Homen ssaude implicaçõesgeneroufsm

768 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
768
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Homen ssaude implicaçõesgeneroufsm

  1. 1. As implicações de relações de gêneroAs implicações de relações de gênero para a promoção da saúde tanto dospara a promoção da saúde tanto dos homens quanto das mulheres nashomens quanto das mulheres nas comunidadescomunidades POR MICHEL PERREAULT Ph.D.POR MICHEL PERREAULT Ph.D. Professor titular aposentado da Faculdade deProfessor titular aposentado da Faculdade de Enfermagem da Université de MontréalEnfermagem da Université de Montréal Professor visitante EEAN/UFRJProfessor visitante EEAN/UFRJ
  2. 2. PLANOPLANO • RELAÇÕES DE GÊNERO NAS SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA • OS PAPEIS SOCIAIS COMO HOMENS E COMO MULHERES • A INVISIBILIDADE DO CUIDADO DOMESTICO E INVISIBILIDADE DO CUIDADO :RE-DEFINIÇÃO DO TRABALHO ?! • PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO • O PAPEL DOS PROFISSIONAIS NAS SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA • A PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS COMUNIDADES E RELAÇÕES DE GÊNERO
  3. 3. RELAÇÕES DE GÊNERO NASRELAÇÕES DE GÊNERO NAS SOCIEDADES DE MODERNIDADESOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADAAVANÇADA AAntonio Ozaí da Silva: Anotações sobre antonio Ozaí da Silva: Anotações sobre a modernidade na obra de Anthony Giddensmodernidade na obra de Anthony Giddens Revista Espaço Academico, 47.Revista Espaço Academico, 47. Abril de 2005.Abril de 2005. ISSN1519.6186ISSN1519.6186
  4. 4. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADASOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA • Para Giddens, a modernidade “refere-se a estilo, costume de vida ou organização social que emergiram na Europa a partir do século XVII e que ulteriormente se tornaram mais ou menos mundiais em sua influência”. (1991: 11). Ele observa que vivemos uma época marcada pela desorientação, pela sensação de que não compreendemos plenamente os eventos sociais e que perdemos o controle. A modernidade transformou as relações sociais e também a percepção dos indivíduos e coletividades sobre a segurança e a confiança, bem como sobre os perigos e riscos do viver.
  5. 5. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • A modernidade, pode-se dizer, rompe o referencial protetor da pequena comunidade e da tradição, substituindo-as por organizações muito maiores e impessoais. O indivíduo se sente privado e só num mundo em que lhe falta o apoio psicológico e o sentido de segurança oferecidos em ambientes mais tradicionais”. (GIDDENS, 2002: 38) • “Em vez de estarmos entrando num período de pós-modernidade, estamos alcançando um período em que as conseqüências da modernidade estão se tornando mais radicalizadas e universalizadas do que antes: para o Giddens são: • 1) o ritmo de mudança que a era da modernidade põe em movimento; • 2) o escopo da mudança, isto é, a abrangência global desta; • 3) a natureza das instituições modernas (o sistema político do Estado-nação, a dependência por atacado da produção de fontes de energia, a transformação em mercadoria de produtos e trabalho assalariado)
  6. 6. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) Para outros podem ser diferentes: • Para o antropologo francês Marc Auger que prefira falar de super modernidade: - Mudanças enormes do espaço pelas novas tecnologias e modos de transporte -Queda de fronteiras: tentativas de quebrar fronteiras economicas, politicas, culturais etc… • Para o sociólogo francês Gilles Lipovetsky, a hipermodernidade manifesta-se por a radicalização das três logicas constitutivas da modernidade: a tecno-ciencia, o mercado e a democracia.
  7. 7. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • Na sociedade moderna nos encontramos permanentemente vinculados a sistemas abstratos, isto é, sistemas com os quais interagimos cotidianamente e que não se dependem diretamente de um conhecimento aprofundado da nossa parte sobre o seu funcionamento (o sistema bancário, a informática, os recursos que envolvem uma viagem de avião são exemplos). • Nestes e noutros casos, confiamos em peritos, especialistas. Giddens (Id.:35), define-os: “Por sistemas peritos quero me referir a sistemas de excelência técnica ou competência profissional que organizam grandes áreas dos ambientes material e social em que vivemos hoje”.
  8. 8. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • É verdade que não consultamos peritos o tempo todo. Mas estes sistemas, nos quais encontra- se integrado o conhecimento dos especialistas, influencia continuamente muitos dos aspectos do nosso ser e agir cotidianos. Eles “criam grandes áreas de segurança relativa para a continuidade da vida cotidiana” (GIDDENS, 2002: 126). Por outro lado, os sistemas peritos atuam como mecanismos de desencaixe – porque removem as relações sociais das imediações do contexto
  9. 9. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • O saber do especialista está ligado a um conhecimento universalizante. Os especialistas tendem a discordar entre si e a crítica é essencial para o seu empreendimento. Popper observou que a ciência está edificada sobre a areia movediça, isto é, ela não tem fundamento estável e o ceticismo metódico é o seu princípio. A ciência precisou se impor enquanto uma verdade, pelo menos em seus primórdios, quase tão sagrada quanto o saber com quem ela rivalizava. Porém, com o passar do tempo, ela perdeu em muito a áurea de autoridade que chegou a possuir. “De certa forma, isso provavelmente é resultado da desilusão com os benefícios que, associados à tecnologia, ela alega ter trazido para a humanidade”, ressalta Giddens (Id.:109)
  10. 10. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • De fato, a ciência não se mostrou tão certa e segura das suas afirmações – o que parecia verdadeiro num determinado contexto histórico, revelou-se falso em outras condições. Ela teve que levar em conta as incertezas e o próprio questionamento à sua verdade, elaborados fora e dentro do seu âmbito. Nas condições modernas, e esta é uma das conseqüências da modernidade, essa incerteza, que gera insegurança, atinge o âmago da experiência vivenciada, o cotidiano das pessoas.
  11. 11. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • A reflexividade constitui uma fonte de dinamismo da modernidade. A reflexividade da modernidade significa que as práticas sociais modernas são enfocadas, organizadas e transformadas, à luz do conhecimento constantemente renovado sobre estas próprias práticas. Nas condições da modernidade reflexiva o conhecer não significa estar certo, ou seja, o conhecimento está sempre sob dúvida e incide sobre as práticas sociais e estas sobre o mesmo. E isto se aplica tanto às ciências sociais quanto às naturais. • Por outro lado, a característica reflexiva da sociedade moderna indica a possibilidade de uma contínua geração de autoconhecimento sistemático, o qual, em geral, desestabiliza a relação entre conhecimento leigo e saber especializado (sistemas peritos).
