SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 20
PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO
PARA PLÁSTICO
João Francisco
Jorge da Cunha
Judson Barros
Mateus Soares
Pallomma Lobato
TIPOS DE CONFORMAÇÃO PARA PLÁSTICO
 Termoformação
 Fundição
 Conformação e Processamento de
Espumas Poliméricas
TERMOFORMAÇÃO
 Processo no qual uma chapa de termoplástico
é aquecida e conformada na forma desejada.
 Realizado em duas etapas principais:
• Aquecimento
• Conformação
 A duração do ciclo depende da espessura e
coloração do polímero.
 Apenas termoplásticos podem ser termoformados.
TIPOS DE TERMOFORMAÇÃO
 A vácuo
 Por pressão
 Mecânica
TERMOFORMAÇÃO Á VÁCUO
 Primeiro processo de termoformação
 A pressão negativa suga a chapa preaquecida para
dentro do molde.
TERMOFORMAÇÃO POR PRESSÃO
 Aplica-se uma pressão para forçar a placa para
dentro do molde.
 Pressão utilizada: entre 3 e 4 atm.
 Tipos de molde:
• Negativo
• Positivo
MOLDE NEGATIVO
MOLDE POSITIVO
TERMOFORMAÇÃO MECÂNICA
 Usa-se um molde positivo e um negativo que se
encaixam pressionando a peça a ser conformada.
 Não é usada nenhuma pressão de ar
 Vantagem:
• Controle dimensional.
• Detalhamento da
superfície em ambos
os lados.
 Desvantagem:
• São necessários dois
moldes.
VANTAGENS E DESVANTAGENS DA
TERMOFORMAÇÃO
 Vantagens:
• Baixo investimento em equipamentos e moldes.
• Produção de peças com diferentes espessuras em
um mesmo molde.
 Desvantagens:
• Alta perda de material.
• Difícil controle da uniformidade da espessura das
paredes.
APLICAÇÕES
FUNDIÇÃO
 O processo consiste em despejar a resina líquida
adicionada a outras substâncias que promovem
endurecimento (catalisadores ou agentes de cura)
dentro de um molde.
 Termoplásticos e termorrígidos podem ser
fundidos.
 Não é empregado
aquecimento ou pressão.
VANTAGENS E DESVANTAGENS
 Vantagens:
• O molde é simples e barato
• O produto é relativamente livre de tensões
residuais
• O processo permite que sejam alcançados alto
grau de planicidade e qualidades óticas desejáveis
nas chapas transparentes de plástico.
 Desvantagens:
• É um processo para baixa produção
• As peças sofrem contrações.
APLICAÇÕES
 Encapsulamento de produtos eletrônicos
 Brindes e pequenos adornos
 Amostras para microscópios
CONFORMAÇÃO E PROCESSAMENTO DE
ESPUMAS POLIMÉRICAS
 A espuma polimérica é uma mistura de polímero e
gás, que torna o material poroso ou celular. As
mais comuns são:
• Poliestireno
• Poliuretano
 Gases utilizados:
• Ar
• Nitrogênio
• Dióxido de carbono
PROPRIEDADES CARACTERÍSTICAS
 Baixa densidade.
 Alta resistência por unidade de peso
 Isolamento térmico
 Boa qualidade de absorção de energia
CLASSIFICAÇÃO DAS ESPUMAS POLIMÉRICAS
 Elastoméricas Borracha.
 Flexíveis Polímero altamente plástico.
 Rígidas Termoplástico rígido.
PROCESSOS DE ESPUMAÇÃO
 Por agitação mecânica: Mistura uma resina líquida com
ar, agitando-o mecanicamente, e em seguida o polímero é
endurecido por calor ou reação química.
 Por mistura de um agente físico de espumação:
Dissolve-se esse agente, que pode ser o 𝑁2ou o 𝐶5 𝐻12, no
polímero fundido sobre pressão, fazendo o gás sair da
solução e se expanda quando a pressão é reduzida.
 Por mistura de um agente químico de espumação:
Mistura-se compostos químicos ao polímero, que se
decompõe a altas temperaturas e liberam gases como 𝑁2
ou 𝐶𝑂2 dentro do polímero.
 Conformadas por
extrusão e
moldagem.
 Conformadas por
aspersão e
vazamento.
Espumas de Poliestireno Espumas de Poliuretano
APLICAÇÕES DE ESPUMAS POLIMÉRICAS
Embalagens
Copos para bebidas quentesMaterial isolante térmico

