1ª EDIÇÃO maio-junho          CAMPO À VISTA          A SUA REVISTA RURAL          DIFICULDADES E       CONQUISTAS EM PROL ...
ÍNDICEApresentação..........................................3Seção literatura ......................................4Seção...
APRESENTAÇÃOAPRESENTAÇÃO:     CAMPO À VISTA é uma edição especialíssima que     apresenta muitas informações a respeito da...
Seção dedicada                              Seção: Literatura ( cordel) aos escritores da                                 ...
Seção econômica    PRODUTOS AGRÍCOLAS DA REGIÃO DE    JIQUIRIÇÁ     A Banana é um fruto cultivado em alta     escala na ci...
Reportagem                     Educação no campo: desafios eespecial:                               conquistas em prol do ...
A escola rural precisa assumir suas identidadespróprias, reveladoras também da grande diversidadehumana que habita os cont...
SEÇÃO: Ai que delícia!                    COCADA DE CACAU:            Ingredientes            2 x. (chá) cacau            ...
ESTRADAS ACABADAS    Um grave problema que aflige a    população da zona rural é o    acesso à cidade ou vice    versa, p...
Dedé                                     CV- Sr. secretário, é sabido por todos que                                     é ...
O QUE COMEM NOSSASCRIANÇAS?Notícias  Cerca de 1.800 alunos da redemunicipal de ensino agora estãosendo alimentados comfrut...
INDISCIPLINA E MEDIAÇÃO DE                 CONFLITOS NA ESCOLAQuando o assunto é indisciplina dos alunos e atitudes derebe...
13
.É possível fazer umacomparação entre o trabalho deum maestro e o de um diretorde escola. Ambos são líderes eregem uma equ...
Entrevista com a diretora das escolas da zona    rural da cidade de Jiquiriçá ( Luzineide Souza    Santos)COM A PALAVRA: D...
CV- No que diz respeito a indisciplina, o que asenhora sugere em relação a ação do professor, já queele necessita do apoio...
PASSATEMPOS              17
Seção: Pra ser felizÉ significativa a       AMARELINHAinfluência dasbrincadeiras nodesenvolvimentode umacriança, principal...
PEGA-PEGA                             Neste sentido, é                                               necessário atentar   ...
PULA- CORDABrincar écomunicação, exploração, ação emeio deaprender aviver. Em cadabrincadeira, acriança encontrao sujeito ...
   21/05 a 20/06    O mês começará com novos planos. No dia 1o, Lua Nova em seu signo    inaugurará uma fase de escolhas ...
MAIO                    JUNHO1º DIA DO             5- DIA MUNDIAL DOTRABALHADOR                      MEIO AMBIENTE3- DIA D...
NOSSA EQUIPE:Juciara M. T.Brito     Marilúcia J. S.( Editora -chefe)      Lima (Repórter)Daniela Santos         Patrícia C...
AGRADECIMENTOS:         Agradecemos a Deus pelo dom da vida e        pelas oportunidades oferecidas ao longo dessa        ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Revista slide

912 visualizações

Publicada em