  12. 12. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • AS PRÁTICAS DOS PROFISSIONAIS FAZEM PARTE DO PROCESSO DE REFLEXIVIDADE NAS SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA: ver a tese de doutorado da minha orientada Pilar Delgado Hito: Le processus de production de savoirs dans la pratique infirmière au moyen de la réflexivité (O processo de produção de saberes na prática de Enfermagem segundo o conceito de reflexividade) Faculdade de Enfermagem, Université de Montréal, 4 de Junho de 2010
  13. 13. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • “A modernidade é inerentemente globalizante”, afirma Giddens. (1991: 69) A era da globalização impõe transformações universalizantes que reconfiguram a tradição, seu abandono ou desincorporação. O local encontra-se de tal forma conectado ao global que influencia e é influenciado por este. A tradição vivenciada no locus do cotidiano, no espaço específico, é colocada em questão pela experiência vivenciada do indivíduo no tempo e espaço global. Por outro lado, o local também problematiza o global. Como nota Giddens: • “Poucas pessoas, em qualquer lugar do mundo, podem continuar sem consciência do fato de que suas atividades locais são influenciadas, e às vezes até determinadas, por acontecimentos ou organismos distantes”. (1997: 74)
  14. 14. SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg)SOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADA (sg) • Há uma interdependência cada vez maior entre o espaço global e o local. O global tem influência sobre as vidas individuais nos espaços locais; mas também as decisões dos indivíduos em seu cotidiano podem influenciar sobre os resultados globais. Esta inter-influência incide sobre as coletividades e grupos de todos os tipos, incluindo o Estado. Todos têm que levar em consideração essa realidade, o que pressupõe repensar os papéis, sua reorganização e reformulação.
  15. 15. REPENSAR O PAPELREPENSAR O PAPEL SOCIALSOCIAL COMO HOMENS E COMOCOMO HOMENS E COMO MULHERES,MULHERES, SUA REORGANIZAÇÃO ESUA REORGANIZAÇÃO E REFORMULAÇÃO.REFORMULAÇÃO.
  16. 16. AS RELAÇÕES DE GÊNERO ANTES AAS RELAÇÕES DE GÊNERO ANTES A TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO CAPITALISTA/INDUSTRIALCAPITALISTA/INDUSTRIAL • A SOCIEDADE FOI HIERARQUIZADA COM HOMENS MAIS PODEROSOS ACIMA ATE OS HOMENS COM MENOS PODER ABAIXO: MAS AS MULHERES FORAM DENTRO CADA CATEGORIA NOS MESMOS LUGARES QUE OS HOMENS: O REI DOMINANTE SOBRE TUDOS, A PARTIR DA SUA RAINHA; O MARQUÊS E A MARQUESA ETC….A MULHER PODIA SUBSTITUIR O MARIDO QUANDO ELE FORA OU MORTO…. • A DOMINAÇÃO DO HOMEM FUNDADA NA RELIGIÃO, E O REI FOI ESCOLHA DE DEUS ELE MESMO, COMO TUDO A ESTRUTURA SOCIAL: CADA POSIÇÃO SOCIAL É UMA DECISÃO DE DEUS….
  17. 17. AS RELAÇÕES DE GÊNERO DEPOIS AAS RELAÇÕES DE GÊNERO DEPOIS A TRANSFORMAÇÃOTRANSFORMAÇÃO CAPITALISTA/INDUSTRIALCAPITALISTA/INDUSTRIAL • A SOCIEDADE É HIERARQUIZADA DO HOMEM MAIS PODEROSO ATE O MENOR (DO PRESIDENTE ATE O ESCRAVO) MAS NO MESMO TEMPO A SOCIEDADE É BASEADA SOBRE UMA SEGREGAÇÃO RADICAL ENTRE HOMENS E MULHERES: AS MULHERES NÃO SÃO MAIS NO MESMO LUGAR, O HOMEM É NO PUBLICO, A MULHER NO LAR (A RAINHA DO LAR!!!) E GIROU O APANÁGIO DO MARIDO • A DOMINAÇÃO DO HOMEM NÃO É FUNDADA NA RELIGIÃO E ESCOLHA DIRETA DE DEUS, MAS PELO MERECE DO TRABALHO E DO DINHEIRO: PARA OS PROTESTANTES BONS TRABALHO E DINHEIRO SÃO SIGNAIS DA SALVAÇÃO DA ALMA (Max Weber: A etica protestante e o espirito do capitalismo)
  18. 18. AS RELAÇÕES DE GÊNERO DEPOIS AAS RELAÇÕES DE GÊNERO DEPOIS A TRANSFORMAÇÃO CAPITALISTA/INDUSTRIALTRANSFORMAÇÃO CAPITALISTA/INDUSTRIAL • AS MULHERES VÃO PERDER COM NAPOLEON MESMO O DIREITO DE SUBSTITUIR O HOMEM: DEPOIS A CONQUISTA DE TUDOS DIREITOS PELA REVOLUÇÃO FRANCESE, AS MULHERES VÃO PERDER TODOS DIREITOS E LUTAR ATE OS ANOS 1970 PARA OS RECUPERAR UM A UM (170 ANOS PERDIDOS) • MAS ESTA FORMA HIERARQUIZADA E SEGREGACIONISTA CONSERVA-SE PERFEITAMENTE NAS IGREJAS TANTO CATOLICAS QUANTO EVANGELICAS: O HOMEM TEM DIREITO DIVINO DE DOMINAR AS MULHERES, NENHUM LUGAR DE PODER PARA MULHERES NESTAS INSTITUIÇÕES QUE SÃO NO MESMO TEMPO CONTRA QUALQUER RECONHECIMENTO DA HOMOSEXUALIDADE E DO PODER DA MULHER SOBRE SUA PROPRIA SEXUALIDADE E REPRODUÇÃO: OS DOIS DESTRUIRIAM A ORDEM SOCIAL • PARECE QUE AS SOCIEDADES FONCIONAM COMO A NATUREZA: PELA SEDIMENTAÇÃO …….
