Modulo 7 – CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES
CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX
12ºAno
Unidade 1 – As Transfor...
Aula de História
12ºAno
Sumário: As revoluções Russas
Da democracia dos Sovietes ao centralismo democrático.
A Revolução de Fevereiro

Nas primeiras semanas de março de 1917 , eclodiu um movimento revolucionário na
cidade de Petro...
 A Revolução de Outubro de 1917

O governo Kerenski não consegue se manter, isolado das principais
facções em luta.
Da F...

A Revolução de Outubro triunfou: os bolcheviques derrubaram o governo de
Kerenski e
efetivaram o poder dos sovietes diri...
 Consequências da Revolução Russa

Ao tomar o poder, os bolcheviques fizeram inúmeras reformas, entretanto, o sistema
ad...
 A má vontade da antiga camada dominante; os camponeses que demonstravam
resistência em entregar sua produção ao governo;...
 A guerra civil

A Transição do governo czarista para o socialista não foi um parto normal.
Uma guerra civil entre
os bo...
 O Vermelho e o Branco
 Sair da Primeira Guerra Mundial, no entanto, não trouxe paz para a
 Rússia, pois logo o país me...
 Governo socialista, medidas capitalistas
 Em 1921, a situação económica da Rússia estava um caos,
devastada
 pela Prim...
 Diante desse contexto, o governo bolchevique perdeu parte do apoio
 com que contava. Integrantes da base naval de Krons...
 DA DEMOCRACIA DOS SOVIETES AO
CENTRALISMO DEMOCRÁTICO
 “brancos “: designação pela qual ficaram
conhecidos os opositore...
 Circunstancias várias, no entanto, dificultaram a acção do Governo
Revolucionário, visto que em 1918 a Rússia assina uma...
 O novo Governo iniciou funções com a publicação dos
decretos revolucionários que procuraram responder às
aspirações das ...
 Na conjuntura de guerra, em 1920, o poder revolucionário (liderado
por Trotsky) instituído implanta uma politica de fero...
 As medidas da NEP foram:
 intervenção da colectivização agrária;
 liberdade de comércio interno;
 desnacionalização d...
Aula 2 E 3
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Aula 2 E 3

3.181 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.181
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
116
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
104
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 2 E 3

