SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
A CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA
  INTELECTUAL E A CONSTRUÇÃO
   DO PENSAMENTO ATRAVÉS DE
      NARRATIVAS LITERÁRIAS


Curso de Especialização em Deficiência Intelectual – UNEB
Pós-graduanda: JOSIANE DA CONCEIÇÃO FRANÇA


                       SALVADOR/2011
PROBLEMA: Como propor estratégias que contribuam para o
    desenvolvimento do pensamento em alunos com deficiência
                          intelectual?


HIPÓTESE: O desenvolvimento do pensamento acontece por meio de
          situações-problema que o desafiem a pensar, logo, a
  problematização de situações inseridas em narrativas literárias pode
   ajudar o aluno a desenvolver habilidades cognitivas na construção
                          do seu pensamento.
OBJETIVO GERAL: Propor situações-problema envolvendo a leitura
 de narrativas que contribuam para o desenvolvimento do
 pensamento em alunos dom deficiência intelectual.


    CONCEITOS
   Deficiência intelectual
   Aprendizagem cognitiva
   Práticas pedagógicas
   Narrativas como estratégia de ensino
   A família e a escola no apoio à criança com déficit intelectual
REVISÃO DE LITERATURA
   Bordenave, César Cool, Vítor Fonseca, Inhelder e
    Cellerier, Mantoan, Mattew Lippman, Vygotsky entre outros.


   CAMPO DE INTERVENÇÃO
    Escola de Ensino Fundamental – Educandário Isa Brito. Escola
     conveniada com a SEC de Itabuna- BA. Alunos envolvidos – alunos
     dom DI do turno vespertino
AÇÕES
   Entrevistas: uma com aluno e outra com professor.
   Oficinas de leitura


    ENTREVISTA REALIZADA COM PROFESSORES
   Quatro professoras com jornada de 40 horas semanais. Duas
    trabalham com turmas de CPA (Ciclo da Pré- Adolescência) e uma
    atua no Ciclo da Infância (alfabetização).
RESPOSTAS DOS PROFESSORES
   Dificuldade na condução do trabalho em sala de aula com alunos
    com DI (falta de concentração)

   A inclusão não ocorre de maneira satisfatória (falta de preparo e de
    apoio)

   A relação entre professor e aluno com DI serve como modelo para
    as outras crianças.

   A inclusão só traz benefícios para o aluno e não para o professor.

   Há uma rotina de leitura em classe (leitura compartilhada e roda de
    leitura)

   Os alunos com DI se envolvem mais com histórias já conhecidas

   As avaliações são através de questionamentos
   Os alunos não conseguem elaborar uma linha de pensamento a
    partir das histórias lidas, argumentar ou justificar e levantar
    hipóteses. Precisariam de um ambiente mais calmo para isto.
ENTREVISTA COM OS ALUNOS COM DI

   Quatro alunas co CPA II (4 ª série). Faixa etária: 10-11 anos. Uma
    com comprometimento leve, recém alfabetizada; a segunda com
    Síndrome de Down, a terceira também com dislexia e a quarta com
    um comprometimento maior e que faz uso de medicação. As três
    últimas não são alfabetizadas.

   Gostam da escola e as atividades que mais gostam de fazer são
    brincar e copiar a atividade.

   Não se lembram de títulos de histórias somente de alguns
    personagens ou episódios marcantes.
NARRATIVAS SELECIONADAS
    Cachinhos dourados
    João e o pé de feijão
   O Patinho Feio
    O cavalo e o burro (fábula)


    ETAPAS DA OFICINA
   Conhecimentos prévios
   Leitura de imagens
   Leitura
   Contexto
   Enredo
   Problematização
OFICINAS

