A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenasceu somente no primeiro nascimento, é carne. Toda a base de ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentepolítica, comida, turismo, trabalho, casamento, relações famili...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenão é um pensamento, assim, Ele não falará na sua mente, não   ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteaté o fim. Esse é o amor de Deus pela humanidade e é na base   ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentecom o Espírito do Senhor. Ele foi amalgamado com você. Vocês   ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteveio habitar dentro de você e nunca mais se retirou. Talvez sua...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteexpressando a glória de Deus. Depois de Atos, Ele não é mais o ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteáguas vivas. A adoração será algo espiritual, a fé virá a parti...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenão detectamos nada de errado e pecaminoso diante da nossa     ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteprópria vida eterna de Deus. A Bíblia diz que essa vida é que f...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentepara fora, pois a fonte está dentro de você. Esta é uma verdade...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteFisicamente o diabo não pode nos tocar, em circunstâncias norma...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente    para mim, será que é de Deus, será que é a minha mente? Fic...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentea contemplar o Senhor é uma alma que encontrou o lugar secreto ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentevocê semear, você irá colher. Cada vez que você usar uma dessas...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteaprender e entender somente. A Bíblia não é a “árvore do       ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteversículos, percebemos que a Palavra de Deus não é somente para...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentereconhecer que não há necessidade de nós fecharmos os olhos,   ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteorações devem ser novas, não velhas. A melhor maneira delas    ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteinvocar o nome do Senhor será salvo” (V.R.). No passado talvez ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteem espírito e em realidade, mas Ele também nos deu uma maneira ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentedia, clame apenas: “Ó Senhor, Amém, Aleluia”, do mais profundo ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente                                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteseu Pai. Derrame seu coração a Ele, como a criança faz com seu ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente         Como você pode ver, aquilo que começou como algo muito...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteOrar a escritura                                               ...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteestá lendo a fim de voltar sua mente das coisas exteriores para...
A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteapenas irritará sua mente e vou instigá-la ainda mais. Ao invés...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

1.a experiencia da comunhão no espírito com um deus resident

3.252 visualizações

Publicada em

0 comentários
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
111
Comentários
0
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1.a experiencia da comunhão no espírito com um deus resident

  1. 1. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASA EXPERIÊNCIA DA COMUNHÃO NO ESPÍRITO COM UM DEUS RESIDENTE 1
  2. 2. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASA EXPERIÊNCIA DA COMUNHÃO NO ESPÍRITOEsboço do Planejamento do CursoMeta Que o discípulo compreenda e receba revelação de quetornou-se habitação no espírito de um Deus residente. Outros Objetivos • Que o discípulo possa experimentar do novo nascimento e ver a necessidade de ser alguém totalmente regenerado. • Que experimente o viver amalgamado à Cristo. • Que perceba diferença de ter o Espírito Santo habitando dentro, em seu espírito, de tê-lo apenas ocasionalmente. • Que ganhe a experiência de pôr sua mente espírito.Sugestões Bibliográficas 1. PRATICANDO A PRESENÇA DE DEUS – Irmão Lawrencee Frank Laubach. 2. EXPERIMENTANDO AS PROFUNDEZAS DE JESUSCRISTO. Mme. Jeanne Guyon. 3. COMUNHÃO E PRINCÍPIOS DE FÉ – Valnice Milhomens(Palavra da Fé)Recomendações Muito ImportantesEstabeleça com a ajuda do seu líder de célula uma práticadevocional diária 1.Leia a Bíblia diariamente; 2.Pratique o Orar lendo a Palavra; 3.Aprenda e pratique o Confessar a Palavra; 4.Busque cultivar uma constante comunhão com o Espírito Santo colocando sua mente no espírito; 5.Pratique na sua célula o compartilhar com os irmãos as regenerações que têm sido operadas no seu ser; 6.Descreva para outros irmãos como os obstáculos da sua mente têm sido superados; 7.Descreva para a sua célula como tem sido o seu novo viver no espírito.Avaliação • Descreva a experiência adquirida de ter se tornado habitação de Deus no espírito; • Descreva a revelação de ter o Senhor em você a todo momento; • Descreva uma experiência pessoal que o fez sentir-se “um” com Cristo; • Descreva a experiência de viver no Espírito. 2
  3. 3. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASA experiência da Comunhão no Espírito “Mas aquele que se une ao Senhor é um espírito com Ele”. (I Coríntios 6:17)Fomos Destinados a Ser Espirituais Todos os seres humanos são dotados de um espírito, o soprode Deus, que, no entanto permanece amortecido no viver diário doímpio por causa do pecado. Esse espírito foi criado para conterDeus e é a região mais elevada do nosso ser, o que nos qualificapara nos relacionarmos com o Senhor. Na queda, o espírito dohomem perdeu a finalidade porque Deus já não era percebido; Suavoz, Seu amor, Seu conduzir, Sua presença já não fluíam mais nohomem, já não havia mais comunhão com Deus. Ao perder acomunhão foi também perdida a Vida divina e como conseqüência ohomem passou a viver noutra base: a base da vida da alma. Assim,em função da queda, todos os seres humanos morreramespiritualmente, perderam a vida de Deus e tornaram-se presos aalma. Desde que nascemos nossa alma é desenvolvida de todas asformas: intelecto, emoções e vontade; o espírito, entretanto,permanece morto aguardando o dia do nosso Novo Nascimento.O Novo Nascimento é a Base para a Comunhão comDeus “... O que é nascido da carne, é carne; e o que é nascido do Espírito é espírito. Não te admires de eu te dizer: importa-vos nascer de novo.” João 3:5-7 O novo nascimento, o nascimento no espírito é umnascimento para Deus. Devemos compreender a importância disso,para o bem do nosso progresso espiritual. No texto mencionadoacima, a primeira coisa que Jesus diz é que: “Aquele que é nascidoda carne é carne”, quer dizer que qualquer um nascido da uniãofísica de um homem com uma mulher é carne. Todos nósexperimentamos desse primeiro nascimento, senão nãoexistiríamos! O nascimento da carne trás junto com ele uma baseque nos caracteriza como seres carnais. A Bíblia diz que aquele quenasceu do primeiro nascimento tem uma base para a vida, que écarne. Aquele que nasceu da carne, não tem a carne como um dosseus componentes, mais do que isso, a Bíblia qualifica todo o serdele como carnal. Todas as suas cogitações são para carne, suasinclinações são para a carne, suas intenções, seu ser total e opendor da sua vida são para a carne. Não interessa quão boa sejaa sua família, quão moralmente aprovada é a sua origem ou quãoeducados são. Interessa menos ainda se são religiosos ou não, sefreqüentam Igreja ou se são ímpios. A Bíblia diz que aquele que 3
  4. 4. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenasceu somente no primeiro nascimento, é carne. Toda a base de NOTASsua vida é carnal. Todo a sua tendência é para a carne e tudo o quefaz tem essa mancha. Esse indivíduo que só experimentou o primeiro nascimento,tem um grave problema: não pode ter comunhão com Deus, estáincapacitado para se relacionar com Deus ou ouvir a voz de Deus.Será incapaz de descer às profundezas espirituais em íntimaamizade com o Altíssimo e de ser conduzido pelo Espírito Santo.Seu espírito, embora exista, é um espírito amortecido, atrofiado esem a Vida divina. É como um rádio que tem tudo para sintonizaruma estação, mas que permanece desligado, apagado. Na seqüência do texto mencionado, o Senhor Jesus, diz paraNicodemos: “O que é nascido da carne, é carne; o que é nascido doEspírito é espírito.” Que fato impressionante! Veja a força dosegundo nascimento! Esse segundo nascimento - que é do espírito -é tão poderoso, tão forte, tão determinante que é capaz de alterartoda a base anterior de vida. É tão profundo que altera a nossanatureza! A base anterior era que você era carnal, por ter nascidoda carne. Essa base é alterada pelo nascimento do Espírito.Qualquer um que tenha nascido do segundo nascimento tornou-seespiritual. Quem quer que seja que tenha experimentado umencontro real com Jesus numa experiência de conversão genuína,segundo a escritura, é espírito. A Bíblia mostra que esse novonascimento não acontece na esfera do intelecto nem na esfera docorpo. Qualquer um que tenha passado por essa experiência, aBíblia diz a seu respeito que é espírito. Que forte é essa afirmação! Quando você nasceu do Espírito, foi finalmente qualificado atocar em Deus no espírito, a ouvir de Deus no espírito, a ser guiadopor Deus no espírito e receber uma vida genuinamente espiritual.Isto é algo tão forte, tão poderoso, que se tornou uma segunda basede vida. O Senhor Jesus é categórico ao dizer: “Aquele que énascido do Espírito, é espírito”. Então esse segundo nascimentoé um nascimento para o Espírito Santo. Você nasceu para Deus,nasceu para esfera espiritual. Seu espírito agora está vivo! Aleluia!Características de Alguém não Regenerado Qualquer pessoa não regenerada tem uma tendência para acarne. Esse é o fator determinante em sua vida e conduta. Suasinclinações básicas são para satisfazer seus apetites físicos e todasas necessidades e desejos dos sentidos e do corpo. Será alguémnatural, com análises sempre naturais e provenientes do planomental e material, nunca espiritual. Não importa quanto tempo vocêpasse com alguém não regenerado, só o ouvirá cogitar das coisasnaturais. Nenhuma Vida fluirá daquela fonte seca, nenhumaedificação. A Bíblia afirma que a boca fala do que o coração estácheio. Uma pessoa que não tem o Senhor, que não experimentouessa regeneração, falará somente do que é natural e terreno.Gastará tempo em conversas intermináveis acerca de esportes, 4
