Adelmar Tavares                                              Rei das Trovas                                               ...
Apelação do Distrito Federal (1940) e finalmente o de presidente do Tribunal de Justiça (1948 a1950).      Mesmo exercendo...
Justiça do Distrito Federal e professor da Faculdade de Direito de Niterói. Em 1926 foi eleito para aAcademia Brasileira d...
portuguesa. Já fez as suas bodas de ouro como trovador! E nesses cinqüenta anos tem sido sempre omesmo: um sincero e admir...
Por outro lado, o seu prestígio popular é muito grande. Eis um exemplo no meio de muitos.Tendo eu organizado um "Inquérito...
esse alvoroço, esse ardor...                                    Quem tem amor e tem calma,                                ...
primeiro lugar, ressalta aos nossos olhos é o seu carinho e amor pela Trova e, ao mesmo tempo, comodisse anteriormente, a ...
"Neste mundo, a certas vidas,                                       a morte seria um bem,                                 ...
tudo se doira e aligeira.                                     Teu sorriso é na minha alma,                                ...
que faz lembrar o "hai-kai" japonês. O poeta dá leves pinceladas sugere... e o leitor, sensível einteligente, captará a se...
Alguém pede que lhe ensine,       Amar com ciúme... Quem ama?!...     a fazer versos também,           Quem ama assim, des...
Aos que me foram ingratos,         Bem sei que amar custa muito,  eu grato lhes hei de ser,            custa a vida querer...
Depois de mandar-te embora,          Dos desertos deste mundo,    foi que - cego! - percebi,           sei do mais desolad...
É nossa alma uma criança,         Há nos teus olhos escuros,  que nunca sabe o que faz.          o escuro da Ave-Maria. Qu...
Meu coração, pobre tonto,          Não há riqueza que valha que eu não entendo sequer,          um coração de mulher...faz...
Não sei por que, quando canto      Nunca vi dizer ser pobre   por mais alegre a canção,      quem come em paz o seu pão,  ...
Ó Mundo! Ó Mundo! Ó meu Mestre!          O regozijo da morte     Muito me ensinas viver,          Que ninguém sabe dizer  ...
Para de amor cantar mágoas,           Pouco me dá que se diga     foi que se fez o violão,          meu verso fora da moda...
Que contraste tem a Sorte!         Renúncia de amor profundo  No mundo, que ingrata lida!          Guarda sublime troféu: ...
Sempre que a felicidade             Sou nesta tarde da vida,     passa no meu coração,            cheio de saudades minhas...
Trovas, - cantigas do povo,        Uma vez que a gente cante alma ingênua dos caminhos            dizendo o que o povo diz...
AS ESTRELAS                              Mas não sei que disse a estrela,                                                 ...
lá da raiz do nosso coração?!...                        Um dia a vi adormecida;                                           ...
um certo espaço, porque                — "De quem é essa mentirinha mais bonita do           vem o seu anjo da guarda     ...
tem pena de minha filha,                    Será das doze de branco,       da filha de meus amores                   ou da...
No seu rostinho velho e descarnado         FRANCISCO, MEU PAI                       Havia uns traços de imortal beleza.  C...
és um solar de aparições malditas,                  MISTÉRIO uma lareira onde morreram brasas.. .                         ...
mera, fugaz perturbação.            Nas águas escuras do rio deserto…         Coisas de velho coração...       Tornavam su...
―Santíssima Virgem! Tem pena de mim!…               Milagre! Milagre! Fazei vosso lanços,     Rainha celeste!Tem pena de m...
O outro Junho chegou... E ela partia                   tão forte, que ainda sinto o seu abalo, morta, no seu caixão, magoa...
Concursos de TrovasXXXIII CONCURSO DA ACADEMIA DE TROVAS                  São Simão/SPDO RIO GRANDE DO NORTE – ATRN – 2013...
As trovas devem ser endereçadas aos respectivoscoordenadores (sistema de envelopes, colocando-se, em                   1.3...
Prêmios: Serão concedidos para cada um dos TEMAS – Troféus eDiplomas para os cincos primeiros colocados, cinco Menções    ...
“PROFESSOR (A, AS, ES)” (Líricas/Filosóficas) e “Estudante (S)” (Líricas/Filosóficas)                                ENDER...
B - POESIA OBRIGADA A MOTE                                               4 - Todos os trabalhos deverão trazer na primeira...
modalidades, se considerar que a qualidade dos trabalhos apresentados      Nacional (para os demais Estados)não é consentâ...
III CONCURSO DE TROVAS DE CAMPOS DOSJOGOS FLORAIS DE RIBEIRÃO PRETO – 2013                            GOYTACAZES Prazo: at...
Rua Grão Pará, 212                                          XII CONCURSO DE TROVAS DOCEP 90850-170                        ...
enviar paragislainecanales@gmail.com e                                                 TEMA: "IGUALDADE"ColibriRosebelle@a...
1. O Concurso de Trovas, exclusivamente aberto a                                 São Gonçalo/RJTrovadores do Estado do Rio...
1.º CONCURSO DE QUADRAS POPULARES DO                             Haverá ainda 10 menções honrosas cujos poetasCLUBE DA SIM...
Participe com suas trovas                                                      Trovas Legendas de Eliana Jimenez (Santa Ca...
Trova Brasil - Adelmar Tavares
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trova Brasil - Adelmar Tavares

1.505 visualizações

Publicada em

Editor: José Feldman

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.505
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trova Brasil - Adelmar Tavares

  1. 1. Adelmar Tavares Rei das Trovas Para definir o Poeta, Só mesmo em versos defino. - É um homem que fica velho, com o coração de menino... Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti (Recife, 16 de fevereiro de 1888 — Rio de Janeiro, 20 dejunho de 1963) foi um advogado, professor, jurista, magistrado e poeta brasileiro. Ocupou a cadeira11 da Academia Brasileira de Letras, onde foi eleito em 25 de março de 1926. Filho de Francisco Tavares da Silva Cavalcanti e de Maria Cândida Tavares. Ainda como estudante de Direito pela Faculdade de Direito do Recife manifestou interesse pelaimprensa colaborando como redator no Jornal Pequeno. Formou-se no ano de 1909. No ano seguintemudou-se para o Rio de Janeiro, que na época era a capital do Brasil, onde veio a ocupar importantescargos, como os de professor de Direito Penal na Faculdade de Direito do Estado do Rio de Janeiro, depromotor público adjunto (1910), de curador de resíduos e testamentos (1918), de curador de órfãos(1918 a 1940), de advogado do Banco do Brasil (1925 a 1930), de desembargador da Corte de 2
