Arte barrocaoo1

562 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
562
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte barrocaoo1

  1. 1. Arte Barroca Europa e Brasil Séculos XVII e XVIII
  2. 2. Origens e características • O barroco foi uma tendência artística que se desenvolveu primeiramente nas artes plásticas e depois se manifestou na literatura, no teatro e na música. O berço do barroco é a Itália do século XVII, porém se espalhou por outros países europeus como, por exemplo, a Holanda, a Bélgica, a França e a Espanha . O barroco permaneceu vivo no mundo das artes até o século XVIII. Na América Latina, o barroco entrou no século XVII, trazido por artistas que viajavam para a Europa, e permaneceu até o final do século XVIII. • O barroco se desenvolve no seguinte contexto histórico: após o processo de Reformas Religiosas, ocorrido no século XVI, a Igreja Católica havia perdido muito espaço e poder. Mesmo assim, os católicos continuavam influenciando muito o cenário político, econômico e religioso na Europa. A arte barroca surge neste contexto e expressa todo o contraste deste período: a espiritualidade e teocentrismo da Idade Média com o racionalismo e antropocentrismo do Renascimento.
  3. 3. • Os artistas barrocos foram patrocinados pelos monarcas, burgueses e pelo clero. As obras de pintura e escultura deste período são rebuscadas, detalhistas e expressam as emoções da vida e do ser humano. A palavra barroco tem um significado que representa bem as características deste estilo. Significa "pérola irregular" ou "pérola deformada" e representa de forma pejorativa a idéia de irregularidade. • O período final do barroco (século XVIII) é chamado de rococó e possui algumas peculiaridades, embora as principais características do barroco estão presentes nesta fase. No rococó existe a presença de curvas e muitos detalhes decorativos (conchas, flores, folhas, ramos). Os temas relacionados à mitologia grega e romana, além dos hábitos das cortes também aparecem com freqüência.
  4. 4. Barroco Europeu • As obras dos artistas barrocos europeus valorizam as cores, as sombras e a luz, e representam os contrates. • As imagens não são tão centralizadas quanto as renascentistas e aparecem de forma dinâmica, valorizando o movimento. Os temas principais são: mitologia, passagens da Bíblia e a história da humanidade. As cenas retratadas costumam ser sobre a vida da nobreza, o cotidiano da burguesia, naturezas- mortas entre outros. Muitos artistas barrocos dedicaram-se a decorar igrejas com esculturas e pinturas, utilizando a técnica da perspectiva. • As esculturas barrocas mostram faces humanas marcadas pelas emoções, principalmente o sofrimento. Os traços se contorcem, demonstrando um movimento exagerado. Predominam nas esculturas as curvas, os relevos e a utilização da cor dourada.
  5. 5. • Caravaggio (Michelangelo Merisi) c. 1572-1610. Tomé, o Incrédulo, c. 1602-3. Óleo sobre tela, 107 x 146 cm; Stiftung Schösser und Gärten, Sanssouci, Potsdam
  6. 6. Caravaggio. Estimagtização de São Francisco, c. 1596. Óleo sobre tela, 92,5 x 127,8 cm, Wadsworth Atheneum, Hartford
  7. 7. Caravaggio. Amor Vincit Omnia c. 1601-02 Oil on canvas (191 x 148 cm) Gemaeldegalerie, Berlim
  8. 8. Diego Velásquez • O aguadeiro de Sevilha, c. 1619- 20. Óleo sobre tela, 106,7 x 81 cm; Wellington Museum, Apsley House, Londres.
  9. 9. Diego Velásquez (Sevilla, 1599 - Madrid, 1660 ) Las Meninas, 1656 Óleo sobre tela 10'5" x 9'1" Museo del Prado, Madrid
  10. 10. Diego Velásquez, Papa Inocêncio X, 1649-50. Óleo sobre tela, 140 x 120 cm; Galleria Doria Pamphili, Roma. Príncipe Filipe Próspero da Espanha, 1659. Óleo sobre tela, 128,5 x 99,5 cm; Kunsthistorisches Museum, Viena.