   Demonstraram conhecimentos mínimos a respeito de alguns
    elementos das narrativas trabalhadas
   Conseguiram descrever/analisar os elementos visualizados nas
    imagens dos livros.
   Conseguiram apontar personagens, falar sobre o local dos
    acontecimentos usando as ilustrações dos livros como referência.
   Responderam satisfatoriamente perguntas a respeito do início da
    história, sobre os problemas ocorridos e o seu desfecho. No
    entanto, tiveram dificuldades em dizer como os personagens agiram
    para tentar solucionar o problema (clímax).
   Na problematização: respostas variadas. Duas confudiram fantasia
    com realidade. Uma aluna conseguiu responder satisfatoriamente e
    com relevância fazendo, inclusive, relações com a realidade, no
    entanto, tinha dificuldades em omitir opiniões. A aluna com Síndrome
    de Down apesar da dificuldade em se expressar, se esforçava em
    responder usando todos os recursos disponíveis para comunicação
    (gestos, mímica, objetos, ilustrações dos livros). Fazia relações com
    a realidade e dava suas opiniões sem esperar perguntas a respeito.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
   A problematização por ser desafiadora, promove o
    desenvolvimento do pensamento. Essa metodologia se fizer
    parte da rotina escolar colabora mais ainda e atinge a todos os
    alunos com ou sem deficiência, numa proposta inclusiva.
   Os alunos se esforçam em responder as questões, numa
    tentativa perceptível de desenvolver uma linha de
    pensamento, mesmo que nem sempre esta seja relevante.
   Há um avanço da oralidade, pois os alunos têm espaço para se
    expressar.
   Ajuda na formação de conceitos, que são muito importantes para
    fornecer elementos para a construção do pensamento.
    Os questionamentos levam os alunos a fazer comparações, se
    colocar no lugar dos personagens, descrever a respeito dos
    sentimentos destes, justificá-los, levantar hipóteses sobre os
    fatos ocorridos, bem como fazer relações com a
    realidade, habilidades essenciais para a elaboração do
    pensamento.
“ A conversação aprimora as habilidades de
  raciocínio e a leitura deve estimular o pensamento”

 Mattew Lipman

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Raimunda Pereira Lopes
 
Deficiência Multipla Centro Comunitrio
Deficiência Multipla Centro ComunitrioDeficiência Multipla Centro Comunitrio
Deficiência Multipla Centro ComunitrioRosana Santos
 
Deficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/MentalDeficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/MentalCassia Dias
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência IntelectualEdilene Sampaio
 
Caderno educacao especial miolo
Caderno educacao especial   mioloCaderno educacao especial   miolo
Caderno educacao especial mioloIsa ...
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectualRosana Santos
 
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”andreadc
 
Educação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualEducação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualSabrina Tavares
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemlygia almeida
 
Dificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de AprendizagemDificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de Aprendizagemdaniferrao2010
 
( Educacao) vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...
( Educacao)   vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...( Educacao)   vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...
( Educacao) vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...Rosane Domingues
 
Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2Grasiela Dourado
 
Fundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaFundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaLene Reis
 
Apresentação ebm osmar cunha canasvieiras
Apresentação ebm osmar cunha   canasvieirasApresentação ebm osmar cunha   canasvieiras
Apresentação ebm osmar cunha canasvieirasosmarcunha
 
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógicoDificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógicoassessoriapedagogica
 

Mais procurados (20)

Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2Slaide sobre deficiencia intelectual 2
Slaide sobre deficiencia intelectual 2
 
Deficiência Multipla Centro Comunitrio
Deficiência Multipla Centro ComunitrioDeficiência Multipla Centro Comunitrio
Deficiência Multipla Centro Comunitrio
 
Deficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/MentalDeficiência Intelectual/Mental
Deficiência Intelectual/Mental
 
Deficiência Intelectual
Deficiência IntelectualDeficiência Intelectual
Deficiência Intelectual
 
Caderno educacao especial miolo
Caderno educacao especial   mioloCaderno educacao especial   miolo
Caderno educacao especial miolo
 
Deficiencia intelectual
Deficiencia intelectualDeficiencia intelectual
Deficiencia intelectual
 
Inclusão deficiencia mental
Inclusão deficiencia mentalInclusão deficiencia mental
Inclusão deficiencia mental
 
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”
A Deficiência Mental “Níveis e Tipos”
 