  2. 2. Apelação do Distrito Federal (1940) e finalmente o de presidente do Tribunal de Justiça (1948 a1950). Mesmo exercendo a magistratura, Adelmar Tavares sempre colaborou com a imprensa,tornando-se conhecido em todo o país por suas trovas. É considerado, até hoje, aquele que mais sededicou a esse gênero poético no Brasil. Suas trovas sempre mereceram referência na histórialiterária brasileira. Sua obra poética caracteriza-se pelo romantismo, lirismo e sensibilidade. Ostemas mais comuns estão relacionados à saudade e à vida simples junto à natureza.Mais Sobre AdelmarPrefácio do Livro 100 Trovas de Adelmar Tavares, por Luiz Otávio. Adelmar Tavares da Silva Cavalcanti nasceu em Recife em 16 de fevereiro de 1888. Sobre o seu nascimento escreveu Maria de Lourdes Costa, na "Gazeta Comercial" de Juiz deFora, em 1959: "Há setenta anos passados, no 3º andar da rua Santo Antônio, em Recife, num sobradoazul salpicado de estrelas brancas, onde havia uma casa de fazendas chamada: "Loja das Estrelas",nascia o maior trovador do Brasil: ADELMAR TAVARES da Silva Cavalcanti." E continua: "Ele própriodescreve: "Nossos familiares brincavam com meu pai, dizendo: "Tavares, o menino vai ser poeta.Nasceu nas estrelas... Adelmar fez os seus primeiros estudos em Goiana (Pernambuco). Transferiu-se para Recife com11 anos. Estudou no Colégio XI de Agosto e no Instituto Pernambucano". Formou-se em Direito em1910. Em Recife, com outros colegas de Faculdade, publicou o seu primeiro livro, em 1907, quandotinha apenas 19 anos. O volume intitulava-se "Descantes", compunha-se de trovas e os seuscompanheiros eram: Carlos Estevão, Manoel Monteiro, A. Silveira Carvalho e Moreira Cardoso. Veio para o Rio de Janeiro logo depois de formado. Nesta cidade ocupou o cargo de adjunto dePromotoria Pública, de advogado do Banco do Brasil e foi, mais tarde, presidente do Tribunal de 3
  3. 3. Justiça do Distrito Federal e professor da Faculdade de Direito de Niterói. Em 1926 foi eleito para aAcademia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira nº 11 que tem como patrono Fagundes Varela. Conheci Adelmar Tavares; há mais de vinte anos, apresentado pelo nosso amigo comum - opoeta A. J. Pereira da Silva. Se antes já apreciava o trovador, nesses vinte anos a minha admiraçãocresceu e foi-se solidificando a amizade. Em 1947, assim iniciava uma crônica sobre o seu livro "Poesias Escolhidas": "Se deixar correrlivremente o pensamento, eis as idéias que o nome de Adelmar Tavares me sugere: ... trova...emoção... bondade... ternura. . . " Em 1951 escrevia eu: "Adelmar Tavares é considerado, com inteira justiça, o Príncipe da TrovaBrasileira. Suas quadras, nascidas de um coração emotivo, são simples e puras, sem preocupaçõestécnicas e preciosismos. Andam anônimas, na boca do povo e são admiradas e elogiadas por críticos,leitores e trovadores. Profundamente lírico, possui trovas sentimentais e conceituosas que enternecem efazem meditar." E ao receber o seu "Ramo de Cantigas" assim terminava o artigo que escrevi sobre o livro, em1955: "... E quantas, nesse "Ramo de Cantigas" poderiam ser citadas?! Quase todas. . . diria, semexagero. Pois, os que compõem trovas ou que admiram esse gênero poético, sabem que AdelmarTavares é um trovador de mãos cheias.. . Repletas de trovas bonitas, espontâneas e musicais, nascidasde um coração de poeta-trovador. Suas quadras são fáceis. Fáceis de ouvir, sentir e decorar. E sãoperfeitas. Não pela preciosidade de rimas ou termos raros, mas, sim pelo sentimento, pela idéia einspiração." Além de poeta, jurista, professor, Adelmar Tavares é um dos marcos que assinalam o prestígio ea revitalização da Trova no Brasil. Pelo seu valor como poeta e pela sua posição social e literária,ajudou o reerguimento da Trova e sua aceitação como gênero poético dos mais apreciados e maisdifíceis. Desde a mocidade, com seu primeiro livro "Descantes", em 1907, até os dias que correm, em1959, Adelmar Tavares tem contribuído magnificamente para a elevação da Trova na língua 4
  4. 4. portuguesa. Já fez as suas bodas de ouro como trovador! E nesses cinqüenta anos tem sido sempre omesmo: um sincero e admirável poeta simples, cheio de ternura, - um criador riquíssimo de belastrovas! Neste meio-século como o mundo se transformou! E o menino de Goiana e jovem estudante deRecife como subiu! Advogado, professor, presidente do Tribunal de Justiça, membro da AcademiaBrasileira de Letras. E, no entanto, apesar das modificações do mundo e de sua própria vida, guardoucarinhosamente o seu grande amor à Poesia, conservou permanentemente a sua fidelidade à Trova. O valor da Poesia de Adelmar Tavares, a aceitação de suas trovas, quer nos meios literários,quer nas esferas populares, são fatos tão conhecidos que não necessitam de provas. Mas o quecontarei a seguir é tão expressivo que não deveria guardar só para mim: Quando em 1956 publiquei"Meus Irmãos, os Trovadores", na Introdução pedia que os leitores ou poetas me enviassem a relaçãodas 250 trovas (entre as duas mil) que mais lhe tivessem agradado. Os três primeiros votantes forampoetas e das duas mil quadras apenas quatro restaram com a votação unânime dos três. E dessasquatro trovas três pertenciam a Adelmar Tavares, que no livro tinha mais de seiscentoscompanheiros. Ao receber a quarta relação, também de um poeta, vi que só restava uma única trovacom a votação unânime dos quatro. Essa trova era também de Adelmar e, por coincidência, era a nº 1do livro que recebera tal numeração sem intuitos de preferência ou prioridade. Transcrevo-a aquipara matar a natural curiosidade do leitor: "Para matar as saudades, fui ver-te em ânsias, correndo... - E eu que fui matar saudades, vim de saudades morrendo.. ." Fica assim comprovado o grande prestígio das trovas de Adelmar entre poetas e trovadores. 5
  5. 5. Por outro lado, o seu prestígio popular é muito grande. Eis um exemplo no meio de muitos.Tendo eu organizado um "Inquérito sobre trovas populares (anônimas)" em todos os MunicípiosBrasileiros, feito oficialmente pelo IBGE, notei o seguinte fato, muito interessante: chegavam-me àsmãos muitas trovas, como anônimas, e que na realidade pertenciam a trovadores meus conhecidos,entre eles, com maior freqüência, as de Adelmar Tavares. E no meio delas, talvez com maiorinsistência aquela citada acima.- "Para matar as saudades", e outras também dele, como esta, vindado Município de Ourém, no Pará, citada de memória, por Pacifico da Costa: "É nossa alma uma criança, que nunca sabe o que faz, quer tudo que não alcança, quando alcança, não quer mais." Do Maranhão - Município de Paranarama, ouvida em Rosário, num Coco do Mato, Hilton Piresde Castro envia-nos esta, como anônima: "A imagem de nossas almas está nas águas profundas, quanto mais tristes mais calmas, quanto mais calmas" mais fundas." Do Piauí - Município de Floriano, Messias Alves Feitosa manda-nos esta com a informação: "depoeta desconhecido", o que constitui o maior galardão dos trovadores: "Tu censuras de minha alma 6
  6. 6. esse alvoroço, esse ardor... Quem tem amor e tem calma, tem calma ... não tem amor..." De Itatira, no Ceará, recebemos esta outra, como anônima: "Todo rio na corrente busca um lago, um rio, um mar. Mas o destino da gente quem sabe onde vai parar?" ... E assim poderíamos ir correndo as fichas de todo o Brasil e nos diversos Estados, em todos osrecantos, encontraríamos uma trova de Adelmar Tavares aflorando, anônima, na boca do povo... ...E que alegria e glória maior para um trovador do que essa de ouvir as suas próprias trovas naboca do povo?! O próprio Adelmar, saudando o grande trovador português Antônio Correia deOliveira, na sua chegada ao Brasil, compôs várias quadras e entre elas havia esta, que serveperfeitamente para o seu autor: "Porque és um Rei de verdade. - Nem há reinado maior, que o reinado de um poeta, que o povo sabe de cor.. . Não cabe na pequena extensão deste trabalho uma análise minuciosa das trovas do nossobiografado. Vejamos assim, rapidamente, a maneira de trovar de Adelmar Tavares. O que, em 7