  19. 19. AS RELAÇÕES DE GÊNERO HOJE NASAS RELAÇÕES DE GÊNERO HOJE NAS SOCIEDADES DE MODERNIDADESOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADAAVANÇADA VAMOS VOLTAR AOS TRÊS PROCESSOSVAMOS VOLTAR AOS TRÊS PROCESSOS SOCIAIS SIMULTANEOS QUE LEVARAMSOCIAIS SIMULTANEOS QUE LEVARAM AO PAPEL EXCLUSIVO DO CUIDAR E DOSAO PAPEL EXCLUSIVO DO CUIDAR E DOS CUIDADOS DAS MULHERES:CUIDADOS DAS MULHERES: - VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA- VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA -VALORIZAÇÃO DO TRABALHO-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO -A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS-A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS TRABALHADORES E MULHERESTRABALHADORES E MULHERES CUIDADORES NA SOCIEDADE MODERNACUIDADORES NA SOCIEDADE MODERNA CAPITALISTA/INDUSTRIALCAPITALISTA/INDUSTRIAL
  20. 20. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA • A CRIANÇA É CADA VEZ MAIS VISTA COMO INDIVÍDUO SOCIAL, DENTRO DA COLETIVIDADE, E A FAMÍLIA TEM GRANDE PREOCUPAÇÃO COM SUA SAÚDE E SUA EDUCAÇÃO. TAIS ELEMENTOS SÃO FATORES IMPRESCINDÍVEIS PARA A MUDANÇA DE TODA A RELAÇÃO SOCIAL • AS SOCIEDADES USAM CRIANÇAS PARA AUMENTAR O CONSUMO; NO MOMENTO DO NASCIMENTO, A CRIANÇA É FOCO FUNDAMENTAL PARA ÊXITO DA FAMILIA: ESCOLAS PARTICULARES PARA ENTRAR NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS ETC….
  21. 21. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • A CRIANÇA EM NOSSAS SOCIEDADES É O ALVO DO PROGESSO SOCIAL E A DIFERENÇA PARECE NUNCA MAIS EXISTIR ENTRE MENINOS E MENINAS, DO PONTO DE VISTA DA RELAÇÃO DE GÊNERO MAS A DIFERENÇA É ENTRE CRIANÇAS POBRES, SEM RECURSOS SUFICIENTES, E CRIANÇAS RICOS, QUE CONCENTRAM A MAIORIA DOS RECURSOS PORQUE “MERECEM” !!!!
  22. 22. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • Vamos tentar de aprofundar este processo social a partir da tese de doutorado em Ciencias Humanas Aplicadas (Université de Montréal) da minha orientada, Cintia Maura Jorge Soares “A construção social da sexualidade de adolescentes morando em bairos pobres de Belém, Para: dispositifvos de sexualidade e de aliança segundo Michel Foucault ”… Defesa de tese em 4 de Junho de 2010 • Pesquisa qualitativa com 14 ados, 7 masculinos e 7 femininas, dos pais deles e delas, profissionais de educação e de saúde • Entrevistas com cada adolescente sobre o significado da sexualidade para ele(a) mesmo(a); para os pais dele(a) segundo ele(a); da escola, dos servicos de saúde, das midias (tv, internet etc…) dos governos; e com os pais de cada adolescente com as mesmas categorias de perguntas afim de descobrir um ou mais dispositivos de sexualidade e de aliança segundo proposto teorico de Michel Foucault: A vontade de saber. Tomo 1 da Historia da sexualidade
  23. 23. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • O dispositivo: a familia, a escola, a igreja, o Estado através de seus programas de saude, educaçao, comunicaçao, bem como de urbanizacao, e mesmo sendo estas entidades diferentes entre si, elas comportam discursos; decisoes regulamentares; leis; efetuam medidas administrativas; apresentam enunciados cientificos; proposicoes filosóficas; morais; filantrópicas e em conjunto, todas elas, ainda que heterogeneas, formam uma rede que se pode estabelecer entre todos estes elementos, que podem ser na ordem do verbal como também do nao verbal. O DISPOSITIVO FOI CONSTRUIDO A PARTIR DA ANALISE VERTICAL/TRANSVERSAL DOS ADOS; VERTICAL/TRANSVERSAL DOS PAIS DELES E ANALISE CRUZADA DOS ADOS E DOS PAIS DELES.
  24. 24. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • A partir dos depoimentos analisados pode-se inferir a presença de um dispositivo de sexualidade que para todos os adolescentes entrevistados nesta pesquisa deu-se como um DISPOSITIVO DO SEXO SEGURO. Neste dispositivo, a pratica do ato coital devera se dar através do sexo seguro, seja ele com prazer ou não. • Outro fator relevante encontrado, foi que a partir dos depoimentos do(a)s adolescentes entrevistado(a)s que apresentam uma vida sexual ativa, a utilizaçao da camisinha foi explicada como uma preocupaçao em evitar uma gravidez indesejada, no qual a importancia da prevençao primeira nao se da em relaçao às doenças e sim como pratica contraceptiva, mas ainda assim de cunho responsavel.
  25. 25. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • Pode-se inferir que existe um tipo de dispositivo de Aliança, o qual é nomeado neste estudo como: O DISPOSITIVO DE ALIANÇA DOS PODEROSOS. Este, caracteriza-se como sendo o meio pelo qual os pais fazem de tudo para que seus(suas) filhos(as) entrem por via da educaçao e do trabalho, ao rank dos(as) bem sucedidos(as), dai a necessidade de serem estimulados(as) às atividades extra-curriculares a fim de enriquecerem seu mundo social e economico, e aperfeiçoando assim, um processo de vigilancia/controle das atividades destes(destas) a fim de atingir a meta, a qual é tirar seu(sua) filho(a) do meio da pobreza • NÃO FOI ENCONTRADA QUALQUER DIFERENCIA ENTRE FILHOS E FILHAS PARA OS PAIS….ENTÃO UMA CONCEÇÃO SURPREENDENTE DE IGUALDADE DE GÊNEROS……
  26. 26. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • Para este dispositivo, emergiram como alicerces fundamentais os valores moral (influenciado pela Igreja, caracter do individuo) e emancipatorio, compreendendo- se educaçao e trabalho, em busca da autonomia e independencia profissional e financeira que nomer-se-à dispositivo de Aliança dos poderosos. • O dispositivo de aliança dos poderosos, é evidenciado quando a maioria dos pais entrevistados afirmam que eles querem dar a seus filhos uma educacao que lhes permitirá a entrada no rol dos poderosos. Aqui a escolha da(o) futura(o) esposa(o) nao é importante uma vez que eles(os pais) tem a certeza de que se seus(suas) filhos(as) forem bem educados(as), eles(elas) saberao escolher como suas(seus) esposas(os), mulheres(maridos) também bem educadas(os), fazendo com que eles(elas) nao tombem (baixem) na escala social.
  27. 27. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) • Esses pais tem uma visão clara da aliança dos poderosos. Como exemplo tem-se os pais de Rouge, Cravo e Margarida, que demonstram em seus discursos a compreensao do desejo dos politicos perpetuarem o status quo no qual os poderosos conservam intacto o dispositivo de aliança ao interditarem intencionalmente o acesso a educacao às criancas pobres, para que nao venham a ter que competirem com seus proprios filhos. E eles fazem tudo para que seus filhos tenham boa educação e assim façam parte do dispositivo de aliança dos poderosos.