Pnaic1 educ especial
Pnaic1 educ especialPnaic1 educ especial
Pnaic1 educ especial
 
Educação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência IntelectualEducação Especial - Deficiência Intelectual
Educação Especial - Deficiência Intelectual
 
Dificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagemDificuldades de aprendizagem
Dificuldades de aprendizagem
 
Dificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de AprendizagemDificuldades de Aprendizagem
Dificuldades de Aprendizagem
 
Apresentação DA
Apresentação DAApresentação DA
Apresentação DA
 
( Educacao) vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...
( Educacao)   vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...( Educacao)   vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...
( Educacao) vitor fonseca - insucesso escolar, abordagem psicopedagogica da...
 
Curso i
Curso iCurso i
Curso i
 
Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2Dificuldade de aprendizagem.2
Dificuldade de aprendizagem.2
 
Curso completo jp
Curso completo jpCurso completo jp
Curso completo jp
 
Fundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação InclusivaFundamentos da Educação Inclusiva
Fundamentos da Educação Inclusiva
 
Apresentação ebm osmar cunha canasvieiras
Apresentação ebm osmar cunha   canasvieirasApresentação ebm osmar cunha   canasvieiras
Apresentação ebm osmar cunha canasvieiras
 
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógicoDificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
Dificuldade de aprendizagem no contexto pedagógico
 

Destaque

A Problematização como ferramenta de ensino
A Problematização como ferramenta de ensinoA Problematização como ferramenta de ensino
A Problematização como ferramenta de ensinoAlcione Torres
 
Passo a passo da adaptação
Passo a passo da adaptaçãoPasso a passo da adaptação
Passo a passo da adaptaçãoJoubert Morais
 
Município muan-a-pagamento-saúde docx
Município muan-a-pagamento-saúde docxMunicípio muan-a-pagamento-saúde docx
Município muan-a-pagamento-saúde docxedimilsonmgomesmuana
 
Problematização e Aprendizagem Baseada em Problema
Problematização e Aprendizagem Baseada em ProblemaProblematização e Aprendizagem Baseada em Problema
Problematização e Aprendizagem Baseada em ProblemaFernando S. S. Barbosa
 
Inclusão nas Instituições Educacionais
Inclusão nas Instituições EducacionaisInclusão nas Instituições Educacionais
Inclusão nas Instituições EducacionaisAlex Sandro C. Sant'Ana
 
Deficiência mental
Deficiência mentalDeficiência mental
Deficiência mentalDiana Sousa
 
Comparativo expectativas atual
Comparativo expectativas atualComparativo expectativas atual
Comparativo expectativas atualleilatutora
 
Projeto de leitura com alunos NEEs
Projeto de leitura com alunos NEEsProjeto de leitura com alunos NEEs
Projeto de leitura com alunos NEEsprof_roseli_barbosa
 
Metodologia da Problematização
Metodologia da ProblematizaçãoMetodologia da Problematização
Metodologia da ProblematizaçãoFabiana Santana
 

Destaque (20)

Deficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na EscolaDeficiência Intelectual na Escola
Deficiência Intelectual na Escola
 
A Problematização como ferramenta de ensino
A Problematização como ferramenta de ensinoA Problematização como ferramenta de ensino
A Problematização como ferramenta de ensino
 
Paciente terminal
Paciente terminalPaciente terminal
Paciente terminal
 
Homero_problematizacao
Homero_problematizacaoHomero_problematizacao
Homero_problematizacao
 
5 problematizacao - teste
5   problematizacao - teste5   problematizacao - teste
5 problematizacao - teste
 
Passo a passo da adaptação
Passo a passo da adaptaçãoPasso a passo da adaptação
Passo a passo da adaptação
 
Município muan-a-pagamento-saúde docx
Município muan-a-pagamento-saúde docxMunicípio muan-a-pagamento-saúde docx
Município muan-a-pagamento-saúde docx
 
Problematização e Aprendizagem Baseada em Problema
Problematização e Aprendizagem Baseada em ProblemaProblematização e Aprendizagem Baseada em Problema
Problematização e Aprendizagem Baseada em Problema
 