  5. 5. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentepolítica, comida, turismo, trabalho, casamento, relações familiares, NOTASciências, fofocas, competições, cobiças, conversas maliciosas etolices sem fim. Além de falar das aflições decorrentes desse planocarnal, injusto e estéril. Falará apenas a partir desse vazioespiritual. Sua boca apenas reproduzirá esse vazio. Tal pessoaexpressará a sua real base de vida: seu viver carnal e sua alma. O apóstolo Paulo nos faz entender algo importante quando diz:“... em mim mesmo, isto é, na minha carne...” Romanos. 7:18. Emoutras palavras está dizendo que seu “EU” e a sua carne eram umasó coisa. Assim, mesmo a nossa alma, por ter caído naconcupiscência da carne e ter sido feita escrava dos apetites docorpo, tornou-se também “carne”. Se o que se destaca da sua almasão as emoções, como os artistas, os poetas, os cantores e muitosreligiosos, a característica dessa pessoa não regenerada será todapara as emoções. Assim, ela será uma pessoa melindrosa, supersensível, inconstante, volúvel, intempestiva, exagerada, mística,susceptível e facilmente influenciada por circunstâncias exteriores.Crentes regenerados, embora não espirituais, tenderão a manifestaras mesmas características. Se, entretanto o perfil de sua alma forintelectual, irá expressar lógica, razão, incredulidade, prazer pordivagações intelectuais sem fim, teorias filosóficas fúteis, seráalguém calculista, indiferente, questionador, arrogante, irreverente.Normalmente pessoas assim se colocam acima de Deus coroando opróprio intelecto no lugar da divindade. Na história humana há atendência de valorizar mais a razão e o intelecto do que as emoçõese a vontade. As filosofias ocidentais coroaram a razão emdetrimento das outras faculdades da alma. Para Deus, no entanto, oSeu veredicto permanece: tudo aquilo que não tem sua fonte noespírito é carnal não importa quão elevado pareça! Uma perguntabásica deve ser respondida: em que base de vida eu vivo? Se nãofor na base da vida de Deus dentro de mim, sou carnal! Além deste perfil emocional ou mental de muitas pessoas, háainda o perfil de gente onde a vontade predomina. O indivíduo comesta característica marcante será alguém extremamente forte eobstinado. Teimosia, radicalidade, pensamentos fixos e irracionais,obstinação tola e força de vontade admirável são algumas das suasexpressões. Mesmo com prejuízos, tenderá levar o que quer até ofim. As pessoas não regeneradas viverão sempre numa base de vidaque as arrastará fatalmente para cometerem vários tipos depecados sem, contudo, sentirem qualquer culpa ou condenação.Deus é um Ser Espiritual “Porque Deus é espírito, importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade”. Jô 4:24. Há crentes que esperam que Deus fale em sua mente oupelas emoções. Tais pessoas não compreendem que Deus éespírito, portanto falará e mover-se-á no âmbito do espírito. Deus 5
  6. 6. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenão é um pensamento, assim, Ele não falará na sua mente, não NOTAStocará no seu intelecto. Ele até poderia falar audivelmente, como jáo fez, mas essa não é a regra. Ele escolheu falar no seu espíritohumano. Portanto, Ele vai falar no seu espírito, Ele irá dirigir você apartir do seu espírito, Ele irá fortalecê-lo no espírito, vai edificar noseu espírito, irá compungi-lo no espírito. Ele tornará seu coraçãocontrito pelo espírito, vai mover no espírito, abençoar no espírito,fortalecer sua fé no espírito. Em fim, tudo vai fluir da parte de Deusa partir do seu espírito. O espírito humano é o “Quartel General” deDeus, para conquistar sua vida. Pela Nova Aliança foi que o SenhorJesus conseguiu fazer de nós seres espirituais. Para conhecer mais profundamente esse assunto leia o Apêndice 1 no final desse primeiro tema.Um Grande Romance É importante entendermos qual o princípio que está por trazdesse propósito eterno, da redenção de Deus. A Bíblia é um granderomance entre um Deus apaixonado e um homem rebelde epecador. A Bíblia é o livro do amor de Deus e relata esse amor quealmeja por comunhão, intimidade, relacionamento e proximidadecom o homem. Deus podia pensar: “como Eu posso ter comunhãocom o homem, se Eu sou totalmente divino e espiritual e o homemtodo carnal e cheio de pecado?” Seria impossível! Não dá parahaver amor e romance entre dois seres de natureza e de essênciadiferentes. Por causa desse enorme desejo de Deus de compartilharseu Amor conosco, Ele enviou o seu Filho, para que esse setornasse semelhante ao homem e assim, fizesse o homemsemelhante a si mesmo. Jesus veio fazer você e eu seresespirituais, para que Deus pudesse nos dar do Seu imenso amor eser correspondido. Ao olharmos para Eva, vemos alguém que é um símbolo detoda a humanidade. Ela é um símbolo da Igreja no Éden. Ela foitirada daquilo que o próprio Adão era. Você e eu fomos tirados doque o próprio Cristo é. E quando o Senhor Jesus ressuscitou, Elenos habilitou a nascermos no Espírito. Assim poderíamos nostornar Sua noiva a fim de nos casar com Ele mesmo. Pode haveragora um romance, pois o desejo intenso do Senhor se cumprequando a divindade se reveste de humanidade e a humanidadecaída passa a receber a natureza divina dentro de si. Agora há umhomem no céu que também é Deus! Ele é o noivo! Mas aqui naterra você e eu agora também somos homens que carregam dentrode si um espírito vivificado pela divindade dentro de nós. Agorapode haver casamento, pode haver romance. Aleluia! É por isso queo Senhor Jesus e a Igreja são comparados com o noivo e sua noiva,isto fala de casamento, de amor. Por que Deus te fez nascer noEspírito? Porque Ele está apaixonado por você. Em João 13.1b aEscritura diz: “... tendo amado os seus que estavam no mundo,amou-os até o fim.” E em 3:16 que “…amou de tal maneira…“Mesmo sabendo que seria negado, traído, abandonado, os amou 6
  7. 7. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteaté o fim. Esse é o amor de Deus pela humanidade e é na base NOTASdesse amor, que Ele quer se relacionar com o homem. Na obra daredenção, Cristo que era divino, torna-se humano. E você, que erasó humano, recebe do Seu conteúdo divino em seu espírito. Podehaver estreito, profundo e íntimo amor agora. Aleluia!Amalgamados em Cristo Na igreja dos primeiros séculos circularam cartas e escritosque não tem valor canônico, isto é, que não foram incorporados àsEscrituras Sagradas. Mesmo assim, são de grande importância aorevelar valores e ênfases que a Igreja cristã nascente viveu eexperimentou. Nesses escritos era usada em profusão, segundomuitos estudiosos, a palavra “amalgamados”, que vem de“amálgama”. Na língua portuguesa essa palavra quase não éutilizada mais. É usada atualmente meramente para descrevercoisas técnicas. Um amálgama é formado a partir de algunscomponentes que ao se juntarem sofrem uma troca química eformam um terceiro elemento. Eles perdem a característica anteriorpara formar um outro elemento com característica distinta dosanteriores. Os dentistas misturavam o mercúrio com a limalha deprata para formar aquele amálgama a fim de procederem arestauração de dentes. Uma vez solidificado aquele amálgama, jánão era mais possível desfazê-lo: tornaram-se um novo material.Um bolo é outro bom exemplo de amálgama. Reunimos todos osingredientes, misturamos tudo, e levamos ao forno. O calor ali vaiproduzir um amálgama com todos aqueles ingredientes quesofreram uma troca química. O resultado disso é um bolo. Sealguém requisitar de volta os ovos é impossível trazê-los de volta.Se outro, ainda pedir de volta o leite ou a farinha, será impossívelrestituí-los. Foram amalgamados! Na Igreja primitiva havia um entendimento muito forte do queera um amálgama. Havia uma poderosa e profunda revelação deque o Senhor Jesus tinha se unido ao nosso espírito e agoratínhamos sido “amalgamados” no Espírito de Cristo. Veja oversículo: “ Aquele que se une o Senhor é um só espírito com Ele”. ICoríntios 6:17. As implicações desse versículo são assombrosas!Você já parou para pensar no que acabou de ler? Entende asimplicações? A Bíblia diz que você que se uniu ao Senhor, tornou-se um espírito com Ele! Você crê no que Deus diz? Ele diz aqui quese misturou ao seu espírito e que por isso vocês foramamalgamados. Agora não tem mais jeito de tirar você de Cristo, emuito menos jeito há de tirar Cristo de você! Oh verdade bendita!Oh verdade gloriosa! Isto é o centro da Bíblia e o coração do projetoredentor de Deus. Ao invés de vivermos vidas miseráveis duranteanos na Igreja, essa deveria ser a primeira verdade a ser ministradaaos novos crentes assim que nascessem. Fomos amalgamados!Glória a Deus. O Espírito de Cristo foi ministrado para dentro de você com oseu espírito. Agora não tem mais volta, o seu espírito foi misturado 7
  8. 8. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentecom o Espírito do Senhor. Ele foi amalgamado com você. Vocês NOTASdois são UM!O Deus Residente “EM” Nós “E eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco, o Espírito da verdade, que o mundo não pode receber, porque não no vê, nem o conhece; vós o conheceis, porque Ele habita convosco e estará em vós (dentro de, vivendo interiormente). Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós outros. Ainda por um pouco e o mundo não me verá mais; vós, porém, me vereis; porque eu vivo, vós também vivereis. Naquele dia vós conhecereis que eu estou em meu Pai e vós em mim (dentro de mim) e eu em vós(dentro de vós). Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama, será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele. Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós, e não ao mundo? Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para Ele e faremos nele morada. (dentro dele)” João 14.16-23 São impressionantes as implicações deste texto e devemostomá-lo como fato em nossas vidas, afinal são coisas diretamentedirigidas do Senhor para nós. Você crê em Cristo? Crê que o queEle diz é digno de aceitação, ou acha que o que diz são meraspalavras bonitas? Se você crê realmente no seu Senhor poderátomar essas palavras de Jesus como fatos revolucionários em suavida.Enviarei o Consolador Que Estará Para Sempre EMVós Nos versos 16 e 17 Jesus diz que enviaria o Espírito Santopara estar para sempre conosco e habitar “EM” (dentro de) nós! OEspírito Santo, querido irmão, veio morar dentro de você. Ele já foienviado para nós e não há lugar na Escritura onde somosensinados a esperar que Ele desça de novo. Ele já desceu!! Estáaqui e agora mesmo dentro de você. Quando foi deitar-se ontem ànoite, Ele estava lá dentro do seu espírito; quando tomou o café-da-manhã hoje, Ele estava lá mesmo EM você e quando tomou seubanho, Ele também estava lá. Depois que você nasceu de novo Ele 8
