Organizações e administração

1.209 visualizações

Publicada em

Publicada em: Saúde
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.209
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
63
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Organizações e administração

  1. 1. Aula 1. Organizações e Administração PROFESSOR JOSÉ CARLOS LOPES
  2. 2. Sumário • Introdução • Organizações – Conceitos – Razões do seu surgimento – Importância – Características gerais – Objetivo – Tipos – Parceiros – Relações de reciprocidade – Estruturas e Mecanismos de Coordenação – Organizações de Saúde • Conceito • Estrutura e Mecanismos de Coordenação • Características 2
  3. 3. Sumário • Administração e Gestão – Conceitos – Funções do Administrador – Processo Administrativo – Habilidades do Administrador – Níveis de Administração – Tipos de Planeamento – Categorização dos Administradores – Administração da Saúde • Funções e Responsabilidade • Especificidades da Administração em Saúde • Importância da Administração em Saúde – Teorias e variáveis básicas • Conclusão • Bibliografia • Atividades 3
  4. 4. Introdução “As organizações (…) constituem a base da invenção de todas as demais invenções. (…) Na realidade, todas as invenções modernas são produtos das organizações. (…) Nascemos em organizações, aprendemos nelas, trabalhamos nelas e até morremos nelas. Vivemos a maior parte do nosso tempo (…) dentro delas.” (Chiavenato, 2004:1) Necessidade de criar a ADMINISTRAÇÃO 4
  5. 5. Organizações Conceitos “A organização é um sistema cooperativo que tem por base a racionalidade. Ela é um sistema social baseado na cooperação entre as pessoas e existe quando ocorrem conjuntamente três condições: interação entre duas ou mais pessoas; desejo e disposição de cooperação e finalidade de alcançar um objetivo comum. (…)” (Barnard, 1971) Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:20 5
  6. 6. Organizações Conceitos “Organizações são unidades sociais (ou agrupamentos humanos) intencionalmente construídas e reconstruídas, a fim de atingir objetivos específicos. (…)” (Etzioni, 1984) Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:20 6
  7. 7. Organizações Conceitos “Organizações são (1) entidades sociais que (2) são dirigidas por metas, (3) são desenhadas como sistemas de atividades deliberadamente estruturados e coordenados e (4) são ligadas ao ambiente externo.” (Daft, 2002:11) 7
  8. 8. Organizações Razões do seu surgimento Sociais Materiais Efeito Sinergístico 8
  9. 9. Organizações Importância • Reúnem recursos para alcançar metas e resultados desejados • Produzem bens e serviços com eficiência • Impulsionam inovação, progresso e desenvolvimento dos países • Utilizam tecnologia moderna de fabricação e tecnologia baseadas no computador • Adaptam-se às mudanças ambientais e influenciam-nas • Criam valor para proprietários, clientes e funcionários • Deparam-se com constantes desafios da diversidade, da ética e da motivação e coordenação dos funcionários Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:21 Daft, R. - Organizações: Teorias e projetos. 2003:11-12 9
  10. 10. Organizações Características gerais O que são: O que têm: O que fazem: Constituídas por pessoas Organizadas Constituídas por pessoas que desempenham determinadas funções Estrutura organizacional Comportamento humano Processos organizacionais - Nascem - Crescem - Alteram-se - Combinam-se - Dividem-se - Satisfazem necessidades - Desenvolvem grupos - Criam ação organizada - Motivam as pessoas - Desenvolvem atitudes - Contribuem - Produzem produtos e serviços - Contribuem para o bem da sociedades - Comunicam-se - Tomam decisões Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:23 10
  11. 11. Organizações Características gerais • Podem existir em diferentes tamanhos (ex. microorganizações, multinacionais) • Físicas ou virtuais • Não existem isoladas ou insuladas • Não são autossuficientes • São um sistema aberto • Têm a sua própria cultura organizacional (ex. têm léxico próprio) • Grande durabilidade São todas diferentes Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:1-2 11
  12. 12. Organizações Objetivo Fornecer bens e serviços de forma a satisfazer as necessidades da sociedade e, simultaneamente, certificando a sobrevivência da organização 12
  13. 13. Organizações Tipos Formal Informal Continuum 13
