SlideShare uma empresa Scribd logo
O QUE É A BIBLIOTECA ESCOLAR 
E PARA QUE SERVE 
João Paulo da Silva Proença 
Coordenador Interconcelhio para as 
Bibliotecas Escolares 
jp.proenca@gmail.com
Mudar a Perspetiva
Parte I 
Pensemos um pouco no 
contexto em que trabalhamos
Como se faz o acesso à 
informação nos dias de hoje? 
2006
Vivemos na era Web 2.0 !
Princípios da WEB 2.0
Estes são os nossos tempos…
Estes são os nossos tempos…
Estes são os nossos tempos…
Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas bibliotecas torres novas 2014
No entanto… 
• A sala de aula passa a ser apenas um entre muitos 
outros locais, na escola e fora dela, onde as 
experiências de aprendizagem têm lugar, [...] A 
relativização do conhecimento científico introduz a 
incerteza no campo da educação e sublinha o valor 
da pesquisa individual e do desenvolvimento das 
capacidades de manuseamento da informação. 
Aprender é cada vez menos memorizar 
conhecimentos e cada vez mais preparar-se para os 
saber encontrar, avaliar e utilizar. A capacidade de 
atualização passa a ser uma ferramenta essencial ao 
indivíduo. 
Calixto (1996, p. 86) 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
E ainda… 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
E ainda… 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
1. Em síntese… 
 A sociedade tornou-se incrivelmente 
complexa e competitiva; 
 Vivemos na sociedade da 
informação e conhecimento; 
 Os alunos necessitam de 
competências em ordem ao seu 
sucesso académico e educativo; 
 Aumento da informação disponível; 
 Desenvolvimento das TIC; 
 Lugares de acesso a diversa 
informação em diversos formatos; 
 Recursos básicos para o processo 
educativo; 
 Key role: leitura ; capacidade em 
procurar, selecionar e usar 
informação; desenvolvimento de 
métodos de estudo. 
Ana Novo 
Advocacy for Libraries, 16-17th 
September 2014 14
1. Em síntese… 
•As Bibliotecas, tal como as conhecemos, atravessam uma 
fase crítica 
•Os utilizadores de hoje, não são os mesmos que os de 
ontem nem os de amanhã 
•… 
•Estamos preparados para oferecer 
os serviços que necessitam 
realmente os nossos utilizadores?
1. Estamos preparados para oferecer os 
serviços que necessitam realmente os 
nossos utilizadores? 
•A ilusão do rápido e do fácil . 
Está tudo à distância de um 
clique… 
Teresa Calçada ( Revista Ler 
Março 2014, pág 34)
Parte II 
O que é a Biblioteca Escolar e 
para que serve?
2. Lançar a rede de 
Bibliotecas escolares (1996) 
4.2. Definição e Princípios Gerais 
4.2.1. O conceito de biblioteca escolar inclui os espaços e equipamentos 
onde são recolhidos, tratados e disponibilizados todos os tipos de 
documentos (qualquer que seja a sua natureza e suporte) que 
constituem recursos pedagógicos quer para as atividades quotidianas 
de ensino, quer para atividades curriculares não letivas, quer para 
ocupação de tempos livres e de lazer. 
De acordo com este conceito, a biblioteca escolar deve ser concebida 
como um verdadeiro “centro de recursos educativos” multimédia (livros, 
programas informáticos, periódicos, registos vídeo e áudio, 
diapositivos, filmes, CD-ROM, etc.), ao dispor de alunos, de professores 
e, em condições específicas, de outros elementos da sociedade. 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
2. Lançar a rede de 
Bibliotecas escolares (1996) 
4.2.2. A biblioteca constitui um instrumento 
essencial do desenvolvimento do currículo escolar e 
as suas atividades devem estar integradas nas 
restantes atividades da escola e fazer parte do seu 
projeto educativo. Ela não deve ser vista como um 
simples serviço de apoio à atividade letiva ou um 
espaço autónomo de aprendizagem 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
2. Manifesto da Biblioteca 
Escolar – Ifla/Unesco (2000) 
Missão da Biblioteca Escolar. 
A biblioteca escolar disponibiliza serviços de 
aprendizagem, livros e recursos que permitem a 
todos os membros da comunidade escolar 
tornarem-se pensadores críticos e utilizadores 
efetivos da informação em todos os suportes e 
meios de comunicação. As bibliotecas 
escolares articulam-se com as redes de informação 
e de bibliotecas de acordo com os princípios 
do Manifesto da Biblioteca Pública da 
UNESCO. 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
2. Ross J. Todd (2010-14) 
A Biblioteca Escolar é o lugar físico e virtual da 
escola onde se desenvolve a leitura, investigação, 
pensamento, imaginação, descoberta e criatividade 
que são centrais para a jornada de transformação 
de informação em conhecimento e crescimento 