  1. 1. Modulo 7 – CRISES, EMBATES IDEOLÓGICOS E MUTAÇÕES CULTURAIS NA PRIMEIRA METADE DO SÉCULO XX 12ºAno Unidade 1 – As Transformações das Primeiras décadas do Século XX
  2. 2. Aula de História 12ºAno Sumário: As revoluções Russas Da democracia dos Sovietes ao centralismo democrático.
  3. 3. A Revolução de Fevereiro  Nas primeiras semanas de março de 1917 , eclodiu um movimento revolucionário na cidade de Petrogrado (atualmente São Petersburgo). As tropas do exército aderiram à revolução, e até os setores mais moderados da sociedade russa abandonaram o czar Nessa ocasião, reorganizaram-se os sovietes, conselhos de operários e soldados, surgidos no movimento de 1905. Todos pressionavam o governo provocando manifestações de rua e greves generalizadas. A polícia não conseguia deter o movimento e o exército se recusava a marchar contra a população. Nicolau II abdicou. Os revolucionários formaram um governo provisório composto por tendências políticas variadas, dirigido por Alexandre Kerenski , um dos líderes de um partido chamado Socialista Revolucionário, e ligado ideologicamente aos mencheviques. A princípio pretendiam consolidar uma monarquia constitucional, mas posteriormente acabaram por implantar um governo republicano. A burguesia liberal e vários setores da aristocracia apoiaram o novo governo, que iniciou uma série de reformas. Entre elas, destacamos a adoção do sufrágio universal, a convocação de uma Assembléia Constituinte, anistia aos líderes revolucionários bolcheviques que estavam exilados.Era um governo um tanto quanto contraditório. existiam dois poderes paralelos: A Duma ( parlamento) composto por moderados e os Sovietes ( conselho de operários) mais radicais e que pretendiam acabar com a monarquia. Enquanto isso, a guerra contra a Alemanha continuava. A crise criada pela guerra e a variada composição do governo revolucionário não permitiram que os grandes problemas econômicos que afetavam a população russa fossem solucionados.
  4. 4.  A Revolução de Outubro de 1917  O governo Kerenski não consegue se manter, isolado das principais facções em luta. Da Finlândia, onde se havia exilado, Lenin coordenou os preparativos para aprofundar a revolução. Os bolcheviques ingressam em massa nos sovietes e Trotsky é eleito presidente do soviete de Petrogrado. A Guarda Vermelha, uma milícia popular, foi criada nas fábricas para ser o braço armado dos bolcheviques. Lênin entra clandestinamente na Rússia e convence o comando bolchevique a encampar a idéia de revolução. A resistência de Kerenski é debelada e no dia 25 de outubro os bolcheviques triunfam. Parte da guarnição militar e dos marinheiros da frota do Báltico se juntou aos guardas vermelhos. Tomam o Palácio de Inverno do czar. Kerenski foge da Rússia. Os bolcheviques, largamente majoritários no Congresso dos Sovietes, tomam o poder em 7 de novembro de 1917. É criado um Conselho dos Comissários do Povo, presidido por Lênin. Leon Trotsky assume o Ministério dos Negócios Estrangeiros e Josef Stálin o das Nacionalidades (Interior). A Revolução Russa é vitoriosa e instala o primeiro Estado socialista do mundo.
  5. 5.  A Revolução de Outubro triunfou: os bolcheviques derrubaram o governo de Kerenski e efetivaram o poder dos sovietes dirigidos pelo partido bolchevista, desde então denominado de comunista. Como conseqüência da vitória bolchevique teve início uma era de Terror, com o fuzilamento sumário de milhares de pessoas. O czar Nicolau II e sua família são executados pelos bolcheviques. O processo revolucionário já não pode mais ser contido, as dissidências são esmagadas e a ameaça da contra-revolução afastada. O novo governo, presidido por Lenin, adotou uma série de reformas radicais, baseadas no marxismo e executadas por meio da ditadura dos sovietes. Os objetivos dos comunistas não eram apenas derrubar o governo provisório: Procuram criar uma nova sociedade, baseada no socialismo. Nacionaliza as terras que eram de propriedade da nobreza e da igreja e cede aos camponeses o direito exclusivo de sua exploração. O controle das fábricas é transferido aos operários, os estabelecimentos industriais são expropriados pelo governo e os bancos nacionalizados. Moscou passa a ser a capital do país. A propriedade privada dos meios de produção (terras, minas, fábricas) foi abolida. Em março de 1918 , o governo soviético bolchevique assinou, em separado, finalmente, a Paz de Brest-Litovsk com a Alemanha. Aceitando perder a Polônia, a Ucrânia, a Finlândia e os países bálticos.
