polegadas). As tabulações existentes à esquerda da primeira tabulação definida serão removidas. Tipo Selecione o tipo de parada de tabulação que você deseja modificar.
  • 53. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 50 Esquerda Alinha a borda esquerda do texto à parada de tabulação e estende o texto para a direita. Direita Alinha a margem direita do texto à parada de tabulação e estende o texto para a esquerda da parada. Centro Alinha o centro do texto à parada de tabulação. Decimal Alinha a vírgula decimal de um número no centro da parada de tabulação e o texto à esquerda da tabulação. O caractere que é utilizado como separador decimal varia em função das configurações regionais do sistema operacional. Caractere Insira um caractere que a tabulação decimal utilizará como separador decimal. Caractere de preenchimento Especifique os caracteres a serem usados como guias à esquerda da parada de tabulação. Nenhum Não insere caracteres de preenchimento, ou remove os existentes à esquerda da parada de tabulação. ....... Preenche com pontos o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação. ------ Preenche com traços o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação. ______ Desenha uma linha para preencher o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação. Caractere Permite especificar um caractere para preencher o espaço vazio à esquerda da parada de tabulação. Novo Adiciona a nova parada de tabulação que você definiu para o parágrafo atual. Limpar tudo Remove todas as paradas de tabulação definidas por você em Posição. Define paradas de tabulação para a Esquerda a intervalos regulares como paradas de tabulação padrão. Excluir Exclui o(s) elemento(s) selecionado(s) sem solicitar uma confirmação.
  • 54. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 51 Tabelas no BrOffice Writer Dentro do Menu Tabelas do BrOffice, ou usando o botão , pode-se começar a criação de tabelas no Writer: Uma tabela terá células, no princípio, sempre do mesmo tamanho, e ocupará o limite máximo dos recuos direito e esquerdo: Esta característica pode ser alterada, através do ajuste de colunas ou de linhas, para isso, posicione o cursor sobre a linha que separa as células e arraste para a posição desejada. A partir de uma tabela simples, podemos criar tabelas bem mais complexas. Usando o Menu Tabela, pode-se incluir ou excluir linhas e colunas (selecione-as antes), dividir ou mesclar (unir) células, converter texto em tabela ou tabela em texto, inserir fórmulas, ou formatar aspecto, bordas, sombreamento ou conteúdo das células de uma tabela.
  • 55. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 52 • Inserir: Tabela, linhas ou colunas – pode-se escolher quantas unidades serão inseridas antes ou depois do elemento selecionado:  Excluir: Tabelas, linhas ou colunas  Selecionar: seleciona toda a tabela, célula, linhas ou colunas onde estiver posicionado o cursor (comando inútil para quem usa o mouse, mas muito útil para deficientes visuais).  Mesclar células: une duas ou mais células selecionadas, transformando-as em uma única célula. Para tanto, selecione as células antes de usar o comando: Teste Digitação Observe que o texto é preservado na célula resultante, ficando em linhas diferentes: Teste Digitação  Dividir Células: Divide as células selecionadas horizontalmente ou verticalmente, deixando os dados preenchidos numa célula e a(s) nova(s) vazia(s):
  • 56. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 53 Teste Digitação  Mesclar Tabela: Une duas tabelas em uma só.Porém as tabelas deve estar grudadas, ou seja, não deve ter nenhum caracter ou linha entre as tabelas.  Dividir Tabela: Divide uma tabela em partes.  AutoFormatar: Aplica formatações pré definidas em uma tabela. Janeiro Fevereiro Março Total 1º Tri Impostos Tarifas
