Imposição de mãos como meio de transmissão de poder espiritual. 
Josiane M.S.M. Carvalho. 
Adaptação livre do texto Imposi...
único poder verdadeiro. Utilizar os dons naturais no serviço do Senhor e precisa estar atento à 
essa direção e que para o...
Concluindo: Da mesma forma a palavra “mãos”, que em grego é cheir, é símbolo da 
autoridade divina (II Cr 20.6), foi a mão...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Imposição de mãos como meio de transmissão de poder espiritual

677 visualizações

Publicada em

A transmissão de poder espiritual é possível considerando a materialização da virtude.

Publicada em: Espiritual
  • Seja o primeiro a comentar

Imposição de mãos como meio de transmissão de poder espiritual

  1. 1. Imposição de mãos como meio de transmissão de poder espiritual. Josiane M.S.M. Carvalho. Adaptação livre do texto Imposição de mãos como meio de transmissão de poder espiritual da Pra. Elioná Castellano. 22/04/2014 A imposição de mãos como meio de transmisão de poder espiritual é prática antiga, significativa e possui objetivos semelhantes para todos que a praticam. Foi usado por homens de Deus no Antigo e no Novo Testamento. O ato era feito quando a pessoa levantava ou colocava sobre alguém uma ou as duas mãos com objetivo de invocar bênçãos, como fez Israel ao abençoar os filhos de José, Manassés e Efraim (Gên. 48.14); impor as mãos para consagrar um servo do Senhor para uma missão, um serviço ou cargo. o que fez Moisés ao consagrar Josué como seu sucessor (Num 27.23) e entre outras, invocar a cura sobre a vida de alguém, como fazia Jesus: “Ao pôr-do-sol, todos os que tinham enfermos de diferentes moléstias lhos traziam; e ele os curava, impondo as mãos sobre cada um.” (Lc 4. 40). Os apóstolos foram autorizados a praticar a imposição de mãos. A palavra de Deus relata casos em que eram impostas as mãos com o objetivo de conceder dons as pessoas, como um canal da manifestação do poder de Deus. “E, impondo-lhes Paulo as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo; e tanto falavam em línguas como profetizavam” (At 19. 6). A imposição de mãos era e é pratica de diversas seitas, ordens, religiões pseudo cristãs, ocultistas e paganistas. Existem vários grupos de pessoas não-cristãs buscando o desenvolvimento de uma "espiritualidade" de forma mistica; supersticiosa ou ocultista, utilizam a imposição de mãos e a nomeiam com diversidade: reike, cura prâmica, troque terapêutico, johrei, mihikari ou passe mediúnico, entre outros. Existe o talento natural inerente a essa pratica, e a capacidade que uma pessoa tem de executar dons sobrenaturais de modo espontâneo. Como se trata de matéria, tanto é que Jesus relata ter percebido sair dele virtude: "E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão, e disse: Quem tocou nas minhas vestes?" (Marcos 5:30). Por isso pode ser hereditário, adquirido e desenvolvido com estudo, dedicação e persistencia. A imposição de mãos como veículo de transmissão de poder é enigmática e eficaz e motivou as ciências naturais seculares a se interessarem por esse fenômeno buscando o entendimento e o domínio "a respeito do componente atual da matéria" e a utilização científica da imposição de mãos como forma de transmissão de poder. Por serem os dons espirituais sobrenaturais na origem e nos resultados existe a possibilidade de serem usados levianamente. Vaidade, domínio e direção para a vida dos outros, muitas vezes com o intuito de ajudar o outro, ou seja, com "boa intenção, pessoas sem discernimento e conhecimento suficiente da palavra de DEUS buscam orientação em estudos gnósticos ou cientificismos vazios. Os talentos naturais podem se tornar um problema quando há motivações malignas de pessoas que não servem ao Senhor Jesus e utilizam a dispensação de poder pela imposição de mãos. São pessoas que escarnecem do da Escritura e que vivem na carne. Quem vive na carne pertence ao mundo e quem usa as coisas do mundo serve a Satanás com maior ou menor intensidade consciente ou não disso. Sabemos que só é possível servir a um senhor e se a pessoa desconhece a Palavra desconhece também o fato de que é o Espírito de Deus é a
