Redação

748 visualizações

Publicada em

Redação e Expressão Oral II - Prof. Marcelo Rocha (2011)

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
40
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redação

  1. 1. Pragmática • Verbos que descrevem • Verbos que indicam ação • Linguagem sujeita a performatividade generalizada Acadêmicos: Daniele Kunzler, Jéssica Thomas, Ana Cláudia e Juliano Cabral
  2. 2.  Não é a língua que significa, o sentido não está somente nas palavras, está nas pessoas e nas circunstâncias também.  O ritual que produz sentido não é apenas verbal.  “Essa perspectiva de estudo da linguagem é chamada de pragmática”.  Filósofo da LinguagemAustin
  3. 3. É produzir três atos simultaneamente. 1. Ato locucionário 2. Ato ilocucionário 3. Ato perlocucionário
  4. 4.  Arranjo sintático  Conteúdo semântico
  5. 5.  Promessa  Batismo  Juramento, etc.
  6. 6.  Obter efeitos São atos simultâneos.  Lógica (linguagem/mundo)  Pragmática (linguagem/ação)  Retórica (linguagem/persuasão)
  7. 7.  Diálogo com a lógica: problematização da linguagem como representação do mundo.  Pragmática: consideração da ação entre interlocutores.  Verbal e não-verbal: determinação da extensão dos efeitos, calculados por essas ações.  Diálogo com a retórica: a espera do interlocutor.
  8. 8.  Ato locucionário – lógica Perspectiva lógica da linguagem Descrição do mundo e julgamento, afirmação de verdadeiro ou falso.
  9. 9.  Ato Ilocucionário – sujeito Teoria da enunciação: o papel da intersubjetividade na linguagem. (Benveniste)
  10. 10. Análise da conversação: o papel das circunstâncias de comunicação e da cooperação entre interlocutores Marcuschi
  11. 11. Análise do discurso: o papel da ação sobre o outro e a menção às relações de poder. Brandão
  12. 12.  Ato Ilocucionário – presença dos sujeitos  Ato Perlocucionário – retórica ( a ação que se produz no outro como consequência do ato de dizer, a eficácia e a construção de como é constituído o auditórios e como este constitui o dizer do orador. Os argumentos seguem uma direção.  O sentido dos enunciados se dá pelos sujeitos (locutor), o dizer é organizado em função de um alocutário (conduzido a uma conclusão).
  13. 13.  Considera a argumentação tratada pela retórica e pela semântica argumentativa do Linguista francês, Oswald Ducrot
  14. 14.  “Linguagem concebida como ação, língua concebida como fonte de recursos fônicos e sintático-semânticos e ato de fala entendido como interface verbal de um ritual não apenas linguístico a são as principais contribuições da pragmática”.  A linguística textual e a análise do discurso também são beneficiadas.
  15. 15. Saussure  “ pode-se comparar a língua a uma sinfonia, cuja realidade independe da maneira como é executada; erros que podem cometer os músicos que a executam não compremetem em nada tal realidade (1974,p.26).  Código tomado como parâmetro
  16. 16. Jakobson  Linguagem na esfera comunicativa  Escala ascendente de liberdade  Ato de comunicação como parâmetro
  17. 17.  É o tipo de código formado por palavras e leis combinatórias por meio do qual as pessoas se comunicam e interagem entre si.
  18. 18.  Linguagem é todo sistema de sinais convencionais que nos permite realizar atos de comunicação.
  19. 19.  A Fala é a parte individual da Linguagem. Para Saussure é um “ato individual de vontade e inteligência”.
  20. 20.  - A palavra discurso tem sido empregada em linguística com diversos significados, o mais comum deles e menos técnico é o língua em uso, praticamente um sinônimo de fala e enunciação, é provável que esse uso da palavra se tenha difundido.
  21. 21.  O que quer dizer este texto? - Ele classifica a língua em dois tipos: Métodos não-linguísticos Métodos Paralinguísticos
  22. 22.  O Discurso nunca se começa na primeira palavra que é dita e nem termina no ponto final onde encerra.  Relação de força
  23. 23.  A relação entre os fatos de língua e os fatos históricos e sociais se dá, portanto, de forma articulada ao que os analistas do discurso chamam de fatos discursivos.  A análise do discurso se constitui através daquilo que funciona como estrutura na língua, e do funcionamento dessa estrutura no fato sócio-histórico de uma
  24. 24.  São levantadas 3 análises do discurso, com diferenças teóricas significantes.  1)Análise do discurso como ruptura mais radical em relação aos pressuposto da linguística.  2)Análise do discurso como parte da linguística, constituindo uma “linguística do discurso”  3)Análise do discurso lado a lado, constituindo um campo no interior das ciências da linguagem.

×