  9. 9. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteveio habitar dentro de você e nunca mais se retirou. Talvez sua NOTASalma tenha estado por demais agitada para perceber isso; talvez opecado tenha maculado a sua consciência e impedido queenxergasse esse fato, mas nada disso pode mudar a realidade: oEspírito Santo te foi dado e habita para sempre EM você. Você jáfalou com ele hoje? Faça isso agora voltando-se para o endereço deDeus dentro de você. Imediatamente entrará em contato com essaPresença bendita e maravilhosa. Se Ele disse que estaria aí, entãoELE ESTÁ!!! Simplesmente confie no que Ele diz e toque agora emSua doce Presença.Vós Estais EM Mim e Eu Estou EM Vós Nos versículos 18 a 20 Jesus avança no que diz. Agoraconhecemos que não apenas o Espírito Santo viria morar dentro denós, mas Ele mesmo, o Senhor Jesus Cristo depois de ressuscitadoviria habitar em nós. Querido irmão isso é um fato, uma realidade,um firme fundamento sobre o qual você poderá caminhar. Isso nãopode ser uma mera doutrina evangélica aceita intelectualmente,deve ser uma realidade viva e experimental em nossas vidas, pois oque o Senhor ensina aqui é o coração da Bíblia: O Deus que foiministrado como vida para dentro do nosso espírito se tornou anossa própria vida. É finalmente o homem, você e eu tomando dofruto da árvore da vida (Jesus), ingerindo-o para dentro de nós. OZoe, a própria Vida com a qual Deus vive veio morar em nós e sefez uma só vida conosco. “Aquele que se UNE ao Senhor É UMespírito com Ele” I Coríntios 6:17. Você foi feito um com o Senhor,meu irmão. È tão simples como isso: preto no branco.Meu Pai o Amará e Viremos e Faremos NELE Morada Nos versos de 21 a 23 a verdade se completa: Jesus agoradiz que o Pai também viria para fazer de você e de mim Suamorada. Isso é tremendo!!! Quer dizer que o Deus que lançou ofundamento das estrelas, o Deus Onipotente e Eterno mora emvocê. Pense em Jeová Saboah, em Jeová Makadeshkem, em JeováEl Olam, em Jeová Jireh o Grande El Shadai do Velho Testamento,o Deus de Abraão, Isaque e Jacó. Este é o Deus que Jesus Cristoafirma em Sua Palavra que veio habitar em você. Este é o Deus aquem você se uniu e foi amalgamado. É preciso haver um esclarecimento aqui. As Escrituras nuncadizem que nos tornamos deus por temos sido unidos a Ele. Emespírito, entretanto, nosso espírito foi unido e se fez um com oSenhor. Este é o maior fato da nossa experiência com Deus. A basede toda a Escritura e do plano eterno de Deus!Cristo Nos Evangelhos e em Atos Qual é a diferença básica entre os quatro evangelhos e o livrode Atos? A diferença básica é que nos evangelhos, Cristo érevelado como “Emanuel”. Ele é Deus conosco, um Deus do lado defora de nós e no livro de Atos, se revelou como Deus residente emnós, dentro de nós. Nos Evangelhos Jesus é o unigênito, isto é, oúnico gerado naquela nova base. Alguém com uma natureza santa 9
  10. 10. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteexpressando a glória de Deus. Depois de Atos, Ele não é mais o NOTASunigênito, mas se tornou o “primogênito”. Por quê? Porque semudou para dentro de nós para ser o primeiro entre muitos irmãos.Hoje Ele não é mais o único. Não é mais Emanuel, um Deus do ladode for a. Hoje Ele é Deus do lado de dentro de você. Aleluia! Naprática, foi Deus mudando de endereço. A divindade que habitavano céu mudou-se para dentro de seres humanos que tornaram-seSua residência. Este é o novo endereço de Deus: meu espírito, eseu espírito! Oh maravilhosa graça!!! Deus dentro de MIM!Um Vaso Para Conter Deus . “Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, (dentro demim) no evangelho do seu Filho, é minha testemunha de comoincessantemente faço menção de vós”. Romanos 1.9 Paulo servia a Deus no seu espírito humano. Isso nos remetepara outra ilustração rica sobre termos recebido o Senhor dentro denós. Somos vasos para conter o Espírito de Deus. Somos esserecipiente idealizado e feito para este fim. Um vaso, do ponto devista natural serve tanto para decoração, quanto para conter algumacoisa. Como vasos não fomos projetados para sermos apenasmostrados em público, mas para recebermos um precioso conteúdo,um recheio: o próprio Senhor! O conteúdo desse vaso é o próprioDeus. Em Romanos 9.21, Paulo fala de vasos de honra e em 9.23,de vasos de misericórdia preparados para a glória. Por isso, o fatode sermos vasos de honra, preparados para a glória, significa quefomos designados para conter Deus como nossa honra e glória. Domesmo modo, Deus sente-se confortável no homem. Entretanto, Elenão Se sentiria confortável num animal sem um espírito renascidoou mesmo num anjo. Somente num homem Deus sente-se emcasa, em descanso. O céu pode ser o lugar temporário da habitaçãode Deus, mas o Seu verdadeiro lar é dentro de você. No livro doApocalipse vemos claramente essa bendita verdade.Um Deus Que Reside e Reveste Muita gente confunde o receber o Senhor como Deusresidente com o receber o Espírito Santo para revestimento depoder. No primeiro caso Jesus sopra o Espírito para dentro dosdiscípulos e diz: “...recebei o Espírito Santo”. João 20:22. Isto é,recebei-o como sua nova base de vida e natureza. Por outro lado,ainda antes de ser elevado aos céus dá a ordem: “ Mas recebereispoder ao descer sobre vós o espírito Santo” Atos1: 8. Como podeser isso se Ele já houvera soprado sobre eles o Espírito Santo? Éincontestável que são duas experiências distintas e incorrem emgrave erro aqueles que privam a Igreja da segunda experiência. O Espírito de Deus veio primeiro para transformar o espírito.Mas num segundo momento vem para revestimento de poder ecapacitação para o trabalho. Foram dois momentos distintos. Agora,depois disso o discurso muda, Jesus mostra que no futuro, oEspírito não viria de cima para baixo, mas fluiria de dentro para fora.Chegará o tempo que do vosso interior, fluirão rios de vida, rios de 10
  11. 11. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteáguas vivas. A adoração será algo espiritual, a fé virá a partir do seu NOTASespírito; a revelação, os dons espirituais e o amor de Deus fluirão apartir do seu espírito; tudo Deus vai trabalhar a partir do seuespírito. Por que muitas vezes não experimentamos os poderes domundo vindouro como diz a Bíblia? Porque insistimos em procurar aDeus, onde Ele não está. Deus tem uma maneira de trabalhar, e odiabo uma maneira oposta a de Deus. A maneira de Deus trabalharcom você é tentar atrair as suas atenções para dentro, porque Eleestá lá, é a sua fonte de vida, de força, de autoridade. Deus trabalhapara atrair suas atenções dentro de você. O diabo trabalha paraatrair suas atenções para fora, pois ao fazer isso estará afastandovocê da real fonte de suprimento e solução para seus problemas.Na sua sutileza o inimigo usa de estratégias com aparência deespiritualidade como levar os irmãos a terem expectativas emhomens e mulheres ungidos e poderosos, em cultos marcantes emestratégias mirabolantes com aparência de poder e de realidadeespiritual. Ainda que Deus use pessoas, ao manter os crentes comexpectativas exteriores o inimigo conseguirá mantê-las longe dafonte. Não podemos alcançar nada de Deus, com expectativasexternas, pois Ele está dentro de você. A sua vida só mudaráquando tiver revelação de que Deus mora dentro de você. Essaverdade fundamental de Deus dentro de você é tão crucial para oseu progresso que não pode ser mera doutrina com a qualconcorda! Tem que ser experiência viva, revelada e concreta!!!Caso contrário, o prejuízo será de anos e anos de busca noslugares mais áridos onde o Senhor não está! Como conseqüência dessa revelação em seu espírito viráuma consciência de santidade, de reverência e de temor de Deuscom a qual jamais sonhou. Um nível de intimidade e comunhão comDeus que jamais imaginou ser possível. Uma imensa paz e umprofundo gozo no seu espírito serão realidades no seu caminhardiário. Você carrega o Santo em você por onde quer que for. A suacomunhão com Deus será íntima, pois terá descoberto que oendereço dEle é dentro de você.Nada Tem Poder Para Nos Separar DEle “Porque eu estou bem certo de que nem morte, nem vida,nem anjos, nem principados, nem cousas do presente, nem doporvir, nem poderes, nem altura, nem profundidade, nem qualqueroutra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está emCristo Jesus, nosso Senhor” Romanos 8.38-39 Eu não posso retirar você de Cristo, não conseguiria, pormais que tentasse separá-los; os homens mais poderosos einfluentes dessa presente geração jamais conseguiriam se assim oquisessem. O diabo com todos os seus demônios e suasestratagemas são impotentes para conseguir afastá-lo de Cristo.Nada, mesmo nada poderia fazê-lo. E acrescento mais: se de fatovocê é nascido de Deus, nem o pecado pode retirar de você oEspírito Residente. Na nossa fraca consciência achamos quepodemos agradar a Deus por nossa própria força, assim só sentimo-nos em condições de ter paz com Deus, comunhão e orar quando 11
  12. 12. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentenão detectamos nada de errado e pecaminoso diante da nossa NOTASfraca e parcial visão. Quero deixar claro algo aqui, meu irmão:mesmo desejando ser fiel a Deus você está sempre carregado depecados. Iniqüidades e transgressões das quais você nem temconsciência, motivações carnais e tolas estão sempre diante devocê. Se Deus as revelasse de uma vez, certamente você sedesesperaria. Assim, NUNCA a nossa confiança para termoscomunhão com Deus deve ser posta no que fazemos de certo, oudeixamos de fazer, mas deve ser fundamentada na justificaçãoperfeita operada por Cristo e no fato de Ele ter-nos feito sua moradano espírito. Assim, mesmo se você pecar, ou chegar a terconsciência de algum pecado, saiba que isso não espantará oEspírito Santo. Ele já tratou com todos os pecados naquele únicodia e único sacrifício. Ele não te purifica aos pedaços, mas já o feztotalmente! Aleluia! O texto bíblico acima citado diz que nada poderá nosseparar do amor de Deus. Estamos debaixo de uma aliança, que éuma aliança eterna. Se ela é eterna, não está condicionada aosnossos tropeços e fracassos ou às nossas inconstâncias. Deus quisnos assegurar que não é com base no que nossa humanidade, emprocesso de transformação, pode fazer. O fundamento é aquilo queEle, o Cordeiro, fez no Calvário. E a Bíblia afirma que o que oCordeiro fez no Calvário, é totalmente aceitável por Deus, satisfezos altíssimos padrões de Deus, e é nessa base que Ele foiministrado para dentro de você.EM Cristo A Bíblia é cheia de expressões, tais como: ‘em Cristo’, ‘emquem’, ‘no qual’, ‘nEle’, ‘por meio de’, ‘por quem’. Essas expressõestodas significam que Ele está em você, age por meio de você e fluiSua doce presença através de você. Paulo diz em Romanos 3.6,que aqueles que foram colocados em Cristo, batizados em Cristo,de Cristo se revestiram. Há uma mistura e há um amalgama, agoraonde isso deve desembocar? Numa comunhão íntima, profunda ecada vez mais poderosa e viva. Desafio você a buscar essaexperiência. Ela será tão simples como respirar. Você se esforçapara isso? Assim também o Senhor não imporia a condição deaprendermos algo complicado e difícil a fim de nos relacionarmoscom a Sua Presença.Bebendo Dele Como Vida Há uma dimensão profunda a ser experimentada ao nosvoltarmos para o Senhor em nosso espírito. Podemos tomar oSenhor como nossa própria vida e ao fazer isso, não estamoscitando uma poesia, proferindo palavras bonitas ou porque éinteressante, mas porque é um fato, é concreto, objetivo. NoEvangelho segundo João, há várias expressões como: “Eu sou aressurreição e a VIDA” – nEle estava a VIDA -, “Sou a água daVIDA”, “Eu sou o pão da VIDA”. Essa vida é a vida “ZOE” que é a 12
