SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 40
Baixar para ler offline
Diagnóstico para Elaboração de Plano de Trabalho
São Paulo, 29 de outbro de 2015
1
64º Fórum de Debates Brasilianas.org -
Logística e Integração Territorial no Brasil
Terceiro Painel - Balanço da Infraestrutura Portuária
2
Dr. Rui Carlos Botter
Universidade de São Paulo
Portfólio de Projetos
A área portuária deverá atrair no
próximos anos muitos investimentos;
Motivos para tal não faltam, como por
exemplo: aumento da demanda com a
retomada do crescimento, disponibilidade
de áreas nos portos organizados, a
procura por autorizações de Terminais
Privativos, entre outros
INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
Portfólio de Projetos
A CNI em seu trabalho divulgado em
26/10/2015, aponta para mais de 20
projetos portuários
http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2015/10/1,75244/logistica-do-sudeste-necessita-de-r-63-2-
bilhoes-em-investimentos-ate-2020-para-garantir-escoamento-eficiente-da-producao.html
INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
Portfólio de Projetos
Acompanhando essa tendência de
crescimento portuário, algumas
indagações serão feitas:
quais desafios são esperados?
como o setor deve se preparar?
como será a relação público-privada?
INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
Portfólio de Projetos
“Abrimos o mercado para um
produto que podia valer pouco, mas
a ideia era ganhar dinheiro com a
logística, transformando uma
distância física (a rota Brasil-Japão-
Brasil) numa distância econômica “
Eliezer Batista
HISTÓRICO DA LOGÍSTICA COM O SETOR
DE TRANSPORTE E OS PORTOS
Portfólio de Projetos
Qual a missão da
Logística
Marítima e
Portuária?
Portfólio de Projetos
TEM A MISSÃO DE INDICAR:
O QUE?
QUANTO?
QUANDO?
ONDE?
COMO?
• COMPRAR
• TRANSPORTAR
• ARMAZENAR
• ATENDER À
DEMANDA
Ou seja, logística é muito mais abrangente do
que transportar cargas
Portfólio de Projetos
“Gestão da Cadeia de
Suprimentos é a
integração dos
processos do negócio
desde o usuário final
até os fornecedores
originais que
proporcionam os
produtos, serviços e
informações que
agregam valor para o
cliente”
Supply Chain Management
Cabe observar que em qualquer CS os terminais são extremamentes
importantes como elo de ligação entre os modais
Portfólio de Projetos
Visão do CILIP sobre Sistemas Portuários
Berthing Operation subsystem (Mooring, channel access...)
A Chegada e atracação do NAVIOpre-operation Subsystem (inspections...)
Load/Discharge Subsystem (Cranes, Trucks, ..)
StockYard Subsystem (Reach Stackers, RTG, Trucks...)
o rECEBIMENTO E POSICIONAMENTO dos CONTÊINERES
Road and rail subsystem (gates, inspections, load/unload...))
Port
Authority
Shipping Companies
(Clients)
Road and Rail Companies
(Users)
Port Works, Unions...)
Port Services
(ex: Pilots and Tug Boat)
Other Authorithies
(Customs, Health, ...)
Portfólio de Projetos
Previsão de Demanda
(Indutora de
desenvolvimento)
Portfólio de Projetos
EIXO DA MINERAÇÃO
Portfólio de Projetos
Mineral
Produção em 2011
(1.000 ton) (A)
Acréscimos até 2016
(1.000 ton) (B)
Produção Prevista
em 2016 (C)=(A+B)
Variação
(C/A)
Agregados 673.000 176.000 849.000 26%
Ferro 467.000 353.000 820.000 76%
Bauxita 31.000 7.000 38.000 23%
Manganês 2.600 400 3.000 15%
Fosfato 1.800 700 2.500 39%
Cobre 400 200 600 50%
Potássio 290 2.110 2.400 728%
Zinco 285 65 350 23%
Nióbio 90 30 120 33%
Níquel 70 30 100 43%
Ouro 0,066 0,029 0,095 44%
EXPECTATIVA DE AUMENTO DE PRODUÇÃO MINERAL BRASIL ATÉ 2016
Fonte: IBRAM estimativas Total 2016: ±1,700 bilhão de toneladas