1 EDIÇÃO DA REVISTA "CAMPO À VISTA" PUBLICADA PELAS ALUNAS DA FACULDADE DE CIÊNCIAS EDUCACIONAIS...

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
912
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista slide

  1. 1. 1ª EDIÇÃO maio-junho CAMPO À VISTA A SUA REVISTA RURAL DIFICULDADES E CONQUISTAS EM PROL DO SABERReportagem do mês:EDUCAÇÃO NO CAMPODESAFIOS E CONQUISTAS EM PROL DOSABERE MAIS...Entrevista com o Sec. De obras de Jiquiriçápg. 10A gestão na Zona rural, pg 15Calendário rural, pg 20 Distribuição GratuitaHora do recreio, pg 12 1
  2. 2. ÍNDICEApresentação..........................................3Seção literatura ......................................4Seção econômica....................................5Reportagem especial.............................6Seção: Ai que delícia!............................8Seção: Agora eu tô zangado!................9Entrevista do mês................................10Hora do recreio.....................................12Seção: “te pego lá fora”.......................13Gestão escolar no campo....................14Ausência que faz diferença ...............15Seção: Pra distrair ...............................17Seção:Pra ser feliz................................18Horóscopo do mês...............................19Calendário rural...................................20Nossa equipe........................................23Agradecimentos...................................24 2
  3. 3. APRESENTAÇÃOAPRESENTAÇÃO: CAMPO À VISTA é uma edição especialíssima que apresenta muitas informações a respeito da vida no campo, desafios e conquistas desse povo sofrido que apesar de tantas riquezas naturais e culturais, enfrentam muitas dificuldades na região em que vivem. Uma pequena e especial visão desse belíssimo mundo rural. Nesta edição trazemos para os diversos leitores informações essenciais e interessantes a respeito da educação no campo, dos problemas vividas pelos moradores da zona rural que precisam transitar pelas vias de difícil acesso em especial os alunos e professores. Veremos as questões de conflitos em sala de aula. Trazemos também a problemática da ausência dos diretores bem como as necessidades voltadas para o ambiente educacional. O leitor vai conhecer e aprender a cada edição com belíssimas ilustrações um pouco sobre o cotidiano dos agricultores ,a agricultura, pecuária, culinária, horóscopos do mês, passatempos, entrevistas, informações inéditas sobre os problemas e soluções a respeito da educação e diversos assuntos relacionados à vida no campo. 3
  4. 4. Seção dedicada Seção: Literatura ( cordel) aos escritores da região... É AQUI QUE EU QUERO FICARHOJE EU VIM TRATAR AQUI UMA BOA CONTRIBUIÇÃODE UMA HISTÓRIA INTERESSANTE É CAPACITAR O PROFESSORUMA LEI, UMA DIRETRIZ UMA FORMAÇÃO CONTINUADAUM ASSUNTO IMPORTANTE REFORÇAR-LHE SEU VALORVAMOS TER UM OLHAR ATENTO UM CURRICULO ESCOLARE TRATAR COM ATENÇÃO ADEQUADO A REALIDADENÃO FICARMOS TÃO DISTANTES PRA FORMAR ALUNOS CRITICOSQUANDO O ASSUNTO É EDUCAÇÃO PRONTOS PRA SOCIEDADENA CIDADE OU NO CAMPO PLANEJAR É IMPORTANTEO SABER NUNCA É DEMAIS PARA TER BONS RESULTADOSDIVERGÊNCIAS SEMPRE TEM ALCANÇAR OS OBJETIVOSNAS QUESTÕES EDUCACIONAIS DEPOIS DE AVALIADOSUM LUGAR PRA APRENDER USAR MUITAS ESTRATÉRGIASUM CANTINHO PRA BRINCAR QUE ASSEGUREM O APRENDIZADO CordelOS AMIGOS SEMPRE AO LADO PRA NÃO CAIR NO ESQUECIMENTOUMA ESCOLA PARA AMAR DEPOIS DE ASSIMILADO.SER DO CAMPO, SER HUMILDE TOMAR A SUA REALIDADEQUERER MUITO APRENDER COMO PONTO DE PARTIDACOMPREENDER O SEU LUGAR É UMA ESTRATÉRGIA DIDÁTICADAS COISAS DO SEU VIVER SIMPLES E BEM SUCEDIDAÉ NO CAMPO QUE ELE VIVE SE UM GRUPO SABE MAISA ZONA RURAL É SEU ESPAÇO PODE DAR SUA COLABORAÇÃOSUA ESCOLA QUERIDA PARA AQUELE QUE AINDAÉ SUA ESCOLHA E SEU ABRAÇO NÃO TEM MUITA INSTRUÇÃOUM DIREITO QUE ELE TEM OUTRA GRANDE CONTRIBUIÇÃOÉ TER ACESSO AO APRENDIZADO PRA AJUDAR NA APRENDIZAGEMVIVENCIAR A SUA CULTURA É DEFENDER A INTEGRAÇÃOSEM NUNCA SER DISCRIMINADO DE UM PROFESSOR DA COMUNIDADEPERMANECER NA SUA ESCOLA POIS É ELE QUEM CONHECESUAS ORIGENS PRESERVAR A REALIDADE DO LUGAREXPANDIR-SE EM CONHECIMENTOS NESSA TROCA DE EXPERIÊNCIASTER EXPERIÊNCIAS PRA TROCAR SÓ VITÓRIAS HAVERÁPARA ISSO PRECISAMOS DEIXO AQUI O MEU RECADODE UM TRABALHO PEDAGÓGICO COMO UMA PRECIOSIDADEELABORADO E ESTRUTURADO QUE A EDUCAÇÃO NO CAMPO SEJAISSO FAZ-SE LÓGICO TRATADA COM DIGNIDADE Juciara Brito 4