pessoal dos alunos. 
Tradução livre 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
2. Oxnard Union High School 
District 
"Libraries are the verbs in the content standards. Wherever verbs 
such as read, research, analyze, explore, examine, compare, contrast, 
understand, interpret, investigate, and find appear in the standards, 
Teacher Librarians and library resources are involved." 
(Oxnard Union High School District) 
http://www.ouhsd.k12.ca.us/lmc/ohs/stronglib/StrongSLMP.ppt 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
Parte III 
Boas Biblioteca Escolares e 
sociedades fortes 
(Apresentação de Barbara Lison na BN 
Setembro 2014)
Por que são bibliotecas fortes importantes 
para sociedades fortes 
Barbara Lison www.stabi-hb.de 24
25 
Por que são bibliotecas fortes importantes 
para sociedades fortes
• As bibliotecas oferecem oportunidades para todos 
• As bibliotecas capacitam pessoas para o seu próprio 
desenvolvimento 
• As bibliotecas oferecem acesso ao mundo do 
conhecimento 
• As bibliotecas fornecem orientação especializada (PB e 
Bibliotecários) 
• ... 
26 
Por que são bibliotecas fortes importantes 
para sociedades fortes
27 
Por que são bibliotecas fortes importantes 
para sociedades fortes 
As bibliotecas 
oferecem 
oportunidades 
para todos 
As bibliotecas 
oferecem 
oportunidades 
para todos
Por que são bibliotecas fortes importantes 
para soicedades fortes 
As bibliotecas 
oferecem 
apoio de 
especialistas
Parte IV 
Então, mas como fazer para 
chegar lá?
Então, mas como fazer para chegar lá? 
1º Teoria e prática 
Teoria é quando se sabe explicar o funcionamento das 
coisas, mas nada funciona. 
Prática é quando tudo funciona mas ninguém sabe o 
porquê. 
Aqui teoria e prática unem-se: nada funciona e 
ninguém sabe o porquê. 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
Então, mas como fazer para chegar lá? 
2º - Estar muito atento às mudanças que 
vão ocorrendo. Há contextos que mudam 
e não faz sentido continuar a trabalhar da 
mesmo forma 
Filme: 
http://www.youtube.com/watc 
h?v=_ZSSyI3my38
Então, mas como fazer para chegar lá?
Então, mas como fazer para chegar lá? 
3º - O principal objetivo da educação nas 
escolas deve ser criar homens e mulheres que 
são capazes de fazer novas coisas, não 
simplesmente repetir o que outras gerações 
fizeram; homens e mulheres que são criativos, 
inventivos e exploradores, que conseguem ser 
pensadores críticos e não aceitem 
passivamente o que lhes é oferecido . 
Tradução livre 
Jean Piaget (1896-1980)
Então, mas como fazer para chegar lá? 
4º - É definido um conjunto de padrões 
de qualidade para as bibliotecas 
escolares: 
1 - Lugares de conhecimento e 
inovação, capazes de incorporar novas 
práticas pedagógicas. 
2 - Espaços de integração social, 
indispensáveis ao combate à exclusão 
e ao abandono escolar. 
3 - Locais de formação e 
desenvolvimento da competência 
leitora, condição de todo o 
conhecimento. 
.
Então, mas como fazer para chegar lá? 
É definido um conjunto de padrões de 
qualidade para as bibliotecas escolares: 
4- Focos difusores do gosto e do prazer 
de ler, fundamentais à construção de 
hábitos de leitura. 
5 - Áreas de ensino, essenciais à 
formação para as literacias digitais, dos 
média e da informação. 
6 - Núcleos de apoio pedagógico, 
cruciais ao cumprimento dos objetivos 
educativos da escola.
Então, mas como fazer para chegar lá? 
É definido um conjunto de padrões de 
qualidade para as bibliotecas 
escolares: 
7 - Ambientes flexíveis, adaptados às 
mudanças tecnológicas e às 
necessidades dos utilizadores. 
8 - Estruturas lideradas por 
profissionais qualificados, aptos a 
responder às exigências funcionais e 
pedagógicas da escola. 
9 - Serviços de informação com 
conteúdos e recursos tecnológicos 
capazes de responder à mudança.
Então, mas como fazer para chegar lá? 
É definido um conjunto de padrões de 
qualidade para as bibliotecas 
escolares: 
10 - Redes dinâmicas sustentadas em 
práticas consistentes e enraizadas na 
comunidade. 
11 - Sistemas de cooperação com a 
sociedade, promotores da partilha de 
recursos e de saberes. 
12 - Organizações inclusivas, garantes 
da igualdade no acesso a serviços e 
recursos de informação 
13 - Unidades de gestão, orientadas 
para a qualidade e a excelência.
Obrigado pela 
atenção 
• João Paulo Proença 
• 
• http://clapps.me/joaopproenca 
• 
• skype: jp.proenca 
• http://www.facebook.com/joaopproenca 
• http://bibticaprendizagem.blogspot.com 
• http://leiturasqueapetecem.blogspot.com 
04/10/2014 jp.proenca@gmail.com