  28. 28. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) INTEGRAÇÃO DOS DOIS DISPOSITIVOS • Pressupoe-se que como pre-requisito ao dispositivo de sexualidade do SEXO SEGURO exista uma inter-relaçao com o dispositivo de Aliança para os/as adolescentes e seus pais e maes, uma vez que, o estar gravida/gravido possa vir a ameaçar e/ou colocando em risco a emancipaçao da pobreza para se inserirem no dispositivo dos poderosos, sendo entao a preocupaçao com a gravidez a prioridade no discurso destes(as) atores/atrizes quando se fala em utilizar o preservativo, bem mais importante do que a mençao das DSTs e Aids/HIV.
  29. 29. 1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg)1-VALORIZAÇÃO DA CRIANÇA (Sg) E QUEM CUIDA DAS CRIANÇAS ?! • INSTITUIÇÕES: AMPLIAÇÃO DO ENVOLVIMENTO DELAS COM CRIANÇAS CADA VEZ MAIS JOVENS ATRAVES CRECHES: NO QUÉBEC UMA REDE BARATISSIMA DE CRECHES PARA FAVORECER O TRABALHO DAS MULHERES E DIMINUIR A DISTÂNCIA ENTRE CRIANÇAS POBRES E RICAS • PROFISSIONAIS: AMPLIAÇÃO DO ENVOLVIMENTO DELES E MULTIPLICAÇÃO ATE QUASE O INFINITO DE ESPECIALIZAÇÕES PARA CUIDAR DAS CRIANÇAS ATRAVES CONSELHOS E FISCALIZAÇÃO DO VINCULO DOS PAIS, PARTICULARMENTE HOJE SOBRETUDO AS MÃES: A “ESTIMULAÇÃO” DOS BEBÉS ´COMO NOVO CONCEITO CENTRAL DA EDUCAÇÃO ENTÃO CONSOLIDAÇÃO DOS CUIDADOS PEDITRICOS CADA VEZ MAIS PARA O “BEM” DA SOCIEDADE E NÃO APENAS DOS PAIS…..REGULAÇÃO DOS PAIS ATRAVES FILHOS
  30. 30. 2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO • EMBORA SOCIEDADES DO LAZER PREVISTAS (!!!), AS SOCIEDADES SÃO CADA VEZ MAIS SOCIEDADES DE TRABALHO: EXTENSÃO DA NOÇÃO MESMA DE TRABALHO….JOGAR NA BOLSA É UM TRABALHO HOJE E NÃO UM JOGO….TODO FAZ PARTE DO TRABALHO DE “INVESTIMENTO” PESSOAL E SOCIAL • O TRABALHO ASSALARIADO COMO SEGURANÇA E GUARANTIA DE MOBILIDADE SOCIAL CADA VEZ MAIS PRECARIO É, PARADOXALMENTE, CADA VEZ MAIS O VALOR DE OURO NAS SOCIEDADES….a maior fonte de insegurança nas sociedades de modernidade avançada
  31. 31. 2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO (Sg)2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO (Sg) DOIS FATORES IMPREVISTOS: • A FEMINIZAÇÃO DO TRABALHO: NO CANADÁ MAIS MULHERES NA POPULAÇÃO ATIVA QUE DE HOMENS DESDE 2008…O Brasil vai neste sentido se comtabilizamos as empregadas…. • A GLOBALIZAÇÃO DO TRABALHO: A AFIRMAÇÃO DO GIDDENS QUE O LOCAL ENCONTRA-SE DE TAL FORMA CONECTADO AO GLOBAL QUE INFLUENCIA E É INFLUENCIADO POR ESTE: INSEGURANÇA DOS TRABALHADORES PELA DESLOCALIZAÇÃO DO TRABALHO E AS DIFICULDADES PARA CONSERVAR OS DIREITOS SOCIAIS ADQUIRIDOS…A FRENTE DE MÃO DE OBRA BARATISSIMA QUE AMEAÇA AS TRABALHADORAS QUEM OCUPEM AS TAREFAS AS MENOS VALORIZADAS, COMO AS PESSOAS DE RAÇA…BASE DA NOVA RIQUEZA NO TRABALHO DAS MULHERES DOS PAIS POBRES…
  32. 32. 2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO (Sg)2-VALORIZAÇÃO DO TRABALHO (Sg) • A FEMINIZAÇÃO DO TRABALHO FOI BEM MAIOR NO SERVIÇOS LIGADOS AO PAPEL TRADICIONAL DAS MULHERES DE CUIDADO DE SAÚDE E DE EDUCAÇÃO….A SEGREGAÇÃO ENTRE OS GÊNEROS NO MERCADO DO TRABALHO É AINDA FORTISSIMA • E AS DESIGUALDADES SÃO AINDA ENORMES: A TRABALHO IGUAL RECONHECIMENTO DISIGUAL….No Québec operação succedida de “parité” (cada emprego examinado e igualizado pela lei…)
  33. 33. 3-A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS3-A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS TRABALHADORES E MULHERES CUIDADORESTRABALHADORES E MULHERES CUIDADORES PODEMOS PENSAR QUE A SEGREGAÇÃO NÃO É MAIS ENTRE HOMENS TRABALHADORES E MULHERES CUIDADORES COMO FOI O CASO NO INICIO DA SOCIEDADE INDUSTRIAL MAS ENTRE HOMENS TRABALHADORES E MULHERES TRABALHADORES E CUIDADORES….as “superwomen”
  34. 34. 3-A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS3-A SEGREGAÇÃO ENTRE HOMENS TRABALHADORES E MULHERES CUIDADORES (Sg)TRABALHADORES E MULHERES CUIDADORES (Sg) • MESMO NAS SOCIEDADES MENOS MACHISTAS, A PARTICIPAÇÃO DOS HOMENS NO TRABALHO DOMESTICO É UMA DECEPÇÃO CONSTANTE • É FÁCIL DE BEM ENTENDER PORQUE: AS CONDIÇÕES SOCIAIS DOS HOMENS NÃO MUDARAM E AS MULHERES QUE PERMITIRAM O DESENVOLVIMENTO DA SOCIEDADE INDUSTRIAL PELO TRABALHO DOMESTICO (FOI O CASO PARTICULARMENTE DO JAPÃ) CONTINUARAM A PERMITIR A SOBREVIVENCIA DESTE MODELO PELO TRABALHO DELAS FORA DO LAR SEM “PERDER O MARAVILHOSO TITULO DE RAINHA DO LAR”
  35. 35. A INVISIBILIDADE DO CUIDADOA INVISIBILIDADE DO CUIDADO DOMESTICO E A INVISIBILIDADEDOMESTICO E A INVISIBILIDADE DO CUIDADO:DO CUIDADO: RE-DEFINIÇÃO DORE-DEFINIÇÃO DO TRABALHO?!TRABALHO?!