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Metal additive manufacturing
Metal additive manufacturing Metal additive manufacturing
Metal additive manufacturing Seby Varghese
 
Laminacao powerpoint 3 d3b
Laminacao powerpoint 3 d3bLaminacao powerpoint 3 d3b
Laminacao powerpoint 3 d3bMateushis
 
Plastics
PlasticsPlastics
Plasticscpandiv
 
18 compression and transfer molding v2
18 compression and transfer molding v218 compression and transfer molding v2
18 compression and transfer molding v2Lyle Wilson
 
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)Sílvio Júnior
 
Moldagem Por Extrusão - Adil Mussa
Moldagem Por Extrusão - Adil MussaMoldagem Por Extrusão - Adil Mussa
Moldagem Por Extrusão - Adil MussaAdillMussa
 
Injection molding
Injection molding Injection molding
Injection molding GAUTAM KUMAR
 
Polymer Extrusion problems & Defects
Polymer Extrusion problems & DefectsPolymer Extrusion problems & Defects
Polymer Extrusion problems & DefectsHany G. Amer
 
Plastics processing
Plastics processingPlastics processing
Plastics processingashokb27
 
Processos de conformação parte ii
Processos de conformação   parte iiProcessos de conformação   parte ii
Processos de conformação parte iiMaria Adrina Silva
 
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdfHORIZONARTEFATOSBORR
 

Mais procurados (20)

Metal additive manufacturing
Metal additive manufacturing Metal additive manufacturing
Metal additive manufacturing
 
Laminacao powerpoint 3 d3b
Laminacao powerpoint 3 d3bLaminacao powerpoint 3 d3b
Laminacao powerpoint 3 d3b
 
Plastics
PlasticsPlastics
Plastics
 
Ceramica
CeramicaCeramica
Ceramica
 
18 compression and transfer molding v2
18 compression and transfer molding v218 compression and transfer molding v2
18 compression and transfer molding v2
 
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)
Polímeros (Aplicações, propriedades e processos de fabricação)
 
Estampagem
EstampagemEstampagem
Estampagem
 
Polímeros(1)
Polímeros(1)Polímeros(1)
Polímeros(1)
 
Injection, blow molding
Injection, blow moldingInjection, blow molding
Injection, blow molding
 
Polimeros
PolimerosPolimeros
Polimeros
 
Moldagem Por Extrusão - Adil Mussa
Moldagem Por Extrusão - Adil MussaMoldagem Por Extrusão - Adil Mussa
Moldagem Por Extrusão - Adil Mussa
 
Injection molding
Injection molding Injection molding
Injection molding
 
Polymer Extrusion problems & Defects
Polymer Extrusion problems & DefectsPolymer Extrusion problems & Defects
Polymer Extrusion problems & Defects
 
Polimeros slide pdf
Polimeros slide pdfPolimeros slide pdf
Polimeros slide pdf
 
Laminação
Laminação Laminação
Laminação
 
Materiais modernos
Materiais modernosMateriais modernos
Materiais modernos
 
Plastics processing
Plastics processingPlastics processing
Plastics processing
 
Processos de conformação parte ii
Processos de conformação   parte iiProcessos de conformação   parte ii
Processos de conformação parte ii
 
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf
[MANO] Introdução a Polímeros - 2a ed.pdf
 
Blow moulding
Blow mouldingBlow moulding
Blow moulding
 

Semelhante a Processos de conformação para plástico

Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação Mecânica
Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação MecânicaMetalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação Mecânica
Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação MecânicaJenniffer Orzechowski
 
Outros processamentos 2015
Outros processamentos 2015Outros processamentos 2015
Outros processamentos 2015edsonfran
 
Apresentação plastico
Apresentação plasticoApresentação plastico
Apresentação plasticoarceariane87
 
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveisProcesso de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveisEmanoel S. Carvalho
 
