SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
 Com o fim da 2.ª Guerra Mundial, Portugal
a par de Espanha permaneceu fascista,
enquanto que a maioria dos países
Europeus viviam em democracia.
ESPANHA PORTUGAL
 O governo dirigido por
António de Oliveira
Salazar criou vários
órgãos, o objectivo era
eliminar a oposição;
 Para impedir a
organização política das
forças opositoras, foi
criada a Polícia Política
que acabaria por ficar
conhecida como PIDE ;
 A censura vigiava a
imprensa, o cinema, o
teatro, a televisão e de
certo modo toda a
produção cultural.
 Como já referimos, Portugal vivia nesta época
em regime ditatorial, existindo portanto falta de
democracia, apesar de não ser essa a ideia que
Salazar pretendia fazer passar para o exterior;
 Em Portugal os resultados eleitorais eram
manipulados pelo governo, geralmente a
oposição desistia antes da realização do acto
eleitoral;
 Não existia liberdade de expressão e livre
iniciativa política.
 Apesar de todas as adversidades, existiram
sempre indivíduos que se opunham ao regime
salazarista. Alguns destes opositores
organizaram-se secretamente dando origem ao
Partido Comunista que tinha grande apoio dos
operários e dos camponeses alentejanos;
 Após a Segunda Guerra Mundial, todos os países
da Europa concederam a independência às suas
colónias. No entanto, Portugal não o fez,
tornando-se assim o último Império Colonial da
Europa. Salazar considerava as colónias como
efectivo território nacional.
 Quando se tornou membro da ONU, em 1955,
Portugal recebeu ordem para conceder a
independência às colónias, contudo não acatou
essa ordem e declarou que todos os habitantes
das colónias eram cidadãos portugueses;
Bandeira da
ONU
 As colónias passaram a ser designadas por
províncias ultramarinas;
 A ONU continuou a exercer pressão sobre
Portugal, mas Salazar mostrou-se irredutível;
 Formaram-se vários movimentos de
independência por parte dos países colonizados;
 É o primeiro passo para a guerra colonial.
 Com o surgimento dos movimentos de
independência, o chefe do governo português
viu-se obrigado a enviar forças militares para as
colónias;
Embarque das tropas
portuguesas para o
Ultramar
 Salazar aplicou a máxima “para Angola
rapidamente e em força”;
 A guerra começou em três frentes: Angola
(1961), Guiné ( 1963) e Moçambique (1964).
 O desejo de Independência das Colónias foi
aumentando com o desenrolar da guerra.
António de Oliveira
Salazar
 A Guerra Colonial
consistiu, assim, no
conflito armado
entre Portugal e as
colónias: Angola,
Moçambique e
Guiné.
 Esta guerra colonial
teve a duração de
treze anos - entre
1961 e 1974.
Portugal Moçambique
Angola Guiné
 Com a Guerra aumentaram os custos
económicos relacionados com as Forças
Armadas Portuguesas;
 Elevado número de perdas humanas;
 Elevado número de feridos e incapacitados;
 A guerra afectará também a população civil;
 Os designados Veteranos de Guerra sofreram
com esta situação. Para além de assistirem por
vezes à morte dos companheiros, muitos deles
ficaram deficientes a nível físico e sofrem do
chamado stress pós-traumático.
Soldados a
combater
Soldado ferido a
ser auxiliado pelos
companheiros
Funeral de um
soldado
português
Mortos 9mil
Feridos 15a30mil
Comstresspós-traumático 140mil
N.º de Soldados
Refeição dos Soldados
Convívio entre soldados
Frente de Batalha
Paradas Militares
Algum Armamento
A guerra termina em 1974. Com o 25 de Abril é
proclamada a independência da Guiné e Cabo
Verde e em 1975 de Angola, Moçambique e S.
Tomé e Príncipe;
Começou então nas colónias um processo de
democratização que se iria arrastar de forma
instável durante vários anos;
 Com o fim da guerra regressam a Portugal muitos
dos portugueses e outros cidadãos europeus que
habitavam as colónias - são os retornados.
Retornados de
Moçambique
no regresso a
Lisboa.
 A guerra foi longa (1961-1974) e morosa para
Portugal;
 As perdas humanas foram muito significativas;
 Contribuiu para o atraso económico de
Portugal;
 Com o fim da guerra muitos dos portugueses
que habitavam as colónias regressaram a
Portugal;
 Muitos dos soldados que participaram da
ofensiva de guerra sofrem de stress pós-
traumático.
Cronologia dos Principais
acontecimentos relacionados com
a Guerra
 1961- Início da Guerra;
 1973- Declaração de Independência da Guiné
( 24 de Setembro);
 1974- Revolução dos Cravos ( 25 de Abril);
 1974- Reconhecimento de Independência da
Guiné (10 de Setembro);
 1975- Declaração de Independência de
Moçambique (25 de Junho);
 1975- Independência de Angola (11 de
Novembro);
Webgrafia
 http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_Coloni
al_Portuguesa
 http://guerracolonial.home.sapo.pt/
 http://www.citi.pt/cultura/politica/25_de_a
bril/guerra_colonial.html
 http://ultramar.terraweb.biz/
 http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php?
wakka=guerracolonial
Trabalho realizado
por:
 Diogo Lourenço
 9ºA
 Nº 5
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonialguesta8ae2
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunosVítor Santos
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoEscoladocs
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democraciahome
 