  36. 36. RE-DEFINIÇÃO DO TRABALHO?!RE-DEFINIÇÃO DO TRABALHO?! • O TRABALHO DOMESTICO SEM QUAL NÃO PODE EXISTIR O TRABALHO E MESMO NENHUMA SOCIEDADE DE MODERNIDADE AVANÇADA NÃO TEM VALOR SOCIAL E SOBRETUDO NENHUM VALOR ECONOMICO • REMUNERAR O TRABALHO DOMESTICO PODERIA SER A PROXIMA REVOLUÇÃO….. • ENTRETANTO POLITICAS SOCIAIS DEVERIAM CONSIDERAR OS DOIS GÊNEROS RESPONSAVEIS DO CUIDADO DAS CRIENÇAS: EXEMPLO DO FERIADO PATERNAL NO QUÉBEC…
  37. 37. NOVAS POLITICAS NO QUÉBECNOVAS POLITICAS NO QUÉBEC • SITUAÇÃO PARTICULAR QUE FAZ QUE O QUÉBEC TER SUPERAR A TAXA MINIMA DE RENOVAÇÃO DA POPULAÇÃO • POLITICAS DE “POPULAÇÃO” PARA APOIAR QUALQUER ESCOLHA DOS CIDADÕES E CASAIS QUEM QUER OU NÃO QUER FILHOS: UM FERIADO PROTEGIDO PELA LEI DE UM ANO COMPARTILHADO ENTRE A MULHER E O HOMEM: ACRESCEMENTO IMEDIATO E SUSTENTADO DA NATALIDADE • ESTE TIPO DE POLITICAS É FÁCIL COM AGENCIAS GOVERNEMENTAIS MAIS APRESENTA DIFICULDADES PARA PARTICULARES EM COMPETIÇÃO MUNDIAL…
  38. 38. CORPOS FEMININOS E CORPOSCORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DEMASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPOINVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO O corpo, cujo dimensões lúdicas e hedonistas foram retiradas pelo moralismo do trabalho voltou em força desde 40 anos e apresenta no minimo cinco (5) pontos de inversão segundo analistas convergentes das ciências humanas. PARA ALGUNS MUDANÇAS QUE PARECEM SER AS IMPLICAÇÕES PARA OS CORPOS FEMININOS E MASCULINOS?!…. - Da predominância do corpo produtivo ao corpo hedonisto: PODERIA SER QUE OS DOIS CORPOS SÃO CADA VEZ MAIS PRODUTIVOS DENTRO O HEDONISMO? O HEDONISMO PARECE CADA VEZ MAIS TRABALHADO E REGULADO COMO TRABALHO PRODUTIVO
  39. 39. CORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOSCORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg)ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg) -Do corpo como expressão dos poderes e como submissão às normas sociais ao corpo como ponto de inserção da experiência vivida e da concentração sobre eu e as proprias normas dele: PARECE UMA DIALECTICA CADA VEZ MAIOR PARA TUDOS OS CORPOS….A EXPERIÊNCIA VIVIDA E A CONCENTRAÇÃO SOBRE NOSSAS PROPRIAS NORMAS PODEM SER OBRIGAÇÕES NO MUNDO “MIDIATIZADO” DE HOJE POREM QUE ESTES CORPOS OBEDECEM AS EXPECTATIVAS DAS MÍDIAS
  40. 40. CORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOSCORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg)ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg) -Do corpo-trabalho ao corpo social PODERIA SER QUE OS CORPOS “SOCIAIS” CONTINUAM DE SE APRESENTAR SEGUNDO A TOPOLOGIA SEXUAL DO CORPO SOCIALIZADO FUNDAMENTAL DE BOURDIEU, PROROGADO PELO TRABALHO ATUAL: OS HOMENS COM A EXTERIODADE DO FORA E AS MULHERES COM A INTERIODADE DO DENTRO
  41. 41. CORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOSCORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg)ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg) -Do biologico estrito ao ego pulsional É CLARO QUE OS CORPOS PARECEM CADA VEZ MAIS PULSIONAIS POREM QUE CADA VEZ MAIS “NORMALIZADOS” E “MEDICALIZADOS, OU “PATOLOGIZADOS”: A EXALTAÇÃO DO CORPO PULSIONAL MÍDIATIZADO NÃO DIMINUI, AO CONTRARIO, O CORPO CONSTRANGIMENTO SOMOS LONGE DA VOLTA DA “GRAÇA” DOS HOMENS DO SECULO XVIII…..
  42. 42. CORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAISCORPOS FEMININOS E CORPOS MASCULINOS E OS PONTOS ATUAIS DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg)DE INVERSÃO DAS VISÕES DO CORPO (Sg) • DE QUALQUER PONTO DE VISTA, OS CORPOS TANTO FEMININOS QUANTO MASCULINOS ME PARECEM CADA VEZ MAIS NO PADRÃO DO CORPO ESPORTIVO DO CAMPEÃO E DO CORPO INFORMATICO E TECNOLOGICO…..MAS A TOPOLOGIA SEXUAL DO CORPO SOCIALIZADO FUNDAMENTAL DE BOURDIEU NÃO SUMIU COMPLETAMENTE……APRESENTANDO SITUAÇÕES CONTRADITORIAS E AMBIGUAS
  43. 43. O PAPEL DOSO PAPEL DOS PROFISSIONAIS NASPROFISSIONAIS NAS SOCIEDADES DESOCIEDADES DE MODERNIDADE AVANÇADAMODERNIDADE AVANÇADA
  44. 44. UM PAPEL CADA VEZ MAIS AMPLOUM PAPEL CADA VEZ MAIS AMPLO • Como nos vimos no inicio “é verdade que não consultamos peritos o tempo todo. Mas estes sistemas, nos quais encontra-se integrado o conhecimento dos especialistas, influencia continuamente muitos dos aspectos do nosso ser e agir cotidianos. Eles “criam grandes áreas de segurança relativa para a continuidade da vida cotidiana” (GIDDENS, 2002: 126). Por outro lado, os sistemas peritos atuam como mecanismos de desencaixe – porque removem as relações sociais das imediações do contexto
  45. 45. UM PAPEL DE PROTEÇÃO PARA OS PODERESUM PAPEL DE PROTEÇÃO PARA OS PODERES DOMINANTES?!DOMINANTES?! • PODEMOS ACREDITAR QUE ESTES SISTEMAS PROFISSIONAIS SÃO AO SERVIÇO DO PODERES DOMINANTES, UM FILTRO DE PROTEÇÃO CONTRA A REBELIÃO DOS OPRIMIDOS QUEM SÃO LEGIÕES….OS PROBLEMAS SÃO SEMPRE CONSIDERADOS COMO PROBLEMAS INDIVIDUAIS, OU CONSIDERADOS COMO SEM POSSIBILIDADES DE TRANSFORMAÇÃO COLETIVA • EU ACHO QUE O PROCESSO PSICOLOGISANTE É UMA ESTRATEGIA DE DEFESA DOS PROFISSIONAIS QUE SE SEMTEM IMPOTENTES E TEM INFELIZMENTE CONSEQÜÊNCIAS TRAGICAS PARA AS PESSOAS OPRIMIDAS….