Curiosidade: Somente as 200 maiores minas do Brasil
movimentam cerca de 764 milhões de toneladas ROM. O Brasil
deve colher, na safra 2012/2013, mais de 183,5 milhões de
toneladas de grãos, aumento de 10,5% em relação à safra anterior.
Portfólio de Projetos
EIXO DOS GRÃOS
Portfólio de Projetos
Projeção da produção de soja.
14
-
20.000
40.000
60.000
80.000
100.000
Produção Consumo Exportação Importação
Volume(miltoneladas)
2011 2015 2019 2022
Portfólio de Projetos
EIXO DA CONTEINERIZAÇÃO
Portfólio de Projetos
Projeção da movimentação de contêineres no Brasil
Fonte: ILOS
Portfólio de Projetos 17
Evolução da Operação Portuária Brasil e Mundo
Orientador: Prof. Dr. Rui Carlos Botter
Acompanham os navios
Acompanham os
equipamentos e
terminais portuários
Cresce a complexidade
Cresce o Comércio
Portfólio de Projetos 18
A indústria marítima, em especial o mercado de transporte de cargas em
contêineres foi o que mais cresceu e continuará crescendo, principalmente em razão
dos seguintes fatores:
1. Contínua expansão da contêinerização nos países desenvolvidos e em
desenvolvimento;
2. Aumento do comércio de mercadorias de maior valor agregado;
3. Intensificação do processo de globalização
4. Crescimento no tamanho dos navios e consequente aumento de transbordo e
dos serviços de navios feeder.
Contudo cabe completar com novos fatores tais como:
1. Migração de alguns commodities e produtos básicos para o contêiner;
2. Aumento de terminais especializados no manuseio de contêineres;
3. Aumento da demanda contratada.
E irá continuar crescendo ??? A resposta é SIM!
Portfólio de Projetos
Desafios a serem enfrentados
Portfólio de Projetos
Fonte: http://www.transportabrasil.com.br/2012/11/ferrovia-ja-e-responsavel-por-30-da-matriz-de-transportes-
no-pais/
ALTERAÇÃO DA
MATRIZ DO TRANSPORTE DE CARGAS
Portfólio de Projetos
ESTRUTURA MODAL DE TRANSPORTES
Portfólio de Projetos
Portfólio de Projetos
A NAVEGAÇÃO FLUVIAL NO BRASIL (comparativo)
Comparando hoje com o plano de 1869 pouco avançamos!
Portfólio de Projetos
Distribuição Detalhada de Custo de um Navio Navio Porta-
Contêiner de 2700 TEU´s na Cabotagem
23%
6%
8%
19%
11%
20%
4%
1%
3%
2%
3%
Impotos Gerais AFMM Capital Próprio Investido
Financiamento Combustível Tarifas Portuárias
Tripulação Suprimentos Manutenção
Seguro Administração
DIAGNÓSTICO DA NAVEGAÇÃO DE
CABOTAGEM VISANDO À REGULAÇÃO
DO SETOR
Cabotagem
Portfólio de Projetos
Mineral
Produção em 2011 (1.000
ton) (A)
Acréscimos até 2016
(1.000 ton) (B)
Produção Prevista em
2016 (C)=(A+B)
Variação (C/A)
Agregados 673.000 176.000 849.000 26%
Ferro 467.000 353.000 820.000 76%
Bauxita 31.000 7.000 38.000 23%
Manganês 2.600 400 3.000 15%
Fosfato 1.800 700 2.500 39%
Cobre 400 200 600 50%
Potássio 290 2.110 2.400 728%
Zinco 285 65 350 23%
Nióbio 90 30 120 33%
Níquel 70 30 100 43%
Ouro 0,066 0,029 0,095 44%
EXPECTATIVA DE AUMENTO DE PRODUÇÃO MINERAL BRASIL ATÉ 2016
COMO SE PREPARAR PARA ATENDER O AUMENTO
DA DEMANDA
-
20.000
40.000
60.000
80.000
100.000
Produção Consumo Exportação Importação
Volume(miltoneladas)
2011 2015 2019 2022
Projeção da produção de soja no Brasil.
•COM PLANEJAMENTO DE ESTADO E DE FORMA CONSISTENTE
•EVITAR A VISÃO ESTRATÉGICA QUE RESOLVE PROBLEMAS PONTUAIS E CRIA MAIS PROBLEMAS NO FUTURO
Portfólio de Projetos 26
Portfólio de Projetos 27
Portfólio de Projetos
Portfólio de Projetos
Avaliar o sistema portuário e também os seus acessos
Acesso Aquaviário: Dragagem, canal de
acesso, canal de fundeio e área de manobras
Acesso rodoviário: Estradas principais,
secundárias e acessos aos terminais