  13. 13. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteprópria vida eterna de Deus. A Bíblia diz que essa vida é que foi NOTASministrada para dentro de você. Então Deus é nossa própria vida, eisso é um fato, uma realidade espiritual. Podemos nos voltar para oSenhor em nosso espírito, confiando que diz a verdade ao dizer quehabita para sempre dentro de nós e dizer: Oh Senhor nestemomento eu O tomo como minha VIDA. Bebo e me satisfaço em Ticomo a minha própria VIDA. Oh bendita VIDA que desceu do céutransborda dentro de mim! Note bem é muito mais que mera oraçãoverbalizada; é um desfrute para dentro do seu espírito. Ore, beba esinta esse fluir!!!Tomando o Senhor Como Alimento A Bíblia também diz que Jesus é o pão, é o alimento, é aágua. Devemos ingerir o próprio Jesus como alimento. O pão,usado aqui por Jesus como símbolo tem muito a revelar: depois deengolido, é processado dentro de nós e passa a fazer parte de nósmesmos. Depois de ser apreciado e matar a fome, já dentro de nós,o pão é digerido e se transforma em glicose. Esta é assimilada pelacorrente sanguínea e distribuída para cada célula do nosso corpo naforma de energia pura. Dessa forma, o pão que comemos se fazrealmente uma só substância conosco! O Senhor Jesus é de fato onosso pão. O padrão de maturidade de vida cristã, não é esperar chegaros domingos para se alimentar, e sim você sozinho se alimentartodos os dias do Senhor através de uma íntima e real comunhãocom Ele. Suas atenções não devem ser voltadas para fora, e simpara dentro onde Ele está, é lá que está a resposta, é lá que está avida. Deus quer que você cresça em comunhão e intimidade comEle. Beba dEle, como água que sacia a sede, que acaba com asequidão e que leva à mananciais de águas vivas.Tomando o Senhor Como Deleite Podemos simplesmente desfrutar do Senhor como nossodeleite, nosso doce gozo no espírito. A Bíblia diz em Efésios 5:18 e19 “Não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, masenchei-vos do Espírito, falando entre vós com salmos, entoando elouvando de coração ao Senhor, com hinos e cânticos espirituais”. Évocê que se enche do Espírito. Como? Falando, declarando econfessando a Palavra. Se você começa a beber e a fluir do Senhoronde você estiver, a vida e o poder de Deus irão se manifestar. Sehouver alguém no ambiente, receberá esta preciosa influência, seestiver enfermo será curado, se houver alguém a quem o Senhorpretende alcançar com contrição e arrependimento, a contrição deDeus tomará conta de seu coração diante de você. Sente falta deforça? Tome-o como força. Quer unção? Volte-se para dentro devocê, pois o Cristo, o Ungido, está dentro de você agora mesmo aíonde está. Ele é a própria unção. Tome dEle como sua unção, suaalegria, sua direção, sua libertação, sua defesa, sua cura... Ao experimentar, degustar e beber do Senhor como fonte dedeleite, você irá se aprofundando nessas águas caudalosas até quese tornem torrentes que transbordam de dentro de você. De dentro 13
  14. 14. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentepara fora, pois a fonte está dentro de você. Esta é uma verdade NOTASbásica, portanto não diga mais que o Senhor virá te visitar ou queestá ao seu redor. Ainda que seja verdade, pois Ele está em todosos lugares, o maior fundamento da sua vida é que Ele está EM vocêpara sempre: “ Aquele que se une ao Senhor É UM espírito comEle!” Essa é a porta de entrada para um caminho de maturidade eprogresso espiritual genuínos. Muita gente se equivoca achandoque Deus se disseca e se estuda com a mente. Lembre-se, Ele éEspírito. Esta a porta para um genuíno conhecimento de Deus, é aporta para a unção, para a revelação, para experiências maisíntimas, é a porta para frutos abundantes. Deus não quer você paraa obra, para ter você meramente como um empregado; Ele quervocê para si mesmo; Deus não quer um servo, um fazedor decoisas, Ele quer sua intimidade. Para conhecer outros detalhes sobre o nosso espírito comomorada de Deus no Velho Testamento, veja o Apêndice 2 no finaldeste tema.Três Obstáculos na Mente O obstáculo que nós temos para avançarmos nessa vida cristã,nessa comunhão com Deus, é a nossa mente difusa, indisciplinadae dispersa. A nossa mente pensa em várias coisas ao mesmotempo, sai daqui, vai para acolá, lembra-se, perde a linha do quepensava a pouco e já se dirige para outro pensamento. Quando nosconvertemos e nosso espírito humano é vivificado e a alma deveaprender a seguir o espírito. Assim a mente terá a chance de nãodeter mais as rédeas da direção do nosso ser. Se decidimos adorara Deus a mente deverá seguir obediente. Aqui encontramos oproblema desses anos todos vivendo independentes de Deus.Quando começamos a por em prática essas coisas espirituais,haverá momentos em que a presença de Deus fluirá de maneiratremenda. Haverá momentos nos quais aparentemente nada estaráacontecendo. Quando estamos buscando o Senhor no nossoespírito, a nossa mente tenta nos levar para as coisas naturais queestão a nossa volta. Nesse momento você poderá se lembrar de irao banco, lembrará que está na hora de fazer o almoço, ou buscaras crianças na escola, que esqueceu o leite no fogo etc. Tudo issoflui nesse momento, porque a mente ainda é indisciplinada, é difusa.Está acostumada a anos à fio de independência. Por isso às vezesparecerá difícil colocar a mente no espírito. A mente estáacostumada a não seguir orientação nenhuma.A independência da alma e da mente. A alma acostumou a ser independente. A mente édesgovernada. Quando conhecemos Jesus e viemos do mundo,chegamos com essa mente desgovernada, pois não sabíamos queestávamos em um bombardeiro cerrado com o inimigo. Quandoconhecemos a Cristo é que sabemos que a nossa mente é o únicolugar que os espíritos malignos têm acesso para nos atacar. 14
  15. 15. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteFisicamente o diabo não pode nos tocar, em circunstâncias normais. NOTASMas se dermos brecha, formos complacentes com o pecado, ele vaitocar sim. A nossa mente é o lugar da batalha.A mente atacada, cede ao inimigo. O diabo pode induzir os nossos pensamentos lançando dardosna nossa mente. Às vezes vem um pensamento relâmpago, umasugestão absurda que invade sua linha de raciocínio normal. Anossa mente antes de receber à Cristo, vivia em desgoverno. Aspessoas no mundo são manipuladas e induzidas por espíritosmalignos, que as dirigem na mente, às vezes até para cometeremcrimes bárbaros. Nunca percebem que estão sendo marionetes nasmãos do maligno, pensam que vivem na liberdade de escolha, masvivem sob a manipulação das sensações, desejos, sugestões epensamentos.A Mente era uma Aliada de Satanás. Quando chegamos a Cristo, tomamos conhecimento desseproblema na nossa mente, na nossa alma. A Bíblia mostra queAdão tinha uma comunhão íntima com Deus no seu espírito. Oespírito de Adão era o que estava em evidência no seu ser, e comisso Deus podia vir e ter comunhão, falar, ter relacionamento deamizade com Adão. Adão tinha o seu espírito em lugar de primaziaem preeminência na sua vida. Satanás então estimulou aindependência, estimulou Adão a tomar iniciativas à parte dadireção de Deus. A colocar Deus à parte. Ele estimulou Adão a sedivorciar da comunhão, da amizade de Deus. Assim, quando eleteve estimulada a sua alma e decidiu aceitar e seguir tal sugestão,passou a andar à parte da direção de Deus. Na prática a sua almatomou o lugar do espírito, e o espírito passou a ter um lugarsecundário. Por causa dessa independência, o homem morreuespiritualmente. Assim, desde que nascemos, vivemos em umcontexto no qual somente a nossa mente (uma das funções daalma) é estimulada a funcionar. O sistema do mundo funcionaassim. Todo o sistema ideológico, religioso, educacional, filosófico epolítico, caminha nessa racionalidade morta para Deus. Quandovocê vem para Cristo, o seu espírito é vivificado, mas a sua menteainda precisa ser disciplinada a fim de romper com a independênciado Espírito. Essa é a principal dificuldade que encontramos.Queremos servir ao Senhor, tomar o Senhor como nosso alimento,mas a nossa mente não acompanha o nosso espírito. Depois que onosso espírito é colocado em evidência sendo vivificado, o EspíritoSanto que habita em nós espera que a nossa mente volte para olugar dela, que sujeite-se ao espírito. Ele nos oferece váriasferramentas para disciplinar a nossa mente. Vamos falar de quatroferramentas básicas para isso acontecer. 15
  16. 16. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASAprendendo a Colocar a Mente no EspíritoO Dom de Línguas, a Primeira Ferramenta. “O que fala em outra língua a si mesmo se edifica, ...” I Coríntios14.4 a. O que fala em línguas edifica a si mesmo, e Deus quer quetodos falem em línguas, para poderem ser edificados. “Porque, seeu orar em outra língua, o meu espírito ora de fato, mas a minhamente fica infrutífera.” I Coríntios 14.14. Quem ora em línguas, temseu espírito orando de fato, mas a mente fica infrutífera. A mentenão entende nada, e isso é para discipliná-la no seguir o espírito.Nós estamos acostumados a exercitar a mente para orar, para ler aBíblia, para tudo. Aí Deus dá um dom em que a sua mente não temque se exercitar, pelo contrário, ela tem que ficar quieta, calada,acompanhar o seu espírito. Essa é a maneira de Deus de trazer asua mente cativa, para o caminho estabelecido pelo seu espírito.Portanto se você quiser se edificar, Deus oferece a possibilidade deassim o fazer falando em línguas. Temos, entretanto, que tomarcuidado, pois a mente é hábil em aprender as coisas do espírito, etransformá-las em cópia. Facilmente podemos falar em línguas combase no que já decoramos na mente sem, entretanto voltar-nos parao espírito. Esse é um tremendo tropeço para teólogos racionais quetiram seu prazer dos exercícios mentais teológicos e filosóficos. Ascoisas de Deus se discernem espiritualmente. Sem perceberemcaem no mesmo problema dos fariseus do passado. “...dou graças a Deus, porque falo em línguas mais do quetodos vós. Contudo, prefiro falar na igreja cinco palavras com o meuentendimento, para instruir outros, a falar dez mil palavras em outralíngua.” I Coríntios 14.17-19. Aqui Paulo estava querendo dizer quedentro da igreja, para que os demais irmãos sejam edificados, épreciso haver compreensão, entendimento. Paulo diz que não é nasreuniões da igreja o melhor lugar para se falar em línguas. Diz poroutro lado, que falava em línguas muito mais do que todos eles.Então onde Paulo falava em línguas? Enquanto fazia qualquer outrotipo de atividade, andando, viajando, enquanto estava nas prisões,trabalhando, etc. Ele orava em línguas para edificar seu espírito edisciplinar a mente. Vamos citar 3 motivos porque as pessoas temdificuldades em receber o dom de línguas: Bloqueio teológico – Você foi doutrinado que, o Dom de línguas foi para a dispensação do tempo dos apóstolos, que aquilo era um contexto especial, que Deus não batiza mais no Espírito Santo, que Deus não cura mais. Se é seu caso, há uma estrutura de pensamento com argumento teológico que te bloqueará. Você terá dificuldade para receber o Dom de línguas, e outros dons. Meu conselho é que você se livre dessa mentira do diabo com um ato da sua vontade. Recuse essa argumentação e sinceramente busque o que ele tem para a sua vida! Ansiedade – A pessoa entra em conflito. Todos estão falando em línguas, e ela fica olhando e perguntando: Será que isso é 16
