Inovação e Sustentabilidade

547 visualizações

Publicada em

Apresentação Artigo "Inovação e Sustentabilidade"

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
547
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Inovação e Sustentabilidade

  1. 1. PPGMAD Mestrado em Administração Inovação e Sustentabilidade Prof. Osmar Siena, Doutor. Prof. Carlos André da Silva Muller, Doutor. Prof. Flávio de São Pedro Filho, Doutor. Ambiente Virtual e Sustentabilidade: análise das práticas de sustentabilidade Do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia Mestrando, Jorge Eduardo Pimentel da Lapa Porto Velho – Rondônia, 2012
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO A Inovação Sustentável surge como estratégia competitiva de empresas que visualizam na necessidade por sustentabilidade e oportunidades para a inovação. Conceitualmente, é a fusão entre os termos, e pode ser entendida como aquela que cria valor agregado sem comprometer o atendimento às necessidades das gerações futuras. Neste trabalho, iniciado por um processo de revisão bibliográfica dos últimos 10 anos, buscou-se analisar as perspectivas da inovação sustentável. O objetivo primário é constituir um arcabouço teórico sobre o tema, apresentando desdobramentos que poderão gerar novos estudos, contribuindo para o debate acadêmico do tema.
  3. 3. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.1 Inovação Inovação é um conceito cuja definição não há unanimidade. De acordo com Cobbenhagen (2000) inovação pode ser manifesta tanto como um processo destrutivo, como construtivo, a qual traz uma grande incerteza associada. Schumpeter (1997) introduziu o conceito de inovação para representar as novas combinações econômicas em situações de grandes mudanças econômicas. Como inovações ele classificou as seguintes situações: • Introdução de um novo bem ou uma nova qualidade de algum bem não conhecido; • Introdução de um novo método de produção; • Abertura de um novo mercado para uma filial ou empresa, mesmo que já existente; (W. Chan Kim e Renée Mauborgne, Blue Ocean Strategy...) • A conquista de uma nova fonte de suprimento como matéria prima; • Uma nova condição econômica da empresa em relação ao mercado, por exemplo, um monopólio ou a quebra de um monopólio.
  4. 4. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.2 Desenvolvimento Sustentável O conceito de desenvolvimento sustentável vem de um processo longo, contínuo e complexo de reavaliação crítica da relação existente entre a sociedade civil com seu meio natural, assumindo diversas abordagens e concepções. Apresentar progresso em direção à sustentabilidade é uma escolha da sociedade, das organizações, das comunidades e dos indivíduos, devendo existir um grande envolvimento de todos os segmentos (BELLEN,2005). Desenvolvimento sustentável, dentro de uma abordagem atual, é aquele capaz de suprir as necessidades da geração atual, sem comprometer a capacidade de atender as necessidades das futuras gerações. É o desenvolvimento que não esgota os recursos para o futuro (PHILIPPI, 2005).
  5. 5. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.3 Sustentabilidade Empresarial Face às rápidas mudanças no mundo empresarial, as organizações passaram a assimilar novas práticas com um diferencial além de metas e resultados: a transformação socioambiental – cultural de seu clima organizacional interno e externo. Levadas pela avalanche de valores induzidos pela dinâmica da civilização e pelo esgotamento dos recursos naturais, as empresas despertam para a preocupação da preservação do meio ambiente (ALMEIDA, 2003). Figura 1 – Triple Bottom Line
  6. 6. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.4 Relação entre Inovação e Sustentabilidade O debate acerca do desenvolvimento sustentável é passivo de diversos pontos de vista. Muitas empresas ainda consideram esta questão simplesmente como custos, e colocam em cheque a competitividade de empresas que investem em ações sustentáveis. No entanto, este conceito vem sendo criticado. Para Porter e Van der Linde (1995), padrões ambientais adequadamente desenvolvidos podem catalisar inovações, diminuindo custos e agregando valores, permitindo, portanto, uso mais eficiente dos recursos. Por isso, segundo os autores, esta produtividade de recursos torna as empresas mais competitivas e não menos.
  7. 7. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.4 Relação entre Inovação e Sustentabilidade (cont...) De acordo com Nidumolu, Prahalad e Rangaswami (2009), a sustentabilidade é um rico filão de inovações organizacionais e tecnológicas capazes de gerar resultados e que empresas inteligentes estão tratando a sustentabilidade como uma nova fronteira da inovação. A relação entre inovação e o desenvolvimento sustentável pode ser efetuada sob a ótica do triple bottom line, estabelecendo uma relação sistêmica entre as dimensões da inovação. Figura 1 – Triple Bottom Line Figura 2 – Triple Bottom Line no contexto da inovação