Acesso ferroviário: Pátios, peras e linhas
Conflitos Porto x Cidade
Portfólio de Projetos
Porto de Leixões, Portugal e seu acesso rodoviário exclusivo
Portfólio de Projetos
Porto de Los Angeles: um exemplo de reformulação de área industrial
31
Fonte: 4 de outubro de 2012 - Marseille Congresso GreenPort-GC UPF
Portfólio de Projetos
Exemplos franceses de reconversão de docas: Le Havre e Marseille Euroméditerranée
32
Portfólio de Projetos
Porto de Santos e a área de Barnabé
Bagres
Portfólio de Projetos
Como será a relação público-privada ?
34
1) Porto Sul 7) Estaleiro Brasa
Onde: Ilhéus (BA) Onde: Niterói (RJ)
Valor: R$ 2,422 bilhões Valor: R$ 60 milhões
2) Ultrafértil S.A. 8) Mineração Buritirama
Onde: Santos (SP) Onde: Barcarena (PA)
Valor: R$ 2,2 bilhões Valor: R$ 52,350 milhões
3) Bamim Bahia Mineração S.A. 9) Rio Turia Serviços Logísticos Ltda.
Onde: Ilhéus (BA) Onde: Itaituba-PA
Valor: R$ 898 milhões Valor: R$ 50,505 milhões
4) Estaleiro Jurong 10) Saipem do Brasil
Onde: Aracruz (ES) Onde: Guarujá (SP)
Valor: R$ 500 milhões Valor: R$ 17 milhões
5) Flexibrás - Technip 11) Ipiranga Produtos de Petróleo S.A.
Onde: São João da Barra (RJ) Onde: Manaus (AM)
Valor: R$ 142,450 milhões Valor: R$ 9,810 milhões
6) Amaggi Exportação e Importação
Onde: Porto Velho (RO)
Valor: R$ 100 milhões
A S LEIS DOS PORTOS JÁ AJUDARAM, MAS UMA NOVA GOVERNANÇA VAI MELHORAR AINDA MAIS…..
Portfólio de Projetos
NOVO MODELO DE GOVERNANÇA PORTUÁRIA
35
Portfólio de Projetos
Quarto Desafio – PARA OS NOVOS
EMPREENDIMENTOS PORTUÁRIO COMO
FAZER O MELHOR PLANEJAMENTO E PROJETO
POSSÍVEIS E MANTER BOAS CONDIÇÕES
AMBIENTAIS NA ÁREA DO NOVO PORTO QUE
ESTÃO SENDO DESENVOLVIDAS
AMBIENTE ATUAL: TURISMO, EXTRATIVISMO,
SUSTENTÁVEL
Porto Sul - Bahia
FUTURO: VIVEREMOS NUMA MAQUETE?
Como tratar com os novos empreendimentos portuários ?
UMA RESPOSTA PRÁTICA E EFICAZ
PODE SER UM SISTEMA DE
CERTIFICAÇÃO PORTUÁRIA
Portfólio de Projetos
CILIP: Centro de Inovação em Logistica e Infraestrutura Portuária
O CILIP – Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária –
tem como missão criar um centro de excelência para educação e
pesquisa em logística e infra-estrutura portuária, em um ambiente
colaborativo com a indústria e o setor público.
Ele é composto por diversos professores e pesquisadores do
Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da EPUSP, especialistas
nas áreas de Logística, Transportes e Infraestrutura Portuária.
O CILIP atua em Pesquisa, Educação Continuada e Projetos Aplicados,
voltados para a organização e o planejamento de sistemas de
transportes marítimo, fluvial, offshore e de cabotagem, além do
planejamento e gestão portuária e da análise de sistemas logísticos.
Coordenador: Prof. Dr. Rui Carlos Botter
Titular de Engenharia de Sistemas Logísticos
Portfólio de Projetos
Áreas de atuação do CILIP
Portfólio de Projetos
 Planos Diretores;
 Dimensionamento de redes de transportes;
 Projetos de sistemas intermodais e multimodais;
Análise de capacidade de portos e terminais;
Estudo de problemas de distribuição, com destaque para os
problemas de roteirização e programação de veículos;
Problemas de dimensionamento de frota;
Avaliação de impacto ambiental em instalações e operações
portuárias;
EVTEs;
Simulação de eventos discretos, simulação de agentes etc.
Áreas de atuação
Portfólio de Projetos
Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária
Innovation Center for Logistics and Ports Infrastructure
www.usp.br/cilip
www.facebook.com/cilipusp
www.twitter.com/CilipUSP
rcbotter@usp.br