  5. 5. Seção econômica PRODUTOS AGRÍCOLAS DA REGIÃO DE JIQUIRIÇÁ A Banana é um fruto cultivado em alta escala na cidade de Jiquiriçá. Esta fruta tropical possui uma polpa macia, saborosa e doce. Existem diversas espécies de bananas na nossa cidade, as mais conhecidas são: nanica, prata, banana-terra e a banana maça. Elas nascem verdes e quando estão maduras ficam com as cascas amarelas. Cada bananeira produz de uma só vez de 5 a 15 pencas de banana. São muito utilizadas na nossa culinária e também são consumidas ao natural, fritas, cozidas e assadas. A banana é uma fruta rica em fibras, potássio, vitaminas C e A. 5
  6. 6. Reportagem Educação no campo: desafios eespecial: conquistas em prol do saber. Na defesa por uma Educação do Campo: A educação proporcionada aos brasileirosresidentes no campo foi, ao longo dos anos ignoradaem suas especificidades. Durante séculos houveuma sobreposição ideológica do urbano sobre orural e, a escola do campo, sem muitascondições, ficou restrita às implantações de políticaspedagógicas que favoreciam as macro políticaspúblicas de desenvolvimento industrial eagroindustrial, sendo entendida como mais um •Defesa de um projeto demecanismo contribuinte para a expansão do sociedade justa, democrática ecapitalismo. igualitária; que contemple um Na II Conferência Nacional por uma Educação do projeto de desenvolvimentoCampo, ocorrida em agosto de 2004, em sustentável do campo, que seLuziânia/GO definiu-se a ampliação de novos contraponha ao latifúndio e aocampos de luta para a Educação do agronegócio.Campo, sinalizando a consolidação de um projeto •Defesa de uma educação quehistórico de educação, conduzido e organizado pelos ajude a fortalecer um projetosujeitos sociais do campo. Recolocou-se o campo e a popular de agricultura, queeducação na agenda política do país, impulsionada valorize e transforme a agriculturapela luta pela democratização do acesso a terra e à familiar/camponesa e se integreeducação escolar, como direito de todos e dever do na construção social de um outroEstado. Com isso, firma-se uma nova agenda política projeto de desenvolvimentodefinida na Carta de Luziânia: sustentável de campo e de país.•Defesa do campo como um lugar de •Defesa de uma educação paravida, cultura, produção, moradia, educação, lazer, cu superar a oposição entre campo eidado com o conjunto da natureza, e de novas cidade e a visão predominante derelações solidárias que respeitem as especificidades que o moderno e mais avançado ésociais, étnicas, culturais e ambientais dos seus sempre o urbano, e que osujeitos. progresso de um país se mede pela•Defesa de políticas públicas de educação diminuição da sua populaçãoarticuladas ao conjunto de políticas que visem à rural.garantia do conjunto dos direitos sociais e humanos •Defesa da mudança da formado povo brasileiro que vive no e do campo. Políticas arbitrária atual de classificação daque efetivem o direito à educação para todos e todas população e dos municípios comoe que este direito seja dever do Estado. urbanos ou rurais. Essa•Construção de uma política especifica para a classificação transmite uma falsaformação dos profissionais da Educação do Campo visão do significado da população do campo em nosso país, e tem servido como justificativa para a ausência de políticas públicas destinadas a ela. Escola M.José soares dos Santos 6
  7. 7. A escola rural precisa assumir suas identidadespróprias, reveladoras também da grande diversidadehumana que habita os contextos rurais. Sendo que nãopodemos afirmar que há uma identidade única para aescola do campo, haja vista que,entendemos uma escola como construção ativa, emmovimento pelo conjunto de atores e atrizes sociaisque edificam a realidade do entorno comunitário ondeas unidades de educação se inserem.Muitas são as contribuições que ajudam no fazerpedagógico das classes da zona rural, dentre elesestão a questão de um professor da localidade queconheça todas a realidade do aluno, um currículoadequado à essa mesma realidade, intercâmbio entrealunos de classes multisseriadas , um bomplanejamento para que seus objetivos sejamalcançados e avaliações qualitativas que estimulemo aprendizado do educando sem o constranger. 7
  8. 8. SEÇÃO: Ai que delícia! COCADA DE CACAU: Ingredientes 2 x. (chá) cacau ½ kg açúcar 2 copos (americano) leite 100 g coco, fresco ou hidratado 1 colher (sopa) margarina Modo de preparo Colocar todos os ingredientes na panela levar ao fogo até ponto de cocada mole ou quando desgrudar do fundo da panela Bater bastante com colher de pau Colocar em superfície untada Cortar antes de esfriar totalmente para não quebrar. Informações adicionais Tempo de preparo: +- 20 minutos 8