  8. 8. 2. REFENCIAL TEÓRICO 2.4 Relação entre Inovação e Sustentabilidade (cont...) De acordo com Nidumolu, Prahalad e Rangaswami (2009), Uma análise deste modelo contextualiza as dimensões da inovação no contexto sócio-econômico-ambiental. Evoluindo nesta linha de raciocínio, é possível estabelecer a relação sustentabilidade-inovação a partir do modelo do Triple Helix. Figura 3 – Triple Helix no contexto da sustentabilidade
  9. 9. 3 METODOLOGIA Para realização da pesquisa bibliográfica foi definido o diagrama de árvore dos termos a serem pesquisados. Partindo do foco da análise, a Inovação Sustentável, pode-se desdobrar em outros conceitos, conforme apresentado na figura 4. Essa estrutura conceitual foi utilizada como base para o referencial teórico deste artigo. Figura 4 - Diagrama Hierárquico – Inovação Sustentável
  10. 10. 3 METOLOGIA O Processo lógico da metodologia pesquisa foi definido de acordo com a figura 5. Figura 5 - Processo Lógico da Metodologia de Pesquisa – 1 a 15 de junho de 2012
  11. 11. 4 DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA O processo de pesquisa, conforme apresentado na metodologia, foi realizado tendo como base os termos em inglês para sustentabilidade, sustentável, inovação e inovação sustentável: • “Sustainability”, • “Sustainable”, • “Innovation” e • “Sustainable Innovation”.
  12. 12. 4 DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA 4.1 Resultados para a busca na base Capes A busca por artigos foi iniciada na base Capes, estabelecendo critérios para a consecução da pesquisa: selecionar e filtrar as publicações relacionadas aos termos básicos da pesquisa. Seleção de artigos utilizando os termos “Sustainability or Sustainable and Innovation. Foram encontrados um total de 13.529 registros de artigos publicados nos últimos dez anos. Para filtrar a pesquisa descrita foram selecionadas as seguintes áreas de conhecimento que trazem a tona os elementos essenciais a serem observados: • Sustainable Development; • Innovation; • Sustainability; • Globalization; • Corporate Social Responsability; • Renewable Energy; • Health Care Industry; • Competitive Strategy; • Small Bussiness; • Green It.
  13. 13. 4 DESENVOLVIMENTO DA PESQUISA 4.1 Resultados para a busca na base Capes Esse refinamento resultou em um total de 4.682 registros de artigos na base possibilitando: • Agrupar em tabela os periódicos com maior número de publicações sobre o tema; • Agrupar em tabela os 10 artigos mais recentes; • Agrupar em tabela os 10 artigos mais antigos;
  14. 14. 5 RESULTADO DA PESQUISA Como resultado da pesquisa, foi possível identificar os principais autores e veículos de Informação do conceito “Inovação Sustentável”. A partir do estudo apresentado neste artigo, foram identificadas as principais vertentes teóricas sobre o conceito em questão. A análise dos artigos mais antigos e dos artigos mais recentes sobre o tema permitiu uma visão temporal da evolução do tema. Os gráficos 1, 2 e 3 mostram a evolução do número de publicações dos conceitos de sustentabilidade, inovação e inovação sustentável.
  15. 15. 5 RESULTADO DA PESQUISA Gráfico 1 – Número de Publicações do Termo “Sustainability” Fonte: Base de Dados Capes, 2012.
  16. 16. 5 RESULTADO DA PESQUISA Gráfico 2 – Número de Publicações do Termo “Innovation” Fonte: Base de Dados Capes, 2012.
  17. 17. 5 RESULTADO DA PESQUISA Gráfico 1 – Número de Publicações do Termo “Sustainability or Suastainable and Innovation” Fonte: Base de Dados Capes, 2012.
  18. 18. 5 RESULTADO DA PESQUISA Em síntese, uma análise de revisão bibliográfica é o ponto de partida para qualquer trabalho acadêmico. A metodologia da revisão bibliográfica apresentada neste artigo possibilita o caráter motivador para futuras pesquisas e aprofundamentos. O debate conceitual de inovação sustentável é recente, mas conforme foi apresentado, tem crescido acentuadamente. Sob esta ótica, este artigo abre campo para o desenvolvimento teórico de conceitos que podem ser amplamente explorados, a exemplo Triple Helix no contexto sustentável e do Triple Botton Line em aspectos sistêmicos.