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Chineses fazem renascer o sonho de Sines
Chineses fazem renascer o sonho de SinesChineses fazem renascer o sonho de Sines
Chineses fazem renascer o sonho de SinesCláudio Carneiro
 
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de SinesIII Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de SinesPortos de Portugal
 
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESINVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESaplop
 
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e IncertezasSHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezasaplop
 
Janela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesJanela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesaplop
 
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional Cláudio Carneiro
 
32 slides soluções logísticas no agronegócio do brasil 2015 2025 fev
32  slides  soluções  logísticas  no  agronegócio  do  brasil  2015 2025  fev32  slides  soluções  logísticas  no  agronegócio  do  brasil  2015 2025  fev
32 slides soluções logísticas no agronegócio do brasil 2015 2025 fevdelano chaves gurgel do amaral
 
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)aplop
 
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)aplop
 
Formação Prática no Espaço Lusófono
Formação Prática no Espaço LusófonoFormação Prática no Espaço Lusófono
Formação Prática no Espaço Lusófonoaplop
 
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)Feliciana Monteiro
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026Portos de Portugal
 
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA EMPRESA VALE NO ES
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA  EMPRESA VALE  NO ESLOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA  EMPRESA VALE  NO ES
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA EMPRESA VALE NO ESElionaldo Cruz
 
Cabotagem - Entraves e propostas de soluções
Cabotagem - Entraves e propostas de soluçõesCabotagem - Entraves e propostas de soluções
Cabotagem - Entraves e propostas de soluçõescomunicacaousuport
 
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sines
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de SinesI Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sines
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sinesaplop
 
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...ABRACOMEX
 

Mais procurados (19)

Chineses fazem renascer o sonho de Sines
Chineses fazem renascer o sonho de SinesChineses fazem renascer o sonho de Sines
Chineses fazem renascer o sonho de Sines
 
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de SinesIII Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
III Encontro de Portos da CPLP – Lídia Sequeira – Porto de Sines
 
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESESINVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
INVESTIMENTO NOS PORTOS PORTUGUESES
 
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e IncertezasSHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
SHIPPING – Momentos de Interessantes Tendências e Incertezas
 
“O Desenvolvimento da Navegação de Cabotagem no Brasil” - Wagner de Sousa Mor...
“O Desenvolvimento da Navegação de Cabotagem no Brasil” - Wagner de Sousa Mor...“O Desenvolvimento da Navegação de Cabotagem no Brasil” - Wagner de Sousa Mor...
“O Desenvolvimento da Navegação de Cabotagem no Brasil” - Wagner de Sousa Mor...
 
Janela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portuguesesJanela Única Logística dos portos portugueses
Janela Única Logística dos portos portugueses
 
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
A Análise de Sines como Ativo Geoestratégico Nacional
 
32 slides soluções logísticas no agronegócio do brasil 2015 2025 fev
32  slides  soluções  logísticas  no  agronegócio  do  brasil  2015 2025  fev32  slides  soluções  logísticas  no  agronegócio  do  brasil  2015 2025  fev
32 slides soluções logísticas no agronegócio do brasil 2015 2025 fev
 
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (1)
 
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)
Grupo de Trabalho da APLOP sobre Transporte Marítimo (2)
 
Formação Prática no Espaço Lusófono
Formação Prática no Espaço LusófonoFormação Prática no Espaço Lusófono
Formação Prática no Espaço Lusófono
 
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)
Novo Terminal de Contentores em Portugal, uma escolha difícil (parte 1)
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
 
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA EMPRESA VALE NO ES
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA  EMPRESA VALE  NO ESLOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA  EMPRESA VALE  NO ES
LOGÍSTICA PORTUÁRIA NA ÁREA DA EMPRESA VALE NO ES
 
Porto 24 Horas
Porto 24 HorasPorto 24 Horas
Porto 24 Horas
 
Jose Candido Senn
Jose Candido SennJose Candido Senn
Jose Candido Senn
 
Cabotagem - Entraves e propostas de soluções
Cabotagem - Entraves e propostas de soluçõesCabotagem - Entraves e propostas de soluções
Cabotagem - Entraves e propostas de soluções
 
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sines
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de SinesI Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sines
I Encontro de Portos da CPLP – Apresentação do Porto de Sines
 
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...
Comex INfoco: “Gestão Portuária: Oportunidades e Desafios da Profissão no Bra...
 

Semelhante a Rui Carlos Botter, ex presidente do instituto panamericano de engenharia naval

Investimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahiaInvestimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahiaPortal iBahia
 
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário pBndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário pIsis Perdigão
 
15º Fórum Anual Portos Brasil
15º Fórum Anual Portos Brasil15º Fórum Anual Portos Brasil
15º Fórum Anual Portos BrasilJuliana Ruffo
 
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011LLX
 
eBook – Operações portuárias - kmm.pdf
eBook – Operações portuárias - kmm.pdfeBook – Operações portuárias - kmm.pdf
eBook – Operações portuárias - kmm.pdfMarcos Boaventura
 
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de Turismo
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de TurismoRodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de Turismo
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de TurismoAlerj
 
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011LLX
 
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...ABRACOMEX
 
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes IntervenientesRotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientescomunicacaousuport
 
LLX Apresentação Setembro 2011
LLX Apresentação Setembro 2011LLX Apresentação Setembro 2011
LLX Apresentação Setembro 2011LLX
 
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011LLX
 
Portos secos, desafios e potencialidades
Portos secos, desafios e potencialidadesPortos secos, desafios e potencialidades
Portos secos, desafios e potencialidadesFeliciana Monteiro
 
