Surgido na Alemanha nos anos 1980, o “ black bloc” é considerado por muitos
como um conjunto ideológico anarquista, uma sé...
“ Embora os sites de redes sociais atuem como
suporte para as interações que constituirão as redes
sociais, eles não são, ...
As redes sociais foram fundamentais para fortalecer a ligação entre
os grupos com ideologias que extrapolam os limites geo...
Quem são os atores desta
rede?
Coletivo formado por indivíduos, ou simpatizantes, que se unem para
apoiar uma determinada ação ou plano tático de manifes...
Que laços sociais unem
esta rede?
Algumas pessoas têm a falsa impressão de que existe a “ Organização Black
Bloc” . Não existe uma organização fixa do Black...
Alguns eventos importantes fazem parte da trajetória deste grupo que possui
clusters no mundo inteiro. Dentre os fatos de ...
1992 - Washington D.C., Black Bloc no protesto antiguerra do golfo. Janelas do Banco Mundial destruídas.
1992 - San Franci...
Fernanda Mena (FSP, 20/10/13) informa que, desde o início dos protestos de junho,
pipocaram na internet brasileira dezenas...
90% dos usuários das redes “ black bloc” interagem com páginas desses grupos no
Facebook apenas uma vez.
“ Esse dado sugere que a maior parte da atividade dessas páginas se dá num modelo que
chamamos de slacktivism‘ [ativismo p...
O estudo de Muggah detectou que, ape sar de e xistire m site s de afiliado s da
e straté g ia “ black blo c” no país to do...
Para um melhor entendimento dos laços sociais que unem este grupo apresentamos o
recorte de conexões usando como enfoque p...
B
lack B SP
loc
Convocação: Ocupa São Roque • P
rotesto contra o Instituto Royal
Data: Sábado
H
orário: Pontualmente às 10...
18/10/2013 04h06

Após denúncia de maus-tratos, grupo invade laboratório e leva cães beagle
Ativistas invadiram laboratóri...
Já sabendo que a iniciativa resultaria em uma ação policial,
o grupo interviu. A ação para recuperar os cães não foi fomen...
Rede Inteira - Recorte
As páginas possuem 126.250 pessoas
Em ações isoladas ou simultâneas é comum a participação ativa e troca de informações en...
Trabalho acadêmico - Bad bloc
Trabalho acadêmico - Bad bloc
Trabalho acadêmico - Bad bloc
Trabalho acadêmico - Bad bloc
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho acadêmico - Bad bloc

221 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
221
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho acadêmico - Bad bloc