  7. 7. primeiro lugar, ressalta aos nossos olhos é o seu carinho e amor pela Trova e, ao mesmo tempo, comodisse anteriormente, a sua fidelidade a esse gênero. Na Introdução de "Um Ramo de Cantigas" eleconfidencia: "A trova foi sempre, das formas de poesia, a que mais me tocou a sensibilidade, porque foia poesia dos lavradores de meu velho engenho pernambucano, a poesia daquelas violas inesquecíveisque fizeram o enlevo da minha meninice, e levarei comigo dentro da alma até o último bater do coração." E esse carinho fica evidenciado nestas palavras simples e saudosas, a respeito de seu livro"Descantes": "Isso é uma saudade muito grande na minha vida ... porque essas trovas nasceram dasserenatas. . . O violão... o luar... e a serenata ... daqueles lindos tempos... A serenata era tudo para nós..." De alma lírica e coração sensível, cultuando a Trova, Adelmar Tavares é sobretudo um poetasimples. De uma simplicidade que encanta e que está presente em quase todas as suas quadras. Nãoforça a sua maneira de dizer, faz as suas trovas como se estivesse conversando. Elas nascemespontaneamente como esta: "Vivo triste, triste, triste, que mesmo nem sei dizer. - Desconfio que é saudade, que é vontade de te ver." Numa gravação feita há alguns anos, em meu poder, ele observava: "A trova quando é eruditademais não é propriamente trova... A trova não precisa ter essa erudição profunda porque perdeassim o seu espírito, aquele espírito de que o Luiz Otávio falava ainda há pouco..." Além da simplicidade as suas trovas são sentidas. Têm alma, têm sentimento. Vejam, porexemplo: 8
  8. 8. "Neste mundo, a certas vidas, a morte seria um bem, mas até a própria morte se esquece delas também." Por outro lado seus versos agradam porque possuem melodia. São musicais, no ritmo e nossons. Sintam toda a beleza, sonoridade e poder sugestivo desta miniatura: "Duvido que alguém no mundo, olhe sem melancolia, uma vela no horizonte, lá longe... no fim do dia..." Simplicidade, sentimento, música... Com estas três chaves milagrosas vai Adelmar Tavaresabrindo o coração do povo e nele aninhando as suas trovas.. . Tão suavemente que o povo, muitasvezes, não grava o seu nome... mas guarda as suas trovas ... Disse-me ele: "Esse é o destino dastrovas: é perder o seu autor... é cair na boca do povo ... O povo toma a trova do autor.. . Eu apenascompletaria: é o destino das boas trovas... " O caráter predominante de suas trovas é o lirismo. O seu cantar é suave, geralmente cheio deternura e de bondade. Ele mesmo confessa: "Quem dera que minhas trovas, andassem peloscaminhos, consolando os desgraçados, dando pão para os ceguinhos. . . " Na sua mocidade cantou o amor lírica e apaixonadamente. São inúmeras as suas trovas sobre oamor, a saudade, ou para a mulher amada. Vejamos apenas uma, tão delicada e sugestiva: "Quando vejo o teu sorriso, 9
  9. 9. tudo se doira e aligeira. Teu sorriso é na minha alma, como o sol numa roseira." Além dessa faceta lírica, sentimental, o Rei da Trova Brasileira é também um trovadorconceituoso. Compõe muitas quadras profundas. Daquelas que o leitor lê, repete mentalmente e fica ameditar... Entre outras: "Ora a Vida! ... Deixa-a andar." ou "A imagem de nossas almas", ou "Todo orio na corrente" ou esta, tão profunda e triste: "A morte não é tristeza, é fim, é destinação. - Tristeza é ficar na vida depois que os sonhos se vão...” E a trova satírica estará também entre os motivos constantes de sua inspiração? - Não, ela nãose harmoniza bem com a alma pura, com o coração ingênuo e sem maldades de Adelmar Tavares. Elenão é contra a trova satírica, humorística, bem feita. Em 1953 me dizia: "Essa trova satírica é usadamuito pouco. Quem no Brasil fere, às vezes, essa trova mordaz e que eu aprecio imenso, porque è umdos nossos maiores trovadores, é Bastos Tigre. O Bastos Tigre tem coisas admiráveis... Tambémmagnífico é Djalma Andrade... E uma das grandes vozes trovadorescas nossas..." E terminava:"Quando essa trova (a satírica) é feita sem talento é chalaça. . . " Com o que concordamos. Às vezes, -muito raramente - ele usa uma leve ironia, como naquela: "Proclamas teu amor-próprio" ou "Tucensuras de minha alma" ou ainda: "Amar com ciúme... Quem ama?!" Em algumas a ironia é dirigida asi próprio, como em: "Para esquecer-te, outras amo". Há um tipo de trova, tão raro - ou mais ainda -do que a satírica, e que Adelmar usa com talento e felicidade. E a trova sugestiva, pictórica. A trova 10
  10. 10. que faz lembrar o "hai-kai" japonês. O poeta dá leves pinceladas sugere... e o leitor, sensível einteligente, captará a semente de Poesia e fará com que floresçam em seu coração as mais belas rosasque eram contidas naquela semente... Eis um sugestivo exemplo: "Se eu pintasse minha infância, pintava, num sol de estio, a sombra de uma ingazeira, debruçada sobre um rio." Eis aí, prezados leitores, um resumo da vida de Adelmar Tavares, um breve estudo de suastrovas e a citação de alguns de seus pensamentos revelados em palestras íntimas, despreocupadas. Éclaro que o nosso ilustre e conhecido poeta não necessitava de apresentação. Mas, cumprindoprazerosamente um dos itens da regulamentação da COLEÇÃO TROVADORES BRASILEIROS foi comimensa satisfação que reli as suas trovas e escrevi estas palavras para o seu livro. Palavras sembrilho, é verdade, mas, assim como as trovas de Adelmar, espontâneas e nascidas na profundidade denosso coração.Fonte:JORGE, J. G. de Araujo e OTÁVIO, Luiz (organizadores). 100 Trovas de Adelmar Tavares. RJ: Editora Vecchi, 1959.Coleção Trovadores Brasileiros. volume 5. TROVAS A dor que em prantos rebente, Afeições enternecidas, dói, mas pode consolar... Meus derradeiros amores!... - Mas a dor que a gente sente Deus vos salve, mãos queridas, de olhos secos, sem chorar?! Que me cobristes de flores!... 11
  11. 11. Alguém pede que lhe ensine, Amar com ciúme... Quem ama?!... a fazer versos também, Quem ama assim, desconfia... viva e sofra, ame e padeça, - Mas quem tais coisas proclama, e espere que o verso vem... se amasse, não nas diria. A imagem de nossas almas Amar é obra perdida está nas águas profundas, mas, que dissessem, queria,quanto mais tristes, mais calmas; se não fosse amar na vida,quanto mais calmas, mais fundas. a vida, que valeria?! A inveja tem seu castigo, A morte não é tristeza, Deus mesmo é quem retribui; é fim, é destinação. enquanto o invejado cresce, - Tristeza é ficar vivendo, o invejoso diminui… depois que os sonhos se vão. Alguém já disse, e é verdade, Amor que eu saiba em vitória, que o sentimento do amor, No rumo do firmamento, ou se faz eternidade, Deve perder toda escória ou então, não é amor... No fogo do sofrimento. A luz desse olhar tristonho Amor vence espinho, ultraje, dos olhos teus, faz lembrar Agravo, calúnia e lama. essa luz feita de sonho Amor puro é Deus que age que a lua deita no mar. No coração de quem ama. 12
  12. 12. Aos que me foram ingratos, Bem sei que amar custa muito, eu grato lhes hei de ser, custa a vida querer bem, pelo bem que me fizeram mas custa o dobro da vida, no bem que eu pude fazer. na vida não ter ninguém. Ardemos na mesma flama, Celeste amor que perdura sofrendo da mesma Dor!... Atende a roteiro assim:- E é isso que a gente chama Ilimitada ternura felicidade de amor... No entendimento sem fim. As penas em que hoje estou, Chagas de amor que se elevadisse-as ao Sol, - fez-se triste. Recordam Cristo na cruz... Disse-as à noite - chorou. De cada golpe da treva Disse-as a ti, e sorriste... Jorra uma fonte de luz. A saudade é uma andorinha, Coração, fonte da Vida,que ao morrer do sol a chama, da vida a própria razão. as asas tristes aninha - E tanta gente eu conheço, no coração de quem ama ... vivendo sem coração... A Ventura que hei buscado De amor... Amor é infinito! pela Vida, sempre em vão, Do encanto do seu poder, que vezes não tem passado tanta coisa se tem dito!... à altura de minha mão! ... - E há tanta coisa a dizer... 13