  14. 14. Organizações Tipos – Características Mecanísticas/Mecanicistas • Formais • Divisão do trabalho • Cargos especializados e definidos • Hierarquia rígida • Interação vertical • Regras e procedimentos formais Orgânicas • Informais • Estruturas flexíveis • Cargos continuamente definidos • Interação horizontal • Tarefas baseadas no conhecimento • Confiança nas comunicações 14
  15. 15. Organizações Parceiros Shareholders Stakeholders Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:23-24 15
  16. 16. Organizações Relações de reciprocidade Pessoas Organização As pessoas oferecem contribuições como: • Trabalho • Dedicação • Esforço • Alcance de objetivos • Agregação de valor • Utilização de conhecimento As organizações oferecem incentivos como: • Salário e benefícios • Treino e aprendizagem • Segurança no emprego • Excelente ambiente de trabalho • Oportunidade de crescimento • Participação nas decisões Chiavenato, I. - Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:24-25 16
  17. 17. O que as pessoas esperam da organi- zação Um excelente lugar para trabalhar Reconhe- cimento e recompen- sas Oportuni- dades de crescimen- to Participa- ção nas decisões Liberdade e autono- mia Apoio e suporte Emprega- bilidade e ocupabili- dade Qualidade de vida no trabalho Diverti- mento, alegria e satisfação Camara- dagem e coleguis- mo Relações de reciprocidade (cont.) Chiavenato, I.-. Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:28 17
  18. 18. O que as organizações esperam das pessoas Foco na missão organiza- cional Foco na visão do futuro da organiza- ção Foco no cliente Foco em metas e resultados Foco na melhoria e desenvol- vimento contínuosFoco no trabalho participa- tivo em equipa Comprome- timento e dedicação Ética e responsa- bilidade Talento, habilidades e competên- cias Capacidade de aprender e crescimento profissional Relações de reciprocidade (cont.) Chiavenato, I.-. Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. 2004:28 18
  19. 19. Organizações Estruturas e Mecanismos de Coordenação Estrutura simples - Coordenação por supervisão direta - Pouca autonomia no trabalho - Formação empírica (Pouca especialização) Estrutura Burocrático-Profissional - Coordenação por padronização das qualificações - Muita autonomia individual - Muita formação abstrata e articulada (Muita qualificação) Estrutura Burocrático-Mecânica - Coordenação por padronização do trabalho - Pouca autonomia no trabalho - Formação parcelar e atomizada (Muita especialização) Estrutura Adhocrática - Coordenação por ajustamento mútuo/Padronização dos resultados - Muita autonomia grupal - Muita formação global e integrada (Competências múltiplas) Moura, R. (1999, Março-Abril). Estruturas e funcionamento organizacional. Dirigir, Revista para Chefias, 60, 33. 19
  20. 20. Organizações Organizações de Saúde – Conceito “[…] as organizações de saúde, na sua essência, não se distinguem dos restantes tipos de organizações, na medida em que devem desenvolver mecanismos para lidar com cinco problemas básicos: a produção, a aquisição de recursos, a manutenção de um conjunto de valores e objectivos próprios, adaptação às mudanças da envolvente e gerir a sua globalidade. […]” (Kaluzny e Veney, 1980) Nunes, F. (1994). As organizações de serviços de saúde: Alguns elementos distintivos. Revista Portuguesa de Gestão, III-IV, 5.20
  21. 21. Organizações Organizações de Saúde – Estrutura e Mecanismos de Coordenação Burocrático-Profissional (Mintzberg, 1982) Padronização das qualificações Monteiro, I. P. (1999). Hospital, uma organização de profissionais. Análise Psicológica, 2, 318. 21
  22. 22. Organizações Organizações de Saúde – Características • Ações diversificadas; • Pessoal com variadas qualificações técnicas; • Grande fragmentação das atividades realizadas; • Colaboração entre profissionais; • Reduzida definição de responsabilidades; • Tratamento e cura das doenças; • Ênfase na especialização; • Interligação com faculdades de medicina e escolas de enfermagem; 22
  23. 23. Organizações Organizações de Saúde – Características • Centralização nas zonas urbanas; • Tarefas rotineiras; • Cada profissional exerce de acordo com as suas qualificações; • Rápida e constante desatualização da tecnologia e dos conhecimentos; • Escassez de recursos humanos; • Avaliação quantitativa dos recursos; • A produtividade é reduzida; • A qualidade é má; • Começam a praticar Marketing; • Altamente complexas. 23