  46. 46. UM PAPEL DE PROTEÇÃO PARA OS PODERES DOMINANTES?!UM PAPEL DE PROTEÇÃO PARA OS PODERES DOMINANTES?! • UMA MULHER GRAVIDA VÍTIMA DA VIOLÊNCIA DO MARIDO FOI REFERIDA PARA UM ABRIGO, MAS NO RIO EXISTEM SÓ ABRIGOS PARA PESSOAS MORENDO NAS RUAS • A MULHER RECUSOU PORQUE TINHA MEDO, COM CERTEZA, QUE ISSO PODERIA PIORAR A SITUAÇÃO PORQUE O FILHO DE 3 ANOS PODERIA SER ABUSADO QUANDO ELA SAIU PARA BANHEROS….ENTÃO AS ALTERNATIVAS PODEM VULNERABILIZAR AINDA MAIS AS PESSOAS JÁ VULNERAVEIS..
  47. 47. A PROMOÇÃO DA SAÚDEA PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS COMUNIDADES ENAS COMUNIDADES E RELAÇÕES DE GÊNERO:RELAÇÕES DE GÊNERO: ALTERNATIVAS PARA OALTERNATIVAS PARA O SISTEMA DE SAÚDESISTEMA DE SAÚDE
  48. 48. ALTERNATIVAS …..ALTERNATIVAS ….. • EU NÃO POSSO ACREDITAR NO ASSUNTO QUE OS PROFISSIONAIS PODEM SER APENAS UMA PROTEÇÃO PARA OS PODEROSOS DOMINANTES • NA VISÃO DE FOUCAULT, TEMOS TUDOS PODER E PODEMOS ENTÃO TRABALHAR COMO SISTEMA DE SAÚDE PARA AJUDAR TUDOS NÓS SAIR DA OPRESSÃO….
  49. 49. RE-LEMBRAÇA EM BREVERE-LEMBRAÇA EM BREVE DO PODER SEGUNDODO PODER SEGUNDO MICHEL FOUCAULTMICHEL FOUCAULT
  50. 50. O PODERO PODER SEGUNDO FOUCAULTSEGUNDO FOUCAULT « ….É UMA SITUAÇÃO ESTRATÉGICA COMPLEXA….” (DREYFUS, Hubert e RABINOW, Paul.(1995) Michel Foucault: uma trajetoria filosofica para além do estruturalismo e da hermeneutica. Forense Universitaria)
  51. 51. PODER/VISÃO COMUM (REPRESENTAÇÕES GRAFICAS DE ENILSON SANTOS DA EEAN/UFRJ: MUITO OBRIGADO)
  52. 52. PODER/VISÃO DE FOUCAULT MÉDICOS GOVERNO PARTEIRAS POPULAÇÃO
  53. 53. MÉDICOS GOVERNOPARTEIRAS POPULAÇÃO FEMINISTAS
  54. 54. A PROMOÇÃO DA SAÚDE NASA PROMOÇÃO DA SAÚDE NAS COMUNIDADES:COMUNIDADES: UMA CHAVEZ PARA TRANSFORMAR ASUMA CHAVEZ PARA TRANSFORMAR AS RELAÇÕES DE GÊNERO E SAIR DARELAÇÕES DE GÊNERO E SAIR DA OPRESSÃO POIS DEVEMOS MUDAR DOOPRESSÃO POIS DEVEMOS MUDAR DO ATENDIMENTO BASICO BASEADO NOATENDIMENTO BASICO BASEADO NO MODELO BIO-MÉDICOMODELO BIO-MÉDICO E DA ESTRATEGIA DE SAÚDE FAMILIARE DA ESTRATEGIA DE SAÚDE FAMILIAR QUE ENCERA AS MULHERES NO PAPELQUE ENCERA AS MULHERES NO PAPEL DE CUIDADORA E EXCLUI OSDE CUIDADORA E EXCLUI OS HOMENS….E AS MULHERESHOMENS….E AS MULHERES TRABALHADORES FOR A DO LAR !!!!TRABALHADORES FOR A DO LAR !!!!
  55. 55. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • DO GERAL PARA O PARTICULAR OU DO PARTICULAR PARA O GERAL: Tem situaçoes que precisam uma visao ampla, quando a comunidade afronta problemas gigantes, sem metas e sem apoio desde muito tempo (Modelo dos Municipios em Saúde) quanto outras situaçoes exigem açoes mais especificas, como no caso de doenças como cardio- vascular (Modelo ecologico) porque a comunidade é BEM estabilicada desde muito tempo • DE QUALQUER JEITO, USAR SEMPRE DE PROBLEMATIZAÇAO ASITUANDO TODOS PROBLEMAS NA UMA ABORDAGEM GLOBAL, INTEGRAL, LEVANDO EM COMTA RELAÇÕES DE GÊNERO…
  56. 56. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • APROVEITAR DO PROGRAMA PAC (Programa de Aceleraçao do Crescimento) : Se possível, concentra forças no momento da mudança pelo PAC porque criando novas oportunidades: « Uma das beneficiadas (do PAC na Lagoa Grande, no bairro Santo Antonio dos Prazeres; jornal A Tarde, domingo 8 de Março de 2009) é a familia da dona-de-casa Maria dos Reis, 67 anos que tem 12 filhos e mora na Lagoa Grande há mais de 20 anos. Para ela é uma oportunidade que caiu do céu, já que a casa onde reside tem apenas 4 cômodos e fica na área considerada de risco: ’’ Reso todos os dias para eles todos, pois só agora terei água, luz, calçamento, alem disto dignidade, pois terei uma casa limpa para receber a todos’’, desabafou dona Maria dos Reis » O ESPAÇO SOCIAL É FUNDAMENTAL PARA A SAÚDE TANTO FISICA QUE MENTAL E SOCIAL
  57. 57. O PAC…sgO PAC…sg EM GERAL, O PROGRAMA PAC TEM VISOES DE EDUCAÇAO E DE SAÚDE DENTRO O OBJETIVO DE URBANIZAÇAO COM CONSTRUCÇAO DE POSTOS DE SAÚDE E DE ESCOLAS. UMA DAS PRIORIDADES DO PAC É O SANEAMENTO QUE VAI DAR AS BASES FUNDAMENTEIS DE SAÚDE. O PAC APRESENTA UMA PASSAGEM DA UMA VISAO ASSISTENCIALISTA PARA UMA VISAO DE INVESTIMENTO SOCIAL…..O QUE É MARAVILHOSO, QUALQUER SEJA A MÃE, O PÃE, A VOVÕ…ETC DO PAC
  58. 58. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • SE NAO TEM AGORA POSSIBILIDADE DO PAC, CONCENTRAR ESFORÇOS PARA OBTER A CHEGADA DO PROGRAMA • O mais importante para qualquer comunidade é de partilhar projetos de desenvolvimento: a saúde insera-se facilmente dentro motivaçao, porque, como escreveu Nightingale (1855), ela significa a “vontade de utilizar cada capacidade que nos temos”. • Se a comunidade já preparada para a mudança pelo PAC, essa mudança poderia ser melhor e maior….