Curso de Acrílicos
Curso de AcrílicosCurso de Acrílicos
Curso de AcrílicosCENNE
 
Ceramica 140621192036-phpapp01
Ceramica 140621192036-phpapp01Ceramica 140621192036-phpapp01
Ceramica 140621192036-phpapp01Carlos Monteiro
 
processos de fabricação laminação trefilacao.pptx
processos de fabricação laminação trefilacao.pptxprocessos de fabricação laminação trefilacao.pptx
processos de fabricação laminação trefilacao.pptxParticular
 
d6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdfd6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdfPaulo Silva
 
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdf
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdfProcessos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdf
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdfTulyhanderNascimento
 
Trabalho sinterização 2015
Trabalho  sinterização   2015Trabalho  sinterização   2015
Trabalho sinterização 2015Marcosdeheus
 
Tecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaTecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaMarmai
 
Relatorio ufcd 41 trabalho livre
Relatorio ufcd 41 trabalho livreRelatorio ufcd 41 trabalho livre
Relatorio ufcd 41 trabalho livreAndre Quendera
 

Semelhante a Processos de conformação para plástico (20)

Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação Mecânica
Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação MecânicaMetalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação Mecânica
Metalurgia do pó (Powder Metallurgy) - Conformação Mecânica
 
Outros processamentos 2015
Outros processamentos 2015Outros processamentos 2015
Outros processamentos 2015
 
Industrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticosIndustrias+de+plasticos
Industrias+de+plasticos
 
Apresentação plastico
Apresentação plasticoApresentação plastico
Apresentação plastico
 
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveisProcesso de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
Processo de fabricação de embalagens plásticas flexíveis
 
Apresentação
ApresentaçãoApresentação
Apresentação
 
Curso de Acrílicos
Curso de AcrílicosCurso de Acrílicos
Curso de Acrílicos
 
Rotomoldagem
RotomoldagemRotomoldagem
Rotomoldagem
 
Ceramica 140621192036-phpapp01
Ceramica 140621192036-phpapp01Ceramica 140621192036-phpapp01
Ceramica 140621192036-phpapp01
 
Cap 7 resumo (1)
Cap 7   resumo (1)Cap 7   resumo (1)
Cap 7 resumo (1)
 
processos de fabricação laminação trefilacao.pptx
processos de fabricação laminação trefilacao.pptxprocessos de fabricação laminação trefilacao.pptx
processos de fabricação laminação trefilacao.pptx
 
polióxido de metileno
polióxido de metilenopolióxido de metileno
polióxido de metileno
 
Laminacao 3D3A
Laminacao  3D3ALaminacao  3D3A
Laminacao 3D3A
 
Laminacao
LaminacaoLaminacao
Laminacao
 
d6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdfd6matPolimMod2.pdf
d6matPolimMod2.pdf
 
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdf
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdfProcessos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdf
Processos Industriais em polímeros - Aula - EQ.pdf
 
Trabalho sinterização 2015
Trabalho  sinterização   2015Trabalho  sinterização   2015
Trabalho sinterização 2015
 
Tecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureiaTecnologia de poliureia
Tecnologia de poliureia
 
Extrusão
ExtrusãoExtrusão
Extrusão
 
Relatorio ufcd 41 trabalho livre
Relatorio ufcd 41 trabalho livreRelatorio ufcd 41 trabalho livre
Relatorio ufcd 41 trabalho livre
 

Último

MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAMCassio Rodrigo
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralFranciscaArrudadaSil
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraGuilhermeLucio9
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfSamuel Ramos
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalleandroladesenvolvim
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individualpablocastilho3
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaGuilhermeLucio9
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréGuilhermeLucio9
 

Último (8)

MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAMMODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS  EQUIPAM
MODELO LAUDO AVALIAÇÃO MÁQUINAS EQUIPAM
 
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboralA Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
A Importância dos EPI's no trabalho e no dia a dia laboral
 
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade AnhangueraTecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
Tecnólogo em Mecatrônica - Universidade Anhanguera
 
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdfLivro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
Livro Vibrações Mecânicas - Rao Singiresu - 4ª Ed.pdf
 
Estatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animalEstatística aplicada à experimentação animal
Estatística aplicada à experimentação animal
 
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção IndividualTreinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
Treinamento de NR06 Equipamento de Proteção Individual
 
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurançaLEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
LEAN SIX SIGMA - Garantia da qualidade e segurança
 
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante TamandaréEletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
Eletricista instalador - Senai Almirante Tamandaré
 