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...ABRACOMEX
 
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-MandrakSão Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-MandrakMarco Coghi
 
A importância do planejamento portuário para a logística de mercado
A importância do planejamento portuário para a logística de mercadoA importância do planejamento portuário para a logística de mercado
A importância do planejamento portuário para a logística de mercadoJediel Silva
 

Semelhante a Rui Carlos Botter, ex presidente do instituto panamericano de engenharia naval (20)

Investimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahiaInvestimentos portuarios-brasil-bahia
Investimentos portuarios-brasil-bahia
 
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário pBndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
Bndes dimensionamento do potencial de investimento para o setor portuário p
 
15º Fórum Anual Portos Brasil
15º Fórum Anual Portos Brasil15º Fórum Anual Portos Brasil
15º Fórum Anual Portos Brasil
 
Treinamento este com caminhão
Treinamento   este com caminhãoTreinamento   este com caminhão
Treinamento este com caminhão
 
13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes13 alternativas de_financiamento_bndes
13 alternativas de_financiamento_bndes
 
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011
LLX Apresentação Corporativa Outubro 2011
 
eBook – Operações portuárias - kmm.pdf
eBook – Operações portuárias - kmm.pdfeBook – Operações portuárias - kmm.pdf
eBook – Operações portuárias - kmm.pdf
 
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de Turismo
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de TurismoRodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de Turismo
Rodoviária Novo Rio em audiência da Comissão de Turismo
 
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa Setembro 2011
 
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...
Analista de Logística em Comércio Exterior: Perfil do profissional, responsab...
 
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: PortosNota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
 
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes IntervenientesRotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
 
LLX Apresentação Setembro 2011
LLX Apresentação Setembro 2011LLX Apresentação Setembro 2011
LLX Apresentação Setembro 2011
 
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011
LLX Apresentação Corporativa - Setembro 2011
 
Portos
PortosPortos
Portos
 
Portos
PortosPortos
Portos
 
Portos secos, desafios e potencialidades
Portos secos, desafios e potencialidadesPortos secos, desafios e potencialidades
Portos secos, desafios e potencialidades
 
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...
Formação analista de logística - Perfil, responsabilidades e oportunidades pr...
 
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-MandrakSão Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak
São Paulo Berrini GEEPT9-Escopo-Mandrak
 
A importância do planejamento portuário para a logística de mercado
A importância do planejamento portuário para a logística de mercadoA importância do planejamento portuário para a logística de mercado
A importância do planejamento portuário para a logística de mercado
 

Mais de Jornal GGN

A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABC
A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABCA pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABC
A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABCJornal GGN
 
Vicente Abate, presidente da ABIFER
Vicente Abate, presidente da ABIFERVicente Abate, presidente da ABIFER
Vicente Abate, presidente da ABIFERJornal GGN
 
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicos
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicosMariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicos
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicosJornal GGN
 
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDES
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDESMarcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDES
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDESJornal GGN
 
Rubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febrabanRubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febrabanJornal GGN
 
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJErnani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJJornal GGN
 
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicampFernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicampJornal GGN
 
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febrabanRoberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febrabanJornal GGN
 
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLJornal GGN
 
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosManoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosJornal GGN
 
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloRoberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloJornal GGN
 
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...Jornal GGN
 
Revitalização das zonas mortas, André Fontan Kohler
Revitalização das zonas mortas, André Fontan KohlerRevitalização das zonas mortas, André Fontan Kohler
Revitalização das zonas mortas, André Fontan KohlerJornal GGN
 
Guillame Sibaud, Triptyque
Guillame Sibaud, TriptyqueGuillame Sibaud, Triptyque
Guillame Sibaud, TriptyqueJornal GGN
 
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?Jornal GGN
 
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópoles
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópolesErmínia Maricato, A revolução nas metrópoles
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópolesJornal GGN
 

Mais de Jornal GGN (16)

A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABC
A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABCA pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABC
A pedagogia interdisciplinar da Federal do ABC - Klaus Capelle, reitor da UFABC
 
Vicente Abate, presidente da ABIFER
Vicente Abate, presidente da ABIFERVicente Abate, presidente da ABIFER
Vicente Abate, presidente da ABIFER
 
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicos
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicosMariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicos
Mariano Laplane, presidente do centro de gestão e estudos estratégicos
 
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDES
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDESMarcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDES
Marcelo Trindade Miterhof, assessor da presidência do BNDES
 
Rubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febrabanRubens Sardenberg, economista chefe da febraban
Rubens Sardenberg, economista chefe da febraban
 
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJErnani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
Ernani Torres, professor do instituto de economia da UFRJ
 
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicampFernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
Fernando Nogueira da Costa, professor livre docente do ie unicamp
 
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febrabanRoberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
Roberto Luís Troster, ex economista-chefe da febraban
 
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPLBernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
Bernardo Figueiredo, idealizador e primeiro presidente da EPL
 
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetosManoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
Manoel Reis, coordenador de estudos logísticos da FGV projetos
 
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São PauloRoberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
Roberto Ravagnani, superintendente regional do DNIT em São Paulo
 
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...
Maurício Muniz Barreto de Carvalho, secretário do PAC, do ministério do pl...
 
