Eixo3 nitiane silva_relato_resumo.doc.

213 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
213
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Eixo3 nitiane silva_relato_resumo.doc.

  1. 1. RELATO DE EXPERIÊNCIA: APRESENTAÇÃO DE TRABALHO EM MONTEVIDEO - EXTENSO 2013 Nitiane Bitencourt da Silva/UFPel - nitianebs@hotmail.com Palavras-chave: Formação de professores; Formação continuada; Extensão universitária. O presente trabalho¹ tem como objetivo compartilhar a minha participação e vivência no I Congreso de Extensión de La AUGM - Extenso 2013 realizado na Universidad de La Republica em Montevideo, Uruguay na condição de expositora, bem como incentivar a participação de colegas de graduação em eventos internacionais. O evento citado ocorreu nos dias 6, 7, 8 e 9 de novembro de 2013 e contou com a participação de extensionistas de diversos países, dentre eles: Uruguay, Brasil, Argentina, entre outros. Era possível participar de mesas de discussão, assistir palestras, exposições e apresentações culturais durante todo o evento. Tivemos apoio financeiro da Universidade Federal de Pelotas, que colocou à disposição dos alunos interessados em comparecer ao evento um ônibus gratuito que fez a viagem de ida e a viagem de volta de Pelotas à Montevideo. Além disso, tivemos apoio de uma bolsa auxílio viagem, também disponibilizada pela Pró Reitoria de Extensão da UFPel que nos auxiliou na viagem. Eu e minha colega extensionista participamos de mesas de discussão do eixo 7, que trazia o tema: Extensão Universitária e Educação. Foi um modo diferente e muito rico de exposição e discussão de trabalhos. Ao invés de se apresentarem de maneira formal, eram formadas rodas de discussão com os apresentadores dos trabalhos e professores da Universidade para debater sobre a extensão universitária com contribuições da prática de cada um, que era citada e discutida durante a mesa. O nosso trabalho foi intitulado: EXTENSÃO E FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES: PARCERIA ENTRE UNIVERSIDADE E ESCOLAS PÚBLICAS, e consistia em apresentar e discutir o nosso projeto de extensão que foi iniciado no ano de 2001 e continua sendo exercido até hoje. Ele é constituído de duas ações: 1- O Encontro sobre o Poder Escolar, que é um evento interinstitucional e reúne os professores das ¹Nome do projeto: Qualificação das práticas pedagógicas nas redes públicas de educação básica da região Sul do Rio Grande do Sul: Reinventando o Poder Escolar, coordenado até o ano de 2012 pela Professora Doutora Maria Antonieta Dall’ Igna e atualmente pela Professora Doutora Lígia Cardoso Carlos, e conta com a colaboração de mais duas bolsistas Tatiane Duarte Cavalheiro e Tamires Martins Machado, ambas também graduandas do curso de Pedagogia da Universidade Federal de Pelotas.
  2. 2. escolas da região para assistir conferências, apresentações culturais e participar de mesas de apresentações de experiências nas quais os próprios professores inscrevem trabalhos sobre as suas práticas escolares e apresentam no encontro; 2- As Vozes da Comunidade Escolar, composta por: A Voz dos Estudantes, A Voz dos Pais e A Voz das Equipes Diretivas e Profissionais da Educação. São ações que antecedem o Encontro sobre o Poder Escolar e visam dar voz a todos os sujeitos envolvidos com a escolarização, bem como propor discussões e reflexões coletivas sobre a escola e a educação. Nas mesas de discussão do Extenso 2013, uma das metodologias utilizadas foi a de discutir fragmentos de alguns trabalhos daquele eixo, esses fragmentos eram distribuídos para os participantes e a partir das leituras, iniciavam as discussões. Dois fragmentos do nosso trabalho foram discutidos e chamaram muito a atenção dos meus colegas de debate, foram eles: “(...) Encontros sobre o Poder Escolar se caracterizam por reunir os saberes acadêmicos em conferências e painéis nos quais participam professores pesquisadores de reconhecida relevância de diversos países