2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonizaçãoCarlos Vieira
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30Vítor Santos
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialSusana Simões
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.home
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xxVítor Santos
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardashome
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacionalVítor Santos
 
Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820Joana Filipa Rodrigues
 
Do autoritarismo à Democracia
Do autoritarismo à DemocraciaDo autoritarismo à Democracia
Do autoritarismo à DemocraciaCarlos Vieira
 
M8 teste 3 ... correção
M8   teste 3 ... correçãoM8   teste 3 ... correção
M8 teste 3 ... correçãoMónica Esteves
 
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolíticoVítor Santos
 
1 globalização
1 globalização1 globalização
1 globalizaçãomanuela3016
 

Mais procurados (20)

Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
 
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
8 02 portugal do autoritarismo à democracia alunos
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
O Estado Novo
O Estado NovoO Estado Novo
O Estado Novo
 
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da DemocraciaPortugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
Portugal. Da Revolução de 25 de Abril à estabilização da Democracia
 
2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização2º vaga de descolonização
2º vaga de descolonização
 
Onu
OnuOnu
Onu
 
7 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 307 02 o_agudizar_anos 30
7 02 o_agudizar_anos 30
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
 
Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.Portugal no primeiro pós-guerra.
Portugal no primeiro pós-guerra.
 
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
7 01 parte_1_as_transformações_das_primeiras_décadas_do_século_xx
 
Portugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardasPortugal. naturalismo e vanguardas
Portugal. naturalismo e vanguardas
 
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºanoModulo 8 e 9 historia A 12ºano
Modulo 8 e 9 historia A 12ºano
 
7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional7 03 a degradação do ambiente internacional
7 03 a degradação do ambiente internacional
 
Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820Revolução liberal portuguesa de 1820
Revolução liberal portuguesa de 1820
 
áSia pacifico
áSia   pacificoáSia   pacifico
áSia pacifico
 
Do autoritarismo à Democracia
Do autoritarismo à DemocraciaDo autoritarismo à Democracia
Do autoritarismo à Democracia
 
M8 teste 3 ... correção
M8   teste 3 ... correçãoM8   teste 3 ... correção
M8 teste 3 ... correção
 
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
8 01 nascimento e afirmação de um novo quadro geopolítico
 
1 globalização
1 globalização1 globalização
1 globalização
 

Destaque

A guerra colonial
A guerra colonialA guerra colonial
A guerra colonialmaria40
 
Guerra colonial-175.ppt
Guerra colonial-175.pptGuerra colonial-175.ppt
Guerra colonial-175.pptFrederico
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novocruchinho
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado NovoCarlos Vieira
 
Guerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial PortuguesaGuerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial PortuguesaAnaRSC
 
O espaço económico ásia pacífico
O espaço económico ásia pacíficoO espaço económico ásia pacífico
O espaço económico ásia pacíficoJoana Oliveira
 
Movimentos de independência
Movimentos de independênciaMovimentos de independência
Movimentos de independênciamaria40
 
Imagens com energia
Imagens com energiaImagens com energia
Imagens com energiaAna Valente
 
Descolonização
DescolonizaçãoDescolonização
DescolonizaçãoMaria Gomes
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império portuguêsCarla Freitas
 
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIO Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIBeatriz Moscatel
 

Destaque (16)

A guerra colonial
A guerra colonialA guerra colonial
A guerra colonial
 
Guerra colonial-175.ppt
Guerra colonial-175.pptGuerra colonial-175.ppt
Guerra colonial-175.ppt
 
Salazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado NovoSalazar e o Estado Novo
Salazar e o Estado Novo
 
Guerra Colonial
Guerra ColonialGuerra Colonial
Guerra Colonial
 
Portugal Estado Novo
Portugal   Estado NovoPortugal   Estado Novo
Portugal Estado Novo
 
Guerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial PortuguesaGuerra Colonial Portuguesa
Guerra Colonial Portuguesa
 
Museu Guerra Colonial
Museu Guerra ColonialMuseu Guerra Colonial
Museu Guerra Colonial
 
Guerra colonial
Guerra colonialGuerra colonial
Guerra colonial
 
O espaço económico ásia pacífico
O espaço económico ásia pacíficoO espaço económico ásia pacífico
O espaço económico ásia pacífico
 
Movimentos de independência
Movimentos de independênciaMovimentos de independência
Movimentos de independência
 
Imagens com energia
Imagens com energiaImagens com energia
Imagens com energia
 
Livros novos
Livros novosLivros novos
Livros novos
 
Descolonização
DescolonizaçãoDescolonização
Descolonização
 
O império português
O império portuguêsO império português
O império português
 
A guerra colonial
A guerra colonialA guerra colonial
A guerra colonial
 
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIIIO Império Colonial Português no Séc. XVIII
O Império Colonial Português no Séc. XVIII
 

Semelhante a Portugal's Colonial War and Struggle for Independence

Revolução dos cravos
Revolução dos cravosRevolução dos cravos
Revolução dos cravosDg Guimarães
 
Teste de história
Teste de históriaTeste de história
Teste de históriaAna Martins
 
Portugal:Do autoritarismo à democracia
Portugal:Do autoritarismo à democraciaPortugal:Do autoritarismo à democracia
Portugal:Do autoritarismo à democraciaJoão Costa
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaTeresa Maia
 
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974124481
 
O 25 de abril
O 25 de abrilO 25 de abril
O 25 de abrilnani
 
A queda da monarquia DAFG
A queda da monarquia DAFGA queda da monarquia DAFG
A queda da monarquia DAFGosemprefixe
 
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerraPortugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerraPaula Gomes Pereira Gomes
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueGabriel Resende
 
guerra-colonial-175.pdf
guerra-colonial-175.pdfguerra-colonial-175.pdf
guerra-colonial-175.pdfriodurval
 
A revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilA revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilAEDFL
 

Semelhante a Portugal's Colonial War and Struggle for Independence (20)

A guerra colonial
A guerra colonialA guerra colonial
A guerra colonial
 
Revolução dos cravos
Revolução dos cravosRevolução dos cravos
Revolução dos cravos
 
Trab1 8a grp07
Trab1 8a grp07Trab1 8a grp07
Trab1 8a grp07
 
Teste de história
Teste de históriaTeste de história
Teste de história
 
Portugal:Do autoritarismo à democracia
Portugal:Do autoritarismo à democraciaPortugal:Do autoritarismo à democracia
Portugal:Do autoritarismo à democracia
 
Portugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democraciaPortugal do autoritarismo à democracia
Portugal do autoritarismo à democracia
 
25 De Abril De 1974
25 De Abril De 197425 De Abril De 1974
25 De Abril De 1974
 
Do salazarismo ao 25 de abril
Do salazarismo ao 25 de abrilDo salazarismo ao 25 de abril
Do salazarismo ao 25 de abril
 
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974
Mais sobre a revolução do dia 25 de abril de 1974
 
25 De A Bril
25 De A Bril25 De A Bril
25 De A Bril
 
25 de abril
25 de abril25 de abril
25 de abril
 
O 25 de abril
O 25 de abrilO 25 de abril
O 25 de abril
 
8 b grp07_trab1
8 b grp07_trab18 b grp07_trab1
8 b grp07_trab1
 
A queda da monarquia DAFG
A queda da monarquia DAFGA queda da monarquia DAFG
A queda da monarquia DAFG
 
1ª república
1ª república1ª república
1ª república
 
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerraPortugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
Portugal a partir de 1950. o anticolonialismo no após guerra
 
Independência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e MoçambiqueIndependência - Angola e Moçambique
Independência - Angola e Moçambique
 
guerra-colonial-175.pdf
guerra-colonial-175.pdfguerra-colonial-175.pdf
guerra-colonial-175.pdf
 
25 de abril de 1974
25 de abril de 197425 de abril de 1974
25 de abril de 1974
 
A revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abrilA revolução dos cravos – 25 de abril
A revolução dos cravos – 25 de abril
 

Mais de Jorge Almeida

Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12
Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12
Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12Jorge Almeida
 
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12Jorge Almeida
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novoJorge Almeida
 
Exposição visitai viseu
Exposição visitai viseuExposição visitai viseu
Exposição visitai viseuJorge Almeida
 
Exposição trabalhos alunos_25 de abril
Exposição trabalhos alunos_25 de abrilExposição trabalhos alunos_25 de abril
Exposição trabalhos alunos_25 de abrilJorge Almeida
 
Tertúlia 25 de abril
Tertúlia 25 de abrilTertúlia 25 de abril
Tertúlia 25 de abrilJorge Almeida
 
25 de abril de 1974 2
25 de abril de 1974 225 de abril de 1974 2
25 de abril de 1974 2Jorge Almeida
 
O 25 de_abril_de_1974[1]
O 25 de_abril_de_1974[1]O 25 de_abril_de_1974[1]
O 25 de_abril_de_1974[1]Jorge Almeida
 
Guerra colonial entrevista
Guerra colonial entrevistaGuerra colonial entrevista
Guerra colonial entrevistaJorge Almeida
 
A 1ª guerra mundial hgp
A 1ª guerra mundial hgpA 1ª guerra mundial hgp
A 1ª guerra mundial hgpJorge Almeida
 
25 de abril de 1974 3
25 de abril de 1974 325 de abril de 1974 3
25 de abril de 1974 3Jorge Almeida
 
Trabalhos alunos 7.º pca
Trabalhos alunos 7.º pcaTrabalhos alunos 7.º pca
Trabalhos alunos 7.º pcaJorge Almeida
 
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11Jorge Almeida
 
Visita de estudo a Foz Côa
Visita de estudo a Foz CôaVisita de estudo a Foz Côa
Visita de estudo a Foz CôaJorge Almeida
 
Folheto Foz Côa -2010-11
Folheto Foz Côa -2010-11Folheto Foz Côa -2010-11
Folheto Foz Côa -2010-11Jorge Almeida
 
Visita de estudo a Lisboa
Visita de estudo a LisboaVisita de estudo a Lisboa
Visita de estudo a LisboaJorge Almeida
 
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"Jorge Almeida
 

Mais de Jorge Almeida (20)

Guerra fria 1
Guerra fria 1Guerra fria 1
Guerra fria 1
 
Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12
Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12
Exposição especiarias e frutas tropiciais 8.º ano_2011-12
 
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12
Exposição trabalhos alunos_7.º ano_2011-12
 