  1. 1. Surgido na Alemanha nos anos 1980, o “ black bloc” é considerado por muitos como um conjunto ideológico anarquista, uma série de táticas de protesto e também uma demostração estética que se espalhou pela Europa, América do Norte e Oriente Médio antes de chegar ao Brasil.
  2. 2. “ Embora os sites de redes sociais atuem como suporte para as interações que constituirão as redes sociais, eles não são, por si, redes sociais. Eles podem apresentá-las, auxiliar a percebê-las, mas é importante salientar que são, em si, apenas sistemas. São os atores sociais, que utilizam essas redes, que constituem essas redes.” Recuero, 2009
  3. 3. As redes sociais foram fundamentais para fortalecer a ligação entre os grupos com ideologias que extrapolam os limites geográficos. Os Black Blocs são um bom exemplo para uma ideologia semeada e difundida através dos modernos meios de comunicação online. Ainda assim a força principal deste grupo não se encontra na troca de mensagens ou mesmo em uma relação fria que se limita apenas em fundamentos e teorias. Nas ruas, essa rede se mostra organizada e viva, gerando ações orquestradas e realizações que resultam em um crescimento aparente e desafiador.
  4. 4. Quem são os atores desta rede?
  5. 5. Coletivo formado por indivíduos, ou simpatizantes, que se unem para apoiar uma determinada ação ou plano tático de manifestação representam os nós desta rede social. A substância do Black Bloc muda de ação para ação, mas os objetivos principais como mostrar solidariedade frente à violência do Estado policial e dirigir uma crítica do ponto de vista anarquista, continuam sempre os mesmos.
  6. 6. Que laços sociais unem esta rede?
  7. 7. Algumas pessoas têm a falsa impressão de que existe a “ Organização Black Bloc” . Não existe uma organização fixa do Black Bloc entre os protestos. Existe o movimento anarquista que se perpetua a mais de um século. O Black Bloc passa a ser um coletivo temporário de anarquistas que fazem parte de um todo em uma passeata ou em um protesto.
  8. 8. Alguns eventos importantes fazem parte da trajetória deste grupo que possui clusters no mundo inteiro. Dentre os fatos de grande envergadura onde a relação de suas redes sociais teve papel importante se encontram alguns fatos.
  9. 9. 1992 - Washington D.C., Black Bloc no protesto antiguerra do golfo. Janelas do Banco Mundial destruídas. 1992 - San Francisco, Black Bloc protesta contra os 500 anos de exploração e genocídio promovidos pelo primeiro mundo. 1999 - Philadelphia, 24 de abril, 1500-2000 anarquistas marcham no Black Bloc durante o Millions For Mumia. 1999 - Seattle, 30 de novembro, Black Bloc se engendra na destruição do distrito financeiro central. 2000 - 16 e 17 de abril, o Bloco Revolucionário AntiCapitalista (RACB) participa dos protestos antiFMI/BM, em Washington D.C. Entre 700 e 1000 anarquistas participaram no A16. 2000 - Primeiro de maio, Black Blocs em Nova York, Chicago e Portland. Batalha de Seattle
  10. 10. Fernanda Mena (FSP, 20/10/13) informa que, desde o início dos protestos de junho, pipocaram na internet brasileira dezenas de sites de “black blocs”. Só no Facebook, surgiram 50 páginas no país, que produziram mais de 74 mil postagens, 160 mil comentários e quase um milhão e meio de “ like s“ .
  11. 11. 90% dos usuários das redes “ black bloc” interagem com páginas desses grupos no Facebook apenas uma vez.
  12. 12. “ Esse dado sugere que a maior parte da atividade dessas páginas se dá num modelo que chamamos de slacktivism‘ [ativismo preguiçoso]“ Robert Muggah autor de B lack B c Rising : So cial lo N two rks in B e razil” - O surgimento do “black bloc”: redes sociais no B rasil (Tradução livre)
  13. 13. O estudo de Muggah detectou que, ape sar de e xistire m site s de afiliado s da e straté g ia “ black blo c” no país to do , a maio ria de suas atividade s se dá no Rio de Jane iro e , e m se g undo lug ar, e m São Paulo .
  14. 14. Para um melhor entendimento dos laços sociais que unem este grupo apresentamos o recorte de conexões usando como enfoque principal, uma ação em conjunto que envolveu dois clusters representados pelos Black Blocs RJ e Black Blocs SP.
  15. 15. B lack B SP loc Convocação: Ocupa São Roque • P rotesto contra o Instituto Royal Data: Sábado H orário: Pontualmente às 10hs da manhã L ocal da concentração: Altura do K 56 da Rodovia Raposo T M avares (entrada do H otel e Restaurante Stefano) Indo de São P aulo para lá, ao avistar a placa do K M 56, é logo à direita a entrada.
  16. 16. 18/10/2013 04h06 Após denúncia de maus-tratos, grupo invade laboratório e leva cães beagle Ativistas invadiram laboratório de pesquisa em São Roque nesta sexta (18). E mpresa alega que realiza testes dentro de normas e exigências da Anvisa. Dezenas de ativistas derrubaram um portão e invadiram, por volta das 2h desta sexta-feira (18), o laboratório do Instituto Royal, em São Roque, a 59 km de São Paulo. Eles levaram em carros próprios dezenas de animais que estavam no complexo, segundo a Guarda Municipal da cidade e a Polícia Militar, motivados pelas suspeitas de que os bichos sofriam maus-tratos no local.
  17. 17. Já sabendo que a iniciativa resultaria em uma ação policial, o grupo interviu. A ação para recuperar os cães não foi fomentada inicialmente pelos Black Blocs. O grupo serviu de suporte para impedir que os policiais conseguissem sucesso em oprimir o manifesto.
  18. 18. Rede Inteira - Recorte
  19. 19. As páginas possuem 126.250 pessoas Em ações isoladas ou simultâneas é comum a participação ativa e troca de informações entre os clusters. O nó representado pelo RJ possui uma representação maior de ligações (71.918 pessoas) Na multiplexidade de relações sociais, se destacam fiéis participantes que interagem e participam das ações do grupo. É possível arbitrar que esta concentração de pessoas é uma parcela muito pequena em relação aos que se incluem de forma mais passiva nesta rede.

×