Revitalização das zonas mortas, André Fontan Kohler
Revitalização das zonas mortas, André Fontan KohlerRevitalização das zonas mortas, André Fontan Kohler
Revitalização das zonas mortas, André Fontan Kohler
 
Guillame Sibaud, Triptyque
Guillame Sibaud, TriptyqueGuillame Sibaud, Triptyque
Guillame Sibaud, Triptyque
 
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?
João Whitaker Ferreira, Metrópole agradável: Que metrópole? Agradável para quem?
 
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópoles
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópolesErmínia Maricato, A revolução nas metrópoles
Ermínia Maricato, A revolução nas metrópoles
 

Rui Carlos Botter, ex presidente do instituto panamericano de engenharia naval

  • 1. Diagnóstico para Elaboração de Plano de Trabalho São Paulo, 29 de outbro de 2015 1 64º Fórum de Debates Brasilianas.org - Logística e Integração Territorial no Brasil Terceiro Painel - Balanço da Infraestrutura Portuária 2 Dr. Rui Carlos Botter Universidade de São Paulo
  • 2. Portfólio de Projetos A área portuária deverá atrair no próximos anos muitos investimentos; Motivos para tal não faltam, como por exemplo: aumento da demanda com a retomada do crescimento, disponibilidade de áreas nos portos organizados, a procura por autorizações de Terminais Privativos, entre outros INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
  • 3. Portfólio de Projetos A CNI em seu trabalho divulgado em 26/10/2015, aponta para mais de 20 projetos portuários http://www.portaldaindustria.com.br/cni/imprensa/2015/10/1,75244/logistica-do-sudeste-necessita-de-r-63-2- bilhoes-em-investimentos-ate-2020-para-garantir-escoamento-eficiente-da-producao.html INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
  • 4. Portfólio de Projetos Acompanhando essa tendência de crescimento portuário, algumas indagações serão feitas: quais desafios são esperados? como o setor deve se preparar? como será a relação público-privada? INTRODUÇÃO E MOTIVAÇÃO
  • 5. Portfólio de Projetos “Abrimos o mercado para um produto que podia valer pouco, mas a ideia era ganhar dinheiro com a logística, transformando uma distância física (a rota Brasil-Japão- Brasil) numa distância econômica “ Eliezer Batista HISTÓRICO DA LOGÍSTICA COM O SETOR DE TRANSPORTE E OS PORTOS
  • 6. Portfólio de Projetos Qual a missão da Logística Marítima e Portuária?
  • 7. Portfólio de Projetos TEM A MISSÃO DE INDICAR: O QUE? QUANTO? QUANDO? ONDE? COMO? • COMPRAR • TRANSPORTAR • ARMAZENAR • ATENDER À DEMANDA Ou seja, logística é muito mais abrangente do que transportar cargas
  • 8. Portfólio de Projetos “Gestão da Cadeia de Suprimentos é a integração dos processos do negócio desde o usuário final até os fornecedores originais que proporcionam os produtos, serviços e informações que agregam valor para o cliente” Supply Chain Management Cabe observar que em qualquer CS os terminais são extremamentes importantes como elo de ligação entre os modais
  • 9. Portfólio de Projetos Visão do CILIP sobre Sistemas Portuários Berthing Operation subsystem (Mooring, channel access...) A Chegada e atracação do NAVIOpre-operation Subsystem (inspections...) Load/Discharge Subsystem (Cranes, Trucks, ..) StockYard Subsystem (Reach Stackers, RTG, Trucks...) o rECEBIMENTO E POSICIONAMENTO dos CONTÊINERES Road and rail subsystem (gates, inspections, load/unload...)) Port Authority Shipping Companies (Clients) Road and Rail Companies (Users) Port Works, Unions...) Port Services (ex: Pilots and Tug Boat) Other Authorithies (Customs, Health, ...)
  • 10. Portfólio de Projetos Previsão de Demanda (Indutora de desenvolvimento)