  17. 17. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente para mim, será que é de Deus, será que é a minha mente? Fica NOTAS procurando entender o que acontece, debate-se, divaga em mil argumentos, abre a mente para acusações do maligno sobre sua falta de mérito etc. Não recebemos os dons de Deus nessa peleja toda. É simples como piscar os olhos! Ele disse que me daria? Então eu creio nele e alegremente agradeço. Volto-me para ele com intensidade e amor. A partir daí fico na expectativa do que Ele me dará. Qualquer que seja a porção daquele dia me alegrarei e ficarei satisfeito. Infelizmente a maioria não tem essa maturidade no começo da caminhada com Cristo. Não é com o raciocínio que se fala em línguas, mas com o espírito. Muitas vezes o Espírito Santo quer te conduzir à maneira dEle, e às vezes de um modo que você menos espera. Deus age assim a fim subverter os caminhos traçados pelo homem e manter-nos humildes seguindo sua sensível e suave condução. Acusação - É quando o inimigo fala que você não é bom o suficiente, não é santo, não é perfeito, não é aprovado, não é merecedor suficientemente para receber o Dom de línguas. Quando você acata um desses argumentos, Deus não tem como te batizar no Espírito Santo, pois você mesmo se exclui. Você deve lançar isso fora, porque não é propósito de Deus que você acate esse tipo de argumento. O Dom de línguas não é dado por merecimento, já foi concedido, já é seu e você se apropriará dele por fé.Adoração, a Segunda Ferramenta. “Mas vem a hora, e já chegou, quando os verdadeiros adoradoresadorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que oPai procura para seus adoradores.” João 4.23 Esta é a segundaferramenta preciosa que Deus nos dá para disciplinarmos a nossamente em seguir o espírito. A Bíblia diz que a adoração funciona noâmbito dessa esfera espiritual. Quando você chega diante de Deuspara adorar o Senhor, ao mesmo tempo em que você éembevecido com a presença dele, edificado na presença dele e seperde nos rios caudalosos da sua Presença, a sua mente terá queseguir o seu espírito à medida que você ora e navega no seuSenhor.Contemplar o Senhor, a Segunda Ferramenta. “Uma coisa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morarna casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar abeleza do Senhor, e meditar no seu templo.” Salmo 27.4 OContemplar o Senhor é voltar-se para Ele em seu espírito emsilencio, apenas para apreciar a sua Grandeza e mergulhar na Suapresença. Quando você se dispõe a contemplar a beleza doSenhor, a sua mente vai seguindo a trilha que o seu espírito estádando. Quanto mais contemplamos o Senhor, mais vamos sendotransformado à imagem dEle. Ativamente induza o seu coração abuscar a Deus e a estar na presença dEle. Um coração derramado 17
  18. 18. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentea contemplar o Senhor é uma alma que encontrou o lugar secreto à NOTASsombra do Onipotente!Orar a Palavra, a Terceira Ferramenta. “O Espírito é que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito, são espírito e são vida.” João 6.63 A Palavra é viva, ela é Espírito e é vida. Orar a Palavra de Deus para disciplinar a nossa mente, requer uma atitude ativa. A ordem de nos encher a nós mesmos no Espírito requer o falar, o cantar e o orar de um modo espiritual. Deus nos leva assim, para regiões íntimas e profundas nEle Isso é baseado numa atitude e posicionamento ativo. Eu induzo o meu coração ao Senhor, eu aplico o meu coração nessa direção. Isso é o que Deus espera, o que Deus requer. Deus não pode trabalhar e vê-se impedido de agir por causa da sua passividade. Ao usarmos a terceira ferramenta que é orar a palavra, daremos um firme leito de rio para a nossa mente seguir. Ao orarmos a palavra estaremos descansando a nossamente nos trilhos estritos que a Escritura está dando. Não teremosque formular frases e nem exercitar a mente. Não tomaremos aPalavra nesse momento para meditarmos, nem para descobrirmosnovas verdades, mas estritamente para dar à mente o caminho vivoda disciplina. Há várias maneiras de você orar a Palavra. Você pode tomá-la como fonte de conhecimento de Deus – como manual deprincípios espirituais – ou como um livro de histórias. Pode tomá-latambém como arma, pois ela é espada – ou ainda, como temosensinado aqui: como alimento. A Palavra é espírito e vida, porquenão é a palavra de um qualquer, mas a Palavra da própria boca deDeus. A Palavra pode ser bebida para dentro do seu espírito, podeser comida, pode ser instrumento de vida para você. Esta é uma maneira completamente diferente de seaproximar da Palavra de Deus. Você pode vir à da Palavra paraconhecimento, mas se a toma como alimento para dentro do seuespírito, como sua vida, tomará cada palavra, não para meditarnela, mas para disciplinar a minha mente. Poderá tomar cadapalavra, por exemplo, do Salmo 23. Pode comer, beber, como sedesfrutasse de uma gostosa sobremesa. Vai sorver para dentro domeu espírito cada palavra, como se comesse algo delicioso paradeleite do seu paladar natural. Se você ora um texto da Palavra,comendo e bebendo para dentro do seu espírito, no final disso, aconseqüência extra será que você receberá muita revelação. Ficaráassustado com tanta luz. Dessa forma, a mente seguirá o espírito quando você colocara trilha que o espírito está orando diante dela. Você estarádisciplinando a sua mente a seguir o seu espírito. A medida que você reservar tempo para estar diante doSenhor para orar em línguas, para contemplar, para adorar, você vaireceber o resultado do que você está plantando, Na medida que 18
  19. 19. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentevocê semear, você irá colher. Cada vez que você usar uma dessas NOTASferramentas, estará disciplinando a sua mente, e se enchendo doEspírito, e cada vez mais a sua alma estará sendo transformada,pela renovação da sua mente (Romanos 12.1-2). Por isso tome,coma, beba do “Eu Sou”, pois Ele é a fonte de tudo o que vocêprecisa, para Ter uma vida cristã transbordante. Bibliografia A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente - Pr. Marcelo Oliveira de Almeida 19
  20. 20. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASAPÊNDICES 1ORAR LENDO A PALAVRA Quando um bebê nasce, a sua necessidade mais imediata étomar leite para se alimentar. Sem alimento, a criança nova nãosomente deixará de acompanhar o crescimento normal, masbrevemente virá a ser fraca e eventualmente poderá até morrer.Depois que somos salvos e nascidos de novo, a nossa necessidademais imediata é que aprendamos a beber o Senhor como nossoleite e alimento espiritual. Sem esse alimento espiritual nós tambémnão temos o crescimento normal e em pouco tempo estaremosespiritualmente mortos. Nos Evangelhos, o Senhor Jesus Se apresenta como umbanquete para nós bebermos e comermos. Ele diz no quartocapítulo de João que Ele é “a água viva” para nós bebermos. Nosexto capítulo do mesmo livro, Ele diz que Ele é “o pão da vida”para ser comido. Depois, a Bíblia diz em 1 Coríntios 12: “E a todosnós foi dado beber de um só Espírito”. Nós O bebemos e ocomemos, e, em conseqüência disso, nos deleitamos Nele e Orecebemos como o nosso alimento espiritual. Temos que louvar oSenhor por Jesus Cristo se apresentar a nós como um banquetepara satisfazer todas as nossas necessidades e ser nossosuprimento. Todos nós sabemos que o Seu nome é o grande “EUSOU”, o qual significa: EU SOU tudo quanto Meu povo precisa. Em 1 Pedro 2:2-3, nós temos uma passagem muitoimportante: “desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas,o genuíno leite espiritual, para que por ele vos seja dadocrescimento para a salvação, se é que já provastes que o Senhor ébom”. Esses versículos são importantes para nós, porque nos dizemclaramente como experimentar o Senhor: beber o “leite genuíno(puro) da Palavra”. Se nós quisermos experimentar Cristo, temosque beber o leite da Palavra. Assim estaremos nutridos para ocrescimento espiritual. Glória ao Senhor, a Bíblia diz “provastes!”.Ela não diz que nós conhecemos este ou aquele aspecto acerca doSenhor. Quando nós bebemos o leite da Palavra, na realidade nósestamos provando o Senhor. Portanto, o modo para nós provarmoso Senhor é simplesmente tomando o leite da Palavra. A Palavra nãoé somente para nós estudarmos e aprendermos. O modo pelo qualo Senhor alimenta o Seu corpo é pela Sua Palavra. Se desejamosnos deleitar no Senhor e sermos alimentados por Ele, precisamosvir à Palavra para provar do Senhor. Todavia, a idéia que muitos de nós temos a respeito daBíblia é que ela é uma espécie de ensino, um livro cheio dedoutrinas. Deste modo, nós chegamos à Palavra com a intenção deentendermos e sabermos alguma coisa. Em toda a nossa vidacristã, quanto da Palavra temos nós ingerido como alimento para onosso espírito? Devemos responder honestamente que a maioria denós tem ingerido muito pouco. Nós não devemos ir à Bíblia para 20