  13. 13. Depois de mandar-te embora, Dos desertos deste mundo, foi que - cego! - percebi, sei do mais desolador que eras a felicidade, - Uma alma sem esperança? que eu tinha em mão, e perdi. - Um coração sem amor... Depois que, Mãe, te partiste, Dos meus avós portugueses, como uma Santa em seu véu, de certo ninguém duvida, o céu que eu via tão longe, trouxe este amor pela trova, ficou mais perto, e mais céu... que hei de trazer toda a vida. Dizem que há mundos lá fora, Duvido que alguém no mundo, que eu nem sonho... Nunca vi... olhe sem melancolia,- Mas que importa todo o mundo, uma vela no horizonte, se o meu mundo é todo aqui?! lá longe... no fim do dia... Dizer adeus nada custa, Duvido que alguém se deite, alguém me mandou dizer. no embalo que a rede tem, Mas quem diz que nada custa, e pegue logo no sono, queira bem e vá dizer. sem pensar em quem quer bem... Do mundo quando te fores, Encerram certos sorrisosmais que outra glória qualquer, tristeza tão singular, deixa a sombra de tua alma, que, em se vendo tais sorrisos, num coração de mulher. dá vontade de chorar... 14
  14. 14. É nossa alma uma criança, Há nos teus olhos escuros, que nunca sabe o que faz. o escuro da Ave-Maria. Quer tudo que não alcança, Desconfio que teus olhos,quando alcança, não quer mais são os de Santa Luzia... Essa tua boniteza, Já lá vai morrendo o dia, não tem, no mundo, rival. e hoje ainda não te vi. - Pastora da minha Festa, - O dia em que não te vejo, - Meu presépio de Natal! é dia que não vivi... Eu falei da "flor morena" Lindo luar no céu flutua... e entrou a rir quem me ouviu. Ao violão, canto os meus fados,- Quem nunca viu flor morena, que Deus fez noites de lua foi porque nunca te viu... para os que são namorados. Eu vi o rio chorando, Mãe, que meus versos incensam, quando te foste banhar, quando eu vim do mundo à luz por não poder, te banhando, foi na cruz de tua bênção, dar-te um abraço, e parar. . . que eu vi a vida uma Cruz. Grande dia, este meu dia, Mesmo nos jardins da vida, dado por Nosso Senhor. desde a minha meninice, - De manhã, escrevi versos nunca alcancei uma rosa, De noite, vi meu amor. que o espinho não me ferisse. 15
  15. 15. Meu coração, pobre tonto, Não há riqueza que valha que eu não entendo sequer, um coração de mulher...fazes morrer quem te adora, Que eu por um, vivo os meus dias,morres por quem não te quer! e todos que Deus me der. Minha camisa velhinha, Não lamento a minha lida, lavada à flor de melão, nem, pobre, choro os meus ais; tira-me o peso da vida, - Quem tem um amor na vida, faz-me leve o coração. tem tudo! Para quê mais? Minha viola, meu cavalo, Não quero na minha morte, a lavoura dando flor, nem pompa, nem mausoléu. Maria, dentro de casa ... Quero uma covinha rasa, - Louvado seja o Senhor! que abra os braços para o céu. . .Morte!... No termo das provas, Não quero ouvir o teu nome, Senhor, agradeço a luz nunca mais te quero ver!Com que adornaste de trovas - E passo a vida pensando, As trevas de minha cruz! a forma de te esquecer. Na janela do teu quarto, Não se dá regras à trova, a luz da manhã transborda. que a trova regras não tem. Bem-te-vis estão gritando: A trova é simplicidade, Preguiçosa, acorda, acorda! ela vai, como nos vem... 16
  16. 16. Não sei por que, quando canto Nunca vi dizer ser pobre por mais alegre a canção, quem come em paz o seu pão, tem uma gota de pranto, quem toca sua viola que vem do meu coração. sem peso no coração Nem sempre com quatro versos O laço de fita preta setissílabos, a gente dos teus cabelos, faceira, consegue fazer a trova; parece uma borboleta faz quatro versos somente. pousada numa roseira... Neste mundo, a certas vidas, Ó linda trova perfeita, a morte seria um bem, que nos dá tanto prazer, mas até a própria morte tão fácil, - depois de feita se esquece delas também. tão difícil de fazer. Ninguém se queixe da Sorte, Ó lindos olhos magoados,que Deus de ninguém se esquece. de tanta melancolia. Cristo nasceu para todos, - Da tristeza desses olhos, cada qual, como o merece... é que vem minha alegria. No momento derradeiro, Ó meu amor! Ó saudade! Antes do sono feliz, - E eu não sabia que amor Compus em gotas de pranto era uma felicidade A trova que nunca fiz. disfarçada numa dor. 17
  17. 17. Ó Mundo! Ó Mundo! Ó meu Mestre! O regozijo da morte Muito me ensinas viver, Que ninguém sabe dizer e quanto mais tu me ensinas, Tem a beleza da noite mais eu vejo que aprender!... No instante do amanhecer. Onde anda o corpo, é verdade, Os "anjos da guarda" gostam vai a sombra pelo chão... da rede dos pobrezinhos, É assim também a saudade, que dormem a sono solto, a sombra do coração. ao Deus dará, nos caminhos O perfume do teu lenço Os búzios guardam das águas trago comigo na mão. do mar, os fundos gemidos. Mas o cheiro da tua alma, - Assim fossem minhas mágoas, dentro do meu coração. guardadas nos teus ouvidos... Ó quaresmeira viuvinha, O sol é que faz o trigo; toda coberta de flor! e o trigo, que faz o pão. Quando a viuvinha se enfeita Mas se o trigo se faz hóstia, é que pressente outro amor. faz-se sol no coração ... Ora a Vida! ... Deixa-a andar, Ouvi, alguém que dizia: não queiras da vida ter -Lá se vai o poeta morto, o que ela não possa dar, Sem perceber a alegria nem tu possas merecer... Do sonho chegando ao porto. 18
  18. 18. Para de amor cantar mágoas, Pouco me dá que se diga foi que se fez o violão, meu verso fora da moda, que a gente aperta no peito, meu verso é apenas cantiga e encosta no coração... de cirandas, e de roda ... Para esquecer-te, outras amo, Quando a trova nos transmite mas vejo, por meu castigo, seu feitiço singular,que qualquer outra que eu ame, a gente lê, e repete, parece sempre contigo. e depois, fica a pensar. . Para matar as saudades, Quando eu morrer, levo à covafui ver-te em ânsias, correndo ... dentro do meu coração, - E eu que fui matar saudades, o suspiro de uma trova, vim de saudades morrendo. e o gemer de um violão. Por que, pela humanidade, Quando vejo teu sorriso, só o eu, soa e ressoa? ... tudo se doira e aligeira. - É que há um sapo agachado, Teu sorriso é na minha alma, dentro de cada pessoa. como o sol numa roseira. Proclamas teu amor-próprio, Quanto amor me prometeste! se alguém te diz minha dor. - Nas tuas cartas, que ardor!- Essa questão de amor-próprio, Depois ... tudo isto esqueceste, é muito imprópria no amor... - Coisas de cartas de amor... 19
  19. 19. Que contraste tem a Sorte! Renúncia de amor profundo No mundo, que ingrata lida! Guarda sublime troféu: - A Vida chorando a Morte Transforma pedras do mundo E a Morte rindo da Vida... Em construções para o Céu. Quem dera que minhas trovas Saudade - doce transporte andassem pelos caminhos, da alma adejante e ferida... consolando os desgraçados, - É viver dentro da morte!dando pão para os ceguinhos ... - É morrer dentro da vida! Quem ri do poeta, não sabe, Se Cristo nasceu pra todos, o consolo que ele tem. sua luz a todos vem. E o dia em que fosse triste, Vive o rico na riqueza, faria versos também. mas vive o pobre também... Quem tiver amor, esconda Se eu pintasse minha infância, faça por muito esconder, pintava: num sol de estio,que as coisas da alma da gente, a sombra de uma ingazeira, ninguém carece saber... debruçada sobre um rio.Que tens tu, que és tão sombrio, Sei que amor é sofrimento, e hoje a rir, alegre, assim? ... custa a vida querer bem, - Mal sabem que só me rio, mas custa o dobro da vida, porque riste para mim . na vida não ter ninguém. 20