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Dalva
DalvaDalva
Educando era-pos-digital
Educando era-pos-digitalEducando era-pos-digital
Educando era-pos-digital
Universidade Estadual do Ceará
 
Diigo
DiigoDiigo
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Carlos Pinheiro
 
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Universidade Federal do Cariri
 
Bibliotecas Conclusões
Bibliotecas ConclusõesBibliotecas Conclusões
Bibliotecas Conclusões
sollua
 
Documento apresentado no Conselho Pedagogico
Documento apresentado no Conselho PedagogicoDocumento apresentado no Conselho Pedagogico
Documento apresentado no Conselho Pedagogico
culturalmente
 
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Ministério da Educação
 
A biblioteca 2.0
A biblioteca 2.0A biblioteca 2.0
A biblioteca 2.0
Carlos Pinheiro
 
Of formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_introOf formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_intro
Teresa Pombo
 
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
João Paulo Proença
 
Ciência em Linha
Ciência em LinhaCiência em Linha
Ciência em Linha
António Pires
 
Information commons
Information commons Information commons
Information commons
Universidade Federal do Cariri
 
Web 2.0 partilha e construcao de saberes
Web 2.0 partilha e construcao de saberesWeb 2.0 partilha e construcao de saberes
Web 2.0 partilha e construcao de saberes
RBE Algarve
 
Bibliotecas: da utilidade à necessidade
Bibliotecas: da utilidade à necessidadeBibliotecas: da utilidade à necessidade
Bibliotecas: da utilidade à necessidade
António Pires
 
Ciência em Linha em Espinho
Ciência em Linha em  EspinhoCiência em Linha em  Espinho
Ciência em Linha em Espinho
António Pires
 
U1 T2 Com
U1 T2 ComU1 T2 Com
U1 T2 Com
guesta05263e4
 
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento o imperativo da ...
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento   o imperativo da ...As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento   o imperativo da ...
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento o imperativo da ...
Biblioteca do ISCTE-IUL
 
Apoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiroApoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiro
Diana Silva
 
Para que serve a BE
Para que serve a BEPara que serve a BE

Mais procurados (20)

Dalva
DalvaDalva
Dalva
 
Educando era-pos-digital
Educando era-pos-digitalEducando era-pos-digital
Educando era-pos-digital
 
Diigo
DiigoDiigo
Diigo
 
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
Biblioteca Escolar e os Professores (2008 09)
 
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
Redes sociais e os dispositivos móveis promoção dos produtos e serviços de bi...
 
Bibliotecas Conclusões
Bibliotecas ConclusõesBibliotecas Conclusões
Bibliotecas Conclusões
 
Documento apresentado no Conselho Pedagogico
Documento apresentado no Conselho PedagogicoDocumento apresentado no Conselho Pedagogico
Documento apresentado no Conselho Pedagogico
 
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
Informacoes CIBE_rbe novembro_2015
 
A biblioteca 2.0
A biblioteca 2.0A biblioteca 2.0
A biblioteca 2.0
 
Of formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_introOf formação_be_web20_mod2_intro
Of formação_be_web20_mod2_intro
 
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
Apresentação "Competências digitais para o Seculo XXI" Projeto TEA - Tablets ...
 