  21. 21. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteaprender e entender somente. A Bíblia não é a “árvore do NOTASconhecimento”, é a “árvore da vida”! Se pegarmos a Palavra deDeus como a “árvore do conhecimento”, nós a usaremoserradamente porque II Coríntios 3:6 diz que “a letra mata”. Nuncadevemos pegar a Palavra como um livro de letras, mas como umlivro de vida. Todos os cristãos sabem que a função da Palavra de Deusé revelar Deus para nós. Ainda que isto seja verdade, essa não ésua principal função. A principal função da Bíblia e expandir Deusdentro de nós como vida e como suprimento de vida. Não só nosfornecer conhecimento a respeito de Deus e do Seu amor, masexpandir o próprio Deus dentro de nós. Sempre que lermos a Bíblia,não devemos somente tentar conhecê-la ou entendê-la, masapropriarmo-nos de alguma coisa da essência de Deus para dentrode nós, assim como fazemos ao comer nossa comida. Igual àcomida, essa substância será absorvida dentro de nosso ser. I Timóteo 4:6 diz que somos “alimentados com as palavrasde fé”. Sem dúvida temos lido esse versículo várias vezes, mastemos nós notado a palavra “alimentados”? Aleluia! O conceito doapóstolo Paulo era que a Palavra de Deus é comida para alimentaros filhos de Deus. Nós também devemos ter a mesma percepção arespeito da Palavra de Deus. Não devemos considerá-la só comoconhecimento, mas como comida para alimentar-nos e suprir-nos atoda hora. I Timóteo 1:10 fala das coisas que “se opõem à sã doutrina”.De acordo com o texto original, a palavra “sã” significa saudável. APalavra de Deus não é somente sã doutrina para a mente, masdoutrina saudável para vida. Esta palavra saudável no grego éequivalente à palavra higiene. A higiene está muito relacionada comsaúde. Devemos ter mais do que uma palavra sã; devemos ter umapalavra saudável, a qual nos alimenta e nos supre. As Escrituras revelam no mínimo três casos daqueles quecomeram a Palavra de Deus. O primeiro é Jeremias, que disse:“Achadas as tuas palavras, logo as comi;” (Jr.15:16). Comer algumacoisa não é meramente recebê-la,mas absorvê-la. Absorver éreceber alguma coisa dentro de você, digerir e fazer disto parte devocê mesmo. O segundo caso de alguém que tenha comido aPalavra de Deus é narrado no livro de Ezequiel, onde o profetaEzequiel comeu a Palavra de Deus (Ez 3:1-3). Finalmente, emApocalipse 10, nós vemos que o apóstolo João também comeu aPalavra de Deus. Jeremias disse: “as tuas palavras me foram gozoe alegria para o coração” (Jr.15:16b). Esta é uma espécie de prazer.A Palavra, depois de ter sido comida vem a ser gozo e tambémalegria. A Palavra de Deus é prazer; depois de estar em nós e serabsorvida bem dentro de nós, torna-se alegria em nosso interior eregozijo exterior. Davi disse: A Palavra na verdade é uma satisfação : é ela até maisdoce e mais agradável do que o mel para o nosso paladar. Desses 21
  22. 22. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteversículos, percebemos que a Palavra de Deus não é somente para NOTASnós aprendermos, mas para nós a provarmos, comermos,deleitarmos nela e digeri-la. O Senhor Jesus também fala daPalavra de Deus como alimento espiritual: “Não só de pão viverá ohomem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”(Mt.4:4). Toda palavra que procede da boca de Deus é comidaespiritual para nos alimentar. Esta é a comida pela qual devemosviver. Qual a substância, a essência da Palavra de Deus? Aresposta é encontrada em 2 Timóteo 3:16: “Toda Escritura éinspirada por Deus...”. A tradução de João Ferreira de Almeida diz“inspirada por Deus”, mas o significado na língua original é “sopradapor Deus”. Nós sabemos que “Deus é Espírito” (Jo.4:24); o Espíritoé a essência e a natureza de Deus. “Deus é Espírito” (assim comouma mesa de madeira é). Visto que a Palavra é o sopro de Deus, e“Deus é Espírito, tudo que é soprado por Deus tem de ser Espírito!Então, a essência ou a natureza da Palavra de Deus é Espírito. OEspírito é a profunda essência da Palavra de Deus. Agora nóspodemos ver porque o Senhor Jesus disse que as palavras que Eledisse “são Espírito e são vida” (Jo 6:63). Uma revelação, umpensamento ou uma doutrina nunca poderiam ser vida, mas porquea Palavra é Espírito, eles são vida. A natureza deste livro é aessência do próprio Deus. Toda vez que nós lidamos com esselivro, devemos saber que estamos tocando Deus mesmo. Tendo visto que a Palavra de Deus é a essência do próprioDeus e que ela é para o nosso gozo espiritual e alimentação,devemos ver agora a maneira certa de vir à Palavra. Qual é amaneira? Devemos olhar para a Palavra de Deus como émencionada em Efésios 6:17-18. Para esclarecer o versículo 17, émelhor adicionar a palavra que é absolutamente correta, de acordocom a construção gramatical da língua original. Podemos traduzirdesse modo: “Tomai... a espada do Espírito, o qual Espírito é aPalavra de Deus, com toda oração e súplica”. De que maneiradevemos, portanto, nos alimentar da palavra de Deus de acordocom essa passagem? “Com toda oração e súplica”. Isso é o que nóschamamos “ORAR-LER”! Novamente devemos repetir - a Palavrade Deus deve ser tomada “com toda oração”. Simplesmente pegue a Palavra de Deus e ore-lendo algunsversículos de manhã e à noite. Não há necessidade de vocêexercitar a sua mente para tirar dela algum proveito e não énecessário que você reflita sobre o que leu. Somente ore com asmesmas palavras que você leu. Em cada página e em cadaversículo, existe uma oração viva. Não há necessidade de fechar os olhos quando você ora.Em todos os 66 livros da Bíblia, não achamos um versículo que dizque devemos fechar os olhos para orar, mas há um versículo quediz que “Jesus...levantou os olhos ao céu, e disse: Pai...” (Jo 17:1).Ele estava olhando em direção ao céu enquanto estava orando. Nãoque devemos agora argumentar sobre doutrinas, mas devemos 22
  23. 23. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentereconhecer que não há necessidade de nós fecharmos os olhos, NOTASquando oramos. Seria melhor se fechássemos a nossa mente! Porexemplo, ao orar-ler Gálatas 2:19, apenas olhe para a páginaimpressa que diz: “Estou crucificado com Cristo”. Então, com osolhos na Palavra e orando do fundo de seu interior, diga: Glória aoSenhor, “Eu estou crucificado com Cristo”. Amém! “Eu estou”, Ó,Senhor, “Estou crucificado”. Louvado seja o Senhor! “Crucificadocom Cristo”, Amém! Aleluia! “Contudo,”, Amém! “Eu vivo”, Ó Senhor!“Eu vivo” Aleluia! Aleluia! “Não eu, mas Cristo”, etc...Aí talvez vocÊabra em João 10:10 e leia: “Eu vim para que tenham vida”. Então,com os seus olhos ainda na Bíblia, você pode orar. “Eu vim”. Amém!“Eu vim”. Aleluia! “Eu vim para que tenham vida”. Louvado seja oSenhor! “Para que tenham vida”. Aleluia! “Vida”. “Amém! Vida”, ÓSenhor! “Vida”. Não há necessidade de você compor algumasentença ou criar uma oração, somente você verá que toda a Bíbliaé um livro de oração! Você pode abrir em qualquer página da Bíbliae começar a orar com qualquer porção da Palavra. A Bíblia é o livro,o livro santo. “Toda palavra que vem da boca de Deus” é diferentede qualquer outra, até da melhor do mundo. O mundo tem somenteas palavras dos seres humanos, mas a Bíblia tem a Palavra deDeus! Toda palavra nesse livro é a Palavra de Deus. Mesmo quevocê não entenda alguma passagem, ainda assim você está sealimentando enquanto ora e lê porque há realmente alguma coisade Deus em Sua Palavra: a Palavra de Deus é o Seu sopro. Não hánecessidade de explicações ou expor a Palavra; simplesmente orecom a Palavra. Para maior satisfação, alimentação, e orar-ler a Palavracorreta, adequadamente, nós precisamos do Corpo, a Igreja. Nóspodemos gostar de orar-ler a Palavra individualmente, mas setentarmos isso com um grupo de cristãos, estaremos no terceirocéu! A explicação para isso é que o alimento é para todo o Corpo,não meramente para um membro sozinho. Não comemos comidasimplesmente por causa do nosso braço; tampouco pensamos quea mão pode comer por ela mesma. Não, o alimento é para sercomido pelo Corpo e o alimento é para o Corpo. O princípio é quecomer é para o Corpo, não somente para os membros. Portanto, amelhor maneira de você orar-ler é com os outros membros doCorpo. Você vai lucrar orando-lendo sozinho, mas você verá adiferença quando se reunir com outros irmãos e irmãs. Quando nos reunimos com os irmãos e irmãs para orar-ler,existem quatro palavras que devem ser lembradas: rápido, curto,verdadeiro e novo. Primeiro, precisamos orar rapidamente, semhesitar. Quando somos rápidos pra orar, não temos tempo para usara nossa mente e considerar. Depois, as nossas orações devem sercurtas porque orações longas precisam de alguma composição.Devemos esquecer sobre composição de uma longa oraçãosomente proferir uma frase ou uma sentença. Faça isto de umamaneira rápida e breve. E precisamos também ser verdadeiros, nãoatores. Diga algo de um modo verdadeiro. Finalmente, nossas 23
  24. 24. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteorações devem ser novas, não velhas. A melhor maneira delas NOTASserem novas é não orarmos com as nossas palavras, mas com aspalavras da Bíblia. Cada passagem, cada linha desse livro pode serusada como oração e será uma oração bem nova, cheia de frescor. Milhões têm provado que esta é a maneira certa de sechegar à Palavra de Deus. Isso tem revolucionado suas vidas. Podenão funcionar tão bem no começo, mas com prática e coraçãosincero, você tocará o Espírito vivo. Se você tentar tantoindividualmente como no Corpo, você será capaz de testificar dasriquezas de Cristo que têm sido doadas a você pelo “orar-ler” aPalavra de Deus. Você verá bênção e crescimento na sua vidaespiritual. Haverá uma grande mudança. Entrando em contato coma Palavra desse modo, para saborear a Cristo e ser alimentado porEle, você será uma pessoa crescendo para a maturidade, cheia devida e plena com Aquele que vive.Uma maneira simples para tocar o Senhor Em suas epístolas, Paulo nos revela, clara e enfaticamente,o ponto fundamental, o objetivo máximo do andar cristão: “Para Oconhecer” (Fp 3:10); “Para mim o viver é Cristo” (Fp 1:21); “Cristo,que é a nossa vida” (Cl 3:4). Por meio desses versículos, todos nóspodemos ver que a realidade e o ponto central da vida cristã ésimplesmente o próprio Cristo. Como pessoas que nasceram deDeus e têm Cristo vivendo em seu interior, todos os cristãosprecisam ser levados, pela misericórdia do Senhor, ao ponto de nãomais serem surpreendidos estudando sobre Cristo ou fazendoalguma coisa para Ele, ou mesmo servindo-O. Mas, pelo contrário,estejam na realidade de tocá-Lo e experimentá-Lo de uma maneiraviva à cada dia. Romanos 5:10 testifica: “Porque se nós, éramosinimigos, fomos reconciliados com Deus mediante a morte de SeuFilho, muito mais, tendo sido reconciliados, seremos salvos em Suavida” (V.R.). Esse “muito mais” quer dizer mais de Cristo. Aexperiência inicial de salvação de um cristão é verdadeiramentemaravilhosa. Ele é agora uma pessoa nascida de Deus, mas “muitomais” ele deve ser salvo pela vida de Cristo. Toda pessoa queconhece Cristo como seu Salvador pode e deve ser levada a essaexperiência de “muito mais”, a qual consiste em penetrarmos naplenitude e realidade de uma vida completamente centrada emCristo, experimentando-O, tocando-O e desfrutando-O à cadamomento. Como nós podemos experimentar Cristo de uma maneiraprática como nossa própria vida à cada momento? O Senhor nosdeu uma maneira simples. Tudo o que precisamos fazer é invocá-Lo, e entãotocaremos Aquele que é o suprimento que dá vida. Em Romanos10:12b- 13, a Bíblia diz: “... porque o mesmo Senhor de todos é ricopara com todos os que O invocam. Porque: Todo aquele que 24