  24. 24. Administração e Gestão Conceitos – Administração “A administração é o processo de planear, organizar, liderar e controlar os esforços realizados pelos membros da organização e o uso de todos os outros recursos organizacionais para alcançar os objectivos estabelecidos.” (Stoner e Freeman, 1995:4) 24
  25. 25. “Gerir é planear e decidir; é actuar (coordenar e controlar actuações); é avaliação sistemática, controlada de: ideias, projectos, homens, acções, fluxos e stocks de valores.” (Ferreira, 1993:9) “Gerir implica também controlar.” (Teixeira, 2005:5) Administração e Gestão Conceitos – Gestão 25
  26. 26. Administração e Gestão Funções do Administrador • Estratégico • Tático • Operacional Planear Organizar • Motivação • Liderança • Comunicação Dirigir Coordenar Controlar 26 Mezomo, J. C. - Gestão da qualidade na saúde. 2001:36
  27. 27. Ambiente Externo Adminis- tração Planeamento Organização Direção Controlo Administração e Gestão Processo Administrativo 27
  28. 28. • Consiste em utilizar conhecimentos, métodos, técnicas e equipamentos necessários para a realização das suas tarefas específicas, através da sua instrução, experiência e educação. Técnicas • Consiste na capacidade e no discernimento para trabalhar com pessoas, compreender as suas atitudes e motivações e aplicar uma liderança eficaz. Humanas • Consiste na habilidade para compreender as complexidades da organização global e o ajustamento do comportamento da pessoa dentro da organização. • Permite que a pessoa se comporte de acordo com os objetivos da organização total. Conceituais Administração e Gestão Habilidades do Administrador 28
  29. 29. Institucional Intermédio Operacional Planeamento Estratégico Planeamento Tático Planeamento Operacional Administradores de topo Administradores de nível intermédio Administradores de primeiro nível Administração e Gestão Níveis de Administração, Tipos de Planeamento e Categorização dos Administradores 29
  30. 30. Institucional -Membros do conselho de administração; -Enfermeiro diretor; -Conselho de gestão; -Direção geral. -Predomina a componente estratégica; -Recorre-se a todos os recursos disponíveis para atingir os objetivos. Administração e Gestão Níveis de Administração, Tipos de Planeamento e Categorização dos Administradores Teixeira, S. - Gestão das organizações. 1998:39-41 30
  31. 31. Intermédio -Diretores de divisão; -Diretores de área; -Diretores funcionais; -Enfermeiro supervisor. Predomina uma componente mais tática: -Utilização dos recursos disponíveis em médio prazo; -Elaboração de planos e programas específicos relacionados com a área de função do respetivo gestor. Administração e Gestão Níveis de Administração, Tipos de Planeamento e Categorização dos Administradores Teixeira, S. - Gestão das organizações. 1998:39-41 31
  32. 32. Operacional -Enfermeiro chefe; -Chefes de serviço ou de secção. -Predomina a componente mais técnica; -Atividade dos gestores centrada na execução de rotinas e procedimentos. Administração e Gestão Níveis de Administração, Tipos de Planeamento e Categorização dos Administradores Teixeira, S. - Gestão das organizações. 1998:39-41 32
  33. 33. “Administração de saúde é planejar, organizar, dirigir, controlar, coordenar e avaliar os recursos e procedimentos pelos quais a demanda por cuidados médicos e de saúde, e as necessidades de um ambiente saudável são atendidos, mediante a provisão de serviços a clientes individuais, organizações e comunidades.” (Charles J. Austin) Administração da Saúde 33
  34. 34. • Responsabilidade com a Clientela • Administrar um Sistema • Formação de equipa • Mudança e inovação • Eficácia, eficiência e efetividade • Administração ativa (planeada) Administração da Saúde Funções e Responsabilidades Mezomo, J. C. - Gestão da qualidade na saúde. 2001:17-21 34
  35. 35. • Empresa e administração: crescimento vinculado; • Normatização administrativa; • Raciocínio estratégico( visão a longo prazo) para fazer a integração do hoje no futuro; • A busca incessante de qualidade como factor de identidade; • Definir a missão e formular estratégias. Administração da Saúde Funções e Responsabilidades 35
  36. 36. Administração da Saúde Especificidades Individualização do serviço prestado Diversidade de profissões Complexidade dos sistemas dos cuidados de saúde 36
