O DOM DE PROFECIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS
Entre os dons que o Espírito de Deus pôs na igreja no princípio da era evangélica,
a...
representados neste caso por João; este, por sua vez, a comunica às igrejas. Deus,
Cristo, “Seu anjo,” o dom de profecia, ...
de profecia. Esta mesma conexão aparece nos escritos de Ezequiel: “Miséria sobre
miséria virá, e se levantará rumor sobre ...
apóstolos introduziu-se a apostasia; foram rejeitados os mandamentos de Deus, o
quarto mandamento foi removido de seu luga...
Se só devem ser rejeitados os falsos profetas, deve a Bíblia dar instruções pelas quais o
povo de Deus possa saber como di...
Enviou Êle Sua mensagem ao mundo para tirar um povo das trevas e conduzi-lo à luz, e
exatamente como tirou os israelitas d...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

O dom de profecia através dos séculos

383 visualizações

Publicada em

tribunal divino, juízo, adventista,justiça, 2º vinda de Cristo, profecias, restauração, fé, Deus, Jesus, nações, Nova Ordem Mundial. domingo, sábado, dom de profecia,

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
383
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O dom de profecia através dos séculos

  1. 1. O DOM DE PROFECIA ATRAVÉS DOS SÉCULOS Entre os dons que o Espírito de Deus pôs na igreja no princípio da era evangélica, achava-se o de profecia. O ponto de vista mantido por alguns cristãos, de que a profecia chegou ao seu termo com o Velho Testamento, é errôneo. O dom de profecia é mencionado na enumeração dos dons do Espírito, os quais foram dados com o fim de promover e finalizar a obra do evangelho: “Pelo que diz: Subindo ao alto levou cativo o cativeiro, e deu dons aos homens. E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profeta, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores.” Efésios 4:8-11. Notemos o tempo em que foram concedidos esses dons: “Subindo ao alto.” Cristo conferiu-os à igreja quando a deixou. Tinham o fim de continuar a obra que Ele começara. Isto se acha expresso claramente, pois a passagem citada, continuando, explica o objetivo dos dons: “Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo: até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.” Efésios 4:12-13 Este dom de profecia manifestou-se efetivamente na igreja apostólica, e da passagem citada, de Efésios, ressalta que deveria ser manifesto até ao fim. O dom de profecia acha-se entre os mais importantes dons do Espírito, sendo o segundo na ordem de importância. “E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiro doutores, depois milagres, depois dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas.” I Coríntios 12:28 Nesta passagem são os dons dispostos na ordem de sua importância. O mais importante de todos é o do apostolado. O segundo é o de profecia. O terceiro, o de ensinar. O apostolado, a profecia e o ensinar são mais importantes do que a operação de milagres, a cura de doentes ou o dom de línguas. Maior do que todos os dons, com exceção do apostolado, é o de profecia. Essas mensagens que vêm de Deus, por intermédio do dom de profecia, são autorizadas e infalíveis. Não se conclua, no entanto, que o profeta ou profetisa seja, em pessoa, infalível. Não é isto o que quer dizer. Os profetas são falíveis seres humanos. A Bíblia registra os erros por eles praticados. Não é o instrumento usado por Deus, o que é infalível, mas sim as mensagens que Deus por ele envia. Essas mensagens, provindas de Deus, são ipso facto, autorizadas e infalíveis. A legítima Sucessão Há uma legítima sucessão através da qual a verdade vem de Deus, e unicamente quando vem por tal sucessão é que é infalível. Ei-la, exposta nesta passagem: “Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus Lhe deu, para mostrar aos Seus servos as coisas que brevemente devem acontecer: e pelo Seu anjo as enviou, e as notificou a João Seu servo: o qual testificou a Palavra de Deus.” Apocalípse 1:1-2. Eis aí a genuína sucessão: A verdade origina-se em Deus, que a transmite a Jesus Cristo, e Este ao “Seu anjo,” o qual a leva aos que têm o dom de profecia,