  • 12. Portfólio de Projetos Mineral Produção em 2011 (1.000 ton) (A) Acréscimos até 2016 (1.000 ton) (B) Produção Prevista em 2016 (C)=(A+B) Variação (C/A) Agregados 673.000 176.000 849.000 26% Ferro 467.000 353.000 820.000 76% Bauxita 31.000 7.000 38.000 23% Manganês 2.600 400 3.000 15% Fosfato 1.800 700 2.500 39% Cobre 400 200 600 50% Potássio 290 2.110 2.400 728% Zinco 285 65 350 23% Nióbio 90 30 120 33% Níquel 70 30 100 43% Ouro 0,066 0,029 0,095 44% EXPECTATIVA DE AUMENTO DE PRODUÇÃO MINERAL BRASIL ATÉ 2016 Fonte: IBRAM estimativas Total 2016: ±1,700 bilhão de toneladas Curiosidade: Somente as 200 maiores minas do Brasil movimentam cerca de 764 milhões de toneladas ROM. O Brasil deve colher, na safra 2012/2013, mais de 183,5 milhões de toneladas de grãos, aumento de 10,5% em relação à safra anterior.
  • 14. Portfólio de Projetos Projeção da produção de soja. 14 - 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 Produção Consumo Exportação Importação Volume(miltoneladas) 2011 2015 2019 2022
  • 15. Portfólio de Projetos EIXO DA CONTEINERIZAÇÃO
  • 16. Portfólio de Projetos Projeção da movimentação de contêineres no Brasil Fonte: ILOS
  • 17. Portfólio de Projetos 17 Evolução da Operação Portuária Brasil e Mundo Orientador: Prof. Dr. Rui Carlos Botter Acompanham os navios Acompanham os equipamentos e terminais portuários Cresce a complexidade Cresce o Comércio
  • 18. Portfólio de Projetos 18 A indústria marítima, em especial o mercado de transporte de cargas em contêineres foi o que mais cresceu e continuará crescendo, principalmente em razão dos seguintes fatores: 1. Contínua expansão da contêinerização nos países desenvolvidos e em desenvolvimento; 2. Aumento do comércio de mercadorias de maior valor agregado; 3. Intensificação do processo de globalização 4. Crescimento no tamanho dos navios e consequente aumento de transbordo e dos serviços de navios feeder. Contudo cabe completar com novos fatores tais como: 1. Migração de alguns commodities e produtos básicos para o contêiner; 2. Aumento de terminais especializados no manuseio de contêineres; 3. Aumento da demanda contratada. E irá continuar crescendo ??? A resposta é SIM!
  • 19. Portfólio de Projetos Desafios a serem enfrentados
  • 20. Portfólio de Projetos Fonte: http://www.transportabrasil.com.br/2012/11/ferrovia-ja-e-responsavel-por-30-da-matriz-de-transportes- no-pais/ ALTERAÇÃO DA MATRIZ DO TRANSPORTE DE CARGAS
  • 21. Portfólio de Projetos ESTRUTURA MODAL DE TRANSPORTES
  • 23. Portfólio de Projetos A NAVEGAÇÃO FLUVIAL NO BRASIL (comparativo) Comparando hoje com o plano de 1869 pouco avançamos!
  • 24. Portfólio de Projetos Distribuição Detalhada de Custo de um Navio Navio Porta- Contêiner de 2700 TEU´s na Cabotagem 23% 6% 8% 19% 11% 20% 4% 1% 3% 2% 3% Impotos Gerais AFMM Capital Próprio Investido Financiamento Combustível Tarifas Portuárias Tripulação Suprimentos Manutenção Seguro Administração DIAGNÓSTICO DA NAVEGAÇÃO DE CABOTAGEM VISANDO À REGULAÇÃO DO SETOR Cabotagem
  • 25. Portfólio de Projetos Mineral Produção em 2011 (1.000 ton) (A) Acréscimos até 2016 (1.000 ton) (B) Produção Prevista em 2016 (C)=(A+B) Variação (C/A) Agregados 673.000 176.000 849.000 26% Ferro 467.000 353.000 820.000 76% Bauxita 31.000 7.000 38.000 23% Manganês 2.600 400 3.000 15% Fosfato 1.800 700 2.500 39% Cobre 400 200 600 50% Potássio 290 2.110 2.400 728% Zinco 285 65 350 23% Nióbio 90 30 120 33% Níquel 70 30 100 43% Ouro 0,066 0,029 0,095 44% EXPECTATIVA DE AUMENTO DE PRODUÇÃO MINERAL BRASIL ATÉ 2016 COMO SE PREPARAR PARA ATENDER O AUMENTO DA DEMANDA - 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 Produção Consumo Exportação Importação Volume(miltoneladas) 2011 2015 2019 2022 Projeção da produção de soja no Brasil. •COM PLANEJAMENTO DE ESTADO E DE FORMA CONSISTENTE •EVITAR A VISÃO ESTRATÉGICA QUE RESOLVE PROBLEMAS PONTUAIS E CRIA MAIS PROBLEMAS NO FUTURO
