Portfólio ricardo

3.527 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.527
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
208
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
31
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Portfólio ricardo

  1. 1. PORTFÓLIO <ul><li>Aluno: José Ricardo Duarte D´Oliveira </li></ul><ul><li>2011 </li></ul>
  2. 2. INTRODUÇÃO <ul><li>Este portfólio, tem como objetivo demonstrar a evolução profissional, e a minha introdução ao mercado de trabalho na área de educação, mostrando assim uma nova trajetória profissional e a evolução na elaboração das aulas e dos trabalhos com os alunos, a partir do conhecimento da disciplina de Modelos e Práticas de Formação de Professores, entendendo qual o verdadeiro papel do professor reflexivo no seu cotidiano, com o objetivo de não só se tornar um professor reflexivo, más também transmitir ao aluno a necessidade de sua reflexão. </li></ul>
  3. 3. DESENVOLVIMENTO <ul><li>No ano de 1979, por motivos financeiros, tive que arrumar um emprego, este primeiro emprego foi em uma industria metalúrgica no qual comecei como Office boy, durante o período em que fiz o ensino médio devido admirar o trabalho de uma professora de história que era excelente em suas colocações, exemplos e ensinamentos conceituais decidi me tornar professor e preferencialmente da disciplina de história. No decorrer dos anos ia desenvolvendo a carreira dentro da empresa e na época do vestibular, veio o convite para ser bolsista da empresa, desde que tivesse o ingresso em um curso de bacharelado que ajudasse a desenvolver os meus conhecimentos na área administrativa. </li></ul><ul><li>Em 1990 fiz a opção em prestar o vestibular para a Faculdade de Administração de Empresas Amador Aguiar, atualmente Universidade de Osasco, após a conclusão do curso no final de 1993 decidi fazer uma especialização em administração de Marketing e posteriormente um MBA em gestão empresarial, para que pudesse aproveitar as oportunidades que surgiram dentro da empresa, fui desligado da empresa no ano de 2009 após de 30 anos com o cargo de gerente nacional de vendas, e hoje faço todos os meus investimentos profissionais na área de educação. </li></ul><ul><li>A primeira experiência como professor foi dada no ano de 2001, no qual entrei como professor para o Senac de São Paulo, ministrando as disciplinas de Marketing e administração nos colégios do Estado em cursos profissionalizantes para alunos de baixa renda, era chamado de programa profissão, a experiência foi de fundamental importância para que eu pudesse ajudar os alunos que necessitavam de uma profissionalização e também realizar o sonho de ser professor, que ficou guardado por alguns anos no meu ciclo de realização de objetivos. </li></ul><ul><li>Em 2003 conheço através da indicação de um amigo a atual diretora da Faculdade Mario Schenberg, Aparecida Maria Clápis de Paula a qual é a responsável por minha introdução como professor no ensino superior, desenvolvemos um trabalho em uma faculdade de alunos de baixa renda no município de Carapicuíba e após ela iniciar seus trabalhos em um projeto para a fundação da faculdade no já tradicional colégio Mario Schenberg, fui convidado a ser professor e atualmente estou como coordenador do curso de administração de empresas </li></ul>
  4. 4. <ul><li>A necessidade de ser um profissional qualificado e cada vez mais experiente na área de educação me levaram a fazer a opção pelo curso de Supervisão pedagógica e formação de professores com acesso ao mestrado europeu, durante a evolução do curso podemos ter a disciplina de Modelos e Praticas de formação de professores a qual nos leva a reflexões do, porque ser professor, como ser professor , como desenvolver as atividades de um professor reflexivo, enfim qual a necessidade dos alunos terem um professor competente acima de tudo, para que então possa ter a competência de se tornar reflexivo. </li></ul><ul><li>“ A construção de uma competência depende do equilíbrio da dosagem entre o trabalho isolado de seus diversos elementos e a integração desses elementos em situação de operacionalização. A dificuldade didática está na gestão, de maneira dialética, dessas duas abordagens. È uma utopia, porém , acreditar que o aprendizado sequencial de conhecimentos provoca espontaneamente sua integração operacional em sua competência” ( Ètienne e Lerouge,1997) de acordo com a colocação do autor podemos destacar que o desenvolvimento da competência do professor é de muita importância para que ele seja um potencial executor da reflexão e possa assim multiplica-la e aproveitar o aprendizado sequencial entre eles o de ser reflexivo, porém o papel da escola se torna fundamental, para que o professor possa desenvolver aquilo que é necessário em sala de aula. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>A reflexão é o conceito atualmente mais utilizado por formadores de professores e educadores, vem então a necessidade de conduzir um melhor conhecimento sobre o conceito de reflexão, acima de tudo deve ser aceito e desenvolvido pela direção da escola, pois como afirma Paulo Freire , “ Não se muda a cara da escola por um ato de vontade do secretário”. Segundo Isabel Alarcão para muda-lá é preciso envolver as decisões político- administrativo-pedagógica, os alunos e professores , os auxiliares e os funcionários, os pais e os membros da comunidade. </li></ul><ul><li>A partir daí entendemos que o professor acima de tudo deve após entender e ser reflexivo, ter o apoio da escola e daqueles que formam a escola e ainda dos que frequentam e entendem a necessidade da participação da comunidade, pois como afirma a autora professor é um profissional da ação cuja atividade implica um conjunto de atos que envolvem seres humanos. </li></ul><ul><li>Vimos então a importância da matéria prima a qual trabalhamos, o espaço físico de nossas escolas é frio, estruturalista, os seres humanos que formaremos são a nossa vital importância. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Sabemos que o apoio da escola, dos alunos e da comunidade, não faz com que o trabalho e a formação contínua do professor seja resolvido, a citação abaixo resume de uma forma prática as limitação que estão as vezes explicitas, más porém em outra fase de resolução. </li></ul><ul><li>Pode ser que pequenos por ingenuidade, mas parece-nos necessário salientar que quando falamos de formação de professores, estamos assumindo determinadas posições (epistemológicas, ideológicas, culturais) relativamente ao ensino, ao professor e aos alunos.Neste sentido a formação de professores deve proporcionar situações que possibilitem a reflexão e a tomada de consciência das limitações sociais, culturais e ideológicas da própria profissão docente ( Gimeno, 1990). </li></ul><ul><li>Apesar das limitações citadas, incluo também em uma reflexão a dificuldade de educar nos dias atuais, são um grande desafio porque a sociedade apresenta características que se impõem aos educadores como obstáculos ao processo educativo. Hoje o mundo tem valores instáveis ( quase tudo pode e nada mais indigna ninguém). </li></ul>
  7. 7. <ul><li>A reflexão acima de tudo por nós professores deve ser entendida, compreendida e transformada em ação, Donald Schon nos deixa a ideia de conceito e reflexão. </li></ul><ul><li>“ Este autor propôs o conceito de reflexão na acção, definindo-o como o processo mediante o qual os profissionais ( os práticos), nomeadamente os professores, aprendem a partir da análise e interpretação da sua própria actividade” Carlos Marcelo Garcia ( 1999). Schon defende a existência nas ações dos profissionais competentes de um saber de referência do ensino e da formação de professores. </li></ul><ul><li>Esta formação de professores competentes é a multiplicação do saber , é a formação contínua e presente na sociedade para formar um aluno apto a desenvolver suas idéia e opiniões e não absorver as ideias já formadas por alguns interesses na sociedade, este professor deve ser o multiplicador do saber. </li></ul><ul><li>Segundo Nóvoa, a formação não se constrói por acumulação ( de cursos, de conhecimento ou de técnicas), mas sim através de um trabalho de reflexividade crítica sobre as práticas e de construção permanente de uma identidade pessoal. Por isso é tão importante investir a pessoa e dar um estatuto ao saber da experiência. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Considerações Finais </li></ul><ul><li>Considero ter, mesmo sem o conhecimento conceitual anterior da disciplina Modelos e Prática da Formação de Professores, como professor ter aplicado por muitas vezes a ação reflexão, a necessidade que tenho como professor além de tentar formar um profissional qualificado é de ter um profissional competente que possa ser útil para o sociedade e desenvolver suas funções da melhor forma possível, este profissional que depende do nosso saber e do entendimento de nós professores, do que é ser reflexivo e poder transmitir um pouco da experiência adquirida. Em sala de aula após um determinado conteúdo programático, procuro sempre relacionar com o cotidiano e dar exemplos práticos de aplicação para que o aluno possa desenvolver um senso crítico e criar seus próprios meios de entendimento. </li></ul><ul><li>Na sala de aula encontramos alunos muitas vezes, com quase nenhum conhecimento do que seria básico na formação do ensino médio, desta forma fica claro a dificuldade que este aluno deve ter tido em entender o que é ser reflexivo, pois necessita de um crescimento constante de entendimentos, que na maioria das vezes é absorvido em uma hierarquia, ou seja se não sabe o básico, como pode pensar em reflexão, sociedade, papel da escola em sua vida social e profissional. </li></ul><ul><li>Refletindo sobre os conteúdos, chego a conclusão que deve-se investir na preparação do aluno reflexivo com muita ênfase principalmente no ensino médio, vindo de encontro ao meu pré tema elaborado para a dissertação, cuja a justificativa para a pesquisa é a seguinte : A formação do educando para a vida em sociedade implica no seu preparo para conhecer e saber relacionar-se com as organizações de toda espécie, por isso a relevância da pesquisa sobre a verdadeira importância das organizações em suas vidas. </li></ul><ul><li>A principal mudança em meu entendimento sobre a disciplina é que o aluno não precisa entender a importância das organizações em sua vida, o que ele precisa é saber a aprender exercer a sua reflexão, pois desta forma ele não irá entender só a importância em ser um Homem organizacional, e sim importância de refletir que deve ser cidadão consciente, pai, filho, trabalhador e acima de tudo ter o direito de liberdade e expor o que pensa de uma forma lógica e racional. </li></ul>
  9. 9. REFERÊNCIAS <ul><li>Nóvoa. A . Os professores e sua formação. Lisboa: D Quixote, 1995 </li></ul><ul><li>Garcia. C.M. Formação de professores para uma mudança educativa. Portugal: Porto, 1999 </li></ul><ul><li>Zeichner, K. A formação reflexiva de professores: Ideias e práticas. Lisboa Educa, 1993 </li></ul>

×