  2. 2. representados neste caso por João; este, por sua vez, a comunica às igrejas. Deus, Cristo, “Seu anjo,” o dom de profecia, o povo de Deus - assim é que a verdade se comunica, infalível, de Deus para o homem. E quando vem deste modo, é ela autorizada e infalível voz de Deus à Sua igreja. As mensagens que vêm através do dom de profecia, quer faladas quer escritas, denominam-se “testemunhos.” Note-se a expressão de Apocalípse 22:16. “Eu, Jesus, enviei o Um anjo, para vos testificar estas coisas nas igrejas.” Uma coisa que se testifica, é “testemunho.” O anjo Gabriel testifica a verdade ao que tem o dom de profecia, e o profeta testifica a mesma verdade às igrejas. Logo, isso que o profeta recebe mediante seu dom, são “testemunhos para a igreja.” O benefício de ler e estudar esses testemunhos acha-se plenamente exposto em várias partes da Bíblia. Para exemplo, note-se quantas vezes é empregado esse têrmo em um só capítulo da Bíblia: Salmo 119:2, 14,24,31,36,46,59,79,88,95,99,111,119,129,138,144,146,152,167e 168. As instruções dadas ao profeta pelo anjo Gabriel para benefício da igreja, são comunicadas por meio de visões e sonhos. “Se entre vós houver profeta, em visão a ele Me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.” Números 12:6. “Em sonho ou em visão de noite, quando cai sono profundo sobre os homens, e adormecem na cama, então abre os ouvidos dos homens e lhes sela a sua instrução.” Jó 33:15-16. Há hoje quem desconfie das visões e sonhos como meio de compreender-se a vontade de Deus; deve-se, no entanto, lembrar que foi este o método empregado por Deus para comunicar instruções aos Seus antigos profetas. Foi o método pelo qual Deus comunicou as instruções contidas nesses dois grandes livros proféticos que são Daniel e Apocalípse. Ninguém cogita em pôr em dúvida as instruções encerradas nesses livros. Satanás, naturalmente, falsifica este dom, assim como todas as demais verdades, e desta maneira há falsos sonhos e visões. Deus nos deu, porém, como veremos, instruções pelas quais se pode distinguir o falso do verdadeiro. Há nas Escrituras muitas passagens acerca do valor e benefício do dom de profecia: “O Senhor por meio dum profeta fez subir a Israel do Egito, e por um profeta foi ele guardado.” Oséias 12:13. “Crede no Senhor vosso Deus e estareis seguros; crede nos Seus profetas, e sereis prosperados.” II Crônicas 20:20. “Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a lei esse é bem-aventurado.” Provérbios 29:18. Relação Entre a Lei de Deus e os Profetas Na Bíblia a posse do dom de profecia se acha sempre ligada à obediência à Lei de Deus, de maneira que Lei e profetas se acham ìntimamente unidos. Assim, quando Jeremias lamentou a queda de Jerusalém, clamou: “Abateram as suas portas, Êle destruiu e quebrou os seus ferrolhos: o seu rei e os seus príncipes estão entre as nações onde não há Lei, nem acham visão alguma do Senhor os Seus profetas.” Lamentações 2:9. Note-se que nessa passagem se acham estreitamente ligadas a Lei e a posse do dom
  3. 3. de profecia. Esta mesma conexão aparece nos escritos de Ezequiel: “Miséria sobre miséria virá, e se levantará rumor sobre rumor: então buscarão do profeta uma visão, mas do sacerdote perecerá a Lei e dos anciãos o conselho.” Ezequiel 7:26. Quando os anciãos dos filhos de Israel vieram consultar o profeta, na esperança de receber o benefício das instruções do dom de profecia, o Senhor falou-lhes, por meio do profeta, dizendo: “Acaso sois vós vindos a consultar-me? Pela Minha vida diz o Senhor Jeová, não Me deixarei ser consultado de vós.” Ezequiel 20:3. Em seguida dá Êle a razão porque não lhes dá de falar e dar-lhes instruções por intermédio do dom de profecia. E entre as razões enuncia as seguintes: “E os tirei da terra do Egito, e os levei ao deserto. E dei-lhes os Meus estatutos, e lhes mostrei os Meus juízos, os quais, cumprindo-os o homem, viverá por eles. E também lhes dei os Meus sábados, para que servissem de sinal entre Mim e eles: para que soubessem que Eu sou o Senhor que os santifica. Mas a casa de Israel se rebelou contra Mim no deserto, não andando nos Meus estatutos, e rejeitando os Meus juízos; ... e profanaram grandemente os Meus sábados.” Ezequiel 20:11-13. Daí ressalta claro que entre as