  • 57. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 54 Janeiro Fevereiro Março Total 1º Tri Impostos Tarifas  AutoAjustar: formata largura, altura ou distribuição de tamanhos de linhas e colunas de forma automática.  Repartição da Linha de Título: repete a linha de título quando a tabela iniciar uma página nova  Converter: converte texto em tabela ou tabela em texto  Classificar: coloca em ordem alfabética ou numérica crescente ou decrescente: Para classificar, coloque o cursos na tabela e selecione Tabela, Classificar:  Fórmulas: insere fórmulas matemáticas em uma linha ou coluna (pode-se iniciar o processo teclando “=” dentro da célula. Pode-se usar qualquer operador ou função do calc. • Propriedades da Tabela: Permite, através da janela de propriedades, ajustar características de funcionamento da tabela:
  • 58. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 55 Microsfot Excel XP (Parte integrante do pacote de aplicativos Office criado pela Microsoft): Conceitos básicos sobre o Excel Ao iniciarmos o Excel, e apenas a nível de controle interno do programa, uma pasta de trabalho inicialmente com 3 planilhas será criada. O número de planilhas na mesma pasta pode ser alterado pelo usuário, de acordo com as suas necessidades e o número total de planilhas de uma pasta está relacionado apenas aos recursos de sistema e de memória, não havendo limite formal para este número. A Janela do Excel XP Lembre-se que .xls é a terminação de domínio para o Excel dentro do Windows e que para o Windows (ou dentro do Explorer) o documento do Excel continua a ser um documento simples, com terminação .xls A BARRA DE FÓRMULAS: Sempre que olhamos para as células de uma planilha o que estamos enxergando é o resultado daquela posição dentro da planilha. Isso porque o conteúdo daquela posição (índice da coluna mais índice da linha) pode ser um string (um conjunto de caracteres numéricos ou alfabéticos) que foi digitado naquela posição ou o resultado de uma fórmula matemática. Assim, para que possamos afirmar com certeza o conteúdo de uma determinada célula dentro do Excel, é preciso que olhemos para a Barra de Fórmula, situada logo abaixo da Barra de Ferramentas Formatação. Referência de seleção (coluna x linha). Indica a célula que está atualmente selecionada Célula ativa: A1 Barra de FórmulasRótulo de colunas Painel de Opções Ajuda Barra de Planilhas Barras de Rolagens Rótulo de Linhas Barra de Status
  • 59. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 56 A Barra de Fórmula poderá assumir dois formatos: um durante a edição da célula ativa quando dois novos botões são vistos nesta Barra: No EXCEL Perceba que o campo de ENDEREÇOS transformou-se (virou) um botão, onde palavras como ABOVE, AGORA, SEN, SOMA podem aparecer. Este botão indica que o usuário está editando uma função qualquer e que, se necessário, outra função poderá ser selecionada através do extensor, presente ao lado do botão: Quando a edição é concluída, a janela volta ao formato anterior: A caixa de endereço ou nome, poderá ser usado para: Endereço da Célula Conteúdo da Célula Cancelar a Edição Inserir ou Confirmar a Edição
  • 60. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 57 Deslocamento rápido: digite o endereço da célula diretamente dentro do campo e tecle ENTER. Nomear Intervalo: Selecione a célula que será nomeada, clique sobre o campo de endereço e digite um nome para a célula; valide teclando ENTER: Um intervalo nomeado poderá ser usado dentro de uma fórmula ou função, para indicar referência onde o valor deverá ser buscado. Veja exemplo na janela a seguir: Veja na janela ao lado que o RESULTADO da célula B10 é 31,42, seu CONTEÚDO é =MÉDIA(B2:B8) e que seu NOME é MED_IDADE O resultado da célula D10 foi obtido pela seguinte fórmula: =SE(MED_IDADE<18;"ADOLESCENTES";"JOVE NS") Já na célula D11 a fórmula era: =SE(B10<18;"ADOLESCENTES";"JOVENS") Editando Células: 1 – Clique sobre a célula e comece a digitar (veja que ao clicar sobre o primeiro caracter a barras de fórmulas entra no modo de edição – como descrito na seção anterior). 2 – Dê um duplo clique sobre a célula – a barra de fórmulas entra no modo de edição – e digite os valores 3 – Selecione a célula. Clique, em seguida, no campo de conteúdo da Barra de fórmulas (esta entra no modo de edição – digite, então, os valores). 2 – Selecione o Campo de Endereço e digite o nome – Tecle ENTER para validar