Ciência em Linha
Ciência em LinhaCiência em Linha
Ciência em Linha
 
Information commons
Information commons Information commons
Information commons
 
Web 2.0 partilha e construcao de saberes
Web 2.0 partilha e construcao de saberesWeb 2.0 partilha e construcao de saberes
Web 2.0 partilha e construcao de saberes
 
Bibliotecas: da utilidade à necessidade
Bibliotecas: da utilidade à necessidadeBibliotecas: da utilidade à necessidade
Bibliotecas: da utilidade à necessidade
 
Ciência em Linha em Espinho
Ciência em Linha em  EspinhoCiência em Linha em  Espinho
Ciência em Linha em Espinho
 
U1 T2 Com
U1 T2 ComU1 T2 Com
U1 T2 Com
 
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento o imperativo da ...
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento   o imperativo da ...As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento   o imperativo da ...
As bibliotecas universitárias na sociedade do conhecimento o imperativo da ...
 
Apoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiroApoio_bibliotecasUAveiro
Apoio_bibliotecasUAveiro
 
Para que serve a BE
Para que serve a BEPara que serve a BE
Para que serve a BE
 

Destaque

Rbe parcerias e projetos
Rbe   parcerias e projetosRbe   parcerias e projetos
Rbe parcerias e projetos
mariafilomenalr
 
Be e o video ferrmentas web 20
Be e o video   ferrmentas web 20Be e o video   ferrmentas web 20
Be e o video ferrmentas web 20
João Paulo Proença
 
Teenagers in the 70s / 80s / 90s
Teenagers in the 70s / 80s / 90s Teenagers in the 70s / 80s / 90s
Teenagers in the 70s / 80s / 90s
N Jones
 
A biblioteca transforma-se e transforma a escola
A biblioteca transforma-se e transforma a escolaA biblioteca transforma-se e transforma a escola
A biblioteca transforma-se e transforma a escola
António Pires
 
Building Thought Leadership through Content Curation
Building Thought Leadership through Content CurationBuilding Thought Leadership through Content Curation
Building Thought Leadership through Content Curation
Corinne Weisgerber
 
A Library in Every Schoolflyer 2012-pt
A Library in Every Schoolflyer 2012-ptA Library in Every Schoolflyer 2012-pt
A Library in Every Schoolflyer 2012-pt
João Paulo Proença
 

Destaque (6)

Rbe parcerias e projetos
Rbe   parcerias e projetosRbe   parcerias e projetos
Rbe parcerias e projetos
 
Be e o video ferrmentas web 20
Be e o video   ferrmentas web 20Be e o video   ferrmentas web 20
Be e o video ferrmentas web 20
 
Teenagers in the 70s / 80s / 90s
Teenagers in the 70s / 80s / 90s Teenagers in the 70s / 80s / 90s
Teenagers in the 70s / 80s / 90s
 
A biblioteca transforma-se e transforma a escola
A biblioteca transforma-se e transforma a escolaA biblioteca transforma-se e transforma a escola
A biblioteca transforma-se e transforma a escola
 
Building Thought Leadership through Content Curation
Building Thought Leadership through Content CurationBuilding Thought Leadership through Content Curation
Building Thought Leadership through Content Curation
 
A Library in Every Schoolflyer 2012-pt
A Library in Every Schoolflyer 2012-ptA Library in Every Schoolflyer 2012-pt
A Library in Every Schoolflyer 2012-pt
 

Semelhante a Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas bibliotecas torres novas 2014

E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito? E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
João Paulo Proença
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Isabel Nina
 
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas EscolaresO que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
Graça Rosa
 
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º cicloProjeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
António Sérgio
 
Be no contexto atual. helena.doc
Be no contexto atual. helena.docBe no contexto atual. helena.doc
Be no contexto atual. helena.doc
lenatubal
 
112
112112
Um ponto de vista sobre as salas de leitura
Um ponto de vista sobre as salas de leituraUm ponto de vista sobre as salas de leitura
Um ponto de vista sobre as salas de leitura
InclusaoDigitalSocial
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalho
Deco10
 