  2. 2. único poder verdadeiro. Utilizar os dons naturais no serviço do Senhor e precisa estar atento à essa direção e que para obtermos o êxito que Deus objetiva temos que ser servos fiéis e praticantes dos atos de piedade e misericórdia que Jesus nos ensinou e ordenou como nosso Senhor. Caso o individuo que deseja praticar a imposição de mãos como meio de transmissão de poder no seu próprio tempo e vontade própria está completamente em desarmonia com o objetivo benéfico do ato e desta forma outras "forças" atuam nele. Os dons espirituais, pois, são sobrenaturais na origem e no resultado. Questão: Estaria o crente em Jesus totalmente blindado contra a transmissão de maldições ou "espíritos malígnos" pela imposição de mãos? Até que ponto a astúcia do demônio é capaz de interferir na vida do crente para prejudicá-lo? Este assunto por ser um dos fundamentos do evangelho deveria ter uma atenção especial por parte dos crente, principalmente nesse dias dificeis que Satanás usa todo artificio inclusive tecnológico para desviar as pessoa e os próprios crentes. Mas falta maturidade e discernimento na igreja para discutir e usurfruir dos ensinamentos do Senhor e da sabedoria do Espírito Santo para aplicar a prática da imposição de mãos de modo mais eficaz. É urgente analisar sob a luz das Escrituras alguns fenômenos espirituais, pouco comentados, diante da grande quantidade de pessoas envolvidas com estas manifestações sem contudo, compreender o seu verdadeiro significado. O inimigo, naturalmente, fará o possível para que a verdade não chegue aos crentes, isto porque é uma arma que ele utiliza, com sucesso, para causar rebelião. Uma liderança só é forte enquanto há unidade. Uma pessoa facilmente contamina outros e assim o grupo todo perde. Por esse motivo me empenhei na elaboração desse estudo e comentário. Ultrapassei a atividade proposta.... Quem passou por experiências que envolvem o convivio com pessoas carregadas de espíritos malignos e descoonhecendo esse fato por desconhecer lenamente o poder do Espírito Santo e, buscou explicação nas igrejas que se intitulam tradicionais, como eu, consegue entender a devastação que provoca no neófito a falta de discernimento da palavra de Deus pelo seu orientador espiritual. Nenhum pastor me explicava com clareza a ação do Espírito na vida do crente e também não tinha resposta para as experiências espirituais até então devido a minha ignorância, iniquoas que eu vivenciava. Cheguei perto da morte antes de aceitar verdadeiramente Senhor Jesus como meu salvador pessoal. Mas rapidamente recebi uma revelação do Senhor: “Não se precipite em impor as mãos sobre ninguém e não participe dos pecados dos outros. Conserve-se puro” I Tm 5.22 . Desta forma entendo que o sangue de Cristo é blindagem segura, mas mesmo assim devemos entender o que Paulo fala: “Não se deixem enganar, as más companhias corrompem os bons costumes” I Cor 15.32-33 Não estamos falando de “influencia” mas de “transferencia” maligno, de uma pessoa, para outra. Uma pessoa contaminada certamente contaminará a outras. “Um pouco de fermento leveda toda a massa.” Gálatas 5.9 A verdade é que somente as pessoas dotadas do Espírito de Deus, possuem um espírito pacifico e cordato que transmite benção e paz..
  3. 3. Concluindo: Da mesma forma a palavra “mãos”, que em grego é cheir, é símbolo da autoridade divina (II Cr 20.6), foi a mão de Deus quem criou os céus e a terra e é com elas que Ele as contorna, conforme esta escrito em Isaías 48.13; lavar as mãos, significa na tradição judaica, uma afirmação de inocência e de consciência tranqüila (Dt 21.6-7). Pilatos assim o fez diante do povo para demonstrar que era inocente com relação à morte de Jesus. Jesus utilizava amplamente em seu ministério, a imposição das mãos para transferir poder curador e também ordenou à sua igreja que impusessem as mãos sobre os enfermos para que estes fossem curados (Mc 16.15-18). Porém não podemos simplesmente sair por a impondo as mãos sobre as pessoas, temos que primeiros nos santificar, e estar certos que o que estaremos passando para as pessoas sejam as bênçãos de Deus! “Não se precipite em impor as mãos sobre ninguém e não participe dos pecados dos outros. Conserve-se puro” I Tm 5.22. Devemos ter muita prudência com a autoridade que Deus nos delegou. Da mesma forma, utilizar a razão para trabalhar em cooperação com Deus e fazer somente o que Ele nos ordenar! O ungido do Senhor é aquele sobre quem repousa a unção d’Ele, por ter sido soberanamente escolhido por Deus, para desempenhar uma tarefa especial a responsabilidade em honrar a tarefa é sublime. Nós como Cristãos temos o privilegio de sermos seguidores do maravilhoso principe da paz o Senhor Jesus e de sermos considerados também ungidos pelo Pai, conforme afirma as Escrituras Sagradas: “Ora, é Deus que faz que nós e vocês permaneçamos firmes em Cristo. Ele nos ungiu, nos selou como sua propriedade e pôs o seu Espírito em nossos corações como garantia do que esta por vir.” II Cor. 1.21-22. E tendo esse compromisso com Deus devemos ser sábios e prudentes. Não podemos aceitar tudo o que uma pessoa diz, mas sim ver quem ela é através da revelação que o Espírito Santo no concede. Jesus nos ensinou a reconhecermos as pessoas que realmente possuem a unção de Deus: “Vocês os reconhecerão por seus frutos” Mateus 7.16. Eu, particularmente, rogo ao Senhor que somente mãos abençoadas e por isso, abençoadoras, que essas, somente essas repousem sobre minha cabeça derramando o verdadeiro óleo santo em minha vida.

×