  11. 11. Rembrandt van Rijn, 1606-1669. Auto-retrato, 1640. óleo sobre tela, 102 x 80 cm, National Gallery, Londres.
  12. 12. Rembrandt van Rijn. A reconciliação de Davi e Absalão, 1642. Óleo sobre madeira, 73 x 61,5 cm; Hermitage, São Petersburgo. Aristóteles contemplando o busto de Homero, 1653. Óleo sobre tela, 143,5 x 136,5 cm, Museu Metropolitano de Arte, Nova York.
  13. 13. Auto-retratos. 16581630 1669
  14. 14. Rembrandt 1659 (53 anos) 1629
  15. 15. Peter Paul Rubens A Virgem Maria e Menino Jesus entronizada com os santos, c. 1627-28. Esquema para pintura de altar, óleo sobre madeira, 80,2 x 55,5 cm; Gemaldegalerie, Staatliche Museen, Berlim. 1639
  16. 16. Rubens. Alegoria sobre as bençãos da paz, 1629-30. Óleo sobre tela, 203,5 x 298 cm, National Gallery, Londres.
  17. 17. Gianlorenzo Bernini, 1598-1680 Êxtase de Santa Teresa, 1647-52. Mármore, altura 3,5m. Santa Maria della Vittoria, Roma.
  18. 18. O rapto de Proserpina, 1621- 22. Mármore Branco, 255 cm, Galleria Borgese, Roma.
  19. 19. Gian Lorenzo Bernini. Costanza Buonarelli, c. 1635. Mármore, altura 72 cm; Museo Nazionale del Bargello, Florença.
  20. 20. Anthony Van Dyck 1599-1641 Carlos I da Inglaterra, c. 1635. Óleo sobre tela, 266 x 207 cm, Museu do Louvre, Paris.
  21. 21. Giovanni Battista Gaulli. O culto do santo nome de Jesus, 1670-83. Afresco, teto da Igreja dos jesuítas Íl Gesù, Roma
  22. 22. Artemisia Gentileschi (Italian, 1593-1651/53), Judith decapitando Holofernes, 1620, óleo sobre tela, 78 3/8 x 64 inches (199 x 162.5 cm), Uffizi, Florence
  23. 23. Artemisia Gentileschi, Giaele e Sisara, 1620, Budapest, Szépmüvészeti Múzeum. Auto-retrato como alegoria da Pintura, 1630s óleo sobre tela, 96,5 x 73,7 cm; Royal Collection Windsor
  24. 24. Susannah and the Elders 1610 Oil on canvas 66 7/8 x 46 7/8 in (170 x 119 cm) Collection Graf von Schoenborn, Pommersfelden
  25. 25. Barroco no Brasil • O barroco brasileiro foi diretamente influenciado pelo barroco português, porém, com o tempo, foi assumindo características próprias. A grande produção artística barroca no Brasil ocorreu nas cidades auríferas de Minas Gerais, no chamado século do ouro (século XVIII). Estas cidades eram ricas e possuíam uma intensa vida cultura e artística em pleno desenvolvimento. • O principal representante do barroco mineiro foi o escultor e arquiteto Antônio Francisco de Lisboa também conhecido como Aleijadinho. Suas obras, de forte caráter religioso, eram feitas em madeira e pedra-sabão, os principais materiais usados pelos artistas barrocos do Brasil. Podemos citar algumas obras de Aleijadinho: Os Doze Profetas e Os Passos da Paixão, na Igreja de Bom Jesus de Matozinhos, em Congonhas do Campo (MG). • Outros artistas importantes do barroco brasileiro foram: o pintor mineiro Manuel da Costa Ataíde e o escultor carioca Mestre Valentim. No estado da Bahia, o barroco destacou-se na decoração das igrejas em Salvador como, por exemplo, de São Francisco de Assis e a da Ordem Terceira de São Francisco.
