Apresentação curso 4 coordenadoria

551 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
551
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação curso 4 coordenadoria

  1. 1. Marcos Operativos: Educação em Saúde, Ações Preventivas e Assistenciais Facilitadores: Ana Paula Nunes Jorge Luiz dos Santos de Souza Paola Piovenzano Soliz
  2. 2. <ul><li>Documentário: Ilha das Flores </li></ul><ul><li>Jorge Furtado-1989. Um ácido e divertido retrato da mecânica da sociedade de consumo. Acompanhando a trajetória de um simples tomate, desde a plantação até ser jogado fora, o curta escancara o processo de geração de riqueza e as desigualdades que surgem no meio do caminho. </li></ul><ul><li>http://www.portacurtas.com.br </li></ul>
  3. 3. Que sociedade vivemos? E com produzimos saúde?
  4. 4. CONCEITOS <ul><li>Coletivo Ética </li></ul><ul><li>Político Democracia </li></ul><ul><li>Poder </li></ul><ul><li>Humanização </li></ul><ul><li>Sistema </li></ul><ul><li>Equipe </li></ul>
  5. 5. EDUCAÇÃO <ul><li>Pressuposto: </li></ul><ul><li>Teoria do conhecimento (Sócio-Histórica) </li></ul><ul><li>Base pedagógica (concepção de como as pessoas aprendem alguma coisa) </li></ul><ul><li>Processo educativo/metodologia/técnicas </li></ul>
  6. 6. ALGUMAS CONCEPÇÕES PEDAGÓGICAS <ul><li>Pedagogia de Transmissão; </li></ul><ul><li>Pedagogia do Condicionamento e </li></ul><ul><li>Pedagogia da Problematização. </li></ul><ul><li>http://www.opas.org.br/rh/publicacoes/textos_apoio/pub04U2T5.pdf </li></ul>
  7. 7. EDUCAÇÃO <ul><li>Tem como objeto e instrumento o saber, o sentir, o pensar e o agir </li></ul><ul><li>Toda relação humana é necessariamente uma relação pedagógica </li></ul><ul><li>DINÂMICA DA CAIXA </li></ul>
  8. 9. EDUCAÇÃO POPULAR <ul><li>Um jeito especial de conduzir o processo educativo no setor saúde; </li></ul><ul><li>No Brasil inicia como corpo teórico e prática social no final da década de 1950; </li></ul><ul><li>Paulo Freire foi o pioneiro no trabalho de sistematização teórica da educação popular (Livro: Pedagogia do Oprimido/1966). </li></ul>
  9. 10. EDUCAÇÃO POPULAR <ul><li>NÃO É O MESMO QUE EDUCAÇÃO INFORMAL; </li></ul><ul><li>É uma estratégia de construção da participação popular no redirecionamento da vida social. </li></ul>
  10. 11. EDUCAÇÃO POPULAR <ul><li>Busca trabalhar pedagogicamente homens/mulheres e os grupos envolvidos no processo de participação popular, fomentando formas coletivas de aprendizado e investigação de modo a promover o crescimento da capacidade da análise crítica sobre a realidade e o aperfeiçoamento das estratégias de luta e enfrentamento. </li></ul>
  11. 12. EDUCAÇÃO POPULAR <ul><li>Vídeo Tenda Paulo Freire </li></ul><ul><li>Reflexão: Saúde e Relação Comunitária. </li></ul><ul><li>http://xa.yimg.com/kq/groups/17929366/2020584321/name/Vasconcelos+-+ED.popular+em+saude.pdf </li></ul>
  12. 13. <ul><li>PARA PENSAR </li></ul><ul><li>Curso Introdutório ACS, nível médio, ACD </li></ul><ul><li>SUS CAMPO DE DISPUTA: para se efetivar como uma política pública; </li></ul><ul><li>O SUS não tem como se concretizar, enquanto uma política pública, se ele não vier de mãos dadas com acumulações mais amplas, socialmente, no plano da Reforma do ESTADO. </li></ul>
  13. 14. <ul><li>Agir tecnológico ↔ mundo das </li></ul><ul><li>Necessidades = ATO POLÍTICO </li></ul><ul><li>(Esperamos que seja!) </li></ul><ul><li>A FAVOR DA VIDA/ MORTE MENOS SOFRIDA </li></ul>
  14. 15. <ul><li>Podemos optar para que nosso ato vivo (trabalho em saúde) não produza ou não contribua para produzir morte? </li></ul><ul><li>Nosso saber tecnológico é uma arma, para onde apontamos? </li></ul><ul><li>Qual a opção que fazemos no cotidiano? </li></ul><ul><li>Nos compreendemos como sujeitos políticos desse ato (trabalho em saúde) e em ato (cuidado em saúde)? </li></ul>
  15. 16. O que queremos? <ul><li>“ SUS mais democrático, justo e construtor da equidade social no direito a uma vida mais qualificada”. </li></ul>
  16. 17. TRABALHADOR (A) DO SUS <ul><li>Onde o SUS menos avançou/lugar frágil? </li></ul><ul><li>Na implicação do trabalhador de saúde (TS) pois o TS não se posiciona como sujeito político ampliado; </li></ul><ul><li>Como regra se posiciona como sujeitos políticos corporativos. </li></ul>
  17. 18. TRABALHADOR DO SUS <ul><li>Tese: </li></ul><ul><li>“ Ainda não nos constituímos e não nos reconhecemos como sujeitos políticos de construção e consolidação do SUS”. </li></ul><ul><li>É isso mesmo? </li></ul><ul><li>http://www.uff.br/saudecoletiva/professores/merhy/artigos-23.pdf </li></ul>
  18. 19. Operários- Tarsila do Amaral/1933.
  19. 20. <ul><li>http://theresidentis.blogspot.com/ </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>

×