e os saberes da prática com a apresentação de experiências e projetos de professores e de gestores de escolas (...)” e “(...) Quanto a este formato, cabe destacar a sua intencionalidade. Na dinâmica do evento os docentes das escolas de educação básica inscrevem seus trabalhos, fundamentados em práticas pedagógicas realizadas e refletidas. Não são aceitos trabalhos originados de pesquisas acadêmicas. Esta orientação tem uma dimensão política, a de garantir espaços de socialização e de valorização dos saberes produzidos nos contextos escolares, frutos de uma práxis pedagógica. Professores universitários são convidados a dialogarem com essas experiências e não sobre elas, na perspectiva de se apreciarem e qualificarem mutuamente. Para cada encontro organizamos uma frase tema em torno da qual as ações são constituídas e desdobradas. A frase tema do 12° Encontro sobre o Poder Escolar é um fragmento da conferência proferida pelo professor Dr. Mário Sérgio Cortella na 10ª edição do evento, em julho de 2010. Ele nos disse: “Na escola nem tudo pode ser feito, mas, o que pode ser feito, faremos. Temos um PODER que precisa ser exercido”. Sua afirmação foi um alerta para evitarmos o pessimismo desmobilizador no qual nada pode ser feito e, também, evitarmos o ativismo ingênuo que acredita que tudo pode ser feito. Nossa experiência de trabalho e formação leva-nos a concordar que muitas coisas podemos e temos a fazer. Mostra-nos, além disso, que os processos educativos nas escolas precisam da participação de todos os sujeitos envolvidos: professores, pais, equipes diretivas, alunos e demais trabalhadores envolvidos com a educação. A escola está em constante transformação e para adequar-se
  3. 3. ao tempo presente e capacitar-se para o futuro, enfrenta o desafio de trabalhar de forma efetivamente coletiva (...)”. Os aspectos que mais chamaram a atenção e foram citados durante a discussão foram: conseguirmos aproximar os professores das escolas dos saberes científicos produzidos nas universidades; valorizarmos os saberes da experiência produzidos nas práticas desses mesmos profissionais; conseguirmos desenvolver um trabalho com professores, pais, equipes diretivas, alunos e demais trabalhadores envolvidos com a educação. Essas características do nosso projeto destacaram-se muito, pois não são práticas nas quais somos habituados e tampouco é fácil de exercer, no entanto todos consideram valiosas, são muito enriquecedoras e trazem resultados muito positivos para as escolas participantes. Foi importante a participação neste evento de extensão universitária, pois o nosso projeto foi divulgado para outros países e discutido junto a várias pessoas de diferentes lugares. Além disso, a riqueza de um evento fora do país é imensa, pois conhecemos lugares novos e aprendemos sobre culturas diferentes, na troca com os outros participantes e também conhecendo o lugar. Considero essencial que graduandos possam compartilhar suas experiências em diversos lugares, assim como ter acesso a outras experiências e culturas. Como sabemos a universidade não é feita apenas de ensino, é muito importante que os alunos também tenham experiências variadas de pesquisa e extensão, e não há nada mais rico do que poder compartilhar essas experiências com muitos colegas de outros locais. Referências: FULLAN, Michael, HARGREAVES, Andy, A escola como organização aprendente: buscando uma educação de qualidade. 2 ed, Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. FREIRE Paulo. Pedagogia da Autonomia. 2 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997. PARO. Vitor Henrique. Administração escolar e qualidade do ensino: o que os pais ou responsáveis têm a ver com isso? In: PARO, Vitor Henrique. Escritos sobre educação. São Paulo: Xamã, 2001, p. 101-112.
  4. 4. TARDIFF, M.; LESSARD, C.; LAHAYE, L. Os professores face ao saber. Esboço de uma problemática do saber docente. Teoria e Educação, n.4, Porto Alegre: Pannônica, 1991.

×