Salazar e o estado novo
Salazar e o estado novoSalazar e o estado novo
Salazar e o estado novo
 
Exposição visitai viseu
Exposição visitai viseuExposição visitai viseu
Exposição visitai viseu
 
Exposição trabalhos alunos_25 de abril
Exposição trabalhos alunos_25 de abrilExposição trabalhos alunos_25 de abril
Exposição trabalhos alunos_25 de abril
 
Tertúlia 25 de abril
Tertúlia 25 de abrilTertúlia 25 de abril
Tertúlia 25 de abril
 
25 de abril de 1974 2
25 de abril de 1974 225 de abril de 1974 2
25 de abril de 1974 2
 
O 25 de_abril_de_1974[1]
O 25 de_abril_de_1974[1]O 25 de_abril_de_1974[1]
O 25 de_abril_de_1974[1]
 
Iª república
Iª repúblicaIª república
Iª república
 
Guerra colonial entrevista
Guerra colonial entrevistaGuerra colonial entrevista
Guerra colonial entrevista
 
A 1ª guerra mundial hgp
A 1ª guerra mundial hgpA 1ª guerra mundial hgp
A 1ª guerra mundial hgp
 
25 de abril de 1974 3
25 de abril de 1974 325 de abril de 1974 3
25 de abril de 1974 3
 
Trabalhos alunos 7.º pca
Trabalhos alunos 7.º pcaTrabalhos alunos 7.º pca
Trabalhos alunos 7.º pca
 
Salamanca
SalamancaSalamanca
Salamanca
 
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11
Folheto visionarium e castelo st.ª m.ª feira -2010-11
 
Visita de estudo a Foz Côa
Visita de estudo a Foz CôaVisita de estudo a Foz Côa
Visita de estudo a Foz Côa
 
Folheto Foz Côa -2010-11
Folheto Foz Côa -2010-11Folheto Foz Côa -2010-11
Folheto Foz Côa -2010-11
 
Visita de estudo a Lisboa
Visita de estudo a LisboaVisita de estudo a Lisboa
Visita de estudo a Lisboa
 
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"
Cartaz "Diálogos sobre a sexualidade"
 

Último

NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTEJoaquim Colôa
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Mary Alvarenga
 

Último (20)

NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
MANEJO INTEGRADO DE DOENÇAS (MID)
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Primeira  Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Primeira Série (Primeiro Trimestre)
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTECAMINHOS PARA  A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
CAMINHOS PARA A PROMOÇÃO DA INLUSÃO E VIDA INDEPENDENTE
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptxSlides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
Slides Lição 01, Central Gospel, Os Sinais do Fim dos Tempos 2Tr24.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
Poema em homenagem a Escola Santa Maria, pelos seus 37 anos.
 