Síndrome de down
Síndrome de downSíndrome de down
Síndrome de down
 
Gestão pessoal
Gestão pessoalGestão pessoal
Gestão pessoal
 
Inclusão nas Instituições Educacionais
Inclusão nas Instituições EducacionaisInclusão nas Instituições Educacionais
Inclusão nas Instituições Educacionais
 
Deficiência mental
Deficiência mentalDeficiência mental
Deficiência mental
 
Condutas
CondutasCondutas
Condutas
 
Comparativo expectativas atual
Comparativo expectativas atualComparativo expectativas atual
Comparativo expectativas atual
 
O que é a síndrome de down
O que é a síndrome de downO que é a síndrome de down
O que é a síndrome de down
 
Projeto de leitura com alunos NEEs
Projeto de leitura com alunos NEEsProjeto de leitura com alunos NEEs
Projeto de leitura com alunos NEEs
 
Metodologia da Problematização
Metodologia da ProblematizaçãoMetodologia da Problematização
Metodologia da Problematização
 
problematização
problematizaçãoproblematização
problematização
 
Síndromes neurológicas
Síndromes neurológicasSíndromes neurológicas
Síndromes neurológicas
 
Slides deficiencia mental
Slides deficiencia mentalSlides deficiencia mental
Slides deficiencia mental
 

Semelhante a Desenvolvimento do pensamento em alunos com deficiência intelectual através de narrativas

1378772483147 (1)
1378772483147 (1)1378772483147 (1)
1378772483147 (1)TonnyFix
 
Os métodos de alfabetização sme
Os métodos  de alfabetização  smeOs métodos  de alfabetização  sme
Os métodos de alfabetização smeMariluce Padilha
 
O diálogo entre o ensino e aprendizagem
O diálogo entre o ensino e aprendizagemO diálogo entre o ensino e aprendizagem
O diálogo entre o ensino e aprendizagemCeli Jandy Moraes Gomes
 
Indisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxIndisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxJoana Faria
 
9° quinzena ava
9° quinzena ava9° quinzena ava
9° quinzena avaannajullia
 
Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?Juliana Soares
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaGreisomar
 
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...Juliana Soares
 
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdf
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdfDificuldades na alfabetização e letramento correto.pdf
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdfCintyaVieiraSpndola
 
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.Tássia Oliveira
 

Semelhante a Desenvolvimento do pensamento em alunos com deficiência intelectual através de narrativas (20)

1378772483147 (1)
1378772483147 (1)1378772483147 (1)
1378772483147 (1)
 
Os métodos de alfabetização sme
Os métodos  de alfabetização  smeOs métodos  de alfabetização  sme
Os métodos de alfabetização sme
 
O diálogo entre o ensino e aprendizagem
O diálogo entre o ensino e aprendizagemO diálogo entre o ensino e aprendizagem
O diálogo entre o ensino e aprendizagem
 
Weisz
WeiszWeisz
Weisz
 
Indisciplina escolar
Indisciplina escolarIndisciplina escolar
Indisciplina escolar
 
Gilva leitura e escrita
Gilva   leitura e escritaGilva   leitura e escrita
Gilva leitura e escrita
 
Autismo
AutismoAutismo
Autismo
 
Indisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptxIndisciplina-escolar.pptx
Indisciplina-escolar.pptx
 
Massa x peso
Massa x pesoMassa x peso
Massa x peso
 
9° quinzena ava
9° quinzena ava9° quinzena ava
9° quinzena ava
 
Artigo 1
Artigo 1Artigo 1
Artigo 1
 
Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?Afinal, quem é este tal de adolescente?
Afinal, quem é este tal de adolescente?
 
Pdf maria edlene correia
Pdf   maria edlene correiaPdf   maria edlene correia
Pdf maria edlene correia
 
Pdf maria edlene correia
Pdf   maria edlene correiaPdf   maria edlene correia
Pdf maria edlene correia
 
Pdf maria edlene correia
Pdf   maria edlene correiaPdf   maria edlene correia
Pdf maria edlene correia
 
Trabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aulaTrabalhar com projetos em sala de aula
Trabalhar com projetos em sala de aula
 
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...
Professor, o que fazer quando os alunos não demonstram interesse de ler e esc...
 