  9. 9. ESTRADAS ACABADAS Um grave problema que aflige a população da zona rural é o acesso à cidade ou vice versa, pois há pontos da estrada que se tornam intransitáveis quando chove, afetando os moradores que precisam escoar seus produtos para a feira local ou para outras cidades bem como os ônibus escolares que não conseguem circular devido ao grave perigo existentes nessas épocas de chuvas constantes. Sendo assim ficam os alunos sem aula , mesmo porque muitas das professoras que lecionam nas escolas rurais moram na cidade e geralmente usam como meio de transporte os ônibus escolares ou motocicletas o que torna o acesso à escola ainda mais perigoso. 9
  10. 10. Dedé CV- Sr. secretário, é sabido por todos que é de grande importância para as comunidades rurais, uma estrada segura que facilite o acesso dos transeuntes e do escoamento dos produtos da região, o senhor poderia nos informar o que a prefeitura tem feito para melhorar nossas estradas? Dedé_ A prefeitura tem usado máquinas nas estradas sempre que possível, no momento estamos com o maquinário na região das Velhinhas, como é período de chuva, então temos que aguardar pois as estradas não podem ser feitas sob essas condições. CV-É de fundamental importância para a educação que essas estradas se mantenham em perfeito estado para facilitar o vai e vem de transporte escolares , qual o intervalo que a prefeitura usa de uma manutenção a outra? Dedé_Na verdade não há um tempo específico, pois fazemos essa manutenção em ciclos, à medida que terminamos umaTrechos da estrada que liga a zona região, avançamos para outra até seurbana de Jiquiriçá à região doBoqueirão. completar esse ciclo e daí retomamos novamente, mas salientando que temos que respeitar a época das chuvas 10
  11. 11. O QUE COMEM NOSSASCRIANÇAS?Notícias Cerca de 1.800 alunos da redemunicipal de ensino agora estãosendo alimentados comfrutas, verduras e legumescultivados pela agricultura A medida é emfamiliar. cumprimento à Lei nº 11.947/2009, que determina Banana, aipim que pelo menos 30% dosabacaxi, mamão, melancia, batat recursos repassados pelo Fundo Nacional dea, alface, cheiro Desenvolvimento daverde, mandioca, , repolho, chuc Educação (FNDE) para a merenda sejam destinados àhu, abobrinha e inhame saem compra direta da agriculturafresquinhos da terra direto para a familiar.cantina das escolas. 11
  12. 12. INDISCIPLINA E MEDIAÇÃO DE CONFLITOS NA ESCOLAQuando o assunto é indisciplina dos alunos e atitudes derebeldia e agressões, há a necessidade de mudançasparadigmáticas profundas na escola enquanto comunidade. Apostura tradicional de onipotência por parte doeducador, mesmo quando se coloca para ajudar o outro (o qual évisto como impotente e incapaz de resolver seus problemas), éum modelo inadequado para alcançar soluções . Entender os motivos, os porquês que estão por detrás de cada fala, do que as pessoas dizem, é a chave na resolução dos conflitos. O respeito, a responsabilidade e a cooperação são fundamentais.. 12
  13. 13. 13
  14. 14. .É possível fazer umacomparação entre o trabalho deum maestro e o de um diretorde escola. Ambos são líderes eregem uma equipe. O primeirosegue a partitura e éresponsável pelo andamento epela dinâmica da música O segundo administra leis e normas e cuida da dinâmica escolar. Os dois servem ao público, mas a platéia do "regente- diretor" não se restringe a bater palmas ou vaiar. Ela é formada por uma comunidade que participa da cena educacional. 14
  15. 15. Entrevista com a diretora das escolas da zona rural da cidade de Jiquiriçá ( Luzineide Souza Santos)COM A PALAVRA: Diretora das escolas da zona ruralda cidade de a importância da presença do diretor numa CV- Qual Jiquiriçá Luzineide escola?GB-Quando as escolas são geridas por diretores afastadosda sala de aula há muitos anos e pouco conhecedores da Luzineide -É perceptível na sociedadepedagogia e da didática torna-se mais difícil cumprir a contemporânea, notarmos a necessidade da presença domissão principal paraescola? de decisões que estruturam a gestor escolar da a tomadaLuzineide- Portanto para a eficácia do desenvolvimento mesma. escolar é necessário uma gestão democrática participativa e flexível visando a tomada de decisões com critérios e objetivos que atendam a necessidade coletivas da unidade escolar. CV- Como é ser gestora de várias escolas ao mesmo tempo? Mediante a grande necessidade das unidades escolares, percebo que não consigo atender de forma significativa a todos. Vale ressaltar que em cada escola é necessário um gestor atuante frente a tomada de decisões, portanto diante da demanda que encontro, busco fazer o possível para atende-las. 15