razões por que Deus não mais lhes queria dar instruções pelo dom de profecia, achava-se a violação de Sua Lei; e menciona especialmente a profanação de Seus sábados. A importância desta razão é acentuada pela repetição: “Mas disse Eu a seus filhos no deserto: Não andeis nos estatutos de vossos pais, nem guardeis os seus juízos, nem vos contamineis com os seus ídolos. Eu sou o Senhor vosso Deus; andai nos Meus estatutos, e guardai os Meus juízos, e executai-os. E santificai os Meus sábados, e servirão de sinal entre Mim e vós, para que saibais que Eu sou o Senhor vosso Deus. Mas também os filhos se rebelaram contra Mim, e não andaram nos Meus estatutos, nem guardaram os Meus juízos; ... êles profanaram os Meus sábados. Ezequiel 20:18-21. A ligação entre a obediência à Lei (e especialmente a observância do sábado), e a posse do dom de profecia torna-se muito clara nesta passagem. A mesma ligação se vê, ainda, no texto de Provérbios, já citado: “Não havendo profecia, o povo se corrompe; mas o que guarda a Lei esse é bem-aventurado.” Provérbios 29:18. Vê-se, ainda, nos escritos de Isaías: “à Lei e ao Testemunho (o dom de profecia) se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva.’ Isaias 8:20. Os escritos do Nôvo Testamento também revelam esta mesma conexão entre a Lei e o dom de Profecia. Ocorrem muitas vezes, em o Nôvo Testamento, as palavras: “A lei e os profetas.”- “Não cuideis que vim destruir a lei ou os profetas: não vim ab-rogar, mas cumprir.”Mateus 5:17. Porque Foi Removido o Dom Estas passagens lançam muita luz sobre a razão por que o dom de profecia não se tem manifestado nas igrejas depois do tempo de Cristo. A obediência à Lei de Deus e a posse do dom de Profecia acham-se tão ligadas, que quando a igreja deliberadamente abandona a Lei de Deus, o dom de profecia é removido do seu meio. A igreja nos dias dos apóstolos guardava todos os Dez Mandamentos, inclusive o do sábado. Possuía ela o dom de profecia, como foi demonstrado. Depois dos dias dos
  4. 4. apóstolos introduziu-se a apostasia; foram rejeitados os mandamentos de Deus, o quarto mandamento foi removido de seu lugar no coração da Lei, sendo o verdadeiro sábado, que é o sétimo dia da semana, substituído por um sábado falso. O domingo tomou o lugar do sábado. E o dom de profecia foi removido da igreja. O Dom Será Restaurado Assim sendo, seria razoável esperar que quando, nos últimos dias, se erguesse uma igreja que guardasse todos os mandamentos de Deus, restituindo ao sábado o seu legítimo lugar ao âmago da Lei divina, Deus restauraria a esse igreja o dom de profecia. Deus predisse claramente, numa das profecias da Bíblia, que aos fiéis observadores de Seus mandamentos, nos últimos dias, havia de restaurar o dom de profecia. Atendamos bem para esta predição: “O dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao resto da sua semente, os que guardam os Mandamentos de Deus, e têm Testemunho de Jesus Cristo.” Apocalípse 12:17. O “dragão” é Satanás; a “mulher” é símbolo da igreja de Cristo; o “resto de sua semente” significa a última igreja, a igreja do tempo da segunda vinda de Cristo. Êsse versículo prediz o grande conflito final entre o diabo e o povo de Deus. Essa última igreja destacar-se-ia por dois característicos principais: havia de guardar os Mandamentos de Deus, e ter o Testemunho de Jesus Cristo (o espírito profético). O que é esse Testemunho de Jesus Cristo, torna-se claro por outro versículo: “Eu lancei- me a seus pés para o adorar; mas ele disse-me: Olha não faças tal; sou teu conservo, e de teus irmãos, que têm testemunho de Jesus: adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o Espírito de Profecia.” Apocalípse 19:10. Restituído à Igreja Remanescente Conforme esta predição, de que a última igreja de Cristo na Terra terá esses dois característicos: observância dos Mandamentos de Deus, e posse do dom de Profecia, os que desejam encontrar essa última e verdadeira igreja deverão buscar uma corporação de pessoas que observe todos os Mandamentos de Deus e seja guiada por instruções recebidas mediante o dom de Profecia. Se guardarem os Mandamentos de Deus serão observadores do sábado, pois igreja alguma que observe