Portugal's Colonial War and Struggle for Independence

  • 1.
  • 2.  Com o fim da 2.ª Guerra Mundial, Portugal a par de Espanha permaneceu fascista, enquanto que a maioria dos países Europeus viviam em democracia. ESPANHA PORTUGAL
  • 3.  O governo dirigido por António de Oliveira Salazar criou vários órgãos, o objectivo era eliminar a oposição;  Para impedir a organização política das forças opositoras, foi criada a Polícia Política que acabaria por ficar conhecida como PIDE ;  A censura vigiava a imprensa, o cinema, o teatro, a televisão e de certo modo toda a produção cultural.
  • 4.  Como já referimos, Portugal vivia nesta época em regime ditatorial, existindo portanto falta de democracia, apesar de não ser essa a ideia que Salazar pretendia fazer passar para o exterior;  Em Portugal os resultados eleitorais eram manipulados pelo governo, geralmente a oposição desistia antes da realização do acto eleitoral;  Não existia liberdade de expressão e livre iniciativa política.
  • 5.  Apesar de todas as adversidades, existiram sempre indivíduos que se opunham ao regime salazarista. Alguns destes opositores organizaram-se secretamente dando origem ao Partido Comunista que tinha grande apoio dos operários e dos camponeses alentejanos;
  • 6.  Após a Segunda Guerra Mundial, todos os países da Europa concederam a independência às suas colónias. No entanto, Portugal não o fez, tornando-se assim o último Império Colonial da Europa. Salazar considerava as colónias como efectivo território nacional.
  • 7.  Quando se tornou membro da ONU, em 1955, Portugal recebeu ordem para conceder a independência às colónias, contudo não acatou essa ordem e declarou que todos os habitantes das colónias eram cidadãos portugueses; Bandeira da ONU
  • 8.  As colónias passaram a ser designadas por províncias ultramarinas;  A ONU continuou a exercer pressão sobre Portugal, mas Salazar mostrou-se irredutível;  Formaram-se vários movimentos de independência por parte dos países colonizados;  É o primeiro passo para a guerra colonial.
  • 9.  Com o surgimento dos movimentos de independência, o chefe do governo português viu-se obrigado a enviar forças militares para as colónias; Embarque das tropas portuguesas para o Ultramar
  • 10.  Salazar aplicou a máxima “para Angola rapidamente e em força”;  A guerra começou em três frentes: Angola (1961), Guiné ( 1963) e Moçambique (1964).  O desejo de Independência das Colónias foi aumentando com o desenrolar da guerra. António de Oliveira Salazar
  • 11.  A Guerra Colonial consistiu, assim, no conflito armado entre Portugal e as colónias: Angola, Moçambique e Guiné.  Esta guerra colonial teve a duração de treze anos - entre 1961 e 1974. Portugal Moçambique Angola Guiné
  • 12.  Com a Guerra aumentaram os custos económicos relacionados com as Forças Armadas Portuguesas;  Elevado número de perdas humanas;  Elevado número de feridos e incapacitados;  A guerra afectará também a população civil;
  • 13.  Os designados Veteranos de Guerra sofreram com esta situação. Para além de assistirem por vezes à morte dos companheiros, muitos deles ficaram deficientes a nível físico e sofrem do chamado stress pós-traumático. Soldados a combater
  • 14. Soldado ferido a ser auxiliado pelos companheiros Funeral de um soldado português Mortos 9mil Feridos 15a30mil Comstresspós-traumático 140mil N.º de Soldados
  • 18.
  • 19.
  • 22. A guerra termina em 1974. Com o 25 de Abril é proclamada a independência da Guiné e Cabo Verde e em 1975 de Angola, Moçambique e S. Tomé e Príncipe; Começou então nas colónias um processo de democratização que se iria arrastar de forma instável durante vários anos;
  • 23.  Com o fim da guerra regressam a Portugal muitos dos portugueses e outros cidadãos europeus que habitavam as colónias - são os retornados. Retornados de Moçambique no regresso a Lisboa.
  • 24.  A guerra foi longa (1961-1974) e morosa para Portugal;  As perdas humanas foram muito significativas;  Contribuiu para o atraso económico de Portugal;  Com o fim da guerra muitos dos portugueses que habitavam as colónias regressaram a Portugal;  Muitos dos soldados que participaram da ofensiva de guerra sofrem de stress pós- traumático.
  • 25. Cronologia dos Principais acontecimentos relacionados com a Guerra  1961- Início da Guerra;  1973- Declaração de Independência da Guiné ( 24 de Setembro);  1974- Revolução dos Cravos ( 25 de Abril);  1974- Reconhecimento de Independência da Guiné (10 de Setembro);  1975- Declaração de Independência de Moçambique (25 de Junho);  1975- Independência de Angola (11 de Novembro);
  • 26. Webgrafia  http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_Coloni al_Portuguesa  http://guerracolonial.home.sapo.pt/  http://www.citi.pt/cultura/politica/25_de_a bril/guerra_colonial.html  http://ultramar.terraweb.biz/  http://www1.ci.uc.pt/cd25a/wikka.php? wakka=guerracolonial
  • 27. Trabalho realizado por:  Diogo Lourenço  9ºA  Nº 5
  • 28. FIM