  16. 16. CV- No que diz respeito a indisciplina, o que asenhora sugere em relação a ação do professor, já queele necessita do apoio do gestor para tomar certasatitudes?Sem dúvida a indisciplina é um dos fatores que maisprejudicam o desenvolvimento do ensinoaprendizagem, dessa forma faz-se necessário odesenvolvimento de projetos que busquem a parceriacom a família, comunidade local e agentesexternos, formando assim uma rede com o intuito deamenizar a indisciplina e transmitir valores moraisque vão contribuir para a formação do indivíduocríticos e aptos a conviverem em sociedadeCV-É possível haver uma educação de qualidadenuma gestão democrática se faltarem os componentesprincipais desta gestão, taiscomo, professor, alunos, comunidade e direçãoescolar?Certamente, se faltar um desses agentes a gestão nãoserá de todo democrática, pois para que a mesma sejaatuante faz-se necessário a participação e todos essessegmentos que compõe uma gestão democrática. 16
  17. 17. PASSATEMPOS 17
  18. 18. Seção: Pra ser felizÉ significativa a AMARELINHAinfluência dasbrincadeiras nodesenvolvimentode umacriança, principalmente quando elainterage e seenvolve numasituaçãoimaginária, apresentando novoscomportamentos,livres derestriçõesimpostas peloambiente. 18
  19. 19. PEGA-PEGA Neste sentido, é necessário atentar para a seriedadeCrianças brincando de pega-pega por cima dosgalhos secos de uma roça de cacau. do brincar, buscando prazer sem culpas, medos e ansiedades, respei tando as ações espontâneas dasBrincando num campo aberto... crianças, sua maneira de ser e de pensar, para poder, também, co laborarNo pátio da escola. significativamente na construção das identidades destas. 19
  20. 20. PULA- CORDABrincar écomunicação, exploração, ação emeio deaprender aviver. Em cadabrincadeira, acriança encontrao sujeito de suahistória, ampliao conhecimentode suarealidade, ressignificando omundo ao seuredor. Crianças da Escola M. José Soares dos Santos, brincando de pula corda na hora do recreio. 20
  21. 21.  21/05 a 20/06 O mês começará com novos planos. No dia 1o, Lua Nova em seu signo inaugurará uma fase de escolhas que proporcionarão melhor qualidade de vida. No dia 8, perspectiva de crescimento profissional. A partir do 9, sua beleza e sensualidade estarão ressaltadas. Aproveite para marcar presença em eventos sociais. Se estiver em busca do amor, Lua Cheia na sua área afetiva, no dia 15, promete encontro decisivo. No dia 20, seu poder de decisão aumentará e irá impulsionar projetos pessoais. Na segunda quinzena, haverá estabilidade na vida íntima, mas o foco principal será a área financeira. Poderão ocorrer gastos imprevistos. 21
  22. 22. MAIO JUNHO1º DIA DO 5- DIA MUNDIAL DOTRABALHADOR MEIO AMBIENTE3- DIA DO SOLO/DIADO PAU BRASIL 7- CORPUS CHRISTI5- DIA MUNDIALDO CAMPO 8- DIA DO13- DIA DO CITRICULTORZOOTECNISTA 13-DIA DE SANTO21- DIA DO ANTONIOAPICULTOR25- DIA DO 17-DIA MUNDIAL DETRABALHADOR RURAL COMBATE A DESERTIFICAÇÃO E À27- DIA NACIONAL DA SECAMATA ATLÂNTICA31- DIA MUNDIAL DE 24- DIA DE SÃO JOÃOCOMBATE AO FUMO 29- DIA DE SÃO PEDRO 22
  23. 23. NOSSA EQUIPE:Juciara M. T.Brito Marilúcia J. S.( Editora -chefe) Lima (Repórter)Daniela Santos Patrícia C. Xavier( Diretora de (Ilustração)redação)Siene Silva Vanessa Silva( Repórter) ( Editora de arte)Anaíde M. de Jesus(Editora-assistente) Ana M.S.S.Cruz ( Designers )Lede D. A. Santos Katia R.A. Martins(Webmaster) (Fotografia) 23
  24. 24. AGRADECIMENTOS: Agradecemos a Deus pelo dom da vida e pelas oportunidades oferecidas ao longo dessa caminhada. A nossa família, agradecemos todo o amor, carinho, compreensão, apoio e respeito. Aos colegas e amigos com quem aprendemos e nos aperfeiçoamos com a troca de experiências. Ao nosso Professor Genivaldo Carvalho pela paciência, compreensão e tranquilidade. A todos que direta ou indiretamente nos ajudaram na produção desta revista. Professor Genivaldo CarvalhoEnquanto nós “ralávamos”... – Olha ele aí... 24

×