  20. 20. Sempre que a felicidade Sou nesta tarde da vida, passa no meu coração, cheio de saudades minhas, é como sobre um presídio, como um telhado de igreja, a sombra de um avião. todo cheio de andorinhas.Sempre que alguém abre os braços Teu cego de caridade, para amparar uma dor, chora não te conhecer, luz nesses braços abertos e a minha infelicidade a cruz de Nosso Senhor. foi ter olhos e te ver... Seria a glória das glórias, Tristeza! Minha tristeza! se um dia alguém me dissesse, Doce amiga dos meus ais. ter chorado neste mundo, Só de ti tenho a certeza lendo um verso que eu fizesse. que não me abandonarás... Só peço o dia em que eu morra, Todo rio na corrente, faça uma noite de lua, busca um lago, um rio, um mar... todo troveiro descante, Mas o destino da gente, todo violão saia à rua! quem sabe onde vai parar? Sou jardineiro imperfeito, Trova que vens novamente pois no jardim da amizade, encher o meu coração,quando planto um amor-perfeito, - Sé bendita, luz divina, nasce sempre uma saudade. . . amor de consolação. 21
  21. 21. Trovas, - cantigas do povo, Uma vez que a gente cante alma ingênua dos caminhos dizendo o que o povo diz, de lavradores. . . cigarras ... a trova fica contente, mulheres... e passarinhos ... a trova fica feliz. . .Trovas, trovas da minha alma! Um cego me disse um dia, Da vida quando eu me for, que Poesia, inspiração, sede o humilde travesseiro, era uma lua nascendo, do sono de um sonhador. de dentro do coração. Tua mãozinha morena, Vi hoje uma árvore velha, se a tomo, tenho a impressão, toda coberta de flor... de uma rolinha cabocla - E me lembrei de minhalma, dormindo na minha mão cheia de sonhos de amor. Tu censuras de minha alma, Vivo triste, triste, triste, este alvoroço, este ardor... que mesmo nem sei dizer. Quem tem amor e tem calma, - Desconfio que é saudade, tem calma... não tem amor... que é vontade de te ver.Tu vais passando, orgulhosa!... Vou vivendo a minha vida, Nunca vi soberba assim. como Deus quer e consente. - Ai de ti, por tanto orgulho. - Sou como a folha caídaPor tanto amar-te, ai de mim! ... levada pela corrente... 22
  22. 22. AS ESTRELAS Mas não sei que disse a estrela, que há, desde essa ocasião, No céu, - frente à sua casa, bem defronte à sua casa, primeira vez que a beijei, toda uma constelação... brilhava, linda, uma estrela... ===================== ninguém nos viu, bem o sei. OUTROS VERSOS A CIDADE DE RECIFE dá que eu durma o meu sono no teu seio, como um seio de Mãe que ama e perdoa... Pátria do meu amor! Recife linda, como te guarda o meu saudoso olhar! AMORVelas ao longe... Os coqueirais de Olinda, e uma terra a nascer da água do mar... Querer que o amor seja eterno, é querer eterna a primavera. Júlio DantasUm céu de estrelas que entrevejo ainda. Sob as pontes, o rio a se estirar... Todo amor dura, apenas, um segundo, Noites de lua... que saudade infinda...brancas... que dão vontade de chorar... ou quando dura muito, - uma estação. É como a Primavera o amor no mundo,Filho ingrato, parti... Mas nem um dia, querê-lo, eternamente, uma ilusão.deixei de te lembrar, por mundo alheio, Chega... Perfuma tudo... O charco imundo onde me trouxe a glória fugidia. faz em jardim, e passa... É um sonho vão.Pátria, quando eu morrer, piedosa e boa, - Mas o amor-sofrimento?!... O amor-profundo, 23
  23. 23. lá da raiz do nosso coração?!... Um dia a vi adormecida; muito mais leve que na vida Amor que sendo angústias sufocadas, havia sido - o meu amor... ama cada vez mais, sereno e forte, Pois que da Terra se partira.e acha encanto nas lágrimas choradas?!... tal como o incenso, - de uma pira, como o perfume,- de uma flor. - Esse, há de eterno, pelo seu sofrer, arder por toda a vida, até a Morte, A REDE DE DORMIR para no além da Morte, reviver... Para dormir numa rede, A QUE AMEI cumpre logo prevenir, não é chegar e deitar, (Lendo Paul Neel) nem é deitar e dormir. "Elle était blanche, elle était blonde." A rede é como o cavalo, que para a gente montar, Ela era branca, loira e fina... tem que primeiro amansá-lo Uns gestos moles de cansaço, para depois governar... Como quem sonha a paz divina, E ensaia o vôo para o Espaço... Tem de procurar o jeito de deitar enviesado Ingênua, como uma menina, pois não dando esse jeitinho quando a levava pelo braço não está, em regra, deitado... era tão diáfana, e franzina, que eu nem sequer lhe ouvia o passo. E em deitando, deixe sempre, 24
  24. 24. um certo espaço, porque — "De quem é essa mentirinha mais bonita do vem o seu anjo da guarda mundo? deitar, dormir com você. — "De quem é essa mentirinha tão querida, gente?" AS INGÊNUAS, DELICIOSAS MENTIRAS E depois, num abraço bem apertado, numa efusão, Que bem fazem à gente certas mentiras enterrá-las, como um tesouro de felicidade, Essas pequenas, ingênuas deliciosas mentiras... no coração. Essas mentirinhas bebês, redondinhas, rosadas e frescas... A VIDA TEM DOIS CAMINHOSA dos médicos para seus enfermos desenganados: — "Mas está excelente! Vai sarar!" A vida tem dois caminhos. A dos amigos para os nossos poemas: Um, todo cheio de flores, — "Cortei na revista... Guardei-o comigo". todo cheio, outro, de espinhos... E sobre todas, as da criatura amada que justifica, no reclamo da saudade: Uns pela estrada florida, — "Sonhei contigo a noite inteira... e estou passam, bem longe das dores, intranqüila... Vem!..." só tendo flores na vida. Meu Deus do Céu, que imenso bem!... A gente tem vontade de pegar essas mentirinhas Outros, bem tristes, se vão, como aos bebês, trazendo os pés nos espinhos, redondinhas, rosadas e frescas, e espinhos no coração. e atirá-las para o alto, pelos braços, * às momices e aos beijos... Deus! Senhor dos dois caminhos da vida que a gente trilha, 25
  25. 25. tem pena de minha filha, Será das doze de branco, da filha de meus amores ou das que de negro estão?!... que é tão pequenina, assim... Qual virá, vindo o meu dia, Junca-lhe a estrada de flores! pousar a mão no meu peito, Deixa espinhos para mim! parando o meu coração?!... CIRANDA FELICIDADE ... e, embora irmãs, No teu palácio de vitrais preciosos,não se vêem, não se dão, não se parecem espelhos altos, e tapeçarias, as doze tecelãs... tu, milionário, entre cortesanias, Guilherme de Almeida vives os teus momentos caprichosos. Vejo a ciranda das horas, Braços vendidos e mentidos gozos, moças lindas a cantar... de amores fáceis, enches os teus dias. doze vestidas de branco, Mas, passada a delícia das orgias, umas de flores na testa, vês, protestos e beijos, mentirosos. outras de flores na mão... E, no balanço da dança, E ah! quantas vêzes, solteirão, cansado, quando uma vem, outras vão... invejarás o "guardador de gado" que pelo escurecer, sem falsos brilhos, Horas do dia e da noite... Ó vocês! ... Lindas que são! ... volta para a cabana, e alegre janta, Qual será mesmo a minha Hora, cachimba um pouco, afina a viola, e canta minha hora de Redenção?!... para o amor da mulher, e o amor dos filhos... 26