  37. 37. Administração da Saúde Importância Apesar da complexidade da função da administração, antigamente era vista como sendo de menor importância devido ao seu status; Atualmente, a prestação de serviços de saúde é um processo administrativo que exige planeamento, gestão dos recursos, avaliação de performance e outras tarefas básicas de administração. 37
  38. 38. Teoria Variáveis Básicas Descrição Científica Tarefas Surgiu devido à necessidade de aplicar métodos de ciência para resolução de problemas administrativos, com objetivo de aumentar a eficiência industrial e diminuir as perdas sofridas. Burocrática Estrutura Preocupada com a divisão do trabalho, regras e procedimentos. Clássica Estruturas Organização da empresa por meio da forma e da disposição dos órgãos da organização e das relações estruturais – ênfase na estrutura e no funcionamento da organização. Administração e Gestão Teorias e Variáveis básicas Ferreira, J., Neves, J. & Caetano, A. - Manual de psicossociologia das organizações. 2001:115-117 38
  39. 39. Teoria Variáveis Básicas Descrição Relações Humanas Pessoas Surge uma nova concepção sobre a natureza do homem: homem social. Contingência Tecnologia Existe uma relação funcional entre as condições do ambiente e as técnicas administrativas apropriadas para o alcance eficaz dos objetivos da organização. Sistemas Sistemas Aborda a empresa como sistema aberto. 39 Administração e Gestão Teorias e Variáveis básicas Ferreira, J., Neves, J. & Caetano, A. - Manual de psicossociologia das organizações. 2001:257-259
  40. 40. Conclusão • Objetivo: Fornecer bens e serviços de forma a satisfazer as necessidades da sociedade e, simultaneamente, certificando a sua sobrevivência; • Surgiram por razões materiais, sociais e de efeitos sinergísticos; • Têm diferentes características (ex. são únicas, de grande durabilidade, com uma cultura organizacional própria, …); • Continuum entre formais e informais; • Evoluíram de Shareholders para Stakeholders; • Têm diferentes estruturas: simples, burocrático- profissional, burocrático-mecânica e adhocrática; 40
  41. 41. Síntese • Funções do administrador/gestor: planear, organizar, dirigir, controlar e coordenar. • Habilidades: técnicas, humanas e conceituais; • Processo administrativo: planeamento, direção, organização e controlo; • Níveis administrativos e tipos de planeamento: institucional (planeamento estratégico), intermédio (planeamento tático) e operacional (planeamento operacional). • Funções do administrador de saúde: responsabilidade com a clientela; eficácia, eficiência e efetividade, …; • Teorias da administração: científica (tarefas), burocrática (estrutura), clássica (estrutura), relações humanas (pessoas), contingência (tecnologia) e dos sistemas (sistemas). 41
  42. 42. Bibliografia Chiavenato, I. (2004). Comportamento organizacional: A dinâmica do sucesso das organizações. São Paulo: Pioneira Thompson Learning. Daft, R. (2003). Organizações: Teorias e projetos. São Paulo: Pioneira Thompson Learning. Ferreira, J., Neves, J. & Caetano, A. (2001). Manual de psicossociologia das organizações. Lisboa: McGraw-Hill de Portugal. Mezomo, J. C. (2001). Gestão da qualidade na saúde. São Paulo: Manole. Monteiro, I. P. (1999). Hospital, uma organização de profissionais. Análise Psicológica, 2, 317-325. Moura, R. (1999, Março-Abril). Estruturas e funcionamento organizacional. Dirigir, Revista para Chefias, 60, 31-38. Nunes, F. (1994). As organizações de serviços de saúde: Alguns elementos distintivos. Revista Portuguesa de Gestão, III-IV, 5-12. Schermerhorn, J. R., Hunt, J. G. & Osborn, R. N. (1999). Fundamentos de comportamento organizacional. Brasil: Artes Médicas Sul LTDA. Teixeira, S. (1998). Gestão das organizações. Lisboa: McGraw-Hill de Portugal. 42
  43. 43. Dá um exemplo onde se verifique… Atividades Mecanismo de coordenação por ajustamento mútuo 43
  44. 44. Dá um exemplo onde se verifique… Atividades Mecanismo de coordenação por padronização das qualificações 44
  45. 45. Dá um exemplo onde se verifique… Atividades Mecanismo de coordenação por padronização do trabalho 45
  46. 46. Dá um exemplo onde se verifique… Mecanismo de coordenação por supervisão direta 46
  47. 47. Dá um exemplo onde se verifique… Atividades Mecanismo de coordenação por padronização dos resultados 47
  48. 48. Atividades Institucional Intermédio Operacional Administradores de topo Administradores de nível intermédio Administradores de primeiro nível Planeamento Estratégico Planeamento Tático Planeamento Operacional 48
  49. 49. FIM! 49

×