ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTONA PRÁTICA
O QUE É ALFABETIZAR?
“Respirei, meti-me na soletração, guiado por Mocinha.Gaguejei sílabas um mês. No fim da carta elas se reuniam,formavam sen...
Pra descontrair....
• [...] os métodos viraram palavrões. Ninguémpodia mais falar método fônico, métodosilábico, método global, pois todos ele...
E agora?
Segundo Magda Soares“... É um absurdo não ter método na educação.Educação é, por definição, um processo dirigido aobjetivo...
Afinal, como se ensina a línguamaterna?
• Mas, afinal, em que consiste realmente umprocesso de alfabetização na perspectiva doletramento?• Como conciliar o trabal...
Alguns equívocos...• Alguns professores entendem que alfabetizarletrando é utilizar a leitura de diferentestextos apenas c...
• Outros acreditam que, apenas com aoportunização da leitura e produção coletivade textos, os alunos que ainda não dominam...
PRA DESCONTRAIR...
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Alfabetização e letramento na prática
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Alfabetização e letramento na prática

357 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Alfabetização e letramento na prática

  1. 1. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTONA PRÁTICA
  2. 2. O QUE É ALFABETIZAR?
  3. 3. “Respirei, meti-me na soletração, guiado por Mocinha.Gaguejei sílabas um mês. No fim da carta elas se reuniam,formavam sentenças graves, arrevesadas, que meatordoavam.Eu não lia direito, mas, arfando penosamente, conseguiamastigar os conceitos sisudos: “A preguiça é a chave dapobreza– Quem não ouve conselhos raras vezes acerta – Fala poucoe bem: ter-te-ão por alguém”. Esse Terteão para mim era umhomem, e não pude saber que fazia ele na página final dacarta. – Mocinha, quem é Terteão? Mocinha estranhou apergunta. Não havia pensado que Terteão fosse homem.Talvez fosse. Mocinha confessou honestamente que nãoconhecia Terteão. E eu fiquei triste, remoendo a promessa demeupai, aguardando novas decepções.”(Graciliano Ramos – Infância)
  4. 4. Pra descontrair....
  5. 5. • [...] os métodos viraram palavrões. Ninguémpodia mais falar método fônico, métodosilábico, método global, pois todos eles caíramno purgatório, se não no inferno. Isso foi umaconsequência errônea dessa mudança deconcepção de alfabetização.Magda Soares
  6. 6. E agora?
  7. 7. Segundo Magda Soares“... É um absurdo não ter método na educação.Educação é, por definição, um processo dirigido aobjetivos. Só vamos educar os outros sequisermos que eles fiquem diferentes, poiseducar é um processo de transformação daspessoas. Se existem objetivos, temos decaminhar para eles e, para isso, temos de saberqual é o melhor caminho. Então, de qualquerteoria educacional tem de derivar um método quedê um caminho ao professor.É uma falsa inferência achar que a teoriaconstrutivista não pode ter método assim como éfalso o pressuposto de que a criança vai aprendera ler e escrever só pelo convívio com textos.”O ambiente alfabetizador não é suficiente.
  8. 8. Afinal, como se ensina a línguamaterna?
  9. 9. • Mas, afinal, em que consiste realmente umprocesso de alfabetização na perspectiva doletramento?• Como conciliar o trabalho com o ensino dosistema alfabético de escrita com as situaçõesde leitura e produção de textos?• Como possibilitar situações de leitura eprodução de textos a sujeitos que ainda nãosabem ler e escrever de forma autônoma?
  10. 10. Alguns equívocos...• Alguns professores entendem que alfabetizarletrando é utilizar a leitura de diferentestextos apenas como pretexto para o trabalhocom palavras que, após escolhidas do textolido, são divididas em sílabas para depois sertrabalhadas valendo-se do estudo das famílias(ou padrões) silábicas.
  11. 11. • Outros acreditam que, apenas com aoportunização da leitura e produção coletivade textos, os alunos que ainda não dominam osistema de escrita podem vir a, sozinhos,apropriar-se desse conhecimento.• Sendo assim, não oportunizam atividades dereflexão sobre a palavra nem sistematizam oensino do sistema de escrita alfabético.
  12. 12. PRA DESCONTRAIR...

×