  26. 26. No seu rostinho velho e descarnado FRANCISCO, MEU PAI Havia uns traços de imortal beleza. Como que o vejo... O chapelão caído Moça — trouxera o bairro enamorado, Sobre a cabeça branca de algodão... Trovadores chamaram-lhe — princesa!Buscando o campo, — o dia mal nascido, Não bebeu nunca o vinho do Pecado Voltando à casa, o dia em escuridão. Nem na alma trouxe uma paixão acesa. Lavrador, fez da terra o ideal querido. Dá que eu possa beijar-te as mãos piedosas! "Meu filho, a terra é que nos dá o pão", Por esta vida muito padeceste, Dizia-me. E cavava comovido, Deitando bênçãos e plantando rosas! A várzea aberta para a plantação... Tu, que a bondade dos arcanjos tinhas, Mas um dia, eu, pequeno, vi, cavando, Levas na morte este fulgor celeste Sete palmos de campo, soluçando, Das que se partem virgens e velhinhas! Uns homens rudes... Tempo que já vai! MAIO "Francisco, adeus"! Diziam repetindo. Meu pai desceu de branco... Ia dormindo Que sensações estranhas, esquisitas,Fechou-se a terra... E não vi mais meu pai! como um desejo de também ter asas, para ser como os pombos sobre as casas, MÃE TERESA toda vez, Maio em flor, que me visitas ! Morava neste sítio abandonado, Tu, minhalma, na dor em que te abrasas, Perto da minha casa, "Mãe Teresa"; dentro da escuridão em que te agitas, 27
  27. 27. és um solar de aparições malditas, MISTÉRIO uma lareira onde morreram brasas.. . "Conheço um coração, tapera escura." Maio, carregas mágoas e venturas, Bilac. (Tarde) flores aos laranjais e às sepulturas, fecundas cravos e fecundas goivos... A Clementino Fraga Até as tanto das paixões as chamas, Que voz foi essa em meu ouvido? quanto de fria solidão derramas, Alguém falou no meu ouvido...dentro dos corações que foram noivos… Que doce e estranha vibração toma-me, agora, o coração?... MÃOS FRIAS - Ninguém falou no teu ouvido... Mãos frias, coração quente, Esses rumores todos são, Mãos quentes, coração frio. mistério sem explicação, Diz isso o adágio prudente, coisas de velho coração... Grave, solene e sombrio. Mas esse aroma revivido Dessas palavras fulgentes, ao meu olfato? A exalação Eu tenho a prova, não rias. que estou sentindo, de um vestido, As tuas mãos são tão quentes, que era o jasmim do seu vestido, As minhas mãos são tão frias… que me não mente o coração? - Oh, nada sentes!... Nada... Não... Esses perfumes todos são, do teu espírito abatido, 28
  28. 28. mera, fugaz perturbação. Nas águas escuras do rio deserto… Coisas de velho coração... Tornavam subindo… descendo… a tentar! Lançavam as redes… Puxavam as redes… Ah que bem disse um Poeta, um dia, E as redes vazias! Sem nada pescar! que o triste, humano coração, Os homens não tinham peixe quando com o tempo envelhecia, Para o conde de Assumar. era também casa vazia, de assombração... Domingos Garcia, caboclo valente, Com os braços de ferro, tocava a empurrar NOITE CHEIA DE ESTRELAS A triste canoa, sem nada pescar. Pedroso gritava para os companheiros, A noite baixou silente... Que logo cortaram as águas escuras E então, cantei tristemente Do rio deserto… As mágoas para esquecê-las... ―Oh! lá, companheiros! E a noite ouvindo o meu canto Oh! Lá, canoeiros! Que era a música de um pranto Que novas a dar?! Que novas a dar?!‖ Encheu-se toda de estrelas. E a mesma resposta caía da noite,O MILAGRE DE NOSSA SENHORA APARECIDA Nos barcos vazios, sem nada pescar… Os homens não tinham peixe Os homens não tinham peixe Para o conde de Assumar!… Para o conde de Assumar. Os barcos desciam nas águas escuras João Alves, aflito, já sem esperança, Do rio deserto… E os barcos subiam Olhando as estrelas, se pôs a rezar: 29
  29. 29. ―Santíssima Virgem! Tem pena de mim!… Milagre! Milagre! Fazei vosso lanços, Rainha celeste!Tem pena de mim!… Que Nossa Senhora já me apareceu!‖ És dona dos peixes, que moram nas águas! E os homens todos tocados Ordena que venham encher nossos barcos! De uma alegria sem parQue um só dos teus gestos nos pode salvar!… Encheram os barcos de peixe, Dá-nos peixe pra dom Pedro, Para o conde de Assumar. Para o conde de Assumar!‖ Ó Nossa Senhora, que ouviste o barqueiro, E a rede atirando, com punho de mestre, Que ouviste há dois séculos, de nós não te vás! A rede nas águas se abriu em estrelas, Nem mesmo um instante, sequer, nos esqueças! Caiu… Foi ao fundo… (João Alves chorava, Tu, que apareceste, não desapareças João Alves rezava, tocado de fé!…) Daqui, desta Pátria! Jamais! Nunca Mais! Puxou de mansinho, que a rede pesava… ―São peixes! - dizia. São peixes, enfim, PRIMA AMPARO Que Nossa Senhora tem pena de mim…‖ Ela não viu a imagem na corrente,Mas, - oh!-luz estranha que vem dentro à rede! quando ao rio, em S. João, se foi banhar, É Nossa Senhora que vem dentro à rede, e voltou para casa, descontente, Do pobre, do humilde, feliz pescador, com os lindos olhos baixos, a chorar... Que louco de alegre se põe a gritar: "Morrerei o outro Junho, certamente... Oh! Lá, canoeiros! Como as "sortes" enganam ! ... "Vais casar" . Oh! Lá, companheiros! — Prima Amparo, não creia.. . Pode a gente nessas superstições acreditar ? ... Oh! Lá, pescadores que estais a pescar! 30
  30. 30. O outro Junho chegou... E ela partia tão forte, que ainda sinto o seu abalo, morta, no seu caixão, magoado o rosto, tão grande, que ainda escuto o seu fragor.o meu primeiro amor, a flor de um dia! ... VELA BRANCA Por isso, quando Junho vem chegando, choro esse esquife azul, pelo sol posto, Vela branca, vela branca, com seis moças de branco, carregando… que vais lá longe... no mar... quem me dera, vela branca, SERENIDADE que me quisesses levar para tão longe... tão longe, Nunca de mim se ouviu um só protesto que eu não pudesse voltar... de maldição, de cólera aturdida, sequer uma palavra, ou mesmo um gesto Mas uma vez, vela branca, de malquerer a quem mais quis na vida. que não me queres levar, para tão longe... tão longe... Arrasto como a um fardo, a alma ferida, que eu não pudesse voltar, e a dor que me crucia, manifesto, leva-me a saudade dela sem jamais inculpar de fementida, para o mais fundo do mar.aquela que em meu sonho amo, e requesto. Fontes: JORGE, J. G. de Araujo e OTAVIO, Luiz. 100 trovas de Adelmar Tavares. vol. 5 Em perdendo-a, perdi toda a alegria Francisco Cândido Xavier (psicografia). “Trovas Do Outro Mundo”. do coração que em mágoas apunhalo. http://www.jornaldepoesia.jor.br/@atv01.htmlPerdi a luz!... Fechou-se o sol que eu via!... http://www.academia.org.br/ TAVARES, Adelmar. Poesias completas. Luz dos meu olhos – Noite cheia de estrelas– O caminho enluarado. – Calam-se os ninhos. Rio de Janeiro: Editora A Tudo abateu com a queda desse amor, Noite. 31
  31. 31. Concursos de TrovasXXXIII CONCURSO DA ACADEMIA DE TROVAS São Simão/SPDO RIO GRANDE DO NORTE – ATRN – 2013. CEP: 14200-000Prazo para recebimento das trovas: até 30/6/2013; 3 - PARA SÓCIOS EFETIVOSTROVAS LÍRICAS E FILOSÓFICAS: Tema: MÃO.1 - ÂMBITO NACIONAL Coordenadora: Eliana Ruiz JimenezTema: AREIA. Rua 2950 n. 671 – Centro Balneário Camboriú – SC CEP: 88330-348Coordenador:José Lucas de Barros 4 - PARA SÓCIOS CORRESPONDENTES –Travessa Alda Ramalho Pereira, 1010, TirolNatal/RNCEP 59014-602. Tema: BÊNÇÃO.2 - ÂMBITO ESTADUAL Coordenador: Hélio Pedro SouzaTema: RASTRO. Rua Cel. Luciano Saldanha, 1.740, Capim Macio Natal/RN CEP 59078-390Coordenador: OUTROS INFORMES:Thalma TavaresRua México, nº 584 - Jdm. das Américas 32