  26. 26. Fases • 1ª fase • Retábulo nacional português • Exemplo: Capela de Santana, Ouro Preto, Minas Gerais, 1720 • 2ª fase • Retábulo joanino • Mais presente entre 1730 e 1760. Construções com excesso de motivos ornamentais, predominância de elementos escultóricos, coroamento com sanefas e falsos cortinados com anjos e revestimento com policromia em branco e dourado. • Exemplo: Matriz de Nossa Senhora do Pilar em Ouro Preto, Minas Gerais. • 3ª fase • Retábulo rococó • Muito presente no final do período Barroco a partir de 1760 Caracterizado por coroamento encimado por grande composição escultórica; elementos ornamentais baseados no estilo rococó francês, com conchas, laços, grinaldas e flores, revestimento com fundos brancos e douramentos nas partes principais da decoração. • Esta fase tem como característica, forte influência do estilo francês, dominante na Europa a partir da segunda metade do século XVIII. É uma particularidade do barroco no Brasil, a presença do rococó, por ter se desenvolvido paralelamente à sobrevivência do Barroco. • Exemplo: Igreja de São Francisco de Assis em Ouro Preto, Minas Gerais
  27. 27. Retábulo Nacional Português Capela de Santana, Ouro Preto, 1720. Ocorrência: entre 1710 e 1730. Características principais: colunas torsas (ou retorcidas) profusamente ornamentadas com motivos fitomorfos (folhas de acanto, cachos de uva, por exemplo) e zoomorfos (aves, geralmente um pelicano); coroamento formado por arcos concêntricos; revestimento em talha dourada e policromia em azul e vermelho.
  28. 28. Igreja Matriz N.S. do Pilar – Ouro Preto Retábulo Joanino. Ocorrência: entre 1730 a 1760 Características principais: excesso de motivos ornamentais, com predominância de elementos escultóricos; coroamento com sanefas e falsos cortinados com anjos; revestimento com policromia em branco e dourado.
  29. 29. São Francisco de Assis – Ouro Preto. Retábulo Rococó Ocorrência: a partir de 1760 Características principais: coroamento encimado por grande composição escultórica; elementos ornamentais baseados no estilo rococó francês (conchas, laços, guirlandas e flores); revestimento com fundos brancos e douramentos nas partes principais da decoração. Sofre influência do estilo francês dominante na Europa a partir da segunda metade do século XVIII. No Brasil, o rococó é uma das fases do barroco, por ter se desenvolvido paralelamente à sobrevivência desse estilo
  30. 30. Interior da Igreja de São Francisco, Ouro Preto.
  31. 31. Aleijadinho • Antônio Francisco Lisboa, mais conhecido como Aleijadinho, (Vila Rica, 29 de agosto de 1730 — Vila Rica, 18 de novembro de 1814) foi um escultor, entalhador, desenhista e arquiteto brasileiro. • É considerado o maior expoente do estilo barroco nas Minas Gerais (barroco mineiro) e das artes plásticas no Brasil, não só à época, mas durante o período colonial.
  32. 32. Estilos. Escola portuguesa, c. 1740. Cabeça de Cristo da flagelação. Museu da Inconfidência, em Ouro Preto. Aleijadinho. Cabeça de São Simão Stock, no Carmo, em Sabará.
  33. 33. Dimas, o bom ladrão e Santa Ceia, Congonhas dos Campos, MG.
  34. 34. Obra-prima. Congonhas do Campo. No alto Igreja de Bom Jesus do Matosinhos
  35. 35. Cristo flagelado e no Monte das Oliveiras. Passos. Congonhas do Campo
  36. 36. Os Profetas. Isaías, Ezequiel, Habacuc, Jeremias e Jonas, em Congonhas do Campo.
  37. 37. Aleijadinho. Jesus entrando em Jerusalém. Matriz de Mariana
  38. 38. Teto da matriz de Mariana, Ataíde. Púlpito em pedra sabão de Aleijadinho.

×