Programa psf

5.230 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde e medicina

Programa psf

  1. 1. PSF ENF. Docente: Joselene Beatriz Email: joselene_beatiz@hotmail.com 1
  2. 2.  Reorganizar a prática da atenção à saúde em novas bases e substituir o modelo tradicional, levando a saúde para mais perto da família e, com isso, melhorar a qualidade de vida dos brasileiros. 2
  3. 3.  Prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua.  O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio pelos profissionais que compõem as equipes de Saúde da Família. 3
  4. 4.  Criar vínculos de co-responsabilidade entre os profissionais e a população acompanhada  Facilitando a identificação e o atendimento aos problema de saúde da comunidade. 4
  5. 5.  Garantido pelo PAB - Piso de Atenção Básica à Saúde (NOB/96)  E pelos incentivos, que compõem a parte variável do PAB, adicionados aos recursos de fontes estaduais e municipais. 5
  6. 6.  Portaria 1.329, de 12/11/99: de acordo com a faixa de cobertura, os municípios passam a receber incentivos diferenciados, conforme a tabela Faixa de Cobertura Populacional e Valores Anuais do Incentivo Financeiro por Equipe 6
  7. 7.  Essa diferenciação nos valores dos incentivos se deve ao fato de que, quanto maior o número de pessoas cobertas pelo PSF, maior o seu impacto. 7
  8. 8.  Existe também um incentivo adicional para a implantação de novas equipes, num valor de R$10.000,00/equipe, pagos em duas parcelas.  Além do incentivo às equipes, o município recebe um incentivo fixo por ACS no valor de R$2.200,00 ACS/ANO. 8
  9. 9. Classificação das Faixas de Cobertura 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Faixa Cobertura Valor Populacional em Incentivo/Equi % pe/ano [R$] 0 a 4,9 5 a 9,9 10 a 19,9 20 a 29,9 30 a 39,9 40 a 49,9 50 a 59,9 60 a 69,9 70 e mais 28.008 30.684 33.360 38.520 41.220 44.100 47.160 50.472 54.000 9
  10. 10.  Incorpora e reafirma os princípios básicos do SUS - universalização, descentralização, integralidade e participação da comunidade  Está estruturado a partir da Unidade Básica de Saúde da Família, que trabalha com base nos seguintes princípios: 10
  11. 11. O PSF não significa criação de novas unidades de saúde, exceto em áreas totalmente desprovidas das mesmas. 11
  12. 12.  Unidade de Saúde da Família  Estar inserida no primeiro nível de ações e serviços do sistema local de assistência, denominado atenção básica.  Estar vinculada à rede de serviços 12
  13. 13.  Garantir atenção integral aos indivíduos e famílias  Assegurar referência e contra- referência para clínicas e serviços de maior complexidade 13
  14. 14.  A Unidade de Saúde da Família  trabalha com território de abrangência definido  é responsável pelo cadastramento e o acompanhamento da população vinculada a esta área. 14
  15. 15. Recomenda-se que uma equipe seja responsável por, no máximo, 4.500 pessoas.  Cada equipe do PSF tem de quatro a seis ACS. Este número varia de acordo com o tamanho do grupo sob a responsabilidade da equipe  15
  16. 16.  Em média um ACS para 575 pessoas acompanhadas  Cada equipe do PSF atende entre 600 e 1.000 famílias - 3.475 pessoas em média. 16
  17. 17.  No mínimo um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e de quatro a seis agentes comunitários de saúde (ACS).  Outros profissionais - dentistas, assistentes sociais e psicólogos - poderão ser incorporados às equipes ou formar equipes de apoio, de acordo com as necessidades e possibilidades locais. 17
  18. 18.  A Unidade de Saúde da Família pode atuar com uma ou mais equipes, dependendo da concentração de famílias no território sob sua responsabilidade. 18
  19. 19.  As unidades básicas do programa são capazes de resolver 85% dos problemas de saúde em sua comunidade, prestando um atendimento de bom nível, prevenindo doenças, evitando internações desnecessárias e melhorando a qualidade de vida da população. 19
  20. 20.  Médico: atende a todos os integrantes de cada família, independente de sexo e idade, desenvolve com os demais integrantes da equipe, ações preventivas e de promoção da qualidade de vida da população. 20
  21. 21.  Enfermeiro: supervisiona o trabalho do ACS e do Auxiliar de Enfermagem, realiza consultas na unidade de saúde, bem como assiste às pessoas que necessitam de cuidados de enfermagem, no domicílio. 21
  22. 22. Auxiliar de enfermagem: realiza procedimentos de enfermagem na unidade básica de saúde, no domicílio e executa ações de orientação sanitária. 22
  23. 23. Agente Comunitário de Saúde  Faz a ligação entre as famílias e o serviço de saúde, visitando cada domicílio pelo menos um vez por mês 23
  24. 24. Agente Comunitário de Saúde Realiza o mapeamento de cada área, o cadastramento das famílias e estimula a comunidade para práticas que proporcionem melhores condições de saúde e de vida. 24
  25. 25.  Conhecer a realidade das famílias pelas quais é responsável, por meio de cadastramento e diagnóstico de suas características sociais, demográficas e epidemiológicas 25
  26. 26.  Identificar os principais problemas de saúde e situações de risco aos quais a população que ela atende está exposta 26