2º ciclo projeto das literacias
2º ciclo projeto das literacias 2º ciclo projeto das literacias
2º ciclo projeto das literacias
António Sérgio
 
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
Maria Jose Vitorino
 
Apresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melpApresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melp
Maria Helena Pereira
 
Workshop parte I
Workshop parte IWorkshop parte I
Workshop parte I
esperancasantos
 
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolaresReflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
mariacosta
 
127
127127
Construir comunidades inteligentes
Construir comunidades inteligentesConstruir comunidades inteligentes
Construir comunidades inteligentes
Maria Jose Vitorino
 
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagemBiblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Isabel Nina
 
Formar para (in)formar /Odilia Baleiro
Formar para (in)formar /Odilia BaleiroFormar para (in)formar /Odilia Baleiro
Formar para (in)formar /Odilia Baleiro
Maria Jose Vitorino
 
Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_castelo
Teresa Gonçalves
 
Peso da régua. 2012
Peso da régua.  2012Peso da régua.  2012
Peso da régua. 2012
Maria Baleiro
 
Regimento interno be
Regimento interno beRegimento interno be

Semelhante a Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas bibliotecas torres novas 2014 (20)

E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito? E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
E se a Biblioteca da minha escola fechasse. Isso notava-se muito?
 
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
Biblioteca escolar – recurso e contexto de aprendizagem - Salreu 28 de outubr...
 
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas EscolaresO que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
O que queremos para o futuro das Bibliotecas Escolares
 
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º cicloProjeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
Projeto de integração das literacias nas aprendizagens - Pré escolar e 1º ciclo
 
Be no contexto atual. helena.doc
Be no contexto atual. helena.docBe no contexto atual. helena.doc
Be no contexto atual. helena.doc
 
112
112112
112
 
Um ponto de vista sobre as salas de leitura
Um ponto de vista sobre as salas de leituraUm ponto de vista sobre as salas de leitura
Um ponto de vista sobre as salas de leitura
 
1º trabalho
1º trabalho1º trabalho
1º trabalho
 
2º ciclo projeto das literacias
2º ciclo projeto das literacias 2º ciclo projeto das literacias
2º ciclo projeto das literacias
 
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
Escolas, bibliotecas públicas : integração com 3 C. S. Paulo (Brasil) 22.11.2012
 
Apresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melpApresenta minicurso melp
Apresenta minicurso melp
 
Workshop parte I
Workshop parte IWorkshop parte I
Workshop parte I
 
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolaresReflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
Reflexão referente à declaração política da iasl sobre bibliotecas escolares
 
127
127127
127
 
Construir comunidades inteligentes
Construir comunidades inteligentesConstruir comunidades inteligentes
Construir comunidades inteligentes
 
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagemBiblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
Biblioteca Escolar - Contexto e recurso de aprendizagem
 
Formar para (in)formar /Odilia Baleiro
Formar para (in)formar /Odilia BaleiroFormar para (in)formar /Odilia Baleiro
Formar para (in)formar /Odilia Baleiro
 
Plano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_casteloPlano acçao biblioteca_castelo
Plano acçao biblioteca_castelo
 
Peso da régua. 2012
Peso da régua.  2012Peso da régua.  2012
Peso da régua. 2012
 
Regimento interno be
Regimento interno beRegimento interno be
Regimento interno be
 

Mais de João Paulo Proença

AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
João Paulo Proença
 
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross ToddO impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
João Paulo Proença
 
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
João Paulo Proença
 
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
João Paulo Proença
 
The winner photo
The winner photoThe winner photo
The winner photo
João Paulo Proença
 
Mot for class teachers training course Portugal 2018
Mot for class teachers training course Portugal 2018Mot for class teachers training course Portugal 2018
Mot for class teachers training course Portugal 2018
João Paulo Proença
 
European Course: Ancient Greek history and culture
European Course: Ancient Greek history and cultureEuropean Course: Ancient Greek history and culture
European Course: Ancient Greek history and culture
João Paulo Proença
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
João Paulo Proença
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
João Paulo Proença
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
João Paulo Proença
 
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
João Paulo Proença
 
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana RodriguesApresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
João Paulo Proença
 
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
João Paulo Proença
 
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
João Paulo Proença
 
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
João Paulo Proença
 
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
João Paulo Proença
 
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
João Paulo Proença
 
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
João Paulo Proença
 
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-MSlamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
João Paulo Proença
 