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdf
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdfDificuldades na alfabetização e letramento correto.pdf
Dificuldades na alfabetização e letramento correto.pdf
 
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.
A educação de crianças hoje: Quando o excesso de sentido segrega o sujeito.
 
Metodos pres.pptx
Metodos pres.pptxMetodos pres.pptx
Metodos pres.pptx
 

Último

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptxthaisamaral9365923
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxIsabelaRafael2
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdfJorge Andrade
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBAline Santana
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfArthurRomanof1
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfAdrianaCunha84
 
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?Rosalina Simão Nunes
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Susana Stoffel
 
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxLírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxfabiolalopesmartins1
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024Jeanoliveira597523
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasillucasp132400
 
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 

Último (20)

Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
“Sobrou pra mim” - Conto de Ruth Rocha.pptx
 
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptxApostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
Apostila da CONQUISTA_ para o 6ANO_LP_UNI1.pptx
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Em tempo de Quaresma .
Em tempo de Quaresma                            .Em tempo de Quaresma                            .
Em tempo de Quaresma .
 
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
02. Informática - Windows 10 apostila completa.pdf
 
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASBCRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
CRÔNICAS DE UMA TURMA - TURMA DE 9ºANO - EASB
 
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdfProva uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
Prova uniasselvi tecnologias da Informação.pdf
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdfWilliam J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
William J. Bennett - O livro das virtudes para Crianças.pdf
 
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
E agora?! Já não avalio as atitudes e valores?
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
Família de palavras.ppt com exemplos e exercícios interativos.
 
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
Orientação Técnico-Pedagógica EMBcae Nº 001, de 16 de abril de 2024
 
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptxLírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
Lírica Camoniana- A mudança na lírica de Camões.pptx
 
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
ABRIL VERDE.pptx Slide sobre abril ver 2024
 
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptxSlides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
Slides Lição 4, CPAD, Como se Conduzir na Caminhada, 2Tr24.pptx
 
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 BrasilGoverno Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
Governo Provisório Era Vargas 1930-1934 Brasil
 
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptxSlides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
Slides Lição 5, CPAD, Os Inimigos do Cristão, 2Tr24, Pr Henrique.pptx
 
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 

Desenvolvimento do pensamento em alunos com deficiência intelectual através de narrativas