  25. 25. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteinvocar o nome do Senhor será salvo” (V.R.). No passado talvez NOTAStivéssemos o conceito de que esses versículos eram aplicáveissomente a uma experiência inicial de salvação, mas todos sabemosque cada cristão precisa de uma salvação diária do pecado, do ego,das fraquezas humanas, etc. Do lado positivo, ele também precisade um suprimento abundante do Senhor para nutri-lo e fortalecê-lo,a fim de que ele possa amadurecer para dentro de Cristo em todasas coisas. O caminho para a realização disso é simplesmente peloinvocar o Senhor. Ele é rico para com todos os que O invocam. Nósvemos que, em 2 Timóteo 2:22, Paulo incita Timóteo a viver a vidacristã com aqueles que invocam o Senhor com um coração puro. A experiência de Cristo pelo cristão na forma proposta porDeus deve ser real para o crente e um testemunho para aquelesque estão no mundo. Qual era o testemunho dos primeiros cristãos?Era este: eles eram o povo que invocava o nome do Senhor. Vemosisso em Atos 9:14, onde está escrito que Paulo, antes de suaconversão, perseguia todos aqueles que invocavam o nome doSenhor. Ele recebeu “autoridade dos principais sacerdotes paracapturar todos os que invocavam Seu nome”, Primeira Coríntios 1:2reafirma isso, mostrando-nos claramente que os primeiros cristãoseram aqueles que em todo lugar invocavam o nome do Senhor. Muitos cristãos hoje têm começado a praticar o invocar onome do Senhor à cada dia, à cada hora e à cada momento, deuma maneira simples e prática. Para seu gozo, eles têm descobertoque o Senhor é tudo o de que necessitam, e que eles podem tocá-Lo e ter comunhão com Ele a qualquer hora e em qualquercircunstância, simplesmente invocando-O do mais profundo de seuinterior. O nosso invocar ao Senhor não deveria ser de uma maneiraobjetiva, invocando o Cristo que habita nos céus, mas invocando oCristo que é o Espírito e que habita profundamente no interior donosso ser. Assim sentiremos o fluir e a comunhão de Cristo dentrode nós. “Mas vem a hora, e já chegou, quando os verdadeirosadoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque sãoestes o que o Pai procura para Seus adoradores. Deus é Espírito; eimporta que os Seus adoradores, que O adoram, O adorem emespírito e em verdade” (Jo 4:23, 24). Essa verdadeira adoração oucomunhão deve ser constante e vivificante para todo cristão. Averdadeira adoração nesses versículos não consiste em tomar parteou guardar certas regras, formas, rituais ou regulamentos, mas pelocontrário, em invocar o Senhor do mais profundo de seu ser,contando e tendo comunhão com Jesus Cristo, a Verdade, aRealidade. O desejo do Pai para nós é que possamos desfrutar eparticipar dessa verdadeira adoração, que é tocar e ter comunhãocom o Seu Filho durante todo , e à cada dia. Quer no trabalho, nasala de aula, dirigindo um carro, conversando com um amigo ou emreuniões com outros cristãos, Seu desejo é que nós contatemos etenhamos comunhão com o nosso Senhor. Novamente temos de louvar e agradecer o Senhor porqueEle não somente nos disse que precisamos invocá-Lo, adorando-O 25
  26. 26. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteem espírito e em realidade, mas Ele também nos deu uma maneira NOTASmuito prática e simples para tocá-Lo nessa verdadeira adoração. ABíblia nos dá exemplos claros que nos mostram que podemos tocare experimentar o Senhor em adoração, simplesmente invocando oSeu nome. Em Mateus 8:2, lemos: “E eis que um leproso, tendo-seaproximado, adorou-O, dizendo: Senhor,...” Depois, em Mateus15:25, nós lemos: “Ela, porém, veio e O adorou, dizendo, Senhor,...” Esses versículos nos ajudam a ver que podemos participarda verdadeira adoração em qualquer lugar, a qualquer hora, e emqualquer situação. Qualquer que seja nossa circunstância imediata,podemos adorá-Lo simplesmente orando: “Ó Senhor, Ó Senhor”.Muitos cristãos estão descobrindo que o simples respirar Seu nome,“Ó Senhor”, quando são tentados, oprimidos ou apenas distraídos,leva-os a um verdadeiro contato e comunhão com o Senhor, e auma completa libertação do ego, do pecado, do mundo,etc. Quandoclamamos ao Senhor desta maneira, do profundo do nosso interior,temos uma sensação profunda de Cristo e da Sua vida fluindo emovendo-Se dentro de nós. Nos Salmos, vemos que, quando ossalmistas oraram ao Senhor, eles clamaram: “Ó Senhor”, mais de180 vezes. Numa ocasião, um salmista disse: “De todo o coração euTe invoco, ouve-me, Senhor” (Sl.119:145). Em outra ocasião umdeles disse: “Então invoquei o nome do Senhor: Ó Senhor...”(Sl.116:4). Na verdade, não é algo leve invocar o Senhor; contudo, étão simples e prático, pois, dessa maneira, podemos diariamente, àcada momento, tocar e experimentar Cristo como nossa satisfaçãointerior e nosso gozo. A Bíblia nos dá um outro exemplo da verdadeira adoraçãoem Apocalipse 19:4: “E os vinte e quatro anciãos e quatro seresviventes prostraram-se e adoraram a Deus, que está sentado sobreo trono, dizendo: Amém! Aleluia!” (V.R.). Segunda Coríntios 1:20diz: “ Porque quantas são as promessas de Deus, Nele é o sim,porquanto também por Ele é o Amém para Deus” (V.R.). E emApocalipse 3:14 encontramos que “Amém” é um outro nome dado aCristo. Quando clamamos Amém do profundo do nosso interior,sentimos que tocamos Cristo, da mesma maneira que quandoinvocamos “ó Senhor, Ó Senhor”, porque assim como Seu nome éSenhor, Seu nome também é Amém. Então, em 1 Crônicas 16:36vemos que o nosso clamar “Amém”. é um verdadeiro louvor aoSenhor. “Bendito seja o Senhor Deus de Israel, desde a eternidadeaté a eternidade. E todo o povo disse: Amém! e louvou ao Senhor”.Clamarmos “Amém” do profundo do nosso interior é invocar oSenhor e tocá-Lo. Aleluia - significa: “Louvado seja o Senhor”. Isto é, “Louvai aJeová”, e inúmeras vezes o salmista usou aleluia na sua adoração elouvor a Deus. Os últimos cinco Salmos começam e terminam comesta palavra celestial de adoração. Nós também encontramos essapalavra oferecida em adoração a Deus em Apocalipse 19:1, 3, 4, 6.Hoje ela ainda é a mesma; nós podemos adorar e ter comunhãocom o nosso Senhor dessa mesma maneira simples. Durante todo o 26
  27. 27. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residentedia, clame apenas: “Ó Senhor, Amém, Aleluia”, do mais profundo do NOTASseu ser. Do mais profundo do seu ser, simplesmente respire: “ÓSenhor”, “Amém”, “Aleluia”, e você provará a doçura e a realidadedo próprio Senhor. Você começará a perceber, cada vez mais, queSua vida é verdadeiramente uma vida que salva. Hoje muitoscristãos têm descoberto que eles podem conhecê-Lo, que podemser trazidos para dentro do poder da Sua ressurreição, experimentarSua salvação espontânea, e andar em unidade com Ele, clamandoa cada momento: “ Ó Senhor, Amém, Aleluia!” Texto extraído do livro Oração – O Primeiro e o Último Recurso de Witness Lee e Watchman Nee 27
  28. 28. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente NOTASAPÊNDICES 2Do lugar raso às profundezas Enquanto você lê este título, talvez sinta que simplesmentenão é uma daquelas pessoas capazes de uma profunda experiênciacom Jesus Cristo. A maioria dos cristãos não percebe que échamado para uma relação mais profunda e interior, com o seuSenhor. Mas todos nós fomos chamados às profundezas de Cristo,tão certo como fomos chamados para a salvação. Quando falo de uma profunda e interior relação com CristoJesus, estou falando de oração. Não aquela oração mental, doentendimento natural, mas a que vem diretamente do coração. Aoração que sai da mente é inadequada, mas aquela que brota docoração, que não é interrompida pelo pensamento, nem por nada,aquela que é baseada na simplicidade, que acontece quando vocêse volta, de todo o coração para o seu espírito, em busca de Jesus -é desse tipo de oração que estou me referindo. A única coisa que pode interromper a nossa oração são osdesejos egoístas. Mas nem por isso precisamos nos entristecer,porque, mesmo assim há encorajamento ,pois, a partir do momentoem que nos alegramos no Senhor e provamos a doçura do seuamor, até mesmo esses desejos egoístas não terão qualquer poder. A nossa intimidade com o Senhor, nos convence de que éimpossível ter prazer em qualquer outra coisa, senão nEle. É compreensível o fato de muitos irmãos se sentiremvagarosos, ou com uma compreensão pobre, ou se sentirem poucoespirituais. Mas deixe-me encorajar você, não há nada que sejamais fácil do que obter a percepção de Cristo Jesus, e, uma vez quevocê já nasceu de novo, ele já está presente em você, no seuespírito, e o desejo dEle dar-se a você é bem maior do que o seu dereceber mais e mais dEle. É necessário descobrir o caminho contactar Deus, e isso étão fácil quanto aspirar o ar: para ter contato com Deus basta voltar-se para o seu espírito. À medida em que experimentamos Cristo, passamos a viverpelo próprio Deus, é uma oração simples como respirar. Isso é tãoverdadeiro que se, por algum motivo, deixarmos de orar, isso vai seconstituir em pecado. Mas como se tornará tão fácil estar com oSenhor, que não mais negligenciaremos. Vamos adiante, portanto, e aprendamos esse modosimples de orar. Uma vez na presença do Senhor, fique silenciosoe quieto diante dEle. E agora, simplesmente comece a Oração do Senhor.Comece com a palavra "Pai". Ao fazê-lo, deixe que o sentidocompleto dessa palavra toque profundamente seu coração. Creiaque o Deus que vive dentro de você está de fato desejoso de ser 28
