O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.
Agrupamento de Escolas Júlio BrandãoEB1 Conde de S. CosmeSemana da Leitura 2011LeitoraMargarida Carlos Miranda SantosAcomp...
Len ave
Len ave
Len ave
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Len ave

414 visualizações

Publicada em

Leitura para Concurso de Leitura Expressiva, na Biblioteca da Escola das Lameiras (V.N.F.)

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Len ave

  1. 1. Agrupamento de Escolas Júlio BrandãoEB1 Conde de S. CosmeSemana da Leitura 2011LeitoraMargarida Carlos Miranda SantosAcompanhante: Pedro Lopes CoelhoProfessor: Jorge Pimentel4.º Ano Turma 13<br />Há muito, muito tempo, no tempo em que não havia ainda fronteiras entre a Galiza e Portugal, existia uma serra conhecida como Serra de Agra.Como não ficava muito longe do mar, recebia a influência benéfica do Oceano Atlântico. Do seu ponto mais alto, como acontece em todas as serras do Minho, avistava-se o cintilar azul do mar.27Mas quem verdadeiramente sabe o que se passa no coração de um jovem cavaleiro? Ainda por cima, este trazia nos olhos e nas mãos o calor das areias doiradas da sua praia.De:A lenda do Rio AveMaria José Meireles<br />E numa aurora de dedos finos e rosados, que suavemente pintaram a serra, surgiu um belo cavaleiro.Então o primeiro raio de sol correu como uma flecha de oiro, Oriente e as formas da serra desenharam-se no vasto horizonte, mostrando toda a sua força e beleza.− Vem à procura de caça, mas não trouxe os seus monteiros! − diziam…63Mas a serra tinha uma magia, um encanto, um tal feitiço que a Primavera chegava ali, muitas vezes, mais cedo.E, numa destas deslumbrantes Primaveras, a serra cobriu-se de luz, de flores, de cores e de perfumes…Um destes perfumes entontecia… e levado nas asas de um ventinho quente que corria para norte, chegou muito longe… Tão longe que trouxe à serra uma jovem pastora, vinda de longínquas serranias da Galiza.<br />− Vem à procura de sol e de bons pastos para as suas cabrinhas! − diziam…Mas quem verdadeiramente sabe o que se passa no coração de uma jovem e formosa cabreira? Tinha nos olhos a cor azul-turquesa das longínquas montanhas e no cabelos a brilhante luz solar. E a serra sorria, multiplicava a sua beleza. Era quase perfeita a sua primavera…Quase…45E, sabendo o que fazia, a serra continuou a espalhar com mais intensidade o seu perfume que, bem enrolado nas asas de uma branda aragem que corria para ocidente, chegou às orlas do mar, às areias doiradas de uma praia onde se espelhava a luz do sol poente.<br />

×