  32. 32. As trovas devem ser endereçadas aos respectivoscoordenadores (sistema de envelopes, colocando-se, em 1.3 Máximo de 3 trovas (líricas/filosóficas) por concorrente,lugar do remetente, o nome de ADEMAR MACEDO); datilografando/digitando acima da trova, o tema a que concorre. 1.4 Serão consideradas as trovas recebidas até 30 de abril de 2013.Quantidade de trovas por tema: no máximo 2 (duas); 1.5 As trovas devem ser remetidas para:Festa de premiação: 3 e 4 de outubro de 2013.Responsável: XXIII Concurso Nacional e Internacional de Trovas de PindamonhangabaACADEMIA DE TROVAS DO RIO GRANDE DO NORTE- Biblioteca Pública Municipal “Ver. Rômulo Campos D’Arace”ATRN. Ladeira Barão de Pindamonhangaba, s/n – Bosque da Princesa CEP: 12401-320 – Pindamonhangaba 1.6 Temas:CONCURSO DE TROVAS DE PINDAMONHANGABA 1.6.1 Nível Regional: para trovadores domiciliados na cidade de Pindamonhangaba, demaisPrazo: 30 de abril de 2013 cidades do Vale do Paraíba, Litoral Norte e Região SerranaREGULAMENTO (Mantiqueira, no Estado de São Paulo) – RETICÊNCIA1 – Dos trabalhos 1.6.2 Nível Nacional/Internacional:1.1 As trovas devem ser inéditas, de autoria do remetente e, cada uma para os trovadores domiciliados nas demais cidades do Brasil e Exteriordelas deve ser datilografada/digitada na face externa de um envelope – FRASEbranco, que deve ser remetido fechado. Dentro de cada envelope,colocar um papel com a identificação: nome completo, endereço 1.6.3 XIX Juventrova (para estudantes)completo e assinatura. – CELULAR 1.2 Os envelopes com as trovas devem ser colocados em outro maior, 2 – Da Premiaçãopara a remessa e, este não pode ter a identificação externa do Dia: 06 de Julho de 2013.remetente. Horário: 20 horas Local: a ser confirmado 33
  33. 33. Prêmios: Serão concedidos para cada um dos TEMAS – Troféus eDiplomas para os cincos primeiros colocados, cinco Menções IX CONCURSO DE TROVAS DA UBT MARANGUAPEHonrosas e cinco Menções Especiais. , Prazo Máximo: Até 15 de abril de 2013.3 – Da Comissão Julgadora 1) ÂMBITO/MODALIDADE e TEMAS: A Comissão Julgadora será formada por trovadores de reconhecidomérito, ficando estabelecido que as trovas com o tema RETICÊNCIA O tema deve constar na trovaserão julgadas por trovadores residentes em outras regiões e Estados(São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, etc), e as trovas com o tema 1.1. Nacional/Internacional (língua portuguesa):FRASE serão julgadas por trovadores residentes em outras regiões que “DEUS” (Líricas/Filosóficas) enão as mencionadas. “SAMBA” (humor)4 – A Comissão Organizadora [uma trova por tema]4.1 A Comissão Organizadora resolverá os casos e suas decisões serão 1.2. Estadual:definitivas e irrecorríveis. “VERSO” (Líricas/Filosóficas) e “MÃO” (humor)4.2 As trovas remetidas em desacordo com qualquer item, serãoeliminadas automaticamente do concurso. [duas trovas por tema] 4.3 A simples remessa das trovas significa total conhecimento e 1.3. Municipal:completa aceitação deste Regulamento. “ALIANÇA” (Líricas/Filosóficas) e “BAIÃO” (humor)MAIS INFORMAÇÕES:Telefones: (12) 3643-2399 (Biblioteca) ou (12) 3642-3724 (José [duas trovas para cada tema]Valdez) 1.4. ABERTO (a todos os trovadores – Nacional/internacional, estadual e municipal): Destinado a homenagear a profissão de Professor: 34
  34. 34. “PROFESSOR (A, AS, ES)” (Líricas/Filosóficas) e “Estudante (S)” (Líricas/Filosóficas) ENDEREÇO PARA REMESSA DAS TROVAS:[uma trova de cada tema]. i) Por e-mail para o endereço eletrônico: ubt.mpe@gmail.com, indicando o nome do autor, e-mail, endereço completo, município e1.5. Internacional em língua hispânica: CEP. “Dios” (Lírica/Filosófica).[duas trovas por concorrente] XI JOGOS FLORAIS DE AVIS/PORTUGALOBS: a) Os trovadores de outros Estados/países poderão enviar trovas de Prazo Máximo: 5 de abril de 2013âmbitos estadual e municipal, como participação Especial [não serãoconcedidos diploma de participação especial]; REGULAMENTO b) Os trovadores do Estado do Ceará não residentes em Maranguape 1 - Os XI Jogos Florais de Avis são uma iniciativa da AMIGOS DOou não pertencentes a UBT-MARANGUAPE poderão enviar trovas de CONCELHO DE AVIZ - ASSOCIAÇÃO CULTURAL, a queâmbito municipal como participação especial; podem concorrer todos os cidadãos abrangidos pelo que se dispõe no presente regulamento.c) Os trovadores do Estado do Ceará poderão enviar trovas de âmbitonacional/internacional como participação especial. 2 - Só são admitidos a concurso trabalhos inéditos, redigidos em Português e nas seguintes modalidades:d) Aberto – destinado a todos os trovadores [âmbitosnacional/internacional, estadual e municipal]. Serão feitas duas POESIApremiações na modalidade aberto:1ª). Para trovadores de âmbito Nacional/internacional; A - QUADRA POPULAR2ª) Exclusiva p/trovadores do Estado do Ceará, inclusive deMaranguape. Tema: "SER POETA" e) É necessário constar o tema na trova. Indicar o tema antes de Em redondilha maior, de rima ABAB, uma quadra em cada folha.escrever a trova. 35
  35. 35. B - POESIA OBRIGADA A MOTE 4 - Todos os trabalhos deverão trazer na primeira página a modalidade a que concorrem, terão que ser subscritos por um pseudónimo,Mote devendo os respectivos autores, enviar anexo a cada trabalho, um envelope fechado com o pseudónimo datilografado no rosto, e dentro,Poeta, não sei o que é o nome, morada e número de telefone do Autor.Mas tem olhos de criança:A palavra é sua fé, 5 - Cada concorrente poderá apresentar dois trabalhos por modalidade,Dá aos homens esperança com excepção da QUADRA onde poderão ser apresentados três(Dinis Subtil-Aldeia Velha-Avis) trabalhos a concurso, pelo que cada um será subscrito com pseudónimo diferente. Serão desclassificados os trabalhos que nãoNota: não descurando outras formas de glosar o mote, daremos sejam inéditos, isto é, que já tenham sido apresentados noutrosespecial atenção ao tratamento em décimas. concursos.C - POESIA LIVRE 6 - O prazo de remessa dos originais (data de carimbo dos correios) termina em: 05 de ABRIL de 2013Subordinada ao tema: "SER POETA" e deverão ser enviados, para:PROSA XI Jogos Florais de AVIS Amigos do Concelho de Aviz - Associação CulturalCONTO subordinado ao tema: "POETAS" Praça Serpa Pinto, Nº11 7480 - 122 AVIS(Máximo de 3 páginas, escritas em tamanho 12, a espaço e meio de 7 - O não cumprimento do estipulado no presente regulamento, anula aentrelinhamento). apreciação dos trabalhos pelo júri, de cujas decisões não cabe recurso.3 - De cada trabalho serão enviados três exemplares, datilografados (à 8 - As classificações serão tornadas públicas em 2 de Maio de 2013,máquina ou em computador) em papel formato A4, de um só lado com sendo os concorrentes avisados por escrito.caracteres de tamanho 12, sendo que apenas no conto o espaço entrelinhas deverá ser de espaço e meio. Os trabalhos não poderão ser 9 - Haverá três prémios por modalidade, bem como as mençõesadornados com moldura ou qualquer outro adorno. honrosas que o júri entender por bem conceder. Poderá, no entanto, deliberar a não atribuição de qualquer prémio, numa ou mais 36
  36. 36. modalidades, se considerar que a qualidade dos trabalhos apresentados Nacional (para os demais Estados)não é consentânea com a projecção que se pretende para esta iniciativa. OFENSA10 - A entrega de prémios aos galardoados terá lugar no dia 18 de Maio Máximo: duas trovas Líricas ou Filosóficasde 2013, em Avis, no Auditório Municipal Ary dos Santos, a partir das14H30. Sistema de Envelopes11 - Estes Jogos Florais ficam interditos aos elementos do Júri e demais Enviar parapessoas envolvidas na organização dos mesmos. Rua Dr Nagib Jorge Farah, 204 Cantagalo/RJ - CEP 28.500-00012 - Ao Júri cabe a resolução de qualquer ocorrência que não sejaabrangida pelo presente regulamento.Nota: regulamento aprovado em reunião de Direcção da ACA-AC em20 de Dezembro de 2012. JOGOS FLORAIS DA ACADEMIA DE LETRAS E ARTES DE CAMBUCI/RJCom o apoio de:Câmara Municipal de Avis Prazo Máximo: 31 de maio de 2013Junta de Freguesia de Avis Tema Livre Apenas uma trova (lírica, filosófica, humorística, etc. À livre escolha VIII JOGOS FLORAIS DE CANTAGALO Sistema de EnvelopesPrazo Máximo: 1º de maio de 2013 Enviar para:Temas (valendo palavras cognatas):Estadual (somente Estado do Rio de Janeiro) Almir Pinto de AzevedoPerdão Praça da Bandeira,79 - Centro CEP 28.430-000 Cambuci/RJ 37