apenas nove dos Dez Mandamentos poderia ser denominada uma igreja observadora dos mandamentos. Ùnicamente à que guarda todos eles, inclusive o quarto, ou do sábado, poderá com propriedade dar-se esse título. Qualquer igreja que viole um dos Dez Mandamentos, é forçosamente transgressora dos mandamentos (ver Tiago 2:10-12). Essa última igreja, que guarda todos os Mandamentos de Deus, possuirá também o dom de Profecia. Na Bíblia Deus adverte o Seu povo contra falsos profetas, que surgiriam nos últimos dias. Isto não quer dizer, entretanto, que se devem rejeitar dos os que reivindiquem a posse do dom de profecia, pois é-nos dito também: “Não desprezeis as profecias.” A advertência é ùnicamente contra os “falsos” profetas. Provas que Podem Ser Aplicadas
  5. 5. Se só devem ser rejeitados os falsos profetas, deve a Bíblia dar instruções pelas quais o povo de Deus possa saber como distinguir as falsas das verdadeiras manifestações do dom de Profecia. Uma das provas do verdadeiro dom de Profecia encontra-se no livro de Números: “Alçou a sua parábola, e disse: Fala Balaão, filho de Beor, e fala o homem de olhos abertos: fala aquêle que ouviu os ditos de Deus, o que vê a visão do Todo-Poderoso, caindo em êxtase e de olhos abertos.” Números 24:3-4 Eis aí a descrição de um profeta em visão. Enquanto se achava nesse estado, ouvindo as palavras de Deus, tinha ele os olhos abertos. Esta é uma das provas do legítimo dom de profecia. Outras provas se encontram nos escritos de Daniel: “E só eu, Daniel, vi aquela visão: os homens que estavam comigo não a viram: não obstante, caiu sobre eles um grande temor, e fugiram, escondendo-se. Fiquei pois eu só, e vi esta grande visão, e não ficou força em mim: e transformou-se em mim a minha formosura em desmaio, e não retive força alguma.” Daniel 10:7-8. A segunda prova do genuíno dom de profecia é, pois, não terem os que se acham em verdadeira visão, a princípio, nenhuma força sua própria. Mas não permanecem neste estado. Mais tarde recebem fôrça sobrenatural. A terceira prova é não ter fôlego o profeta verdadeiro, quando em visão: “Eis que um que tinha a semelhança dos filhos dos homens me tocou os lábios: então abri a minha boca, e falei, e disse ao que estava em pé diante de mim: Meu Senhor, por causa da visão apoderam-se de mim as minhas dores, e não retenho fôrça alguma. Pois como pode o servo do meu Senhor falar com o meu Senhor? porque quanto a mim, logo não ficou em mim fôrça alguma, e não me foi deixado fôlego.” Daniel 10:16-17. Como vemos, quando em visão têm os profetas os olhos abertos. Vai-se-lhes toda a fôrça natural. E não têm fôlego. Em seguida (e esta é a quarta prova), uma fôrça sobrenatural substitui a fôrça natural que lhes foi tirada: “Então tornou a me tocar um que tinha a aparência dum homem, e me confortou. Disse: “Não tenhas medo, homem muito amado; paz seja contigo – esforça-te, sim, esforça-te. Quanto ele me falou, fique fortalecido, e disse: Fala, meu Senhor, porque me confortaste.” Daniel 10:18-19. Estas quatro provas de autenticidade do dom de profecia: olhos abertos, falta de fôrça natural, ausência de fôlego, e em seguida fôrça sobrenatural – estas quatro provas, dizíamos, Deus não permitirá sejam satisfeitas por um profeta falso. *Uma delas é mesmo completamente impossível imitar: a ausência de fôlego. Que aquêle que pretende possuir o dom de profecia, o demonstre cessando de respirar quando em visão. A profecia de que Deus restauraria, ao Seu povo remanescente, o dom de profecia, cumpriu-se exatamente como expostos nos testes de veracidade considerados, através da Sra. Ellen G. White, profeta, na melhor acepção da palavra, serva de Deus, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, com as últimas mensagens para o mundo agonizante dos dias finais. Conheça e teste essas profecias.
  6. 6. Enviou Êle Sua mensagem ao mundo para tirar um povo das trevas e conduzi-lo à luz, e exatamente como tirou os israelitas do Egito e os levou à terra prometida, mediante o dom de profecia, assim está Êle hoje tirando o Seu povo remanescente de Babilônia e guiando-o para a terra da promissão, que é a Nova Terra. E de novo o está fazendo mediante o dom de Profecia.

×