  59. 59. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • SE NAO TEM AGORA POSSIBILIDADE DO PAC, CONCENTRAR ESFORÇOS PARA OBTER A CHEGADA DO PROGRAMA • O mais importante para qualquer comunidade é de partilhar projetos de desenvolvimento: a saúde insera-se facilmente dentro motivaçao, porque, como escreveu Nightingale (1855), ela significa a “vontade de utilizar cada capacidade que nos temos”. • Se a comunidade já preparada para a mudança pelo PAC, essa mudança poderia ser melhor e maior….
  60. 60. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • HOMOGENEIDADE OU HETERONEIDADE Depende de muitos fatores: se a comunidade têm homogeneidade desde muito tempo, seria probablamente melhor de conservar e de criar novas heterogeneidades mas se ela totalmente nova, poderia ser melhor de criar heterogeneidade para evitar o estabelecimento de novo ghetto.. Ex. do Plan Dozois (habitaçoes sociais no Centro de Montréal) versus Shops Angus com habitaçoes sociais vizinhas de condominios de luxo, cooperativas….uma mobilidade social para acima e nao para baixo… A orientação do Brasil agora, depois o fracasso do pacote de Washington, é o projeto de construir novas classes medias, tanto pelo PAC quanto bolsa familia (qualquer o pãe, a mãe, a vovõ etc)…. É exatamente que o novo presidente Obama quer fazer: reconstruir as classes medias destruidas ou desestabilizadas pelos anos de conservatismo …de Reagan a Bush NÃO HÁ POSSIBILIDADES DE MUDANÇAS NAS RELAÇÕES DE GÊNERO SEM A CONSOLIDAÇÃO E A MELHORAÇÃO DAS CLASSES MEDIAS….OS ULTRA-CONSERVADORES SÃO EM FAVOR DA CONSOLIDAÇÃO DA DOMINAÇÃO DOS PODEROSOS MISOGINOS….DAS IGREJAS …...
  61. 61. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • CRIAR SOLIDARIEDADE TANTO HORIZONTAL QUE VERTICAL: Para evitar isolamento e construcçao ou manutençao de ghettos, não devemos criar só uma solidariedade horizontal (por exemplo, só entre os idosos) mas tambem vertical (jovens e idosos) para evitar tambem vazios geraçionais perigosos…. Mesmo hoje, a sociedade brasileira me parece conservar esta caracteristica importantissima do intergeraçional....
  62. 62. ORIENTAÇOES DO CUIDADO(sg)ORIENTAÇOES DO CUIDADO(sg) • CRIAR E COMPLETAR LIDERANÇA Sempre sera uma questao prioritaria na saude comunautaria: como desenvolver novos lideres sem afastar a antiga liderança ? O melhor caminho: oferecer novas oportunidades como dar papeis para marginalizados com a ajuda da antiga liderança…. OFERECER NOVAS OPORTUNIDADES É A CHAVEZ DA PROMOÇAO DA SAÚDE: o exemplo do programa de Agentes comunitarios de saúde. MAS DEVEMOS RE-ORIENTAR ESTE PROGRAMA « PACS » NO SENTIDO DA PROMOÇÃO DA SAÚDE E SAIR DO MODELO BIO-MEDICO FUNDAMENTAL DO ATENDIMENTO BASICO.. PERMITIR A GENTE DE APROPRIAR-SE DE CONTEUDU EM SAÚDE VAI ABRIR NOVAS OPORTUNIDADES QUE NĀO PODEMOS PREVER..!
  63. 63. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…..ORIENTAÇOES DO CUIDADO….. • INSERIR DE QUALQUER JEITO E SEMPRE A FAMILIA DENTRO A COMUNIDADE: Criar recursos comunitarios que vao apoiar a familia, permitir as maes de sair parcialmente do papel de cuidadora, e proteger-se da violência CONSTRUIR UMA COMUNIDADE CUIDADORA É A CHAVEZ DO FUTORO NO BRASIL: O Brasil deveria mudar rapidamente do conceito de saúde familiar, para o da saúde comunitária, incluindo a saúde familiar !!!! UMA COMUNIDADE CUIDADORA PODE ABRIR NOVAS POSSIBILIDADES PARA OS HOMENS: É FUNDAMENTAL PARA ENVOLVER OS HOMENS NA SAÚDE
  64. 64. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…(sg)ORIENTAÇOES DO CUIDADO…(sg) • ORIENTAR O CUIDADO PARA UMA COMUMAUTARIZAÇAO DO CUIDADO E DIMINUIR A HOSPITALIZAÇAO DA COMUNIDADE • Em primeiro lugar, a primeira orientação do cuidado no hospital deveria ser o planejamento da saída do hospital para a comunidade…e, ao inverso, deveria ser a comunidade que segura um lugar para o parto: a taxa de mortalidade materno-infantil no Brasil é uma vergonha para o mundo enteiro…
  65. 65. ORIENTAÇOES DO CUIDADO…(sg)ORIENTAÇOES DO CUIDADO…(sg) • A integração dos servicos tanto de atendimento basico quanto de saúde comunitária, a ligação entre as linhas (primeira, secondaria, terçeira…)me parece mais fácil nas cidades do interior e muito difícil para as grandes cidades como Salvador ou Rio que tem grandes hospitais….mas deveria ser uma mudança desejada: sempre foram as utopias que permitiram superar os desafios • A municipalização da saúde foi para me um engano trágico no Brasil pois multiplica obstaculos dentro milhiares de municipios, criando lutas inúteis e complicando mudanças: devemos examinar alternativas para superar esta situação terrível….
  66. 66. MELHORAR O CUIDADO DE ENFERMAGEM NOMELHORAR O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO SENTIDO DA PROMOÇAO DA SAÚDE…..SENTIDO DA PROMOÇAO DA SAÚDE….. • ESTABELECER VERDADEIRAS PARCERIAS COM AS POPULAÇOES Trabalhar dentro uma perspectiva de co- aprentizagem com as populaçoes (ao contrario da educaçao sanitaria como imposiçao de regras, que luta contra os prazeres da vida….) Foncionar sempre com contratos claros, explicitos com as populaçoes (exemplo: vigilancia sanitaria..)
