O slideshow foi denunciado.
 
1. O Direito de não ler Ler é um direito e um privilégio. Não é um castigo.
2. O Direito de saltar páginas Ler não é uma liturgia. É um acto pessoal, de selecção e interpretação.
3. O Direito de não acabar um livro O leitor não compra uma obrigação. Saber recusar é uma forma de escolher.
4. O Direito de reler Às vezes é tão bom, que temos que repetir.
5. O Direito de ler não importa o quê Não há livros nem autores “sagrados”. A leitura pode ser emoção de muitas formas.
6. O Direito de amar os heróis dos romances As personagens não são só figuras imaginadas. Vivem dentro de cada leitor .
7. O Direito de ler não importa onde Não há templos nem tempos exclusivos de leitura. O maravilhoso não tem espaço nem tem...
8. O Direito de saltar de livro em livro Os livros podem-se petiscar. Ler um pouco daqui e depois ler um pouco dali.
9. O Direito de ler em voz alta As palavras sabem melhor se ditas e ouvidas. Há músicas nas palavras.
10. O Direito de não falar do que se leu Há segredos nas palavras. O leitor lê-se nos livros. Respeite-se essa intimidade.
Ler (como amar) é uma experiência única, pessoal e intransmissível.
A BECRE da ESSMO convida-te a experimentar (sem compromissos) a magia da leitura.
Direitos do leitor De Daniel Pennac no livro “Como um Romance”, ed. ASA Ilustrações De Quentin Blake no site: http://eppee...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Direitos do leitor

4.677 visualizações

Publicada em

Direitos do Leitor de Daniel Pennac - Uma filosofia da BECRE da ESSMO

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Direitos do leitor

  1. 2. 1. O Direito de não ler Ler é um direito e um privilégio. Não é um castigo.
  2. 3. 2. O Direito de saltar páginas Ler não é uma liturgia. É um acto pessoal, de selecção e interpretação.
  3. 4. 3. O Direito de não acabar um livro O leitor não compra uma obrigação. Saber recusar é uma forma de escolher.
  4. 5. 4. O Direito de reler Às vezes é tão bom, que temos que repetir.
  5. 6. 5. O Direito de ler não importa o quê Não há livros nem autores “sagrados”. A leitura pode ser emoção de muitas formas.
  6. 7. 6. O Direito de amar os heróis dos romances As personagens não são só figuras imaginadas. Vivem dentro de cada leitor .
  7. 8. 7. O Direito de ler não importa onde Não há templos nem tempos exclusivos de leitura. O maravilhoso não tem espaço nem tempo.
  8. 9. 8. O Direito de saltar de livro em livro Os livros podem-se petiscar. Ler um pouco daqui e depois ler um pouco dali.
  9. 10. 9. O Direito de ler em voz alta As palavras sabem melhor se ditas e ouvidas. Há músicas nas palavras.
  10. 11. 10. O Direito de não falar do que se leu Há segredos nas palavras. O leitor lê-se nos livros. Respeite-se essa intimidade.
  11. 12. Ler (como amar) é uma experiência única, pessoal e intransmissível.
  12. 13. A BECRE da ESSMO convida-te a experimentar (sem compromissos) a magia da leitura.
  13. 14. Direitos do leitor De Daniel Pennac no livro “Como um Romance”, ed. ASA Ilustrações De Quentin Blake no site: http://eppee.ouvaton.org/IMG/jpg/lecteurHR.jpg http://www.quentinblake.com/index.html Comentários e tratamento de imagem José Paulo Vasconcelos BECRE da ESSMO

×