  • 29. Portfólio de Projetos Avaliar o sistema portuário e também os seus acessos Acesso Aquaviário: Dragagem, canal de acesso, canal de fundeio e área de manobras Acesso rodoviário: Estradas principais, secundárias e acessos aos terminais Acesso ferroviário: Pátios, peras e linhas Conflitos Porto x Cidade
  • 30. Portfólio de Projetos Porto de Leixões, Portugal e seu acesso rodoviário exclusivo
  • 31. Portfólio de Projetos Porto de Los Angeles: um exemplo de reformulação de área industrial 31 Fonte: 4 de outubro de 2012 - Marseille Congresso GreenPort-GC UPF
  • 32. Portfólio de Projetos Exemplos franceses de reconversão de docas: Le Havre e Marseille Euroméditerranée 32
  • 33. Portfólio de Projetos Porto de Santos e a área de Barnabé Bagres
  • 34. Portfólio de Projetos Como será a relação público-privada ? 34 1) Porto Sul 7) Estaleiro Brasa Onde: Ilhéus (BA) Onde: Niterói (RJ) Valor: R$ 2,422 bilhões Valor: R$ 60 milhões 2) Ultrafértil S.A. 8) Mineração Buritirama Onde: Santos (SP) Onde: Barcarena (PA) Valor: R$ 2,2 bilhões Valor: R$ 52,350 milhões 3) Bamim Bahia Mineração S.A. 9) Rio Turia Serviços Logísticos Ltda. Onde: Ilhéus (BA) Onde: Itaituba-PA Valor: R$ 898 milhões Valor: R$ 50,505 milhões 4) Estaleiro Jurong 10) Saipem do Brasil Onde: Aracruz (ES) Onde: Guarujá (SP) Valor: R$ 500 milhões Valor: R$ 17 milhões 5) Flexibrás - Technip 11) Ipiranga Produtos de Petróleo S.A. Onde: São João da Barra (RJ) Onde: Manaus (AM) Valor: R$ 142,450 milhões Valor: R$ 9,810 milhões 6) Amaggi Exportação e Importação Onde: Porto Velho (RO) Valor: R$ 100 milhões A S LEIS DOS PORTOS JÁ AJUDARAM, MAS UMA NOVA GOVERNANÇA VAI MELHORAR AINDA MAIS…..
  • 35. Portfólio de Projetos NOVO MODELO DE GOVERNANÇA PORTUÁRIA 35
  • 36. Portfólio de Projetos Quarto Desafio – PARA OS NOVOS EMPREENDIMENTOS PORTUÁRIO COMO FAZER O MELHOR PLANEJAMENTO E PROJETO POSSÍVEIS E MANTER BOAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS NA ÁREA DO NOVO PORTO QUE ESTÃO SENDO DESENVOLVIDAS AMBIENTE ATUAL: TURISMO, EXTRATIVISMO, SUSTENTÁVEL Porto Sul - Bahia FUTURO: VIVEREMOS NUMA MAQUETE? Como tratar com os novos empreendimentos portuários ? UMA RESPOSTA PRÁTICA E EFICAZ PODE SER UM SISTEMA DE CERTIFICAÇÃO PORTUÁRIA
  • 37. Portfólio de Projetos CILIP: Centro de Inovação em Logistica e Infraestrutura Portuária O CILIP – Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária – tem como missão criar um centro de excelência para educação e pesquisa em logística e infra-estrutura portuária, em um ambiente colaborativo com a indústria e o setor público. Ele é composto por diversos professores e pesquisadores do Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da EPUSP, especialistas nas áreas de Logística, Transportes e Infraestrutura Portuária. O CILIP atua em Pesquisa, Educação Continuada e Projetos Aplicados, voltados para a organização e o planejamento de sistemas de transportes marítimo, fluvial, offshore e de cabotagem, além do planejamento e gestão portuária e da análise de sistemas logísticos. Coordenador: Prof. Dr. Rui Carlos Botter Titular de Engenharia de Sistemas Logísticos
  • 38. Portfólio de Projetos Áreas de atuação do CILIP
  • 39. Portfólio de Projetos  Planos Diretores;  Dimensionamento de redes de transportes;  Projetos de sistemas intermodais e multimodais; Análise de capacidade de portos e terminais; Estudo de problemas de distribuição, com destaque para os problemas de roteirização e programação de veículos; Problemas de dimensionamento de frota; Avaliação de impacto ambiental em instalações e operações portuárias; EVTEs; Simulação de eventos discretos, simulação de agentes etc. Áreas de atuação
  • 40. Portfólio de Projetos Centro de Inovação em Logística e Infraestrutura Portuária Innovation Center for Logistics and Ports Infrastructure www.usp.br/cilip www.facebook.com/cilipusp www.twitter.com/CilipUSP rcbotter@usp.br