  19. 19. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS A partir de 2001, marco inicial da pesquisa a hipótese de que o progresso social, a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável dependem, inicialmente, da própria sociedade. Verificou-se, também que as demandas públicas e privadas em relato ao desenvolvimento sustentável pressionam as organizações a desenvolverem estratégias que incluam pautas ambientais. Entretanto, esqueceram-se ou não levaram em consideração a competência das organizações de otimizar o ciclo de vida total e a realização ambiental dos seus produtos. Tais aspectos não produzem, necessariamente, uma perspectiva e desenvolvimento sustentável e sim, controle e exigências através normas e políticas. Verificou-se, também, um modelo de excelência, pautado na responsabilidade social empresarial, cujos princípios remetem ao forte conhecimento das regras do negócio, tendo alicerce nos processos de aprendizagem individual e organizacional, dando ênfase para o aprendizado contínuo e a inovação. Em última instancia verificou-se que emergia a concepção de que a inovação, atrelada ao uso de novas tecnologias, seria um dos principais fatores para ajudar a manter um ambiente equilibrado.
  20. 20. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Pode-se perceber, a partir do marco inicial da pesquisa um avanço do conceito de desenvolvimento sustentável, cujo sucesso necessita dos avanços democráticos da sociedade, do avanço das políticas públicas e aumento de investimentos, de um modelo organizacional pautado no processo contínuo de melhorias, pautadas em inovação e na geração de fontes sustentáveis.
  21. 21. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Dando um salto para o limite temporal da pesquisa, verificou-se a crescente preocupação em relato a sustentabilidade, nas ações presentes sobre os ecossistemas, sociedades e ambientes do futuro. Tais preocupações devem refletir-se no modo de vida da sociedade e no caminhar das organizações. Verificou-se, também, que para a efetividade das questões pertinentes a sustentabilidade, deve-se prover maior participação pública a nível consciente e melhoria na gestão nas organizações no tocante a conservação e o uso adequado dos recursos naturais para reduzir o impacto negativo no ambiente. Foi possível observar que as gerações do conhecimento, com forte alinhamento através da inovação e do uso de tecnologias, remetem a necessidade de estabelecer novos modelos de negócios com maior integração com o ambiente natural e nos aspectos que tangem a pesquisa e desenvolvimento de produtos e energia de fontes renováveis. Contudo, embora tenha havido uma proliferação de interesses na prática de negócios sustentáveis, ficou evidente a preocupação com a relativa negligência dos aspectos sociais e ambientais, devido a falta do senso pragmático das reais práticas sustentáveis
  22. 22. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Em suma, a sustentabilidade representa uma importante etapa que remete a responsabilidade social, na ruptura de um modelo velho e na criação de um modelo novo de pensar e fazer negócios, baseado na realização efetiva do triple bottom line, isto é, na conjugação de resultados econômicos-financeiros, sociais e ambientais, cada um deles com o mesmo peso de importância. Contudo, às vezes verifica-se o termo sustentabilidade associados a conceitos e definições diversos. Isto denota, de certa forma, um tom abstrato e incompreensível, pela forma como é conduzido e pela incerteza do seu senso prático.
  23. 23. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS ALMEIDA, F. O bom negócio da sustentabilidade. São Paulo. Ed. Peirópolis, 2003; BELLEN, H. M. V. Indicadores de sustentabilidade: uma análise comparativa. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2005. 253 p. BIEKER, T. et al. Towards a sustainability balanced scored linking environmental and social sustainability to business strategy. St. Gallen, 2002. COBBENHAGEN, J. Successful Innovation. Edwards Elgar Publishing. USA. 2000 DRUCKER, P. Inovação e espírito empreendedor. Pioneira. São Paulo. 1987. FREEMAN, Chistopher. A Economia da Inovação Industrial. Campinas, SP – Editora da Unicamp, 2008. HAMEL, G. e PRAHALAD, C. K.Competindo pelo futuro. Editora. Campus, 2005. GOMES, E.; BRAGA, F. Construção de um sistema de inteligência competitiva. São Paulo: Saraiva, 2005.
  24. 24. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS (cont...) NIDUMOLU, Ram; PRAHALAD, C. K.; RANGASWAMI, M.R. Por que a sustentabilidade é a chave para a inovação?. Harvard Business Review, September 2009 OECD -ORGANISATION FOR ECONOMIC CO-OPERATION AND DEVELOPMENT. The Knowkedge-base Economy. 1996. PHILIPPI JR A, organizador. Curso de gestão ambiental. São Paulo: Manole; 2005 PORTAL DE PERIÓDICOS CAPES. Disponível em http://www.periodicos.capes.gov.br PORTER, M. E. Estratégia competitiva: técnicas para análise da indústria e da concorrência. 16. ed. Rio de Janeiro: Campus, 1986. SCHUMPETER, J. Teoria do Desenvolvimento Econômico. São Paulo. Editora Nova Cultura. 1997. UTTERBACK, James. Dominando a Dinâmica da Inovação. Rio de Janeiro: Quality Mark, 1994.
  25. 25. 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Obrigado!

×