  67. 67. MELHORAR O CUIDADO DE ENFERMAGEM NOMELHORAR O CUIDADO DE ENFERMAGEM NO SENTIDO DA PROMOÇAO DA SAÚDE…..SENTIDO DA PROMOÇAO DA SAÚDE….. A PESQUISA COM A CHAVEZ DA PROMOÇAO DA SAÚDE NA ENFERMAGEM • A promoçao da saúde é um campo novo que precisa a construcçao de novos conceitos que seriam melhores se construidos pelas pesquisas participativas dentro uma parceria com a comunidade • Podemos trabalhar com participantes da comunidade que nos vamos formar como pesquisadores na comunidade
  68. 68. E FINALMENTE !!!E FINALMENTE !!! A ORIENTAÇÃO DO CUIDADO DEA ORIENTAÇÃO DO CUIDADO DE ENFERMAGEM E DE SAÚDEENFERMAGEM E DE SAÚDE CENTRADA SOBRE ACENTRADA SOBRE A EMANCIPAÇÃO DA OPRESSÃO:EMANCIPAÇÃO DA OPRESSÃO: OPRESSÃO DAS MULHERES PELOSOPRESSÃO DAS MULHERES PELOS HOMENS E DOS HOMENS PELOSHOMENS E DOS HOMENS PELOS HOMENSHOMENS
  69. 69. EXISTEEXISTE UMA DOENÇA DA OPRESSÃO ?!UMA DOENÇA DA OPRESSÃO ?! • Na revista Anthropology and Medicine de 1999(Vol.6 (1) 31-58. Why do Puerto Rican injection drug users inject so often?)Merrill Singer tenta reponder á pergunta : porque os Utilizadores de Drogas Injectaveis (UDI) portoricanos injectam-se mais vezes que todos outros UDI? À partir de dados epidemiologicos que, todos, mostram que os Portoricanos, tanto na ilha mesma de Porto Rico quanto no continento dos Estados-Unidos, injectam-se mais que todos outros típos de populações dos USA, ele põe um esquema de explicação, o que é infelizmente muito raro na epidemiologia que balança e contrabalança fatores de risco e fatores de proteção dentro um « chassé-croisé » corelational tã forte que uma gata tivesse perdidos os filhos dela!!!!
  70. 70. uma doença da opressão ?! (Sg)uma doença da opressão ?! (Sg) • A partir dos conceitos de colonialismo e de opressão interiorizada, ele propöe que os mecanismos sociais da opressão criam uma doença da opressão referendo-se á «efeitos crónicos e traumaticos da experiencia colonialista, racista, da classe , e das outras opressões interligadas, durante longos periodos de tempo (particularmente enquanto os periodos críticos do desenvolvimento e da construcção identitaria), efeitos juntos com as emoções negativas pela intensa déscreditação pessoal de ser sempre o alvo da estreiteza dos outros….As pessoas quem têm a doença da opressão têm tanto uma estima fraca delas mesmas (A FAMOSA « SELF-ESTEEM » TÃO PRECIOSA PARA OS PSICOLOGOS SOCIAIS) quanto uma aceitação dos estereotipos sociais negativos prevalecendo sobre o grupo etnico deles, a classe social, o gênero ou a orientação sexual. Elas houveram interiorizando a opressão delas e afirmam-se responsaveis de ser carentes e socialmente ostracizadas…. »(Stinger, 1999, page 39; ler tambem o Bourdieu, P. A dominação masculina, sobre a incorporação da dominação). PORQUE A MAIORA DOENÇA, A DA OPRESSÃO, NÃO FAZ PARTE DA TAXONOMIA, A BASE “CIENTIFICA” DAS CIENCIAS DA SAUDE ?!
  71. 71. A DOENÇA DA OPRESSÃO COMO DESAFIOA DOENÇA DA OPRESSÃO COMO DESAFIO TRANSDICIPLINAR…TRANSDICIPLINAR… • PODERIAMOS CONSTRUIR « CIENTIFICAMENTE », ATRAVES DA BIOMEDICINA, DA SOCIOLOGIA, DA ENFERMAGEM, DA PSICOLOGIA, DAS NEUROCIENCIAS (ENDOCRINOLOGIA, IMMUNOLOGIA ETC….) UMA DOENÇA DA OPRESSÃO BEM ESTABELECIDA E FACIL DE DIAGNOSTICO ! • MAS NÃO EXISTE PILULA CONTRA OPRESSÃO !!!! • SÓ PODE EXISTIR UMA TRANSFORMAÇÃO DOS PENSAMENTOS E DAS PRAXIS PROFISSIONAIS….UTILIZANDO O PODER PROFISSIONAL EM PARCERIA COM AS POPULAÇÕES OPRIMIDAS CONTRA OS PODEROSOS QUE CONTROLAM PILULAS!!!!
  72. 72. PORQUE AGUARDAR?! O SISTEMA SOCIALPORQUE AGUARDAR?! O SISTEMA SOCIAL MESMO JÁ É TRANSDISCIPLINARMESMO JÁ É TRANSDISCIPLINAR Muitas coisas acontecem, na verdade, que parecem mostrar uma construção social quasi programada de pessoas condenadas socialmente, pela influência de processos sociais inconfessáveis (e em geral não percebidos). Ann Arnett Ferguson demostra muito bem no livro dela Bad boys. Public Schools in the making of black masculinity (Ann Arbor : The University of Michigan Press, 2003, 256 paginas) que começa assim, e eu cito ela : « andando no jardim da escola, um professor disse de bem olhar um aluno chamado Lamar porque ele já tem uma cela na prisão aguardando ele no futuro». Ela contiua (pagina 2) : « O que eu observei na escola Rosa Parks durante mais de três anos de campo, tudo que eu entendi do aluno Lamar ele-mesmo, dos professores dele, da mãe dele, mostraram claramente que, da mesma forma que há crianças quem são encaminhados no futuro á ser medicos, cientistas, engenheiros, informaticos ou garçons no restaurante, há outros encaminhados para a prisão, sobretudo garotos afro- americanos» (1 afro-americano sobre 6 foi na cadeia em 2007) E ela conclui que isso não é só o proprio da escola mas « resulta tambem de viés raciais das instituções fora da escola, bem como as médias e o sistema de justiça criminal, em refleto e em convergência com o sistema de educação» (pagina 230) .
  73. 73. TEMOS DESAFIOS ENORMESTEMOS DESAFIOS ENORMES MAS ESTIMULANTS COMOMAS ESTIMULANTS COMO PROFISSIONAIS….PEGAMOSPROFISSIONAIS….PEGAMOS O PODER QUE É NOSSO !!!!!O PODER QUE É NOSSO !!!!! OBRIGADO PELA ATENÇÃOOBRIGADO PELA ATENÇÃO

×