  6. 6.  Consequências da Revolução Russa  Ao tomar o poder, os bolcheviques fizeram inúmeras reformas, entretanto, o sistema adotado pela revolução não apresentou bons resultados. A fome e a miséria continuavam atormentando a população russa. Internamente, os contra-revolucionários continuam tentando retornar ao poder auxiliados pelas potências estrangeiras. principalmente européias, que tentavam desestabilizar o regime soviético, considerando-o uma ameaça para a sociedade capitalista burguesa liberal. A ameaça de uma vitória dos contra-revolucionários leva o governo a tomar medidas de exceção para reduzir a fome e modernizar o país. A indústria recebe estímulos para aumentar a produção, com a adoção de métodos de racionalização do trabalho. Técnicos estrangeiros são contratados para auxiliar a recuperação do parque industrial. O Estado confisca o trigo e torna sua produção monopólio estatal. A terra dos kulaks, médios proprietários rurais, é dividida e os camponeses pobres estabelecem governos locais para reunir o trigo excedente e administrar sua circulação e consumo.
  7. 7.  A má vontade da antiga camada dominante; os camponeses que demonstravam resistência em entregar sua produção ao governo; os trabalhadores e soldados desanimados diante das dificuldades a população descontente com os problemas de produção e abastecimento, os operários insurgindo contra o governo e outras rebeliões internas, fizeram com que Lenin, em 1921, com a Revolução consolidada, instituísse a NEP (Nova Política Econômica), uma volta ao capitalismo de Estado, como solução para vencer o impasse econômico. E diz a famosa frase: 'É preciso dar dois passos para trás para depois voltar a avançar'. O objetivo é planejar a economia e a sociedade. Logo é permitida a criação de empresas privadas, como a manufatura e o comércio em pequena escala. A liberdade salarial e a de comércio exterior são retomadas sob a supervisão do Estado. Os camponeses são obrigados a pagar taxas, em espécie, e são autorizados os empréstimos externos, como os negociados com a Inglaterra e a Alemanha. Em 1924 é criada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) com a adoção de nova Constituição. A criação de uma União é a fórmula encontrada pelos bolcheviques para conseguir manter unidos nacionalidades, etnias e territórios que pouco têm em comum. Segundo a Constituição de 1924, as repúblicas têm autonomia, proposta que nunca saiu do papel. O poder é mantido por alguns líderes do Comitê Central por intermédio do Partido Comunista.
  8. 8.  A guerra civil  A Transição do governo czarista para o socialista não foi um parto normal. Uma guerra civil entre os bolcheviques e os brancos, antigos monarquistas, e outros setores que haviam sido derrotados na Revolução de Outubro teve início. Os kulaks , médios proprietários, foram acusados de trair a revolução.O governo central de Moscou enviou brigadas de operários ao campo para apoiar o movimento camponês contra os kulaks. A execução de kulaks e a morte de militantes bolcheviques nos conflitos com os exércitos de russos brancos caracterizaram a guerra civil. As potências vencedoras da Primeira Guerra Mundial, alarmadas pelas medidas tomadas pelo governo soviético, prestaram auxílio militar aos brancos. Forças japonesas, francesas e inglesas ajudaram os contra-revolucionários. Apesar do auxílio estrangeiro, o governo de Lenin triunfou sobre seus inimigos internos e consolidou a revolução comunista no antigo império dos czares. Politicamente, o novo regime proclamou a nova ordem social na Constituição de 1918.A Constituição soviética contém uma declaração de direitos do"povo explorado e trabalhador".
  9. 9.  O Vermelho e o Branco  Sair da Primeira Guerra Mundial, no entanto, não trouxe paz para a  Rússia, pois logo o país mergulhou numa sangrenta guerra civil.  De um lado estavam representantes das antigas classes dominantes –  grandes latifundiários, militares ligados ao czar e empresários. Com ajuda  econômica e militar de Inglaterra, França e Japão, eles formaram o Exército  Branco, que tentou expulsar os bolcheviques do poder. Estes, por sua  vez, sob a liderança de Leon Trotski, organizaram o Exército Vermelho,  que em fevereiro de 1921 derrotou os adversários.  Durante a guerra civil, Lenin centralizou o poder em torno do Partido  Bolchevique, que passou a se chamar Partido Comunista. O Partido Comunista  tornou-se o único legalizado no país, dominando todas as esferas da sociedade.  Nas fábricas, na imprensa e na administração pública, os principais  cargos foram entregues a pessoas de confiança dos bolcheviques. Com isso,  os sovietes perderam sua força e passaram às mãos do Partido Comunista.  Depois da vitória do Exército Vermelho, os países capitalistas isolaram  a Rússia, tentando impedir a expansão do comunismo pelo mundo.
  10. 10.  Governo socialista, medidas capitalistas  Em 1921, a situação económica da Rússia estava um caos, devastada  pela Primeira Guerra Mundial, pelas revoluções e pela guerra civil entre os  exércitos Vermelho e Branco.  A produção industrial em 1921 representava apenas 13% da produção  de 1913. A produção agrícola era equivalente a menos da metade da  verificada no período anterior à Primeira Guerra Mundial.