  37. 37. III CONCURSO DE TROVAS DE CAMPOS DOSJOGOS FLORAIS DE RIBEIRÃO PRETO – 2013 GOYTACAZES Prazo: até 21 de março de 2013. PRAZO: Resultado: final de abril. até 30.05.2013. Tema Municipal Tema: TRIANON (Lírica/Filosófica) Liricas/Filosóficas: Direito (em homenagem aos 15 anos do Teatro Trianon) Humorísticas: Torto Uma trova por autor. Tema Nacional Liricas/Filosóficas: Muralha Remeter para: Humorísticas: Cerca Neiva Fernandes Rua Eloi Ornelas 25 -Bairro Caju Tema Estudantil Campos – RJ Liricas/Filosóficas: Fada Humorísticas: Bruxa CEP: 28051-205 Remessa: Sistema envelopes brancos (8/11) em ARIAL União Brasileira de Trovadores XXI JOGOS FLORAIS DE PORTO ALEGRE/RS Caixa Postal 448 CEP: 14001-970 Prazo máximo: Ribeirão Preto-SP-Brasil. 30.06.13 Enviar para: 38
  38. 38. Rua Grão Pará, 212 XII CONCURSO DE TROVAS DOCEP 90850-170 CTS/UBT/CAICÓPorto Alegre – RS, PRAZO:com exceção da hispanica. até 30.06.2013.TEMAS PARA AUTORES BRASILEIROS E PORTUGUESES Tema para autores brasileiros e de outros países de(exceção ao RS): língua portuguesa: "FUGA" (Lírica/Filosófica)"ÁGUA" (lírico/filosóficas)"VINHO" (humorísticas) Remeter paraTEMAS PARA AUTORES DO RIO GRANDE DO SUL: Djalma Mota Rua José Eustáquioo, 1330-Bairro Paraíba"FONTE" (lírico/filosóficas) Caico-RN"SEDE" (humorísticas) CEP: 59300-000PARA AUTORES DE LÍNGUA HISPANICA: JUVENTUD Tema para autores do RN:(L/F) "RESPOSTA"enviar para Remeter parazetejohnson@hotmail.com Wellington Freitas Rua Renato Dantas, 33-Bairro AcampamentoMáximo de 03 trovas por autor, em cada tema. Caicó-RN CEP: 59300-000"Sistema de envelopes", exceto Língua Hispânica Tema para autores de língua hispânica: "VENTANA" 39
  39. 39. enviar paragislainecanales@gmail.com e TEMA: "IGUALDADE"ColibriRosebelle@aol.com. Remeter paraUma trova por autor em todos os temas. A/C Angélica Villela SantosSistema de envelopes, exceto para língua hispânica Rua Francisco Xavier de Assis, 36 - Jardim Morumbi Cep 12.060-460 Taubaté/SP XXXI CONCURSO NACIONAL/INTERN. Máximo de 02 trovas por concorrente. "Sistema de Envelopes" DE TROVAS DE TAUBATÉ/SP Prazo: 31 de maio de 2013 CONCURSO ESTADUAL DE TROVAS DE SÃO GONÇALO/RJ - 2013TROVADORES DE LÍNGUA PORTUGUESA (exceto região Vale do Paraiba, Litoral Norte e Serra da Mantiqueira) Prazo: 31 de Julho de 2013 TEMA: "MADRUGADA" Concurso de Trovas em Homenagem ao Centenário do TROVADORES DA REGIÃO Prefeito Joaquim de Almeida Lavoura TEMA: "SERENO" Promovido pela AGLAC - Academias Gonçalense de Letras Artes e Ciências CONCURSO PARALELO: REGULAMENTO XIV CONC. VICENTINO DE TROVAS (para membros da Soc. São Vicente de Paulo) 40
  40. 40. 1. O Concurso de Trovas, exclusivamente aberto a São Gonçalo/RJTrovadores do Estado do Rio de Janeiro, tem por objetivo CEP: 24445-480.homenagear o emblemático Prefeito do Município de SãoGonçalo, JOAQUIM DE ALMEIDA LAVOURA, no 8. Não será permitida a participação de integrantes ou deCentenário de seu nascimento, e faz parte do Calendário parentes direta ou indiretamente ligados aos associadosCultural do Município de São Gonçalo. da UBT – Seção São Gonçalo/Rio de Janeiro.2.As Trovas concorrentes deverão ter por tema 9. A Comissão Julgadora será constituída por membros―Centenário do Prefeito Joaquim Lavoura‖, serem inéditas da UBT – São Gonçalo, previamente selecionada ee de autoria do próprio concorrente. divulgada pela organização do concurso.3. O prazo limite para recebimento das Trovas será o dia 10. A Solenidade de Premiação será realizada no dia 2031 de Julho de 2013, podendo o concorrente enviar até 3 de Setembro de 2013, a partir das 19 horas no ―Centro(três) Trovas. Cultural Joaquim Lavoura‖, situado a Av. Presidente Kennedy, 721 – Estrela do Norte – São Gonçalo.4. O resultado do Concurso será divulgado dia 31 deAgosto de 2013 através da imprensa local e, aos 11. Os premiados presentes receberão seus Troféus epremiados, através de correspondência postal. Menções Honrosas durante o evento citado no item 10. Os que não puderem comparecer receberão via Correios.5. Serão concedidos troféus aos vencedores, nasseguintes modalidades: 3 (três) Vencedores e 3 (três) 12. Os casos os omissos serão resolvidos pela ComissãoMenções Honrosas. Organizadora do concurso.6. A apresentação dos trabalhos será o tradicional FERNANDO FÉLIX CARVALHO―Sistema de Envelopes‖, adotado pela UBT – UNIÃO Pres. da AGLAC- Academia Gonçalense de Letras, Artes eBRASILEIRA DE TROVADORES. Ciências7. Os trabalhos concorrentes deverão ser enviados para Carlos Alberto de Carvalho Rua Antônio das Santos Figueiredo, 172 – Centro 41
  41. 41. 1.º CONCURSO DE QUADRAS POPULARES DO Haverá ainda 10 menções honrosas cujos poetasCLUBE DA SIMPATIA/2013 irão receber também os respectivos diplomas. Os trabalhos, onde constará o nome do autor, e-Neste ano de 2013, o Concurso será um pouco diferente, mail e morada, serão enviados, para:não haverá um tema específico, mas sim uma palavraescrita, com uma letra do abecedário, que vamos indicar clubedasimpatia-algarve@sapo.ptpara cada um. Fugimos assim à monotonia das mesmaspalavras sempre repetidas em todas as quadras dos Para este primeiro concurso de 2013 é válida a letra - ( V )concorrentes. Exemplo: Virtude, Vaidosa, Ver, Vós, etc. etc.REGULAMENTO Pode ser substantivo, ou adjetivo, ou ter qualquer outra forma gramatical, no entanto, não pode haver, naAo concurso podem concorrer com quadras inéditas e quadra, a repetição da palavra escolhida, nem maisobrigatoriamente escritas em língua portuguesa, todos os nenhuma começada por V.cidadãos, maiores de 16 anos, sócios ou não do Clube da Esta modalidade pode ser um pouco mais difícil,Simpatia e que respeitem o ―caráter‖ proposto. mas deixa ao poeta mais liberdade de expressão. O prazo para o envio das quadras termina noO concurso será quadrimestral e só serão válidas as último dia de Março.quadras enviadas pela Internet. Os resultados serão publicados no último dia de Abril no Blogue do Clube da Simpatia:Será enviada só (1) uma quadra para cada concurso a http://clubedasimpatia.blogspot.comqual terá de ser em redondilha maior, (sete sílabas) de Os vencedores serão avisados por e-mail.rima ABAB (lírica ou filosófica). O próximo tema será anunciado em Maio. Haverá 5 vencedores aos quais serão enviados,através da Internet, os respectivos diplomas que levam aquadra inscrita. 42
  42. 42. Participe com suas trovas Trovas Legendas de Eliana Jimenez (Santa Catarina) http://poesiaemtrovas.blogspot.com.br Blog do Prof. Pedro Melo (São Paulo) Um espaço da Trova Brasileira Todos os dias, um novo trovador e uma nova trova http://blogdopedromello.blogspot.com.br Criação, seleção e arte final: José Feldman Blog da UBT-Curitiba, notícias, trovas, eventos . Contatos: pavilhaoliterario@gmail.com http://ubt-curitiba.blogspot.com Site: http://singrandohorizontes.blogspot.com.br Blog Simultaneidades, da Andréa Motta(Curitiba) http://simultaneidades.blogspot.com.br Endereço para correspondência:Rua Vereador Arlindo Planas, 901 casa A – Zona 6 Site do Mário Zamataro (Curitiba) Cep. 87080-330 – Maringá/PR http://www.umavirgula.com.br Blog do A. A. de Assis (Maringá) http://aadeassis.blogspot.comA montagem da capa foi realizada com a imagem do mapa do Brasil retirada da internet, a qual não consta a autoria. Se souberde quem é, informe-me, para que sejam dados os devidos créditos.Esta publicação não pode ser comercializada em hipótese alguma. 43

×