  27. 27.  elaborar, com a participação da comunidade, um plano local para enfrentar os determinantes do processo saúde/doença  desenvolver ações educativas e intersetoriais para enfrentar os problemas de saúde identificados 27
  28. 28.  prestar assistência integral, respondendo de forma contínua e racionalizada à demanda, organizada ou espontânea, na Unidade de Saúde da Família, na comunidade, no domicílio e no acompanhamento ao atendimento nos serviços de referência ambulatorial ou hospitalar 28
  29. 29.  Redução dos índices de mortalidade infantil  Diminuição do número de mortes por doenças de cura simples e conhecida  Diminuição das filas nos hospitais das redes pública e conveniada com o SUS. 29
  30. 30.  O Fundo Nacional de Saúde –FNS transfere os recursos federais de forma automática e regular diretamente aos fundos municipais sob a forma de incentivo financeiro do PAB 30
  31. 31.  As ações são realizadas pelo Sistema de Informação de Atenção Básica – SIAB  Alimentação obrigatória de dados no sistema 31
  32. 32.  Alimentação obrigatória:  Dados cadastrais ▪ das equipes de saúde da família ▪ das famílias acompanhadas pelo PSF 32
  33. 33. Suspensão do cadastramento do Programa :  Não alimentação do SIAB  2 meses consecutivos  3 meses alternados durante o ano 33
  34. 34.  Qualquer situação que desabilite o município na gestão do PAB prevista na NOB/NOAS  Não alimentação dos sistemas ▪ SINAN Sistema de Informação de Agravos de Notificação ▪ SIM Sistema de Informações sobre mortalidade ▪ SISVAN Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional 34
  35. 35.  Adequar as unidades básicas de saúde:  possibilitando resolutividade na assistência prestada  garantindo a relação com os níveis de maior complexidade do sistema 35
  36. 36.  Manter o custeio da unidade  Contratar e remunerar os profissionais que compõem as equipes  Garantir a educação continuada para os profissionais envolvidos 36
  37. 37. A análise dos resultados das ações do Programa, permite constatar  A adequação às diretrizes do PSF do modelo assistencial implementado.  A análise das alterações do modelo assistencial. 37
  38. 38.  Mudanças de hábitos e atitudes da comunidade quanto a operacionalização e participação nas decisões relativas à assistência à saúde.  A satisfação dos usuários e dos profissionais da Equipe Saúde da Família.  Impacto produzido na saúde da população adscrita, traduzido pelos indicadores utilizados 38
  39. 39.  Citar as unidades de referência do Programa.  Mecanismo de seleção e forma de contratação dos profissionais da equipe (concurso público, processo seletivo, cooperativas). 39
  40. 40.  Carga horária dos profissionais dedicada ao PSF.  Política salarial dos profissionais: pagamento em dia, adicional de férias, 13° salário, licença maternidade, etc  Se as equipes do PSF não utilizam os agentes de saúde do PACS. 40
  41. 41.  Quantitativo e distribuição de equipes de saúde da família.  Número de famílias atendidas por cada equipe de saúde.  Se os profissionais do Programa residem na área de cobertura ou no município. 41
  42. 42.  Composição mínima das equipes: médico, enfermeiro, auxiliar de enfermagem, ACS.  Outras categorias profissionais incorporadas ao PSF.  Capacitação permanente das equipes. 42
  43. 43.  Recursos materiais e equipamentos são em em quantidade suficiente para o desenvolvimento das atividades do Programa.  Existência de medicamentos básicos nas unidades de saúde do PSF. 43
  44. 44.  Se mantém cadastro familiar atualizado.  As unidades de saúde do PSF funcionam todos os dias da semana, em horário integral.  Desenvolve ações junto à comunidade (trabalho de campo). 44
  45. 45.  Cobertura populacional do Programa. Considerar a população geral e a das áreas de risco.  Existência de rotinas, programação/planejamento para as atividades do Programa. 45
  46. 46. Alimenta regularmente o banco de dados do SIAB (PT. MS/SAS 82/98).  Há garantia de referência para outros níveis de atenção.  Registrar as atividades desenvolvidas pelo Programa.  46
  47. 47.  Mecanismos de avaliação do Programa  Os prontuários são preenchidos e arquivados adequadamente.  Identificar os procedimentos mais freqüentes e os mais referenciados, e os medicamentos mais utilizados. 47
  48. 48.  Existe conta específica para receber e movimentar os recursos do Programa, distinguindo os recursos liberados pelo MS e contrapartida.  As transferências do FNS/MS estão compatíveis com a quantidade de equipes e há compatibilidade com os recursos programados no orçamento. 48
  49. 49.  Registrar os epidemiológicos:  seguintes dados internações de menores de 5 anos por pneumonia e diarréia, óbitos de menores de 1 ano por pneumonia e diarréia, cobertura de consulta pré-natal  Outros parâmetros da Portaria GM 1101/02 49
  50. 50.  Calcular a faixa de cobertura populacional das equipes PSF no período em exame, observando a PT/GM/MS/1329 de 12/11/99. 50
  51. 51.  ENF. Docente: Joselene Beatriz  Email: joselene_beatiz@hotmail.com 51
  52. 52.  Impacto causado na população do município pelas ações desenvolvidas pelo Programa (analisar o desempenho dos indicadores de avaliação). 52

×