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
João Paulo Proença
 

Mais de João Paulo Proença (20)

AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
AE Ruy Luis Gomes - aler+ todos cont@m
 
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross ToddO impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
O impacto da Biblioteca Escolar nas aprendizagens dos alunos - Ross Todd
 
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
I encontro de Bibliotecas Escolares do Seixal Jan 2019 - Valentina Pereira
 
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
Outputs of the ERASMUS + COURAGE Project
 
The winner photo
The winner photoThe winner photo
The winner photo
 
Mot for class teachers training course Portugal 2018
Mot for class teachers training course Portugal 2018Mot for class teachers training course Portugal 2018
Mot for class teachers training course Portugal 2018
 
European Course: Ancient Greek history and culture
European Course: Ancient Greek history and cultureEuropean Course: Ancient Greek history and culture
European Course: Ancient Greek history and culture
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
 
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
Projeto: "Quem somos, ler o nosso Mundo" 3º Encontro de Bibliotecas Escolares...
 
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
Projeto "Crescer para a Ciência" AE Romeu Correia , Almada Nov 2017
 
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana RodriguesApresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
Apresentação do livro: Histórias da Ajudaris 2017: Ana Rodrigues
 
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
Apresentação do livro Histórias da Ajudaris 2017 - Teresa Ferreira
 
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
Projeto Multileituras - AE Anselmo de Andrade
 
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
Projeto Ler+ mar AE, Anselmo de Andrade, Almada
 
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
What is learning and how to support it? prof. Kari Smith
 
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
Projeto ler+ jovem: leituras encenadas. ES Fernão Mendes Pinto
 
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
Bibliotecas Escolares: que desafios a nível local ?
 
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-MSlamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
Slamit7 School visits. Presentation of the elementary school - važeća-M
 
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
Digital learning – the Danish way Marianne Klöcker Educational Advisor, Denmark
 

Último

Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
marcos oliveira
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
antonio carlos
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
shirleisousa9166
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CristviaFerreira
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
shirleisousa9166
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
arodatos81
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
Mary Alvarenga
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
beathrizalves131
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Leonel Morgado
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Mary Alvarenga
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
EduardoLealSilva
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdfPainel  para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
Painel para comemerorar odia dos avós grátis.pdf
 
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1)  educação infantil fu...
1°ao5°ano_HISTÓRIA_ORGANIZADOR CURRICULAR BIMESTRAL (1) educação infantil fu...
 
escrita criativa utilizada na arteterapia
escrita criativa   utilizada na arteterapiaescrita criativa   utilizada na arteterapia
escrita criativa utilizada na arteterapia
 
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdfCALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
CALENDÁRIO GRADUAÇÃO 2024-07ddddd-04 (1).pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdfCaderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
Caderno_de_referencias_Ocupacaohumana_IV_FlaviaCoelho_compressed.pdf
 
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2011 CENSIPAM.pdf
 
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2015 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Alfabetização de adultos.pdf
Alfabetização de             adultos.pdfAlfabetização de             adultos.pdf
Alfabetização de adultos.pdf
 
Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!Acróstico - Bullying é crime!
Acróstico - Bullying é crime!
 
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
Slides Lição 2, Betel, A Igreja e a relevância, para a adoração verdadeira no...
 
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdfOficina de bases de dados - Dimensions.pdf
Oficina de bases de dados - Dimensions.pdf
 
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e CaminhosAprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
Aprendizagem Imersiva: Conceitos e Caminhos
 
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
Caça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafosCaça - palavras  e cruzadinha   com  dígrafos
Caça - palavras e cruzadinha com dígrafos
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa CivilSeminário de Gestão Pública e Defesa Civil
Seminário de Gestão Pública e Defesa Civil
 

Apresentação O que é a Biblioteca Escolar e para que serve, seminário nós nas bibliotecas torres novas 2014