  • 1. A CRIANÇA COM DEFICIÊNCIA INTELECTUAL E A CONSTRUÇÃO DO PENSAMENTO ATRAVÉS DE NARRATIVAS LITERÁRIAS Curso de Especialização em Deficiência Intelectual – UNEB Pós-graduanda: JOSIANE DA CONCEIÇÃO FRANÇA SALVADOR/2011
  • 2. PROBLEMA: Como propor estratégias que contribuam para o desenvolvimento do pensamento em alunos com deficiência intelectual? HIPÓTESE: O desenvolvimento do pensamento acontece por meio de situações-problema que o desafiem a pensar, logo, a problematização de situações inseridas em narrativas literárias pode ajudar o aluno a desenvolver habilidades cognitivas na construção do seu pensamento.
  • 3. OBJETIVO GERAL: Propor situações-problema envolvendo a leitura de narrativas que contribuam para o desenvolvimento do pensamento em alunos dom deficiência intelectual. CONCEITOS  Deficiência intelectual  Aprendizagem cognitiva  Práticas pedagógicas  Narrativas como estratégia de ensino  A família e a escola no apoio à criança com déficit intelectual
  • 4. REVISÃO DE LITERATURA  Bordenave, César Cool, Vítor Fonseca, Inhelder e Cellerier, Mantoan, Mattew Lippman, Vygotsky entre outros.  CAMPO DE INTERVENÇÃO Escola de Ensino Fundamental – Educandário Isa Brito. Escola conveniada com a SEC de Itabuna- BA. Alunos envolvidos – alunos dom DI do turno vespertino
  • 5. AÇÕES  Entrevistas: uma com aluno e outra com professor.  Oficinas de leitura ENTREVISTA REALIZADA COM PROFESSORES  Quatro professoras com jornada de 40 horas semanais. Duas trabalham com turmas de CPA (Ciclo da Pré- Adolescência) e uma atua no Ciclo da Infância (alfabetização).
  • 6. RESPOSTAS DOS PROFESSORES  Dificuldade na condução do trabalho em sala de aula com alunos com DI (falta de concentração)  A inclusão não ocorre de maneira satisfatória (falta de preparo e de apoio)  A relação entre professor e aluno com DI serve como modelo para as outras crianças.  A inclusão só traz benefícios para o aluno e não para o professor.  Há uma rotina de leitura em classe (leitura compartilhada e roda de leitura)  Os alunos com DI se envolvem mais com histórias já conhecidas  As avaliações são através de questionamentos
  • 7. Os alunos não conseguem elaborar uma linha de pensamento a partir das histórias lidas, argumentar ou justificar e levantar hipóteses. Precisariam de um ambiente mais calmo para isto.
  • 8. ENTREVISTA COM OS ALUNOS COM DI  Quatro alunas co CPA II (4 ª série). Faixa etária: 10-11 anos. Uma com comprometimento leve, recém alfabetizada; a segunda com Síndrome de Down, a terceira também com dislexia e a quarta com um comprometimento maior e que faz uso de medicação. As três últimas não são alfabetizadas.  Gostam da escola e as atividades que mais gostam de fazer são brincar e copiar a atividade.  Não se lembram de títulos de histórias somente de alguns personagens ou episódios marcantes.
  • 9. NARRATIVAS SELECIONADAS  Cachinhos dourados  João e o pé de feijão  O Patinho Feio  O cavalo e o burro (fábula) ETAPAS DA OFICINA  Conhecimentos prévios  Leitura de imagens  Leitura  Contexto  Enredo  Problematização
  • 10. OFICINAS  Demonstraram conhecimentos mínimos a respeito de alguns elementos das narrativas trabalhadas  Conseguiram descrever/analisar os elementos visualizados nas imagens dos livros.  Conseguiram apontar personagens, falar sobre o local dos acontecimentos usando as ilustrações dos livros como referência.  Responderam satisfatoriamente perguntas a respeito do início da história, sobre os problemas ocorridos e o seu desfecho. No entanto, tiveram dificuldades em dizer como os personagens agiram para tentar solucionar o problema (clímax).  Na problematização: respostas variadas. Duas confudiram fantasia com realidade. Uma aluna conseguiu responder satisfatoriamente e com relevância fazendo, inclusive, relações com a realidade, no entanto, tinha dificuldades em omitir opiniões. A aluna com Síndrome de Down apesar da dificuldade em se expressar, se esforçava em responder usando todos os recursos disponíveis para comunicação (gestos, mímica, objetos, ilustrações dos livros). Fazia relações com a realidade e dava suas opiniões sem esperar perguntas a respeito.
  • 11. CONSIDERAÇÕES FINAIS  A problematização por ser desafiadora, promove o desenvolvimento do pensamento. Essa metodologia se fizer parte da rotina escolar colabora mais ainda e atinge a todos os alunos com ou sem deficiência, numa proposta inclusiva.  Os alunos se esforçam em responder as questões, numa tentativa perceptível de desenvolver uma linha de pensamento, mesmo que nem sempre esta seja relevante.  Há um avanço da oralidade, pois os alunos têm espaço para se expressar.  Ajuda na formação de conceitos, que são muito importantes para fornecer elementos para a construção do pensamento.  Os questionamentos levam os alunos a fazer comparações, se colocar no lugar dos personagens, descrever a respeito dos sentimentos destes, justificá-los, levantar hipóteses sobre os fatos ocorridos, bem como fazer relações com a realidade, habilidades essenciais para a elaboração do pensamento.
  • 12. “ A conversação aprimora as habilidades de raciocínio e a leitura deve estimular o pensamento” Mattew Lipman