  • 61. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 58 SELECIONANDO UM CONJUNTO DE CÉLULAS A seleção de conteúdos pode ser feita da mesma forma que fazemos no Word: • Usando o arrasto do mouse: clique sobre a primeira célula, segure e arraste até a última. • Usando o mouse associado às teclas de seleção Shift (para seleção contínua de células) e Ctrl (para seleção de células alternadas). • Através do teclado: posicione o cursor na primeira célula da seleção, pressione o botão shift e desloque-se usando as teclas de movimentação do teclado. Solte a tecla shift quando a seleção estiver completa. • Seleção de linhas e colunas repete o padrão de seleção de tabelas do Word. Uma seleção de células dentro do Excel obedece a alguns conceitos importantes para provas de concurso: • Sempre que uma seleção de células contínuas é feita, estamos selecionando uma REGIÃO da Planilha. • Se a seleção é de células alternadas várias regiões estão selecionadas. Assim podemos afirmar a respeito de uma REGIÃO de uma planilha: • É uma seleção CONTÍNUA de células • É uma seleção em formato RETANGULAR • É uma seleção de Células ADJACENTES CRIANDO UMA PASTA NOVA DENTRO DO EXCEL É preciso lembrar sempre de diferenciar a palavra planilha da palavra pasta ou documento dentro do Excel. LEMBRE-SE: Um documento do Excel é uma pasta de trabalho que contém dentro dela (inicialmente) três planilhas. Podemos apagar duas, deixando – no mínimo UMA planilha. Ou podemos acrescentar planilhas, até o limite dos recursos do sistema, não havendo um valor definido para isso (ver quadro na página inicial. Assim:  Para criar uma pasta de trabalho nova (em branco), clique no botão Novo da Barra de Ferramentas ou no Menu Arquivo – Novo.  Já para criar uma nova planilha dentro de uma pasta já existente clique em Inserir Planilha, ou clique sobre uma planilha já existente, na Barra de Deslocamento entre planilhas, e selecione Mover ou copiar....
  • 62. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 59 Para copiar – marque “Criar uma cópia” escolhendo, primeiro, a posição onde esta será feita. No WORD Escolha a posição (Antes de ...) Marque a opção CRIAR UMA CÓPIA Clique em OK INTRODUÇÃO DE UMA FÓRMULA NA PLANILHA: Ao olharmos para uma planilha, o que vemos sobre as células são RESULTADOS, que podem ser obtidos a partir dos CONTEÚDOS que são efetivamente digitados nas células. Quer dizer, o conteúdo pode ou NÃO ser igual ao resultado que está sendo visto. Os conteúdos podem ser de três tipos: • Strings (numéricos, alfabéticos ou alfa-numéricos) • Fórmulas matemáticas • Funções matemáticas
  • 63. INFORMÁTICA 2011 – BANCO DO BRASIL Página 60 Fórmulas Fórmulas são equações que executam cálculos sobre valores na planilha. Uma fórmula inicia com um sinal de igual (=). Por exemplo, a fórmula a seguir multiplica 2 por 3 e depois adiciona 5 ao resultado. =5+2*3 Uma fórmula também pode conter um ou todos os seguintes elementos: funções, referências, operadores e constantes. Partes de uma fórmula Funções: a função PI() retorna o valor de pi: 3.142... Referências: A2 retorna o valor na célula A2. Constantes: números ou valores de texto inseridos diretamente em uma fórmula como, por exemplo, o 2. Operadores: o operador ^ (acento circunflexo) eleva um número a uma potência e o operador * (asterisco) multiplica. Usando constantes em fórmulas Uma constante é um valor não calculado. Por exemplo, a data 09/10/2008, o número 210 e o texto "Receitas trimestrais" são todos constantes. Uma expressão, ou um valor resultante de uma expressão, não é uma constante. Se você usar valores de constantes na fórmula em vez de referências a células (por exemplo, =30+70+110), o resultado se alterará apenas se você próprio modificar a fórmula. Usando operadores de cálculo em fórmulas Os operadores especificam o tipo de cálculo que você deseja efetuar nos elementos de uma fórmula. Há uma ordem padrão segundo a qual os cálculos ocorrem, mas você pode mudar essa ordem utilizando parênteses. Tipos de operadores Há quatro diferentes tipos de operadores de cálculo: aritmético, de comparação, de concatenação de texto e de referência. Operadores aritméticos Para efetuar operações matemáticas básicas, como adição, subtração ou multiplicação, combinar números e produzir resultados numéricos, use estes operadores aritméticos.