Processos de conformação para plástico

  • 1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO PARA PLÁSTICO João Francisco Jorge da Cunha Judson Barros Mateus Soares Pallomma Lobato
  • 2. TIPOS DE CONFORMAÇÃO PARA PLÁSTICO  Termoformação  Fundição  Conformação e Processamento de Espumas Poliméricas
  • 3. TERMOFORMAÇÃO  Processo no qual uma chapa de termoplástico é aquecida e conformada na forma desejada.  Realizado em duas etapas principais: • Aquecimento • Conformação  A duração do ciclo depende da espessura e coloração do polímero.  Apenas termoplásticos podem ser termoformados.
  • 4. TIPOS DE TERMOFORMAÇÃO  A vácuo  Por pressão  Mecânica
  • 5. TERMOFORMAÇÃO Á VÁCUO  Primeiro processo de termoformação  A pressão negativa suga a chapa preaquecida para dentro do molde.
  • 6. TERMOFORMAÇÃO POR PRESSÃO  Aplica-se uma pressão para forçar a placa para dentro do molde.  Pressão utilizada: entre 3 e 4 atm.  Tipos de molde: • Negativo • Positivo
  • 9. TERMOFORMAÇÃO MECÂNICA  Usa-se um molde positivo e um negativo que se encaixam pressionando a peça a ser conformada.  Não é usada nenhuma pressão de ar  Vantagem: • Controle dimensional. • Detalhamento da superfície em ambos os lados.  Desvantagem: • São necessários dois moldes.
  • 10. VANTAGENS E DESVANTAGENS DA TERMOFORMAÇÃO  Vantagens: • Baixo investimento em equipamentos e moldes. • Produção de peças com diferentes espessuras em um mesmo molde.  Desvantagens: • Alta perda de material. • Difícil controle da uniformidade da espessura das paredes.
  • 12. FUNDIÇÃO  O processo consiste em despejar a resina líquida adicionada a outras substâncias que promovem endurecimento (catalisadores ou agentes de cura) dentro de um molde.  Termoplásticos e termorrígidos podem ser fundidos.  Não é empregado aquecimento ou pressão.
  • 13. VANTAGENS E DESVANTAGENS  Vantagens: • O molde é simples e barato • O produto é relativamente livre de tensões residuais • O processo permite que sejam alcançados alto grau de planicidade e qualidades óticas desejáveis nas chapas transparentes de plástico.  Desvantagens: • É um processo para baixa produção • As peças sofrem contrações.
  • 14. APLICAÇÕES  Encapsulamento de produtos eletrônicos  Brindes e pequenos adornos  Amostras para microscópios
  • 15. CONFORMAÇÃO E PROCESSAMENTO DE ESPUMAS POLIMÉRICAS  A espuma polimérica é uma mistura de polímero e gás, que torna o material poroso ou celular. As mais comuns são: • Poliestireno • Poliuretano  Gases utilizados: • Ar • Nitrogênio • Dióxido de carbono
  • 16. PROPRIEDADES CARACTERÍSTICAS  Baixa densidade.  Alta resistência por unidade de peso  Isolamento térmico  Boa qualidade de absorção de energia
  • 17. CLASSIFICAÇÃO DAS ESPUMAS POLIMÉRICAS  Elastoméricas Borracha.  Flexíveis Polímero altamente plástico.  Rígidas Termoplástico rígido.
  • 18. PROCESSOS DE ESPUMAÇÃO  Por agitação mecânica: Mistura uma resina líquida com ar, agitando-o mecanicamente, e em seguida o polímero é endurecido por calor ou reação química.  Por mistura de um agente físico de espumação: Dissolve-se esse agente, que pode ser o 𝑁2ou o 𝐶5 𝐻12, no polímero fundido sobre pressão, fazendo o gás sair da solução e se expanda quando a pressão é reduzida.  Por mistura de um agente químico de espumação: Mistura-se compostos químicos ao polímero, que se decompõe a altas temperaturas e liberam gases como 𝑁2 ou 𝐶𝑂2 dentro do polímero.
  • 19.  Conformadas por extrusão e moldagem.  Conformadas por aspersão e vazamento. Espumas de Poliestireno Espumas de Poliuretano
  • 20. APLICAÇÕES DE ESPUMAS POLIMÉRICAS Embalagens Copos para bebidas quentesMaterial isolante térmico