  • 1. O QUE É A BIBLIOTECA ESCOLAR E PARA QUE SERVE João Paulo da Silva Proença Coordenador Interconcelhio para as Bibliotecas Escolares jp.proenca@gmail.com
  • 3. Parte I Pensemos um pouco no contexto em que trabalhamos
  • 4. Como se faz o acesso à informação nos dias de hoje? 2006
  • 5. Vivemos na era Web 2.0 !
  • 7. Estes são os nossos tempos…
  • 8. Estes são os nossos tempos…
  • 9. Estes são os nossos tempos…
  • 11. No entanto… • A sala de aula passa a ser apenas um entre muitos outros locais, na escola e fora dela, onde as experiências de aprendizagem têm lugar, [...] A relativização do conhecimento científico introduz a incerteza no campo da educação e sublinha o valor da pesquisa individual e do desenvolvimento das capacidades de manuseamento da informação. Aprender é cada vez menos memorizar conhecimentos e cada vez mais preparar-se para os saber encontrar, avaliar e utilizar. A capacidade de atualização passa a ser uma ferramenta essencial ao indivíduo. Calixto (1996, p. 86) 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 12. E ainda… 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 13. E ainda… 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 14. 1. Em síntese…  A sociedade tornou-se incrivelmente complexa e competitiva;  Vivemos na sociedade da informação e conhecimento;  Os alunos necessitam de competências em ordem ao seu sucesso académico e educativo;  Aumento da informação disponível;  Desenvolvimento das TIC;  Lugares de acesso a diversa informação em diversos formatos;  Recursos básicos para o processo educativo;  Key role: leitura ; capacidade em procurar, selecionar e usar informação; desenvolvimento de métodos de estudo. Ana Novo Advocacy for Libraries, 16-17th September 2014 14
  • 15. 1. Em síntese… •As Bibliotecas, tal como as conhecemos, atravessam uma fase crítica •Os utilizadores de hoje, não são os mesmos que os de ontem nem os de amanhã •… •Estamos preparados para oferecer os serviços que necessitam realmente os nossos utilizadores?
  • 16. 1. Estamos preparados para oferecer os serviços que necessitam realmente os nossos utilizadores? •A ilusão do rápido e do fácil . Está tudo à distância de um clique… Teresa Calçada ( Revista Ler Março 2014, pág 34)
  • 17. Parte II O que é a Biblioteca Escolar e para que serve?
  • 18. 2. Lançar a rede de Bibliotecas escolares (1996) 4.2. Definição e Princípios Gerais 4.2.1. O conceito de biblioteca escolar inclui os espaços e equipamentos onde são recolhidos, tratados e disponibilizados todos os tipos de documentos (qualquer que seja a sua natureza e suporte) que constituem recursos pedagógicos quer para as atividades quotidianas de ensino, quer para atividades curriculares não letivas, quer para ocupação de tempos livres e de lazer. De acordo com este conceito, a biblioteca escolar deve ser concebida como um verdadeiro “centro de recursos educativos” multimédia (livros, programas informáticos, periódicos, registos vídeo e áudio, diapositivos, filmes, CD-ROM, etc.), ao dispor de alunos, de professores e, em condições específicas, de outros elementos da sociedade. 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 19. 2. Lançar a rede de Bibliotecas escolares (1996) 4.2.2. A biblioteca constitui um instrumento essencial do desenvolvimento do currículo escolar e as suas atividades devem estar integradas nas restantes atividades da escola e fazer parte do seu projeto educativo. Ela não deve ser vista como um simples serviço de apoio à atividade letiva ou um espaço autónomo de aprendizagem 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 20. 2. Manifesto da Biblioteca Escolar – Ifla/Unesco (2000) Missão da Biblioteca Escolar. A biblioteca escolar disponibiliza serviços de aprendizagem, livros e recursos que permitem a todos os membros da comunidade escolar tornarem-se pensadores críticos e utilizadores efetivos da informação em todos os suportes e meios de comunicação. As bibliotecas escolares articulam-se com as redes de informação e de bibliotecas de acordo com os princípios do Manifesto da Biblioteca Pública da UNESCO. 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 21. 2. Ross J. Todd (2010-14) A Biblioteca Escolar é o lugar físico e virtual da escola onde se desenvolve a leitura, investigação, pensamento, imaginação, descoberta e criatividade que são centrais para a jornada de transformação de informação em conhecimento e crescimento pessoal dos alunos. Tradução livre 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 22. 2. Oxnard Union High School District "Libraries are the verbs in the content standards. Wherever verbs such as read, research, analyze, explore, examine, compare, contrast, understand, interpret, investigate, and find appear in the standards, Teacher Librarians and library resources are involved." (Oxnard Union High School District) http://www.ouhsd.k12.ca.us/lmc/ohs/stronglib/StrongSLMP.ppt 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 23. Parte III Boas Biblioteca Escolares e sociedades fortes (Apresentação de Barbara Lison na BN Setembro 2014)