  29. 29. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteseu Pai. Derrame seu coração a Ele, como a criança faz com seu NOTASpai. Nunca duvide do profundo amor do Senhor por você. Nuncaduvide de Seu desejo de escutá-lo. Invoque o Seu Nome epermaneça diante dEle silenciosamente por algum tempo.Permaneça assim, esperando conhecer o Seu coração. Deus querreceber você como uma frágil criança, que está toda suja e muitomachucada - uma criança que tem sido ferida ao cair e issorepetidamente. Venha ao Senhor como alguém que não temqualquer força própria; como alguém que não tem qualquer poderpara se purificar. Humildemente, exponha sua triste condição diantedo olhar de Seu Pai. Enquanto está aí, diante dEle, diga, ocasionalmente, umapalavra de amor para Ele e uma palavra de pesar sobre seu própriopecado. Permaneça deste modo por um tempo. Então sentirá que étempo de ir adiante. Continue a oração do Senhor. Nunca procure o Reino de Deus em qualquer lugar senãodentro de você. E, uma vez que tenha percebido que o Reino deDeus está dentro de você e que somente aí Ele pode serencontrado, venha logo ao Senhor. E, vindo, faça-o com umprofundo senso de amor; venha a Ele mui docilmente; venha a Elecom um profundo senso de adoração. Ao chegar a Ele, reconheçahumildemente que Ele é tudo. Confesse-Lhe que você nada é.Feche seus olhos para tudo ao redor; comece a abrir os olhosinteriores de sua alma, voltando-os para o seu próprio espírito. Emuma palavra, dê toda sua atenção às partes profundamenteinteriores de seu ser. Você precisa somente crer que Deus mora em você. Estafé, e somente ela, o levará à Sua Santa Presença. Não permita quesua mente vagueie, mas mantenha-a em submissão. Querido filho de Deus, todos os seus conceitos sobre Deusnão levam a nada, realmente. Não tente imaginar na mente comoEle é. Pelo contrário, simplesmente creia em Sua Presença. Nuncatente imaginar o que Deus fará. Não há qualquer jeito de Deus seacomodar aos seus conceitos. Que fará você então? Procurecontemplar Jesus Cristo, olhando para Ele em seu ser mais interior,em seu espírito. Vamos encerrar este capítulo, vendo um terceiro modo peloqual você pode começar um encontro mais profundo com o Senhor.Você pode fazê-lo considerando seu Senhor como seu Médico.Traga a Ele todas as suas enfermidades, para que Ele possa curá-las. Mas, ao chegar a Ele, não o faça ansiosamente e não fiqueinquieto. Ao se aproximar, faça uma pausa de vez em quando.Esses períodos de espera silenciosa diante do Senhor irãoaumentando gradualmente. Mais ainda, seus esforços próprios irãodiminuindo paulatinamente. Chegará para você o momento em queEle obterá completo controle, quando, continuamente você serender à operação de Deus dentro de você. 29
  30. 30. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residente Como você pode ver, aquilo que começou como algo muito NOTASsimples, crescerá. Crescerá para tornar-se uma relação muito real evital entre você e o Deus vivo. Quando a Presença do Senhor se tornar sua experiência,realmente descobrirá que você gradualmente começou a amar estesilêncio e este repouso pacífico que vem de Sua Presença. Há ummaravilhoso gozo em Sua Presença. Este gozo maravilhoso de SuaPresença ajuda a introduzi-lo em um outro nível de oração. Em algum ponto deste encontro com seu Senhor, vocêsentirá bem no fundo de seu espírito que é tempo parasimplesmente manter-se em silêncio diante dEle. Quando sentirisso, não se desloque. O próprio Senhor o manterá em silêncio.Quando isso passar, então siga adiante para as próximas palavrasda oração. "Seja feita a tua vontade assim na terra como no céu".Orando tais palavras, humilhe-se diante do Senhor, pedindo-lhesinceramente que realize toda sua vontade em você e através devocê. Renda seu coração em Suas Mãos. Renda sua liberdade emSuas Mãos. Renda à Seu Senhor o direito de fazer com você comoLhe agrada. Você sabe qual é a vontade de Deus? Sua vontade é que seus filhosO amem. Portanto, quando você ora "Senhor, seja feita a tua vontade", estápedindo ao Senhor que lhe permita amá-lO. Então, comece a amá-lO. Eenquanto o faz, rogue-Lhe que lhe dê de Seu amor. Tudo que acabo de descrever-lhe, ocorrerá de modo muitodoce e pacificamente, através de toda aquela Oração do Senhor. Vejamos agora outra possibilidade. Pode surgir umaocasião em que, estando com o Senhor, você sentirá que deve pôrde lado a Oração do Senhor. Talvez você queira chegar a Ele comoseu Pastor. Venha a Ele, pois, como uma ovelha que busca seupastor à procura de alimento. Ao chegar a Ele, diga mais ou menosassim: "Oh, terno Pastor, Tu alimentas Teu rebanho com Tuaprópria Pessoa, e Tu és realmente meu pão de cada dia". É certo que você traga todas as suas necessidades ao seuSenhor. Mas, faça o que fizer, faça crendo numa coisa: Deus seencontra dentro de você. Entendo que você pode ser um daqueles que estabeleceuum padrão, um ritual, para suas orações. Você não deveria sesobrecarregar com rituais aprendidos. Não há necessidade de usarrepetições ou orações memorizadas. Ao invés disso, façasimplesmente a oração do coração como sugeri. Produziráabundante fruto em sua vida. Assim fazendo, deixe-me sugerir dois modos de você vir aoSenhor. Ao primeiro chamarei de "Orar a Escritura"; ao segundochamarei de "Contemplar o Senhor" ou "Esperar em Sua presença". 30
  31. 31. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteOrar a escritura NOTAS "Orar a Escritura" é um modo especial de lidar com aEscritura; envolve tanto a leitura como a oração. Eis aqui comocomeçar: Abra a Escritura; escolha alguma passagem que sejasimples e suficientemente prática. A seguir, venha ao Senhor quietoe humildemente. Aí, diante Dele, leia uma pequena parte dapassagem que você escolheu. Seja cuidadoso enquanto lê. Tome oque está lendo de modo completo e gentil. Prove-o, vá saboreandocada palavra, à medida em que lê. No passado, pode ter sido seu hábito, enquanto lia, mover-se rapidamente de um versículo para outro, até que lesse toda apassagem. Talvez estivesse procurando o ponto principal do texto.Ao chegar ao Senhor, porém, por este meio, você deverá ir de umapassagem para outra, até que tenha sentido o verdadeiro coraçãodaquilo que está lendo, depois tome a parte da Escritura que otocou e transforme-a em oração. Depois de ter sentido algo da passagem, e depois de saberque a sua essência já foi extraída e que todo o sentido maisprofundo dela já saiu, então, bem devagar, suavemente, e de modotranqüilo, comece a ler a próxima parte do texto.Contemplar ao Senhor Ao "olhar para o Senhor", você vem ao Senhor de modototalmente diferente. Talvez, neste ponto, eu precise partilhar comvocê a maior dificuldade que terá em "esperar no Senhor". E issotem a ver com sua mente. A mente tem uma tendência muito forte aafastar-se do Senhor. Portanto, quando você vem para diante doSenhor, para sentar-se em Sua Presença, contemplando-O, use aEscritura para aquietar sua mente. A maneira de executar isto é muito simples. Primeiro, leiauma passagem da Escritura, voltando-se para o seu próprio espírito.Uma vez que sinta a presença do Senhor, o conteúdo do que vocêleu não é o mais importante. A Escritura já atendeu ao propósito;acalmou sua mente; trouxe você para Ele. Para que você possa ver isto mais claramente, deixe-medescrever-lhe o modo como você se chega ao Senhor, pelo simplesato de contemplá-lO e esperar nEle. Você começa separando tempo para estar com o seuSenhor. Quando vier a Ele, venha calmamente. Volte seu coração àpresença de Deus. Como fará isso? Pela fé. Você crê ter vindo àSua presença. Depois, enquanto está diante do Senhor, comece aler alguma parte da Escritura. À medida em que lê, faça uma pausaque deve ser completamente em calma. Você pára, de modo acolocar sua mente, interiormente, em Cristo. Você deve sempre lembrar que não está fazendo isto paraobter algum entendimento do que está lendo; ao contrário, você 31
  32. 32. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteestá lendo a fim de voltar sua mente das coisas exteriores para as NOTASregiões profundas de seu ser. Não está fazendo, na realidade, paraaprender ou para ler mais, e sim para experimentar a Presença doseu Senhor. Enquanto você está diante do Senhor, mantenha seucoração na Sua Presença. Como? Isso também é pela fé. Sim, pelafé você pode manter seu coração na Presença do Senhor. Agora,esperando diante dEle, volte toda sua atenção para o seu espírito.Não permita que sua mente vagueie. Se sua mente começar apassear, volte sua atenção para as partes interiores de seu ser.Você ficará livre de andar dispersivamente, livre de qualquerdistração exterior e será levado para perto de Deus. O Senhor é encontrado somente dentro do seu espírito, norecesso do seu ser, no Santo dos Santos; é aí que Ele habita. OSenhor certa vez prometeu que viria morar dentro de você (João14:23). Prometeu àqueles que O adoram e que fazem Sua vontadeque estaria dentro deles. O Senhor encontrará você no seu espírito.Foi Agostinho quem, certa vez, disse que havia perdido muitotempo, no começo de sua experiência cristã, tentando encontrar oSenhor, externamente, ao invés de voltar-se para o interior. Uma vez que seu coração tenha se voltado, interiormente,para o Senhor você terá uma noção de Sua Presença. Será capazde notar Sua Presença mais agudamente, porque seus sentidosexteriores se tornaram agora muito calmos e tranqüilos. Suaatenção não está mais em coisas exteriores ou nos pensamentossuperficiais de sua mente; ao invés disso, doce e silenciosamente,sua mente se torna ocupada com o que leu e pelo toque de SuaPresença. Oh, não se trata do que você há de pensar sobre o que leu,mas você se alimentará do que leu. Por causa do amor ao Senhor,você exercitará sua vontade para manter sua mente quieta diantedEle. Quando chegar a este estado você deve permitir que suamente repouse. Neste estado muito cheio de paz, engula o que você jáprovou. No princípio, isto pode parecer difícil e estranho, mas talvezeu lhe possa mostrar quão simples é. Você não tem, por vezes,gostado do sabor de uma comida muito gostosa? Mas, a menos queesteja disposto a engolir a comida, não receberá qualquer nutrição.É a mesma coisa com seu espírito. Neste estado de calma, paz esimplicidade, apenas tome o que lhe é oferecido como nutrição,para dentro de seu espírito. E quanto às distrações: digamos que sua mente comece aficar errante. Uma vez que você tenha sido tocado pelo Espírito doSenhor e se distraia, seja diligente em trazer sua mente errante devolta ao Senhor. Este é o modo mais simples que existe desobrepujar as distrações externas. Quando sua mente vagueia, não tente forçá-la a mudar depensamento. Veja: se você concentra-se no que está pensando, 32
  33. 33. A experiência da comunhão no Espírito com um Deus residenteapenas irritará sua mente e vou instigá-la ainda mais. Ao invés NOTASdisso, retire-se de sua mente! Continue retornando interiormentepara a Presença do Senhor. Fazendo assim, você vencerá asguerras contra sua mente errante, mas, nunca se envolvadiretamente na batalha! Esteja certo de que, à medida que sua alma for seacostumando a reter as coisas mais interiores, este processo setornará muito mais fácil. Há duas razões pelas quais você O encontrará maisfacilmente a cada vez que trouxer sua mente sob sujeição aoSenhor: uma, é que a mente, depois de muita prática, formará novohábito, o de voltar-se profundamente para dentro, outra, é que vocêtem um gracioso Senhor! O principal desejo do Senhor é revelar-Se a você e, a fim defazer isso, Ele lhe dá abundante graça. O Senhor lhe dá aexperiência de gozar de Sua presença. Ele lhe toca, e Seu toque étão delicioso que, mais do que nunca você é atraído interiormentepor Ele. Compilado dos quatro primeiros capítulos do livro Experimentando as Profundezas de Jesus Cristo de Madame Guyon. 33

×