  11. 11.  Diante desse contexto, o governo bolchevique perdeu parte do apoio  com que contava. Integrantes da base naval de Kronstadt se revoltaram,  exigindo maior poder aos sovietes. No interior do país, os camponeses  organizaram movimentos para saquear carregamentos de alimentos destinados  às cidades.  Para solucionar esses problemas, em março de 1921, o governo bolchevique  criou a chamada Nova Política Econômica (NEP), um conjunto de medidas  para fortalecer a economia do país. Para aumentar a produção, foram  tomadas algumas providências de caráter comunista, juntamente com outras,  de princípios capitalistas, como a permissão para pequenas e médias propriedades  rurais voltadas para a produção de alimentos e para o comércio.  O Estado passou a arrendar terra aos camponeses, permitindo que  alguns deles enriquecessem. Os menos aptos aos negócios ficaram mais  pobres, migrando então para as cidades em busca de trabalho.  Em dezembro de 1922, a Rússia passou a se chamar União das Repúblicas  Socialistas Soviéticas (URSS). O novo país era formado pela Rússia,  Ucrânia, Bielo-Rússia e Transcaucásia. Mais tarde, outros territórios foram  anexados à URSS.
  12. 12.  DA DEMOCRACIA DOS SOVIETES AO CENTRALISMO DEMOCRÁTICO  “brancos “: designação pela qual ficaram conhecidos os opositores aos Bolcheviques  “vermelhos”: designação pela qual ficaram conhecidos os bolcheviques.  Dada a Revolução de Outubro, geraram-se problemas como:  resistência da proprietários e empresários às expropriações; (a)  desorganização da economia;  perda das eleições por parte dos bolcheviques, para a Assembleia Constituinte; (b)  guerra civil (1918 – 1920)  “brancos” contra “vermelhos”.
  13. 13.  Circunstancias várias, no entanto, dificultaram a acção do Governo Revolucionário, visto que em 1918 a Rússia assina uma separada com a Alemanha e perde ¼ da população e das terras cultiváveis, assim como ¾ minas de ferro e de carvão.  Proprietários e empresários criavam os maiores obstáculos à aplicação dos decretos relativos à terra e ao controlo operariado.  Para além disso, a adesão aos projectos Bolcheviques foram débeis, devido à persistência da carestia, banditismo e infracção e pelos sete mil soldados sem reintegração na vida civil. Daí a fraco numero de votos que estes obtiveram (25%).  Perante o fracasso dos Bolcheviques, Lenine dissolveu a Assembleia e transferiu o poder para o Congresso dos Sovietes que se tornou o órgão máximo de soberania. A Rússia tornou-se assim numa Republica Soviética.  A construção da sociedade socialista inicia-se com a nacionalização progressiva e sem qualquer indemnização de todas as formas de propriedade privada e de todos os sectores básicos da economia.  Em consequência, eclode uma violenta guerra civil em que as forças revolucionárias, o Exercito Vermelho, se confrontam com as forças conservadoras, o Exercito Branco. Perderam-se dez milhões de seres humanos, tendo a grande maioria parecido de fome, frio e epidemias.
  14. 14.  O novo Governo iniciou funções com a publicação dos decretos revolucionários que procuraram responder às aspirações das massas populares e às reivindicações dos sovietes:  decreto sobre a paz: convidava os povos deliberantes à negociação.  decreto sobre a terra: aboliu, sem indemnização, a grande propriedade, entregando-a a sovietes camponeses. De todos os decretos, o “pior” foi o decreto sobre a terra, devido à perda da propriedade privada, levando a grandes revoltas por parte da população. (a)  decreto sobre o controlo operário: atribuía aos operários das empresas a superintendência e a gestão da respectiva produção (a)  decreto sobre as nacionalidades: conferia a todos os povos do antigo Império Russo o estado de igualdade e o direito à autodeterminação.
  15. 15.  Na conjuntura de guerra, em 1920, o poder revolucionário (liderado por Trotsky) instituído implanta uma politica de feroz ditadura, o comunismo de guerra. Todavia o país estava arruinado, a fome e a miséria ameaçavam toda a população. Era urgente tomar medidas de salvação nacional.  A construção da sociedade socialista exigia, segundo Lenine, um recuo táctico. Foi então adoptada a Nova Politica Económica (NEP).  Os motivos para a criação da NEP:  dificuldades acrescida pela vitória da Russia Bolchevista na guerra civil;  economia do país na ruína;  perda de metade da produção de cereais:  - os camponeses não produziam, escondiam ou destruíam as suas colheitas;  - três milhões de mortos de fome;  a produção industrial diminui 3/4 :  - as minas de hulha estavam inutilizadas;  - os caminhos de ferro paralisaram.
  16. 16.  As medidas da NEP foram:  intervenção da colectivização agrária;  liberdade de comércio interno;  desnacionalização de empresas;  investimento estrangeiro.  Embora os principais sectores da economia continuassem nacionalizados, o governo aceitava a existência temporária de um sector privado. Foi estabelecida a liberdade de comércio e autorizada a existência de pequenas unidades de produção agrícola e industrial.  A NEP permitiu travar a deterioração da situação económica. Em 1927, a produção ultrapassou os índices anteriores ao começo da guerra. A Revolução consolidava-se.

×