  • 24. Por que são bibliotecas fortes importantes para sociedades fortes Barbara Lison www.stabi-hb.de 24
  • 25. 25 Por que são bibliotecas fortes importantes para sociedades fortes
  • 26. • As bibliotecas oferecem oportunidades para todos • As bibliotecas capacitam pessoas para o seu próprio desenvolvimento • As bibliotecas oferecem acesso ao mundo do conhecimento • As bibliotecas fornecem orientação especializada (PB e Bibliotecários) • ... 26 Por que são bibliotecas fortes importantes para sociedades fortes
  • 27. 27 Por que são bibliotecas fortes importantes para sociedades fortes As bibliotecas oferecem oportunidades para todos As bibliotecas oferecem oportunidades para todos
  • 28. Por que são bibliotecas fortes importantes para soicedades fortes As bibliotecas oferecem apoio de especialistas
  • 29. Parte IV Então, mas como fazer para chegar lá?
  • 30. Então, mas como fazer para chegar lá? 1º Teoria e prática Teoria é quando se sabe explicar o funcionamento das coisas, mas nada funciona. Prática é quando tudo funciona mas ninguém sabe o porquê. Aqui teoria e prática unem-se: nada funciona e ninguém sabe o porquê. 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com
  • 31. Então, mas como fazer para chegar lá? 2º - Estar muito atento às mudanças que vão ocorrendo. Há contextos que mudam e não faz sentido continuar a trabalhar da mesmo forma Filme: http://www.youtube.com/watc h?v=_ZSSyI3my38
  • 32. Então, mas como fazer para chegar lá?
  • 33. Então, mas como fazer para chegar lá? 3º - O principal objetivo da educação nas escolas deve ser criar homens e mulheres que são capazes de fazer novas coisas, não simplesmente repetir o que outras gerações fizeram; homens e mulheres que são criativos, inventivos e exploradores, que conseguem ser pensadores críticos e não aceitem passivamente o que lhes é oferecido . Tradução livre Jean Piaget (1896-1980)
  • 34. Então, mas como fazer para chegar lá? 4º - É definido um conjunto de padrões de qualidade para as bibliotecas escolares: 1 - Lugares de conhecimento e inovação, capazes de incorporar novas práticas pedagógicas. 2 - Espaços de integração social, indispensáveis ao combate à exclusão e ao abandono escolar. 3 - Locais de formação e desenvolvimento da competência leitora, condição de todo o conhecimento. .
  • 35. Então, mas como fazer para chegar lá? É definido um conjunto de padrões de qualidade para as bibliotecas escolares: 4- Focos difusores do gosto e do prazer de ler, fundamentais à construção de hábitos de leitura. 5 - Áreas de ensino, essenciais à formação para as literacias digitais, dos média e da informação. 6 - Núcleos de apoio pedagógico, cruciais ao cumprimento dos objetivos educativos da escola.
  • 36. Então, mas como fazer para chegar lá? É definido um conjunto de padrões de qualidade para as bibliotecas escolares: 7 - Ambientes flexíveis, adaptados às mudanças tecnológicas e às necessidades dos utilizadores. 8 - Estruturas lideradas por profissionais qualificados, aptos a responder às exigências funcionais e pedagógicas da escola. 9 - Serviços de informação com conteúdos e recursos tecnológicos capazes de responder à mudança.
  • 37. Então, mas como fazer para chegar lá? É definido um conjunto de padrões de qualidade para as bibliotecas escolares: 10 - Redes dinâmicas sustentadas em práticas consistentes e enraizadas na comunidade. 11 - Sistemas de cooperação com a sociedade, promotores da partilha de recursos e de saberes. 12 - Organizações inclusivas, garantes da igualdade no acesso a serviços e recursos de informação 13 - Unidades de gestão, orientadas para a qualidade e a excelência.
  • 38. Obrigado pela atenção • João Paulo Proença • • http://clapps.me/joaopproenca • • skype: jp.proenca • http://www.facebook.com/joaopproenca • http://bibticaprendizagem.blogspot.com • http://leiturasqueapetecem.blogspot.com 04/10/2014 jp.proenca@gmail.com