Processo de Conformação para o Plástico

1.900 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre processos de conformação para o plástico

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.900
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
49
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Processo de Conformação para o Plástico

  1. 1. PROCESSOS DE CONFORMAÇÃO PARA PLÁSTICO João Francisco Jorge da Cunha Judson Barros Mateus Soares Pallomma Lobato
  2. 2. TIPOS DE CONFORMAÇÃO PARA PLÁSTICO  Termoformação  Fundição  Conformação e Processamento de Espumas Poliméricas
  3. 3. TERMOFORMAÇÃO  Processo no qual uma chapa de termoplástico é aquecida e conformada na forma desejada.  Realizado em duas etapas principais: • Aquecimento • Conformação  A duração do ciclo depende da espessura e coloração do polímero.  Apenas termoplásticos podem ser termoformados.
  4. 4. TIPOS DE TERMOFORMAÇÃO  A vácuo  Por pressão  Mecânica
  5. 5. TERMOFORMAÇÃO Á VÁCUO  Primeiro processo de termoformação  A pressão negativa suga a chapa preaquecida para dentro do molde.
  6. 6. TERMOFORMAÇÃO POR PRESSÃO  Aplica-se uma pressão para forçar a placa para dentro do molde.  Pressão utilizada: entre 3 e 4 atm.  Tipos de molde: • Negativo • Positivo
  7. 7. MOLDE NEGATIVO
  8. 8. MOLDE POSITIVO
  9. 9. TERMOFORMAÇÃO MECÂNICA  Usa-se um molde positivo e um negativo que se encaixam pressionando a peça a ser conformada.  Não é usada nenhuma pressão de ar  Vantagem: • Controle dimensional. • Detalhamento da superfície em ambos os lados.  Desvantagem: • São necessários dois moldes.
  10. 10. VANTAGENS E DESVANTAGENS DA TERMOFORMAÇÃO  Vantagens: • Baixo investimento em equipamentos e moldes. • Produção de peças com diferentes espessuras em um mesmo molde.  Desvantagens: • Alta perda de material. • Difícil controle da uniformidade da espessura das paredes.
  11. 11. APLICAÇÕES
  12. 12. FUNDIÇÃO  O processo consiste em despejar a resina líquida adicionada a outras substâncias que promovem endurecimento (catalisadores ou agentes de cura) dentro de um molde.  Termoplásticos e termorrígidos podem ser fundidos.  Não é empregado aquecimento ou pressão.
  13. 13. VANTAGENS E DESVANTAGENS  Vantagens: • O molde é simples e barato • O produto é relativamente livre de tensões residuais • O processo permite que sejam alcançados alto grau de planicidade e qualidades óticas desejáveis nas chapas transparentes de plástico.  Desvantagens: • É um processo para baixa produção • As peças sofrem contrações.
  14. 14. APLICAÇÕES  Encapsulamento de produtos eletrônicos  Brindes e pequenos adornos  Amostras para microscópios
  15. 15. CONFORMAÇÃO E PROCESSAMENTO DE ESPUMAS POLIMÉRICAS  A espuma polimérica é uma mistura de polímero e gás, que torna o material poroso ou celular. As mais comuns são: • Poliestireno • Poliuretano  Gases utilizados: • Ar • Nitrogênio • Dióxido de carbono
  16. 16. PROPRIEDADES CARACTERÍSTICAS  Baixa densidade.  Alta resistência por unidade de peso  Isolamento térmico  Boa qualidade de absorção de energia
  17. 17. CLASSIFICAÇÃO DAS ESPUMAS POLIMÉRICAS  Elastoméricas Borracha.  Flexíveis Polímero altamente plástico.  Rígidas Termoplástico rígido.
  18. 18. PROCESSOS DE ESPUMAÇÃO  Por agitação mecânica: Mistura uma resina líquida com ar, agitando-o mecanicamente, e em seguida o polímero é endurecido por calor ou reação química.  Por mistura de um agente físico de espumação: Dissolve-se esse agente, que pode ser o 𝑁2ou o 𝐶5 𝐻12, no polímero fundido sobre pressão, fazendo o gás sair da solução e se expanda quando a pressão é reduzida.  Por mistura de um agente químico de espumação: Mistura-se compostos químicos ao polímero, que se decompõe a altas temperaturas e liberam gases como 𝑁2 ou 𝐶𝑂2 dentro do polímero.
  19. 19.  Conformadas por extrusão e moldagem.  Conformadas por aspersão e vazamento. Espumas de Poliestireno Espumas de Poliuretano
  20. 20. APLICAÇÕES DE ESPUMAS POLIMÉRICAS Embalagens Copos para bebidas quentesMaterial isolante térmico

×